P. 1
Dica 18: Acelerador Eletrônico - Drive By

Dica 18: Acelerador Eletrônico - Drive By

|Views: 2.379|Likes:
Publicado porgilberto barbosa
dicas defeitos carros
dicas defeitos carros

More info:

Published by: gilberto barbosa on Jan 16, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/10/2015

pdf

text

original

Dica 18: Acelerador eletrônico - drive by wire (parte 2

)

01/2001

Na edição passada descrevemos o acelerador eletrônico e o seu princípio básico de funcionamento. Nesta edição, mostraremos como testar os componentes que o compõe. Já sabemos que o acelerador eletrônico é composto pelos seguintes componentes: - Sensor de posição do pedal: Conjunto de 2 potenciômetros que ficam junto ao pedal do acelerador. - Unidade de comando eletrônico - UCE: Central que monitora a posição do pedal e controla a borboleta de aceleração. - Sensor duplo de posição da borboleta: Sensor instalado no corpo de borboleta que fornece à UCE o correto posicionamento angular da borboleta de aceleração. Sem esta referência a rotação do motor fica limitada a 2200 RPM. - Motor do acelerador: Motor elétrico instalado no corpo de borboleta que, sob comandos da UCE, atua diretamente sobre a borboleta de aceleração Teste do motor do acelerador O teste do motor do acelerador (borboleta motorizada) deve ser efetuado quando não se observa o acionamento da borboleta de aceleração. Quando o acelerador eletrônico estiver inoperante. Vale lembrar que com a chave de ignição ligada (motor parado) pode-se facilmente escutar o "zunido" característico de alimentação do motor do acelerador. Atenção!! Efetuar os testes obedecendo a seqüência. Antes, efetuar o Teste de Carga da Bateria. 1º Teste (teste de alimentação do motor do acelerador - terminal 4) - Ligar a ignição sem dar partida. - Selecionar o multímetro na escala volts (VDC). - Medir a voltagem no fio preto e marrom do sensor ligado ao terminal 4 do conector do corpo de borboleta. - A tensão deve estar entre 1,00 e 1,50 volts VDC. - Dar partida no motor. - Em marcha lenta, com o motor aquecido, a tensão deve estar entre 11,50 e 12,50 volts VDC. Corpo de Borboleta - incorpora o sensor duplo de posição da borboleta e o motor do acelerador eletrônico.

27679780.doc

1

A tensão varia de acordo com o indicado? Sim Faça o 2º teste. Não Verificar mau contato e fio interrompido (ou descascado) entre o terminal 4 do conector do corpo de borboleta e os terminais 28 e 60 do conector da UCE (lado do veículo). Fazer os testes do sensor duplo de posição da borboleta (vide dica 1) e do sensor de posição do pedal do acelerador (vide dica 2). Se tudo estiver OK e o problema persistir, fazer o teste de alimentação da UCE. Se a alimentação da UCE estiver OK e o defeito ainda persistir, substitua a UCE. 2º Teste (teste de alimentação do motor do acelerador - terminal 1) - Com a ignição ligada (sem dar partida). - Conectar o analisador de polaridade no fio marrom do sensor ligado ao terminal 1 do conector do corpo de borboleta. - Deve haver polaridade negativa. - Dar partida no motor. - Em marcha lenta, com o motor aquecido, deve haver polaridade positiva.

27679780.doc

2

O sinal varia corretamente ? Sim Com a chave de ignição ligada, verificar se a borboleta de aceleração está respondendo à solicitação de aceleração. Caso esteja, conclui-se que o conjunto do acelerador eletrônico está OK. Porém, se o acelerador eletrônico não estiver respondendo, conclui-se que há falha no motor do acelerador e deve ser substituído o corpo da borboleta de aceleração. Não Verificar mau contato e fio interrompido (ou descascado) entre o terminal 1 do conector do corpo de borboleta e os terminais 11 e 43 do conector da UCE (lado do veículo). Se tudo estiver ok e o problema persistir, fazer o teste de alimentação da UCE. Se a alimentação da UCE estiver ok e o defeito ainda persistir, substitua a UCE. Figura 3 da Galeria de Imagens (no final da dica) 0.43979700 1093439448_dica18d

27679780.doc

3

Dica 1 Tabela de sinais* do sensor duplo de posição da borboleta de aceleração (interno ao corpo de borboleta). Terminal do corpo de Função Fio cor Sinal (VDC) borboleta 2 Aterramento Alaranjado e branco Negativo 3 Alimentação Rosa Entre 4,60 e 5,20 volts VDC Borboleta fechada de 4,00 a 4,20 5 Sinal do potenciômetro 2 Cinza Borboleta aberta de 3,30 a 3,50 Borboleta fechada de 0,85a 0,95 6 Sinal do potenciômetro 1 Preto e roxo Borboleta aberta de 1,55 a 1,70 *Nos terminais 5 e 6 o sinal do sensor deve variar entre valores de borboleta fechada e borboleta aberta sem saltos ou interrupções. Para informações mais detalhadas, consulte os manuais específicos dos sistemas em questão. Dica 2 Tabela de sinais* do sensor de posição do pedal do acelerador. Terminal do sensor do acelerador 1 2 3 4 5 6 Função Alimentação do potenciômetro 2 Alimentação do potenciômetro 1 Aterramento do potenciômetro 1 Sinal do potenciômetro 1 Aterramento do potenciômetro 2 Sinal do potenciômetro 2 Fio cor Amarelo Branco Branco/Amarelo Azul/Amarelo Verde Marrom/Branco Sinal (VDC) Entre 4,60 e 5,20 volts VDC Entre 4,60 e 5,20 volts VDC Negativo Borboleta fechada de 0,70 a 0,80 Borboleta aberta de 4,40 a 4,60 Negativo Borboleta fechada de 0,30 a 0,50 Borboleta aberta de 2,15 a 2,30

*Nos terminais 4 e 6 o sinal do sensor deve variar entre valores de borboleta fechada e borboleta aberta sem saltos ou interrupções. Para informações mais detalhadas, consulte os manuais específicos dos sistemas em questão.

27679780.doc

4

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->