Você está na página 1de 3

Mrio de S

Carneiro

Mrio de S Carneironasceu em Lisboa em 1890. Viveu a


maior parte da sua vida em Paris, onde estudou Direito e onde
escreveu a maior parte da sua obra.

Paris sempre foi para Mrio de S Carneirouma cidade de


fascnio e foi nela que descobriu o cubismo e o futurismo, tal
como Fernando Pessoa, seu grande amigo, vindo esta a ter
um papel fundamental na renovao da literatura portuguesa
do sculo XX.

Mrio de S-Carneiro um dos vultos da gerao do Orfeu,


revista fundada por Fernando Pessoa, Lus de Montalvor,
Armando Crtes Rodrigues, Alfredo Guisado e outros.

Grande amigo de Fernando Pessoa com quem manteve


estritas relaes no domnio da criao potica e com o qual
se identifica em determinados percursos poticos. A
correspondncia entre os dois escritores, vem confirmar
quanto estimavam e quanto refletiam sobre a arte.

O recreio

Na minha Alma h um balouo


Que est sempre a balouar --Balouo beira dum poo,
Bem difcil de montar...
--- E um menino de bibe
Sobre ele sempre a brincar...
Se a corda se parte um dia
(E j vai estando esgarada),
Era uma vez a folia:
Morre a criana afogada...
--- C por mim no mudo a corda,
Seria grande estopada...
Se o indez morre, deix-lo...
Mais vale morrer de bibe
Que de casaca... Deix-lo
Balouar-se enquanto vive...
--- Mudar a corda era fcil...
Tal ideia nunca tive...