Você está na página 1de 18
QUANTIDADE DE MioviMENTO E ImPpuLsO MEL cFuvestsm) Um veiculo de 0,20 kg Fo" apasccontrasse 2 40 1 a poset te memes nesse inetante? Tonhancs le a particula de jus @ que se refera Frankl | (Union cH) Dole weiculos tem, SUma particula de jus caminhando com ve- | Veiculos s80'1,1 © 2.7 tonclacias, Seo velcule locidade de 3". 10" m/s; Geveria produzit 0 | de menor massa tem velocidade de 14 m/s mesmo impacto (eranaferir mesma’ quantida- | uals velocidade do outro? oxercicion/@ Ss0tvides. « © laarama mostra a intensidade da orga te esse force, move so ain linha neta, a parcr'de repose, “4 2 Simpce a force nor 15 = de aplcncso, ‘locidede do mevel (de massa TO Kg) ne instante =} Bee y- 19513 jos12s =. [yotasns Q,-Qe=m-w—m-ye* = [war2s ms de 6 m/s. Ao receber um t ‘is, em divegao perpen ics a {2 a intensidade do Impuleo de b) a intensidade de F Biers + s-r.01 + [Foson Logo: act Aplisando © Zeoreme de Ptsgoras SSCs = laql=skg-mvs ontso, polo: il=taql > [T=sNos REEDS SE SEEN Conmo-cetetENCERD A intemsic | ) @ médulo da sum quantidade de movimen- Gace (org reste stun solresum "Yoram Tvs noratane t= po de acordo com 6 gfatica ao lado. se Consierando-se 0 corpe iniclalmvente erm re- 3) a sua energia cinética, em joules, no Ins- (EER Wnicamp-sP) Uma _metralhadora dispara balas de massa m = 80 g com veloci- dade de 500 m/s. O tempo de duragao de lum disparo € igual a 0,01 s. a) Calcule a aceleracao média que uma bala adquire durante um disparo. b) Calcule © impulso médio exercide sobre uma bala. (NGI (MACK-sP) Um movel de 3,0 kg. tem velocidade escalar de 30 m/s, no ins tante t = 0 em que se the aplica uma forca na mesma direcao da velocidade, de valor representado no diagrama. Nessas condi- ‘ces, qual a velocidade escalar do corpo no instante t = 6,0 s? Fo eo. te) BEEZ crcMsc-sr) Um corpo de 0,1 kg Tecra ar ickcgtetorsase et aneeeetas tecalar constante de 2 m/s. Qual € a Intensl- di dy piles SEK pa ep eee alo de. tempo correspondiente 20) percurso Ge 1/4 da cheunferencla? EEN UFMG) Qual é a intensidade, a diresao e 0 sentido da forca que muda a ‘quantidade de movimento de um corpo de 4,0 kg - mis, no sentido leste-oeste, para 3,0 kg - m/s, no sentido sul-norte, em 0,5 5? (UFGO) Um bloco possuindo: mas- sa de 2 kg e dimensoes desprezivels desliza fem trajetéria retiinea apoiado num plano ho- rizontal liso. No instante t = 0.a velocidade do bloco vale 5 m/s © passa a agit sobre ele luma forca resultante sempre na dlreglo.e sentido do deslocamento do bloco. A intensi- dade da forca resultante varia com o tempo de acordo com 0 grafico. FN) 1) 2) Qual a aceleracao experimentada pelo bloco ‘no intervalo de tempo que vai de 2 a 4 s? 'b) Qual a velocidade do bloco no instante 4s? ©) Qual 0 trabalho realizado pela forca entre zero e 48? [EGE GFuvest'sP) Uma pessoa dé um pi- parote (impulso) em uma moeda de 6 g que Se encontra sobre uma mesa horizontal. A ‘moeda desiiza 0,40 m em 0,5 s, e para. Cal ule: (g = 10 m/s?) a) 0 valor da quantidade de movimento ini- cal da moeda;, by cocficiente de atito dinamico entre a moeda ea mesa, ee ee IEEE ois biocos, A (ma = 2 kg) © B (ma zontal sem atritos. 5 kg), estao em repouso sobre um plano hort- Entre 0 dois, ha uma mola comprimida, encostada em suas laterals e mantida nessa posicso por um fio ideal, conforme a figura. Ap6s 0 corte do fio, o bloco B adquire a velocidade esca- lar de 3,0 m/s. Qual 6, entao, a velocidade escalar adquitida por A? Resolucao: Como as forgas externas se neutralizam, o sistema ¢ isolado: Qy = Qj (ENE um individuo de massa m esté em repouso numa das extremidades de um barco, também em repouso, nas éguas de um lago. A massa do barco é M. Se 0 individuo caminhar até a outra extremidade do barco, cujo comprimento é B, qual seré 0 deslocamento d do individuo em relagao as aguas? Despreze 05 atritos entre o barco e as aguas. Resolusao: O sistema é isolado, pois as forcas externas se equilibram: Inicio: =a Hea xt paaex fim: ou x=D-4 Como Ang = d, AS, d =x PAPAL. -md _ -Mx at at m-d=M-x o=m ~x (barco em sentido negativo) e @ =Q re" + 94" = +0, 0 =m Vag #M Vy As AE, temse: m-d=M:(D-d) M-D-M-d M-D ee ‘(ED eeM-sP) Um barco de massa M = 250 kg leva em seu bojo um projétil de massa m = 50,0 kg e estd inicialmente em re- pouso. Em dado instante, lanca-se 0 projétil pela proa do barco, na direcdo de seu eixo longitudinal, com velocidade inicial horizontal de médulo v = 5,00 m/s, em relacio as iguas. Explicar 0 que ocorre com 0 barco, qualitativa e quantitativamente. (ERE WUFSC) Um patinador, cuja massa € de 70 kg, desliza em linha reta, sobre uma camada horizontal de gelo, a uma velocida- de de 30 m/s. Durante sua trajetéria ele apanha um pacote em repouso, e sequem juntos em linha reta. Sendo desprezivel a forca de atrito e sabendo que a velocidade final dos dois € igual a 20 m/s, calcule a massa do pacote em kg. 5 (UFBA) Um vagio de massa igual 2.90 kg, vazio e sem cobertura, est se des- locando sobre trithos retos e horizontais, sem atrito, com velocidade v. Comeca a chover forte, e 2 4gua, cuja densidade vale 10° kg/m’, caindo verticalmente, vai se acu- mulando no interior do vagao. Determine, em 107 m’, 0 volume da agua armazenada no vagao, quando a sua veloci- dade or reducida 2-2 dain 155 Unicamp-sP) Dois patinadores ini- cialmente em repouso, um de 36 kg e outro de 48 kg, se empurram mutuamente para tts. © patinador de 48 kg sai com velocida- de de 18 km/h, Despreze o atrito. 8) Qual a velocidade com que sai o patina- dor de 36 kg? ) Qual o trabalho total realizado por esses dois patinadores? STEN Guvest-sP) Num jogo de vélei, 0 jogador que esté junto @ rede salta e “corta’” uma bola (de massa m = 0,30 kg) levantada nna direso vertical, no instante em que ela atinge sua altura maxima, h = 3,2 m. Nessa “cortada” a bola adquire uma velocidade de médulo V, na direcao paralela ao solo e per- pendicular & rede, © cai exatamente na linha de fundo da quadra. A distancia entre a linha de meio da quadra (projeco da rede) e a li- nha de fundo € d = 9,0 m, Adote g = 10 m/s", Calcul: a) 0 tempo decorrido entre a cortada e a ‘queda da bola na linha de fundo; b)a velocidade V que o jogador transmitiu & bola; 90 valor do médulo da variago da quanti- dade de movimento, SQ, do centro de massa do jogador, devida & cortada; d)a intensidadle média da forca, F, que 0 jo- gador aplicou & bola, supondo que o tem- po de contato entre a sua mao e a bola foi de 3,0: 107s. "755 (UFGO) Uma nave espacial sem propulséo move-se por inércia (Forca resul- tante nula) em uma regiéo do espaco. Dois astronautas, A e B, que sairam da nave, exe- cutaram manobras incorretas e ficaram na in feliz situaao indicada na figura: A e o- oO 018m 020m6 a) As velocidades dos astronautas Ae B, indicadas na figura, sao relativas & nave e a massa de cada um € 80 kg. O astronauta ‘A esta levando uma ferramenta de 2,0 kg € a lanca em direcdo a B com velocidade de 7,0 m/s. Desprezando as forcas gravi cionais entre as partes do sistema, respon- da: 0 astronauta A se salvaré? Justifique numericamente, b) O astronauta B, num ato de Giltima espe- ranca, pega a ferramenta lancada por A € tenta 0 mesmo artficio para tentar se sal var. Porém, num ato de desespero, lanca a ferramenta a 16 m/s no sentido de seu movimento. Responda: ele se salvard? Jus- tifique numericamente. [EIA Unesp-sP) Um carrinho, A, de massa m, ¢ outro, B, de massa 2m, mantidos em repouso sobre uma superficie plana e ho- Fizontal, esto comprimindo uma mola, de massa desprezivel, como mostra a figura: Sir te oe Quando os carrinhos sio liberados simulta- neamente, a mola se distende, impulsionan- 0-05, e B adquire, depois que a mola esti- ver totalmente distendida, uma velocidade de 1,0 mis. a) Nessas condigdes, determine a velocidade adquirida por A. b) Denominando hy € hy as alturas maximas alcancadas, respectivamente, pelos carri- nnhos A eB, ao subirem as rampas mostra- das na figura, determine a razao Pa. hy [EEE (urF-Ry) Um estudante realiza a se- uinte experiéncia: 1. Dols carrinhos de massas My M, = 0,20 kg so mantidos em repouso sobre o tampo horizontal de ‘uma mesa, tendo entre eles uma mola ide- al comprimida de 0,10 m em relacdo ao seu tamanho quando relaxada, conforme mostra a figura: Vn M, Il. Em seguida, o sistema é liberado € os car- rinhos movem-se sobre a mesa pratica- mente sem nenhum atrito, Nesta situacao, © carrinho de massa M, atinge a velocida- a) a velocidade do carrinho de massa Ms, apés ele ter se liberado da mola; b) a energia cinética do carrinho de massa M, apés ele terse liberado da mola; a energia potencial eléstica armazenada inicialmente na mola; 4) a constante eléstica da mola. EEE (raes:se) 0 corpo @ da figura tem massa M e pode mover-se sem atrito so- bre um plano horizontal Do seu topo, 3 ume altura H, abandona-se um bloco A de massa mm = M que ap6s desir ser atito sobre superficie inclinada, dela se separa com uma velocidade horizontal v = 2 m/s. | o= 10m 4) Qual a velocidade final do corpo B? b) Qual a altura H? HEZQE_ um homem de 70 kg esté parado numa das extremidades de uma canoa de 350 kg, em repouso, num lago. Se o homem caminhar até a outra extremidade, que dista 3,0 m em relaco a primeira, qual serd o des- locamento da canoa relativamente as &guas? (EEZIE (usp) Uma bomba de massa 1m, inicialmente em repouso, explode partin- do-se em trés fragmentos de massas m, m:¢ m;, Os dois primeiros fragmentos possuem massas iguais m, = m, = 100 g e velocidades iguais v, = v, = 100 m/s e saem em ditegoes perpendiculares entre si. O terceiro fragmen- to possui massa m, = 2m; € sai numa direcao tal que a quantidade de movimento do siste- ima seja conservada. Calcular: 4) a massa inicial da bomba; b) as quantidades de movimento dos dois primeiros fragmentos; ©) avelocidade do terceiro fragmento; d).a quantidade de movimento do terceiro fragmento. EZ uvest-sP) Um conjunto de dois carrinhos com um rapaz sentado no cartinho dianteiro, e nele preso pelo cinto de seguran- 62, encontra-se inicialmente na altura h (posi- $80 A da figura) de uma montanha-russa, A massa m do rapaz é igual a massa de cada tum dos carrinhos. © conjunto comeca a des- ‘ida com velocidade inicial nula. Ao chegar 20 ponto B da parte plana da trajet6ria, 0 ra paz soltao carrinho traseio e o empurra para tras com impulso suficiente para fazé-lo retomat a0 ponto A de partida, onde o carr nnho chega com velocidade nula. Despreze os atrtos. | a) Determine a altura méxima H a que chega © carrinho dianteiro, b) Houve variagao de energia mecénica do Conjunto quando o rapaz empurrou o car- rinho traseiro? Se houve, calcule essa varia- Gio. Sendo houve, escreva “a energia meciinica se conservou” (EEEB FFA) Um menino © uma meni- nna, de mesma massa, saem do ponto A, a partir do repouso, suspensos em um trapézio. Quando chegam ao ponto B, o menino, ao mesmo tempo em que deixa 0 trapézio, em- purra horizontalmente a menina e atinge 0 solo no ponto € a uma distancia r do ponto E, enquanto a menina permanece no trapézio. A figura a seguir lustra a situacio aqui descrita. Desprezando a resisténcia do ar e a massa do trapézio, determine: a) a velocidade com que as duas criangas chegam ao ponto B; b)a velocidade com que o menino recua logo apés empurrar a menina; ©) velocidade da menina logo apés 0 em- purrao; d) a altura maxima que a menina pode vir a atingir. ee IEEIEME bois pontos materiais, A (ms = 2.0 kg) © B (my = 5,0 kg), chocam-se frontalmente, Avfigurs mostra’ ss velocidades, ‘em valores absolutes, antes da colisdo, que € perfeitamente Determine ar velockdader de Ae ® apés 0 chogue. ae sion : a a ‘Adotando-se © senticlo postive para a direita: Van TO mise ve =2,0 mish YF equacio: 2.= 2, (sistema isoladoy y+ Oy, = 2, + 2s, me Vat a vom ma VA aM 20:10+5,0-C2,0)=20-K45,0-vi 2. [10=20 Mr SOM 2 equacae: = EME = 1 Gperteitamente eléstico) wwitto-" o [woman ec ree =7Ams © waaomis IEEE Uma bola choca-se perpendlicularmente contra uma pared, com a velocidade de 20 mis. A duracto do choque, perfekaments elastice, @ de.0)2 s Sendo de 0,3 kg a massa da Bola, dotermine a intensidadie media sa forgs aplicada pela parede na Bel " 320 m/s olay Otpareas [e428 m= 20m/ Aplicando-r0 0 TI: in = @,— Qa fF." 0,2 =0,3 200.3. 20) MEIER Ur waato de 10 tonetacias enté am repouse quando @ abslroado por outro de 15 fSnelacias 255 krnvsh. Clual é'a velocidace doz vagous imadiatarmente apes s collie saben Se'Gue permanecem unicion? mr Tot 19.000 49 Mi = v8 V (hols permanecem unidos) ee ET + Qe, =, + 2s, IEEEIE A figura mostra dois pontos materiis que se cho- cam inelasticamente na origem do sistema catesiano. a velocdade apds 0 choque e indique a sua desao. Resoluso: Antes do chogue: Q=m-m=20-25-Q, 4, = -Va= 245,09 Oy, DDepois do choque: (A e B ficam unidos!) = 03+; i= 5084122 w+ IQl=13kg+ m/s Entdo: Q = (m, +m) -v 13=@0424).v = ie v'=2,95 mis tg 0=24 Caleulle (consultando uma tabela trigonométrica: 8 = 67,4°) ioe COREE em 2D C@seC-sP) A esfera A de 1,0 kg, com velocidade escalar de 12 m/s, colide frontalmente com a esfera B de 2,0 kg, que se encontra em repouso. Qual seré a veloci- dade escalar da esfera B apés a colisio perfei- tamente elistica? 12) CC-SP) Duas particulas Me N de massa 1,0 kg e 2,0 kg, respectivamente, co- lidem frontalmente entre si. A velocidade de ‘Mera de 24 m/s e passou a ser de -24 m/s apés a colsdo, que foi perfeitamente eldsica. ‘Quais sao as velocidades de N antes e depois da colisio, respectivamente? SES) UFFR) Numa aula de laboratério de Fisica, observa-se a colisio perfeitamente eléstica entre dois carrinhos (1 € 2) sobre um. trilho de ar, de tal forma que nao existe atrito entre os carrinhos € o trilho. © carrinho 1 tem. ‘massa M, e 0 carrinho 2, massa M, = 200 g. ‘Antes do choque, 0 carrinho 1 se desloca pa- aa direita com velocidade igual a 2,00 m/s, € 0 carrinho 2 esta parado. Depois do cho- que, os dois carrinhos deslizam para a direita; a velocidade do carrinho 1 é igual a 1,00 m/s, Determine a massa My. DEST UFV-MG) As situagdes represen- tam duas esferas de aco, imediatamente an- tes ¢ imediatamente een de colidirer. ems SR a aes im,/my entre suas massas. b) Considerando a massa de A igual a 1,0 kg, determine 0 percentual de energia dissipa- da na colisio. ETE (UFR) Em um jogo da Selecio Brasileira de Futebol 0 jogador Dunga acer- tou um violento chute na trave do gol ad- versério. De acordo com medidas efetuadas pelas emissoras de televisso, imediatamente lntes do choque com a trave a velocidade v dda bola era de médulo igual a 108 km/h. Considere que durante 0 choque, bem como imediatamente antes e depois, a velo- cidade da bola era horizontal e que o cho- que foi perfeitamente eléstco, com duragao de5,0- 107s, Suponha a massa da bola igual a 4,0 10" kg. Calcule 0 médulo da forga média que a bola ‘exerceu sobre a trave durante 0 choque. HED Puc-sP) Um homem e uma crian- ‘s@.caminham sobre patins, numa mesma di- Teco, mas em sentidos opostos. O homer, de massa 80 kg, vem numa velocidade de 3 m/s; a crianca, numa velocidade de 6 m/s. Sabendo-se que a crianca tem massa de 40 kg e que, a0 se encontrarem, eles se abra- am, perguntam-se: a) O que acontece com 0 movimento dos dois, no momento do abraco? Por qué? b) Como vocé classifcaria essa coliséo? Expli- que. TEEN Wnicamp-sP) Uma esferazinha A cde massa m esté presa a um pino © por um fio leve e inextensivel e tangencia um plano horizontal liso, Uma segunda esferazinha B, dde mesma massa m ¢ deslocando-se com ve- locidade vp = 1,0 m/s vai chocar-se frontal- ‘mente com a primeira em repouso. Admita que todas as possiveis colis6es neste evento io perfeitamente eldsticas. ° % 8 a ae 8) Quantas colisées haverd entre as duas es- ferazinhas? b) Quais serdo as velocidades das esferazi- inhas ao final deste evento? (E2208 urop-Mc) Um caminhao de brin- quedo, cuja massa é m, = 3,5 kg, esta se des- Jocando com uma velocidade v, = 0,20 m/s sobre uma superficie horizontal lisa. Um me- nino arremessa, sobre a carroceria do cami- rnhao, um tijolo de massa m, = 0,5 kg, com ‘uma velocidade v, = 5,0 m/s na mesma dire- fo e sentido da velocidade v,. Logo apés 0 impacto, 0 caminhao e 0 tijolo (dentro da carrocetia) passam a se deslocarem juntos, com velocidade v. Considerando o sistema caminhao + tijolo, determine: a) a velocidade do sistema logo apés 0 im- pacto; | b) a energia dissipada na colisio. [EEE WFR) Uma massa m, = 2,0 kg, ini- cialmente em repouso, desce de uma altura a = 5,0 m, deslizando sobre um trtho, com atrito desprezivel, até colidir com outra massa m, = 3,0 kg, & qual adere instantaneamente. A colisdo ocorre no trecho horizontal do tr- Iho. (g = 10 m/s?) a) Calcule 0 médulo da velocidade da massa im, imediatamente antes da colsao. 'b) Calcule 0 médulo da velocidade com que © conjunto se move, imediatamente apés a colisio. FEEEE WeMc) um automovel de 1,0 to- nelada coldly frontalmente ‘com um. cami hao de 9,0 toneladas. A velocidade do auto- rmGvel era de 80 km/h para a cireta e a do ca- minhao, de 40 km/h para a esquerda. Ap6s Collsd0, 0s dois velculos permaneceram juntes. 2) Determine a velocidade do conjunto cami- hao e automével logo apés a coliso. 1b) Responda se, em médulo, a forca devido a colisio que atuou sobre o automdvel & maior, menor ou igual aquela que atuou sobre 0 caminhao. justifique sua resposta. [EEEE (UFRN) Um bloco de massa 4,0 kg esté, inicialmente, comprimindo de 0.2 m uma mola ideal de constante elstica K = 400 Nim. Ao ser langado pela mola, 0 bbloco desliza sobre uma superficie sem atrito cai em um carrinho de massa 6,0 kg, fican- do preso ao carrinho. Determine a velocidade do conjunto formado Pelo carrinho e pelo bloco. {mmm 1/1177 (OD WITTE TTT: IEEEM Uru-Mc) uma pega cilindrica, de ‘massa m = 0,2 kg, parte do repouso em A, desizando pela pista circular lisa de raio R= 0,8 m. Na posicdo mais baixa ela encrava em um bloco de massa M = 0,6 kg, que esta- va parado. © conjunto péra apés percorrer uma distancia d = 0,5 m. Use g = 10 m/s fares Eh 3 Caleule: @) a velocidade do conjunto imediatamente apés a coliséo; b) a forca resultante, admitida constante, so- bre o conjunto durante © percurso hori- zontal; 0 Coeficiente de atrito de deslizamento entre a superficie horizontal e o sistema bloco-peca cilindrica, HEEGH (UAF-MG) Uma pessoa de massa 60 kg se atira horizontalmente de umn prédio a uma altura de 10 m do solo, chocando-se uma Ginica vez contra 0 solo. (g = 10 m/s?) 2) Qual o momento linear transterido na co- jo do corpo desta pessoa contra 0 solo? ) Qual a quantidade de energia disipada na colisio? ©) Se a mesma pessoa, trafegando num au- tomdvel, tivesse softido um acidente em que 0 carro colidisse contra um muro, ela poderia softer 0 mesmo impacto. Neste aso, qual devesia ser a velocidade do carro a0 colic? (IME-R}) © carro A foi abalroado pelo caminhao B de massa igual ao triplo da sua. O caminhio desloca-se com velocidade de 36 km/h. Apés 0 choque, que se deu no Ponto P, os dois veiculos, unidos, desloca- ram-se em linha reta até 0 ponto @. O mo- torista do carro declarou que sua velocidade no instante do choque era inferior & maxima permitida, que € de 80 km/h. Diga, justifi- cando, se esta declaracao é falsa ou verda- deira ap EH esr) um automével de massa m= 2,0 - 10? kg trafega numa estrada, na di- regio leste-oeste e no sentido de leste para ‘oeste, com velocidad de médulo v = 30 m/s. No cruzamento dessa estrada com outra de diregdo norte-sul, colide com um caminhao cde massa M = 2,0 - 10* kg que trafegava no sentido de norte para o sul. Apés a colisfo, os dois veiculos se engancham e prossequem numa dire2o que forma um angulo de 45° com a diresio norte-sul Calcule 0 médulo da velocidade do cami- hao antes da colisto. [EZEEN_(nicamp-se) jogadores de sinuca e bihar sabem que, apés uma colsdo nio- frontal de duas bolas A’e B de mesma massa, estando a bola B inicialmente parada, as duas bolas saem em diregdes que formam lum Angulo de 90%. Considere 2 colisao. de das bolas de 200 9, representada na figura 2 seguir. A se dirige em diregio a B com ve- locidade V = 2,0 mis formando um angulo & coma diregio y tal que sen = 0,80, ApOs a colisio, B sai na drecao a) Calcule as componentes x ¢ y das veloc- dades de A e B logo apés a colisao. ) Calcule a variacao da energia translagao) na colisao. NOTA: Despreze a rotagao € o rolamento das bolas. eae ERIN cine ngerns ose (Cesgranrio-R}) Um projétil de mas- isparado com velocidade de 80 m/s. A quantidade de movimento e a ener- Gia cinética desse projéti, em unidades do S., valem, respectivamente: 2) 8,032.10", b) 8,064.10? 9) 80-10% e3,2- 10% ) 80-10% 3,2. 10%. ©) 80-10% 6,4. 10% REE Wnifor-ce) Num local onde a ace- leracdo da gravidade € 10 m/s?, um corpo de 2,0 kg desce, em queda livre, 80 m em 4,0 s. Nese intervalo de tempo, o médulo da varia- ‘so da quantidade de movimento e a varia- Gao de: cher (nokeucalagre arcade Corpo so, em unidades do Sistema Intema- clonal, respectivamente, iguals a a) 80.€ 160. 4) 320 3200. b) 80 e 1600. ©) 800 e 1600. ©) 160 800, (UFRN) Na cobranga de uma falta, tuma bola de futebol de massa 0,4 kg sai com velocidade de 25 m/s. O tempo de contato entre 0 pé do jogador € a bola é de 0,05 s. A forca média, em newtons, aplicada na bola pelo pé do jogador é: 2) 200. ) 500. b) 300. e) 600. ©) 400. HERZ (Wnifor-ct) Um mével de massa igual a 3,0 kg, em movimento retilineo, varia a sua velocidade de 5,0 m/s para 15,0 m/s fem determinado intervalo de tempo. O im- pulso da forca resultante sobre o corpo, nes- se intervalo de tempo, é, em unidades do Sis- tema Internacional, igual a: a) 3,0-10. 4d) 6,0: 10°. b) 1,5: 10%, ) 3,0: 10%. ©) 3,0- 10%. (Unesp-SP) A intensidade (médulo) a resultante das forcas que atuam num cor- Poy, Wiciaretis en itenousoe data? sore frestra 0 grdfcn 2 8 8 8 Durante todo © intervalo de tempo conside- rado, 0 sentido e a diregéo dessa resultante permanecem inalterados. Nestas condicdes, a quantidade de movimento, em kg - m/s (OuN 5), adquitida pelo corpo é: a) 8. gis. b) 15. ¢) 20. (FEL-SP) Sobre 0 carinho de massa TO i atua uma forga F horizontal que varia como tempo de acordo com 0 gréfico abai- x0. Sabe-se que, inialmente, © mével est ©) 24. em repouso. Qual é a velocidade do carrinho para t= 10s? wm dv=12mis 6) v=20 m/s ©) v=10 m/s, HEEEAE CPuccamp-sP) A um corpo de 10 kg, movendo-se sobre 0 eixo x, aplica-se, no sen- tido do,movimento do corpo, a forca resul- tante F, cujo médulo varia com 0 tempo, cconforme 0 gréfico abaixo. Fm aot 20 I Cr ae) AA variagao de velocidade do corpo entre os instantes 0 e 10s é, em m/s, de: a) 40. 016. by 25. 8. O4 WEEE cwack-sP) Um loco de massa 5 kg parte do repouso com movimento retili- ‘neo num plang horizontal liso, devido a agio da forca F horizontal, cujo médulo va- fia com 0 tempo de acordo com 0 grafico abaixo. A aceleracao média do bloco nos pri- meiros 2 5 foi de: Fo oo. ° 7 te a) 1 m/s. D7 m/s. b) 3 mis’. 2) 9 m/s. © Sms. (PUC-MG) Uma particula de massa 1m, iniciaimente em repouso, recebe a ago de uma forga constante durante um deter nado intervalo de tempo. Observe a seguir o grafico da quantidade de movimento da par- ticula em funclo da velocidade. A drea som- breada representa: a ‘velocidad a) a aceleracao da particula, 1b) 0 impulso recebido pela particula, ©) a forga aplicada, d) a distancia percorrida ©) a energia cinética da partcula, MEE cPuccamp-sP) Um corpo de massa 5,0 kg move-se sobre uma superficie hori- zontal, perfeitamente lisa, com velocidade cconstante de 4,0 m/s. Num dado instante, sofre a aco de uma forga horizontal, perpen- dicular & diregao do movimento, de intensi- dade 150 N que atua durante 0,10 s. A nova velocidade do corpo vale, em m/s: a 15. 70. b) 3,0. 15. 95.0. NEEL (FAAP-sP) Joao e Maria patinam ‘em pista perfeitamente lisa (por hipétese). Es- tando ambos juntos em repouso, joo em- urra Maria. a) Devido a Lei de Agao e Reacao, Joao e Ma- ria continuam juntos, ') Jodo permanece em repouso, Maria entra ‘em movimento. ©) Jo30 © Maria movem-se no sentido da for- {Ga que Jodo exercerd. d) Joao entra em movimento, Maria perma- hnece em repouso. ©) Joo e Maria movem-se em sentidos opos- tos, IEEERE (rv) um trend, com massa total de 250 kg, desiza no gelo a velocidade de 10 m/s. Se 0 seu condutor atirar para tras 50 kg de carga a velocidade de 10 m/s, a nova velocidade do trené ser de: 2) 20m/s. ) Smis. »)10m/s, 2 mis ©) 15 mis. (EERE Fcmsc-sP) Um homem sobre pa- tins esta em repouso na superficie congelada de um lago. Em dado momento arremessa, para a frente, uma pedra de 10 kg que ad- Quire velocidade horizontal de médulo 8,0 mis em relagdo ao lago. Sendo desprezi- vel 0 atrito entre 0s patins e 0 gelo, o ho- ‘mem, que tem massa de 80 kg, adquire uma velocidade que, em m/s, tem médulo igual a: a) 10. 920. 20,10. ») 500. A109. (TTA-SP) Todo cagador_ao_atirar ‘com um rifle mantém a arma firmemente apertada contra 0 ombro evitando assim o “coice” da mesma. Considere que a massa do atirador € 95,0 kg, a massa do rifle € 5,00 kg, a massa do projétil € 15,0 g, a qual é dispa- rada a uma velocidade de 3,00 - 10* cm/s. estas condigdes, a velocidade de recuo do ri- fie (¥) quando se segura muito frouxamente a arma e a velocidade de recuo do atirador (w) quando ele mantém a arma firmemente apoia- da no ombro serdo respectivamente: a) 0,90 m/s; 4,7 - 10° m/s. b) 90,0 mis; 4,7 mis. ©) 90,0 mis; 4,5 mis. 4) 0,90 mis; 4,5 - 10 m/s. ©) 0,10 mis; 1,5 - 10 m/s. (Cesgranrio-R}) Num ringue de pa- tinacao no gelo, horizontal e sem atrito, es- tao dois patinadores, A e B, de mesma mas- sa, 40 kg, iméveis. Cada um deles segura uma bola de 0,4 kg de massa. Passados al- guns instantes, eles arremessam a bola com Velocidade de 10,0 m/s, sendo 0 arremesso de A paralelo 20 ringue, e o de B, perpendi- cular a este. Imediatamente apés 0 arremes- 0, 05 médulos das velocidades do patinador Ae do patinador B sio, respectivamente, iguais a (em m/s): a) zero e zero. b) zero 0, 9) 0,1 ezero, (Fuvest-SP) Um corpo A com mas- sa Me um corpo B com massa 3M estéo em repouso sobre um plano horizontal sem atri- to. Entre eles existe uma mola, de massa desprezivel, que esté comprimida por meio de um barbante tensionado que mantém li- ‘gados os dois corpos. Num dado instante, 0 barbante € cortado e a mola distende-se, ‘emputrando as duas massas, que dela se se- param e passam a se mover livremente, 4) 0,101 ©) 04 60,4. Dobene Designando-se por T a energia cinética, po- dde-se afirmar que: qUeV-MiG) bow! Grmhestiveal mente em repouso, de massas Me 2M, 350 impulsionados em sentides opostos devido & detonagao de um explosivo: Desprezando as forcas de atrito, a relacao en- tre as distancias percorridas pelos carrinhos num intervalo de tempo At é: a) d, = d;- @) d; = 3d, b) d, = 2d,. ©) d, = 3d). ©) d,= 2d). (Fuvest-SP) Sobre uma superficie horizontal e sem atrito, um objeto, inical- mente em repouso, explode em tés partes idénticas. Qual das figuras abaixo melhor re- presenta o fendmeno apés a explosio? a)| ae 3) 4 °) Ov-0 eh a ea iater te teed b) oT ie 0 ae a (Cesgranrio-RJ) Uma bomba, que se desloca horizontalmente para a direta, ex- plode, dando origem a dois fragmentos de ‘massas iguais. Um dos fragmentos, apds a explosio, inicia_ um movimento de queda com uma trajetéria vertical. A velocidade do segundo fragmento, imediatamente apés a explosao, é melhor representada por: a d) of eres oe ee 9 Enunciado dos testes [ET ¢ (ETN: (Fuvest-SP) Uma bomba logo antes de explo- dir em trés pedacos A, B € C de igual massa tem velocidade vq = 200 m/s. Logo apés a ex- plosdo os fragmentos Ae B.tém yelocidade vp conforme a, figura (We ¥ esto no 20012 m/s. plano da figura) e Iv! = il = NEEL 4 velocidade V- do fragmento teré, logo apés a explosio, médulo igual a: a) 0 m/s. d) 200 (3 - 22) mis. b) 400 m/s. ) 200 m/s. ©) 200¥2 m/s. aay Len Seatun rons )0% —_d) 90" normal no plano da figura. b) 180". _e) indefinida, pois vetor nulo nao 1) 90" tem diresao. (PUCMG) Um caminhio de 8,0 - 10° kg de massa passa em baixo de uma ponte com velocidade de 72 km/h. Uma pe- dra de 2,0 - 10° kg de massa cai do alto da ponte, dentro do caminhio. A velocidade ‘com que o caminhdo passa a se desiocar é: a) SB m/s. <) BO m/s. —€) 20 m/s. b)16m/s. —d) 29 mis. (Unior-CE) Um vogtio de massa BEM cnc no me Taser ol on ws ae ce Sic te sobre 0 vagao, ficando preso ao mesmo. Oe eee © médulo da velocidade V, do conjunto va- Sete at a) 2,0. ©) 6,0. e) 10. b) 4,0. d) 8,0. (Fuvest-SP) Uma quantidade de barro de massa 2,0 kg é atirada de uma altura h = 0,45 m, com uma velocidade horizontal ‘m/s, em direc3o a um carrinho parado, de massa igual a 6,0 kg, como mostra a figu- Fa, Se todo 0 barro ficar grudado no carrinho fo instante em que o atingir, 0 carrinho ini- ciaré_ um movimento com velocidade, em m/s, igual a: 24 di Ti 5/4. 2. az 1 EES WNi-RI0) um pescador e seu bar- ‘co tém juntos 180 kg de massa e esto em re- pouso num lago. © pescador salta do barco com uma velocidade de 5 m/s e 0 barco se afasta com velocidade contriria de 4 m/s. ‘Qual a massa do pescador e do barco, respec- tivamente? a) 50 kg e 130 kg. b) 70 kg e110 kg, 975 kg e105 kg. d) 80 kg e 100 kg. ©) 100 kg e 80 kg. (EEG ucsP) Um tronco de massa 50 kg desce um rio levado pela correnteza com velocidade constante 2 m/s. Uma ave de massa 10 kg, voando a 2 m/s tio acima, pro- cura pousar sobre o tronco. A ave escorrega de uma extremidade a outra sem conseguir permanecer sobre o tronco, saindo com velo- Cidade 0,5 m/s. Desprezando 0 atrito com a gua, qual a velocidade final do tronco, as- sim que a ave 0 abandona? Considere todas ‘as velocidades em relagdo as margens do rio, 222m/s )19m/s 15 mis b)2,0m/s——d) 1,7 m/s (Unfor-ce) Um menino de masa rm esté sobre uma prancha de massa. Hs atrito entre os pés do menino e a prancha sen- do, porém, despre! atito ene @ pran- cha eo slo, © menino comega a andar sobre 2 prancha, im rlago ao sole, quando © ve- locidade do menino tiver médulo v, 0 mé- dhlo da velocidade da prancha ser a) nulo. oF: e2v. bY ov. (UFCE) A figura | mostra um atleta, de massa M, parado sobre uma prancha, também de massa M. A prancha se desloca ppara a direita, com velocidade constante, m/s, sobre tilhos horizontas, retos € sem atrito. Em dado instante de tempo, t,, 0 atleta comeca a correr sobre a prancha, indo de uma extremidade 8 outra, onde para no instante t. A figura ll mostra 0 comporta- ‘mento da velocidade da prancha, como fun- <0 do tempo, durante um intervalo que con- tém os instantes te ty ms) PaNede 4 Figura 2 eee peer ace cea We ‘A maxima velocidade do atleta (relativa aos trilhos) durante sua corrida sobre a prancha foi: a) 2mis. D8 mis. b) 4 m/s. ©) 10 mis. ©) 6 mis. (MACK-SP) No choque mecéinico entre dois corpos, acontece sempre: 2) conservagao da energia mecénica. b) conservagio da quantidade de movimento. ©) separacao dos corpos apés 0 choque. 4) inversao de velocidades apés 0 choque. ©) repouso de um dos corpos apés 0 choque. (Unifor-CE) Considere as afirmagées abaixo acerca de colisdes entre dois corpos. ILA energia mecanica é sempre conservada, independentemente do tipo de colsdo. 1.Em qualquer colisio, a velocidade relativa de afastamento dos corpos ¢ igual & veloci- dade relativa de aproximacio. IMLNa colisio inelistica ha conservacio da uantidade de movimento do sistema, mas no ha conservaao da energia mecanica. Pode-se afirmar que somente: a) 16 correta b) 16 correta Il € correta 4) lel sdo corretas. @) Hell sio corretas. WEED Cefet-Mc) Considere as afirmati- vas relacionadas &s colisbes entre particulas: [Lm todo choque, hé conservacio de ener- gia cinética, ll.Em todo choque ineléstico, a energi tica € completamente dissipada IILEm todo choque, a quantidade de movi- mento do sistema 6 conservada. IV.£m todo choque perfeitamente eléstico, ha conservaao da energia cinética. Estdo corretas apenas as afirmativas: alell dilew. b) teil. oiliew. Ollelll EERE eNnce-veny-cefet-UFR)) Do's carri- nhos se deslocam sobre um mesmo trilho retifineo e horizontal, com movimentos uni formes € em sentidos contrérios, como mos- tra a figura, na qual esto indicadas suas mas- sas e velocidades. ‘Apés © choque, eles ficam presos um ao ou- tro, e a velocidade comum a ambos passa a ser: az ©) nul o> by @ Beg ee (Puccamp-SP) Uma estera de massa 1m; = 3,0 kg movendo-se com velocida- de constante V, = 2,0 m/s, colide frontal e elasticamente com outra esfera de massa 1m, = 1,0 kg, inicialmente em repouso. As ve- locidades das esfeas, imediatamente apés 0 choque, em m/s, valem, respectivamente: a) 1,0 3,0. 4) 1,5€0,50. b) 1,0e 2,0. ©) 200,50. 9 1,0e 1,0. HEEEEE cesgrantio-R)) Uma bola de borra- cha, de massa = 200 g, é lancada de encon- tro a uma parede com velocidade de 4,0 m/s, retornando em sentido oposto com velocida- de de 3,0 m/s. No choque com a parede, o médulo da varia- ‘o da quantidade de movimento da bola, ‘em unidades do S.1, foi de: a) 02. 910. b) 06. 14 2) 18. (UCDB-MT) Um corpo de massa m velocidade escalar V colide contra uma pa- rede fixa, sendo 0 choque perfeitamente elés- tico Os valores da energia cinética e da quantida- de de movimento do corpo, apés a colisio, so, respectivamente, iguais a: mvt mv a) MY emy. &) OY e zero. fe WV, by mv?e TY €) zero e mv. 9 me my, (EEG WAFMG) Uma bola de 1 kg cai verticalmente, atingindo o piso com vel de de 25 m/s e é rebatida com velocidade ini- cial de 10 m/s. Se a bola fica em contato com © piso durante 0,05 segundos, a forca média que ela exerce sobre 0 piso € de: a) 70N. 35N. b) 700 N. 1d) 350N. (EEG Fatec-sP) Uma pequena esfera de 0,10 kg € abandonada de uma altura de 0,80 m, choca-se com o solo e volta, atingin- do uma altura maxima de 0,45 m. Admitin- do-se g = 10 m/st, pode-se afirmar que 0 médulo da variagao da quantidade de movi- mento softida pela esfera no choque com 0 solo, em kg - m/s, é de: a) 0,70. 9 030. b) 040. 1725, (EEGME (UFU-Mo) Em relacio a Trabalho, Energia, Impulso e Quantidade de Movimento, €incorreto afirrar: 4) Se apis 0 choque entre dois veiculos eles deslocam-se colados, entio a energia ciné- tica do sister tem o mesmo valor antes aps 0 choque. ) Numa colisio elistica, live da acao de for- gas externas, tanto’ a energia cinética quanto a quantidade de movimento se ©) Logo apés o disparo de um tio, tanto a arma quanto 0 projétil movem-se com a mesma quantidade de movimento, porém em sentidos opostos. 4) Um jogador chuta, verticalmente para cima, uma bola de massa 0,5 kg. A bola atinge uma altura de 15 m em rélagso & Posicdo inicial. Se a velocidade inicial foi de 20 m/s, a perda de energia mecanica, devida ao ar, na subida, foi de 25 J. (Adote g=10 mis’) ©) Uma particula de massa 1 kg sob aco de uma forga sai do repouso e atinge a veloci- dade de'I m/s. O trabalho desta forca é de 0,5 J € 0 impulso é de 1 kg m/s. (EES (mack-sP) Um corpo A de 2 kg que se movimenta sobre uma superficie hori- zontal sem atrito, com 8 m/s, choca-se com. outro B de mesma massa que se encontra em. Fepouso nessa superficie. Apés 0 choque, os corpos A e B se mantém juntos com velocida- de de: a) 10 mis. b) B mis. e7N ©) 3,40. 2 mis. d) 4 mis. ©) 2m/s. SEEN WFRS) Dois corpos com massas de 2 kg e 4 kg se movimentam, livres de forcas fextemas, na mesma diregdo e em_sentidos contrérios, respectivamente com velocidades {que valem 10 m/s e 8 mis, colidem frontal- ‘mente. Qual pode ser a méxima perda de energia cinética do sistema constituido pelos dois corpos durante a colsao? a) 228] 14s b)216) d) 54) 2) 12) (OSEC-SP) Numa experiéncia para a determinagao do coeficiente de restituicao largou-se uma bola de ping-pong em queda livre de uma altura de 4,00 m e ela retornou a altura de 1,00 m. Portanto, © coeficiente de restituiggo procura- doé: a) 0,25, b) 0,50. 91,00, 4) 2,00, ©) 4,00. SEEEM WUnifor-Ce) Uma esfera de massa 2,0 kg incide sobre um piso horizontal sob Angulo de 45° com velocidade V, de mSdulo 10 m/s, Apés o choque, retoma for- ryan um angulo de 45° com velocdade v, de médulo 10 ms Dado: sen 45° = cos 45° © médulo do impulso exercido pelo piso sobre a esfera, em unidades do 5, foi de: a) 10V2, Q 202. b) 20. 1) 30. ©) 40. EEE mack -sP) A figura mostra a traje- t6ria de uma bola de bihar de massa 0,40 kg quando colide com a tabela da mesa de bilhar. A velocidade escalar antes e depois da colisio € 0,10 ms.". Se a duracéo da colisto & de 0,20 s, a intensidade média da forca, em newtons, exercida sobre a bola durante a coll- sio é: a. of ‘i a) 0,50, 90,25. 20,18. b) 0,40. ) 0,20. enercaton/femolimonsges (EGE curscar-sP) No esquema, m, = 1 kg em, = 2kg, N&o hd atrito entre 0s corpos e 0 plano de apoio. A mola tem massa desprez- vel. Estando a mola comprimida entre os blo- 0s, 0 sistema € abandonado em repouso. A moia se distende e cai por ndo estar presa a nenhum deles. O corpo B adquire velocidade de 0,5 m/s. Determine a energia potencial da mola no instante em que o sistema € aban- donado livremente. —_ Boo _ SEEN case) Uma massa m = 5,0 kg desloca-se a0 longo do eixo x em fungo do tempo conforme o grafico (1). Em certo ins- tante, durante um curto intervalo de tempo At, ela sofre a aco de uma forca impulsiva e © seu movimento, apés essa agdo, passa a obedecer ao grafico (2). 0.8 Bide Shee cet Qual o impulso dessa forca sobre 0 corpo? (MACK-SP) A figura. mostra dois locos Ae B de mesma massa igual a5 kg © com velocidades inciais 20 m/s e 6 m/s res- pectivamente. © bloco A movimenta-se du- fante 4 segundos para atingir 0 plano per- fetaipenis tees Unmlves ig plate Fou Aco lide centralmente. com B, Supondo que 0 Coeficiente de restituigio € 0,2, pede-se de- tare ne tne EB Pape tae a) as velocidades dos blocos A e B apés a co- liso; ) a quantidade de calor que corresponde & variagdo de energia cinética sofrida pelo bloco A na colsao, Adote g = 10 m/s? e 1 cal = 4,2 |; 0 coeficien- te de atrito entre A e 0 plano rugoso é p=02. HEZIN (UsP-sP) Uma bola de 0,1 kg de massa € deixada cai de uma altura de 10 m. ‘Ao chocar-se com o chio (horizontal), elas ffe uma varagdo de quantdede de mov mento de 2,52 kg - m/s. Determine o coefici- ente de restituigdo entre a bola e 0 cho, Use 9=98 mis (EEM-SP) Para determinar a veloci- dade de um projétil de massa m = 50 g, dis- parado por uma arma de fogo, utiliza-se um péndulo balistco formado por um bloco de Chumbo de massa M = 200 kg, suspenso por um fio de massa desprezivel. 0 bloco, 20 re- ceber 0 impacto do proj, incorpora-o & sua massa e desloca-se, elevando 0 centro de gravidade a altura 0,5 m. Calcule a velo- cidade do proj. Adote para os calculos o valor numérico g = 10 mis? (UFUMG) Um projéti, de massa m= 0,01 kg, aravessa um bloco de massa = 0 kal pedro por rn fo Fil APS a colo, a vlocidade do projet € metade da inkda. © loco, a0 ser atngdo pelo proitt executa um movimento circular vertical de rio R= 0,32 m. No ponto mais alto da trajtira do bloco, 0 fio esté a ponto de se afrouxar. A sftuacio été exquematizada na figura sequint. ) Qual a velocidade do bloco imediatamen- te apés a colisdo? Qual 0 médulo da velo- Cidade inicial, v; do projétil? (Adote g = 10 m/s?) 'b) Qual o impulso recebido pelo bloco na co- listo? (UFPR) A figura abaixo representa um péndulo simples, fixo no ponto O, com- primento constante L igual a 1,8 m e massa M igual a 4,0 kg. Ao ser liberado 0 péndulo do repouso na posigo horizontal, a massa M colide elasticamente, na parte mais baixa de sua trajetéria, com 0 bloco B, de massa igual a 2,0 ka, inicialmente em repouso so- bre uma superficie horizontal $. Calcular, fem cm, a altura atingida pela massa M apos ‘© choque, desprezando o atrito entre Be S. G=10 m/s) WN Guvest-sP) Trés projéteis de mas- sas iguais a 5 gramas tém velocidades iguais a 700 m/s; eles percorrem trajet6rias horizon- tais A, B, C, coplanares, indicadas na figura abalxo, A 8. wi = 0 " ? Os projéteis atingem, simultaneamente, um biloco de madeira de massa igual a 10 kg, em repouso sobre uma mesa horizontal, sem atrito, e s80 por ele absorvidos. 2) Qual a diresdo do vetor quantidade de movimento adquirido pelo conjunto pro- jéteis + bloco de madeira? Explique. ) Qual o médulo desse vetor? BPI 24g m/s PUA 8) 244m/m b) 1400) ty AE= 6 mgh EP2 10%kg PIS a) 085 eP23 ee 11,25 ms ems 9 ms Bes ©) 3375kg-mis B)amis 11,6 (os0k) b) 75,0 kg - mis pone P24 8,0m/s 2 bedind a sie m/s EPS) 5,0-10' ms IS casters Abs cea, | SPAS ~t2ms 0 12m Da reco © sentido da nave a | EP26 M,=600g £6 20m/s 0.025 mvs 3 —P7 0,2V2N-s b) Sim, © astronauta B irna di- | P27 8) > eee regio « senido da nave re mee e928 48-10 B17 9) y=-20mi Ea ia pts quantdades de movento ‘dos dois s30 iguais opostas. EPIB 2) 40m/s 0 120) | by ilésten, des se abragam for s 6/040] 4) 240NNim |" mandovun ance coro =). BE APL. ww otk Ose | ose yates £20 0,50m Burd e EPIO. 2) 946-107 kg-mis : edith eee P21 a) 400g ae 8) Q=Q.=10ig-ms | E31») o.g0mis EPIL Recua 21,00 m/s aeaaiaee one EPIZ. 35kg 0) = 10V2 kg + mis EP32 a) 10,0 m/s EPI3 45.109? fP22 2) H=4h 5 4oms 33 na mb [ma a m4 4 2) 28 km para a esquerda : : 'b) Menor, pois a sua variag3o da 1B) i’ mee. quantidade de movimento foi | TS =a Te oc 37 a T38 a de'52 ton ity enquanto a mo 4 40 > do caminhio foi de 612 ton. | 77 > De deekelnktoe 42) c “iran mesmointenao | 19 6 Fi hcg | oe em mM Oe m2 ECT 0,75) aes 13 0d ™m4 «Od EC2 7,5N-s §P35 2) 1,0mls 0) 01 rca 4 1 b)O8N Ty eS | arctan EP36 a) 60012 kg -mi/s we md 85 cal b) 6-10") TI9 b 120 ¢ 08 ©) 1002 mis rh as 113-10¢m/s EP37 alsa, pois a velocidade 2) 40m/s _v=400 mis era de 108 km/h. v P. b)1=20N-s ‘P38 3,0 m/s wg = + —C7 20cm B39) vqq" 16m; v0 | T27 ¢ re ee cree 129 b T30 oe Cat = 05 My 12 ms Shorzontal by af-0 me m2 c ) 596 kg-mis