Você está na página 1de 2

Prova de que Q e enumeravel

Aqui vao os passos que usamos na sala para demonstrar que o conjunto Q dos numeros racionais e enumeravel .
1 - Mostramos que N pode ser escrito como uma uniao infinita enumeravel de conjuntos infinitos enumeraveis . Para isso tomamos o
conjunto dos multiplos de 2 , < 2 > . Fizemos A2 = N < 2 >
T
e tomamos os multiplos de 3 restritos a A2, < 3 > A2. Fizemos
T
A3 = A2 < 3 > A2, e tomamos os multiplos de 5 nesse conjunto.
2 - Usamos a decomposicao acima para definir uma funcao bijetora
h entre N e N N , interpretando N N como um quadriculado no
primeiro quadrante do plano, e como a uniao infinita enumeravel de
listas infinitas enumeraveis .
3 - Como existe uma sobrejecao f natural de N N em Q, que leva
(m, n) m
cao de N em Q.
n , fazendo g = f oh temos uma sobreje
4 - Assim para cada elemento q de Q usando o Princpio da Boa
Ordenacao tomamos o menor elemento de g 1(q), e fazendo a uniao U
desses menores elementos e restringindo g a U temos uma bijecao entre
um subconjunto dos naturais e Q .
5 - Agora , resta provar que todo subconjunto dos naturais ou e
finito, ou e infinito enumeravel ,e provar que conjunto do item 4 e enumeravel. O conjunto do item 4 nao pode ser finito, pois se fosse teramos
uma sobrejecao de um conjunto finito no conjunto dos numeros racionais. Como N Q teramos uma sobrejecao de um conjunto finito
em N, o que e impossvel. Assim o conjunto do item 4 e infinito. Tome
um subconjunto infinito A de N. O Princpio da Boa Ordenacao nos
permite definir a seguinte funcao injetiva de N em A : s(n) (nezimo menor elemento de A). Claramente vale que s(n) n. Assim
se s nao for sobrejetiva existe a A , a s(n), n  N , e consequentemente a n, n  N. Como a  N isso e impossvel, logo s e

sobrejetiva e portanto bijetiva. Assim todo subconjunto infinito de N


e enumeravel e terminamos nossa demonstracao.
Bibliografia :
Naive Set Theory ; Paul Halmos
Topology : a first course ; Munkres
Marcelo R R Alves