Você está na página 1de 91
Habitos carnivoros e impacto no aquecimento global OSU IS Gieeces oCancere Outras * AMERICAN “= ee) Brasil it — Cees TT TMT elm tele a lech estruturas exoticas que ET et Lem ee i itor) Ute (Tums fe ela ls las) Como as Forgas que Esculpem o Cérebro se Ligam a Patologias Lava Submarina Processos Complexos que dao Forma ao Fundo do Mar Foguetes Elétricos__ Propulsao Eficiente para Vi Destinadas ao Espaco Pi ey SUMARIO; SCIENTIFIC AMERICAN BRASIL Marco 2009 = Namero 82 Bech Ss ono 42 Nanomedicina no Tratamento do Cancer Por James R. Heath, Mark B, Davis ¢ Leroy Hoot © corpo humano é um sistema de redes moleculares que inceragem entre si, Tratar disvirbios desse sistema com nanotecnologia pode mudar a ‘compreensio de doengas, os modas de enfrenti-lase atéas estratégias de prevengio. 50 AComplexa Origem do Solo Marinho Por Peter B. Kelemen As bacias profundas sob os 4 io cobertas de lava soliificada expelida por Cientistas desvendam 0 mecanismo de como a lava fiui para oleito oceanico. 56 Luz Fantastica Espécimes hiol6gieos prodizem imagens extraordinsias nas mos de talentosos microscopistas a le 62 A Aurora dos Foguetes Elétricos | Por Edgar ¥. Choueiri Potentes motores elétricos a plasma impulsionam a proxima geragso de missbes espacias ao Sistema Solar exterior gj NACAPA ‘Se extrem singularidades las do horizante de ‘eventos las poderan detareer a comprennsiacdo Universo de formas inimaginaves 2 creates magem por kee Brown Mondale Sud wrww.seiam.com.br SCIENTIFIC AMERICAN anasis 3 = SUMAR |O ll ED rN eb 16 . : 70 Processos que Esculpiram o Cérebro Por Claus C. nilgetage Helen Barbas Novos estudos revelam como as circanvolugaes cercbras si Formadasy conhecimento que pode failiar 0 diagnésticoetratamento de autismo, esquizofrenia e outros distirbios mentas, 0 Efeito Estufa dos Hamburgueres Por Nathan Fiala 76 Producao de carne bovina tem um custo ambiental negligenciado: liber quanticades de gases que contribuem para oefeito estuta, 80 Efeitos Globais do Bife Brasileiro Por Igor Zolnerkevie 84 Como Pensamos a Realidade Por Aldo Biszoachi Desmatamento para pastagens na Amazdnia a iy Ae = Como as particulas elementares que comptiem o univers fisieo, Eresponsavel por aproximadamente 50% submeridasa leis maremiticas, os nfionsatuam no univesso dos gases de eeito estufa no pas semidtico e sho regis potas regras da sintaxe hiperprofunda, NESTE MES SCIAM.CE 5 Engtes Esecias == = ee UNIVERSO 5 ACIENCIA DO FUTURO Cientstas americans lata er medido Irrasads em Estadio de uma fara molecular epulivaresponsavel dear oc, Sci Avena pela leviragéo de pequenosobjetos. Veja inatese aber desatiose no site de Sin ic ANN BRA como seterenos psn promesesdactnda essa epulso pode ser sada para climinar desire teste seo Aeros § atito entre superficies de minisculos carasclstes depariale eva0 = dispositivas de ranotecnolgi,fazendo aque ingamo Iezalment elonalara 0 levitar No site voc também sabera thio volume imagem dormir conoapivagiodesonopodelevarauma FORMS | gaticdopatiaratndo patente unsere unica. reorganizacdo do crcito emacional do. MOU Universo Veja em detaes cada ces forcasbiscas da Nanzere Aim dsc a cerebro provocando diferentes efeitos, Pammeems tumadis 8@conseacSesem queo _jxdpiaatuer da humanidede et em desde defidncies dosistema imurol6gco pequcnorebeos. Ev esté dvidide,com um istrco ame epodeviaser trad Nocaso do aé deficits cognitive descontrole do de cadauma es objets celesteserwaecinenn exe aforeda peso. Clando em wa.scam.combr voc encontaainda | de desi jive apr ovetecnds moment ce via Umalerta sobre presence de metals pesados em mais 100 : {tpos de vinho tito e branco produzido em civersos paises. NOVAS ESTRATEGIAS Mets potencmentepegososasode como viniéla, EONTTRA Q CANCER = cabre e manganés, foram detectados em niveis alem do permitido pelas agéncias de sade internacionais. Felizmente, ‘os vinhos argentina, italianos brasilitos nao apresentaram {quantidade excessiva desses metais Visite sempre o site da Sciam, onde vacé enconta as titimas novidades sobre ciéncia acessa0 blog do editor 4 SCIENTIFIC AMERICAN sRAsit Pesquisas ecrogas de ima geraao abrem nova ent ‘rapautica para enfentr uma doen da qual ahumaridade ‘ainda no se vrou. No cSncer de mama, pesausas js poritam ‘ratamentoindiduaizado,e vrs saoulizados com Bx em abordagenssupreendentes Margo 2008, 6 8 10. 1 14 30 96 26 98 Ponto de vista Cartas Memoria O que aconteceu com... ® Atividade solar Medicamentos reaproveitados = Triinsito menos ca6tico u Emaranhamentos quinticos 1 Tartarugas ancestrais, -40 de ambliopia 10 dos oceanos Perfil: George Sugihara matematico George Sugihara, tori da complesidade Cacador da Luz Por Gerhard Somat Teiguisadarslaosd Git alla com eélulas solares Livros Pergunte ao especialista Por guctaedad de oie ot nas omse vernal dng coo iar a (Cgattciace etaAs doar Como Funciona Tolas sensiveis ao tat. Telescépio Por Ubis Copoczal (ror loniren, Desenvolvimento Sustentavel Por Jeffrey Sachs Mudangas na indstria automobilistca Observatério Por Jorge Albuquerque Vieira Unuwelt sobeevivéncia, www.sciom.com.br ares (bp Isciewriric AMERICAN oRasi 5 m@§PONTO DE VISTAMI Alguns Colaboradores PaMwaLs. Jost etre se coins esi Sai enim ocesedetes Peqiasiobeganta EDGAR Y.CHOUER ‘etd taste Pepao Pressey nce necator cuaus HuGeTAG kee demu alae ngerarsetiets Untesi NATHAN FIALR oars eran a Ue Invern prin gece fetiace enn cg HELEN DAROAS Poesia soso neste Ds pas etches tentneo oo erzzocci spt occ Unga Dacre semen ® Ings oa nes en alg ntankon teas ter degrade is cama Fenn Une an SP Soe ‘ors rl Stea. {JORGE DE ALBUQUEROUE VIEIRA & frm Conunca somcts 6 ScLEWTIFIC AMERICAN oxasiL 7 Vocé no est observand nem sen~ tindo, mas processos que neste PS céecoro permiter a leirora deste texto € otratamento das informa- bes le forma a proxi juizaconseiente, Una das caracreisicas que toxna océrebeo humane ovede maniferos.comocicscbalias, ‘entte outros, reconhecivel de imediato, é uma cstruura formado por pequenas vakesecleva ‘ges, como a superficie de uma hia exétiea, Es- sas ctcunvolugges integeam 0 eétex cerebral, formado por tecidogelatinos0e io em neuro nos, atuando como mediador de perceposes, ‘emogéese pensarnentos. Que processos, como numa lua exética, clus sua esrorura coreaada? Even- tuaisalrerages de forma emrelagioa tum determinado puedo podem indi «ax por exemplo,patologias? A investigagio do cércbro — em busca de pistas no apenas sobre seu fureionamento, mas iderifcagio do qe pode ser considerado como anor malidade~integra cin dos artigos tnedigiode Senesriric AweRIcANBRASIL com, capa dedicada a um tema igualmentefascnan- te massimmad “I fora ‘Ao menos 0 habito a que nos afertamos: 2 idea de que ocorrénciaspossam estar “I fora", quando, na realdade, ascoisasnaoestio “aqui” nem“, mas num terstéro, de crea forma, indefnido. Are porque o tema a que:nes refer ‘nosso singulridades nas, conor Bes infin ‘2 doespago- tempo, no interior de um buraco negro que, evernualmenns, podem no estar acompanhadss de um horizomte de eventos. Uma singuaridade naa, por enguanto, te apenas como resultado de equagies fico imatemsiticas, daf a razdo de “aio estar nam aqui nem fa", camo personagens do estranho nnd de Les Horizonces de eventos, apenas para com pletar uma imagem breve, so estrarara teo- Fieamenteexistentes em torn de buracos ne- ‘gros Uma cspie de eritro intermedicio entreo extesore o interior de um buraco ne ‘gro, Como um ania slvagem, qucataca +A Natureza das Coisas uum introsoinvadeum determinado espago de seguranga, a buraco negro, como um caribal ceésmico, devora toda matéria ou energia que adentrar seu horizonte de eventos. Um pensamento, no entanto, um arranjo Singular orquestradostransmitido por elulas nervosas no cérebro, pode permit tanto um _mergulho quanto um retomo das entranhas de um buraco negro, Mas como pensamos a realidade? Urn bu- aco negro, por exemplo, on alge muito dis- tinto, como as quaresmeiras que florescem nesta 6poca do ano? 0 trago fundamental que distingue os hu: ‘manos de outras espécies animais éa aptidio ‘para o pensamento simbilico. Nossa capaci- dade de “conhecer”, ou construir representagSes mentais a partir de percepeies sensoriais permite no 86 adquitit novos dados da cexperiéncia, mas reconhecer os anteriormente adquiridos, confor sme considera o pesquisador brasi- leiro Aldo Bizzocchi, em artigo que também integra esta edigio, Assim como a combinacio das 26 letras do alfabeto permite eserever todas as palavas da lingua, além de riar uma infinidade de outras, supde-se que o significado do que di- ems resulte da combinagao de um niimero fi nito de lementos,avaliao pesquisador Ecomo, aldo de palavras, usamos muitos outros signos ‘para pensar e nos comunicay esses elementos se riam os responsiveis pelo sentido de imagens, sons, cheires estos, simbolos matemiticos ese ais de rinsito, entre outros, Axé aqui fizemos alum jogo deespelhosen- tre o que parecem ser as coisas “Id fora” ea re- presentago mental que fazemnos eas, Podemos estendler essa relagio para outros temas que integram esta edigio. E.0 caso da construg dos funclos occanicos. Por que o homem deseja saber como se forma o piso das profundezas, se esse mio sou habitat? A resposta fundamental 6que,antes de tudo, ‘ohomem éum buscador deconhecimento. ULISSES CAPOZZOLI editor Margo 2009, : TE Ba Se (Ge EDIGAOESPE CADE t SCIEN’ TIFIC AMERICAN ~ Brasil NOVAS ESTRATEGIAS UCONTRA 0 CANCER St Pesquisas e drogas * de ultima geragao * abrem nova frente terapéutica Evidéncias desafiam teorias e sugerem formas de tratamento que di Técnica de virusterapia acena com abordagens novas © surpreendentes anc esquisas ja permitem Pesamento individuallzado Rissauyay Coe Tey it SCIENTIFIC AMERICAN ‘ves corny gh aot hb "us Nao tec Erte EE Sere A aa ah ‘oce ese a5 MaUsRISDRETOR TERNATIONAL Seam dnc Ts 3 orn pb Jar Cat [atetnbonbsentcudncr a es wa cuca warns, ‘SHUNTED pm ns ichisanisstsrca iinSetocon eg 2. 5 450 Dharm ESO eben ACOH SFO. AisoNae PIER ANeR 8 scienriric AMERICAN aeasit CARTAS Bl === aS redacaosciam@duettoeditorial.com.br NATUREZA EMERGENTE Realidade Renovada = Lua Inspiradora = Relégio Biolégico w Animais Indefesos FevERE!RO 2008 = REALIDADE RENOVADA. Na edigio de dezembro 2008 da Scuswrtrtc AMERICAN BRASIL, Sérgio Abranches escre veuumartigo intitulado “A Crise o Clima” Nole, Abranches mastea que os sistemas eco rndmico ¢climstico globais interagem endo podem ser separados, apresentando a ten- dneia de que inyestimentos "verdes" sejam ‘os menos prejucicados pela crise eeondnica Na mesma edigao, Ulises Capozzoli comen 1a, de forma fantistica, oartigo “Um Guarda- sol para Refrescara Terra”, dando-nos uma ppequena nocio da gigantescacapacidadeque «a tecnologia tem ce modificar, de forma be- néfica, nossa vida, reforga a idéia de que crise a ccondmica ea erise ambiental esto intimamente conectadas. Jeffrey D. Sachs aconselha 2 “no se desesperar hoje com 0 dia de amanha". Francisco J. Ayala mostra ‘uma possivel compatbilidade entre cigneia ¢ religido, e Miguel Rubi poe em xeque idgias de um dos pilares da fisica: a Segunda Lei da “Termodindmica, Os outros artigos da revista rmostram implicitamente a natureza emer: gente da realcnde, ou sj, rodos os sistemas ‘ou qualquer outro ato criativo passarao, «quando aio inibidos, por transformagies fuse continuas. Luiz ie Coimbra Gabon pore mail = LUA INSPIRADORA Quero cumprimentar o editor Ulisses Ca- pozzoli pelo lindo artigo “Obscuridade Lu “Todos os sistemas ou qualquer ato criativo passarao, quando ndo inibidos, por transformacées fluidas e continuas.” =e Fee Coimbra Gaborin nar (SCIENTIFIC AMERICAN BRASIL, janeiro de 2009), Percebi que também fago parce des- se diminuto grupo de pessoas que adoram viajar sozinhas,& noite sentir eada peculia- ridade da escuridio. & ainda conhecer mais sobre nossa maravilhosa Lua. Umea leitura elicioss, mesmo lida nui calorento hum novo dia de Sol Parabéns pela revista, Gobrie Murlo~por e-mail RELOGIO BIOLOGICO ATRASADO Li,na edigao de janeiro de 2009, da Sexes FIC AMERICAN BRASIL, um artigo sobre ero- nobiologia« percebi que son constantemente afetado por meu regio bioléxjco. Por mais que eu tente, nfo eonsigo mudar. Costumo deitare keyantar bastante tarde e tenho eerte 7a que esse problema atinge outros milhies decestudantese trabalhadores, prejudicando ‘aprendizado, qualidade de vida e produ dade, Seria bom que as empresas ~aprenden- docom a céncia,e no 86 clas, mas também asescolas—dessem ’s pessoas oportunidade de excolhero seu horirio de trabalho, para corns mais prodtivas feliz. Alessandro Carvalho —pave-mal Nota da redago: Alessandro, sua sugestio€ gum tempo para ser adotada. Talvez voc | sofredealgumditir | bio do sono, Existem mais de 70 dlsfungSes dlo sono jf iderificadas. Vad no acta inte | devesse veifcarse nd ressante consular um especialista? marco 2009 = NUVENS DE MAGALHAES Volo a clogiaro grande trabalho que esti sen colegio Enciclopedia Hesteada do Universo, € para dizer que é um enorme do feito pprazer pars mim acompanhéla, Confesso que ppensei que no veria as Grande Poquena Nu vens de Magalhies em nenhurn niimera, 28 minha preocupagio desapareceu quando lia terceita exigio, Sou inieiante em astronomi, mos oassunto me iteressa muito. interessante saber que foram deseabertos outros sarélites do planetaanio Plocio, A Enciclopédiaé uma colegio obrigatOria © uma grande fonte dein formagao. Por isso, sugio a eriagio de outra sériecoma mesma qualidadeestitoriale grea, desea ver sobre dnossauros, que, como » Uni verso, € outro de meus assuntos favoritos Varier Jord Penato— por e-mail = COMPLEMENTACAO DIDATICA Gostaria de parabenizar a Duetto Ealtorial pela magnifica revista que € Screwrac AME: nacaN Bast, Sinceeamente é uma revista para. a qual no se pode cconomizar elogios. Sou professor do curso de nutriglo da Facu dade Frutal [FrutallMG) ¢ tenho ulead ar *igos lipides as dreas de quimica,bioguimica, microbiologic manolegia comoitura com plementarou ponto de partda de minhas au tas, Exemplo disso éo artigo “Uma mokécula capaz de gerar vida artificial” (Scuewrinie Awtenican Beast, jareiro de 2009). Gosta sia de suger uma edigao especial sobre os ‘grandes nomes da quimica,a exemplo da que if foi publicada sobre matemsitica. Seria de sande interesve para professores, ponsprad- ands, gradtando egos. Flévo Siva—pore-mail = ANIMAIS INDEFESOS Engragado como certos governos podem barraras pesquisas com células-tronco ¢,20 LLL LAE ‘mesmo tempo, permitir uma barbie com ‘osanimais, comoa galinha transgénica sem penas (ver © que Acontecen Com. SCIEN TING AMERICAN BRAStt, janeiro de 2009, AAté que ponto o ser humano chegars para satisfazer seus interessesinfringindo a digni- dade de outros sexes? Sera que é preciso che- ar tio longe? A Natureza é perfeita por si 6, eervio que niio sfo necessarias transfor- mages tio drastieas. Seal na coisa preci- sa ser mudada é nossa conseitncia e forma devida,endodescontarnossas necessidades cemseres indefesos. Nao participa de nenhu: ma organizagiio eefensora dos animas, mas acho que tudo tem limite Sabrina Petipoli—pore ail m VIAGENS ALUA Por que atéhojea Nasa nao publica (on mio enho conhiecimento) ou permite forografar a Lua em coda a maxima poténcia do teles: cpio espacial, prineipalmente os pontos ‘onde supostamente houve pouso de artefa tos humanos no satlite natural da Terra? Se cstiver errad, solicto verificar a possibile dadede publicaruma reportagem a respeito © fotos disponiveis ao palblico mundial iain Jorge Nasr Junior por e-mail Nota da redacio: Wadi, se 1ffo nos equivo ‘cams, sua earta sugere que no houve via- gens tripuladas & Lua,conformeuma corren- te de opinidies, Mas essas viagens foram realizadas, e nfo ha qualquer motivo para comndclas algo quase sobrenatural. E mais produtivo, entre outras coisas por see mais barato, colocar um saélite em dita lunar para forografias que utilizar 0 Hubble, que deve ser empregado em dreas estratéicas de pesquisa. De qualquer forma, se vocé real- ‘mente pensa que as viagens tipuladas 3 Lua io acorreram, fea dif discutir@ assuntco sob um ponto de vista eiensifico. POR RESTRICAD DE ESPAGO, AREDACAD TDMA A LIBERDADE DE ABREVIAR CARTAS MAIS EXTENSAS. FALE CONOSCO CENTRAL DEATENDIMENTO AO ASSINANTE Mudanga de endereco, renovagio,informagées © divides sobre sua asinatura atendimento@dvettoedtorial combr Tel: 1 2713-8100 (a 6% ira das 9 hs 18H) Fax [1 27138197 NOVAS ASSINATURAS Soletagto de novasasiatuas plo e-mall ‘queroassinar@dverteditoril com.br pelo ste wwvlojaduetta combr ou pelo ‘el 11 2713-8100 (central de atendimento) NUMEROS ATRASADOS- Podem ser solciados 3 central de atendimento 20 feito pelo tel: 11 2713-8100 ou pelo ste ‘worn lojaduetto,com br PUBLICIDADE Para anuniae ou adquirrasspaturspatrocnadas publeidadescam@duettoeditarialcombr REDACAO Caras par 0 editor sugstdes de tomas, opinides ou divas sobre o conteido redacaosciam@ductvoedtoriacombr MARKETING Parcerias e projetos especial rmarketing@duettoeditoral com.br Nossas publicagées SCIENTIFIC AMERICAN wor scamcombr m@ate ‘wurumentaceraro.com br “urthistoriaviva come ILIVROS LIVROS | = wrestetenbrazi.com Br LOFFICIEL, ‘wn loficilbrasicom.br fete ir SP -Brasl - CEP 0549'-001 ER} eure og ScIeNTIAG AMERICAN Cinturdes de Radiacao = Navio de Resgate = Primeiro Contato com Gorilas Compilado por Daniel C. Schlenoff MARCO DE 1959 comindisce mo Alon NG arsine po eg por a Jémctros pelo espago. A descoberta, natu- ial partons an ge descobertas. A configuragao da regio ea malls nin coniauetdeactan umf eiod aciesinraraia desea um papel ainda inexplicado como media- de mesostérica c formagio de espléndidas Esse enorme reserva. EVIDENCIA AUSENTE NA TEORIA DE DARWIN — “Hii menos deum século,certasespécies de :mariposas se earacterizavam por apresen- tar uma coloragio suave, permitindo que se mimetizassem em loeais como troncos de drvores ¢ rochas cobertas de liguenes, onde repousavam imoveis durante 0 dia. Hoje, em virias reas, as mesmas espécies sio predominantemente escuras. Desde 0 inicio da Revolugao Industrial~na Gltima metade do século 18, grandes areas da superficie terrestse foram contaminadas por precipitagao incomum de partieulas de fumaga, de origem ainda nao identifi cada. Quando o ambiente de uma m posa como a Biston betularia é alterado de forma que a mariposa nao consegue mais se proteger durante o dia, ela écruel- ‘mente eliminada por predadores, a menos «ue passe por uma mutagao que permita melhor adaptagao ao novo ambiente.” -H.B.D. Kertlewell 10 sctentieic AmERican snasit MARCO DE 1909 fo a ign taineee Alex ou Geedhiemenie som sends deal americano, particularmente em Puget Vilewtia, gretaeue Sacnconeenig ancisucine ds age eseseceon Snconigies died sora ares aye Midst Suobonisbs com $0 mets de sionétio rev. Wilson. No ano passada, © corpode um deles foienviado de Serra 20a para © prof. Owen, dentco de um tonel de sum, Os machos tem uma aparéncia hort vek atingom uma altura de 1,65 metro 1m punhos quatro vezes maioresqueosde unt hioment, Com forga prodigiosa, podem arrancar com as mis cabeca de um ho- ‘mem, com a mesma failidade com que se debulba uma espiga de milo.” SUPERSTICAO ~ “A nica forma de mostrar ue supersti¢do € bobagem é por meio de uma audaciosa provoeagio. Alguns rance- ses corajosos esto rentando fazer iss0. Foi formada una sociedade,em Bordeaux, para acabar com a crenga no azar. Como todos SEGURANCA NO MAR; O novo rebocador de salvamento operado pelo Servico de Guarda MARCO DE 1859 GORILA~*Na Africa existe uma espécie de acacosenoemes conkecidas como gorilas. Sua existéneia foi revelada ha alguns anos, ‘mas nenbum tinka sido eapturado vivo, Eles vivem ceclusos em locaisisolados da floresta e os machos sio capazes de enfren- tat lees. O esqueleto de um deles est no ‘Museu de Boston, enviado para i pelo mis- ‘Aduaneira, em 1909, hoje incorporado a Guarda Costeira Americana. sabem, di azar comegar qualquer coisa na sexta-foira, 13 pessoas senrarem-se A mesa ‘on derrabar sal no chio. A nova sociedade pretende realizar jantares regularesiis sextas- feicas, para 13 convidados, e jogar sal por todo lado antes do jantar.” COBSERVAGAO: Pacece que a Sociedade nao sobreviveu. Marco 2009 EEE 50, 100 & 150 ANOS DE MEMORIA St Ea MO QUE ACONTECEU COM... x Sea depois que foi manchete? Editado por Philip Yam incessante Ameaca de Tsunami Logo depois do tsunami devastador de 2004, no oceano Indico, os cenistasapressiram-se er investi tra causa do desastree as pssiblaes de que possa ocorteroutra onda devastadora (ver “Onda de -Mudanca’”,Scuexriric AMERICAN Bai, javeiro de 2006), Elesconstataratn que o tsunami resultou <ée um maremoto, com magnitude 9,2, na costa oeste de Sumatra ~espeificamente na megafenda de ‘Sunda, onde uma placa reténica mergulha debaivo de oxtes. Os eens imaginaramn que dois fortes tecrremaos, em 2007, podem ter liberado enegia acumulada e assim evitado outro abalo maior Infelizmente, os pesquisadores do California Institue of Technology e seus cokes tm mas noticias. Flesanalsaram dados de radar de satélitese dados de estagSes de GPS, antainente com contiguragOes padrio de crescimento de recifes de corais outros dados geoldgicoshstéricos, para analiar quanto dessa rea tinha se romp, relativamente&atvidade passada. E-asacontecimentos de 2007 libecaram somente um quasto da tens aprisionada, Os grupos rlataram na Nature de de dezembro ena Science de 12 de dezemro que outeo terremoto capaz de provocar tsunaini pode ceorrera qualquer momento. — Charles Q. Choi AP” a 7 Onda Ameacadora » Sobreviventes da Raiva = Riscos de Armas Quimicas » Mistura de Genes A comisso esclarece que | esforeos conjumtos para garantie antigenos seguros ¢ orientar armas biol6acas con ins pacificns deram certo no pasado, ‘nas esses programas precsam see rforgados cestendidos. Repercussio Religiosa ‘A constituigao genética de uma, pessoa pode relatara historia das migeagées ancestrais (ver “Pegadas Nitidas de wn Passado Distaate”, Screniric AMERICAN Brastt, agosto de 2008}, Pesquisadores estudaram ‘= Recuperacao de Hidrofobia AMERICAN BRastt, tratamentos parciais.) Embora Em 2004, Jeanna Giese tornou- aio de 2007). Quase no fim os dois casos representem seaprimcira sobreviveme de doana passado, esse resultados postivos do uma infeegiodehidrofobia sem procedimento de Milwavkee _procedimento de Milwaukee —é tersidovacinada, Rodney E._pode er ajudado uma meniaa dificil realizar uma pesquiba WiloghyJzdo Medel ——olombans detnanone—soieoasumta denon UUSHOccmentodelans College, em Wisconsin, salvou- também um adolescente possveis contovérsas ~ Giese apormeio decoma induzidoe —brasileioa vencera doenga. _permaneceosiico caso hem- genes de 1.140 homens da rexiéo injogdes de aniviecos ver Amenina comegoua sucedido atéo momenta, dd Peninsula Ibéicae “A Cura da Raia”, recuperarse quand ainda deseobriam que 19,8% da stava em coma; no entaiito, ‘™Bioterrorismo em 2013 populagio ibérica moderna antesde sairdo coma,morreu Omedo deagentes patolgcos _desende dejudeussefarditas de pneumonia, que seus morsisiberados por armasde eso reflete, provavelmence,o relicosdizem nio er relagio _destruigioemmassacrescew. _expurgo ea converso dejudes ‘com ainfeogio de hidrofobia. desde os atagues de 11 de Por rites, no século 15 merino estéserecuperando, _setembroeoerwiodeantmaxpor Analogaments, 106% tim ‘masse o procedimento corrio, Lima comissso do descendéncia mourisca, funcionou néosi totalmente Congreso ameticanoconchia _resukado provavel da conquita claro:cletinha ecebidoum —_queisvoxeparcceaumabomba da rgiionoano711 dC. pelos tratamento parcial contra aiva —nucleare,emrelatériode de mugulmamos, Oestude oi DeROTANCOAHIOROFOAU:Jeama antes apresentarossintomas, dezembrode 2008, aleraque __apresentado no Americans Gleserecperada, det hospkal —_(Outras cinco pessous se umincidene bieersodst, Journal of Huonan Genetics de encadeirade das. recuperaram depoisdesses poder acontecer em 2013, de dezerbro de 2008, . SCIENTIFIC AMERICAN nxastt LI i BLOCO DE NOTAS NESTA EDICAO: Explosdes Solares ® Aproveitamento de Remédios ® Emaranhado Quantico = Oceanos Acidos FISICA SOLAR Sol Atrasa Ciclo de Explosdes Depois de longo periodo de calma, 24° ciclo solar da sinais timidos de atividade POR ARACY MENDES DA COSTA jn 18 de outubro de 2004, 2 Nasa 0 Sol as manchas— observadas pela primeira ver or Galileu, em 1609 —haviam tinha se completada, nova mancha com caractersticas dociclo24, www.sciam.com.br masapenas dois dias depois desapareceu, De 10 de outuibeo de 2008 a 30 de janeiro de 2009, apenas seis novas manchas aparece- s do, certo, portanto, quea ciclo 24 jt am, rodasefémerase com caacteri cielo 24, sti emandamento,mas progredindo muito timidamente, Hathaway prevé que 0 perio do sem manchas poder se prolongar até 0 retomo das eondligies de maxima stividade solar, por volta de 2010. Analisesestatsticas de longo period fe tas por Christopher Keating, do Departa- mento de Fisica da U.S. Naval Academy, em Se ee reese Ton \VARIABILIDADE DO NUMERO DE MANCHAS solares. A curva" ‘medido de manchas;a curva alisada representa a previsio. Annapolis, Maryland, mostram que a com ponente Ba do campo magnético interpla rio (que promove a reconexio com 0 campo magnético cerrestre) tem om padio ciclico similar a0 do cicla solar com wma ‘lagio aproximada a do alimero de manchas solares. Isso imps ida em que o comportamento do campo rmagético interplanetivio reflete global do Sol e, portanto, pode come indicador de atividade futura, Segun= do cle, a intensidlade do campo magaética terreste cresceu lentamente em 2008, mas, clover crescermnisrapidamente a partido Inicio de 2009, Como o campo magnético interplanetiio parece estar aumentanda, comoeraesperado, o miximodociclo solar dover acorree tambyém ers 2010, Varios pesquisadores observaram que 0 atual minimo de manchas parece estar se prolongando de forma incomum. De fato, as contagens de manchas so as mais bai- xasdosiltimos 50 anos, De Pde outubro de 2008 até 30 de janeiro de 2009, 0 Sol rnfo apresentou nenhuma mancha visével porcerea de 300 dias, o maior petiodedos Ultimos 50 anos. No entanto, segundo Phil Chapman, geofisico eastronaiita da Nasa, ‘nao hé nada com que se preocupar, a at vidade magnética solar PEEISTIIE Uo ciclo 24 esi aumen tando normalmence™. inimo de atividade seja um perio: Embora on do normal do ciclo solag al tio estranhando a dura guns observadores es 0 do minimo estar se atrasando mais que o es perado, chegando agora a0 seu quarto ano. De acordo com dados atus: lizados do Centro de Previsio do Clima Espa al do NOAA, o nme ro de manchas contin anormalmente baixo, préximo a zero, contra iando as previsies de cespocialisas, Desde julho de 2004 atéagoraya Nas/NOMA tiveram de refazer suas previsdes varias wees porque as manchas in sistem em nfoaparecer O vale qe snaliza 0 minim de atividade continua se estendendo eempurrandoas previsies dopico para 2013, ‘quem sabe até 2014 fuer fg acim). Apesar de muitasespeculagées alaristas sobre 0s possiveis efeitos dessa calmaria so bre clima da Terra, essa “inatvidade” solar no traz.conseqilgncias maioces, sendo dei xar os fisicos solares sem tera que fizetApe nas torcendo para que 0 Sol vote a Ihes dar boas razdes para volar a trabalhar Aracy Mendes da Costa, geofisica espa cial, 6 editora-assistenie de ScAeNTItc AMERICAN BRASH Sclentiric amenican onasi. 15 BLOCO DE NOTAS MEDICINA Promovendo a Satide Depésitos de remédios doados nao usados ainda enfrentam obstaculos POR JESSICA WAPNER + americanos gastam cerca de US$ 200 JbilhGes por ano com remédios contro: lados. Desde controlar os gastos, 37 estados aprovaramn ‘uma li permitinde que pacientes, seus fami liareseestabelecimentos de saide reaprove tem, por intermeédio de farmacias locas, me clicamentos nao usados edentro do prazo de validade, doando-os a pacientes com pou- ‘cos recursos. Em principio, milhares de pa- ciontes poderiam se beneficiar das leis de “reaproveitamenta de medicamentos”. Mas, por mais bem-intencionada que: tiva, problemas priticos impedem o amplo funcionamento desses programas. ‘As dirtrives para essas les, qne comega- ram gragas nos esforgos de familias com pacientes por abso: 1997, em uma centativa de tadores de cancer, lutamente consistentes em todo 0 pais. Os medica mentosdoados devern ter 0 selo original da embalagem ainda serem vatides pox, pelo menos, seis meses. As farmacias no se responsa Dilizam por quaisquer da nos que event pacientes venham a sofrer ‘com o uso do medicamen to, Alguns depésitas $6 aceitam remédios para 0 tratamento de cincer; ou- ‘0s aceitam qualquer pres- crigho -exceto narcéicose sedativos, Alguns estados aceitam comp ‘mids sem uso que estsjam sobrando no es tojo de remédios das familias, enquanto ou tos ~como medida de seguranga~ aceitam doagoes fissionais, como casas de saiide. Sob essa regras,o estado delowa coletou mais de 300 mil comprimidos em 2007, 0 ccquivalente a aproximadamente USS 290 rmil, eos distribuiu para cerea de 780 pacien- mlmente os somente de estabelecimentos pro- AG sctenriic AMERICAN east ves, Coma reciclagem de medicamentos em casas de sade, area de‘Tulsa, Oklahoma, economiza cerca de USS 120 mil por ano. Esse sucesso, no entanto, € pequeno se com parado 20 potencial que esse provedimento podesrazes Segunda Sociedade Americana do Cancer, até juno de 2008, somente cerca de um tergo dos estados com kcis de reapro- veitamento tem programas funcionando. ‘A falta de recursos & o grande problema: farmmacias que aceitam doagées n4o querem arear com os custos do perigo de contami- nagio se esses medicarwentos forem descar- tados sem uso, Sem nenum sistema de re cembolso para o manuscio e processamento de medicamentos doados, as drogarias de- RREMEDIOS POPULARES: o sucesso de programas de reaproveltamento de rmedicamentos élimitado por uma série de restricbes. vem estar dispostas a funcionar como dep6- sitos por mera benemeréncia. E, apesar da legislagio, muitos farmacéuticos tém receio de serem processados se os medicamentos rio forem usados adequadamente, Armaze- nar remédios, prineipalmente quando.0 ma- terial exige relrigerago, implica custos problemas adicionais, ‘Os proprios médicos tém evitado encami- rnhar pacientes para os depositos, Muitos cham que medicamentos doados sao artis- cadas porque sua origem nto pode serrastrea- da, “Nao damos nenhum medicamento para ningim sem saber sua exata procedéncia’ justifica Roger Lyons, hematologista e onco- Jogista particular em San Antonio, 4 sidera.aatividade semethante preserigio de receitas pela internet ou por farmicias estran _geras. “Sou responsivel por garantir que um ppaciente ob meus cuidados receba o medica: ‘mento correto, par iso no quero votre ris- co.” Lyons também no v6 urilidade nos de- pésitos. “O ntimero de pacientes que nfo consege remédios gratuitos e que também ‘ao pode compré-los €reduzido.” A incapacidade de garantir 0 forneci- ‘mento imediato também é um problema, Doug Englebect, diretor do programa de cea- proveicamento de remédios em Wisconsin, observa que pode haver interrupez0 no tratamento se uma farmécia tiver um remédio doado em tum més, mas ndo no outro. Ele observa que “os médicos devem ser cautelosos com os depésitos porque o forneci- ‘mento nao é garantido”. Englebert ressalea que algu- mas exigéncias legais so em= pecilhos para a aplicagio des- ses programas, Por exemplo,o descaste de remédios com pra- zo de validade menor que seis rmeses—o que reduz dramaticamente 0 abas ecimento de doagbes — deve ser bastante cuidadoro porque muitos desses medica: ‘mentos poderiam ser muito bem utilizados esse periodo. Como o selo de seguranga rio pode ser rompido, um frasco quase ccheio nao pode ser doado. As exigéncias li rmitam as doagties praticamentea compeimi- dos em cartelas com poucas unidades, ou aré embalagens com dose Margo 2009, BLOCO DE NOTA‘ “Ha poucos medicamentos em embala zens de dose iniea, € por isso poucos sia Jo”, lembra Englebert ‘Mlém disso fala de recursos torna os peo- ‘gramas mais problemiticos, Sem uma base de dados das farmicias e drogarias partci- pantes edo estoque disponivel, os benefcis- ros devem contarar cada um dos pontos de disteibuigdo registrados para saber onde ‘conseguir o medicamento prescrto. ara melhorar as eis sobre os depsitos, funciondtios da satide, farmacéuticos ¢ wo Inneérioscriacam varias estratégias. Alguns hhospitais esto incorporancd os depositos «em programas de assisténcia contin. Ou: tc0s esforgos concentrai ‘mentos especificos, como remédios caros mento de cancer e que apresen- tam baixa tolerineia nas pacientes. io também ¢ importante: as proprias drogarias poderiam informar os consumidores sobre o que fazer com medi- camentos no usados, E, como argumenta Englebert, enfrentar os problemas das em= balagens logo no inicio ~ como usar mais comprimidos em cartelas ~ pode ajudar a satisfazer as exigencias de segurangs, Maitos especialistas e responsiveis por pacientes continua otimistas em relagio. fos depésitos, Sarah Barber, analista estra tégiea da Sociedade Americana do Cincer, para ou A edu OTIMIZACAO Retornos Propositais ‘Como fechar ruas e desligar semaforos pode desafogar o transito POR LINDA BAKER Pigs ecrennds mite que, endo hover aumento no ni- mero de veiculos, mais ruas significa menos congestionamentos. Por iio, quando 05 peo- jotistas erm Seul destrufram uma rodovia de seis pista, he alguns anes, ea substitafcam por um estacionamento de & km de compri: ‘meno, muitos profssonais da érea de trans ‘porte se surpreenderama.com fatode gue,em ver de pioras,o flaxo no transito na cidade melhorow, “As pessoas estavam desespera www.seiam.com.br ESTADOS QUE PERMITEM DOACOES ‘QuEM PODE DOAR Quaternary rato WB oo teiorce midis [By Soret esac sends rofeona come ose se, droga fens estas I Peete 0 ft [ otcbes ce [Sem progam ce doacies rac at. rat, Naa Penivina x enmsem programa rors 0 clnr Wiens amen para doers ras ‘observa que a tendéncia nacional apona para uma necessidade clara. Fsses progea~ futuro”, acredita, bioin fa7a0 © 6 a9 de Abril de 2009 SAo Luis do Maranhao Centro de Convencées: Gov. Pedro Neiva de Santana Jessica Wapner escreve sobre assuntos de satide eassisténcia médica, Uma realizagao das”, lembra Anna Nagurney, da University ‘of Massachusetts, em Amherst, pesquisadora de redes de transporte de computadores. “Foi inverso do paradoxo de Bracss.” © paradoxo do matematico Dietrich ‘Braess a Universidadede Rubs,em Bochum, Alemanha, se reduz 2 uma absteacio: em ‘uma rece em que todos os entes em movi= ‘mento procuram a rota mais efiiente, au: ‘mentarsua capacidade pode reduzi a eficiéa- cia geral da rede. O projeto de Seulinverte ) MUTUAL Apoio Acesse: ejmutual.com.br/congresso BLOCO DE NOTAS _agem segundo seus prepriosinterasses. «ssa dincimica: fechar uma avenida ~ou seja, reduzit a capacidade da rode ~ melhora a ef cidncia do sistema, Embora parasloxo de Braess tena sido ‘dertificadona década deo0 eestejaenraizado na teoria eoondmica dos anes 20, 0 conceito ‘io deslanchou nos Fstados Unidos, pais de- dicado aos automéveis. Mas, no séeulo 21, problemas econdmicos € ambientais esto es :miugando novamente a idéia de que limitan doo espago para os eatzos,as pessoas podem selocomover com mais facilidade, O segredo. dessa aborcagem contra-intuitiva a organiza io do trafego esta na manipulagio de ine esees pessonis de rodos os mororistas. Umbom exemple é artigo publicado em setembro de 2008 na Physical Review Leiters, intitulado “The Price of Anarchy in Trans- portation Networks” (O Prego do Caos em Redes de Transporte), por Michael Gastnes, res desenvolveram um estudo em Massachusetss Be com mais de 35 mil médicos © des- cobriram que um sistema cletrdnico, {que permite aos médicos diitar as recetas ¢ envilas as farmacias ppormeio de um sistema sem fio, aumentoua populacidade dos gen cos de 55% para 61% em todasas receitas. No entamto, um grupo dlecontroleformado por médicos que nao sabiam como fazer pres rigs eletrGnicas-~receitou um niimero menor de genéricos: as vita subiramn aproximadamente de 53% para 6% durante o peri do do estudo, Atéo momento, somente 20% dos médicos usam esse _método;se a prstica fosse amplamente adotada, haveria uma econo- mia anual de USS 4 miles a cada 100 mil pacientes, segundo os autores da pesquisa. As descobertas estio no Archives of Internal “Medicine, de 8 de dezembro de 2008. = Jordan Lite TECNOLOGIA MENOR, PREGO MAIOR: Genéricos s80 menos prescritos em receitudriosfeitos a mao. Nameros Vidas Truncadas Seager segue esa ead om crea de 4500 leaned resensbiolgease zolnsunpeus A marlin bm {mar enalaprilat ero pais asics 0 que superego duane gear dein, sumera so aes que nase gos Masos docs ter loreftanasprtasrecntes masons co os naiser eel a | Tempo devia éo emanas Emzooégics Noambientesehvagem efarts icons 16,9 6 HE Beenesesiios 1890 AN exert deft rc do pina gave quo -chegaram aum ano devida: Em zokégicos Noambientesehagem Elefantesafricanos 25,9 187 \ 174 Elfmtesasiticos 58,3 24 SCIENTIFIC AMERICAN BRASIL tidntsdemalskowenmoneosqsen copia {(G » FONTE.Sclance, 12 de deze do 2008 Marco 2009 \ i BLOCO DE NOTAS Armadilhas Corporais para Bactérias (CApsuilasoeasfetas de um polimero orginico condutor podem agir como armadilhas para baceérias. Os mieroorganismos, que tim carga elériea geral negaiva, podem aderir a fla- rmentos ou Kiminas finas em relevo nas armadilhas cartegadas positivamente. Quando ex posts uz, as eipsulas produzem uma forma bastante reativa de oxigen altamente tox ‘co para a bactéria~ depois de uma hora, elas eliminam mais de 95% dos microorganismos dasimediagdes. As partcula,desenvolvidas por cientistas da Univesity of Florida eda Un versity of New Mexico, podem ser aplicadas em diversas superices incluindo em euipa :mentos médicos. As descabertas foram publicadas online no dia 24 de novembro de 2008, pela ACS Applied Materials & Interfaces. ~ Charles Q. Choi BIOLOGIA Inseto contra Inseto =, ‘Como osimosquitosconseguem car YETORVIRAL sistema :egar virusmorias,comoodo este imunolégice do doNiloedadenguc,sem seremmo- mosquito mantém virus Jestados poreles? A teoria predomi- morta sob controle. nate sustenta que vise mosquitos vivemem harmonia, Mas entomologistasdescobriram queo oposto pode ser verdade fnfctan. cdo mosquitos com um virus de teste, eles descobriram que o sistema imunol6gico do mosquito Alivide o material genético do patigeno de modo que o inseto nao fica doente. Em contrapartea, ‘quando os mosquitos reccberam uma versio genericamente modificada que blogueou o meca: nismo de alterago do gene, os insetos do conseggieam atacar oinvasor e foram dizimados qua- two vezes mais rapidamente. A deseoberta pode gerar antivirals que mimetizam os artificios usa os pelo mosquito para matar 0 virus. O Proceedings ofthe National Acadeyny of Sciences USA publicou as descobertas on-line em 1° de dezemloro de 2008. ~ Susannah E Locke Fisica Novo Tipo de Termémetro Para os fisicos, medie a temperatura é mais que ler uma coluna de mercicio. Auunidade bssica de temperatura, o kelvin, &definida como 1/273,16 da ci ferenga entre o zero absoluto eo ponte ciplo da égua ~ quando as fases 6 dla, ligquida ¢gasosa coexiseem a determinada pressio, Um kelvin correspon ddeao incremento de um grau na eseala Celsius. Agora, os isicosinventaram ‘um cermémew eletsGnico que conecta a temperatura diretamente a un ni |~a constante de Boltzmann, valor relacionado & energia cinica das moléculas. O dispositivo se haseia no farode que nama mateiz de jungdes do tipo tinel ~camadas finas de isolantes, prensadas entre eletrdos a variagio da condutincia elérica € diretamente proporcional ao produto, «da constante de Boltzmann pela temperatura. Fmbora essa termometria ba- da no bloqueia de cargaseletricas jd aparega em alguns dispositivos espe- aumento da eficiéncia é enorme. Eo topo da montanha certamente ainda nao foi avingido; no hé base para isso por parte da fisica. Mas precisamos de tempo para encontras as combinagies de mate Tiais e morfologias corretas, SPEKTRUM: Nao se poderia cogitar, ness trara luz sobre a superficie ativa,elevan www.selam.com.be SCHMIDT-MEND! 2 verdade no, pois pioram com altas, Elas fio fracos: sob intensidades luminosas nuit sio fortes onde os outros luzfraca eilminagio difusa. De qualquer forma, nosso objetivo princi € as um recorde de eficiencia SPEKTRUM: E qual é 0 objetivo de vocés femos desenvalver 's para uma produgio barata em io industrial. Imagine que o mate rial portador flexivel fosse simplesmente processado em um rolo, banhado diversas veres, de forma que, no fim, surgissem as <élulas solates prontas. A produgao dos equipamentos fotovoltaicos comerciais € proporcional ao trabalho, ¢ 0 consumi dor final s6 consegue amortizé-lo a0 lon- go de anos. Queremos eélulas que amor tizem seu custo ao final de um més. A ee ee een ens Universal Display Corporation utiliza er eee an oy Poe er ty maleabilidade das e¢lulas de material sin tético também é uma grande vantagem, pois elas podem ser moldadasem todas os formatos possiveis. Isso barateia tanto a instalagfo quanto o teansporte SPEKTRUM: Elas jf estio em SCHMIDT-MENDE: Konarka, com sua principal filial européia em Nuremb o smpresa americana -mplo, pretende tem breve, um primeiro produto. tum carregador de celular maleavel. Ela aplica cada uma da: semelhante a wma inapresso: ra a jato~ sobre 0 material portado: ‘SPEKTRUM: Curtos periodos ‘io parece tentadlor, Masas célul: solaces Donginicas nao envelhecer mais répido? 'SCHMIDT-MENDE: O corante pode desbo- tar, nao ¢ diferente da cor de uma roupa Scientiric american asasi: 31 mf ENTREVISTA = SE FUNCONAMENTO DA CELIA DeCORANTE: a luz estimula a molécula de corante (vermetho},elétrons penetram ra nanoparticula de didxido de titania esa0 entdo dderivados. Para compensar 0 deficit de carga, novos elétrons 0 injetados por ‘melo do polimero condutor. Parla dedi de itdnio Eletodo de our) Camadacondtora Wransparente Corante (verre) sobre dixie de ttrio Polimera cendutor Hlewodo deouro da uma camada protetora de UV. Ela absorve a luz UY, rica em energia, mas deixa passar a luz visivel. Além disso, 0 corante se decompoe se os elétrons retira~ dos nio forem rapicamente repostos. Se ‘las supor- tam até mesmo as mais dificeis condigiies ~altas temperaturas ¢ iluminagao intensa permanente ~ por mais de mil horas de trabalho, Os primeizos testes dessas célu- las sobre um telhado também nos deixa- ‘ram otimistas: mesmo apés um ano, seu grau de efiedcia dereriorou pouco. cle puder se regonerar, as SPEKTRUM: O senor disse que o topo, em relagao efciénca, ainda nao foiatingido. ‘Com que medidas cla pode ser elevada? ‘SCHNIDT-MENDE: Em principio, natural mente, deve-se utilizar todo 0 espectro solar para geragio de energia. Isso nenhum corante consegue sozinho, mas talvee uma combinagio de téeios coran- tes possa faze isso. Uma primeira cama: da ikea ondas de um determinado com- primento, a segunda, de outro, © assim por diante. © problems, porém, €a espes- sura de cada demio, pois se 0s elétrons liberados nao conseguem sair suficiente- mente rapido, voltam a preencher 0s buracos de novo. Teenicamente, falamos os portadores decarga io chegam a0 diéxido de titinio. Além disso, estamos tentando imped 0 retor no dos portadaces de carga para 0 coran- te através do didxido de titan, ‘em recombinagio SPEKTRUM: Simpedido? SCHMIDT-MENDE: Aplicamos, por exem plo, uma camada bem fina de éxida de alt- como isso pode ser 32 scientiric AMERICAN oaasit minio sobre a nanoparticula. Ela, porém, impede concomitantementea passagem do didxido de titanio. No final, tudo sempre depende da escala de tempo: o que aconte- ce,em que velocidade ecomo os elétrons tburacos podem ser derivados da melhor maneita possivel? Além disso, nés pode- mos dotar 0 diéxido de titinio com 4to- ‘mosestranhos, modificando assim os seus niveis de energia a fim de reduzir a proba~ bilidade do refluxo, Estamos pesquisando todas essas possibilidades, SPEKTRUM: Isso soa um pouco como 0 trabalho de um alquimista moderno. 'SCHMIDT-MENDE: Um pouco é isso mes- mo, Quando alteramos as condigdes de processamento, ou 0s materiais, obtemos, muitas vezes, graus de efetividade muito diferentes, Isso ainda nao conseguimos prever com 100% de preciso. Um pro blema, por exemplo, ¢ 0 fato de que 0 material que deve voltar a fornecer elé- ‘rons aos corantes, muitas vezes, nfo pre enche todos os espagos varios, SPEKTRUM: Qual seria uma solugio pos- sivel nesse caso? SCHMIDT MENDE: Queremos substituiras esferas por estruturas auto-organizadas e ordensadas, como ranoflamentos ou nano- eubulagdes. Assim, por exemplo, eriamos cletroquimicamente poros minisculos de 6xido de alumsinio sobse uma pelicula por tadora, a preenchemos com um Oxide etilico, como 0 diéxido de titnio de novo, € por fim voltamosa trar 0 6xido de Aluminio com um corrosive. Restam fila- menos ou tubulagdes lives, de aproxima- damente SO nanometros dedidmerro €300 4 400 nanometeos de comprimento. Ja coaseguimos o comprimento de um micro- metro. Mas, em algum momento, as forgas finternas se fornam muito intensas € as esteuturas colapsam, colam-se umas is ‘outras ou até se soltam do portador. Com essas estruturas ordenadas, as cargas poclem ser retiradas muito mais rapida- ‘mente e ocorrem menos recombinagdes. SPEKTRUM: As células solares orginicas poderiam colaborar para uma revolugio no sistema fotovoltaice tradicional? SCHMIDT-MENDE: Uma coisa € certa: 0 Sol fornece mais energia que podemos uti- liza. Apenas por isso, essa técnica tem, a0 menos na Alemanha, o mais alto poten- cial entre as energias renovaveis. Segundo cestimativas da OCDE, é possivel elevar em 60% a geracéo de energia. © que é realizavel ow nao desse potencial depende, ‘em tlkima instincia, do prego. Estou con- vencido de que, com a fordnica orginica, vamos produzir eélulas solares tio bara~ tas que serio popularizadas. . GERHARD SAMULAT, gue fez essa enire- vista originalmente publicada pela revista ale Spektcur der Wissenschaft, ¢jorna lista cientifico. ‘> PARA CONHECER MAIS Photoclecrochemical ells M.Grta em ate, igs 338344, 200, ‘Advance in iquid electrolyte and solid-state dye sensitized solar cells. H.1 Saith Schmidt Mende, em Advanced Materia 19, Wiley pigs. 23187-3200, 2007 Margo 2003 FISICA Nuas Buracos negros tém uma parceira inconveniente, a singularidade nua. Os fisicos gostariam que ela nao existisse. Mas sera que ela existe mesmo? Ce een) Lecce alee! jéncia moderna apresentou ao mundo wn gravidade to intensa que nada pode es Sa a tuma série de idcias estranhas, mas, cer- par das imediagBes. No centro do buraco neg; poe ieee raments uma dass extricas €o des-exiteuma ingularidade— um pont nfitesinal paleenataa ama estrela massiva que chega ao fim da onde toda a matéria est comprimida. Ao redor da esas fy xaurie ocombustivel que asustentou — singulaidade existe uma regi do espago de onde pices deanosela nio pode mais suportar — éimpossivel escapar, chamadla horizonte de even MINE 6 pcopcio peso c colapsa catasteoficamente, tos Tado que penetrarno horzonte de eventos pr ee elas pouco massivas como o Sol também deri qualquer esperanga de sai. Atéalu2 que um dimensées menores. Se a estrela for suficient x paisa vera, Novfir cla fatal Peet td pein mente massiva, a gravidade supera todas a! ee poderiam impedir seu colapso. Mas essa cena é realmente verdadeira? As leis PEE Com milhoes de quilometrosde diametco,classe da fisica asseguram que a singularidade se forma, POM concracm até atingir o porte de uma ponta de mas sa0 ¥ Fe @ horizonte de evento: Crees alfinete - menor que pingo do “i” fisicosteabalha com a hipstese de que oat ecnined ora dos fisicoseastrénomos pensa que 00 horizonte de eventos deve realmente se formas, resultado dessa contra bbaraco negr tno que no passe de artificio para encobrir 34 SCIENTIFIC AMERICAN seasiL Marco 2009 ‘uma situagio embaragosa, Os fisicos ainda deve descobrir © que acontece exatamente na singula- ridade:a matéria €esmagada, mas o que acontece depois? © horizonte de eventos, a0 ocular a sin- gularidade, isola essa lacuna em nosso conbeci- ‘mento, Todos 0s tipos de processo desconhecidos da ciéncia podem acontecer na singularidade, uma vez que ndo terZo qualquer efeieo no mundo exter ro. Astrénomos que mapeiam as érbieas de pla necas ¢ de estrelas podem ignorat as incertezas imtroduzidas pela singularidade eaplicar as eisda fisica com seguranga. O que quer que acontega no buraco negro permanece li, No entanto, um erescente niimero de pesquisa- Xdores esta questionando essa hipétese, Eles tém encontrado grande variedade de cenrios de colap- so estelar em que o horizonte de eventos ma, de fato, deixando a singularidade exposta, A ‘esse fendmeno, os fisicos chamam singularidade nua, Matéria e radiagZ0 podem mergulhar ¢ sai dela. Enquanto visitar a singularidade de wm bura- ‘conegro é uma viagem s6 deida, ao menosem prin- 107 eapdsseis meses de tratamento (abatio), quando tumor hava diminudo consieravelmente, toma a nanoterapia particularmente versitil ¢ ceapae de realizar fungbes complexas, no local ¢ ‘no tempo certos, no sistema de wim paciente Um dos maiores desafios no desenvolvimento uso de medicamentos para combater o cneer & conseguir levi-los aos tecids dentes sem danifi- car outros érgios. © tamanho da nanopartieula Ihe confere propriedades especiais que determi- ‘nam seu movimento no interior e através de tumo- res, Nanoparticulas menores que 10 nm, coma certas drogas formadas por pequentas moléculas, io rapidamente eliminadas pelo rim, enquanto particulas maiores, de 100 nm, 1@m dificuldade de ‘se mover pelo tumor, Parciculasna faixa de 10 nm 100 nm viajam pela corrente sangitinea 3 procu- 1a de tumores, embora sejam incapazes de escapar para a maioria ds tecidos sadios pelas paredes dos vasos sangitineos, Plo fato de hamvores terem ‘vasos sangiiineos anormais com paredes crivadas deporosgrandes, as nanopatticulasescapam para ‘os tecidos que envolvem o tumor, Como resultado, tendem a se acumular nos tumores, ‘minimizam os efeitos em outras partes do corpo, tevirando 0s tradicionais e errives efeitos colate ‘ais provocados por droga “Mesmo quando wm medicamento pad conse ue penet bomba celular padem ejtar a droga antes que ela comece a agit, como um mecanismonaturalde esis téncin a dragas, Nanopaeticulas penetram na céula porendocitse, processo natural que cria uma holst ‘de membrana celular em torno de um abjeco stra: tho, levando-o para dentro dacétula, proregendoa carga de particulas das bombas eelulates (ver quae cdro-ma prinsna pega) ‘Cortos tratamentos para 0 cancer, que cstdo sendoconsiderados como nanoparticalas, i cexistem hi algum tempo e ifustram algumas van tagens basicas dessas particulas para se atingir células tumorais, enquanto minimizan os efeitos nos tecidos sadios. A doxortubicina lipossomal, por exempl pico dicional, dentro de uma eépsula de lipfdeo, que tem sido usado para o tratamento do cancer ovs riano e do mieloma miiltiplo. A versio da droga revestida por lipidio apresenta muito menos tox cidade para o coragéo que a doxortubicina sem revestimento, embora um nove efeito colateral tenha sido observado, a toxividade da pele Novas nanoparticulas, como por exemple a TT- 101, que 4 passaram pela fase dos tesesclinicos de seguranga para humans, apresentam maior com: plexidacle que Ihes confere muiliiphas fungies. ATT 101 6 uma partcula de 30 nm, formada por poime- rosunidosa pequena molécula de camptotecina, que nquanto ar nas eéhulas tumorais, proceinas da SCIENTIFIC AMERICAN Bast, 47 muito semelhante a duas drogas quimioterpicas aprovadas pelo FDA (Food and Drag. sion): irinotecan e topotecan. Asparticulas deT-101 forameriadaspara circularnacorrente aig paciente efi permanocer drante 40 horas ou mais, ‘enguanto acamprotecina sorinha pode circular ape: sas por alguns minutes, Esse longo periodo de cir ceulagio €suficiente para queas nanoparticulas deTT= 101 penercem o tumor e Id permanegam, Depois, clas atingem as células tumoras e, entameate ibe- Administra ESTRATEGIA INOVADORA ‘Uma terapa experimental com ranopartiala, chamada CALAA-Of stra algamas das \vattagens que esses agentes podem ofreces Além da tendncia natural de se acuuler erm ‘umores,asnanopatculas podem ser projetadas parse drgrema um ourais teceptores clas opostos ao longo das eadeias,o material incan= descentedointerior rochoso deveelevarse para proen- chero espago deixado pela ragio. Mas deralhes de conde exatamentea lava se origina ecomo sobe para superficie permanecem um mistério Recencemente, modelos matemsticos da intera foguete propul vel que um foguete a motor qui mico para atingir 0 cinturio de asterdides. Caso os projeistastivessem optado por um motor con- vencional, a sonda chegaria a Vesta ou a Ceres, J. Na verdade motores também sio conhecidos, rapidamente passaram a sera melhor opedo para enviar sondas a destinos remotos. Entre 0s casos recentes de sucesso com propulsio elétrica esti ‘uma visita da espagonave Deep Space 1, também dda Nasa, a um cometa, uma viagem adieional pos sibileada pelaso prido o objeti a de propulsio, depois decum- original da missZo, Também uma Margo 2008 rentativa de uma sonda japonesa de pousar mum asterdide © an Smart-1,da Agéneia Espacial Européia, wsaram a propulsio a plasma. Devido as vantagens da tec: expedli¢ao a Lua da espaconave nologia, Estados Unidos, Europa e Japiio decic ram adotar © motor a plasma em futtras misses para exploracio dos planctas mais distantes na procura por planetas seinelhantes i Terra fora do Sistema Solar e uso do espsago sideral cone labo Um Longo Desenvolvimento Embora os propulsores a plasma s6 agora come Jeance, essa tecnologia com outasfinalidades no espago vem send desenvalvia ha algum tempo. Iino inicio da primeira década doséculo passa, pioneitos dos foguetes especularam sobre naves «spaciais movidas a eletricida. Mas 3 em mea- dlosdadécada de 1950, 0 faecido Ernst Stabling, inregrante do reconheciclo grupo de cientiscas espaciais de Wernher von Braun ~ que servin de i transformar 6 eonceitoem tecnologia apli cada. Alguns anos depois, engenhoiros do Glenn worw.sciam.com.br Research Center da Nasa 3 época eonhecido. elétrica, Esse motor fer um vo suborbital em 1964, embutido no Foguete Elérico spacial de Teste 1, ¢ opera por cerca de uma hora antes te, pes stica desenvolve