Você está na página 1de 1

Alexander: Voc disse antes que Marx partiu da ideia que se pode dissolver

a famlia.
Sophie Rois: Que interessante. E se perdeu. No discutimos essa
possibilidade de dissolver a famlia. No pode. Ningum diria isso. Todos,
todos os partidos rejeitam a ideia.
Alexander: O certo que a estrutura de famlia e de cls menos adequada
para o socialismo. Para criar uma fbrica de pessoas na sociedade que
estejam interessadas em serem iguais entre si, h que se superar a noo
de famlia e substitui-la por outra coisa amorosa, mas isso no existe. Ento
sempre voltamos sociedade das cavernas, da sociedade tribal, famlia.
Sophie Rois: A famlia nos pede...
Alexander: No quero ser negativo.
Sophie Rois: Nem eu. Voc tem que... Todos tem algumas coisas como
certas, como sua famlia, que voc no quer questionar. Mas tambm
possvel pensar as coisas sob outro ngulo, e nos perguntar se a famlia
uma instituio brbara.
Alexander: Barbara, certo... E ao mesmo tempo...
Sophie Rois: Bem, brbara no o termo certo, mas algo antiquado...
Alexander: Mas todas as sociedades que conheo so pequenas carvoarias,
onde de algum modo o amor est sendo cozido. O interesse por outro lado,
e um protege o outro ou luta com outro para proteger um terceiro. Na
verdade, nosso arsenal, que podemos deixar solto. nosso verdadeiro
capital, que acalentado nas famlias. So nossos campos emocionais.
Sophie Rois: Mas tambm o que nos leva loucura. Ou por que as pessoas
se matam? Ou matam outra? Porque no h como sair da famlia. [...]
Famlias so mquinas de matar.
Alexander: Como em Shakespeare. H muitos dramas ali dentro. [...]. Uma
famlia na China com um s filho, uma tentativa de domar algo.

Nachrichten aus der ideologischen Antike - Marx Eisenstein, Das Kapital.


-