Você está na página 1de 15
5 Pratica Baseada em Evidéncias OBJETIVOS O dominio do consetido dese capisule capacitaré 0 exudate a: Discutir os benefcies da pritca bareada em evidencis, Discutirasetapas do proceso de pesquisa Descrerer 2s cinco etapas da prética baseads em evidincins, + ‘Discatr priordades das pesquisa cm enfermagern Desenvolver uma pergunta PICO. + Explicara relacio entre pritica bacada em evidencias € Explicar os nveis de evidéncia na erasure inelhovis da qualidade, Discutie formas de aplicagio das evidéncias pekica. Descrever 0: compenentes de um programa de melhora da xplicar como a pesquist em enfermagem melhora a privia ds cnfecnagesn. Anonimata, p. 63 Pesquisa em enfecmagem, Confidencialidade, p. 63 p.60 Confiével, p. 61 Pesquisa qualitativa de Consensimento informado, enlermagem, p. 62 7.63 Pesquisa quantitativa de Dados empiricos, p. 61 enfermagem, p. 61 Escudo experimental, p. 62. Pritica hateada em evidéncias Generalizivel, p. 61 (PBE), p. 54 Hipétese, p. 59 Processo de pesquisa, p. 62 Levantamento de dados. p. 62 Raciocinio indutivo, p. 62 ‘Método cientifco, p. 61 Revis2o por pares, p. 56 Melhoria da qualidade (MQ), Melhora do desempenho p. 64 (MD). p. 64 Orientagves elinicas, p. 57 Tendéncia, p. 58 Pergunta PICO, p. 55 Valido, p. 61 Pesquisa de avaliagio, p. 62 Vasidveis, p. 59 ECM herr mone nicer Regen er eeen om eioe enfermeir, Ao longo deste periodo, as enfermeizas tm seguido uma politica de resrigio das visits da familia aos pacientes que experimentam eventos crear que eaigem reanimagio de emergincia. A. politics permite que as enfermeiras cuidem do paciente © administeem cu ado salvador da vida scm interferéneia da fami. As enfermeiras sdmitem que a experiéncia de asitr A reanimacio de um ente que- Fido é muito traumitica para os membros da familia. Enuctanco, Rick rem cbvervido que as furnlas des pacienses subunetides 3 rea~ nimaczo experimentam umn esresesgaificativo quando nio podem far jomta do enre queride, Mais ard, apis a reanimacio, a equipe pode enffentar sara ou ressentimenco por parte das famiss. Ride Tevantow a queso com as ontres enfermeins no éepartamento: “Quis Go os beneficios da visi ds fafa dorante ¢ reanimacio? E possvel que a presenca da farfia durante a reanimagio vena a melhorar os resultados pars 2s fanibas” ‘A matoria das enfetmeiras como Rick pratca a enfermagem de acorlo com o que aprende na escola de eafermager, por meio das txperiéneias na priiea¢ peas poitcase procedimentos de su ins- tituigio, Tal abordagem da pricica rio significa que « pritica da cenfermagem se basen em informagio atualizada. Pode sigrificr que 2 pritica da enfermagem baseiase na tadigio, ¢ no aay evidénciss aeaas. Se Rik fore buscar artigns da literatura cientifica sobre a presence da familia durante a reanimayao, ele descobrita as evidén~ tas que mostram o: henelicioe desea abordagem (Meyers e outees. 12000; Claske outros, 2005). A evidenciaprovenieate ds esmidos de pesquise © opinigo de especaliaas em cuidado clinica fornecem luma base para Rice seus colegas fierem mudangis na politic de Visitgio com base em evidéncise. A utizagio de evidéncins ma pri fies capacta elinicos como Rick @ fomecer 2 mals ata quibade de cvidade a seu clieotes¢ fri EvidSreia provenients de pesquse,teorias bascadas om evidéncias, opine ge iideres i Um Caso de Evidéncia Ps ah As enfermeiras praticam em uma “era de responsibiidade” nu qual aquestes whthas a qualidade e casts oicaam o edo da side tkiere oates, 2000: Newhouse e outs, 2005), O pblico gral std mais infermade sobre nin propria said, sobre a questies de uidato da sade que afetm: a sociedad e stbze a incidéncia de tres médioe dence das instigbes de cidado da sie no pai. st send feito um exame minueios sobre por que dexerminadas ahordagens de cudado de saide sf weidas sobre quis fancionsm c quais nfo o Fem. Como resultado, 2 pritica bass em eviden- clas (PBE) & ura raposta is ompls (orgs da sociedad que a en femmins © onto: profsionas da sade preciam enfrear (Mewiseuse c outros, 2005). A PBE & ur guis para as enfereira cstrtitaen a forma ome tomar decisis dinicas acura, opor tunascapropeiadas As enferme ‘anes decides clini a0 cata dos pacientes (po 0 que avalon to paciente, ie itervenyGcs so nevessis € quai intervenes sao melhor). E mu importante wadurie« malhor evdéncia em. melhores priicas heira do Ito do dente. O wo de ama tabi dlesizante para uarstriew paciute do Is pars. a rae em vor de levanilo, © uo da exc de Braden bascada em pesquisa para stallrrtincramenteo aco do clicrte para sso da pce so Formas ‘Sossar evidéncia heirs do leita. prtica baseada em evidéncias (BE) Cums shortage de clog de problema da pric lini fu integes o uso coacicnre da melhor evidéncia 8 experiencia do inico eas preferéacias sos valoes do cliente na vomala de dec= sSe sobre © cuidado prevado (Fg. 5-1) (Melk © Fincoat- Overholt, 2005; Sache ¢ outs, 2006). clinics segularmente conffontam-se com impor Evdbacia proveniente da avaliagao cirica © ‘do isterico 60 cierto e recursos ‘se cvidado da sale disponivels vo Experincia clinica Tomada da Dadisic tinea Basoada om Evincixe 4 Tnformagéo cobro prelerGncias ¢ valros ‘do paciente Como enferreirs, vet preci pormanecer infommada © cone eras evidéncias auais. De modo tipico, 0s novos eseudances erio snvemente seus lvros-texo € se report a artigos ccnicos. Um bom lvto-texto incorpora evidéncia&s oriencagies de pritiea © 0s procedimentos que deveere. Enerctanto, usm lio-texto conta com a literatura cientifica, em geral desatulads pelo tempo de pblicagio do fa. Quase todos os wpicos envolvennd a pritica de enfermagem esto disponiveis em argos da literatura sobre enfer- rmagem ¢ culdade da saide Petrctanto, cmbura a hase Geadfica da pritica de enfermager tena crescido, algumas priticas nto s30 “baseadas em pesquisi” (bascadasem achados de estudos de pesquisa bem plarejados). porque os achados so inconchusivas ou ae priticas ands nao foram estudadas (Vdler © outzos, 2001). O desafio € see ‘apa de obter © melhor. 2 informagie maisanual no momento cere, quando yoo? precis dela para o cudado do dlience ‘A inclhor informagio € a evidéncia fornecida por exc de pesquist conduzides sitematicamente bem pkinefados, 2 maiorin fencontrada em jornais centfcos. Infaizmente, grinds parte desta cerid2acia nunca atiage a beire do eto. s enfermeizas em ambiettes de privics, 20 canerieio dos ambientes educacionais, com freguténcia ‘mio thm aceso fie os hancos de dados ds literatura Geatifica, Em wer diss, 2s eniermeiess, em geral, cuidam dos chentes com base na uwadigio, na convenitnca ea ne padrio: "Sempre fo feito desta fit ‘Oua foate de informasao provem da evidencia de ndo-pes- ‘quica, que inelsi dados de melhosia da qualidade c contole de rncos ppadroes intemacionais, nacionzs e lecais, dados de contiole dein fresio, revistes de quad de referbncia, revoipectivos ou concor rene; experiencia des clincos. £ importante que vooe aprenda 2 ‘cantar mais com a evidéacia de pesquisa do que apenss com « ev dincia de nao-pesquisa. Ao enfientar um problema clinico, pergun te-se sempre onde ese a melhor evdincia pana ajudils « encontrar a melhor sclucao no cuidado dos chentes. Mesmo quando voeé usa melhor evidéncis disponive, a aplicar {20 © os resultados iso diferir com base nos valotes, preferéncias, preooupasdes wou expectativas des pacicates (Oncology Nursing Sociey [ONS], 2005), A PBE nio ¢ achar evidéncia de pesquist © plies cegamente sem usar bom julgamente, Como enfetmecng ‘oct desemvolverd habiidades de persamenro critica para determi: nar sea evidéncia € relevance e apropriada acs seus pacientes © ‘wacao clinica. Poe exemplo, um tnico artigo de pesquisa sugere que 19 uso do toque teapéutico € consistntemiente efcsz na redugio da dor de ums incisio abdominal. Entretanto, se as crengas culramis dlos pacientes impedirem a usiliza;io do toque, voc? provaveleace precisa pesquitr a melhor terapin aseada em evidénciat que o clients aeitarao. A urlizago de sua experitoca clinica ea comside- ragSo dos valores e pecferéncias dos pacientes aseguram que voce aplicard, segura e apropsiadamence, 2 evidéncia disponivel ns pric, A pesquis. mosirs que os clientes que recehem exidado bassado em cevidencias mais ecznces € melhores que pioséin de etudor de pes- 4quisa bem plinejados experimentam 28% dos melhores resleados (Heater © ours, 1988), Etapas da Pratica Baseada em Evidncias A DBE & ama abordagem sistsndcica pats tomada de devise racior nal que Lalita a vonsceugio das melhores préticas (Newhouse ours, 2005). O emprege de uma abordagsr etapa por capa ssc~ ura que voct obverd a evidéacia mais forte dsporivel part aplicar no cuidade ao cliente: Sio nce as ctapas da PBE (Meluyh «i rneout-Overholt, 2005) 1, aca uma pergunta clinics 2. Reda evidéneias mais relevaares € melbores, cea eee 3. Aualisecrticamcote as evidenichs que reunis. 4. Iegre todas as evidéncias 3 experincia clinica eis preferéncias 10s valores do paciente ao romar tuna decisao de pritice ou faaer urna mudanca, 5. Avaliea decisan de pritica oa mudanga. Faga a Pergunta Clinica. Pense sempre em sus priica ao cui- dar de um diene Indague sobre o que ie fae sentido para Yost & sobre o que precisa de esclrecimento, Perec em algun problema ou frea de imterese que consurna tempo, aja carn ¢ iligico (Caller ¢ eos, 2005). Se voce dispuser de um periodico clinico, seu 2c280 a cle serd uma rca fonte de pergunts clinica. Tiler c ous (2001) sugerem que seuss deflagradors focaizados no problemacanhe- pesquisadores estic seguinda 0 prorocolo do estudo? Analise 0$ resultados do estudo: « Incerprete « demografia da popu lagio do estudo. + analise cada pergunta/hip6tese da pesquisa. + Interprete os resultados, inclu- indo conclusbes, limitagBes. Formule recomendagdes para pes- quisa adicional. Determine as implicegbes para z cenfarmagem. Divulgue os achados: apresenta: ‘bes, publicagSes, utlizagdo da pesquisa. Identifcagao do problema Desenho do estudo Condugao do estude Anilige dos dados Utiizagdo dos achados dade e contecle da dor em comparayao com os pacientes que 56 receheram © plane de alta pao, Se on pacientes que rexbem 0 rove cuidado dormirem melhor, cverem menor controle éa dor © felatarem coleinciaadequads + atividades, a enfermeira pesquis iors adguisin coahecimenta now sobre como geralmente ajudar pacicotes submecides pela primeira yer a cizurgja eardtaca aberea fom repam de valeaadriea Em qualquer otudo, a pesquiadors aborda as LimieaSes de es ‘nda, que podem incluie tamanho pequeno da amoxtra, ambiente singular onde o extado foi condwnide, ou fatha do exeado em incluir ‘grupos culturas representativas ou grupos por idade. No nos tesemplo o extudo & pionetzo ¢ oF esulados no esto prontns par tso em todos os pacientes que receberam alta 2pos um repare de salva abrica, Além disso, ever exetises ara limitagSo corn © am aaho da amosta, porque existiam individuos que nio completaram intervengio de alta, As limitagées sjudam a pesquiradora a decidir a forma de refinar ou adaptar um estudo parz investiga;ao adicional no Fuero, ‘A pesquisadors tarbém aborda as implicagdes para a pritica de enfeimagem, Isto € crsico pars sjuder 08 pesquisadores,einicos, ceducadores eadministadores a siber come aplicar&pritica os acha- dos de un extudo. Nese exudo, at pesquisdoras ecomendar gus, apis cirurgia cardiaca abera, todos es pacientes recebam a irstrugio complementar de plano dealka em fungao de melhor controle dador ‘emdhora da tolerincis a aziidades posalra A pesquisadora explica também como inti intervengio ao ambiente de prtiea para que sea efetiva A pesquis em enfermagem melhors a privica de enfermagem & leva 0s paris da profisio, A promogio «a prdtiea baseada em tvidinecias eda pesquisa aumenta 4 base de conhesimento ciemifico para a prtica, Os beneficitios dessas methorias da pritea sto os Clientes, suas furnace as comunidades em que vivem. Melhoria da Qualidade e Melhora do Desempenho [Dados sobre qualidade ficam prosimas & base da pirimide de evi- éncia (Fig, 5-2). Todas as organizaySes de cuidado da snide ee nnem dads sobre virias medidas de resultado ds saude come forma de afer « qualidade do seu evidado. Este € o foce do controle de resultados (ver anseriormente). Fxemplos de dads sabre qualidade inlucm taray de queda, niimero de erros de medicamencoy inci dlencin de diceras de pressio etaxas de infecgio, As organizagies de tcuidado da sade promovem arivamente esforgos para melhorar © tuidado do paciente e os resultados, em particular com relagio 2 reducio de ertes médieos c ap aumearo da segurangs ilo paciens Dados sobre qualidade sio o resultado de iaiciativas de melhosia dda qualidice (MQ) e melhora de desempenho (MD), A'The Joint Comision (TJC) define methoria de qualidade (MQ) como ume abordagem para 0 esiudo continuo ¢ melhora de processo de for nnecimenta de servigos de cvidado da sate para saiazer as neces sidades dos cliemes © de outros (TJC, 2005). Um programs de MQ da instimigio focaliza a methora dos processos celacionados com o euidade da side (p. e., libsragie de malicamento ou prevengio de queda). Meds de desempenho significa 9 que uma Tostinaigio far © quae bern 0 faz. Na melhora do desempenho GMD) ims orgiizagaa analisa «aval 0 desempenho aval para war os resulados ao desenvolvimento de agGes de melhoria Foca Tinada. As atividades de MD sto tipicamente projetos dinicos cconeebidlos em resposta a problemas clinicos idensiicados ¢ proje tedos para usar achedoe de pesquisa vieandes melhorar 2 priticx nica (Melynk ¢ Fineou-Overholt, 2005). [A pritica hascads emt evidincins @2 melhoria da quilidade ca- rminham junias, Ao implemenar um projewe de PBL, € importante revise oF dados de MQ dieponiveis. A infarmacio € vali part ompreender 2 extensio do problema dentro de sua oxganizagie. ii (Os dados de MQ oferecem informagtes sobre come focalizar 0 forgos de PBE. Por exemplo, se uma unidade de enfermagem expe- rimencoa um aumento de nimere de queds de diente nos iltimos meses, os dados de MQ podem. pocencialmente, set valiotos na identificasio do tipo de pacientes que cuem, hora do dia das quedss € possveis farores precipicantes(p. ex, esfros para chegar a0 ba hero, multiplos medicementos ou coafusio do cliente). Una analise completa dos dados de MQ leva entdo osclinicosa idersificar a melhor evidéncia dsponivel puta cogs problemas de qualidade. (Uma ver que 2 equipe aplique as eviléncas 0 protocolo de preven- 0 de quedas, implementard o protocalo (nese cs0, focalizando tslorgos mas aberdagens de cuidado durante 6 anoitecer) © alias seus roultados. Dados confidves sobre qualidade melhorarm a rele ‘ncia © 0 excopo de um projeto e pritia bascacs cm evidéncias Programas de Melhoria da Qualidade Um prorama de MQ bem organizado focal provsos ou sistems| «ve coneibuom de manciza significative pam os rsulados. Em r= mos organicaconais, as instnwigbes precisam de uma abordagem Sitemiven para anegerr que todos apoiam tm Blosoba de MQ ‘contin. Iso comea com a cultura organizacional. em que todos ssmembrosda equpecompresndem aa eoponsabildade a man rengio emehora da qualidade. Tipeamente, muzes indir no cuidado da snide edo envalidor erm proces Gnicos. Por em plo, a adminstragao de medicamento envolve 4 enfermeina que pram e administra ot medicameaton,o cdi gue os prscieves © farmacéutic que prepara a dosager, a seerctra que comics a6 nowas presses sseritay © 9 cramporcador que entrega os medica- smentes. Assim, todos os membros de equpe de cidade da eaide celahoram japtes nas aivdades de MQ_ Como membro de euipe de enfermagem, voc? paricgart reconhecendo rendéncis na pet tia, identifiando problemas recorrates¢ detsrando oportunida- des de melhorara qualidade do cuicado © proceso de MQ comega to nivel da cquipe, com a defnigio dos problemas. Fle exige que of metnbrox ds eeipe conhegarn oe palibes ou as diecsizss de prvies que definem gualidade. Os co mités de MQ revitam as aividades ou of tevigor considerados sma imporcantes no foraecimento de cuidido de qualidade aos pscionts. Par idensiicar maior oportunidads de salhors da aualidade, os comités consderam as avidades de grande volume {mais de 5036 da atvidade de uma unidade) ale ico ipotencial de rma ou morte) e dress de problema (potercial do pacieate equipe ou insttsisio). Por ckerplo, em uma nidede de enn gem ortopédica. ¢ volume de citurgia do quad seo, oF idosoe com mis de 80 anos tém mals complica por-opeatSri cos membres di farafis eam imsatsftos com o comteole da dor do paciente. As Nasional Paeat Safety Goals do TIC foraecem anu almence outro foeo purses constés de MQ explora iden sat asevidencias na iteraturaclentica ‘Ahierarguia das evidéncias disponivesoferece um gui sobre stipes de literatura ou informagae com a melhor eviéncia dente Um ensaio contotago randomizade & 0 nivel mais alto de pescuisa experimental, ro qual o pesquisader mede um gru porcontiole e um grupo experimental para os mesmos resulte dos, visando observar se existe uma diferengs. Clinicos especialistas sao uma fonte rica de evidéncia porque frequentemente usam af evidEncias para constrult 2 propia pratica e solucionar problemas clinicos. ‘erties dar evidineias envolve cua valiagdo, que inclu de tetminar seu valor, ereauibilidade e utilldade das evidencias para fazer uma mudanga de prética, Apos criticar todos os artigos para uma pergunta PICO, sinte- {ize ou combine os achados para considera o rigor cientific> da evidenciae se ela tem aplicacao a pratica. Quando voce decidir aplicar evidencie,cansidere 0 mbiente se existe apoio da equipe recursos disponiveis Pesquisa € um processo sistemético que indago © responde erguntas que geram conhecimento, que proporciona uma base cienifes pare e prétice de enfexmagem. A pesquisa de resultados é projetada para avaliare dacumen- lal a efetividade dos seivgos € intervencées de cuidaco da snide A pesquisa em enfermagem envolve duas abordagens amplas de condugso dos estudot: métoéos quantitative e qualiarivo. © pracesso ue pesquise geralmente corsiste nas seguintes tapas: identfica;ao do problema, dasenho da esto, cond- {40 do estuto, analise dos dados e utliza(ao dos achados. Uma andlise Completa dos dados de MQ love os cinicos a igortitcar a methor evidéncia dispon'vel para corigir proble- mas de qualidade. {il Exercicios de Pensamento Critico 1. Reequipe de enfermagem de uma unidade clinica tem revi sado seus dados de qualidade sobre e incidéncia de dlceres de pressio. Ela esté preccupada com o aumento da inci- dencia nos Gitimos 3 meses. Uma enfermeira falou recente- mente com 0 especialista em cuidado de ferida sobre 0 tatanento de incontingrcla no cuidado das diceres de [resso. 0 especialista ecomendou um novo produto, cha- mado Fanry Wipes®, que cantém um emoliente ¢ € eficaz ‘em limpar a reduzi a irritaca0.e a inflamacio da pele. Tra Clonalmente, as enfermeiras im usado sabio e dgua para limpar 0s clientes aps ur epis6dio de incontinéncia. Qual seria uma pergunta PICO para este grupo fazer? 2. Uma enfermeira conduz uma pesquisa da literatura ¢ obtém atigos sobre uma pergunta FICO: As visitas para ajuda ia toalete do cliente, em comperacio com a observagie roti nica co cliente, reduzem 2 incidéncia de quecas nos pa- lentes sob risco de quedas? A enfermeira obtém um artigo ‘gue contem uma revisdo da literatura sobre o problema ce ‘quedas nos centres médices, caractersticas dos pacientes Sob risco de quedas, 0 nsco esperial em idosos ¢@ associa ‘glo de quedas com as tentativas des pacientes defazersua higiene independentemente. A maioria dos clientes cuida- dos na unidade once a enfermeira trabalha constitui-se de adultos de meia-iéade, Como o artigo se provaria itl paraa cenfetmeira? i Questies de Revisdo no Estilo NCLEX” 1. Uma enfermelra pesquisadera entrevisia enfermeiras sOnio res de oncologia, pedindo que descrevam come elas idam coma peréa de um clionte. Aandlise das entrevistas produz temas comuns que cescrevem o pesar das enfermeiras. Este Eum exemplo d 1. Estudo histdrica 2. Estudo qualitativo 3, Estudo coreelacional 4, Estudo experimental Uma eatermetra ca sala de operacao esté falando com os colegas durante uma reuniéo © pergunta: “Eu me pergunto se teriamos menos inieccdes de ferda se usassemas clore- vidina em vez de povidena iodo para limpar a pele dos ‘oss0s clientes cirdigicos!” Neste exemplo de pergunta PICO, 0 P & 1. Uso de betadina 2. Gentes cindrgicos Uso de ciorexidine 4. Enfermeica da sale de operagio Uma entermelra pesquisadora esta projetanca um estudo sobre exerctio que envolve 100 clientes assistidos om uma clinica de bem-estar, Conforme os clientes entram para a clinica, podem esccther se querem ficar no novo programa, ‘Ge exercicio ou permanecer no programa tradicional. A en- ermaira planeja medir 0 autorielato de exercicio dos clien {es antes @ 6 meses apds a inicio do programa. Que lator pode influencisr de mancira desfavorivel os resultados deste estudo? 4, Tendenciosidade 2. Anorimato 3. Tamanho da amostra 4, Amostragem aleatéria 0 fundamento da pesquisa baseie-se am qual dos seguintes i. Evidencla 2. Experiéncia Pensamento critica 4 Método cientiico NNumere na ordem apropitada as etapas a seguir da prétice baseads em evidencias: __ Inegie as evid2nclas. Fact a pergunta clinica excitanto _ avalie a decisz0 ou mucanga de pratica. ‘Avalie citicamente 2c evidencias reunidas, — Colete a evidencia mais relevante e melhor. 6. Quando 0 pesquisedor dé ac individua informacao completa sobre 0 objetivo do estudo, este é um exemplo de: 1, Tendenciosidace 2. Anoaimato 3. Confidencialidada 4, Consentimento informedo Uma nova enfermeita na unidade ortopédica & designada pars um cliente sob trardo esquelética. A enfermeire per ‘gunta a um colega: “Qual €a melhor pritica para imparos, locals de ping na tracdo esquelética?” Essa pergunta € um exemplo de: 1. Hipdtese 2. Pergunta PICO 3. Deflagradorfocalizado no problema 4, Deflagradar facalizaco em conhecimento reece ee 8. As enformeiras em uma unidade elfrica tém ebservade um ‘aumento co numero de diceras de pressio que se desenvol: ver em seus clientes. As enfermeiras decidem iniciar um projeto de methoria da qualidade usando o modelo PDSA. Qual dos seguintes é um exemplo de “Faca” do modelo? 1. Implementacao do novo arotocolo ce cuidado da pele fem todas es unidades clinicas. 2, Revisao dos dacos coletados sobre os pacientes cuida. dos como protocol. 43. Revisio dos relatérios de MQ sobre os seis clientes que desemvoiveram dlceras nos citimas 3 meses. 4, Implementacao, com base nos achados cox clientes que desenvoiveram dlceras, de um protacolo ve culdade de pele baseado em evidéncias. tri 1