Você está na página 1de 1

Texto Migraes Europeias de Zuleika Alvim

Esse era o imaginrio a respeito da Amrica que prevalecia na Europa desde o sculo XVI e
que, a partir de meados do sculo XIX, serviu de atrativo para grandes parcelas da populao
camponesa de vrios pases europeus.
preciso, contudo, entender as condies de vida dessa populao em um continente que
passava por muitas transformaes decorrentes da transio da economia feudal para a
economia capitalista, e do desenvolvimento da industrializao. Segundo Zuleika Alvim
(1998, p. 219-220), em linhas gerais, podemos apontar os seguintes fatores desse processo
histrico:
1. Concentrao da terra nas mos de poucos proprietrios, expulsando os trabalhadores rurais
do campo;
2. Endividamento dos pequenos proprietrios rurais devido s altas taxas de impostos sobre a
propriedade, o que levava solicitao de emprstimos;
3. Dificuldade do pequeno proprietrio de enfrentar a concorrncia da oferta de produtos a
preos inferiores por parte dos grandes proprietrios;
4. Grande concentrao dessa populao expulsa do campo nas cidades, criando uma reserva
de mo-de-obra para a indstria nascente;
5. Impossibilidade de absoro, especialmente na Itlia e na Alemanha, de todos esses
trabalhadores pela indstria;
6. Acentuado crescimento demogrfico, com a populao europeia aumentando duas vezes e
meia;
7. Desenvolvimento tecnolgico, com a mquina substituindo o trabalho do homem.
Entretanto, o sonho de fazer a Amrica no era to facilmente realizado.
A vida desses imigrantes foi marcada, especialmente no seu incio, por muito trabalho,
dificuldades de adaptao a lngua, costumes e hbitos diferentes. Alm disso, no s traziam
consigo os preconceitos dos pases de origem, como tambm sofriam preconceitos,
reproduzindo aqui as vises negativas que opunham alemes do norte ao sul, italianos
setentrionais a italianos meridionais, alemes a poloneses, italianos a japoneses.
(ALVIM, 1998, p. 269). Escrito especialmente para o So Paulo faz escola.