Você está na página 1de 9

283

PASTOR E AS OVELHAS

Ama o Pastor as ovelhas,


Com um amor paternal,
Ama o Pastor seu rebanho,
Com um amor sem igual;
Ama o Pastor inda outras,
Que desgarradas esto,
E comovido as procura,
Por onde quer qu'elas vo.

Pelos desertos errantes,


Vem-se a sofrer penas mil,
Ele ao ach-las, nos ombros
Leva-as ditoso, ao redil.

Ama o Pastor seus cordeiros,


Com inefvel amor,
Aos que, s vezes, perdidos,
Gemendo se ouvem de dor.
Vede o Pastor comovido
Pelas colinas vagar,
E os cordeiros nos ombros,
Vede-O, levando ao lugar.

Pelos desertos errantes,


Vem-se a sofrer penas mil,
Ele ao ach-las, nos ombros
Leva-as ditoso, ao redil.

Ama as noventa e nove,


Que no redil abrigou;
Ama a que, desgarrada,
Np campo se desviou;
" minha ovelha perdida!"
Clama o dolente Pastor;
Quem ir em sua ajuda,
Para salv-la, Senhor?

Pelos desertos errantes,


Vem-se a sofrer penas mil,
Ele ao ach-las, nos ombros
Leva-as ditoso, ao redil.

So delicados teus pastos,


Mui quietas tuas guas so;
Eis-nos aqui, bom Mestre,
D-nos veraz direo,
Faz-nos obreiros zelosos,
Enche-nos de santo amor,
Pelas ovelhas perdidas
Do Teu redil, bom Senhor. J.T.L.

Pelos desertos errantes,


Vem-se a sofrer penas mil,
Ele ao ach-las, nos ombros
Leva-as ditoso, ao redil.

Você também pode gostar