Você está na página 1de 55
" JOVENSe ADULTOS 5 ~ Revista do Al no 3° Trim. 93, e 9 CHD Licées ‘Biblicas MATURIDADE CRISTA Publicaco Trimestral da Casa Publicadora das Assembléias de Deus Avenida Brasil, 34401 - Bangu Telefone: (021) 332-7373 Fax: 332-8150 CEP 21852.000 - Rio de Janeiro, RU Presidente da Convencao Geral Sebastido Rodrigues de Souza Presidente do Conselho Administrativo Luiz Bezerra da Costa Diretor Executivo Ronaldo Rodrigues de Souza Area de Publicagées Geremias do Couto jo de Educacdo Crista Antonio Mardonio Nogueira Vielra Lojas CPAD Rio de Janeiro Rua Buenos Aires, 113 - Centro - CEP 2070-020 Tel.: (021)282-1837 Avenida Vicente de Carvalho, 1083- CEP 21210-000 Tel.: (021) 391-4336 Rua Maria Freitas, 110 Loja F - Galeria - Avatar-Madureita- CEP 2151-010 Tel.: 359-5488 Rua Coronel Agostinho, 78, loja 217 - Campo Grande - CEP 23050-310 - Tel. (021) 316-1622 Niteréi, Ru: Rua Aurelino Leal, 47- Centro = CEP 24020-110- Tel.: (021) 722-0072 Nova Iguacu, RJ: Av, Goy. Amaral Peixoto, 427- Lojas 101 e 103- Centro - CEP 26210-060 - Tel.: (021) 767-6744 Recife, PE: Av. Dantas Barreto, 1021 - ‘Sao José - CEP 5020-000 - Tel.: (081) 224-2441 Uberlandia, MG: Av. Floriano Peixoto, 758 - Térteo - Centro - CEP 3840-046 - Tel: (034) 284-3540 S40 Paulo, SP: Rua Cons.® Cotegipe, 126 -Belenzinho- CEP 03058:000- Tel.:(011) 292.1437. Curitiba, PR: Rua Senador Xavier da Silva, 450 - Centro Civico- CEP 80530- 060 - Tel: (041) 288-5998 Distrito Federal Brasilia, DF: Super Center Venancio, 2000/loja 135-SCS-08 - CEP 70333-900 - Tel.: (061) 223-4180 USA: 85 Washington Steet, 02143 - Summerville - Massachusets- Tel.:(617) 628-1776 Sto Luis, MA: Rua Treze de Maio, 399 - CEP 65087-480 - Tel.: (098) 222-2152 IS) Lieées | ‘Biblicas MATURIDADE = CRISTA Comentario: EURICO BERGSTEN Ligio 1 SUMARIO Danicl Ora Por Um Despertamento Ligées Pa matinee wat : espertamento Espiritual - E do 3° Trimestre io Espi im Milagre Q O Despertamento Renova o Altar de 1993 Ligso 4 ‘A Construgio do Templo Enfrentou Oposigio Ligho 5 ‘Zorobabel Recomega a Construgiio do Templo Ligio 6 Neemias Reconstréi os Muros de Jerusalém Ligio 7 O Povo de Deus Deve Separar-se do Mal Ligho 8 s Causas da Desuniio Devem Ser Eliminadas Ligio 9 Como Vencer as Oposigdes & Obra de Deus Ligho 10 Provai Se os Espiritos Sio de Deus Ligio ti Esdras vai a Jerusalém Ensinar a Palavra Ligio 12 Esdras e¢ Neemias Combatem o ‘Casamento Misto Ligio 13 A Vigilancia Conserva Pura aIgreja O DESPERTAMENTO DOS JUDEUS APOS O EXILIO Usualmente ensina-se, ¢ isto com toda a raz4o, que o grande despertamento iniciado no dia de Pentecoste é 0 padrao de todos os despertamentos em todos os tempos. Neste trimestre, porém, estudaremos 0 despertamento que teve inicio no ano 539 a.C., que teve como conseqtiéncia o retorno de cerca de 50.000 judeus a Jerusalém, para ajudar na reconstrugao do templo e na reedificagéo dos muros da cidade. Através das licdes extrairemos os ensinos para os nossos dias. Todos os despertamentos espirituais tém caracteristicas comuns, pois emanam de um mesmo Deus que nao muda (MI13.8). Nele nao ha sombra de variacao (Tg 1.17), pois é 0 eterno EU SOU (Ex 3.14). Estudaremos, portanto, varios temas que refletem algumas caracteristicas que marcam um verdadeiro despertamento. Meditaremos sobre a oracao, que abre a porta para a operagao divina. Veremos como continua indispensavel a irrestrita obediéncia 4 Palavra de Deus. Estudaremos ainda sobre o inestimavel valor das manifestagdes sobrenaturais do Espirito Santo. Veremos ainda a necessidade da uniéo do povo de Deus, e de a Igreja manter-se separada do mundo, bem como a necessidade deumaagcdo enérgica para manter o pecado fora da Igreja. Finalizaremos com o estudo do incalculavel valor do ensino da Palavra de Deus ao povo. Que Deus vivifique a sua Palavra em nossos coragées, enos dé pracaa fim de que os requisitos necessarios para wm real despertamento dominema nossa conduta como crentes. Amém! Eurico Bergstén LIGAO 1 4 de julho de 1993 DANIEL ORA POR UM DESPERTAMENTO TEXTO AUREO “Confessaiasvossas culpasunsaos outros, e orai uns pelos outros, para gue Sareis; a oragéo feita por um justo pode muito em seus efeitos” (Te 5.16). VERDADE PRATICA O crente dedicado a oracao pode exercer influéncia no Céu, na Terra e até sobre os poderes malignas. LEITURA DIARIA Segunda -Le 115-13 Quinta - 1 Rs 8.22-61 A certeza do atendimento a oragdo A comovente oracdo de Salomao Terca - Dt 9.8-21 Sexta - Ef 3.14-21 A oragiio de Moisés pelo povo A oragao de Paulo pelos Efésios Quarta - 2.Sm 7.18-29 Sébado - He 3.1-19 Davi ora para edificar o templo Habacuque ora pelo livramento TEXTO BIBLICO BASICO Dn 9.1-3; 6.10; 2.17-19; Ed 1.1-5 Dn 9.1-No ano primeiro de Dario, filho de Assuero, da nagio dos medos, 0 qua] foi constituido rei sobre o reino dos caldeus, 2- No ano primeiro do seu reinado, eu, Daniel, entendi pelos livros que 0 niimero de anos, de que falou o Senhor ao profeta Jeremias, em que haviam de acabar as assolagdes de Jerusalém, era de setenta anos. 3-Beu dirigio meu rostoaoSenhor Deus, parao buscar com oragio erogos, com jejum, e saco e cinza. 6.10-Daniel, pois, quando soube que aescritura estava assinada, entrou em sua casa (ora havia no seu quarto janelas abertas da bandade Jerusalém), e tres vezes no dia se punhadejoelhos e orava,e dava gragas,diante doseu Deus, como também antes costumaya fazer. 2.17 Entao Daniel foi para a sua casa, e fez saber 0 caso a Ananias, Misael e Azarias, seus companheiros. 18 - Para que pedissem misericordia ao Deus do céu, sobre este segredo, a fim de que Daniel e seus companheiros nio perecessem, com o resto dos sibios de Babiloni: 19-Entio foi reyelado o segredo a Daniel numa visio de noite. Entio Daniel Iouyou o Deus do céu, Ed 1.1 No primeiro ano de Ciro, rei da Pérsia (para que se cumprisse a palayra do Senhor, por boca de Jeremias) despertou o Senhor oespiritode Ciro, rei da Pérsia, o qual fez passar pregio por toda o seu reino, como também por. escrito, dizend 2 Assim diz Ciro, rei da Pérsia: O Senhor Deus dos céus me deu todos os reinos da terra; ele me encarregou de lheedificar umacasaem Jerusalém, que éem Juda. 3- Quem hi entre és, de todo o seu povo, seja seu Deus com ele, ¢ suba a 3 Jerusalém, que é em Judi, e edifique a casa do Senhor, Deus de Israel; ele é0 Deus que habita em Jerusalém. 4-E todo aquele que ficar em alguns lugares em que andar peregrinando, os homens do seu lugar o ajudardocom prata,e com ouro, ecom fazenda, e com gados, afora as diidivas voluntirias para a’ easa do Senhor, que habita em Jerusalém. 5 - Entio se levantaram os chefes dos pais de Ju S com todos aqueles cujo e: ara casa do Senhor, que esti em Jerusalém. sacerdotes € subirem a edi e Benjamim e os jrito Deus despertou, para COMENTARIO INTRODUGAO Os crentes fiéis brilham como a luz (Mt 5.15) ¢ resplandecem no meio de uma gerac fo corrompida e perversa (Fp 2.15), Assimera Daniel. Quandonoano 606 aC fora levado cativo para a Babilonia (Dn 1.1-4,6) era ainda muito jovem, ti- nha cerea de 15 anos, Muitos anos depois, Daniel gozava de elevado conceito no reino da Babil6nia, (SCR, SH SB) I. DANIEL FOI DESPERTADO PARA ORAR Aoler oprofeta Jeremias (Jr 29.10) eleobservou que os 70 anos de cativeiro na Babilénia estavam para findar. Todavia ainda nao era possivel notar qualquer sinal de que alguma coisa estivesse acontecendona dizeco de uma mudanga radical (Dn 9.2). Assim, Daniel comegou a orar com jejum, cobrindo-se de saco e cinza, em sinal de profunda tristeza (Dn 9.1-3) rou com perseveranca. 1. Daniel vivia uma vida consagrada aDeus, Isto dava-lhe condigées de orar. A Biblia diz: “A oracio do reto 6 o seu contentamento” (Pv 15.8)e “Ele escuta a oragio do justo” (Pv 15.29), Daniel néo se misturou com o paganismo, ¢ vivia conforme a sua consciéncia, no temor do Senhor. Daniel 6 considerado como um exemplo eum modelo para os crentes de todos os tempos (Dn 1.8). 2. A estatura espiritual de Daniel capacitava-o para enfrentar verda- deiros combates em oraciio. Muitos rentes nfio conseguem servir de ajuda decisiva com as suas oragées, porque nunca chegaram a experimentar o que significa combater em oragio, 0 que significa perseverar firmemente em ‘oragdo (Rm 12.12; Gl 1.30; C12.1). So- 4 mente “visitam" de vez em quando um culto de oragao. Daniel, porém, tinha por habito orar ts vezes ao dia (Dn 6.10), Quando sua prdpria vida, bem como a de seus amigos ¢ ade todos 0s sibios da Babildnia, estava em perigo, Danicl aleangou livramento ¢ vitéria através da oraco (Dn 2.18-20). Daniel era, portanto, experiente na vida de oragio. 3. Coincidindo com 0 perfodo de oragio de Daniel, profundas mudancas estavam para acontecer na Babilénia, O reino da Babilonia estava em guerra ‘com os medos © persas. O rei da BabilOnia erana época Nabonido. Seu filho Belsa- zar estavana capital, a cidade da Bal Tonia, cuidando dos assuntos admi- nistrativos do governo, Belsazer orga- nizou uma festa’ para seus grandes. Estando jf embriagado, mandou trazer 0s vasos sagrados que o rei Na- bucodonosor havia trazido do templo de Deus em Jerusalém, e havia colocado no templo pagio da Babildnia, Ele ¢ todos 0s seus convidados beberam vinho nestes vasos santos (Dn 5.2-4). Houve entio uma intervencio divina, Orei viu que dedos de mao de homem escreviam na parede, defronte do castical (Dn 5.5). Acabou-se a alegria da festa, Os joelhos do rei tremiam. Sabios © astrélogos nao puderam interpretar a miensagem escrita na parede, Finalmente Daniel foi introduzidona festa (Dn 5.13) @ interpretou o texto escrito na parede. Entre outras coisas estava escrito: “Dividido foi o teu reino, ¢ deu-se aos medos e aos persas” (Dn 5.28). “Naquela mesma noite foi morto Belsazar, rei dos caldeus” (Dn 5.30), TL A RESPOSTA AS ORAGOES DE DANIEL ~« Daniel havia orado, lembrando a omessa de Deus registrada pelo profeta Jeremias: Vos visitarei e cumprirci sobre yésaminhaboapalavra, tomando-vos a trazer a este lugar” (Jr 29.10). Com a queda do reino babilonico, ¢ com 0 inicio do governo do rei Ciro, as coisas evolufram com muita rapidez, deixando todos surpreendidos ¢ admirados. 1. A Biblia relata o que realmente aconteceu, “No primeiro ano de Ciro, rei da Pérsia (pura que se cumprisse a palavra do Senhor, por boca de Jeremias) despertou o Senhor o espirito de Ciro, rei da Pérsia, o qual fez passar pregio por todo o seu reino, como também por escrito: Assim diz Ciro, rei da Pérsia: O Senhor dos c6us me det todos os reinos da terra; ¢ ele me encarregou de Ihe edi- ficar uma casa em Jerusalém, que é em Tud4. Quem hé entre vs, de todo 0 seu povo, sejascu Deus comele,esubaa te Tusalém queé em Juda, eedifiqueacasa do Senhor, Deus de Israel; ele €0 Deus que habita em Jerusalém” (Ed 1.1-3), 2, Conforme esta declaragio de Ck ro, estava cumprida a promessa divi- na dada através do profeta Jeremias. Mas tudo foi como diz a Biblia: “Tudo muito mais abundantemente além do que pedimos ou pensamos” (Ef 3.20). Ve- Jamos, pois, 0 que estava para acontece a. Todos 0s Judeus seriam liberados para voltarem a Judg, caso quisessem (Ed 1.3), b, Receberam permisséo para rec- dificar 0 templo. ¢. Todas as despesas da construgio do templo podteriam ser tiradas dos tributos de além do rio d, Os vasos saprados deveriam ser entregucs aos cuidatlos dé Zorobabel, nomeado governador dos judeus pelo rei Ciro, para serem transportados de volta para Jerusalém (Ed 1.7), DI. 9 RESULTADO DE UM DES- PERTAMENTO — PROVE- NIENTE DE DEUS 1. O rei Ciro foi despertado em seu espirito. “Despertou o Senhor 0 espirito dorei Ciro” (Ed1.1), Talvezpor meio de seu contato com Daniel é que Ciro veioaconhecera Deus, ¢talvez aié mesmo ©. adorasse, Ciro teve uma experigncia pessoal com Deus no seu coragéo, € passou a compreender as. realidades de Deus que ele antes ignorava. a. Ciro passou a ver a Deus como o SENHOR DOS CEUS (Ed 1.2). O grande rei Nabucodonosor demorou a aprender esta ligto (Dn 4.30-37), Cada des- pertamento verdadeiro faz com que 0 homem voja.a majestade de Deus, sentindo a sua propria pequenez, o seu pecado e asua baixeza, Saulo assolava, perseguia, fazia e desfacia, mas quando s¢ encontrou com Jesus, no caminho de Damasco, caiu por terra ¢ apenas pode perguntar: “Quem és Senior?” (At 9.5), A Biblia diz que ninguém pode dizer que Jesus 6 9 Senhhor se nao for pelo Espirito Santo (1Co 12.3), b. Ciro teve uma experiéncia com Deus que ¢ Santo. Os vasos sagrados haviam, sido roubados do templo de Jerusalém, por Nabucodonosor, ¢ ‘guardados no templo pagio da Babilonia (Cr 36.18), Ciro era agora o responsavel por eles, ¢ mesmo sendo esses vasos muito veliosos, le queria volontariamente devolvé-los (Ed 1.7-11). ‘Assim acontece sempre em cada despertamento verdadeiro. Quando Zagueu teve seu encontro com Jesus, quis devolver 0 que havia ganho com usura (Le 19.8), 2. 0 rel Ciro recebeu béncios espirituals. © profeta Isafas, 200 anos antes, profetizon acerca de Ciro cha- mando-o de ungido do Senhor’” (Is 45.1), Istonos permite entender que o Espirito Santo deve ter-lhe proporcionado al- guma béngdo spiritual. Cada desperta mento traz béngaos para 0 coragto do erente, QUESTIONARIO 1, Com quantos anos aproximadamente foi Daniel levado a Babilénia’ 2. Que escritura profética levou Daniel aorare a jejuar? 3. O que esta escritura dizia? 4. O que acontecen no primeiro ano de Ciro, rei da Persia? 5, Quantos judcus apresentaram-se como voluntétios para 0 retorno 2. terra de Tsrael? LIGAO 2 11 de julho de 1993 DESPERTAMENTO ESPIRITUAL - UM MILAGRE TEXTO AUREO “Risto digo, conhecendo o tempo, que é jé hora de despertarmos do Sono; porque a nossa salvacao estd agora mais perto de nds do que quando aceitamos a fé” (Rm 13.11). VERDADE PRATICA Odespertamento espiritual éumaconsegiiéncia dasubmissao dvontade de Deus. LEITURA DIARIA Segunda - $157.8 Quinta -2 Tm 1.6 Despertando a vida de louvor Despertando o dom Terca - Py 8.17 Sexta -Is 51.9 Despertando a vida de oracdo Despertando para a peleja Quarta - Is 50.4 ibado - Rm 13.11 Despertando para aprender hora de despertar TEXTO BIBLICO BASICO Ed 1.1-7; Ne 11-4 Ed 1.1 -No primeiro ano de Ciro, rei da Pérsta (para que se cumprisse a paluyra do Senhor, por boca de Jeremias) despertou o Senhor oespirito de Ciro, rei da Pérsia, o qual fez passar pregio por todo o seu reino, como também por escrito, dizendo: 2- Assim diz Ciro, rei da Pérsia: O Senhor Deus dos céus me deu todos os reinos da terra; eele me encarregou de Ihe edificar uma casa em Jerusalém, que éem Juda, 3+ Quem hé entre v6s, de todo 0 seu povo, seja seu Deus com ele, ¢ suba a Jerusalém, que ¢ em Judi, ¢ edifique a casa do Senhor, Deus de Israel; ele é Deus que habita em Jerusalém. 4B todo aquele que ficar em aiguns lugares em que andar peregrinando, oshomens doseu lugar 0 ajudarao com prata,e com ouro, e com fazenda, e com gados, afora as dadivas yoluntirias para a casa do Senhor, que habita em Jerusalém. 5 - Entio se levantaram os chefes dos pais de Judd e Benjamim, e os sacerdotes e os levitas, com todos aqueles cujo espirito Deus despertou, para subirem a edificar a casa do Senhor, que esti em Jerusalém, 6 -F fodos os que habitavam nos arredores Ihes confortaram as maos com vyasos de prata, com ouro, com fazenda, e com gados, e com coisas preciosas, afora tudo o que voluntariamente se deu. 7- Também orei Ciro, tirou os vasos da casa do Senhor, que Nabucodanosor tihha trazido de Jerusalém, e que tinha posto na easa de'seus deuses, Ne 1.1 - As palavras de Neemias, fillio de Hacalias, E sucedeu no més de Quisteu, no ano vigésimo, estando eu em Susi, a fortaleza, 2- Que velo'Hanani, tm de meus irmaos, ele e alguns de Juda; e perguntel- Ihes pelos judeus que escaparam, e que restaram do cativelro, ¢ acerca de Jerusalém. 3-E disseram-me: Osrestantes, que restaram do eativeiro, lana provincia esto em grande miséria e desprezo, e o muro de Jerusalém fendido, e as suas portas queimadas a fogo. 4 - E suceden que, ouvindo eu estas palayras, assentei-me e chorel, ¢ lamentei por alguns dias; estive jejuando e orando perante o Deus dos céus, COMENTARIO INTRODUGAO ‘Nesta liao iremos ver a origem do despertamento espiritual e as suas finalidades. (SCR e SH) I. 0 DESPERTAMENTO _ESPI- RITUAL EMANA DO PROPRIO DEUS “No primeiro ano de Ciro despertou Senhor o espirito de Ciro” (Ed 1.1). Deus despertou Daniel para orar pelo futuro do seupovo, Todavia, nfo foram as oragdes de Daniel e nem a sua vida santificada que produziram o desperta- mento, mas foi o proprio Deus que fez0 milagre do despertamento de Ciro (Is 26.15; 119 12.6), Deusuusainsiromentos para cooperarem com ele, mas o autor do despertamento € Ele mesmo. Poristo,o despertamento éum mis- tério. As coisas humanas podem ser ex plicadas, previstas ¢ calculadas. Mas a ‘operagio do Espitito Santo é diferente, Jesus disse: “O vento assopra aonde quer couves asuavoz,masniosabesde onde vem nem para onde vai. Assim todo aquele que é nascido do espirito” lo3.8), Nos, na verdade, podemos ver resultado do despertumento, e até mesmo sentir a operacao “das virtudes do século futuro” (Hb 6.5). Mas na verdade nada sabemos enadaentendemos do poderde Deus. I. AS FINALIDADES DO DEs- PERTAMENTO 1. A restauracio nacional de Israel, Deus, quando quer realizar os seus propdsitos, pode incutir a sua vontade Ro espirito do homem. Foi assim que Ele fez com Ciro. Embora fosse rei de umanagio idélatra, Ciro foi despertado por Deus, 0 qual incutii a Sua vontade no seu espitito, dominado pelas tradigies e pela idolatria, a fim de que ele cumprisse 08 Seus designios relativos ao povo de Isracl, conforme havia falado pela boca do profeta Isafas, cerca de 180 anos antes (Is 44.28; '45.1-6). Quando o propésito de Deus chegou do conhe- cimento de Ciro era um fato jé decito aprovado porcle, ¢ logo foi consumado, Assim, logo no inicio de seu reinado, Ciro proclamou um edito autorizando 05 judens a retornarem a Jerusalém ¢ a edificarem a casa do Senhor “em Jerusalém, que é em Judi” (Ed 1.2). Comegava, assim, a restauragfo nacional do povo israclita, 2, A restauragio espiritual de Israel. Deus quer usar'o homem como seu instrumento, Todavia s6 sfio usados aque- Jes que cooperam com Deus, aqueles que seguem a orientago divina por livre arbitrio. Ohomem é livre para obcdecer ‘0u nao a orientagdo divina. Por isso, nem todos os que experimentam um despertamento adquirem o mesmo progresso espiritual, porque nfo abrem igualmente seu coragopara Deus,a fim de obedecer 3 risca a orientagio divina (Pv 23.26, Dt 6.5). Durante o cativeiro, opovoisraclita havia assimilado muitos dos costumes dos babilénios, porém havia aprendido a liga concernente & vontade de Deus: nio servir aos deuses das nagdes, nfo adorar os idolos. Antes do exilio, Israel ¢stava espiritualmente enfermo dos pés Acabega(Is 1.2-6),mas agorahaviasido curado da idolatria para sempre, Para Israel, © sofrimento resultouno desper- tamento ¢ este na sua restauraciio espi- ritual. A finalidade principal do des- pertamento, é sempre a restauragio espiritual do povo de Deus. Cada despertamento tem por objetivo principal. a salvagio e restauragiio do +homem, Encontramos sempre estes dois polos: A GRACA ¢ O PECADO, O a Espirito Santo esta sempre pronto para convencer o mundo sobre “o pecado, a Justiga, €0 juz" (fo 16.8,9), Vejamos: a. O Espirito Santo é sempre intolerante com 0 pecado, O Espirito Santo convenceu Saulo de que havia Pecado contra @ pessoa de Jesus (At 914,5). Foi o Espirito Santo que convenceu depecadoamulhersamaritana (Jo4.16- 19) ¢ fez, Zaqueu confessar a sua falta (Lc 19.8), O Espirito Santo toma manifesta as coisas més (Ef5.13,14). Oprofetade labios impuros sentin que perecia na presenga da santidede de Deus (Is 6.5). Espirito Santo faz. com que os ereni andem na luz (1 Jo 1.7). b. Mas 0 Espirito Santo também aponta para Jesus como aquele que perdoa esalva(1 Jo 1,9;2.1,2: Rm 3.25; 2Co5.18-21). Estecraoensino nos dias dos apésiolos ¢ deve continuar sendo nos dias de hoje, pois a Palavra de Deus no muda, € as nossas necessidades espirituais também no (At 13.38-41; 14,15-17; 17.26-31), CUMPRE AS SUAS PRO- MESSAS. 1A fidelidade de Deus em suas promessas. Pelo desperlamento que Ciro Tecebeu, Deus cumpriu literalmente a sua Palavra em relacio ao retomo de Juda i sua terra (ir 27.22), bem como & derroia da BabilOnia diante do exército medo-persa, sob 0 comando de Ciro da Pérsia (Ir 25.12; Is 44.28; 45,2-6). 2. Deus renova as suas promessas ios. Em cada despertamento, fica e renova as promessas de béngios ao seu povo, O Espirito Santo revela as riquezas escondidas em Cristo, isto 6, a8 riquezas de gloria que Cristo gamhou na cruz do Calvatio, para dar iqueles queo servem (Rm9.23; Ef1.18; 2.7; Fp 4.19; C1 1.27). © batismo com o Espirito Santo é uma béngio que faz parte dos rudimentos da doutrina (Hb 6.1-3; At 2.38). No despertamento que operava no tempo dos apdstolos, eles faziam questio de que todos os convertidos recebessem estamaravilhosa ungiodoalto(At8.14- 17; 19.1-6).Os dons espirituais também. fazem parte das béngios que Jesus deseja dar por meio do despertamento (1 Co 12.7-11), Deus ainda desoja despertar ‘0s coracées para ter {Erenovada nacura do corpo, também resultado da morte expiatoria de Jesus (Is 53,3-5; Mr8.14- 17; Tg 5.14-17; Me 16,17,18), 3. Deus renova a fé dos abatidos. Polo despertamento, Deus cria ambiente de £6, de expectativa, ¢ de oragio. O despertamento nasceu da oragao, € s6 poderd prosseguir se continuar acesa a Chama da cragao. No Antigo Testamento, © fogo no altar de incenso nfo se podia deixar apagar (Ex 30.7,8) Do mesmo modo Deus quer que 0 fogo do Espirito Santo nfo se apague em nossos eoragses, ‘mas, sim, que continue aceso, hoje, como no diado Pentecoste, Todavia, isto 56 se pode conseguir através da oracio in- cessante, por parte de cada um de nds. IV. © DESPERTAMENTO TORNA OS HOMENS OBEDIENTES A PALAVRA 1. O culto que foi reestabelecido em Jerusalém fol exatamente aquele que a lei de Deus determinaya (Ne 12.44-47), Nao foram introduzidas novas formas de culto, nom qualquer mistura de doutrinas babilénica 2. O despertamento dado pelo Espirito Santo faz com que os crentes desefem Intensamente ser figis & Palayra de Deus, Paulo escreveu; “para que em nds aprendais a ndo ir além do que esté escrito” (1 Co 4,6). Ocrente despertado inclina-se a guardar os estatutos de Deus até o fim (SI 119.112), E esta forma de proceder, esta atitude do crente, é uma das bases para a comunh‘io uns com os outros. “Companheiro sou de todos os mem, cdos que guardam os teus ($1119.63) QUESTIONARIO 1, Em que ano o Senhor despertou 0 espirito de Ciro? 2, De onde emanam os despertamentos espirituais? 3. Na obra do despertamento, quem Deus usa? 4, Como era o culto restabelecido em Jerusalém? 5.0 que 0 despertamento provoca no crente? LIGAO 3. 18 de julho de 1993 O DESPERTAMENTO RENOVA O ALTAR TEXTO AUREO “Ent&o Elias disse a todo opovo: Chegai-vos a mim. E todo 0 pavo se chegou a ele. E reparou o altar do Senhor, que estava quebrado” (1 Rs 1830). VERDADE PRATICA Satands jamais derrotaréo crente cujo altar é constantemente renovado pelo Espirito. LEITURA DIARIA Segunda - Gn 8.20 Quinta - Js 8.30 altar na vida de Nod O altar na vida de Gidedo Terea - Gn 22.9 Sexta- 1 Cr 21.26 O altar na vida de Abrado O altar na vida de Davi Quarta - Js 8:30 Sébado - Hb 13.10-15 O altar na vida de Josué 0 altar na vida da Igreja TEXTO BIBLICO BASICO Ed 3.2-5, 10-13 Ed 3.2 - B levantou-se Jesua, filho de Jozadaque, e seus irmios, os sacerdotes, ¢ Zorobabel, filho de Sealtiel, eseus irmios, ¢ edificaram oaltardo Deus de Israel, para oferecerem sobre ele holocaustos, como esté escrito na lel de Moisés, o homem de Deus. 3-H firmaram oaltar sobre as suas bases, porque o terror estava sobreeles, por causa dos povos das terrras, e ofereceram sobre ele holocaustos a0 Senhor, holocaustos de manha e de tarde, 4-E celebraram a festa dos taberndculos como esta eserito; ofereceram holocaustos de dia em dia, por ordem, conforme ao rito, eada coisa no seu dia. 5 - E depois disto 0 holocausto continuo, e os das luas novas e de todas as solenidades consagradas ao Senhor, como também de qualquer que oferecia oferta voluntiria 20 Senhor. 10 - Quando, pois, os edificadores langaram os alicerces do templo do Senhor, entao apresentaram-se os sacerdotes, ja revestidos e com trombetas, e 95 levitas, filhos de Asafe, com saltérios, para louyarem ao Senhor, conforme A instituigio de Davi, rei de Israel, 11 -Ecantavam a revezes, louvando e celebrando ao Senhor: porque é bom; porqueasua benignidade dura para sempre sobre Israel, E todo o povo jubilou com grande jubilo, quando louvaram so Senhor, pela fundacio da casa do Senhor. 12 - Porém muitos dos sacerdotes, e levitas e chefes dos pals, Ja yelhos, que viram a primeira casa, sobre o seu fundamento, vendo perante os seusolhos esta casa, choraram em altas,vozes; mas muitos levantaram as vozes com jibilo e com alegria. 13 - De maneira que discerniao povo as vozes de alegria das vozes do choro do povo; porque 0 poyo fubilava com to grande jubilo que as youes se ouviam de mui longe, 7. COMENTARIO INTRODUGAO Nesta ligdo iremos meditar sobre um fato que caracteriza o verdadeiro despertamento. Irata-sedanecessidade que os homens passam a sentir de se chegarem mais perto do altar de Deus, a fim de estarem cada vez mais perto de Deus. (SCR) I. O DESPERTAMENTO CONDUZ, O HOMEM AO ALTAR 1, Os judeus sentiam a necessidade do acesso a Deus que o altar thes proporcionaya. O propésito que traziam no corago, ao retornarem do cativeiro, ‘precisava ser muito firme, porque estayamn rodeados de inimigos cruéis. A Biblia diz; “O terror estava sobre eles por causa dos povos da terra” (Ed 3.3). Por issomesmo, opovosentiaqueprecisava do acesso a Deus, através do altar. “Este seré o holocausto continuo... perante 0 Senhor, onde vos encontrarci, para falar contigo ali” (Ex 29.43). Estas béngios s judeus agora almejavam através do altar. (SC) 2, Todos os despertamentos genuinos comegam com a restauragio do altar, Temos ne Biblia varios exemplos disto. Vejamos: a, No tempo do profeta Elias, nos dias do rei Acabe. Ver o texto em 1 Rs 18.16-40. No conironto com os profetas de Baal, a primeira coisa que Elias fez foi reparar o altar que estava quebrado (1 Rs 18.30). Depois sacrificou sobre ele, ¢ orou a Deus. O fogo desceu ¢ 0 povoexclamou: “S6 0 Senhoré Deus, s6 © Senhor € Deus!” O despertamento decorrent do conserto do altar. b. Quando o piedoso rei Ezequias assumiuo trono de Judé, jno primeiro ano do seureinado ele abriuas portas da casa do Senhor e as separou (2. Cr29.3), Mandou purificar o templo, tirer fora toda a imundicia, purificar 0 altar do holocausto que havia sido substituido no reinado de seu antecessor Acaz, por um altar construido com modelo copiado de Damasco (2 Rs 16.10-12). Quando entioos sacerdotes sactjficaram sobre 0 altar santificado, comegou um novo cin- ticona casa de Deus (2 Cr 29.27-28).0 10 despertamento levou a separacio do altar, c. Quando os judeus voltaram do cativeiro, construitam o altar sobre as suas antigas bases, do modo como manda. alei (Ed 3.3) esacrificaram holocaustos ao Senhor. A alegria foi grande entre os judens, pois podiam denovo sacrificara Deus, ¢ celebrara festa dos tabemiculos. (SB) culo a Deus havia recomegado (Ed3.45). II. CRISTO, O CENTRO DA NOSSA. COMUNHAO COM DEUS ‘No tempo do Velho Testamento o altar era o ponto central do culto aDeus, No tempo do Novo Testamento 0 sa- crificio de Jesus no Gélgota é 0 grande acontecimento, para oqualo altar apon- tava profeticamente. Paulo escreveu igreja em Corinto: “Principalmente vos entreguei 0 que também recebi, que Cristo morreu pelos nossos pecados” (1 Co 15.3). Escreveu ainda: “Nada me propus entre vos, senio Jesus Cristo ¢ esse crucificado” (1 Co 2.2). “Todas as coisas subsistem por ele” (Cl 1,17). “Para que em wdo (Jesus) tenha a preeminéncia” (Cl 1,18), “Para vés os que credes, € preciosa a pedra principal daesquina” (I Pe2.7). Tudo isto porque Jesus, pela sua morte expiatéria, ganhou a redengao para todo 0 mundo (Ef 1.7; 2.13-16; Rm 3.23-25; 5.9,10; 1 Pe 1.18,19) 1. Toda a Trindade atuow ativa- mente na morte expiatoria de Jesus: a. O PAI CELESTIAL. Antes da fundagio do mundo o Pai planejou a obra redentora, com 0 sacrificio de seu Filho (Ef 3.6-9). “Na consumagio dos séculos enviou o seu Filho” (G1 4.4; Jo 3.16). © Pai participou diretamente do drama do Gélgota (2 Co 5.19). b, CRISTO, O FILHO DE DEUS. Entregou-se_a si mesmo em oferta ¢ sucrificio (Ef5.2;Hb9. 14), Elelevouos nossos pecados sobre o madeiro (1 Pe 2.24) epadeceu para levar-nos a Deus (1 Pe 3.18). c. O ESPIRITO SANTO, Ajudou'o Filho avencer todos os obstéculos que se levantaram contra Ele, até chegar & cruz. Foi pelo Espirito Eterno que Jesus se oferecen a si mesmo imaculado a Deus (Hb 9.14). 2. O Espirito Santo quer, pelo despertamento, mostrar aos homens a grande vitoria de Jesus no Gélgota, © Espirito Santo quer iluminar o ente! dimento dos homens para esta grande realidade: “Depois de serdes jluminados Suportastes grande combate de afligdes” (Hb 10.32). a. O Espirito REVELA (Ef 1.17), iluminando os olhos do nosso en dimento para que saibamos a grande: de seu poder sobre nds que munifestou em Cristo ressuscitando-o dos morios (EF1.19,20). 0 Espirito Santorevelou a Pedro que Jesus era o Cristo, o Filho do Deus vivo (Mt 16.16,17). b. O Exsptrito ENSINA as pro- fundidades do vitupério da crue. Quando Jesus, na estrada de Emaiis, explicava ‘aos seus discfpulos o que as Escrituras escreveram sobre a sua morte, os coracées deles ardiam (Lc 24.32,45), ¢.0 Espirito EXPLICA overdadeiro significado da morte de Jesus na cruz, so- breo infinito aleance do brado: “Esté con- sumado!” (Jo 19,30), Deus confirmou es- tapalavra de seu Filho, fuzendo rasgar véu de allo a baixo (Mt 27.51) mostrando a0 Universo que um novo ¢ vivo caminho havia sido consagrado pelo véu, isto é, pela carne de Jesus (Hb 10,19,20). Por meio desta vit6ria os principados ¢ potes- tades satanicos foram despojados, ¢ Jesus triunfou deles em si mesmo (Cl 2.15 Poristo temosnele a vit6ria (1 Co 15 2Co 2.14; Rm 837). Pela {6 em Jesus Cris to, podemos vencer 6 mundo (1 Jo 5.4.5). Por causa do brado “Esté con- sumado!”, a justiga de Cristo agora é Oferccida gratuitamente Aqueles que ererem em Jesus (2 Co5.21; 18 53.11;G1 2.16; At 13.39; Rm 4.22-25), d. O Espirito PENETRA todas as coisas (1 Co 2.10), A luz da gloria de Cristo, revelada ne cruz, éuma luz que tudo manifesta (Ef 5.13). Quando esta luz ilumina o painel da nossa conseiéneia, como aconteceu com oprofeta Isafas (Is 6.5-7), sentimos 0 grande peso dos nos- 80s pecados, e, pelo Espirito Santo, so- mos despertados ¢ levados ao arre- pendimento, HI. CUIDADO COM AS IMITAGOES. Algunsdizem quenem todos os des- pertamentos de hoje tém as caracteristi- cas que so mencionadas nesta ligio, Concordamos plenamente, Jé no tempo dos apéstolos havia “movimentos” que realmente “tinham uma aparéncia de sabedoria, em devogio voluntéia. .porém néo cram de valor algum, senZo para a satisfacao da came" (CL 2.23). ‘Também em nossos dias aparecem “movimentos” que so imitagées baratas do verdadeiro despertamento. Muitos destes movimentos empregam técnicas avangadas dedominagdes psicolégicas. Estes “avivalistas” ou “especialistas™ sabem com suas téenicas dominar 0 audi- trio, ¢ podem fazer o piblico rir, chorar, Jubilar, pular, bater palmas, etc: Sabem ‘até imitar o batismocom o Espirito San- to, “ensinando” o povo a falar em linguas! Sao, porém, experiéneias sem nenhum poder e sem a menor reveréneia, Uma de nossas igrejas. sentiu-se obrigada a orfentar os irmios acerca de um movimento que faz de suas rcunides “Shows” com apresentacdes de cantores “evangélicos”. Nesses “Shows” dominam aplausos, vaias, gritos, assobios, bebida alcodlicas, jovens dangando e se re- quebrando de modo até mesmo sensual, enquanto 0s “hinos” estio sendo entoados, Cuidado! Este tipo de imitagao pode fazercom que aglériade Deus sc afaste. Todo movimento feito sem que 0 Espirito Santo esteja na directo, nio pode prosperar, E como uma tartaruga dcitada de costas; movimenta os pes, ‘mas fica no mesmo lugar, Mantenhamos o Espirito Santo na diregao. (SD) Entdo veremos cumprir- sea palavra que diz: “Vio indo de forga em forea” (81 84.7), Gloria « Jesus. QUESTIONARIO. 1. O que caracteriza 0 verdadeiro des- pertamento? 2, Como comegam os despertumentos espirituais genuinos? 3. Em relacdo ao altar, o que representa Cristo hoje para nds? 4, Qual a atuagio do Espirito Santo na morte viodria de Cristo? 5. Porque devemos tomar cuidado com 08 falsos despertamentos? LIGAO 4 25 de julho de 1993 A CONSTRUGAO DO TEMPLO ENFRENTOU OPOSIGAO TEXTO AUREO. “Asin edificamos 0 muro, e todo 0 muro se cerrou alé a sua metade; porque 0 coragao do povo se inclinava a trabalhar” (Ne 4.6). VERDADE PRATICA Se confiarmos verdadeiramente em Deus, venceremos todas as resisiéncias do maligno, LEITURA DIARIA Segunda - Ne 4.1-5 Quinta - Ne 4.14 A oragao quevence a resistencia A bravura que vence a resisténcia Terca- Ne 4.6 Sexta -Ne 4.15-18 O trabalho que vencea resisiéncia A precaugdo que vence a resisténcia Quaria -Ne 4.9 Sabado Ne 4.18,19 A vigilancia que vence a resistencia A unio que vence a resisténcia TEXTO BIBLICO BASICO Ed 4.7,9,11-13, 15,16,21-24 Ed 4.7 - E nos dias de Artaxerxes escreveu Bislio, Mitredate, Tabeel, e os outros da sua companhia, a Artaxerxes, rei da Pérsia; e a carta estava escrita em caracteres siriacos, e na lingua siriaca, 9- Entiio escreveu Reum,o chanceler, e Sinsai, o escrivao, ¢ os outros da sua companhia; dinaitas ¢ afursaquitas, tarpelitas, afarsistas, arquevitas, babilOnios, susanquitas, deavitas, e elamitas, 11- Este, pois, €0 teor da carta que aorel Artaxerxes Ihe mandaram: Teus servos, os homens daquém do rio, e em tal tempo. 12 - Saiba orei que os judeus que subiram de ti vieram a nds a Jerusalém, © edificum aquela rebelde e malvada cidade, e vio restaurando 0s seus muros, © reparando os seus fundament 13 - Agora saiba o rei que, se aquela cldade se reedificar, e 03 muros se restaurarem, eles no pagardo os direitos, os tributos ¢ as rendas; e assim se danificard a fazenda dos reis. 15 - Para que se busque no livro das erOnicas de teus pais, e entio achards nolivro das cr6nicas, e saberas que aquela foi uma cidade rebelde, e danosa 20s reis ¢ provincias, e que nela houve rebelidio em tempos antigos; pelo que foi aquelu cidade destruida. 16 - Nos, pois, fazemos not6rio ao rei que, se aquela cidade se reedificar, ¢ Os seus muros se restaurarem, desta maneira nao terds porgio alguma desta banda do rio”, 21.- “Agora, pois, dai ordem para que aqueles homensparem, a fim de que niio se edifique aquela cidade, até que se dé uma ordem por mim. 22. E guardsi-vos de cometerdes erro nisto; por que cresceria o dano para prejuizo dos reis?” 23 - Entio depois que a cépia da carta do rei Artaxerxes se leu perante az Reum, e Sinsai, o escrivio, e seus companheiros, apressadamente foram eles 2 Jerusalém, aos judeus, e os impediram 4 forca de braco e com violencia. 24- io cessou a obra da casa de Deus, que estava em Jerusalém, e cessou até ao ano segundo do reinado de Dario, rei da Pérsia, COMENTARIO INTRODUGAO O altar havia sido restaurado, a Festa dos Taberndculos celebrada, ¢ 0 holo- causto continuo estava sendo oferecido cada dia, conforme o rito (Ed 3.2-4). A vida espiritual dos judeus que haviam retomado do cativeiro seguia o que estava Prescrito na lei de Moisés. Somente esperavam © momento de iniciar a recdificacto do templo. (SCR e SH) T. 0S ALICERCES DO TEMPLO SAO. LANGADOS, Depdis que os materiais para a construgio do templo chegaram, segundo aconcessio feita pelorei Ciro da Pérsia, Zorobabel ¢ os que haviam voltado do cativeiro Tangaram os alicerces do templo (Ed 3.8). Todos apresentavam muita animaco para o trabalho, 1, O langamento dos alicerces fot celebrado com uma solenidade, "Os sacerdotes j4 revestidos ¢ com trombetas, € 08 levitas,fillios de Asafe, com saltérios, para louvarem 0 Senhor, conforme a ins- tituigdo de Davi, rei de Israc]” (Ed 3,10). “Todos os que assistiram o lancamento dos alicerces expressaram seus sen- timentos com tio grande jibilo, que as suas vozes se ouviram mui longe (Ed 3.12,13), 2, A reedificacio do templo, A reedificagao do templo foi resultado do despertamento que veio através de Ciro, rei da Pérsia (Ed 1.1,2). Convém lembrar que o despertamento pentecostal, que chegou ao Brasil em 1911, trouxe consigo uma verdadeira renovagio da doutrina da Tgreja de Deus, que pode ser simbolizada pelo templo de Deus (1 Co 3.16). A Tgreja de Deus € um MISTERIO (Ef5.32), que nfo pode ser compreendido pelo homem natural (1 Co 2.14), a. O Espirito Santo quer que JESUS em pessoa quer edific sua Igreja (Mt 16.18), e Ele o faz conforme aPalavra de Deus. b. O Espirito Santo quer gerar um sen- timento de reveréneia pela igreja do Senhor, que é a morada de Deus (Ef 2.22), Veja também: Ex 3,5; S1 89.7; Ec 5.1. ¢. O Espirito Santo quer adestrar a Tereja, porque ela € 0 instrumento da agio de Deus aqui na terra (Ef 3.10). Deus tem um trabalho para cada servo seuna grande obra de evangelizagio do mundo (Me 13.34). TL OS SAMARITANOS OPOEM-SE A CONSTRUGAO DO TEMPLO 1. Entre os moradores da terra estavam os samaritanos, Quando Nabueodonosor levou o reino de Judd cativo para Babilénia, passaram amorar a terra os samaritanos. Estes eram descendentes de uma mistura de gente que oreida Assiriatinhadeslocado para as cidades da Samaria, depois de cle ter tevado as dez tribos do reino do Norte emcativeiro paraa Assiria (2Rs 17.23). ram pups gue haviam si ensinados acerca do Deus de Israel. Assim, os samaritanos continuavam servindo a seus deuses, mas também temiam o Senhor (Rs 17.23-33), 2. Os samaritanos tentam frustrar a construgio do templo (Ed 4.4.5). A maldade dos samaritanos levou-os a enviar uma carta ao rei da Pérsia contendo acusagdes mentirosas contra os judeus (Ed 4.12,13). O rei que reccbeu aquela Carta nfo conhecia bem o assunto, ¢ mandou sustar a obra (Ed 4.21), Il. COMO SE EXPLICA A FALTA DE RESISTENCIA DOS JU- DEU! 1, Os judeus deveriam ter ido 20 rei da Pérsia para assegurar a cons- Uma ordem dada poruma auto- iperior niio pode ser invalidada poruma autoridade inferior. A ordem de construir o templo tinha sido dada pelo Deusdo céu, através dorei Ciro, amaior autoridade da época, que assinara o decreto da construgio do templo. 13 2. Os judeus deveriam ter recorrido a Deus. Toda a histéria dos judeus érica de exemplos de como Deus ajudou seu povo em tempos dificeis. A propria vinda dos judeus para Jerusalém era umaclara demonstragao de que Deus estava neste negécio. ‘Vejamos alguns exemplos da historia dos judeus, quando foram ajudados por Deus; a, Nos dias do rei Ezequias, Juda foi cereado pelo exército do rei da Assiria que ameacava fazer com Judd 0 que ja havia feito com 0 reino de Israel: leva- los em cativeiro, Nesta hora de perigo o rei Ezequias buscou o Senor ¢ foi ouvido, pois um anjo feriu o arraial dos assfrios, destruindo cento oitenta ¢ cinco mil soldados (2 Rs 19.30; 2 Cr 32,21-22). ’b. Nos dias do rei Jeosaff, ameagados pelos amonitas © pelos moabitas, os habitantes de Jud foram convocados pelo rei para pedirem socorro ao Senhor, Ver o texto em 2 Cr 20,1-24, Deus guereou poreles, esem teremquelutar, 0s inimigos foram desbaraiados, Os muitos exemplos da ajuda de Deus no passado, deveriam ter inspirado 0s lideres do povo a resisténcia a esta maldade dos inimigos dos judeus. 3.0 motivo da falta de resisténcia dos judeus era de ordem espiritual: @.ZOROBABEL, a chefe politico do povo judeu, tinha até entZo, confiado €m sua propria forga Zc 4.6). Quando as suas proprias forgas se esgotaram, nfo teve mais condigdes de resistir, sentindo-se inteiramente desarmado diante do inisnigo. 6 JOSUE, 0 sumo sacerdote Hider religioso do povo, estava com suas vesies manchadas (Ze 3.3). Este fato tirou dele toda a autoridade espiritual. Diante do problema causado pelos inimigos, ele nfo tinha fé para buscar ajuda de Deus, do Toxdo-poderoso, uma vez. que o mistério da f¢ € guardacio em uma pura consciéncia (1 Tm 3.9). IV. A REACAO DOS SAMARI- TANOS, QUANDO OS JUDEUS CESSARAM A OBRA 1. A tristeza dos judeus. O pove em geral tinha desde 0 inicio da construcao acompanhiado o trabalho com simpatia. Os judeus trabalhavam com muito 14 ‘entusiasmo e com muita unido. O povo tinha ouvido falar de que o Deus do céu estava do lado dos judeus, ajudando-os. E agora? Onde estava seu Deus? 2. A alegria dos samaritanos. Os inimigos dos judeus regozijavam-se grandemente, Cértamente os conselheiros foram parabenizados pela “sabia e competente ago”. Porém o gozo dos fmpios € de pouca duragZot a, O gozo dos filisteus, que haviam prendido Sansio, terminou em tragédia (Wz.16,25-31). b, A alegria dos sucerdotes, que alugaram Judas para trair Jesus, foi de curta duragZo. Com a ressurreigio de Tesus, seus problemas se agravaram (Mt 28.11-15), 3, O desfinimo dos judeus. Os judeus, que tinhum voltado do cativeiro para construir o templo, sentiram-se humi- Thados ¢ tristes. Mas, pasado algum tempo, acomodaram-se com a situagiio endo lutaram pela contimuacao da cons- truco do templo, Deixaram-se dominar pelo desinimo, O desinimo é uma das mais eficazes armas usadas por Satands, contra os crentes. Lutemos contra 0 desinimo, em nome de Jesus. a. Alguns conformaram-se, pensando que talvez ainda nfo era a vontade de Deus construir o templo (Ag 1.2). , Outros aproveitaram a interrupeio da obra para dedicar-se as suas proprias casas (Ag 1.9). Outros chegaram afaltar com as suas obrigacdes espirituais, deixando de contribuir para a casa de Deus (Ag 1.6). , Talvez alguns judeus sineeros estivessem tristes, e buscassem a Deus im orago, pedindo solugio para a dificuldade, de modo que o templo pudesse continuar a ser construido, (SD) QUESTIONARIO 1, Como foi feito o langamento dos alicerces do Templo? 2, De que forma podemos considerar a reedificagio do Templo? 3, Que povo vizinho a Israel tentou frustrar aconstrugio do Templo? 4, Por que os judeus deveriam ter procurado o rei da Pérsia? 5, Porque os judeus deveriam ter recorrido aDeus? LIGAO 5 4 de agosto de 1993 ZOROBABEL RECOMEGA A CONSTRUGAO DO TEMPLO TEXTO AUREO “Ao vigésimo quarto dia do més nono, no segundo ano de Dario, veio a palavra do Senhor pelo ministério do profeta Ageu, dizendo: Ponde pois, euvos rogo, desde este dia em diante, desde o vigésimo quarto dia do més nono, desde o dia em que se fundou o templo do Senhor, ponde 0 vosso coragdo nestas coisas” (Ag 2:10,18). VERDADE PRATICA Sob 0 poder de Deus, a Igreja torna-se imbativel no cumprimento das tarefas que Cristo the entregou. LEITURA DIARIA Segunda- Ed 5.1,2 Quinta - Ed 6.14 O poder da palavra profética O poder de Deus traz prosperidade Terca - Ed 5.5 Sexta-Ag 2.4 O poder de Deus sobre osancides _ O poder de Deus sobre o ministério Quarta - Ed 5,13-17 Sabado - Ag 2.7-9 O poder de Deus sobre o rei Dario O poder de Deus sobre os recursos TEXTO BIBLICO BASICO Ed 5,1,2; Ag 1.1,12; Ze 4.6-10 Ed 5.1 -Eosprofetas Ageu eZ: que estavam em Juda e em Jeru profetizaram. 2 - Entio se levantaram Zorobabel, filho de Sealtiel, e Jesua filho de Jozadaque, e comegaram a edificar a casa de Deus, que esti em Jerusalém; e com eles os profetas de Deus, que os ajudavam. ‘Ag 1.1 - Noano segundo do rei Dario, no sexto més, no primeiro dia do més, i ra do Senhor, pelo ministério do profeta Ageu, a Zorobabel, filho de Sealtiel, principe de Juda, e a Josué, filho de Jeozadaque, o sumo sacerdote, dizendo: 12 - Entio ouviu Zorobabel, filho de Sealtiel, e Josué, filho de Jeozadaque, sumo sacerdote, ¢ todo o resto do povo a voz do Senhor seu Deus, eas palayras do profeta Ageu, como Senhor seuDeuso tinha enviado; etemeu o povodiante do Senhor, Ze - 4.6 - E respondeu, e me falou, dizendo: Esta é a palavra do Senhor a ‘Zorobabel, dizendo por forga nem por violéncia, mas pelo meu Espirito, diz.o Senhor dos Exércitos. 7- Quem és tu, 6 monte grande? diante de Zorobabel sersis uma camping; porque ele trard a primeira pedra com aclamagoes: Graca, graca a ela, 8 - Ea palavra do Senhor yeio de novo a mim, dizendo: 9 - As maos de Zorobabel tém fundado esta casa; também as suas maos a acabario, para que saibais que o Senhor dos Exércitos me enviou a vés. 10 - Porque, quem despreza o dia das coisas pequenas? pois esses se 15 filho de Ido, profetizaram aosjudeus 1ém; em nome do Deus de Israel Ihes alegrarao, vendo o prumo na mio de Zorobabel; 0s sete olhos do Senhor, que discorrem por toda a terra. COMENTARIO. INTRODUGAO ‘Nesta ligio estudaremos como Deus, depois de a construgio do templo ter ficado parada por 15 anos, enviou Socorro através do ministério de dois profetas, ‘Ageu e Zacurias. (SCR e SP) I, DEUS SUSCITA OS PROFETAS AGBU E ZACARIAS. T. Deus levantou dois profetas. Primeiro veio Ageu (Ag 1.1), © depois levantou-se Zacarias (Ze 4.1,6). Nao vieram atendendo convite de lideres de Jerusalém, mas 0 Deus dos céus os enviou. Chegaram de surpresa em Jerusalém, ¢ ali entraram em contacto com os dois lideres, ¢ também com 0 povo judeu (Ed 5.1). Vejamos: a, ZOROBABEL, 0 lider politico, recebeu uma mensegem pessoal. Deus, conhecedor da insuficiéncia espiritual de Zorobabel, ¢ sabendo que este no tinha mais nenhum vigor para tentar modificer a situagdo imposta pelos inimigos, deu-lhe una meravilhosa men- sagem de encorajamento. A mensagem de Deus veio sob a forma de uma visio que Zacarias havia recebido, Deus the mostrara um castigal com sete limpadas, simbolo da obra de Deus. O dleo que as Tampadas precisavam tinha que fluir através de canos ligados a um vaso de azeite que ficava acima. O vaso de azcite, por sua vez, estava em contacto com duas oliveiras (Ze 4.1-4,13), Eo recado de Deus para Zorobabel foi: “Nao por forgaenem por violencia, mas pelomeuEspitito, diz o Senhor dos Exércitos” (Ze 4.6). As dificuldades, que pareciam “montes grandes” diante de Zorobabel, seriam como uma camping, uma planicie (Ze 4.7). Deus ainda garanti aZorobabel que asmios dele acabariam aconstrugio do templo (Ze 4.9). b. JOSUE, 0 sumo sacerdote ¢ lider espiritual do povo, recebeu também uma mensagem pessoal, Observamos na licdo passada que ele estava com vestidos sujos. A mensagem de Deus paracle foi de perdio e de restauragao. Deus the 16 disse que havia feito passar dele toda a sua inigiidade, ¢ que havia ordenado que fosse vestido de vestidos novos (Ze 3,4), e que se pusesse sobre asua cabega uma mitra limpa (Zc 3.4.5): ¢: 0 POVO recebeu também uma mensagem de Deus. O profeta Ageu Mostrou ao povo que os prejuizos materiais, que haviam sofrido, eram conseqiiGncia da omissio frente ao dever que tinham com a casa do Senhor (Ag 1.6,9), Ageu falou-Thes do prejuizo que sofre o homem que busca somente a sua prosperidadematerial,e deixa a casa de Deus deserta (Ag 1.4). O profetadeu a0 povo uma ordem estimulante: “Subi ao, monte, ¢ trazei madeira, e edificai a casa, € dela me agradarei, e eu seret glorificado” (Ag 1.8). 2. 0 resultado da mensagem dos profetas. O poder de Deus se manifestou através da mensagem destes homens de Deus. Assim, os dois Iideres criaram ‘coragem; €0 povo, também, foi renovado. pelo impacto da mensagem, Entio Zorobabel ordenou que todos imedia- tamente voltasscm 4 construgio, “e comegaram 2 edificar a casa” (Ed 5.2). Qs profetas de Deus ficaram com eles, ajudando os Ifderes do povo na direyfo do trabalho. Quando os inimigos vieram a cles perguntando quem havia dado ordem ‘para edificar a casa, responderam que a ordem havia sido dada pelo proprio rei Ciro. Os olhos do Senhor estavam sobre 0 Seu povo € sobre a reconstrug#o do templo, € 0 inimigos nfo puderam impedit a obra até que fosse dado conhecimento dos fatos ao rei Dario, que agora reinava sobre todo o Império Persa (Ed 5.5). O rei Dario mandou que 65 seus escrivaes verificassem o referido edito de Ciroe se ele havia dado ordem ‘para a construed da casa do Senhor em Jerusalém. Feita a verificagdo nos registros ddos editos dos reis da Pérsia, foi encontrada a ordem dada por Ciro, ¢, assim, 0 rei Dario confirmou a permissio para a reconstrugio do templo. eee ee a es 3. Oimpulsoespiritual dado pelos profefas continuou dominando os cons- frutores até & conclusiio da construgio. Os profetas Ageu e Zacarias continuavam dando a sua cooperagio, “Prosperando pela profecis do profeia Ageu © de acarias, edilicaram a casa ea aperfeigoaram. conforme omandada do Deus de Israel” (Ed 6.14), “B acabou-se esta casa!” (Ed 6.15). Que grande béngio! O despertamento dado por Deus ao rei Ciro propagou-se © agora, com a ajuda dos profetas, foi ronovado c levado aresultado glorioso. Toda honra e gloria seja somente a0 Senhor! . O MINISTERIO PROFETICO, UMA PROVA DA. MANI- FESTAGAO DE DEUS Uma inesperada operacio sobre- natural, porparie de Deus, solucionouo graye problema da reconstrugzo do templo, 1. Manifestacées sobrenaturais no Velho Testamento, Hé muitos exemplos no Velho Testamento, Vamos mencionar apenas doi a. MOISES, 0 grande lider que Deus levantou para libertar sen povo da escravidio do Egito, recebou de Deus ‘uum preparo sobrenatural, o que The deu muila auloridade espiritual. Com a sua vara fazia grandes maravilhas (Ex 4.17), b. BLIAS, o profeta de Devs, foi revestide de autoridade sobrenatural, para ajudar a Isracl que havia sido levado 2 idolatria pelas sues liderangas politicas, em particular pelo impio Acabe, roi de Israel nos dias de Elias. Pode, assim, realizar grandes milagres: fez com que niio'chovesse sobre a terra por tres anos e meio, além de outros. O ponto alto de seu ministério foi o confronto com os profetas de Baal no monte Carmelo. Nesta ocasifo, a manifestacio sobre- natural do poder de Deus fez 0 povo clamar: “S60 Senhor é Deus!” (1 Rs 18.39), 2, Manifestagies sobrenaturais no Novo Testamento, Quando 0 Espitito foi derramadoem sua plenitude, os dons espirituais comegaram aentraremagao, © passaram a ser a propria prepara¢io divina para 0 minisiério (1 Co 12.4-6). Os apéstolos eram revestidos desses dons, meio divino para a conversiio de muitas almas. O apéstolo Paulo, enri- quecido por Deus com muitos dons, escreveu para o evangelista Timsteo, Fopresentante da segunda geragio, uma mensagem de exortagio: “Nao desprezes odom quehaem ti” (1'Tm4.16).Pouco antes de ser martirizado, Paulo voltoua escrever a Timéteo: “Desperta o dom que hé em ti” 2 Tm 1.6). Paulo recomenda: “Procurai_ com zelo os melhores dons" (1 Co 12,18) “Procurai com zelo os dons espirituais, e principalmente o de profetizar” (1 Co 14.1). Il, © MINISTERIO DE PROFETA ALUZDA BIBLIA O profeta exerce a funo ministerial, determinada por Deus, “Ninguém toma para si esta honra, senfio aquele que é chamado por Deus” (Hb 5.4), 1. O profeta na dispensagio do Velho Testamento. O profeta além de transmitir a mensagem de Deus para o povoeraconsultadopelopovo acercade assuntos espirituais ¢ até mesmo acerca de assuntos maieriais, Exemplos: a. Em Ez 20.2, os ancifios vieram a Ezequiel para qué este consuliasse 0 Senhor por eles; Deus por meio de Ezequiel Ihes respondeu que por causa das suas abominagbes cles nao receberiam respostes. b. Em 1 $m 9.6,7, 0 profeta Samuel foi consultado acerca das jumentas do pai de Saul que se haviam perdido, c, Em 1 Rs 14.23 esid registrada uma consulta sobre um doente, se ele Jevantaria ou no, ¢ 0 profeta respondeu da parte de Deus (1 Rs 14.4-7). d. Moisés transmitia aos ancides 0 que Deus the falava (Ex 19.7,8). Vemos queno Antigo Testamentoo profeta era uma espécie de mediador entre Deus ¢ 0 povo. 2, O profeta na dispensagio do Novo Testamento. Entre os dons espirituais esté o dom de profetizar (1 Co 12.10). Estaria entre as conseqiitneias do derramamento do Espirito Santo que aconteceria nos tiltimos dias (At 2.17). Ter alguém 0 dom de profecia nfo ignifica que seja profeta. O termo profeta 17 designa quem tem o ministério de profeta, Este ministério de profeta é um ministério da Palavra, para o qual o ministro recebeu de Deus uma preparagao especial do Espitito profético, Lemos em Atos 21.8,9 que Filipe tinha quatro. filhas que profetizavam, e que depois de alguns dias veio a sua casa UM PROFETA, Agabo (At 21.10), Existe, porém, uma. diferenca importante entre o ministério de profeta no Antigo ¢ no Novo Testamento. No Velho Testamento os profetas eram consultados pelo povo, & transmitiam-the a resposta de Deus, Mas aB{bliadiz: “A leic osprofetasduraram até Joo, ¢ desde entio ¢ anunciado o reino de Deus” (Le 16.16). Istosignifica que com a vigéncia da Nova Alianga, acabou definitivamente @ consulta a profetas. No Pacto, na Nova Alianga, temos Jesus como o UNICO MEDIADOR (1 Tm 2.5). E importante notar que no Novo Testamento nio ha um tinico exemplo de alguém consultando um profeta. Diz a palavra de Deus: “Se alguém tem falta de sabedoria, pega a Deus” (Tg 1.5). No Novo Pacto todos temos acesso a Deus por Jesus Cristo (Ef 2.18), Jesus 6 0 tmico mediador (1 18. Tm 2.5). 6, portanto, um erro doutrinario quando alguém, que possui o dom de profecia, procura tisé-lo para responder aconsultas de qualquer natureza, como casamento, viagens, compra de iméveis, Cte. Fica neste caso falando sozinho, porque Deus diz; *NAO MANDEI OS PROFETAS E TODAVIA FORAM. CORRENDO. NAO LHES FALEI. E TODAVIA PROFETIZARAM” (Ir 23.24). E fundamental que os obreiros ensinem 2 igreja acerca do uso correto oe etsy inclusive o de profecia. (SBe s QUESTIONARIO 1. Por quanto tempo est construgao do Templo? 2. Que profetas o Senhor levantou para animar os judeus na reconstrugio do ‘Templo? 3. Como atuava o profeta do Antigo ‘Testamento? 4, Como atuava o profeta do Novo Testamento? 5, Por que, hoje, ndonecessitamos mais consultar os profetas? e paralizada a LIGAO 6 8 de agosto de 1993 NEEMIAS RECONSTRO! OS MUROS DE JERUSALEM TEXTO AUREO. "Nunca mais se ouvird de violéncia na ta terra, de desolagdo ou destruicdo nos teus termos; mas aos teus muros chamards salvagdo, e as tuas portas iouvor” (Is 60.18) VERDADE PRATICA Somente despertados, podemos vencer qualquer obsticulo para realizarmos a obra de Dews. LEITURA DIARIA Segunda- 1 Rs 6.1-38 Quinta - At 16.25,31 Salomdo, despertado, constrdi o templo Um despertamento d meia-noite Terca - Gn 14.18-20 Sexta -At 13.1-14 Abrado, despertado, pagou 0 dizimo Um despertamento missiondrio Quarta -Jo4.1-42 Sdbado - Mt 25.6 O despertamento dos samaritanos _ despertamento final TEXTO BIBLICO BASICO Ne 1.1-4; 2.1-9 Ne L1- As ras de Neemias, filho de Hacalias. E sucedeu no més de Quisteu, no ano vigésimo, estando eu em Susi, a fortaleza, 2-Que yeio Hanani, um de meus irmios, ele e alguns de Juds e perguntel- Ihes pelos judeus que escaparam, e que restaram do cativeiro, e acerca de Jerusalém: 3. F disseram-me: Osrestantes, que restaram do cativesro, Ié na provincia esto em grande miséria e desprezo, e o muro de Jerusalém fendido, ¢ as suas portas queimadas a fogo. i 4 - E sucedeu que, ouvindo eu estas palavras, assentel-me e chorel, ¢ lamentei por alguns disis; ¢ estive jejuando e orando perante o Deus dos céus, 2.1 - Sucedeu pois, no més de Nisi, no ano vigésimo do rel Artaxerxes, que estava posto vinho diante dele, e eu tomei o vinho, eo dei ao rei; porém nunca antes estivera triste diante dele. 2-Eorei me di: Por que esta triste o teu rosto, pois niio estas doente? Nao ¢ isto senao tristeza de c¢ . Entio temi muito em grande maneira, 3- E disse ao rei: Viva o rei para sempre! Como nio estaria triste o meu rosto, estando a cidade, o lugar dos sepulcros de meus pais, assolada, ¢ tendo sido consumidas as suas portas a fogo? 4- Do rei me disse: Que me pedes agora? Entao orei a0 Deus dos céus, 5 - E disse ao rei: Se 6 do agrado do rei, e se 0 teu servo é aceito em tua presenga, peco-te que me envies x Jud, d cidade dos sepuleros de meus pais, para que cua edifique. 6 - Entio o rei me disse, estando a rainha assentada junto a ele: Quanto dorard a tua viagem, ¢ quando voltars? E aprouve ao rei enviar-me, apontando= The eu um certo tempo. 19 7- Disse mais ao rel: Se uo rel parece bem, déem-se-me cartas para os 1ra que me d2em passagem até que chegue ajuda; tu para Asafe, guarda dojardim do rei, para que governadoresdalém dori 8- Como também wu me dé madeira para cobrir as portas do paco da casa, epara omuro da cidade, e para a casa emt que eu houver de entrar. Io rei mas deu, segundo a boa mio de Deus sobre mim. 9 - Ento vim 20s governadores dalém do rio, e dei-lhes as cartas do rei. E orei tinha envindo comigo chefes do exército e cavaleiros, COMENTARIO INTRODUGAO Nesta ligdo estudaremos como os murosde Jerusalém foram levantados,e como Deus levantou ohomem certo pa- Ta executar esta obra. A obra era de Deus, qual como dono da obra providenciou tudo que era necessario para a sua ealizagio, desde a autorizagio do rei paraoenviodeNeemias, atéosrecursos Para custear a construgio, (SCR ¢ SB) I. DEUS RESPONDE AS ORAGOES DE NEEMIAS 1, Deus envia emissirio a Neemias, Deus enviou emissério para informar Neemias acerca da situagaoreinante em Jerusalém, Esta pessoa foi Hanani, irmio de Necmias (Ne 1,2), Hanani, contou como os judeus, que haviam retomado a Judé apés o cativeiro, estavarn em grande miséria, Muros fendidos, portas queimadas a fogo, eram simbolo de miséria e de desprezo, e faziam dos moradores da cidade vitimas faccis de assaltantes (Ne 1.3). 2, Neemias, angustiado, jejua e ora, Deus despertou em Neemias uma profunda angiistia pela situagio de seu povo que morava em Juda. Neemias comecou a jejuar ea orar. A oragio inicial de Necmias esta registrada em (Ne 1.5-11). Iniciou seu perfodo de oragio no més de quislen (dezembro), e Deus que ouve as oragées, fez a tesposta chegarno més de nisa (margo) (Ne 2.1). 3. Deus responde as oragoes de Neemias, Como resposta as oragies de Neemias, Deus desperton o rei para assumir a responsabilidade do em- preendimento, Neemias era copeiro do tei, Certo dia ele apresentou-se diante doreicom semblante triste. Interrogado acerca do motivo de sua tristeza, Neemias relatou asituagio da cidade de Jerusalém, € de seu povo que ali vivia (Ne 2.2-3). 20 Por inspiragdo de Deus, orei perguntou aNeemias: “Que me pedes agora?” (Ne 2.4), Neemias orou ao Deus do céu para que pudesse responder ao rei dentro da diregio de Deus. Em um momento Neemias teve sua chamada para ir a Jerusalém confirmada, ¢ respondeu a0 Peco-te que me envies @ Juda, & cidade dos sepuleros de meus pais, para que eu a edifique”” (Ne 2.5). 4, Deus despertou o rela atender opedido de Neemias, Neemiasrecebeu carta do tei dirigida aos governadores da regio e ainda uma carta com ordem para que o necessrio para a construgao fosse dado a Neemias. Tudo segundo a boa mio de Deus sobre Neemias (Ne 2,8), Deus € verdadeiramente 0 Deus daquilo que ¢ impossivel aos homens. Il. NEEMIAS CHEGA A JERU- SALEM (Ne 2.7-11). 1, Neemias faz levantamento da reaj situagio dos murs, Saiu 4 noite na companhia de poucos homens, sem dizer aninguém qual era seu objetivo em Jerusalém (Ne 2.12-16), 2. Neemias deciara sua intengio de reedificar os muros. Tendo-se inteiradlo da verdadeira sinaagdo dos muros de Jerusalém, Neemias convocou os judeus, os nobres, os magistrados e todos s que fwziam a obra, a juntos reedificarem ‘osmuros,para que ndo mais estivessem em oprébrio, declarando-lhes como a mio de Deus lhe fora favordvel, como também as palavras do rei. Ento disscram todos: “Levantemo-nos, ¢ edifiquemos. Eesforgaram as maos para o bem” (Ne 217-18). Ill, NEEMIAS INICIA O LEVAN- TAMENTO DOS MUROS 1. Oplano de Neemias, Ver Necmias capitulo 3. Neemias dividiu a tarcfa de a —— 9 construgio em partes, tendo cada parte ‘uma porta, Simultaneamente, lado a lado, haveria pessoas encarregadas de levantar ‘muro ao longo de todaa suaextensio, muitas delas edificando © pedago do muro que ficava em frente’ sua propria casa. Havia também grupos enearregedos de levar entulho, trazer material, etc, O coracio do pova se inclinou a trabalhar (Ne 4.6). Elogo jéerapossivelnotarque (Os muros cresciasm as roturas comegavan a ser tapadas (Ne 4.7), 2, A tatica de Neemias. A tatiea de Neemias de engajar todos os judeus na obra de edificagio do muro é umn exemplo muito importante a ser scguido pelas igrejas em seu trabalho de evangelizagio. ‘Neemias tinha um plano que aproveitava todos os que quisessem trabalhar, designando a cada um assua funcio. Assim também o pastor da igreja deve, nadiregio do Espfrito Santo, orientar os crentes a entregarem-se a si mesmos 4 Deus para realizarcm a obra do Senhor. ‘Trabalhar para o Senhor enche 0 coracao dos crentes de grande alegria, 3, A uniio dos judeus ficou ameagada, Apesar da boa organizagio, a unido necessdria para a real daquela grande obra estava ameagada. Surgiuum problema entre os pobres¢ os ricos. Neemias tomou conhecimentodo problema e subiamente o resolveu, ea obra prosseguiu. Este t6pico seréretomado na lig niimero 8 IV. 0 LEVANTAMENTO DOS MUROS PROVOCOU GRANDE OPOSIGAO J, Iniciada a edificagio dos muros, Sambalate e Tobias indignaram-se grandemente, ¢ usaram varias estra- tégias para fazerem parar a obra. To- davia, Neemias ¢ seus liderados, ajudados pelo Senor, conseguiram vencer todos 0s obstéculos que se levantaram, ¢ trabalharam sem cessar até & conclusio domuro, As diferentes formas deataque dos inimigos dos judeus, e como Neemias conseguiu vencé-los, seri assunto da ligdo nimero 9 deste timestre. 2. O muro foi concluido (Ne 6.15). Esta vitéria teve grande repercussio. Alté os inimigos tiveram de reconhecer que *O NOSSO DEUS FIZERA ESTA OBRA” (Ne 6.16). Y¥. © MURO FOI SOLENEMENTE INAUGURADO 1. Para a dedicagio dos muros foram conyocados todos os levitas, a fim de dedicarem os muros com alegria, com louvores, com canto, com saltério, com alatides ¢ com harpas (Ne 12.27). Purificaram-se os saccrdotes ¢ os levitas, € logo purificaram todo o povo, ¢ as portas, ¢0 muro (Ne 12,30). 2.0 ato de dedicacao incluiu duas procissbes 20 longo dos muros, as quais pararam diante da casa de Deus,onde houve sacrificios (Ne 12.30, 38, 40). A alegria de Jerusalém eratao grande, que osomda festa podiaser ouvidodelonge (Ne 12.43). YI. OS MUROS TRAZEM ENSINO SIMBOLICO IMPORTANTE 1. A Biblia fala da salvacio como um muro. “Aos teus muros chamards salvagao, e 2s tuas portas louvor” (Is 60,18), E ainda, “Uma forte cidade temos, a que Deus pés a salvacio por muro € antemuros” (Is 26.1). 2, O muro da salva diyina protegdo que beneficia aqueles que se abrigam dentro dele, Observamos que © levantamento dos muros foi resultado de um despertamento, O crente despertado sente uma imperiosa necessidade de conservar-se dentro dos muros de salvagio, onde ele € protegido pela excelente grandeza do poder de Deus. Epode dizer como Paulo: “Eu sei ‘em quem tenho crido, ¢ estou certo que époderoso para guardar o meu depésito até aquele dia” (2'Tm 1.12), 3. O muro da salvacio ¢ uma permanente linha diviséria entre 0 reino de Deus ¢ oreino deste mundo, Fronteiras deste mundo foram muitas vezes alleradas, porém a fronteira entre oreino da Luz © o rein das Trevas continua inalterada. A Biblia diz: “Eu, 0 Senhor, no mudo” (M13.6). Oreino de Deus ¢ 0 reino deste mundo sao in- teiramente irreconcilidveis. “Que co- munliao temas trevas com aluz?" (2Co 6.14). “Ninguém pode servir a dois se- thores. Nao podeis servir a Deus ¢ a Mamom” (Mt 6.24). O fato de o muro da salvacio ser uma divisa entre o reino de Deus ¢ 0 mundo, nfo significa que hé uma an “poibigdo” pela qual oerenis.nfo tery “direito” de fazer 0 que quer. Ocrente é livre! Todavia, amesma linha diviséria representada pelo muro da salvacto, passa também DENTRO DO NO: CORAGAO! Por isso Paulo escreveu: “A nao ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo esti crucificado para mim, eeu para o mundo” (G16.14), E,podemos, assim, fazer nossas 4s palavras de Paulo: “O que para mim. era ganho, reputei-o perda por Cristo!” (Fp 3.7). Finalmente, a salvagdo transforma ‘o crente de tal forma que ele comega a ‘querer aquilo que o Senhor quer, epassa sonar! “Beja ita a'TUA vontade™ (Mt 22 6.10). O segredo de uma vida cheia do Espirito Santo é: “Quem erer em mim MO DIZ A ESCRITURA. rios de gua vive correrdo do seu ventre” Jo 7.38). (SD) QUESTIONARIO 1. Como se chamava o emissério enviedo a Neemias? 2, Como viviam os judeus que haviam voltado de Babilénia? 3, Antes de inigiar a reconstrugiio dos muros, que fez Neemias? 4, Que profissio exercia Neemias na corte persa? 5.Oquenoslembra omuro dasalvagiio? LIGAO 7 15 de agosto de 1993 O POVO DE DEUS DEVE SEPARAR-SE DO MAL TEXTO AUREO “Pelo que sat do meio deles, e apartai-vos, diz 0 Senhor; endo toqueis nada imundo, e eu vos receberei” (2 Co 6.17). VERDADE PRATICA O mundanismo na Igreja corrompe os bons costumes ¢ extingue a santidade. LEITURA DIARIA Segunda - Js 231-13 Quinta - At2.41-47 Separaedo, ordem divina O ambiente numa igreja despertada Terca - Os 7.8-16 Sexta -Is 521-1 O tragico resultado da mistura O despertamento renova Quarta - Dt 28.1-13 Sabado - Rm 13-11-14 Vida separada glorifica a Deus E tempo de despertamento TEXTO BIBLICO BASICO Ed 2,59-62; 4.2,3; 6.2-4 Ed 2.59 - Também estes subiram de Tel-Meli e Tel-Harsa, Querube, Adi e Imer, porém nio puderam mostrar a casa de seus pais, e sua linhagem, se de Israel eram: 60 - Os filhos de Delafas, 0s filhos de Tobias, os filhos de Necoda, seiscentos ecingiienta e dois 61 - E. dos filhos dos sacerdotes: os filhos de Habaias, os filhos de Coz, os filhos de Barzilai, o gileadita, e que foi chamado do seu nome. 62 - Estes buscaram o seu registro entre os que estavam registrados nas genealogias, mas nao se acharam nelas; pelo que por imundos foram rejeitados do sacerdécio. 4.2 - Chegaram-se a Zorobabel e aos chefes dos pais, e disseram-Ihes: Deixai-nos edificar convosco, porque, como vés, buscaremos a vosso Deus; como também ja Ihes sacrificamos desde os dias de Esar-Hadom, rei da Assiria, que nos mandou vir para aqui 3+ Porém Zorobabel, ¢ Jesua, e os outros chefes dos pais de Israel Ihes disseram: Nao conyém que vés ¢ nds edifiquemos casa a nosso Deus; mas nds 6s a edificaremos ao Senhor, Deus de Israel, como nos ordenou o rei Ciro, ret da Pérsia, 6.2. Bem Acmeta, no pakicio, que esti na provincia de Média, se achou um rolo, e nele estava escrito um memorial que dizia assim: 3-Noano primeiro do rei Ciro, o rei Ciro deu esta ordem: Com respeito casa de Deusem Jerusalém, esta casase edificars para lugarem quese oferecam. sacrificios, e seus fandamentos serio firmes; a sua altura de sessenta cOvados, ea sua largura de sessenta cOvadoss 4- Com trés carreiras de grandes pedras, € uma carreira de madeira nova, ea despesa se fara da casa do rei. 23 COMENTARIO INTRODUCAO Nesta ligo iremos estudar os preparativos que os judeus fizeram para por os alicerces da nova forma de vida que cle: -am em Jerusalém depois dos anos no cativeiro em Babilonia. Ali eles viveram espalhados pelo vasto territ6rio daquele reino, ¢ agora iriam viver uma vida comunitéria, conforme 95 ritos da lei. I. SOMENTE 0S JUD TORNARIAM A JUDA Para uma pessoa ser considerada apta para fazer parte do grupo que iria transferir-se para Jerusalém, exigia-se que desse prova de sua linhagem, que provasse ser realmente de Isracl. Na primeira triagem foram exeluidas 652 pessoas. Até alguns filhosdesacerdotes cujos nomes no foram achados nos registros das genealogias, foram rejeitados como imundos (Ed 2.59:62). Os judeus mestigos, nascidos de casamentos mistos, durante 0 cativeiro em Babildnia, nao fariam parte do grupo de judeus que retomariam a Juda, Somente aqucles que comprovassem a sua ascendéncia puramente judaica fariam partedaquele grupo. Detis nfo aceita mistura do seu Povo com 0 pove do mundo. Nao pode haver comunhdo da laz. com as trevas. A historia de Israel registrava uma amarga experiencia neste sentido, Quando os Israclitas, libertados pela mio do Senhor, se preparavam para ira Cana, um grande povo de “mistura”, néo israclita, queria acompanhé-los. Foi exatamente essa gente que durante o trajeto pelo deserto foi fonte inspiradora de murmuragao (Nm 11.4), A Biblia diz: “Estreita € a porta ¢ apertadoocaminhoque leva’ vida" (Mt 7.14). Nao € lucro, e, sim, grave prejuizo, alguém querer facilitar a entrada de “mistura de gente”, dando maior énfase 2» QUANTIDADE do que a QUA- LIDADE, Jesus disse: “Necessario vos énascer denovo" (Jo 3.7). (SB ¢ SG) HL. OS JUDEUS NAO ACEITARAM A.AJUDA DOS SAMARITANOS 1. Quem eram os samaritanos? Os samaritanos eram uma mistura de gente, Pa na sua maioria de origem paga. Este povo apareceu depois do ano 721 a.C, quando o reino de Israel foi derrotado pelo exército de Sargio ll e as dez.tribos do Norte levadas cativas para a Assiria, Por ordem do rei da Assiria foram trazidos ovos de Babel, de Cuta, de Ava, de Hamate, de Sefarvaim, ¢ habitaram nas cidades' de Samaria em lugar’ dos sacerdotes; © tomeram Samaria em heranga, e habitaram em suas cidades (2 Rs 17°24), Posteriormente, o rei da Assiria enviou-lhes um sacerdote dos israelitas ‘para ensinar ao povo da terraotemorde Deus, Assim, os samaritanos temiam 0 Senhor, mes. também serviam a seus deuses (2s 17.33), Accituramocnsino do sacerdote israclita, mas nao deixaram a idolatria 2 Rs 17.34-41). Representam muito bem uma vidana came, da qual a idolatria 6 uma expressio (G15.20). 2. Os samaritanos ofereceram cooperaciio aos judeus. Quando os judeus comegaram a consirugo do templo, os sritanos ofereceram-se para cooperar (Ed 4.1). Os judeus, porém, rejeitaram firmemente a proposta (Ed 4.1-3). Igualmente quando da construgio dos Muros, a cooperacao dos samaritanos foi recusada (Ne 6.2,3). Esta atitude € biblica, pois a Biblia manda que nds devemos nos afastar daqueles que nfo tem a si doutrina (1 Tm 63-5; 7¢3.10;2 To 10,11). [gualmente devemos nos afastar daqueles que tem uma vida irregular (2 Pe 3.17; 1 Tm 6.20-21; 2 Ts 3.614) como também dagueles que causam divisées (Rim 16.17,18; 2Pe2.10,13 18; Jd 12,18,19), 3, Os samuritanos procuraram aparentar-se com os judeus. Caseram. ‘com as filhas dos judeus, ¢ deram suas fillnas aos judeusem casamento. Alguns cafram nesta armadilha (Ed 9.1 2). Este assunto € to sério e importante que merece um estudo em separado, o que iremos fazer na ligfio ntimero 12. 4, Os samaritanos tornaram-se inimigos dos judeus: a. Os samaritanos invejaram os judeus. Antes de os juceus terem chegado ‘a Jerusalém, os samaritanos tinham uma certa lideranga na regio. Quando os cate MORRISONNA —ARESSURREIGAO Speen, Voce, Degesus cristo Sabemos que vocé precisa ter suas necessidades aten 4nisoBalit Danis estamos trabalhando com afinco: langando novos produ clcicPE judens chegaram.e comegaram a saerificar ‘a0 tinico Deus verdadeiro e a adord-lo, entdo a atengao dos habitantes da regio ‘passou para os judeus, e os samaritanos perderam a sua posigdo privilegiada, ¢ encheram-se de inveja (Jo 11.47; 12.19). Isto sempre foi assim. Os fariseus tinham inveja de Jesus, os sacerdotes tinham inveja da Tgreja, ete. (At 5.17,13,45; 17.5). b. Os samaritanos imaginaram que se conseguissem associar-se aos judeus gozariam do mesmo prestigio que.estes. ‘Quando os judeus nfo aceitaram nada da parte dos samaritanos, 0 6dio velado transformou-se em inimizade declarada, I, DEUS EXIGE SANTIDADE DO SEU POVO Em toda a histéria do povode Deus, ‘observa-se que Ele, para manifestar- no meio do seu povo, exige plena santidade, Deus espera que seu povo esteja sempre em comunhio com Ele, vivendo separado do mal 1, Retornando do cativeiro, Israel separou-sedo mal (2 Co 6.175 7.1), Por isso a béngio de Deus os acompanho cles conseguiram concluir a construgao do templo e reconheceram que “DEUS FIZERA ESTA OBRA” (Ne 6.16). 2. Quando Josuése preparoupara passar o Jordio, ele disse ao povo: “SANTIFICAI-VOS porque amanha fard o Senhor maravilhas no meio de vés” (Js 3.5). 3. O anjo do Senhor yisita © acampamento israclita, Anies de iniciar aconquista de Canad recebeua visita de um anjo. Josué entio Ihe perguntou: “Que diz meu Senhor a seu servo?” Ea resposta que recebeu foi: “Descalga os sapatos de teus pés porque o lugar em que estas € santo!” (Js 5.13-15), 4. Israel éderrotado pela pequena cidade de Ai, Quando Josué, com 0 rosto om terra, perguntou ao Senhor porque daquela derrota, o Senhor respondeu: “SANTIFICAI-VOS para amanha” (Js 7.11,12), “Andtema hé no meio de Israel! Nao serei mais convosco, sendo desarraigardes a andtema que ha no meio de vs" (Js 7.12.13). O pecado foi descoberto, foi dessarruigado, ¢ entio Deus disse aJosué: “Levanta-tcesobe a Ai, Othaque tenho dadonatuamioorei de Aico seu povocasuacidadeeasua terra” (Is 8.1). Deus exige santificagao de seu povo para poder operar no meio dele. IV.DEVEMOS MANTER UMA VIDA DE SEPARAGAO DO MAL 1, Os judeus mantiveram-se separados dos samaritanos, Se os judens tivessem aberto a porta para uma uniio ‘com 0s samnaritanos, estes, provavelmente, ter-se-iam mostrado afiiveis e pacificos no inicio, mas teriam perturbado a uni que havia entre os judeus. Teriam, pparticipado do culto dos judeus, ¢ ufastado apresengado Senhor, uma vez queDeus néo se tne % idolatria, Vale a pena manter a separagdo com o mundo. 2. & Biblia mostra exemplos de servos de Deus que duvidaram se valia apenamantera linha deseparaciiodo mal. a, salmista Asafe escreveu no Selmo 73: “Na verdade que em vio tenho purificado meu coragio c Iavado as minhasmfos na inocéncia (173.13) Ficou profundamente perturbado, mas Deus 0 ajudou a encontrar a resposta. “Até que entrei no sentudrio de Deus; entio entendi o fim deles” (v.17). O salmista ficou trangiiilo: “Todavia estou de continuo contigo, tu me seguraste pela minha mao direita, Guiar-me-ds com teu conselhoe depois me receberds ‘em gloria” (vy 23,24). Asafe entendeu que valia a pena servir ao Senhor. b. Malaquias respondeu aos que diziam ser initil servir 0 Senhor (MI 3,15), dizendo: “H4 um memorial escrito diante dele, para os que temem o Senor, para os que se lembram do seu nome, Eles serio meus, diz 0 Senhor dos Exéreitos, naquele dia que farei sero paramim um particular tesouro; poupé- Jos-ci como um homem poupa a seu filho que o serve” (M1 3.16,17). Vale a - pena servir a0 Senhor! 3. Devemos viver conforme a yon- tade do Senhor. “Para que no tempo que vos resta na came nfo vivais mais segundo as concupiscéncias dos homens, mas segundo a vontade de Deus” (1 Pe 4.2). Uma vida segundo a vontade de Deus! Que maravilha! Qual seria entio 2 a vontade de Deus para conosco? A Biblia diz: “Esta é a vontade de Deus, a vossa santificagao” (1 Ts 4.3), Jé obscrvamos que santificagio significa uma vida que se abstém das coisas que nfo agradam a Deus, conforme aPalavra: “Apartai-vos, diz o Senor, ¢ no toqueis nada imundo” (2 Co 6.17), e: “Aperfeicoando a vossa santificagio no temor de Deus” (2Co 7.1). Devemos sempre muito desejar ser-Ihe agradéveis (2Co 5.9), andando dignamente diante do Senhor, agradando-the em tudo (Cl 1.11), guardando seus mandamentas, ¢ fazendo o que € agradavel & sua vista (1 Jo 3.22). 4, Béngios acompanham os que vivem conforme a vontade de Deus! Deus garante, aos que assim vivem, plena vit6ria contra os ataques do Diabo, © crescimento espiritual deles esté garantido (C1 1.6,10), O Espirito Santo 26 tem plena liberdade para atuar em suas vidas, e eles tornam-se preparados para serem usados por Deus em sua obra (2 Tm 2.19-21). E, acima de tudo, aqueles que vivem segundo a vontade de Deus, esto preparados parao arrebatamento! ALELUIA! VALE APENA VIVER NA. VONTADE DE DEUS! (Hb 12.15; 15.5,23). (SD) * - QUESTIONARIO 1. Qual acondigao imposta pelos lideres israclitas para a volta dos exilados? 2. Na primeira triagem, quantos exilados foram impedidos de voltar? 3. Por que os judeus nao aceitaram a ajuda dos samaritanos? 4, Porque os samaritanos procuraram se associar aos judeus? 5. Por que 0 povo de Deus no deve se misturar com os inerédulos? LIGAO 8 22 de agosto de 1993 AS CAUSAS DA DESUNIAO DEVEM SER ELIMINADAS TEXTO AUREO "Oh quiio bom e quao suave & que os irméos vivam em unido!” (SI 133.1). VERDADE PRATICA A unido é wna fora indispensdvel para a Igreja. i um testemunho diante do mundo e um estimulo para o crescimento da obra de Deus. LEITURA DIARIA Segunda - S1 133 Quinta - At 5.13-16 A desunido expulsa as béngaos A unido engrandece a Igreja da Igreja Sexta - Ne 4.19-234 erga - Ef 4.15,16 A unigo é uma grande forga A desuniao impede 0 crescimento Sdbado - Ef 41-16 da Igreja O Espirito Santo opera a unio Quarta = Jo 17.20-26 perfelta Unido, 0 caminho para comunhio ¢0.amor TEXTO BIBLICO BASICO Ne 5.1,6-12 Ne 5.1 - Foi, porém, grande o clamor do poyo e de suas mulheres, contra os judeus, seus irmaos. 6 - Ouvindo eu, pois, o seu clamor, ¢ estas palavras, muito me enfadei, 7-Econsiderei comigo mesmo no meu coracio; depois pelejeicom osnobres € com os magistrados, € disse-lIhes: Usura tomais cada um de seu irmio. E ajuntei contra eles um grande ajuntamento. 8 - E disse-lhe atamos os judeus, nossos irmios, que foram vendidos as gentes, segundo nossas posses} e vds outra vez venderfeis a vossos ponder, 9 = Disse mais: Nao é bom o que fazeis; porventura nao devieis andar no temor do nosso Deus, por causa do.oprébrio dos gentios, os nossos inimigos? 10 - Também cu, meus irmaos e meus mogos, a juro Ihes temos dado dinheiroe trigo. Deixemos este ganho, * 11- Restitui-thes hoje, vos pego, assuasterras, assuas vinhas, os seus olivais, eassuas casas, como também o centésimo do dinheiro, do trigo, do mosto, e do azeite, que és exigis deles. 12 - Entao disseram: Ri faremosassim como conforme a esta palayra, ituir-lho-emos, e nada procuraremos deless io chamei os sacerdotes, ¢ os fijurar que fariam COMENTARIO INTRODUCAO surgiu entre diferentes classes sociais,¢ Veremos nesta ligo um conflito que como o problema foi solucionado, (SB) 27 we LA UNIAO CARACTERIZAVA OS JUDEUS LIBERTOS DO Ca- TIVEIRO 1. Qual era a base desta unio? a, Todos cram do mesmo povo, € confessavam a sua fé no tinico Deus verdadciro. O altarhaviasidorenovado, © templo levantado, e 0 culto a Deus Testaurado, conforme 08 ritos da lei. b. Todos haviam experimentado o despertamento que se havia inicisdo pelo rei Ciro. Todos haviam cooperado ativamente para arestauracio da cidade de Jerusalém, 2, Esta uniio entre os judeus simboliza a unio que deve haver na Igreja de Deus (G1 6.16). Tambémna Igreja ha muitas coisas unificantes. Todos experimentaram © novo nascimento, Todos que nasceram de novo amam 20s que so nascidos por Ele Jesus. Todos na Tgreja sio aproximados uns dos outros, porque Cristo derrubou o muro da separaciio que havia entre gentios e judeus, tomando-os uma verdadeira “Familia deDeus” (Ef2.12-19). Estaunifonaose baseiaemnacionalidade, nivelsocialou cultural, mas todos sio UM EM CRISTO. (G1 3.28). No meio da Tgreja opera o Espirito Santo, o qual fazcom que todos se tomem um coragzo ¢ uma alma (At 4.32), Quando a igreja vive cheia do Espirito Santo, a unio funciona cm sua plenitude, ¢, entio, ela se toma uma ante-sala do céu. Consideremos algumas béngiios decorrentes da unio: 4. Os crentes sentem apoio espiritual para a sua vida. Muitos crentes vive cercados de pessoas que sfio contrarias & sua f6. Séo alvos de criticas © de isolamento, sejano trabalho, na escola guna familia, Que riqueza entio & chegar Aigrejac encontraro ambiente fraternal ea unio que predomina entre os irméos! Ougamos 0 que diz 0 salmista: “Quio bom equio suave éque os imios vivam em unido...” (S1 133.1), b.Na igreja levamos as cargas uns dos outros (GI.6.2), Existem cargas que cada um tem de levar sozinho (G1 6.5). Mas existom também cargas em que podemos ajudar uns aos outros. Que bénc&o na hora de aperto, saber que a igreja pode ajudar em oragéo! A Biblia diz: “Orai uns pelos outros” (Tg 5.16), e: “outro levanta o seu companheiro™ 28 (Ee 4.10), “Se um membro padece, todos os membros padecem com ele” (1 Co 12.26). Que béneao na hora da angiistia achar “um itmao” (Py 17.17)! Aleluia! ©. A uniao nos faz fortes. Uma ovelha sozinha é facilmente arebatada, mas quando esta com o rebanho 6 protegida. Uma pedra sozinha, pode ser levada ou Jogada, porém, quando estiver edificada dentro do muro, é mais dificil tird-la (1 Pe 2.4,5). Uma brasa sozinha, isolada, facilmente pode se apagar, mas junto com as outras manterd 0 fogo aceso. Uma vara sozinha pode ser quebrada, mas amarrada ao feixe ninguém a guebraré, 4, Uma igreja que vive em uniao, tem um testemunho maravithoso. Jesus disse que através dessa unidio o mundo conheceria que ele foi enviado por Deus Jo 17.21,23; 13.35). Pela unitio o mundo conheceré também os verdadeiros discfpulos de Jesus (Jo 13.35), Enquanto 9 ddio e @ desunizo dominam o mundo de hoje, existe um povo que vive em verdadcira unigo - a Igroja, comprada como sangue de Jesus. Aleluial 3. Esta unio é uma verdadeira forca. Foi porcausa da uniiio que os ju- deus, numericemente inferiores aos seus inimigos, conseguiram construir o templo, € também os muros da cidade, Esta unido € também o segredo da vit6ria da Tgreja. O santo leo desce da cabega do Sumo Sacerdote Jesus Cristo, ¢ os crentes vivem em unigo (SI 133.1,2). Jesus disse: “Eu dei-lhes a gloria que a mim me deste para que sejam UM” (Jo 17.22), Sejamos, pois, UM; assim como o Pai, 9 Filhoe 0 Espirito Santo sio UM (1 Jo 5.7). O autor de Eclesiastes ja dizia: “O cordao de trés dobras no se quebra 10 depressa” (Ec 4.12), Tsto fala de UNIAO, I. A UNIAO ENTRE OS JUDEUS ESTAVA AMEACADA 1. Qual era a ameaga? Tratava-se de uma grande injustiga social. Finan- ceiramente, a vida dos que voltaram da Babil6nia cra bem dificil. Muitos eram obrigados a tomar dinheiro emprestado, flo $6 para seu sustento, como também ara pagar o imposto do governo. To- Tavam emprestaco dos seus irmfos mais icos, os quais cobravam juros altos, até mesmo com usura. Quando os mais Pobres nfo consegniam pagar os empréstimos tomados, os irmaos mais ricos executavam as dividas, tomando as casas, as terras,¢ alé mesmoos filhos easfilhas dos devedores (Ne5,1-5). Isto foi causa de grande clamor entre os judeus. Este assunto chegou ao conhecimento de Neemias, o qual ficou muito enfadado (Ne 5.6). (ST) 2. Como se explica esta grande injustica? a, Em primeiro lugar era uma expressiio de FALTA DE AMOR dos mais ricos para coin os mais pobres. Desta forma os mais ricos pecavam contra seus irmdos mais pobres, niio Ihes dando o devido valor. ABibliadiz quecadaumdeve “con- sideraros outros superiores asimesmo" Fp 2.3), e que devemos “'suportar uns aos Outros em amor” (Ef 4.2), Por falta de amor, 0s ricos chegaram a cobrar juros comuusura, coisa proibidanallei (Lv 22. 36; Ex 22.25), O assunto 6 muito sério, Porque a Biblia diz que quem peca contra oirmfo, peca contra Cristo (1 Co 8,12), b. A atitude dos ricos era uma -ssfio de DUREZA CONTRA SEUS OS, Hes queriam ficar ainda mais ricos As custas damiséria de seus irmios mais pobres, Nio lhes importava 0 charo de seus irmios (Ne5.1).""A opressao faz endoidecer até-o sébio" (E77), Il. NEEMIAS SOLUCIONOU O PROBLEMA. 1, Neemias convocou um grande ajuntamento (Ne5.8), Reuniuopovoe Iembrou a todos que os irmios mais pobres estavam sendo literalmente eseravizados. Confrontou-os com sta injustiga, perguntando-lhes: “Vender- se-iaman6s?, Ouvindoisto calaram-se, niio achando o que responder" (Ne 5.8), 2. Neemias fez uma proposta conciliadora. “Deixemos este ganho!”,- “Restitui-Ihes tudo!” (Ne 5.11), Neemias inclui-se na proposta. Ele e seus auxiliares haviam emprestado a juro (notem bem, a juro mas nfo com usura!), e Neemias estava disposto a nio receber os juros (Ne 5.10). 3. A proposta de Neemias fot acatada, “Restituir-tho-emos, e nada procuraremos deles; faremos assim como dizes” (Ne 5.12). Neemias fez com que jurassem diante dos sacerdotes que assim fariam (Ne 5.12). Um ato simbélico de Neemias confinnou aquele juramento solene (Ne 5.13). IV. A PAZ VOLTOU A REINAR ENTRE OS JUDEUS 1.Surgindo um problema entre os irmios, deve logo ser tratado com muita diligéncia, Quando um Ider do povo for ignorante, desinteressado ou negligente, oresultado poderd vir a ser uma contaminago grave, Faz parte das atribuicdes do ministro manter a boa ordem na igreja. Ele deve enfrentar os problemas com humildade, imparcialidade, e com sabedoria de Deus, Neemias foineste sentido um exemplo para os que estfo a frente da obra do Senhor. Assim como Deus fez com Neemias, Ele quer fazer com seus setvos, hoje, isto 6, Deus quer abengoar seus servos e confirmar as obras das suas mios ($190.17), 2. Problemas que preludieam unfio entre os irmiios, devem ser tratados com muito carinho. "Bem- aventurados os pacificadores” (Mt5.9). a. A desunidio representa uma obra da came (Gl_5.19,20). Estas coisas entristecem o Espirito Santo (Ef 4.30). +b. A Desunifio destrdéi a comunhioe © amor entre os irmfos, coisa tfo preciosa na Tgreja, “Andai em amor como Cristo vos amou” (EF5,2), “Aquele que ama a Deus, ame também a scu irmao" (1 Jo 4.21). Jesus orou: “Para que todos sejam um, como tu, 6 Pai, oésem mim, ceuem 1 Go 17.21). ¢. Finalmente devemos cultivar nosso testemunho diante do mundo. A unido entre os crentes € 0 selo da estabilidade espiritual ¢ da paz na Igreja (Jo 17.4). QUESTIONARIO 1, Oque caracterizavaos judeus libertos do cativeiro? 2. O que simbolizava a unifo entre os judeus que retomaram do cativeiro e Deus? 3. O queestava ameagando aunio entre os judeus? 4.0 que representa a desunizo? 5. De acordo com a lig, 0 que representa a unio entre 0s crentes? 29 LIGAO 9 29 de agosto de 1993 COMO VENCER AS OPOSIGOES A OBRA DE DEUS TEXTO AUREO “Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou" (Rm 8.37). VERDADE PRATICA Quando deposiiamos nossa confianga em Deus, descobrimos que Ele é muito maior do que todos os obstdculos que encontramos. LEITURA DIARIA Segunda - Ef 6.12-16 ‘Quinta ~ At2.37-47 AJé, wna arma contra a oposigao A vigiléncia, uma arma contraa Terga = Mt7.7-1 Oposi¢ao A Oragao, wna.arma contra a Sexta~ Mt25.1-13 opasicao A obra de Deus triunfard Quarta - At 423-32 Sébado - At 534-42 A unido, wna arma contra a oposi¢do A grandeza da obra de Deus TEXTO BIBLICO BASICO Ne 4.8-20; 1 Jo 4,4; 5.5 Ne4.8 - Eligaram-se entre sitodos, para virem guerrear Jerusalém, e para os desviarem do seu intento. 9- Porém nés oramos. a0 nosso Deus, ¢ pusemos uma guarda contra eles, de dia e de noite, por causa deles, 10 - Entio disse Jud: Jai desfaleceram as forgas dos acarretadores, ¢ 0 p6 é muito, e nés niio poderemos edificar o muro. 11 - Disseram, porém, os nossos inimigos: Nada saberdo disto, nem vero, até que entremos no meio deles, ¢ os matemos; assim faremos cessar a obra, 12- Esucedeu que, vindo os judeus que habitayam entre eles, dez vezes nos disseram, de todos os lugares, que tornavam a nds. 13 -Pelo que pus guardasnos lugares baixos por detriis do muroe nosaltos; e puso povo pelas suas familias com as suas espadas, com assuas lancas, e com ‘8 seus arcos. 14-E olhei, ¢ levantei-me, e disse aos nobres, ¢ 20s magistrados, e ao resto dopoyo: Nioos temais; lembrai-vos do Senhor, grandee terrivel,e pelejaipelos yossos irmios, vossos filhos, vossas mulheres e vossas casas, 15- E sucecieu que, ouvindo os nossos inimigos que jiosabiamos,eque Deus tinha dissipado o conselho deles, todos voltamos a0 muro, cada um/h sua obra. 16 - [e sucedeu que desde aquele dia metade dos meus mocos trabalhava na obra, ea outra metade delestinha as lancas, os escudos, os arcos, eas couracas; eos chefes estayam por detris de toda a casa de Ju 17 - Os que edificayam o muro, e os que traziam as cargas, e os que carregavam, cada um com uma mio fazia a obra e na outra tinha as armas, 18 - F 0s edificadores cada um frazia a sua espada cingida aos lombos, e edificavam; e o que tocaya a trombeta estava junto comigo. 30 19 E disse eu aos nobres, eos magistrados, ¢ ao resto dopovo: Grande e extensa é a obra, ¢ nds estamos apartados do muro, longe uns dos outros. 20 - No lugar onde ouvirdes o som da buzina ali yos ajuntareis conosco. O nosso Deus pe 1J04.4~ que esta ard por nds. ihinhos, sois de Deus, ¢ jit os tendes vencido; porque maior 60 em vs do que o que esti no mundo, 5.5 = Quem € que vence 0 mundo, seniio aquele que cré que Jesus é o Filho de Deus? COMENTARIO INTRODUGAO ‘Na liggo namero 7 observamos como a construgio dos muros em Jerusalém provocouuma dura resisténcia por parte dos samaritanos. Nesta ligio iremos observer, mais detalhadamente, as diferentes formas dos seus ataques, e 0 modo como os judeus conseguiram vencé- los ¢ concluir a obra, (SB) 1. QUAL A PROCEDENCIA DESTES ATAQUES? 1, A Biblia revela a verdadeira forca por tras destes ataques, Ela diz: “Nao temos que lutar contra a carne e 0 sangue. mas sim contra 0s prineipados, cconira os prineipes da trevas deste s6culo, contra as hostes espirituais da maldudle nos lugares celestiais” (Ef 6,12), Portunto, nossa luta 6 antes de tudo espiritual. Os inimigos visiveis silo. meramente instrumentos dos deménios, os quais ‘nos atacam, Desde que Liicifer caiu em pecado no céu e foi expulso de lé, ele tem sidoo ADVERSARIO de Deusede sua obra (1 Pe 5.8). 2. Qual a orientagio que a Biblia da diante desta luta? Eladiz:"Portanto tomaitoda aarmadura de Deus, paraque possais: a)RESISTIR NO DIA MAU; >)TENDO FEITO TUDO; c)FICAR FIRMES (Ef 6.13). Vemos, assim, que aBiblianto aconseths fugirda luta, mas sim car firmes,resstir,e vencer! (Tg 4.7) 3. Nesta luta contra o mundo invisivel a arma mais eficaz 6 a6. A Biblia diz: “Quem é que vence omundo seno aquele que cré que Jesus é 0 Filho de Deu: (ilo 5.5). Por isso a Biblia aconselha: “Milita a boa milicia da fé, e toma pose da vida eterna” (1 Tm 6.12). Pela £6 experimentamos a operagiio do Espirito Santo em nossa vida (G13.2,5). Jamais devemos permitir que alguma coisa venha abalar a nossa f6, “porque sem f & impossivel agradar-Ihe” (Hb 11.6). Devemos nfo temer, mas crer somente (Me 5.38). "Nao deis lugar ao Diabo!” (Ef 4.2). 4. Nesta luta as armas devem ser espirituais (2 Co 10.4), $6 as armas espirituais atingem ¢ alcangam os reais inimigos, os dem6nios. As armas carnais 86 nos prejudicam, pois muitas vezes levam-nos a dar lugar ao inimigo. IL. OINIMIGO PROCURA ATINGIR ANOSSA FE. 1. 0 inimigo ataca com a.arma do DESPREZO. Diziam: “que fazem estes fracos judeus?” (Ne 4.2), De fato, em ‘n6s mesos somos fracos, Paulo disse: “Quando estou fraeo entio sou forte” (2 C6 12.9,10). Quando 0 crente 6 tentado se comparar com o inimigo, esta em perigo! Foi esta tentagiio que derrubou Isracl, Quando os dez espias disseram “Nao poderemos subir porque 0 povo mais forte do que nés” (Nm 13.31), os israclitas recusaram-se a subir, recusaram- se 4 dar ouvidos & mensagem de {6 tansmitida por Calcbe, que dizia: “Certamente prevaleceremos contra cles” (Nm 13.30). "O Senhor € conosco, nfo ‘os temais” (Nm 14.9). 2, 0 inimigo ataca com a arma do ESCARNIO (Ne 4.344; Jr 207; $179.4). ‘Trata-se de uma arma que os inimigos da obra de Deus t¢m usado em todos os tempos. Quando os servos de Deus sofrem escimio, s4o tentados a ficarem desanimiados. Todavia devemos lembrar que isso 6 0 que os figis sempre tiveram que suportar (Hb 11,36; SI 35.15,16; 44.13,14). Nem mesmo Jesus escapou do escaimio (Mt 20.19; 27.29,39). Jesus dis: ‘Se ao Mestre chamam Belzebu, 31 € natural que aos seus servos seja dado © mesmo nome" (Mt 10.25). Isio faz parte da cruz que devemos aceitar quando seguimos a Jesus (Mt 10.38,39; 16.24,25), Os que siio carnais procuram escapar do escindalo da sus (G15.11), 3.0 inimigo chama 2 nossa atenezo para a imensidade da tarefa, *“Vivificardo dos monies de ps as que foram queimadas?” (Ne 4.2). Moisés ao olhar para a dimensdo da tarefa para tual Deus 0 chamava, recusou-se a ir. Ruse Me teen, Palavra de Deus, que Deus iria com ele (Ex 3.12), e que Deus seria com a sua boca (Ex 4.12), Moisés se animou e viu as montanhas tornando-se em campinas Ge 4.7), Quem faz a obra é Deus (Is 26.12), mas Ele usa de instrumentos, ainda que estes sejam pequenos © a tarefa seja grande! 4. © inimigo usa contra nés os BOATOS ¢ as MENTIRAS, | Os samaritanos espalhavam caliinias contra Neemias, dizendo que ele planejava constituir-se rei (Ne 2,19, 6.5;6), Tudo isto para amedrontar os judeus ¢ assim, atingi-los em sua fé em Deus. Neemias respondeu: “De tudo que dizes, coisa nenhumasucedeu, masno teu coraga0 0 inventas” (Ne 6.6). Paulo escrever “Tornando-nos recomendaveis em tudo. Por honra e por desonra, por infamia e por boa fama” 2 Co 4.4-8), Jesus aconsclhou aqueles que sofrerem acusaedes mentirosas aalegrarem-seea exultarem, € ando atentarem para o que se fala deles (Mt5.11,12), 5. O inimigo usa como arma a ASTUCIA. Os samaritanos convida- ram os judeus para juntos se congre- garem nas aldeias; porém intentavam fazer mal a Neemias, Insistiram na [Proposta, mas o convite foi repetidamente Tecusado por Neemias: “Estou fazendo uma grande obra, no poderei descer” (Ne 6.3). 6. O inimigo usa como arma as AMEACAS. Os inimigos dos judeus ameacaram guerrear contra eles, a fim de espalharem medo e panico entre o povo de Deus. Porém, diz Neemias: “Oramos a Deus © pusemos guardas contra cles!” (Ne 4,9), Os judeus nao alacaram os samaritanos, mas defenderam asua area de trabalho (Ne 4.13-20). 32, HI. QUAL O SEGREDO DA VITORIA DE NEEMIAS E DOS JUDEUS? 1. Os judeus venceram porque finham certeza de que estavam na vontade de Deus. Neemias disse aos Seusinimigos:"U Deus docéu 6 quenos fara prosperar” (Ne 2.20). Neemias sabia que 0 Senhor ohavia enviado para Jeru- salém, © que pelejava por cles. Esta certezanos guarda deprecipitagées, (Pv 29.20), ¢ de falarmos palavras impensadas (S1 106.33; Ee 7.9; Pv 25.11), Podemos assim governar 0 nosso espirito (Pv 16,32). 2, Os judeus venceram pela oracio, Neemias era homem de oragio. Com freqiiéncia 1é-se sobre como Necmias orava; “Ouve, énosso Dens; Lembra-te de mim para o bem; Lembra-te, meu Deus, de Tobias ¢ Sambalate” (Ne 4.4; 6.14; 13.29). Aquele que ora, coloca a sua dificuldade diante do Senhor que QUER e PODERESOLVE-LA! O mesmo Deus que nos exortou a orar, também promefcu nos responder as oracdes (16 22.27; $1 50.15; 46.1; Mt7.7,8,11). 3. Devemos também orar (1 Ts 5.17). “Orai sem cesar...” Jesus deixou- nos © mesmo ensino, Falou-nos da necessidade de perseverarmos na oragio, usando para isso uma pardbola (Le 18,1), Paulo exortou aos cfésios a perseverarem em “oragio ¢ siplica no Espirito” (Ef 6.18) ¢ aos colossenses cle escreveu: * Perseverai em oraciio” (Cl 4.2). Que é @ntio perseverangd em oraeio? a, E impedir que alguma coisa nos estorve a orar, encontrando-nos apenas na oragdo. Precisamos de uma espécie de autodisciplina, ou de controle sobre nds préprios, Marta nfo dispuaha de tempo para ficar aos pés de Jesus, porque estava ocupada (Le 10,38-42). Quando comegamos a orar, aparecem muitos obsidculos, mas devemosser vitoriosos. ‘Temos que ter vit6ria também em nossos pensamentos, porque o inimigo quer nos impedir de orar, fazendo-nos pensar em outras coisas. b. E persistir em orar, ainda que 0 Diabo procure tomar pesada ¢ dificil a orago. Daniel orou 21 dias, ¢ veio a tesposta! E, ento, ele soube que a resposta demorara, porque os espititos malignos tinham impedido a resposta (Dn 10.11- 14), Jesus mostrou a mesma verdade na Pardbola sobre a vitiva (Le 18.1-6). c. B orar até que venha a tesposta! Devemos orar “até que...” (Is 62.8; Le 24.49). Jesus oron trés vezes sobre a mesma coisa (Mt 26.44), é Paulo também ‘orou trés veres, até que Deus lhe responden (2 Co 1289). Elias orou 7 vezes, para que chovesse, echoveu (1 Rs 18.43-45). Eos discfpulos perseveraramem oracao até que 0 fogo cain (At 1.14; 2.1-4), 4. Buma prova de que o Espirito de fragio opera em nés (Ze 12.10; Rm 8.26; Ef 6.18; Jd 20). O Espirito Santo ora, em nés, enquanto trabalhamos: en= quanto nos ocupamos de nossas tarefas digrias, O Espirito Santo nfo se preocupa da posigo de nosso corpo, isto é, se esta ‘mos ajoelhados, deitados ou em pé. Isto € osegredo de estarmos sempre orando! Di liberdade ao Espirito - ¢ Ele levar- te-4 para esta gloriosa vida de oracio, Aleluia. A VITORIA E NOSSA, PELO SANGUE DE JESUS. Amém. (SD) QUESTIONARTO 1. Qual a procedéncia dos ataques contra aobra de Deus? 2. Como devemos enfrentar os ataques do Diabo? 3. Com que armas o inimigo nos ataca? 4. Como 0s judeus venceram a oposigio? 5. O que nos recomenda o apéstolo Paulo? 33 LIGAO 10 5 de setembro de 1993 PROVAI SE OS ESPIRITOS SAO DE DEUS TEXTO AUREQ “Amados, nao ereiais a todo o esptrito, mas proval se os esptritos sao de Deus; porque J multos falsos profetas se tém levantado no mundo” (1 fo 4.1), VERDADE PRATICA Através dos dons espirituais, a Igreja discerne os esptritos enganadores, LEITURA DIARIA Segunda - 1 Jo 4.1-6 Quinta - Bx 7.8-13 Nem todo esptrito é de Deus Os espiritos maus imitam a Deus Terca-1Co2.7-16 Sexta-1-Co 12.1-11 Devemos discernir os espiritos Os dons edificam a Igreja Quarta -2Ts2.1-17 Sébado - 1 Co 14.1-25 Os espiritos maus sdo enganadores 0 dom profético é itil 4 Igreja TEXTO BIBLICO BASICO Ne 6.10-14; 1 Ts 5.20,21; 1 Co 14.29 Ne 6.10 - E, entrando cu em casa de Sematas, filho de Delafas, o filho de Meetabel (que estava encerrado), disse ele: Vamos juntamente A casa de Deus, azomeio do templo,e fechemosasportas do templo, porque virdomatar-te; sim, de noite virgo matar-te, 11 - Porém eu disse: Um homem como eu fugiria? e quem ha, como eu, que entre no templo e viva? Demaneira nenhuma entrare 12-Econheci que eisque no eraDeusqueoenyiara; mas esta profecia falou contra mim, porquanto Tobias e Sambalite o subornaram. 13 - Para isto o subornaram, para me atemorizar, e para que eu assim fizesse, ¢ pecasse, para que tivessem alguma causa a fim de me infamarem, ¢ assim me vituperarem. 14-Lembra-te, meu Deus, de’ obras, e também da profetisa Noadias, e dos mais profetas que procu atemorizar bias e de Sambalate, conforme a estas suas am. desprezeis as profecias 21 - Examinai tudo. Retende 0 bem; 1 Co 14.29 - EF falem dois ou trés profetas, ¢ os outros julguem, COMENTARIO. INTRODUGAO ligdo a0 estudo de como 0 inimigo ataca por meio dos falsos profetas. (SB) Na ligio passada estudamos as diferentes formas de ataque que oinimigo I. CUIDADO COM OS FALSOS da obra de Deus usa para lutar contra os PROPETA‘ servos de Deus. Vamos dedicar esta 1. Os samaritanos observaram que 4 6s judens dayam muito valor & palavra dos profetas, Lembravam-se dos profetas Ageue Zacarias, os quais profetizavam. com tanta graga que a construcio do templo, que havia estado parada por quinze anos, recougou imediatamente, econtinuou até ainauguragdodacasade Deus, Por oeasifio da consirucao do muro, a comunicago entre judens & samaritanos estava interrompida. Os judeus recusavam as_propostas de cooperacao dos samaritanos ¢ nao accitavam as visitas deles. Em vista das constantes recusas das suas ofertas de amizade, os samaritanos procuraram entio influencid- los por meio de profecias, Tobias ¢ Sambalate conseguiram subomar alguns Profetas, entre eles a profetisa Noadias, a fim de atemorizat Neemias, dizendo que ele estava em perigo demorte, e de- veria fugit para dentro do templo, para assim salvara sua vida (Ne 6.10-14),0 exemplo deixado por Balaiio Provaque qualquer profeta que aceit MO, OU teeebe dinheiro para profetizar, é wn falso profeta, Devemos ter cuidado, a fim de ‘que os falsos profetas nto encontrem guarida em nossas igrejas, 2. Neemias tinha o dever de examinar a profecta recebida. E ele o fazial Em primeiro lugar, estranhou a ordem para fugir: "Um homem como eu fugiria?” Além disso, ele observou que ndo tinha o direito de entrar no templo, umd vez que nao era sacerdote, Compreenden facilmente que tudo nao assavade um aril de Tobias e Sambalate, ara atemorizé-lo e seduzi-lo a pecar. Assim, concluido o exame da profecia, Neemias péde dizer: “Conhect que no era de Deus” (Ne 6.12). I. A BIBLIA REVELA A EXISTEN- CIA DOS FALSOS PROFETAS 1. No Antigo Testamento: a. O trdgico exemplo relatado em 1 Rs 13. Um fervoroso homem de Deus, procedente de Judi, profetizou com muita Coragem advertindo o fmpio rei de Israel, que estava junto do altar queimando in” censo. Ele disse: “Altar, altar, assim diz oSenhor, Eis queum filho nascera i.ca- sade Davi, cujonome serd Josias,o qual sacrificara sobre ti os sacerdotes dos altos que queimam sobre ti incenso, € ossos de homens se queimardo sobre ti” (v.2).Edenumsinal deque aquela pala- vra era do Senhor: “Bis que o altar se fenderd ¢ a cinza se derramard” (1 Rs 13.3). ‘Ouvindo o rei aquela palavra, estendeu sua mio sobre o altar ordenando que prendessem ohomem de Deus, Todavia amo que ele estendeu contra o profeta secou-se, ¢ nfo a podia tomar a trazer a si. O allar'se fendeu, e a cinza se derramou, como 0 profeta havia dito. A pedido do tei, oprofeta orouaDeus ¢ amio lhe foi restituida sf. A ordem de Deus para o profeta era que nfo comesse pio © nem bebesse Agua naquele lugar, e que no voltasse pelo mesmo caminho (1 Rs 13.9). Havia, porém, naqucle lugar um velho profeta, cujo filho Ihe contou © que fizera 0 profeta vindo de Judd. O velho profets foi ao encontro do homem de Deus, ¢ convidou-o para comer po, Ante arecusa do homem de Deus, 0 velho profeta argumentou que um anjo The havia falado, ordenando que convidasse o profeta de Juda a voltar, para comer pio em sua casa (1 Rs 1311-15), O homem de Deuseno discemiu a mentira ¢ accitou o convite do velho pro- feta. E sucedeu que quando ele estava comendo pio, Deus tomouo velho profeta em profecia e disse: “Porquanto foste rebelde &ipalavra do Senhor, antes vollaste ecomesie pio, o teu cadaver nfio entrard no sopulero de teus pais” (1 Rs 13.2122) Depois de ter comido pio, voliou, eno caminho um lego 0 matou, deixando-o prostrado na estrada (1 Rs 13,23,24). O velho profeta o recolheu, ¢ sepultou-o no seu sepulcro, chorando ligrimas, certa- mente de fingimento (1 Rs 13.26-28). b.Nos dias de Jeremiashavia falsos profetas, os quais com suas profecias combatiam a palavra que Deus hayia enviado a Israel, por meio de Jeremias ir 29.21-23). ¢. Quando @ rei Josafé, de Juds, visitou orei Aeabe, de Israel, este tinha um grande ntimero de profetas que profelizavam segundo a vontade de Acabe, Entio o rei Josafa perguntou: "Nao ha aqui algun PROFETA DO SENHOR? Eo rei Acabe respondeu que havia 35 profeta Micafas, Os que foram busci-lo disseram-Ihe: “Todos 0s _profetas profetizam coisas boas aorei! Sejuatua palavra como as de um deles”, Entio disse Micafas: “O que o Senhor disser isto falarei”. Como Micaias profetizou, assim aconteceu; Acabe moreuna batalha (LRs 22.5-28,35-37). d. Ainda nos dias de Jeremias, falsos profetas conseguiram influenciar alguns dos sacerdotes ¢ enganar 0 povo, por meio deles (Ir 5.31), Dessa maneita, 0 povo desviava-se dos caminhos de Deus, © recusava-se a ouvir as verdadeiras profecias anunciadas por Jeremias. Moisés, Jeremias, e Ezequiel combateram tenazmente 0s falsos profetus € seus ensinos heréticos (Dr 13.1-18; 1820-225 1623.11.32; 28.6-17, 18), 2. No Novo Testament a. Jezabel, Jesus advertiu o anjo da igrejaem Tiatira, por este ter permitido que uma mulher, por nome Jezabel, falsaprofetisa, ensinassecenganassc os membros daquela igreja, prostituindo- os (Ap 2.20-23).. b.A Biblia adverte que nos iltimos tempos aparecerao falsos profetas (Mt 24.11,24). O espitito do Anticristo estara entio operando grandemente (1 Jo 2.18; 42,3), fard esses falsos profetas opera: rem sinais ¢ prodigios de mentira, com todo engano e injustiga (2 Ts 2.9,10). Ill. DEVEMOS JULGAR AS PRO- PECIAS 1. Deus quer asuaTgrejarevestida com todos os dons do Espirito Santo. A igreja de Corinto deve ser 0 nosso exemplo neste sentido: Paulo dirigiu-se a esta igreja dizendo que nenhum dom the faltava (1 Co 1.7), O conselho da Biblia para todos nés é: "Segui o amor, eprocurai com zelo os dons espirituais, ¢ principalmente o dom de profetizar® (Co 14.1). 2. O despertamento renova os dons. ‘Quando Deus renova o dom de profecia ¢ os dons de varicdade de linguas ¢ interpretaggo, por meio dum despertamento espiritual, entio se toma necessério que a igreja esieja bem doutrinada para saber como usarosdons espirituais, © também como se deve 36 julgar as profecias, conforme a Palavra de Deusnos orienta! (1'Ts5.19). Nenhue mamensagem tida como profética esta isenta de exame por parte da igreja, ‘Conforme 0 ensino do apéstolo Paulo, nareferéncia supracitada, temos 0 diseito co dever de julgar as profecias, pura ver se elas esto de acordo com as Escrituras. Se nio cstiverem sio consideradas andtema, pois tém o objetivo de conduzirem 0 povo de Deus ao erro. Fujamos das falsas profecias ¢ dos falsos profetas. IY.POR QUE DEVEMOS JULGAR AS PROPECIAS? 4. Porque a Palavra de Deus nos manda julgé-las (1 Ts 5.19-21; 1 Co 14,29), 2. Porque os que profetizam si sujeitosa falhas, Mesmo queamensagem venha de Deus, pode acontecer que 0 instrumento esteja sem o fruto do Espirito na sua Vida, ¢ a transmissto da mensagem scja patie: por esta causa (1 Co 13.1-3). 3. Porque pode haver conhecimento prévio dos fatos. Quando o que profetiza conhece os problemas da pessoa para quem esté profetizando, pode haver o perigo de que a sua opinido pessoal venha a influenciar o contetido da mensagem. A Biblia diz: “Que tem a palha com o igo?” (Ir 23.28). A mensagem pode ser um produto da opinigo daquele que profetiza, Temosna Biblia um exemplo, quando o profeta Nata entregou, por conta propria, uma “mensagem profética” ao rei Davi Sm 7.2), porém Deus mandau que ele corrigisse a palavra dada (2 Sm 7.4-6). 4. Bxiste a possibilidade de que 0 “profeta”, 20 enunciar a “mensagem profética®, esteja sendo influenciado por um espirito maligno, disseminador de mentiras, Lemos sobre istoem 1 Rs 22.7, 11,19, 21-23, Y. COMO DEVEMOS JULGAR AS PROPECIAS? 1, Examinando as Escrituras, Uma profecia jamais pode estar em conflito com a Palavra de Deus. A Palevra de DeuséoPRUMO (Am7.7,8).A Palavra de Deus é perfeita (SI 19.7), Uma mensigem que estiver em desacordo coma Palavra de Deus, seja ela transmitida por quem for, até por um anjo do céu, est reprovada e deve serrejeitada, pois 6 andtema (G1 1.8). 2. Através do dom de discernimento de espiritos, A Biblia diz. que “O que é spiritual disceme bem tudo”, Devemos buscar, incansavelmente, zeceber de Deus este dom (1 Co 2.15; Jo 7.17; Fp 1.10; Le 12.57). Quando uma profecia é inspirada porDeus, aqucleque tem discernimento logo areconhece (1 Jo1.5). Todoaquele que “anda na luz, como Ele na luz esta” conhece ¢ pratica a Sua Palavra, e tem comunhaouns com os outros (1 Jo 1.7), Desse modo, espitito de mentira niioo engana com suas falsas profecias. O crente, que é uma ovelha do Senhor, conhece sempre a voz do seu pastor (Jo 10.4). A noiva conhece a vox do seu amado (Ct 2.8, 5,2), 3. A profecia se conhece pelo seu “sabor” (J6 66,7: 12.11), Também 0 “sotaque” de quem fala, fiz com que "o filho da terrw” conhega quando “estrangeiro” fala, Compare 'sibolet™ hibolet” (Iz, 12.6), Finalmente, 08 que sto perfeitos tém, em razito de costume, os sentidos exercitados para discernir tanto o bem como 0 mal (Hb 5.14). VI. CONCLUSAO 1. Quarido as profectas sio pro- vadas, 0 conceitoe a consideragio dos dons espirituais sio conservados, Deste modo, a si douirina é preservada de qualquer influéneia ¢ erros humanos, ¢ © Espirito Santo tem liberdade de usar 0s scus servos, conforme a sua soberuna vontade, 2. Quando provamosas profecias, estamos em condicoes de corrigir ¢ doutrinar a pessoa que usou errada- mente o dom de profecias, Assim, doutra ver, cle dard lugar ao Espirito Santo.e ira usar o dom profético de modo correto. 3. Quando provamos as profecias recebemos as béncaos que Deus, por meiodelas, quernosdar.Ficamoscom © bom ¢ rejeitamos o que nio veio de Deus (1 Ts 5.21). (SB) QUESTIONARIO 1. O que os samaritanos observavam ‘nos judeus? 2. Qual o dever de Neemias? 3,0 que acontece aos dons do Espirito Santo quando hd despertamento spiritual? 4, Qual o primeiro passo que devemos dar ao julgar uma profecia? 5. Por que o dom de discemir os espititos € importante? 37 LIGAO 14 12 de setembro de 1993 ESDRAS VAI A JERUSALEM ENSINAR A PALAVRA TEXTO AUREO “E provaram a bou palavra de Deus” (Hb 65a), VERDADE PRATICA A Palavra de Deus é semethante a uma afiada espada; é poderosa e penetrante. LEITURA DIARIA Segunda ~2 Pe 1.16-21 Quinta - $1 119.97-104 A Palavra de Deus é inspirada A Palavra de Deus deve ser lembrada Terca-1 Rs 854-6] Sexta -2 Co 9.9-15 A Palavra é digna de confianca A Palavra deve ser semeada Quarta -Nm 23 18-23 Sabado - Ef 6.17 Deus confirma a sua Palavra A Palavraé a base da nossa vitéria TEXTO BIBLICO BASICO Ed 8.1-12 Ed 8.1 - Estes, pois, siio os chefes de seus pais, com as suas genealogias, os que subiram comigo de Babildnia no reinado do rel Artaxerxe 2 Dostilhos de Fingias, Gerson; dos filhos de Itamar, Daniel; dos filhos de Davi, Hatus; 3 Dos filhos de Secantas, ¢ dos filhos de Pards, Zacarias, e com ele por genealogias se contaram até cento e cingienta homens; 4- Dosfilhos de Paate-Moabe, Elioenai, filho de Zerafas, e com ele duzentos homens; : 5 - Dos filhos de Secanias, o filho de Jaaziel, ¢ com ele trezentos homens; 6 - E dos filhos de Adim, Ebede, filho de JOnatas, e com ele cingiienta iS, ¢ com ele setenta homens; 7-& dos filhos de Elao, Je i filho de Micael, e com ele oitenta 8 - E dos filhos d tias, Zebad homens; 9-Dos homens; 10 - E dos filhos de Selomite, o filho de Josifias, e com ele cento e sessenta homens: filhos de Joabe, Obudias filho de Jeiel, e com ele duzentos ¢ dezoito 11 - F dos filhos de Bebai, Zacarias, o filho de Bebal, e com ele vinte e oito homens: 12-F dos filhos de Azgade, Joana, o Filho de Hacati, e com ele cento e dez homens; COMENTARIO INTRODUGAO comoo governo da Pérsia enviou Esdras a Jerusalém, a fim de verificar sea vida OgrandevalordoensinodaPalavra _eclesidsticados judeus estavaconforme de Deus 0 assunto desta ligso. Veremos a lei de Deus. (8T) 38 I, ARTAXERXES ENVIA ESDRAS A JERUSALEM LO judeus sob 0 dominio dos persis. Quando o reno da Persia deroton abilGnia, os judeus que viviam naquele lugar passaram automaticamente a0 dominio do govemo persa. Os judeus puderam logo constatar que os persas ram mais brandos do que os babilGnicos. 2. Esdras é enviado a Jerusalém, para ensinar aleide Deus. Noseucon- tacto com Esdras, escriba e sacerdote, 0 rei ficou impressionado com 0 elevado grau de conhecimento que Esdras possufa da lei do Deus de Tsracl, e quis, junto com seus sete conselheitos, envid-to a Jerusalém a fim de inguirir acerca da situagao espiritual dosresidentes ali (Ed 7,14), % 3. A importante carta que o rei envio com Esdras. O rei enviou com Esdras uma carta escrita em aramaico, gue esi egsida em Bd 7. 12-26, través lesta carta 0 rei decretous 4) Qualquer jude, que assim de= sejasse, poderia acompanhar Esdras a Jerusalém (Ed 7.12), b) Os que fossem a Jerusalém po- deriam levar consigo ouro © prata, voluntariamente dados pelo rei e sens conselheiros, ou dados como ofertas voluntirias do povo (Ed 7.15). ©) Os vasos sagrados, que ainda estavam na Babil6nia, seriam restituidos (£47.19), 4) Qualquer despesa seria paga pelo tesouro do rei. ) Nao seriam impostos aos servidores dotemplo: direitos, tributos, rendas (Ed 7.24). £) Esdras poderia nomear regedores © juizes, para que a vida eclesidstica viesse a funcionar conforme a lei de Deus (Ed 7.25), Esdras Jouvou a Deus que tinha inspirado 0 tei a fazer tudo isto, estendendo-lheabeneficénciaperanteo rei (Ed 7.27,28). (SH) II. ESDRAS ENSINA A PALAVRA ‘AO POVO L. Esdras sai da Babllonia e vai para Jerusalém, Conforme a ordem do rei Artaxerxes, Esdras viajou para Jerus salém acompanhado de um grupo de Judeus, alguns eminentes Iideres do povo (Ed 8.2), Recusando a escolta militar persa, oferecida pelo rei, para garantir- shes a seguranea durante a viagem, Esdras escus companheiros preferiram confiar nasepuranea de Deus. Assim senda, je- juaram e oraram para que tivessem uma boa viagem (Ed 8.21), ¢ Deus os ouviu 05 guardou durante todo o trajeto. As- simchegaram empaza Jerusalém, onde ofereceram holocaustos a Deus (Ed'8.35). 2, O encontro de Esdras com Neemias, Quando Esdras chegou a Jerusalém encontrou Neemias, 0 qual vinha sendoo liderespiritual dos judeus em Juda, Posto a par da situagio, Neemias uniu-se a Esdras na tarefe para a qual este havia sido enviado, 3. Esdras ensina a Palavra ao poy ‘Na festa dos taberndculos, no dia primeiro do més sétimo houve santa convocagi0 (Lv 23.34,35), O povo se ajuntou como um sé homem diante da porta das éguas (Ne 8.1), © Esdras trouxe o livro da lei. A lei de Deus foi lida ao povo desde a alva até a0 meio-dia, Havia sido construido um piilpito de madeira para aquele fim, € cm pé, ao lado de Esdras, havia um grupo de 13 auxiliares (Ne 8.4), Ainda Cooperava um grupo de levitas, ¢ 0 objetivo era fazer todo o povo entender ‘que estava sendo lidd no livro da lei de Deus (Ne 8.8). 4. O ensino fol marayilhoso. O povo ao ouvir a leitura comegou a chorar a lamentar-se. Neemias ¢ Esdras tiveram que intervir, exortando-os a que se alegrassem no Senhor, porque aalegria do Senhor é nossa forga (Ne 8.10). © povo entio foi comer, beber ¢ festejar, porque todos entenderam as palavras que Ihes fizeram saber (Ne 8.12), 5. A festa dos taberniiculos, Esta festa lembrava ao pove que Deus fez 0 povo habitar em cabanas quando os fez sair do Egito (Lv 23.30-43), Esta ‘comemoragéo ordenada por Deus tem um significado simbélico. Nos também devemos nos lembrar do dia em que Jesus nos salvou, tirandonos do Egito de pecado. “Lembrai-vos de que noutro tempo éreis gentios... mas agora em Cristo Jesus, vos que antes estaveis longe, Jpelo sangue de Cristo chegastes perio! (Ef 211-13), Em Hb 10.32 diz: “Lembrai- vos dos dias passados,,.”. 39 | IH. A PALAYRA DE DEUS DEVE SER ENSINADA 1. Deusordenou queasuapalayra fosse ensinada a todo 0 poyo de sete em sete anos (Di 31.9-12). Além da leitura da Lei de Moisés que se fazia a cada sdbado (At15.21),0s Escritos e os Profetas deveriam ser i 9 povo, em convoe sete anos.. 2. Jesus ordenow o ensino da sua palayra. Na GRANDE COMISSAO Jesus ordenou que seus discipulos ensinassem a todas as nagées a guardar tudo o que Ihes tinha mandado (Mt 28.19,20), 3. O apéstolo Paulo conhecia a importincia do ensino da Palayra. Vejamos: “Conjuro-te pois diante de Deus ¢ do Senhor Jesus Cristo... que pregues a palavra...” 2 Tin 4.1,2). "O que de mim, entre muitas testemunhas, Ouviste, confia-o a homens fitis, que sejam id6neos para também ensinarem os outros (2 Tm 2.2). “Seéensinar, haja dedicago ao ensino (Rm 12.7). IY. RESULTADOS DO ENSINO DA PALAVRA DE DEUS 1. Oensinoda Palavra gera temor de Deus: a) Deus falou: “Ajunta-me o povoe 08 farei ouvir a minha palavra, para que me temam todos os dias que na terra viverem” (Dt 4.10). “Guarda os mandamentos do Senhor para o temer” Or8.6), b) Pelo temor de Deus o crente se saparta do mal (Pv 3.7), ¢ se desvia do mal (Pv 16.6), ¢ aborrece oman caminho v8.13). c) Como resultado do ensino da Tei nos dias de Esdras, o povo confessou os seus pecados, apartou-se de deuses estranhos, adorou 0 Senhor seu Deus, e com Ele fez firme concerto (Ne 9.1- 3.38), 4 Palavra de Deus €0 PODER de Deus (Rm 1.16). 2. 0 ensino da Palavra implanta normas espirituais nos crentes. Essas normas dio forma ’s manifesiagdes da Nova Vida naquele que se converte, naguele que pela operago do Espirito de Deus passa a andar nos estatutos de Deus (Ez 36.27). Vejamos algumas destas manifestagdes da nova vida: 40 @) O crente 6 honesto a toda prova (Rm 12.17; 208.21; Fp 4.8; 1 Pe 1.12; Hb 13.18). b) © crente jamais mente (Is 63.8; Ef 4.25; 1 Jo 2.28), O crente tem sempre emunho de sua consciéneia, no Espirito Santo, de quenio mentiu (Rm 9:1). Jesus disse: “Seja o vosso falar sim, simn eno, ndo, porque o que passa disto ¢ de procedéncia maligna” (Mt 5:37). c) O crente jamais se apodera de alguma coisaquenio seja dele. ““Aquele gue furtava nto furte mais” (Ef 4.28). aqueu depois de salvo queria restituir aquilo que havia defraudado (Le 19.8). d) Ocrente vive umavida moral que Gexemplo de pureza, “A prostituigao e toda a impureza nem ainda se nomeie entre vés” (Ef 5.3). €) O crenie jamais dé falso testemunho de alguém (Ex 20.16; Pv 10.18; Tg 4.11). 3, O ensino da Palavra dé conhecimento. A igreja de Corinto foi enriquecida porque, pelo ensino da Palavra de Deus, havia recebido conhecimento (1 Co 1.5). Consideremos: 4) O conhecimento consolida a forea (Pv 24.3), porque pelo conhecimento podemos saber 0 que nos é dado gratuita- mente por Deus (1 Co2.12),Peloconhe- cimento da verdade podemos alcangar plena libertagio (Jo 8.32). Pelo conheci- mento podemos saber a vonude de Deus que quer que todos os homens se salvem €venham ao conhecimento da verdade (m2), b) Pelo conhecimento podemos saber ‘como podemos agradar a Deus (2 Co 5.9). Agradar a Deus nfo 6 resultado da nossa propria forca, mas o proprio Deus nos da graga para agradé-lo. QUESTIONARIO 1. Porque Esdras foi enviado a Jenusalém? 2, Em que lingua estava escrita a carta que 0 rei persa enviou com Esdras? 3, Quando Esdras comecou a ensinar a Palavra de Deus? 4, Que importante lider judaico ajudou Esdras nesta importante tarcfa? 5. De acordlo com a licfo, qual o primeira resultado gerado pelo ensino da Palavra de Deus. LIGAO 12 19 de setembro de 1993 ESDRAS E NEEMIAS COMBATEM O CASAMENTO MISTO TEXTO AUREO “Néo vos prendais a wn jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justica com a injustica? E que comunhio tem a luz com as trevas?” (2 Co 6.14). VERDADE PRATICA 0 lar foi instituldo por Deus para ser uma béngdo, desde que seja observada a orientagdo divina na sua formagao. LEITURA DIARIA Segunda - Gn 2.18-24 Quinta - Gn 2438-67 © casamento, uma instituicao divina Um casamento aprovado por Deus Terga - Ex 34.10-16; Dt 7.3 Sexta -C13.19; Tt 2.4 Deus reprova o casamento misto _Q. amor, a,base do casamento Quarta - Jz 14,1-16 Sdbado - Ex 12.12-23 A tragédia de um casamento misto A protegdo do lar TEXTO BIBLICO BASICO Ed 9.1-4; Ne 13.23-26; 9.38; 10.1,29,30 Ed 9.1 - Acibadas, pols, estas coisas, chegaram-se a mim os principes dizendo: O poyo de Israel, ¢ os sacerdotes, ¢ os levitas, nai se tém separado dos s ter) guindo as abominacées dos cananeus, dos heteus, dos buseus, dos amonitas, dos moabitas, dos egipcios, e dos amonitas, € dos amorreus; 2 - Porque tomaram das suas filhas para si e para seus filhos, e assim se misturou a semente santa com os povos destas terras; ¢ até a mio dos principes € magistrados foi a primeira nesta transgressio, 3, E, ouvindo eu tal coisa, rasguel o meu vestidoe omeu manto, earranguel 6s cabelos da minha cabeca e da minha barba, e me assentel atonito. 4 - Entio se ajuntaram a mim todos os que tremiam das palavras do Deus de Israel por causa da transgressao dos do cativeiro; porém eu me fiquel assentado atonito até ao sacrificio da tarde. Ne 13.23 - Vi também naqueles dias Judeus que tinham casado com mulheres asdoditas, amonitas, e moabitas; 24 [seus filhos falavam meio asdoditas, e no podiam falar judaico, senio segundo a lingua de cada povo, 25 - E contendi com eles, ¢ os amaldicoel, e espanquel alguns deles, e lhes ~arranquei os cabelos, os fiz Jurar por Deus, dizendo: Nao dareis mais vossas filhas a seus filhos, e nao tomareis mais suas filhas, nem para vossos filhos nem para vos mesmos. 26 - Porventura nao pecou nisto Salomio, rel de Israel, nao havendo entre muitas gentes rei semelhante a ele, e sendo amado de seu Deus, e pondo-o Deus rel sobre todo o Israel? E contudo as mulheres estranhas o fizeram pecar. 9.38-E com tudo isto fizemos um firme concerto, eo escrevemos; e selaram- No Os nossos principes, os nossos levitas e os nossos sacerdotes, 41 10.1 - E os que selaram foram Neemias, o governador, fillio de Hacalias, ¢ Zedequias, 29 - Firmemente aderiram a seus irmdos os mais nobres de entre eles, e convieram num anétemae num juramento, de que andariam na leide Deus, que foi dada pelo ministério de Moisés, servo de Deus, e de que guardariam e cumpririam todos os mandamentas do Senhor, nosso Senhor; e os seus fuizos € 05 seus estatutos; 30-E que ndo dariamosas nossasfilhas.20s poyosda terra, nem tomariamos as filhas deles para os nossos filhos. COMENTARIO INTRODUGAO Nesta ligdo iremos estudar 0 grave problema do casamento entre judeus ¢ mulheres pags. Veremos a enérgica agio de Esdras e de Neemias para solucionar este problema, ¢ também que a Palavra de Deus diz sobre o assunto, Na lei de Deus, aparece a ordem: “Nao facas concerto com os moradores da terra, nem tomes das suas filhas para 08 teus filhos... (Ex 34.11-16; Dt7.3,4). Foi,por este motivo que o sacerdote Esdras, conforme a leitura da nossa igo, ficou perplexo, quando tomou conhecimento de que 0 povo, depois de haver voltado do exilio, tomava mulheres dos povos gentilicos em redor, misturando a semente santa, O povo comecou a seguir as ebominacdes dos povos. Ele, entao, chorou, rasgou os seus vestidos, e buscou com profunda dor a ajuda de Deus, reconhecendo que eles com isto haviam deixado os mandamentos, vio- lando-os, aparentando-se com 0s povos destas abominagées (Ed 9.1-14). O resultado deste movimento foi uma purificacdo e tomada de atitude firme em obedigncia 4 Palavra de Dens (Ed 10.1-13). (SB e SH) I. ESDRAS E NEEMIAS COM- BATEM O PERIGO DO CASA- MENTO MISTO 1. A ira e a reagio de Esdras. Quando Esdras foi informado que muitos judeus, morando em jud4, haviam se ‘casado com mulheres pagas, cle ficou muito angustiado, Manifestando sua profunda tristeza, rasgou seu vestido, sua capa, e arrancouos cabelos, tanto de ssa barba como de sua cabeca, ¢ assentou- se atOnito na praca. A noticia da reacio de Esdras espalhou-se pela cidade, ¢ 42 muitos se reuniram-se aele. Na hora do sacrificio da tarde Esdras dobrou seus joelhos diante do povo, ¢ orou a Deus (Ed 9.6-15). E todo povo chorow com grande choro (Ed 10.1). 2, Oefeitodaatitudede Esdras fol imediato, Secanias, um judeu bem conhecide, ¢ que se havia casado com uma mulher éstranha, disse a Esdras diante de todo © povo: “Nés temos transgredido contra 0 nosso Deus, casamos com mulheres estranhas. No tocante a isso ainda hé esperana, Fagamos concerto com Deus de que despediremos todas as mulheres e 0 que € nascido delas” (Ed 10,3). Disseram a Esdras: “Levanta-te, porque a ti pertence este negécio. Nos cstamos contigo! Esforga- te” (Ed'4.10). 3. © arrependimento do povo. Esdras levantou-se e ajuramentou a todos que fariam conforme as palavras de Se- canias, Eo povo jurou! (Ed 10.5). Todos 5 que haviam retomado do cativeiro foram convocados, ¢ Esdras falou-lhes: “V6s tendes transgredido, © casastes com mulheres estranhas,..fazei confissio 40 Senhor...apartai-vos das mulheres esiranhas”, Eresponderam todos: “Assim seja. Conforme as tuas palavras nos convém fazer” (Ed 10,10-12). Sobre este negécio foram postos JGnatas € Juzeias, auxiliados por dois levitas. Eles receberam a incumbéncia de supervisionar 0 encerramento defi- nitivo destas unides proibidas pelaleide Deus (Ed 10.15,16). ‘Antes mesmo da chegada de Esdras a Jerusalém, Neemias jf havia enfrentado oproblema docasamentomisto, Varios judeus, inclusive alguns sacerdotes, hhaviam se casario com mulheres estranhas, Neemias os fez.jurar que nfo mais fariam isto (Ne 13,25), Neemias afastou de entre 0s sacerdotes de entre os levitas aqueles que eram estranhos, econtratow novos sacerdotes e levitas para preencherem os curgos vagos, Um dos netos do sumo sacerdote Eliasibe era genro de Sambalate, ¢ foi afastado por Neemias (Ne 13.25-30), IL POR QUE UM JUDEU NAO DEVIA CASAR COM UMA PAGA? 1. Deus hayla proibido o casamento misto (Dt7.2-4; Ex 34.16; Js23,12,13), A desobediéncia a esta ordem de Deus era'um ato de rebeliio. A finalidade desta proibiggo era evitar que o judeu viesse a seguir areligitio de sua mulher paga. 2. A historia de Israel registra varios exemplos das conseqiiéncias nefastas do casamento misto. Vejamos: a. Salomdo, filho de Davi, rei de Israel, o que construiu o grande templo em Jerusilém,contaminou-se por causa dos casamentos com mulheres pagiis, Elas perverteran seu coragiio,¢ ele passou ‘seguir os seus deuses estranhos (1 Rs. 111-9), Como conseqiiéneia do seu pecado, no reino de set filho Reoboio as deg tribor do Norte separaram:se, © constitufram-se em um reino. inde- Borsdente sob alideranga de Jeroboz (1 Rs 12.16-19), b.Acabe, rei de Israel, casou-secom Jezabel, princesa siddnia (1 Rs 16.31). Jezabel fortaleccu o culto a Baal em Israel, e perseguin os profetas de Deus (Rs 18.4), Il A SOBREVIVENCIA DO POVO JUDEU Existem judeus até s dias de hoje, porque, embora espalhados por quase todos os paises do mundo (Le 21.24), nfo se misturaram com os povos, 10 meio dos qusis passaram a viver, conservando-se sempre separados. Este Eo resultado daobediéncia & orientagio dada na lei divina, que inspirou ouiras leis que regem os judeus om todo o mundo, as quais proibem que uma pessoa judia se case com uma niio judia. A preservagio do povo judeu é considerado um milagre, quando se avaliam as tremendas perseguigdes que sofreram durante séculos em muitos paises, como por exemplo Espanha, *olénia, Inglaterra, e mais recentemente, por ocasizio da Segunda Guerra Mundial, © nazismo na Alemanha, IV. UMA PALAVRA FINAL SOBRE © CASAMENTO DOS CRENTES A maior io que Deus deu & humanidade foi o envio de Jesus Cristo para ser 0 Salvador do mundo. Mas no sentido material, a maior béngio que Deus dé ao ser humano € 0 casamento, A orientagio que a Biblia dé ao crente quanto ao casamento & “Esta livre para casar, contanto que seja no Senhor! (1 Co 7.39). A Biblia explica jem 2 Co 6.14-17 as implicagoes da expresstio NO SENHOR, e cada crente que estiver pensando em casar-se deve meditar profundamente sobre este texto. Que Deus guarde cada crente de algum dia aceitar um jugo desigual com um infiel, Porque assim como o casamento na diregiio do Senhor encerra a pos- sibilidade de uma felicidade sem limites, © casimento de um crente com um deserente com muita probabilidade sera uma infelicidade, Casamento é uma uniifo total entre homem ¢ mulher. Jesus disse: “Niio sio mais dois, mas uma s6 carne” (Mt 19.6). Isto fala de uma perfeita uniao entre os cOnjuges, envolvendo o corpo, a alma e © espirito de ambos. Casando-se o crente com um que nao é crente, pode natural- mente obler unio de corpo e em parte de alma, mas é impossivel que haja unio de espirito,pois enquanto um pertence ao reino de Deus o outro do Teino das trevas (2. Co 6.14). Que diferenca tremenda, que abre uma brecha muito tristena unido, Ainda queo crente tenha pedido perdio a Jesus por esta falta cometida, vive agora preso a um outro com quem néo tem nenhuma unigo no espirito. E impossivel calcular o sofrimento que uma unifio desta natureza tem eausado, Também a parte nfo crente, nfo respeita a parte crente, pois sabe que ele errou contra a Biblia, amando mais 0 casamento do que a Deus, Em lugar de ter-se estabelecido um lar cristio, uma plataforma do evangelho, 43 aumentando, assim, @ influ¢neia espi- ritual da Ipreja, houve um triste recuo, Um soldadode Cristopassouparao lado oposto. Em Inger de um lar cristio, com uma viva influéncia sobre os filhos (2 ‘Tm 14,5; At7.20,21), forma-se um lar sem definigto espiritual. Os filhos esto desprovidos de ajuda espiritual (Ne 13.23,24) V. ESPERA EM DEUS Findamos este estudo sobre 0 casamento misto, onde a Palavra de Deus é muito clara neste apelo: “Espera emDeus” ($127.14; 37.7). Jovem! O teu desejo de ter um lar, ¢ experimentar a riqueza do amor dum companheiro ou deumacompanheira é natural. Lembra- te que Deus ouve a orieio. Quando Eliezer orou, pedindo que Dens mostrasse quem seria a noiva de Isaque, rece- eu uma gloriosa resposta (Gn 24. 12- 21), Gléria a Deus! Uma escolha preci- pilada, olhando somente para o que esi4 diante de seus olhos (1 Sm 16.7), pode impedir que recebas aquele ou aquela que Deus tem preparado para ti. Entrega pois a tua vida e 0 teu futuro a “Deus, que faz que o solitério viva em familia” (S1 68.6). Deus, que trouxe a companheira para Ado (Gn 2,22), podera i isto por ti, Espera pois.no Senhor! QUESTIONARIO 1. No tocante aos casamentos mistos, qual era arecomendagiio do Senhor 4 Israel? 2, Qual foi a reagiio de Esdras ao tomar ‘onhecimento de que os judens haviam. se unido as mulherés pagis em casamento? 3, Que famoso rei de Israel comprometeu Sua vida espiritual em conseqtiéncia de casamentos mistos? 4, No tocante a0 casamento, 0 que recomenda a Biblia para 0 crente? 5, Por que os casamentos mistos eram. perigosos para o povo judeu? LICAO 13 26 de setenibiy de 1993 A VIGILANCIA CONSERVA PURA A IGREJA TEXTO AUREO “Bas .coisas que vos digo digo-as a todos: Vigiai” (Mc 13.37) VERDADE PRATICA Através da vigiléncia, a Igreja se manterd pura e ndo se afastard do modelo tracado por Cristo, rejeitando assim as inovagbes ¢ 0 mundanisino dos nossos dias. LerturA BAARIA Segunda- Ef-4.1-16 Quinta - Ff 2,19-22 O padrao divino para a Igreja A lgrejaé a familia de Deus Terca~ Me 16.17-20; At 19.11 Sexta = Ef 1-17-23; 5.23 Numa igreja pura Deus opera maravithas Cristo, a eabeca da Jere Quarta ~ 1 Tim 3.14-16 Sabado - $190.17; At 9.31 A Igreja é coluna da verdad, Deus confirma o trabalho da Igreja TEXTO BIBLICO BASICO ” Mt 25.1-13 Mi25.1- Entiioo relno dos céus sera semethante a dex virgens que, tomando 48 suas Idmpadas, sairam a0 encontro do esposo. 2-1 cinco delas eram prudentes, e cinco loucas. 32,48 loucas, tomando as suas Kimpadas, nfo levaram azcite eonsigo. ¢-Masas prudentes levaram azeite em suas vasilhas, com assuaslimpndas, ©; tardando 0 esposo, tosquenejaram todas, e adormeceram, 6 « Mas & meia-noite ouviu-se um clamor: At vem o esposo, saf-the ao encontro! 4; Entfo todas aquelus se levantaram, e prepararam as suas limpadas, § Eas loucas disseram As prudentes: Dai-nos do vosso azeite, porque i Nossas lampadas se apagam. 9- Mas as prudentes responderam, dizendo: Na NOs € a 6s, ide antes aos que o vendem, e compr: seja caso que nos falle a para Vos. 10 = E, tendo elas ido compri-lo, chegou o esposo, ¢ as que estavill Preparadas entraram com ele para as bodas, e fechou- 11 - Edepois chegaram também as outra abre-no: porta, virgens, dizendo: Senhior, Senhion, ele, respondendo, d Em verdade vos digo que vos nao conhieg), igiai pois, porquens sabeiso dia nem ahora em que oPilhodo homel COMENTARIO v7 INTRODUGAO. quer nos despertar dizendo que 0 (en) Chegamos A iiliima ligio deste se abrevia (1 Co 7,29), Meili trimestre. Mais urna ver o Espirito Sanio na parabola de Jesus, elu ey a“ 25.1-11, onde encontramos 10 virgens gue ouviram o clamor da meia-noite (v.6) mas apenas cinco delas estavam preparadas para ele, (SB) Deusnos abra 0s corages para compreendermos a Sua Palavra, pois temos a necessidade de estar devidamente preparados! Amém. I. MEIA-NOITE: O DIA QUE JA PASSOU A meia-noite (exatamente as 24:00 horas), 0 dia terminou definitivamente. Tudo 6 que nele aconteceu pertence 20 passado, a0 dia de ontem. Este € 0 sentido da expresso i “meia-noite”. Elanos fala de um dia, de um periodo de tempo que terminou. Do ponto de vista biblico, o periodo de tempo (“o dia”) que est4 para terminar é a dispensagao da Igreja (Rm 11.25; Le 21.24), eno smomento em que Jesus arrebatar a Sua Igreja fiel, este periodo haverd terminado definitivamente. Vivemos, portanto, os iiltimos momentos da Igreja aqui na terra, ‘A Biblia diz. que somos o sustentéculo da verdade (1 Tm 3.15). Que grande é a nossa responsabilidade! Por isso Jesus mandouque trabalemos enquanto édia (o9.4), poisa NOITE hide vir, centio nfo sera possivel fazer mais nadal IL MEIA-NOITE: IN{CIO DE UM NOVO DIA Este fato diz respeito a0 mundo inteiro. Aproxima-se 0 momento exato a meia-noite, quando um novo dia vai raiar, Que dia sera esse? O.atalaia respond: - “Vem a manh@ e vem também a noite” (Is 21.1112). 1. A manh comecard. Um novo dia, o dia da etemidade, cujo inicio s dar quando Jesus chamar para Si aqueles que Javaram suas vestiduras em Seu precioso sangue. Esse € 0 dia de Jesus Cristo (1 Co 1.8; 2 Co 1.14; Fp 1.6,10; 2.16). Naquele momento, melhor do que nunea, Jesus verd 0 fruto do seu trabalho ¢ de seu sofrimento (Is 53.11). Qs que sao do Senhor ressuscilario ¢ serio transformados os vivos (1 Co 15. Jesus levard asua Noiva paraasaladas bodas, onde a Igreja e 0 Cordeiro se unirdo para todo o sempre (2 Co 11.2; Ap 19.9; 21.9). Desde ja oremos ¢ 46 digamos: “Amém. Ora vem, Senhor Jesus” (Ap 22.20), 2, Anoite vem. Quando Jesus levar aNoiva, comegard também o “dia daira do Cordeiro”, paraomundo querejeitou a Jesus (Ap 6.16.17). O grande lagar da ira de Deus sera pisado sem misericdrdia (Ap 14.9; 15.7; 16.19; 19.15). As trevas dominario a terra (Is 8.21,22). Para os homens quenfohouverem dado crédito as palavras de Deus comegard o dia da vinganga, a ira de Deus sera executada repentinamente, assim como foi nos dias de Noé (Gn 7.11,12; Mt 24.39). I MEIA-NOITE, A HORA DE TRE- VAS | Para opovo de Deus, familiarizado comas Escrituras,nada parece estranho nem admirdvel,quando vemos trevas, angiistias e dificuldades, pois sabernos pela Biblia que estas coisas anunciam a vinda iminente de Jesus. O “lugar escuro” em que vivemos (2 Pe 1.18), parece iluminadopelas promessas gloriosas da Palavra de Deus. As nossas almas se consolam conias profecias, pois quanto mais escura a noite, mais perto estamos da vinda de Jesus. 1. A natureza sente as trevas. Quan- do Jesus morreu, o Sol deixou de brilhar, e houve trevas na terra (Mt 27.45). Hoje, toda a natureza geme, pelas coisas que hao de sobrevir & terra (Rm 8.22,23). Por isso hf terremotos, peste, fome, catésirofes de toda a ordem: A Biblia ja previu tudo isto (Le 21,11,25). 2. Os homens sentem as trevas. A Biblia fala de tempos dificcis, quando o homem, em particular, sera stormentado por tentagdes de toda espécie (1'Tm4.1; 2Tm 3.1-4), As perseguigdes &lgreja, o dio aos crentes ¢ a corrupgio moral, provamn que jf anoiteceu h muito tempo (Le 17.28; 21,12,16,17). 3. As nucOes esto em trevas, Ha guerras e rumores de guemras (Lo 21.95 M1 24.6), Operigode guerrasnucleares, Diol6gicas e quimicas constituem uma sombra ameagadora, que paira sobre todo o mundo (Le 21.25,26). O mundo }4se preparou para maior catistrofe de todos os tempos, a Grande Tribulagio (Mt 24.21), nfo ha lugar para recuo. As trevas da meit-noite jé chegaram. IV. MEIA-NOITE: A VINDA DO NOIVO! Durante milGnios, os salvos cantaram © falaram da segunda vinda de Jesus. Muitos crentes, que esperavam aquele grande dia, dommiram no Senhor, guardando a f6; € os que hoje vive, esperam ansiosos a segunda vinda de Jesus! Mas, a partir da “meia-noite”, ninguém mais diré que “Jesus vird”, Pelo contrério: & meia-noite ouvir-se-4 © clamor de jitbilo incontido que enchera aterracocéu: sera aNoiva exelamando: “CHEGOU 0 NOIVO"!! Em Mateus 25.10 esta escrito: “Chegou o esposo”, Naquele glorioso momento, o poder do Espirito Santo operard milagres (Rm 8.11; Fp3.21),poisos que morreram em. Cristggessuscitardo com compos gloriosos, € os que estiverem vivos serio transformados, © todos juntos serio arrebatados ao encontro com 0 Senhor nos ares (1 Ts 4.11-18; 1 Co 15.51-54), Seremos arrebatados a0 céu, para nio Sofrermos a dor e a desgraga que atingiré ‘omundo todo, Iremos entrar nas moradas que Jesus foi nos preparar, ¢ para as quais fomos comprados com o Seu precioso sangue (Ap 7.14), V. O CLAMOR DA MEIA-NOITR, UM BRADO DE ALERTA “Mas A melanoite ouviwse um clamor: Af vem o esposo"! (M1 25,6), E este 0 clamor que ouvimos em nossos dias. Meu irmilo, voce est ouvindo ja este clamor? Esté escutando como 'o Espirito Santo diz a0 mundo ¢ aos salvos que Jesus vem breve? Esté atento aos Sinais dos tempos? Est4 atento ao ‘cumprimento das profecias? (Le 21.28.29; 1 Pe 1.19). Quem: tem ouvidos para ouvir, ouga o que o Espirito diz 2 Tgreja (Ap 2.7). Mas agueles que jé ouviram a vozdo Espirito Santodevem divulgar as palavras ctemas do evangelho, enquanto houver tempo! Fomos chamados por Deus para sermos atalaias, e nossa fungo € despertar o povo! (Ez 3.17-21; He2.1- 3). Temos que anunciar aos homens que Jesus vein breve. Obreiros c erentes on geral: nfio nos cansemos de anunciar a volta de Jesust Nio ¢ bastante que uma vez tenhamos sido feitos filhos da luz, e vestidos de vestes nupciais. Precisamos vigiar & permanecer prontos para a vinda do Senhor. Porisso diz a Biblia: “Guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa” (Ap 3.11). Osmembros daigreja de Filadelfia eram agradaveis a Deus, mas precisavam “guardar” o que haviam recebido do Senhor, para no serem roubados. B isso que 4 Palayra de Deus nos ensina, com a ordem *Vigiai” (Me 13.36,37). 1. Osono spiritual é um sinal dos liltimas tempos. O sono pode ser causado, primeiramente, pela desobediéncia como aconteceu a Jonas (Jn 1.6). Quando obedecemos a Deus, somos revestidos do poder do Espirito Santo (At 5.32), para nfo adormecermos. Também a Preguica causa sono (Pv 24.30-33), Quando Davi ficou em casa, desocupado, enquanto o seu exército combatia, cait em tentagio (2 Sm 11,1,2). Por isso é uma béngao para o crente estar muito ocupado na Igreja do Senhor, scrvindo- O ali! Esgotamento espiritual, por falta de renovagio, também pode causar sono, Estd escrito que Abrao teve que lutar contra sono ao pé do altar (Gn 15.12), Precisamos do poder de Deus, para ficarmos fortes ¢ resistir a tudo, inclusive 40 sono, 2. Seremos guardados vigilantes, Se Usarmos O¥ Melos que Deus poe a nossa disposigio, Ele nos desperta pela Sua. Palavra.” Jesus despertou seus discfpulos, falando-thes (Mt 26.45,46). Como 6 preciosa a Palavra de Deus! Quem a estuda com atengo, encontra sempre incentivo e despertamento, Aleluia! O Espirito Santo nos conserva vigilantes e acordados. Ele 6 como o leo na Kampada (Mt 25.1-8), Vive, pois, uma vida, onde hd inteira liberdade para 0 Espirito de Deus operar (2 Co 3.17), isto 0 conservard preparado para o encontro com o Senhor. A oragio & outro fator de importineia, para o qual Jesus chama anossa atengio. Disse Ele: “Vigiai ¢ orai para que nfo entreis em tentagio” (Mt 26.41; Mc 13.33). B acrescentou: “O espirito esté pronto, mas a came & fraca”, significando que, Se os discipulos orassem, 0 Espitito prevaleceria sobre a carne. Por que « oragdo € um recurso tio importante para 47 nosmanter vigilantes? Sim, porquepela ‘oragéo vivemos em como com Deus. Entio ficamos fortes efelizes! Sim, por- que pela oragdo vivemos em comunhio com Deus. Orosto de Moisés resplandecia yuando tnha estado com Deus, no monte zx 34,29) Semelhantemente, também, Estévéo (At 6.15). A oragtio éuma arma ‘eficaz, contra Satands (Ef 6.18) Quando combatemos e prevalecemos contra 0 nosso inimigo, permanecemos vigilantes. Aoragiio é,finalmente, o meio pelo qual reeebemos as béngios de Deus. A origao nos enche de Sua graca, ¢ nos faz. prontos para o grande culto nas nuvens. Que Deus nos guarde, a todos, vigilantes, a fim de podermos ver um dia a gloria de Deus! Estejamos atentos a nossa condut, sempre buscando a santificagio ¢ purificagdo, para que nfo aparega alguma mancha em nossos vestidos, porque “qualquer que nEle tem esta esperanga, purifica-se a si mesmo, como também Ele é puro” (1. Jo 3.3). Assim estaremos sempre preparados, eum dia O veremos tal como Ele 6 (1 Jo 3.2). CONCLUSAO Quando o clamor da meia-noite for ouvid, diz.a Biblia que o scu sentido & oseguinte: SAL-LHE AO ENCONTRO! Eprecisamente isto que o Espirito Santo quer dizer atusimenic: “Prepara-te para 48 te encontrares com o teu Deus” (Am 4.12). E nés devemos estar prontos a responder: “JéaSuaNoivaseaprontou” (Ap 19.7,8). Lemos em Mt 25.7 que, 20 ouviro clamordameia-noite, as virgens comegaram a prepurar as suas lampadas. Meu irmfo, ¢ tua limpada esta preparada hoje? Que Deus permita que nas nossas Tampadas, nas nossas vidas, se cumprain as palavras de Le 12,35,36: “Estejam cingidos os vossos lombos, ¢ acesas as candeias, ¢ sede vos semelhantes aos homens que esperam o seu Senhor, para que quando vier, LOGO possais abrir- the!" O Espirito Santo nos esta despertando hoje para que estejamos nesta condigiio. (SD) E até para os que sio salvos, o Espirito Santo tem uma palavra: “O sangue de Jesus Cristo parifica de todo pecado” (1 Jo1.7,9). Prepara-t para o eneoniro com Jesus nos ares. Amém. QUESTIONARIO 1, Segundo 1 imdico 3:15, o que somos? 2, Por que devemos trabalhar enquanto é dia? 3, De acordo com a ligao, 0 que representa a meia-noite para a Igreja? 4, Oquenos assinala o sono espiritual? 5, Como as virgens prudentcs esperaram onoivo? tas a Um novo tempo para a CPAD E de praxe de todo 0 processo histérico as mudancas de percurso. Entre outras, por exemplo, quando uma etapa 6 cumprida e outra esté prestes a iniciar-se. A CPAD vive este momento. Opastor Horacio daSilva Jinior, como Diretor Executivo, conduziu sabiamente a editora até consolidé-la em sua nova sede. Por decisio tomada pela Mesa Diretora do Conselho Administrativo, consoante as normas do Estatuto da CGADB, em reunigo conjunta com a Mesa Diretora da Convengao Geral, caberé, doravante, ao irmo Ronaldo Rodrigues de Souza administrar a CPAD nesta nova etapa de sua trajetdria. Ele veio da Editora Vida, em Sao Paulo, onde prestou sua valiosa contribuigio como Gerente de Marketing ¢ Vendas, ¢ teve sua saida lamentada pela perda que representa para aquela instituigdo, mas ao mesmo tempo eulbadia Por seus pares ¢ superiores por constituir-se em excelente oportunidadle para que cle possa aplicar seus conhecimentos numa posigio de maior responsabilidade na drea da literatura evangélica, Igualmente o pastor Antonio Gilberto deixou a Diretoria do Publicagoos ira dodicar-se @ outros projetos, mas vai continuar prestando assessoria CPAD, Para substitutlo, tarefa sobremodo diffeil, haja vista a marca dosou logadoespiritual, intelectual ¢ teoldgico, que transpés fronteiras, 4 Mosa Dirotora do Consolho Administrativo, consoante as mesmas Hormas estatutaring, inclicou este editorialista, que exerceu por 10 anos a dle Hdlitorchofe da Divisio de Jornalismo. faio# conselentes cde que vamos enfrentar desafios. As condigées econdmieas do pafando favorecem perspectivas muitoalentadoras para © futuro, pritelpalmente se analisadas sob a Gtica das concepcées humanas, Mas, por outro lado, anima-nos a correta visio de que Deus Gomalorintoressado om conduzirseus filhos por entreas adversidades Até a vitéria, Sob esta bandeira, procuraremos fazer o melhor uso dos meios que o Todo-Poderoso colocar em nossas maos para que a CPAD cumpra com maior desenvoltura o seu papel de maior editora evangélica do Brasil. Néo vamos prescindir também do apoio de nossas igrejas através de Sua lideranga. Entendemos que estes lacos precisam ser estreitados. Por isto mesmo fica registrado 0 apelo do Diretor Executivo para que os nossos pastores fagam chegar estas primeiras informagées as suas ovelhas a fim de tornd-las participantés deste novo tempo outorgado por Deus 4 CPAD. Cabe repetir, enfim, as palavras do irmao Ronaldo Rodrigues de Souza em sua primeira correspondéncia enviada aos pastores de todo © Brasil: “A CPAD é sua. Ajude-nos a cuidar bem dela”. Geremias do Couto Se | PIQUEMOS. de Jerusalém, os amigos de Ne- (0s ¢ edifiquemos”, disseram eles. ificuldade, €h a d8 trabalhar com