Você está na página 1de 7

12/07/2015

GyörgyLukács–Wikipédia,aenciclopédialivre

GyörgyLukács

Origem:Wikipédia,aenciclopédialivre.

GyörgyLukácsouGeorgLukács(AFI: [ɟørɟ lukɑːtʃ],

de1971)foiumfilósofohúngarodegrandeimportânciano

percursodafilosofiaclássicaalemã:inicialmenteum

críticoinfluenciadoporKant,depoisoencontrocomHegel

efinalmente,aadesãoaomarxismo.Seunomecompleto

eraGeorgBernhardLukácsvonSzegedinemalemãoou

SzegediLukácsGyörgyBernátemhúngaro.

GyörgyLukács

GyörgyLukács Datade 13deabril de 1885 nascimento Localde B u d a p e s t e

Datade

nascimento

Localde

Budapeste

nascimento

Nacionalidade

Nacionalidade Hungria Húngaro

HungriaHúngaro

Datade

5dejunhode1971(86anos)

morte

Localde

morte

Influências

Índice

1Períodopré­marxistaÍndice 2PeríodomarxistasobodomíniodeStálin 3Períododadesestalinização 4Obra 5Críticaliteráriaeestética

2PeríodomarxistasobodomíniodeStálin

3Períododadesestalinização

4Obra3Períododadesestalinização 5Críticaliteráriaeestética 6Bibliografia 7Vertambém

5Críticaliteráriaeestética

6Bibliografia3Períododadesestalinização 4Obra 5Críticaliteráriaeestética 7Vertambém 8Referências 9Ligaçõesexternas

7Vertambém3Períododadesestalinização 4Obra 5Críticaliteráriaeestética 6Bibliografia 8Referências 9Ligaçõesexternas

8Referências3Períododadesestalinização 4Obra 5Críticaliteráriaeestética 6Bibliografia 7Vertambém 9Ligaçõesexternas

9Ligaçõesexternas3Períododadesestalinização 4Obra 5Críticaliteráriaeestética 6Bibliografia 7Vertambém 8Referências

Períodopré­marxista

EnquantoestudavanaUniversidadedeBudapeste,Lukács

foimembrodevárioscírculossocialistasqueocolocaram

emcontatocomoanarco­sindicalistaErvinSzabó,queo

introduziunasobrasdeGeorgesSorel.Seuenfoqueneste

períodofoi,portanto,modernistaeanti­positivista.De1904a1908,eleesteveenvolvidonumgrupo

teatralqueproduziupeçasdedramaturgoscomoHenrikIbsen,AugustStrindbergeGerhartHauptmann.

LukácspassouamaiorpartedesteperíodonaAlemanha:estudouemBerlimem1906e,novamente,em

1909­10,ondefezamizadecomGeorgSimmel,eemHeidelberg,em1913,ondesetornouamigode

MaxWeber,ErnstBlocheStefanGeorge.OsistemaidealistaqueLukácssubscrevianestetempoera

derivadodoneokantismoquedominavaasuniversidadesdaAlemanha,mastambémdealgodePlatão,

LukácsretornouaBudapesteem1915eliderouumcírculointelectualpredominantementedeesquerda,

queincluíafiguraseminentestaiscomoKarlMannheim,BélaBartok,BélaBalázseKarlPolanyientre

outros.

12/07/2015

GyörgyLukács–Wikipédia,aenciclopédialivre

PeríodomarxistasobodomíniodeStálin

ÀluzdaPrimeiraGuerraMundialedaRevoluçãoRussa,Lukácsrepensousuasideias.Eletornou­seum

dedicadomarxistanesteperíodoejuntou­seaoclandestinoPartidoComunistadaHungriaem1918.

ComopartedocurtogovernodaRepúblicaSoviéticadaHungria,LukácsfoifeitoComissáriodoPovo

paraaEducaçãoeCultura(foirepresentantedoComissariadoparaEducaçãoZsigmondKunfi).Durante

esteperíododaRepúblicaSoviéticadaHungria,LukácstrabalhoucomocomissárionaQuintaDivisão

DepoisqueaRepúblicaSoviéticadaHungriafoiderrotada,Lukácsentranaclandestinidadeindopara

Viena.Elefoipreso,massalvodaextradiçãograçasaosesforçosdeumgrupodeescritoresqueincluía

LukácsvoltousuaatençãoparaodesenvolvimentodasideiasLeninistasnocampodafilosofia.Sua maiorobranestetempofoiacoletâneadeensaios"HistóriaeConsciênciadeClasse",primeiramente publicadaem1923. Estesensaiosdemonstramseuesforçoemproveroleninismodeumamelhorbase filosóficadoqueopróprioLênintinhafeito.AoladodotrabalhodeKarlKorsch,olivrofoiatacadono

quintocongressodoComintern,emjulhode1924,porGrigoryZinoviev.Em1924,logodepoisda

mortedeLênin,Lukácstambémpublicouumcurtoestudosobreele:UmEstudosobreaUnidadedeseu

Pensamento.Em1925,elepublicouumarevisãocríticadoManualdoMaterialismoHistóricode

1

Comohúngaroexilado,elepermaneceuativonaesquerdadoPartidoComunistadaHungria,eseopôs

aoprogramadeBélaKun.SuasTesessobreBlumde1928clamavapeladerrubadadoregimedeHorthy

pormeiodeumaestratégiasimilaràFrentePopulardosanos1930.Eleadvogouumaditadura

democráticadoproletariadoecamponesescomoumestágiodetransiçãoatéaditaduradoproletariado.

AestratégiadeLukácsfoicondenadapeloCominterneposteriormenteelefezumaautocríticapolítica.

LukácsviveuemBerlimde1929a1933,masmudou­separaMoscouapósaascensãodonazismo,

permanecendoláatéofimdaSegundaGuerraMundial.ComoLukácsviveunaUniãoSoviéticadurante

osanos1940,elefoiconsideradocomoagentedoaparatodesegurançasoviéticaassimcomoImreNagy

foi.(VedeGranville,Joanna."ImreNagy,aka"Volodya"­adentinthemartyr'shalo?"ColdWar

InternationalHistoryProjectBulletin5(1995):28,34­36;KGBChiefKryuchkovtoCCCPSU,16June

1989(trans.JoannaGranville).ColdWarInternationalHistoryProjectBulletin5(1995):36[from:

TsKhSD,F.89,Per.45,Dok.82.]).

DepoisdaGuerra,LukácsseenvolveunoestabelecimentodonovogovernodaHungria,comomembro

doPartidoComunistaHúngaro.Desde1945LukácsfoimembrodaAcademiadeCiênciasHúngara.

Entre1945e1946elecriticouduramenteosfilósofoseescritoresnão­comunistas.Estetrabalhocrítico

foipartedaobrigaçãodotrabalhodeLukácsnopartido,emboraelecertamentetambémacreditassena necessidadedacríticadopensamentonão­comunistacomointelectualmentedeficiente.Lukácsfoi acusadodejogarumjogo"administrativo"(legal­bureaucratic)deremoçãodosintelectuais independentesenão­comunistascomoBélaHamvas,IstvánBibóeLajosProhászka,KárolyKerényida vidaacadêmicahúngara.Intelectuaisnão­comunistas,comoBibó,foramfreqüentementepresos, forçadosaentraremmanicômioseadmitidosemtrabalhosdemenorenvergaduraintelectual(como

trabalhosdetraduções)ouaindaforçadosatrabalhosmanuaisduranteoperíodode1946–1953.Claudio

MuttidizqueLukácsfoiomembrodacomissãodopartidoresponsávelpelafeituradelistasdelivrose trabalhosanti­democráticosesocialmenteaberrantes.Nojargãodaquelestempos"anti­democrático"era usadoparasignificaranti­partidárioouanti­comunistaesocialmente"aberrante"erausadoparase referiraafirmaçõesmoraleeticamenteconsideradasforadamuitoestreitaéticaoficialdoPartido

Comunista.Aslistasdetrabalhosbanidos(emtrêspartestotalizando160páginas)eramdistribuídas

12/07/2015

GyörgyLukács–Wikipédia,aenciclopédialivre

peloDepartamentodePropagandaeInformaçãodoescritóriodoPrimeiroMinistro.Osautoresdestes trabalhoseramsilenciadospelalei,oudespedidos.Emborasomentepelacríticaintelectual,outambém pelosmeios"administrativos",Lukácsteveculpapelacensuradasociedadecivilhúngaraduranteaera

deTáticaSalami,de1945a1950,naqualseestabeleceuogovernodeMátyásRákosi.

Entretanto,aposiçãopolíticapessoaldeLukácsarespeitodeestéticaepolíticaculturalfoisemprequea culturasocialistadeveriaeventualmentetriunfaremtermosdequalidade,masqueesteconflitodeviase

darcomocompetiçãocultural,nãocomomedidas"administrativas".Em1948–49aposiçãodeLukács

pelatolerânciaintelectualdentrodopartidoculminounoseuexpurgo,quandoMátyásRákosivoltou comsuafamosaTáticaSalamisobreopróprioPartidoComunistaHúngaro.Lukácsfoireintegradona

vidadopartidoemmeadosdosanos1950,efoiusadopelopartidoduranteosexpurgosdaassociaçãode

escritoresem1955­56(VejaAczel,MerayRevoltoftheMind).Contudo,AczeleMerayacreditavam

queLukácsesteveapenaspresentenosexpurgosecitamqueLukácsdeixouopresidiumeasreuniões

comoprimeiraevidênciaderelutância.

Períododadesestalinização

Em1956Lukácstornou­seministrodobrevegovernocomunistarevolucionáriolideradoporImreNagy

aoqualaUniãoSoviéticaseopôs.Nestetempo,afilhadeLukácsliderouajuventudecomunista

Húngaronecessitavaseretratardentrodacoalizãogovernamentaldossocialistas,erapidamente reconstruirsuacredibilidadediantedopovohúngaro.Comisto,enquantoministrodogoverno revolucionáriodeImreNagy,LukácstambémparticipoudarefundaçãodoPartidoComunistaHúngaro

emnovasbases.EstepartidofoirapidamentecooptadoporJánosKádárdepoisdo4deNovembrode

1956.(Woroszylski,1957).

DuranteaRevoluçãoHúngarade1956,Lukácsestevepresentenosdebatesdaanti­partidáriae

revolucionáriasociedadecomunistaPetofi,enquantocontinuavaafazerpartedoaparatopartidário. DuranteaRevolução,comomencionadono"DiáriodeBudapeste",Lukácsdefendeuumnovo alinhamentoaoPartidoComunistadaUniãoSoviética.NopontodevistadeLukács,onovopartido poderiaganharaliderançasocialpelapersuasãoaoinvésdaforça.Lukácsconcebeuumaaliançaentre osdissidentesjovensdopartido,orevolucionárioPartidoSocialDemocrataHúngaroeoPartido

ComunistaSoviéticodeLukácscomoomaisjovemparceiro.Depoisde1956,Lukácsporpoucoevitou

aexecução,enãoreintegrou­senoaparatopartidáriodevidoaoseupapelnogovernorevolucionáriode

Nagy.OsseguidoresdeLukácsforamindiciadosporcrimespolíticosaolongodosanos1960e70,e

váriosdelesfugiramparaoOcidente.OlivrodeLukácssobreoJovemHegeleaDestruiçãodaRazão

foiusadoparaargumentarqueelehaviasetornadoumcríticodostalinismocomoumairracional

distorçãodoHegeliano­MarxismodeLukács.

ApósaderrotadaRevolução,LukácsfoideportadoparaaRomêniacomorestodogovernoNagymas

aocontráriodeNagy,elesobreviveuaosexpurgosde1956.RetornouaBudapesteem1957.Lukács

abandonoupublicamentesuasposiçõesde1956efezumaautocrítica.Tendoabandonadosuasprimeiras

posiçõesautocriticamente,LukácspermaneceulealaoPartidoComunistaatésuamorteem1971.

Entretanto,Lukácstornou­seomaiorcríticodoPartidoComunistadaUniãoSoviéticaeHungriaem

seusúltimosanos,apósoslevantamentosnaFrançaeTchecoslováquiade1968.Foisepultadono

CemitérioKerepesi,BudapestenaHungria.

Obra

2

HistóriaeConsciênciadeClasse

12/07/2015

GyörgyLukács–Wikipédia,aenciclopédialivre

Escritoentre1919e1922epublicadoem1923,"HistóriaeConsciência"iniciaacorrentede

pensamentoquepassouaserconhecidacomomarxismoocidental.Olivroénotávelpelacontribuição

aodebateconcernenteàrelaçãoentresociologia,políticaefilosofiacomomarxismoepela

reconstituiçãodateoriamarxistadaalienação,antesdosescritosdejuventudedojovemMarxteremsido

publicados.OtrabalhodeLukácselaboraeexpande­sesobreteoriasmarxistastaiscomoideologia,falsa

consciência,reificaçãoeconsciênciadeclasse.

ParaLukács,"ideologia"érealmenteaprojeçãodaconsciênciadeclassedaburguesia,quefunciona paraprevenirqueoproletariadoatenteparaarealconsciênciadesuaposiçãorevolucionária.A ideologiadeterminamaisa"formadeobjetividade"doqueaestruturadoconhecimentoporsimesmo.A ciênciadorealdeveseater,deacordocomLukács,aopensamentoda"totalidadeconcreta"atravésde queépossívelpensarobjetivamenteumperíodohistórico.Destarte,aschamadas"leis"eternasda economiasãodesmistificadascomoilusãoideológicaprojetadapeloobjetivismo("OqueéMarxismo

Ortodoxo?",parágrafo3º).Eletambémescreve:"Somentequandoocoraçãodosermostra­secomoser

social,podeaparecercomoumproduto,inconsciente,daatividadehumana,eestaatividade,porsua

vez,éoelementodecisivodetransformaçãodoser."("OqueéMarxismoOrtodoxo?",parágrafo5º).

Finalmente,o"marxismoortodoxo"nãoédefinidocomoumainterpretaçãodeOCapitalcomoseeste

fosseumaBíblia,mascomofielaométodomarxiano,àsuadialética.

Lukácsapresentaacategoriadareificaçãoargumentandoque,devidoànaturezaíntimadasociedade

dialético.

Jánoensaiohomônimoàobra,“HistóriadaConsciênciadeClasse(1920),Lukácslidaprimeiramente

comaausênciadaconceituaçãodeclasseemMarx,definindo­acomoposiçãonomododeprodução.A

cadaclassenocapitalismoháumaconsciênciaequivalente.Essaconsciêncianãoconsisteno

entendimentopessoaloupsicológicodosinteressesindividuaisdosmembrosdaclasse,tampoucoa

somaouamédiadessesentendimentos,masseusentidohistórico:ahistóriapermitequeuma

consciênciasejainterpretadaracionalmenteeadjudicadaàclasse.

Lukácsconcentra­se,então,naanálisededuasclasses:burguesiaeproletariado.Aburguesia,apesarde

poderteoricamenteentenderatotalidadedasociedade,temsuacompreensãoobstadapelosseus

interessesesuaconsciênciaassimfadadaaumafalsaconsciência.Oproletariadotemopotencialpleno

paraaconsciênciadatotalidadeporqueteminteressenadestruiçãodomododeproduçãocapitalista;

falta­lhe,porém,desvencilhar­sedafalsaconsciênciatomadaemprestadadaburguesia,que

estruturalmenteeideologicamentesubmeteotododasociedadeaosseusinteresses.Paraofilósofo

húngaro,arevoluçãoproletárianãoviriapassivamente,mascomoresultadodatomadadeconsciência

peloproletariado.Ascrisesdocapitalismoforçariamoproletárioaabrirosolhos,conscientizar­sede

suaposiçãodeclasseeidentificarseusinteressescomaquelesindicadoshistoricamente.

Nofimdacarreira,Lukácsrepudiouasideiasde"HistóriaeConsciênciadeClasse",emparticulara

crençanoproletariadocomosujeito­objetodahistória(1960:posfáciodatraduçãofrancesa),mas

escreveuumadefesadeles,assimcomofizeraem1925e1926.EstelivroLukácschamou"ADefesade

HistóriaeConsciênciadeClasse"esomentefoipublicadoemhúngaro,em1996,einglês,em2000.

EstaobratalveztenhasidoomaisimportantetextomarxistadesconhecidodoséculoXX.

Críticaliteráriaeestética

12/07/2015

GyörgyLukács–Wikipédia,aenciclopédialivre

Alémdeserumpensadordomarxismopolítico,Lukácsfoitambémumdosmaisinfluentescríticos

literáriosnoséculoXX.Suaimportanteobradecríticaliteráriacomeçoubemcedoemsuacarreira,com

ATeoriadoRomance,umtrabalhoseminaldeteorialiterária.Olivroéumahistóriadoromance

enquantoformaliterária,eumainvestigaçãodesuasdistintascaracterísticas,edemonstraforte

inspiraçãohegeliana.

Lukácsposteriormente,quandomaisafeitoàsideiasdomarxismoclássico,repudiariaATeoriado

Romance,escrevendoumaintroduçãoqueodescrevecomoerrôneo,apesardeconterumanti­

capitalismoromânticoqueseriamaisbemdesenvolvidodepoisdentrodomarxismo.(Estaintrodução

tambémcontémsuafamosarejeiçãodeTheodorAdornoeoutrosexpoentesdomarxismoocidental,

comotendotomadoassentono"GrandHotelAbyss".)

OtrabalhodecríticaliteráriadeLukácsincluiobemconhecidoensaio"KafkaouThomasMann?",no

qualLukácsargumentaemfavordaobradeThomasManncomoumasuperioradequaçãoàscondições

damodernidade,enquantocriticaomododeinserçãodeFranzKafkanomodernismo.Lukácsopôs­se

àsinovaçõesformaisdeescritoresmodernistascomoKafka,JamesJoyce,eSamuelBeckett,preferindo

temposaristocráticos,escreviamcomumacuradosensocríticoporcausadesuasoposiçõesàascensão

daburguesia(diferindo­sedaoposiçãoreacionária).Estepontodevistafoiexpressonoseuúltimolivro

ORomanceHistórico.

Alémdessetrabalho,sãonotáveisostextos"Notassobreoromance"e"Narraroudescrever?",emque

oautorsedebruçamaismeticulosamentesobreaconcepçãomarxistadaliteratura.Noprimeirodesses

textos,Lukácsfazumarevisãohistóricadaformaçãodogêneroromanesco,desdeassuasorigens,

passandopelaépocadesuaconsolidaçãohistóricaechegandoaprognósticos(consideradosprecipitados

porvertentesteóricasdecunhomarxista,massubstancialmentedivergentesdadeLukács)arespeitodas

suasfeiçõesquandodotriunfodoproletariado.

formapredominantedasociedadeburguesa.Nessesentido,oromancecaminhaparaasoluçãorealista,

depoisdeterpassadopeloromancehistóricodeWalterScott;surge,portanto,oromancerealistacomo

formaliteráriaqueapreendeaindividualidadecomopartedeumaestruturamaisgeral.Ditodeoutro

modo,deacordocomLukács,orientadopelasprincipaistesesdomaterialismodialético,oromance

realistaéaformaliteráriaporexcelênciadaburguesianamedidaemqueprivilegiaotipo­istoé,uma

situaçãotípicavivenciadaporumpersonagemtípico­,colocadosobreumpanodefundohistórico

relevante;assim,deacordocomessaperspectiva,tem­seumacompreensãogeraldascontradiçõesque

engendramasociedadeburguesaecapitalista,umavezqueasituaçãonarradapermitevislumbrarnãosó

aparticularidadequedefinealiteratura,mastambémoquadrogeraldeconstruçãodamentalidadeede

desvendamentodascontradiçõeseideologiasdasociedadecapitalista.Nessesentido,asações,muito

maisdoqueasminúciasdescritivas,interessammaisaocrítico.Lukácsdestaca,então,aobradeHonoré

deBalzaccomoparadigmáticadessarelação.

Adiante,nessemesmoensaio,Lukácsmanifestaoseurepúdiopelasformasliteráriasnaturalistas,que,

segundoele,emfavorde"formalismos",sacrificamonívelactancialdanarrativa,afimderelevar

aspectosdarealidadequenãonecessariamentecontribuemparaumesclarecimentodopúblicoacercade

suacondiçãosocial.Dessaforma,escritorescomoGustaveFlaubert­e,maistarde,todoo

empreendimentodasvanguardashistóricas­sãomuitomalvistospelopensadorhúngaro.

12/07/2015

GyörgyLukács–Wikipédia,aenciclopédialivre

Ooutroensaio,"Narraroudescrever?"retomaosaspectosabordadosnoensaioacima.Deforma

programática,Lukácsafirmaque,emnomedaconstruçãodeumaconsciênciamaiscríticaacercado

papelsocialdossujeitos­que,segundoele,éumdosobjetivosdaarte­,o"narrar"épreferívelao

"descrever",namedidaemqueoprimeirorevelacontradiçõesapartirdesituaçõestípicas,eosegundo

descambaparaformalismosquealienamopúblico.

Alémdessesensaios,LukácsescreveulongosvolumessobreEstética.Énotável,nessasuaprodução,a reiteraçãodeideiassobreadeontologiadaarteedaliteratura.Deacordocomoseupontodevista,que refleteapenasumdosdesdobramentospossíveiseconsolidadosdaepistemologiamarxista­aoqualse opõe,porexemplo,opontodevistadeTheodorAdorno,opapelprincipaldaarteécontribuirparaa transformaçãodaconsciênciadoindivíduo,apresentando­lheformasalternativaseprofundamente críticasdeconfrontocomasociedadecapitalistaeseumododeprodução.Comovimosacima,Lukács acreditaqueapenasorealismoartísticopodeproduziressegraudecomprometimentoeconsciência, aproximando­se,nesseaspecto,dopensamentodeArnoldGehlen,autorqueLukácsestudoucomgrande

interesseapartirdadécadade1950.Todavia,cumprelembrarqueessavisãoestreitacontribuiu,mais

tarde,paraaerupçãodoRealismoSocialistarusso,quecondenou,entreoutros,artistasdevanguarda

engajadosnaproduçãoartísticacomprometidacomosideaismarxistas,apesardepartiremparaacrítica

dasociedadeburguesasegundooutroviés.

Bibliografia

Lenin:AStudyintheUnityofHisThought.ISBN1­85984­174­0.

HistoryandClassConsciousness.ISBN0­262­62020­0.

TheTheoryoftheNovel.ISBN0­262­62027­8.

DefenseofHistoryandClassConsciousness.ISBN1­85984­747­1.

Woroszylski,Wiktor.Diaryofarevolt:BudapestthroughPolishTrans.MichaelSegal.[Sydney:

Outlook],1957.(Pamphlet).

Aczel,TamasandMeray,Tibor.RevoltoftheMind:acasehistoryofintellectualresistance

behindtheironcurtainGreenwoodPress.Reprint:1975.

Granville,Joanna."ImreNagy,aka"Volodya"­adentinthemartyr'shalo?"ColdWar

InternationalHistoryProjectBulletin5(1995):28,34­36.

Kadvany,John(2001).ImreLakatosandtheGuisesofReason.DurhamandLondon:Duke

UniversityPress.ISBN0­8223­2659­0.

KGBChiefKryuchkovtoCCCPSU,16June1989(trans.JoannaGranville).ColdWar

InternationalHistoryProjectBulletin5(1995):36[from:TsKhSD,F.89,Per.45,Dok.82.].

Vertambém

Referências