PROJETO: SEXUALIDADE NA ADOLESCÊNCIA - FAROL – 2007

RESUMO

Tendo em vista a necessidade de conscientização dos alunos do 1º ao 3º ano do Ensino
Médio com relação à sexualidade, pretende-se através deste projeto, refletir sobre questões
como a gravidez na adolescência, as doenças sexualmente transmissíveis, mudanças no
corpo e na mente do adolescente, métodos anti-concepcionais, higiene e auto cuidado,
relacionamentos e o adolescente perante a sociedade. Desta forma, procuraremos interagir
com os discentes, para que eles construam uma imagem positiva desta fase da vida e para
que possam aprender a se prevenir de forma consciente.

OBJETIVO GERAL:

Despertar nos alunos a consciência de que é de fundamental importância a passagem pela
adolescência com responsabilidade, para poderem gozar de uma vida mais saudável e feliz.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
- Discutir sobre a gravidez indesejada e inesperada e como evitá-la.
- Conscientizar os alunos sobre a responsabilidade que devem ter com relação à própria
saúde adotando hábitos de auto-cuidado.
- Relacionar e caracterizar as principais doenças sexualmente transmissíveis.
- fazer com que os alunos percebam e conheçam as alterações no corpo do adolescente.
- Discutir sobre os sexo em geral: duvidas, incertezas...
- Discutir sobre valores culturais, relações sociais e familiares e problemas emocionais
relacionados ao sexo fora de hora.

CONTEÚDOS:
-

Mudanças no corpo e na mente do adolescente.
Doenças sexualmente transmissíveis.
Gravidez na adolescência.
Noção de métodos anti-concepcionais.
Higiene e auto-cuidado.
Relacionamentos.
Dúvidas mais freqüentes dos adolescentes.
Adolescentes X Sociedade.

METODOLOGIA:

-

Leitura de textos diverso
Palestras com médicos, psicólogos e professores
Brincadeiras
Músicas
Textos de auto estima
Filmes

higiene e auto cuidado (Palestra) 2 aulas Adolescente x Sociedade (Palestra) 2 aulas AVALIAÇÃO: Cada turma confeccionará um mural com informações diversas sobre o tema e expõe no pátio (cada semana um turma). Michelly Rosa e pela Orientadora Educacional Rita Zuri.RECURSOS DIDÁTICOS: - Data Show Fitas VHS/Vídeo Livros. Entretanto. sendo despertado comumente na adolescência. Física Rodrigo Luciano. construir uma base que possibilite reflexão. PROJETO SEXUALIDADE E ADOLESCÊNCIA SOE e SOD JUSTIFICATIVA: A sexualidade é um aspecto natural do ser humano. percebe-se a necessidade de abordar este tema possibilitando o avanço do conhecimento de senso comum para o científico. e daí. conhecimento e conscientização dos valores e das atitudes ao se confrontar com esta nova fase de suas vidas. Diante deste contexto. O grupo de meninas será acompanhado pela Professora/coord.) e internos (biológicos) estes aspectos têm conduzido nossos estudantes ao florescimento precoce da sexualidade. mídia. revistas. tendo em vista os estímulos externos (contexto social. etc. A primeira aula de cada mês. CRONOGRAMA: Serão disponibilizadas 3 aulas de Educação Física durante o trimestre para a realização do projeto. os meninos serão orientados pelo professor de Ed. . PÚBLICO ALVO: Adolescentes do 8º e 9º ano do Ensino Fundamental. textos em geral Retro projetor Rádio / Cd`s Cartazes TV Pendrive CRONOGRAMA: ASSUNTO MAIO JUNHO Mudanças no corpo e na mente 3 aulas Dúvidas mais freqüentes e relacionamentos 3aulas gravidez 3 aulas Métodos anti-concepcionais 2 aulas DST´s.

Conhecer as DST.OBJETIVO GERAL: Contribuir para a criação de um espaço de reflexão e discussão do tema sexualidade e adolescência. Ao definir suas escolhas. Identificar os métodos contraceptivos comuns em nossa sociedade. sob a orientação da professora Adriana. interpretação artística. ampliando sua visão de mundo. textos informativos. onde os estudantes serão observados quanto ao envolvimento. parto) e orientar para o respeito por si mesmo e pelos outros. Sensibilizar os estudantes sobre como suas ações requerem responsabilidades. METODOLOGIA: O procedimento metodológico deste projeto teve como critérios o avanço da aprendizagem. leitura individual. a partir dos conhecimentos prévios dos estudantes. menstruação. foi realizado um projeto com os 6º anos. suas manifestações e conseqüências para o ser humano. estimulando a autonomia e responsabilidade dos jovens para com a saúde do próprio corpo e de sua sexualidade. Identificar o papel da mídia nas relações ligadas à sexualidade e aos valores. interpretação oral e dramatização. entender as mudanças que acontecem com o crescimento (mudanças corporais. Após a leitura fizemos uma roda de conversa para esclarecimento de dúvidas sobre o assunto e em seguida. As crianças e os jovens apresentam manifestações de sua sexualidade e não podem ser bloqueados de informações que os ajudem a compreender tais fatos e a encarar o seu desenvolvimento de forma tranquila e responsável. respeitando a escolha dos outros. socialização. Os alunos fizeram a leitura dos livros: “Coisas que as garotas devem saber” e “Coisas que os garotos devem saber”. dos autores “ Antonio Carlos Vilela e Maurício de Sousa “. vontades e desejos. assiduidade. Reconhecer as mudanças físicas e psicológicas que ocorrem na adolescência. elaboram um painel utilizando recortes de revistas para ilustração e depois apresentaram o painel para a sala. Para trabalhar o assunto. habilidade na solução dos problemas propostos. participação. OBJETIVOS ESPECÍFICOS: Conhecer o sistema reprodutor feminino/masculino. Para atingir tais objetivos serão utilizados como instrumentos didáticos: leitura compartilhada. gravidez. AVALIAÇÃO: A avaliação da aprendizagem será realizada durante todo desenvolvimento deste projeto. explicar as diferenças corporais entre o sexo feminino e masculino. Esclarecer mitos e tabus sobre sexualidade. palestras de profissionais. com o objetivo de promover o diálogo sincero e natural. a postura construída diante do novo conhecimento e as produções individuais e coletivas. discussão. ereção. . cartazes. A compreensão de si e da natureza humana é fundamental para que cada criança e adolescente tenha consciência de seus próprios limites. possibilitando a construção de uma nova postura frente aos novos saberes. cada um deve entender que todas as decisões têm consequências e que devemos buscar a responsabilidade. interesse. Perceber a higiene pessoal como particularidade necessária à saúde do corpo.

Extensivo às outras etapas de acordo com a disponibilidade de cada grupo 4) PESSOAL ENVOLVIDO: .Durante o ano letivo de 2001. informar e orientar os nossos educandos sobre os temas abordando a Educação Afetivo Sexual. em toda a Regional Norte. o HIRAMA foi a escola que apresentou o maior número de alunas grávidas (19). com turmas alternadas durante as aulas de Ciências para 3º ano/2º ciclo (turno da tarde) e 3º ano/ 3º ciclo (turno da manhã). Embora hoje a maioria dos jovens tenha acesso à informação.Para os alunos foi uma atividade muito interessante e motivadora onde eles tiveram a oportunidade de aprender informações novas e de saberem um pouco mais do que já conheciam. é obvia a necessidade de desenvolver um trabalho. Observação: não houve um levantamento sobre o número de “alunospai” e não foi feita uma estatística referente aos anos de 1999 e 2000. em dias programados de acordo com o horário das reuniões pedagógicas. falta conscientização sobre sexualidade e o melhor caminho continua sendo o diálogo entre a família e o adolescente. aliado à orientação escolar ESCOLA MUNICIPAL HILDA RABELLO MATTA PROJETO: SEXUALIDADE E ADOLESCÊNCIA Reflexão: O que seria uma pessoa sexualmente educada? 1) JUSTIFICATIVA: Considerando que o ano de 1998. com o objetivo de esclarecer. 2) PERÍODO: . 3) DIAS DA SEMANA E LOCAL: Uma vez por semana.

professores e comunidade escolar 5) OBJETIVOS:  Sensibilizar os profissionais da Educação.  Mostrar aos alunos oportunidades de “navegar” na internet. 6) ATIVIDADES:  Pesquisar sobre os temas selecionados pelos alunos: sondagem feita através da aplicação de perguntas.siliconaction.trabalho buscando o conhecimento prévio do aluno.com.  Tornar as atividades descontraídas e prazerosas.br/        Apresentação de textos.  Informar sobre os trabalhos oferecidos pelo Centro de Saúde. bate-papos entre alunos de diversas cidades do Brasil. http://www.  Proporcionar debates. Interpretação de músicas: Titãs e Pepeu Gomes. Participação no “chat”(bate-papo) pela internet (Laboratório de Informática).ltnet. cartazes e conclusões.org/SchoolLinks 7) TEMAS PROPOSTOS:  Diferenciar sexualidade de sexo: Namorar ou ficar? .  Promover no “chat”.Alunos. Depoimentos de mães-adolescentes.  Desenvolver a consciência de que a responsabilidade é de todos. respeitando as diferenças. os alunos e a comunidade.  Desfazer os tabus e as formas repressoras referentes aos temas ligados à Educação Sexual. Dinâmicas. Hospital Sofia Feldman e o Conselho Tutelar. Casa Bem-Vinda. Palestras com Especialistas e Convidados. sem preconceitos.  Elevar a auto-estima.  Trabalho com história em quadrinhos : software educacional GIBIZINHO. Apresentação de vídeos e após debates.  Esclarecer a diferença existente entre a Educação Sexual e o estudo da Biologia.  Ambiente utilizado : http://www. no “chat” entre especialistas e alunos de diversas cidades do Brasil.

Virgindade.               Adolescência e as transformações do corpo. mamas e próstata. 9) BIBLIOGRAFIA:  Revistas: Contigo – set/99 Atrevida – out/94 Veja – Ago/00 Época – Out/90 Bem Viver        Cordel das DST – Min. A partir do momento que sai do ventre da mãe sua interação com o meio cultural começa a se delinear e vínculos afetivos se formam. Masturbação e ejaculação. Métodos contraceptivos.siliconaction. Gravidez na adolescência / Paternidade responsável e influencia da mídia. Cultura machista (influências sociais). Física). Sexualidade sem medo.  Noara (Informática). O prazer feminino e masculino. Homossexualismo. Aleitamento materno e sua importância.br/ O ser humano é um ser sociável.  Nilce (Inglês). Câncer de colo de útero. DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis) e AIDS. Saúde Microbiologia Médica – Jawetz Malwwick Adelberg – 1982 Doenças Venéreas – Liga de Combate à sífilis – 1986 Cartilha sobre Doenças Venéreas – Johnson e Johnson DST – Min. Prostituição infantil de adolescentes.com. 8) PROFESSORES RESPONSÁVEIS:  Sueli (Ciências). Incesto. . Da Saúde Folhetos Gapa Software Gibizinho -http://www. Aborto.  Vânia (Ed.

ética. sem a imposição de determinados valores sobre outros. nas instituições de ensino e pesquisa. no trabalho. que é um recorte minúsculo da sociedade. nos movimentos sociais e organizações da sociedade civil e nas manifestações culturais. psicológica e fisiológica da sexualidade.” Pode-se concluir então que todo assunto que diz respeito a formação do indivíduo em sociedade é matéria escolar: sentimentos. crenças. cálculo. Esse projeto seria executado no segundo bimestre do ano letivo e cada professor trabalharia da maneira que melhor se adequasse a aprendizagem da turma. levá-las a serem pessoas/profissionais bem sucedidos ou fracassados. cidadania. lei de diretrizes e bases que rege a educação brasileira. de cunho psicoterapêutico e enfocando as dimensões sociológica. diversidade cultural.Todas as etapas que o individuo passa dentro desse meio soci0-cultural-afetivo determina a qualidade de suas relações interpessoais e de seu aprendizado formal. códigos e suas tecnologias desenvolvesse um projeto voltado a orientação sexual. as crianças manifestam comportamentos que podem. saúde. orientação sexual entre outros. Já levando-se em conta as transformações sociais. Tal intervenção ocorre em âmbito coletivo. assim como reconhecimento das manifestações de sexualidade passíveis de serem expressas na escola. escrita. na convivência humana. Propõe-se três eixos fundamentais . O trabalho de Orientação Sexual visa propiciar aos jovens a possibilidade do exercício de sua sexualidade de forma responsável e prazerosa. trabalho. pois exercem um papel de destaque na predisposição positiva ou negativa para o desenvolvimento de características gerais deste mesmo individuo. Diferencia-se também da educação realizada pela família. tabus e valores a ela associados. em seu Art 1º declara: ” A educação abrange os processos formativos que se desenvolvem na vida familiar. Dentro da escola. se bem orientados. religião. meio ambiente. pois possibilita a discussão de diferentes pontos de vista associados à sexualidade. O projeto que criei segue as orientações contidas nos Parâmetros Curriculares Nacionais a respeito do eixo transversal orientação sexual: “A Orientação Sexual na escola deve ser entendida como um processo de intervenção pedagógica que tem como objetivo transmitir informações e problematizar questões relacionadas à sexualidade. econômicas e política brasileiras a LDB 9394/96. Seu desenvolvimento deve oferecer critérios para o discernimento de comportamentos ligados à sexualidade que demandam privacidade e intimidade. Um olhar sensível e crítico do professor pode identificar habilidades ou deficiências em alunos que pais e/ou responsáveis não conseguem distinguir pela proximidade afetiva ou distanciamento físico com que se relacionam. Embora os fatores genéticos não possam ser descartados. incluindo posturas. diferenciando-se de um trabalho individual. A partir da observação que o corpo docente fez do comportamento de exacerbação da sexualidade nos alunos de todas as faixas etárias da escola foi proposto que a área de linguagens.

preservativos. Partindo-se do lúdico. o objetivo principal do projeto é que o aluno desenvolva as habilidades de leitura e escrita de textos prescritivos/injuntivos. Para não poluirmos mais a natureza. Objetivos Muitos adolescentes ainda não conhecem o seu próprio corpo e não entendem as mudanças próprias da puberdade que tanto os afetam física como psicologicamente. 2. Para quebrar esses tabus a respeito do tema sexualidade é que se propôs a criação de jogos de tabuleiro. Essas perguntas são anônimas para evitar constrangimentos. Expus também a obrigatoriedade do jogo conter um manual com as regras. além de promover um ambiente descontraído para que o jovem tenha esclarecida as dúvidas que possua sobre sexo. Depois separados em grupos de 5 ou 6 alunos as perguntas restantes foram dadas aos grupos para que fossem discutidas entre eles. vol.1997.” (PCNs. Após este primeiro contato com o tema é que se seguiu o processo de criação: 1. também. 3. doenças. Apresentei a proposta para sala explicando-lhe que iriam criar um jogo de tabuleiro com perguntas que envolvessem as questões de sexualidade e que fossem adequadas a faixa de 11 anos. sistema reprodutor entre outras relacionadas à sexualidade. objetivos secundários que não menos importantes como os de estimular um trabalho coletivo de cooperação e troca de idéias. Num primeiro momento foi feito um debate com os alunos dispostos em semi-círculo tendo como referências as próprias perguntas que eles elaboraram. dos quais sou professora de português há aproximadamente 3 anos letivos. Segue-se. que é a criação de um jogo de tabuleiro. Expliquei a eles que deveriam utilizar materiais recicláveis.para nortear a intervenção do professor: Corpo Humano. O agravante se dá devido a inibição e às vezes vergonha dos pais que faz com que busquem orientação sexual com amigos ou em fontes não confiáveis. Metodologia Nas duas primeiras semanas os alunos elaboram perguntas com as dúvidas que tinham sobre a sexualidade e colocavam em uma caixa.10) Os contornos do projeto foram tomando forma ao longo de sua execução partindo da necessidade de se adaptarem as atividades às necessidade de aprendizagem da turma. Relações de Gênero e Prevenção às Doenças Sexualmente Transmissíveis/AIDS. Esta composta por 34 alunos da 7ª série/8º ano entre 13 e15 anos de idade. . de preferência.

. bem como delegaram funções aos componentes com responsabilidades a serem cumpridas até a entrega a conclusão do projeto (20 dias depois). manual. com rascunho de perguntas.4. Em outras aula discuti com eles os caminhos que levam ao sucesso de um projeto coletivo abordando as questões da ética. 6ª e 7ª séries ( 6º/7º /8º ano respectivamente). Terminada a feira partiriam para a análise e avaliação do material criado bem como reflexão e avaliação pessoal de seu desempenho e desenvolvimento ao longo do projeto. Acrescentei que deveriam criar um anúncio publicitário do jogo. consultaram a internet e outras fontes bibliográficas para enriquecer o acervo de perguntas que fariam parte do jogo. Durante esse período orientei os grupos para que viessem me procurar e esclarecessem suas dúvidas quanto a execução dos trabalhos. Com as perguntas que eu já havia distribuído aos grupos pedi para que buscassem outras no livro didático. A conclusão do trabalho foi feita na exposição dos jogos numa feira com visitação de alunos da 5ª. Os grupos reunidos na sala de aula se organizaram para a criação do protótipo do tabuleiro.