Você está na página 1de 2

Tributação de ISS nas gráficas

discutida na FIEAM

A secretária municipal de Finanças e Controle Interno, Maria


Helena Alves e o presidente do Sindicato das Indústrias Gráficas do
Estado do Amazonas (Sindgraf-AM), Roberto Caminha Filho
reuniram-se ontem na sede da Federação das Indústrias do Estado
do Amazonas (FIEAM) para discutir a cobrança do Imposto sobre
Serviços (ISS) ao setor.
A secretária explicou aos presentes que a produção das
indústrias gráficas é feita sob encomenda, ou seja, os clientes
solicitam produtos específicos das gráficas. Isso implica em um
contrato de prestação de serviços o que, por lei, obriga ao
pagamento do ISS. Em Manaus, a alíquota do ISS é de 2%.
Atualmente as empresas do ramo pagam Imposto sobre Circulação
de Mercadorias (ICMS), já que seus clientes do Polo Industrial de
Manaus (PIM) fazem essa exigência.
Segundo a secretária, o municipio e o Estado se reunirão para
decidir a situação tributária das indústrias gráficas e ela acrescenta
ainda que, colocando na ponta do lápis, o produto gráfico ficará
mais barato com a substituição do ICMS pelo ISS.
O ISS deveria ser pago a partir de 9 de janeiro de 2009,
segundo o presidente do Sindgraf-AM, Roberto Caminha.
A secretária esclareceu que todos os municípios do Brasil
estão no mesmo processo de mudança e as empresas do ramo que
continuarem emitindo nota fiscal com pagamento de ICMS poderão
ser autuadas. Segundo Maria Helena, o fisco de São Paulo cobra
alíquota de 5% de ISS. Em Manaus, a alíquota é de 2%. Não é
vantagem para o comprador do PIM ainda arcar com as despesas
de frete. Para a secretária vale a pena ser contribuinte do ISS e o
município precisa aprender a brigar pela sua carga tributária. “Está
escrito na Constituição desde 1966”, lembrou a secretária.