Você está na página 1de 2

A dengue é uma das principais preocupações relacionadas à saúde

pública no Brasil e apresenta uma elevada relevância clínica devido ao elevado
número de casos. Segundo Teixeira e outros (2013), no período de 2000 a
2010, houve um aumento na incidência e um espalhamento geográfico dos
casos de dengue, acompanhado também pelo aumento da ocorrência de casos
severos. Uma grande porção do país atualmente representa áreas de
transmissão de dengue, mas existem áreas onde a ocorrência é praticamente
nula. A transmissão a longo prazo depende ainda da existência de um clima
favorável, população abundante e conectividade. (BARCELLOS; LOWE, 2014).
A implantação do Plano Nacional de Controle da Dengue (PNCD) visava
reduzir a incidência dos casos no país, mas segundo Pessanha e outros (2009)
os objetivos do programa não foram completamente alcançados. Segundo um
estudo realizado por Cazola e outros (2014), a participação dos Agentes
Comunitários de Saúde no controle da dengue foi confirmada como viável,
desde que corretamente aplicada. Segundo Villabona-Arenas e outros (2014),
a detecção de quatro sorotipos de dengue sugere crescimento das
hiperendemias nos centros urbanos do Brasil. Um estudo realizado no Rio de
Janeiro, demostrou uma relação entre a incidência e as variáveis sóciodemográficas. As variáveis, proporção de população urbana, porcentagem da
população com água encanada, e a porcentagem de cobertura do Programa de
Saúde da Família (PSF) explicou 30,2% da variação total na taxa de incidência
da epidemia. (TEIXEIRA; MEDRONHO, 2008).

REFERÊNCIAS
1

BARCELLOS, C.; LOWE, R. Expansion of the dengue transmission area in
Brazil: the role of climate and cities. Trop. Med. Int. Health. v.19. n. 2. pp. 159-68.
Feb. 2014.
2

CAZOLA L. H. et al. The incorporation of activities to control dengue by
community health agents. Revista de Saúde Pública. v. 48. n. 1. pp. 113-22. Feb. 2014.
3

PESSANHA, J. E. et al. Evaluation of the Brazilian National Dengue Control
Plan. Caderno de Saúde Pública. v. 25. n. 7. pp. 1637-41. Jul. 2009.
4

TEIXEIRA, M. G. et al. Epidemiological trends of dengue disease in Brazil
(2000-2010): a systematic literature search na analysis. PLoS. Negl. Trop. Dis. v. 7. n.
12. Dec. 2013.

Trop. n. Caderno de Saúde Pública. R. Feb. pp. Negl. Socio-demographic factors and the dengue fever epidemic in 2002 in the State of Rio de Janeiro.5 TEIXEIRA T. et al. MEDRONHO R. Dis. PLoS. Sep. 2160-70. n. . Detection of four dengue serotypes suggests rise in hyperendemicity in urban centers of Brasil. v. 24. 2008. v. C.. 2. 8.J. 9. 6 VILLABONA-ARENAS. de A. 2014.