Você está na página 1de 4

Estados de tempo em Portugal

Rui Jesus

27-01-2010
Estados de tempo mais frequentes em Portugal

“Decorrente da posição geográfica que o nosso país ocupa e do modo como se


processa toda a circulação geral da atmosfera na zona temperada do norte, Portugal vai
registando, especialmente ao longo do ano, situações meteorológicas muito diversas,
embora umas sejam mais frequentes no inverno e outras no Verão.”
Matos António - Espaço Português, Edições Asa

As situações meteorológicas são,


normalmente observadas através de
imagens de satélite e de postos de
observação terrestre.

Posteriormente são representadas através de cartas sinópticas – mapas que


representam as condições atmosféricas através de símbolos. Da análise destas cartas
podemos tirar conclusões sobre o estado de tempo e fazer previsões do estado de tempo a
curto e médio prazo.

Situações meteorológicas de Inverno

No Inverno, as temperaturas são mais baixas, pois nesta época do ano, o território
português é mais afectado por massas de ar frio polar, a inclinação dos raios solares é maior
e a duração dos dias é menor. A ocorrência de precipitação depende da passagem da frente
polar, Doc. 36.

Escola Secundária de Penafiel


Por vezes, devido ao intenso arrefecimento da Europa Ocidental, forma-se nessa
região, e em particular sobre a Península Ibérica, um anticiclone de origem térmica.
Este anticiclone térmico, que resulta do forte arrefecimento do ar, constitui uma barreira à
influência das perturbações da frente polar. Assim, é previsível céu pouco nublado ou
limpo e uma descida das temperaturas, podendo ocorrer a formação de geadas durante a
noite, sobretudo no Interior, onde o arrefecimento nocturno é maior, Doc 38.

Situações meteorológicas de Verão

No Verão, as temperaturas são mais altas, pois nesta época do ano, o território
português é mais afectado por massas de ar quente tropical, a inclinação dos raios solares é
menor e a duração dos dias é maior. A precipitação é escassa, pois as baixas pressões
subpolares estão deslocadas para Norte. O mesmo acontece com as altas pressões
subtropicais, nomeadamente o Anticiclone dos Açores, o que origina bom tempo, Doc 40.

Escola Secundária de Penafiel


Raras vezes, acontece, devido ao elevado aquecimento diurno, verificado no
interior da Península Ibérica, forma-se sobre ela uma depressão de origem térmica, que é
responsável pela ocorrência de precipitação convectiva e até de trovoadas, principalmente
no interior do território.

Esta depressão, ocasionalmente estende-se até ao norte de África, que conjugado


com um centro de altas pressões localizado na Europa Ocidental, a circulação conjunta
destes dois centros faz com que cheguem ao nosso país massas de ar tropical continental
vindas do deserto do Sara. Especialmente no Algarve, o tempo torna-se muito seco e muito
quente, com vento a soprar de leste ou de sueste, ventos de suão, Doc 41.

Do mesmo modo, no Verão, quando um centro de baixas pressões de origem


térmica forma-se no interior do continente europeu e/ou na Península Ibérica, se conjuga
com o anticiclone do Açores,
centrado a norte deste arquipélago,
provoca vento fresco do
quadrante/direcção norte, conhecido
por nortada, a qual é particularmente
sentida na costa ocidental,
principalmente durante a tarde, Doc.
42.

Escola Secundária de Penafiel