Você está na página 1de 1

- Tenho impresso que Medeia no trata do amor infiel. Acho que...

para
mim, curto demais...
- No um monstro que mata crianas?
- No, de jeito nenhum. um ato poltico frio, calculista... [...] Quando o ser
humano se tornou mulher, as mulheres eram seres humanos, aconteceu
uma mudana traumtica. Desde ento, as mulheres no so humanas, so
mulheres. Porque os humanos hoje... pode-se ver claramente no teatro...
Fausto sobe ao palco e um ser humano. Representa toda a humanidade.
Como ser humano, claro que penso como Fausto. No penso como
Margarida. Ela no humana. S no olhar dele. Tudo est subordinado
sua subjetividade. Hamlet sobe ao palco e a humanidade. Medeia sobe ao
palco e tem problemas com a menstruao. Ela no representa a
humanidade. Ela representa o problema de ser mulher. Como voc disse,
um problema com o amante infiel. No acredito que seja isso, mas sim que
j no seja um ser humano completo. E vemos que ela no o aceita.
- Ela exige seus direitos.
- Ela exige a qualquer custo. E nunca apresentada como um ventre
assassino meu marido me deixou, ento vou matar meus filhos. No, ela
age diferente. Um rei chega a cidade e ela tenta tocar a vida. No um
assunto emocional que veio desse lugar onde gostamos de por as mulheres,
um lugar reduzido ao visceral, ao emocional. Nada disso. Mas ela j no tem
espao para se mover. Porque agora s uma mulher com dois filhos. Todo
o resto foi removido. Est fora de seu raio de ao poltica. J no mais
rainha, s esposa.
- Desterrada.
- Exato. Ela tratada como esposa e rejeitada como esposa. E um rei chega
a cidade e ela faz um trato com ele voc estril, resolverei seu problema.
Prepararei uma poo e ter filhos. Mas prometa que me abrigar, haja o
que houver. Isso aparece em Eurpides. Ela pensa com antecedncia. Ela
planeja. Faz um contrato transparente. uma estrategista poltica. Depois,
como todo homem tem... ela tem direito... fama e dignidade! No quer
ser s uma biologia feminina, dependente do amante. Ela tambm quer... se
seu marido pode dizer... quero ser rei e no ficar s fugindo. Agora tenho a
chance de ser algum. Ela tambm quer ser algum. Est ofendida e no
vai tolerar isso. Quer viver como uma pessoa completa, com fama e honra e
com dignidade humana. Por isso, mata seus filhos, para ferir ser marido
mortalmente. E l fica ela, na carruagem de Hlio.
- ela voltar ao seu pai.
- Sim, ela parente de um deus do sol.
- E comea tudo de novo.
- Adoraria interpret-la, de verdade, naquela carruagem e no numa
cozinha. No queria interpretar uma mulher casada do sculo 19. [...] Tratase de um tema poltico, de uma quebra de contrato.