Você está na página 1de 3

Sobre O Uso Das Velas Nos Rituais

As velas de cores diferentes, têm finalidade energéticas diferentes.


Podem ser usadas também para representar a Deusa e o Deus, ou até
mesmo os quatro quadrantes: (leste/oeste; Norte/sul; ar/água;
terra/fogo).
Paracelso ensinou que a Natureza é habitada por espíritos associados às
plantas, aos animais, aos minerais, à água, ao fogo e ao próprio ar. Esses
espíritos, também conhecidos como seres elementais, seriam a "alma" de
tudo que existe: pedras, terra, o vento, fogo, plantas, etc...
Um dos mais poderosos elementos da natureza é o Fogo, que está
associado, entre outros atributos, à transmutação e à purificação. Os
espíritos do Fogo são as Salamandras. Estas, de acordo com Paracelso, são
criaturas flamejantes, de cor vermelho-alaranjada. Não têm forma definida
e medem de 70 a 90 centímetros de altura.Para você se valer da força das
Salamandras, experimente recorrer às velas.
Presentes em todos os ritos e nas mais diferentes liturgias, as velas
associam dois fatores muito importantes: a força das salamandras e os
poderes associados às cores.

Uso mágico nos


Rituais
Seja nos rituais mais simples, seja nos mais complexos, o uso das velas é
praticamente indispensável. Todos os Rituale Excelsis e quase todos os
Rituale Vulgaris fazem uso das velas nas suas operações. Na verdade,
pode-se dizer que acender uma vela é o mais simples dos rituais.
Naturalmente, você deveria fabricar suas próprias velas e podera fazê-las
de vários formatos (cilindricas, piramidais, quadradas, esféricas) usando
as cores e essências que melhor lhe convierem. Entretanto, na correria do
dia a dia, isto nm sempre é pssível. Mas não se desespere... Você poderá
encontrá-las em qualquer loja do ramo, em todas cores, aromas e
formatos.
No momento do ritual, (ou pouco antes) você poderá "prepará-las" à sua
maneira e... estamos conversados. Obterá os mesmos resultados, não
duvide.
Tenha sempre em mente que os tempos mudaram... Velhos grimórios
podem ser muito interessantes, mas a vida de hoje conta com certas
comodidades que teriam parecido inexplicável magia aos nossos
ancestrais.
Não se agarre a anacronismos e aprenda a mudar com o devir. Isso é prova
de inteligência...
Bom... Fechado o parêntesis, voltemos à consagração. Isso não mudou...
Consagre a sua vela, transformando-a num instrumento mágico, está bem?
Use a lua certa e seu "estado de espírito certo"...
A cor da vela é imprescindível ao êxito de determinados rituais, porque a
vela estabelece um elo psíquico entre os vários "planos" do Ser, de forma
que esse contato tem de ser feito corretamente, e a cor é um fator-chave.
Você pode untar sua vela com óleos essênciais e gravar nelas seus desejos,
runas de sorte, selos angélicos, pode ordenar ou formular desejos.
Use sua intuição. Ela será seu guia SEMPRE.

Sobre a Consagração
do Óleo
Esta parte é fundamental, pois, é a consagração que faz da vela um objeto
mágico. Antes desta, ela não passa de um cilindro de parafina com um
pavio, cuja única função será iluminar ambientes escuros. Contudo,
consagração faz dela um instrumento de magia capaz de estabelecer
contato direto com os planos sutís..
A consagração deve ser feita com óleo, preferencialmente aquelas
essências aromáticas à base de óleo. Essa prática é milenar e desde o Egito
antigo encontram-se referências sobre os óleos aromáticos de
consagração.
No comércio especializado, você adquire (ou fabrica você mesmo) um vidro
com essência à base de óleo.Pode ser canela, outras madeiras odoríficas,
baunilha, violeta, almiscar, rosas, ou a que mais lhe agradar. Mas a
condição sine qua non é que seja veiculada em óleo. Isso porque há muitos
tipos de essência, mas nem todas a base de óleo, que nesse caso é
fundamental.
Tome o vidro de óleo e retire-se para um lugar sossegado, onde não vá ser
interrompido. Sente-se e respire fundo algumas vezes, visualizando uma
luz dourada e cintilante envolvendo o ambiente. Após alguns minutos, abra
o vidro, ponha um pouco do óleo nas mãos, esfregue-as até aquecer. Nste
ponto, pegue novamente o vidro (cuidado para não deixar cair) e vá
passando as mãos nele, repetindo em voz baixa : " Em nome do Poder
Maior, eu te consagrado para que a partir deste momento sagrado, sejas
elo de ligação entre as coisas da Terra e a Divindade.Que possas ajudar-me
em toda as minhas obras e que exerças a força que te concedo. Que tudo
seja sempre feito de acordo com a vontade do Poder Maior, da qual
compartilho."
Isso deve ser repetido três vezes, com muita convicção, a fim de que o
óleo seja impregnado. A consagração do óleo é feita de uma vez só pois o
vidro ficará impregnado com suas vibrações por um bom tempo. Se achar
necessário, pode repetir a consagração sempre que achar adequado.

CONSAGRAÇÃO DA(S)
VELA(S)
Agora vem a consagração da vela. Alguns místicos preferem chamar de
"unção", mas "consagração" parece-me um termo mais adequado...
Tome a vela (sendo muitas, deve ser feito a cada uma, para que a
impregnação não seja diluída) e mergulhe seus dedos no óleo já
consagrado. Visualize seu desejo com tanta convicção como se ele já
estivesse realizado, visualize o ritual que irá executar como se seu objetivo
já tivesse sido atingido.
Se você deseja ATRAIR alguma coisa, esfregue os dedos com óleo na vela
DE CIMA PARA BAIXO ; se deseja AFASTAR algo, faça-o DE BAIXO PARA
CIMA. Se desejar você também pode escrever na vela o que deseja ou o
nome da pessoa a quem o ritual será dedicado : para escrever na vela use
sempre uma ponta de aço. Depois de escrever, passe os dedos com óleo.
Escrever na vela é opcional.
Enquanto visualiza e passa o óleo, vá repetindo a mesma consagração do
óleo. Tenha em mente que a força do seu pensamento é que tornará a vela
um objeto mágico, por isso a chave é a visualização. Agora faça uma
oração, de acordo com a sua crença pessoal.

CONSELHOS ÚTEIS
• Se precisar apagar uma vela que esteja sendo usada
ritualisticamente JAMAIS o faça soprando a mesma. Velas rituaisl só
devem ser apagadas com abafador ou com os dedos, nunca sopre
uma destas vela

É muito importante a escolha do lugar onde a vela será acesa. Deve estar
fora das correntes de ar, do alcance de crianças e animais e afastadas de
materiais combustíveis, tais como papel, cortinas e outros.

• A vela deve ser bem fixada, se não tiver uma base grande.
Especialmente no caso das cilíndricas, é importante fixá-las
corretamente para que não caiam. Use sua própria cera fixa-la,
mesmo que esteja em candelabro. Dependendo do tamanho é
interessante colocá-la dentro de um copo de vidro refratário, COM
UM POUQUINHO D'ÁGUA NO FUNDO, para que a parafina não fique
irremediavelmente aderida.Havendo um pouquinho de água no
fundo, o que sobrar da parafina sai inteirinha, sem "colar". De outra
forma, você só vai conseguir limpar o copo se usar água fervendo.
No comércio há vidros especiais para velas de sete dias. Aliás, para
outros tipos de vela também. Escolha aqueles de sua preferência e
necessidade.
• Pode acontecer (com qualquer tipo de vela), que à medida em que
vai se consumindo, a parte já queimada do pavio acumula-se junto à
chama, fazendo com que esta fique cada vez mais forte e intensa.
Isso fará com que se queime depressa demais e "esparrame" a vela
inteira. Neste caso, é aconselhável cortar com uma tesoura a parte
preta do pavio já queimado.
Por precaução, especialmente nas atividades que requeiram várias velas
acesas simultaneamente, é recomendável que se disponha de meios para
enfrentar uma possível emergência. Assim, aconselha-se disponha em
reserva de água suficiente para alguma eventualidade,ou então, uma
maneira rápida de abafar-se um eventual princípio de incêndio.
Bruxaria sim, descuido jamais....