Você está na página 1de 6

TRABALHO DE

PORTUGUS
Trabalho realizado pelos alunos:
Francisco Mesquita N 8
Paulo Ribeiro N 17
Rui Sargo N 24
Rui Samdio N 25
Toms Craveiro N 29

Vamos representar e analisar a


cena IX do Corregedor e
Procurador, da pea Auto da
Barca do Inferno de Gil Vicente.

Quer o Corregedor, quer o Procurador tm


profisses ligadas ao ramo da justia, so
magistrados e vo para a Barca do Inferno.

Os smbolos cnicos que o Corregedor traz


so:
Os feitos ou seja os processos judiciais que
simbolizam a manipulao da justia, e a vara que
simboliza o poder judicial que ele tinha.

Os smbolos cnicos que o Procurador traz


so:
Os livros que simbolizam a injustia.

Argumentos de Acusao:
Ambos eram corruptos e odiosos.
O Corregedor no exerceu bem a sua profisso
pois no foi imparcial na aplicao da justia,
julgando com malcia e sendo influencivel pelos
subornos.
O Corregedor e a sua mulher no recearam
Deus.

Argumentos de Defesa:
O Corregedor alega que tinha exercido a sua
profisso com imparcialidade.
Diz que quem aceitava os subornos era a sua
mulher e que os pecados dela no eram dele.

Tpicos Gerais
Estas duas personagens tm em comum um trabalho
no ramo da justia, so magistrados e acabam por ir
para a Barca do Inferno.
O Diabo acusa-os de serem corruptos e de usufrurem
da boa vida.
O Corregedor defende-se afirmando que sempre atura
com imparcialidade e justia.
O Anjo recusa-lhes a entrada acusando-os de serem
odiosos.
O Parvo representa o papel do Anjo , tendo como
objectivo acusar as personagens.
Nesta cena utilizado o cmico de linguagem.
O Corregedor utiliza o Latim para mostrar que todos
os processos e textos que lia eram em Latim e para se
mostrar superior s outras personagens.

Obrigado pela vossa


ateno!