Você está na página 1de 2

Recuperao de Sincronismo com o CFB

Vamos imaginar que os registradores de cifrao na origem e no destino, que


contm o vetor de inicializao, podem armazenar apenas 4 bytes, para facilitar a
exposio. Assim, inicialmente, cada um deles armazena os bytes v1v2v3v4.
Desse modo, imaginando o processo de cifrao na origem, teramos:

chave K

chave K

cifrar

pi

ci

ci

cifrar

pi

cifrao CFB

decifrao CFB

v1v2v3v4 c1 = p1 x1
B

v2v3v4c1 c2 = p2 x2
B

v3v4c1c2 c3 = p3 x3
B

v4c1c2c3 c4 = p4 x4
B

c1c2c3c4 c5 = p5 x5
B

c2c3c4c5 c6 = p6 x6
B

c3c4c5c6 c7 = p7 x7,
B

onde ci o byte cifrado pela operao XOR entre pi, byte em claro, e xi, byte mais
significativo da cifra do contedo do registrador.
Agora, vamos analisar como ficaria a decifrao no destino, supondo que o byte
c2 foi perdido num erro de sincronismo. Assim, teramos:
B

c1 v1v2v3v4 p1 (ok)
B

c3 v2v3v4c1 p3 ( x )
B

c4 v3v4c1c3 p4 ( x )
B

c5 v4c1c3c4 p5 ( x )
B

c6 c1c3c4c5 p6 ( x )
B

c7 c3c4c5c6 p7 (ok)
B

Pode-se notar que, com a perda do byte c2, a decifrao dos bytes p3, p3, p3 e p3
ocorreram de forma errada. No entanto, o byte p3 teve sua decifrao correta e a partir
dele, todos os demais seguiro corretos enquanto no ocorrer outro erro.
Cabe ressaltar que os erros so devidos a:
decifrao errada do byte c3, uma vez que ele ser decifrado com o uso do
vetor de inicializao correspondente ao vetor c2;
B

presena de uma sequncia incorreta no registrador (c1c3), que ocasiona um


valor incorreto desse vetor enquanto essa descontinuidade estiver presente nele.
Desse modo, se tivermos um registrador que comporte 8 bytes, o CFB consegue
se recuperar aps 8 bytes erroneamente decifrados, 1 devido decifrao incorreta com
o vetor de inicializao no correspondente e 7 devido a uma sequncia incorreta
presente no registrador.
Espero que tenha ficado claro.
B

Gleyson Azevedo