P. 1
resumos de biologia de 11º ano

resumos de biologia de 11º ano

5.0

|Views: 56.672|Likes:
Publicado porLiliana
eis alguns resumos de biologia que eu fiz e que podem ajudar quem precisa...
eis alguns resumos de biologia que eu fiz e que podem ajudar quem precisa...

More info:

Published by: Liliana on Jan 15, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/05/2016

pdf

text

original

11º ano

quinta-feira, 2 de Outubro de 2008
21:41

I - Crescimento e renovação celular

As células são unidades estruturais e funcionais dos organismos. Utilizando o seu
programa genético, produzem moléculas específicas, que permitem o crescimento e a
renovação celulares.

DNA e síntese de proteínas

O programa genético está presente no ácido desoxirribonucleico, molécula que coordena
toda a actividade celular.

Só na década de 40 do século XX, na sequência de trabalhos realizados com bactérias e
vírus, o ácido desoxirribonucleico foi considerado o material genético.

Universalidade e variabilidade da molécula de DNA

As moléculas de DNA são invariáveis do ponto de vista químico, qualquer que seja o tipo
celular ou o tipo de ser vivo.

Nas células eucarioticas existe uma compartimentação membranar, estando a quase
totalidade do material genético confinado ao núcleo. O núcleo possui duas membranas,
membrana nuclear interna e membrana nuclear externa, que constituem o invólucro
nuclear, com inúmeros poros nucleares que permitem a comunicação entre o interior do
núcleo e o citoplasma.

No interior, o núcleo contém o nucleoplasma, onde se encontram os cromossomas,
massas de material facilmente corável, constituídos por filamentos de DNA e proteínas.

No núcleo pode ainda existir um ou mais nucleolos, estruturas em cuja constituição
entram ácidos nucleicos e proteínas.

DNA, um polímero de nucleótidos em dupla hélice

Cada organismo possui um património genético que o torna único.
O DNA é o suporte molecular da informação genética que coordena todas as actividades
celulares e que é transmitida a todas as células - filhas no decurso do desenvolvimento.

Como é constituída a molécula de DNA?

A molécula de DNA é formada por diferentes tipos de nucleótidos. Cada nucleótido é
constituído por três componentes: um grupo fosfato, uma pentose e uma base azotada.

Os nucleótidos têm designações de acordo com as bases azotadas que entra na sua
constituição.
Por reacções de condensação, os nucleótidos podem ligar-se sequencialmente e formar
uma cadeia polinucleotidica.

Cada novo nucleótido liga-se pelo grupo fosfato ao carbono 3' da pentose do último
nucleótido da cadeia, repetindo-se o processo na direcção 5' 3'. Deste modo, ao
ultimo nucleótido que tem o carbono 3' com o grupo OH livre, pode ligar-se um novo
nucleotido pelo grupo fosfato.

Os constituintes identificados em cada nucleótido são:
Um grupo fosfato, que confere à molécula características ácidas;
Um açúcar com cinco átomos de carbono - a desoxirribose.
Uma base azotada - das quatro bases azotadas que podem encontrar-se a timina e a
citosina têm anel simples, e que chamam pirimídicas e a adenina e a guanina têm anel
duplo chamando-se púricas.

A sequência de nucleótidos numa cadeia de DNA é muito importante, pois é nessa
sequência que está codificada a informação genética que define as características de cada
individuo.

Análises relativas à composição quantitativa perceptual dos diferentes nucleotidos
revelam que, em cada espécie, os valores da guanina são muito próximos dos da citosina.

Qual é a estrutura da molécula de DNA?

A proposta de um modelo em dupla hélice foi efectuada por Watson e Crick.

A longa molécula, em forma de dupla hélice, assemelha-se a uma escada de corda
enrolada helicoidalmente. As bandas laterais da hélice são formadas por grupo fosfato,
alternando com a molécula de açúcar, e os degraus centrais são pares de bases ligadas
entre si por pontes de hidrogénio.

☻ A adenina liga-se à timina (A = T) por 2 ligações hidrogénio.
☺ A guanina liga-se à citosina (G ≡ C) por 3 ligações de hidrogénio.

A especificidade de ligações entre bases, complementaridade de bases, permite que, a
partir da sequência de nucleotidos de uma cadeia, se conheça a sequência da outra
cadeia. As cadeias complementares da molécula de DNA são cadeias antiparalelas, ou
seja, à extremidade 3' livre de uma cadeia corresponde a extremidade 5' da outra.

A mensagem informativa está codificada pela sequência de nucleótidos em cada gene.

O número de nucleótidos, a sua natureza e sequência diferem de gene para gene,
podendo falar-se em universalidade e variabilidade da molécula de DNA.

Replicação do DNA

A descoberta da estrutura do DNA foi um momento decisivo no estudo da
hereditariedade. Rapidamente, começou a tornar-se claro como as células, antes de se
dividirem, duplicam o seu DNA, assegurando a conservação do património genético ao
longo das gerações. A estrutura molecular do DNA e o repectivo modo de replicação estão
intimamente relacionados.

Actualmente sabe-se que a duplicação do DNA é um processo com alguma complexidade
que envolve a acção de algumas enzimas. A figura abaixo pretende representar, de forma
simplificada, o mecanismo de replicação do DNA.

Colado de

No processo de replicação semiconservativa, cada uma das cadeias formadas é réplica de
uma cadeia originais. Assim, as novas moléculas de DNA são idênticas às moléculas
originais, sendo cada uma portadora de uma cadeia da molécula mãe e de uma outra
recém- formada.

O mecanismo de replicação envolve:
Desenrolamento do DNA
Rompimento por acção enzimática de pontes de hidrogénio entre bases
complementares.
Incorporação de nucleótidos do meio, por complementaridade, com formação de
novas cadeias.

No meio envolvente existem nucleótidos livres que se vão ligar por pontes de hidrogénio
às bases que se separaram, formando assim uma nova cadeia nucleótidica.

Video youtube: http://www.youtube.com/watch?v=teV62zrm2P0

Experiência de Meselson e Sthal

Colado de

Conclusão:

Os resultados obtidos por Meselson e Stahl apoiam, inequivocamente, a hipótese
semiconservativa, e podem ser interpretados da seguinte forma:
- As bactérias cultivadas em 15N incorporam esse azoto nos seus nucleótidos,
formando um DNA com maior densidade, que se deposita mais próximo do fundo
do tubo sujeito a centrifugação.
- Quando as bactérias são transferidas para um meio de cultura com 14N, utilizam
esse azoto para produzirem novas cadeias de DNA. Assim, na primeira geração, cada
molécula de DNA apresenta uma cadeia de nucleótidos com 15N (que provinha da

geração parental) e outra com 14N (formada com nucleótidos que incorporaram o
azoto presente no meio). Desta forma as moléculas de DNA apresentam uma
densidade intermédia entre DNA com 15N e DNA com 14N.

Colado de

Alguns exercicios:

www.netxplica.com/Verifica/dna_replicacao.htm

Algumas questões frequentes:
Porquê o azoto?

Porque é o elemento essencial para produzir as bases azotadas.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->