Você está na página 1de 37

Hipotireoidismo

Tireóide

Profª. Luciana F. Karsten


Tireóide
Hormônio tireoidiano
promove o crescimento
normal e desenvolvimento
e regula inúmeras funções
homeostáticas, incluindo
produção de calor e
energia.
Definição
Estado caracterizado por uma
produção deficiente de hormônios da
tireóide, decorrente de
anormalidades estruturais e/ou
funcionais.
Sintomas e sinais
• PELE
– Pele seca, descamativa e áspera
– Palidez e frieza
– Coloração amarelada
– Cabelos secos e quebradiços, queda de cabelos
– Fragilidade ungueal
– Madarose (rarefação do 1/3 distal das
sobrancelhas)
– Edema facial e peripalpebral
– Edema de MMII
– Lenta cicatrização de feridas e ulcerações
Fáscies Mixedematosa

Madarose

Edema peripalpebral

Pele amarelada
Fáscies Mixedematosa

Antes do tratamento Após tratamento


Sintomas e sinais
• SISTEMA CARDIOVASCULAR
– Bradicardia e menor débito cardíaco
– Diminuição fluxo sanguíneo para os tecidos

• SISTEMA RESPIRATÓRIO
– Dispnéia
– Derrame pleural (RX)
– Depressão ventilatória → coma mixedematoso
– Apnéia do sono
Sintomas e sinais

• SISTEMA DIGESTIVO
– Macroglossia
– ↓ atividade peristáltica → constipação
– Impactação de fezes→ megacólon
mixedematoso
Sintomas e sinais
• SISTEMA NERVOSO
– Fluxo cerebral diminuído
– Letargia, sonolência
– Falta de iniciativa
– Demência
– Reações paranóides e/ou depressivas
– ↓contração e relaxamento muscular
Sintomas e sinais
• SISTEMA MUSCULOESQUELÉTICO
– Fadiga muscular generalizada
– Mialgias
– Cãibras
– Artralgias
– Derrames articulares
Sintomas e sinais
• SISTEMA REPRODUTIVO
– Irregularidade menstrual
(oligomenorréia, amenorréia,
menorragia)
– Diminuição da libido
– Distúrbios ovulatórios
– Infertilidade
– abortamento de repetição
– Disfunção erétil e oligospermia
– Hiperprolactinemia
Sintomas e sinais
• SISTEMA HEMATOPOIÉTICO
– ↓ eritropoietina → anemia normocrômica
normocítica
– ↓vit. B12 → anemia macrocítica
– Redução da adesão plaquetária

• FUNÇÃO HIPOFISÁRIA
– Aumento da pituitária
Sintomas e sinais
•BÓCIO
–Presente
»Tireoidite de Hashimoto

Bócio
difuso
Diagnóstico

• Quadro clínico
Início insidioso (meses ou anos)
• Laboratório
Tratamento
• Levotiroxina
• Triiodotironina

Avaliação do tratamento
• Remissão dos sintomas
• Após atingida a dose de manutenção,
novas avaliações da função tireoidiana
devem ser feitas a cada 6-12 meses.
• A duração do tratamento depende da
etiologia.
Hipertireoidismo

Tireóide
Definição
Conjunto de sinais e sintomas
decorrentes do excesso de
hormônios da tireóide.

É o 2º distúrbio endócrino que mais


afeta as pessoas depois do diabetes.
Causas
• Bócio difuso
• Adenomas

Sintomas
• Fome excessiva, aumento do ritmo intestinal,
nervosismo, insônia, labilidade emocional,
tremores, intolerância ao calor, palpitações,
emagrecimento, olhar vivo e brilhante, pele
quente e úmida, unhas quebradiças, cabelo
seco, quebradiço e encaracolado.
Diagnóstico
• História clínica correlacionada com os
sintomas anteriores.
• Pacientes que estão investigando
arritmias cardíacas ou dores abdominais
relacionadas ao emagrecimento.
• Exames laboratoriais.
• Bócio aumentado: disfagia, dispnéia.
Tratamento
• Descobrir a causa
• Regular o hormônio com
administração de hormônio
tireoidiano
• Iodo
Síndrome de
Cushing
Hipófise
Definição
A síndrome de Cushing é uma
desordem endócrina causada por
níveis elevados de cortisol no
sangue.
Fisiologia: Eixo hipotálamo-hipófise-
adrenal
Fisiopatologia
• TU hipófise faz com que se produza mais
ACTH (hormônio adrenocorticotrófico) e este
estimula o córtex da supra renal aumentar a
produção de seus hormônios (cortisol).

• Administração de corticosteróides ou de
ACTH também pode produzir Snd. Cushing.
Cortisol
• A quantidade de cortisol presente no sangue
sofre variação nas várias fases do dia (ritmo
circadiano), com os níveis mais altos pela
manhã e os níveis mais baixos à noite.
• Modificação da luz, estresse, depressão e
níveis anormais de ACTH, cirurgia, febre,
medo etc. estimulam o hipotálamo, hipófise
e esta manda mensagem para o córtex
supra-renal produzir mais cortisol.
Ações do Cortisol
• Hiperglicemia: é antagonista a insulina. Faz quebra das
moléculas de carboidratos e açúcar.

• Cutâneo-musculares: quando há excesso de cortisol crônico há


perda muscular.

• Ósseas: diminui a produção óssea.

• Antiinflamatórias: diminui as ações inflamatórias do organismo.

• Ações sobre sistema nervoso central: diminui o aprendizado,


pois danifica as células do hipocampo.

• Controle da pressão arterial: diminui a capacidade do corpo


controlar a pressão arterial.

• Diminui a ação imunológica


Cushing: sinais cutâneos clássicos

• Fáscies “lua
cheia”,
“cushingóide”,
“moon face”

• Fossas
supraclavicula-
res cheias
Cushing: sinais cutâneos
clássicos
Fragilidade cutânea: estrias violáceas
Cushing: sinais cutâneos clássicos
Fragilidade cutânea: estrias violáceas
Obesidade centrípeta
Cushing: sinais cutâneos clássicos
Fragilidade cutânea: equimoses
Cushing: efeitos sobre músculo
Sintoma: fraqueza
muscular
Sinais:
- Atrofia muscular proximal
(cintura pélvica e
escapular)
- Inabilidade de agachar e
levantar sem apoio
- Inabilidade para subir
escadas
- Inabilidade para estender
roupas no varal
Síndrome de Cushing: efeitos sobre
metabolismo glicêmico e controle da
pressão arterial

DETERMINANTES DE MORTALIDADE PRECOCE!

- Incidência de hipertensão (principalmente diastólica)


cerca de 80%!

- Incidência de tolerância diminuída à glicose


cerca de 40 a 90%!
Síndrome de Cushing: efeitos sobre
metabolismo ósseo

- Freqüente osteporose

- Aumento do risco de
fraturas
- causa osteonecrose
Síndrome de Cushing: efeitos sobre
sistema nervoso / humor

- Indução de morte neuronal cerebral


(especialmente hipocampo)

- Oscilações do humor: depressão,


euforia, psicose
Síndrome de Cushing: diagnóstico

PASSOS

• Confirmação do
hipercortisolismo

2) Definição da
dependência do ACTH

3) Definição da etiologia
Síndrome de Cushing:
tratamento

Repensar: diagnóstico
etiológico / localização da
doença bem determinada?
Síndrome de Cushing: tratamento

Hormônio
Tratamento cirúrgico
Sintomático