Você está na página 1de 2

Prova TRF 4 ª Região

Direito Previdenciário
Questão 44 – Prova 2 – Tipo 2:
Nelmar da Silva apresentou, junto à autarquia previdenciária, pedido de
aposentadoria por invalidez, sob o fundamento de incapacidade permanente e
insuscetível de reabilitação. No entanto, incorreu na interrupção da contribuição
previdenciária, por 7 anos, antes do início da alegada incapacidade, porque parou de
trabalhar e de contribuir para a previdência. Neste caso, para que Nelmar tenha
direito ao benefício da concessão da aposentadoria por invalidez,
(A) não é necessária nenhuma contribuição, pois Nelmar não perdeu a qualidade de
segurado.
(B) são necessárias contribuições individuais por 12 meses.
(C) são necessárias contribuições individuais por 8 meses.
(D) são necessárias contribuições individuais por 6 meses.
(E) são necessárias contribuições individuais por 4 meses.
Recurso: A questão teve como gabarito a opção “e”. Percebe-se, portanto, que a
banca preparatória gostaria que o segurado tivesse o conhecimento acerca da regra
prevista no art. 24, § único da Lei nº 8.213/91, in verbis:
“Art. 24. Período de carência é o número mínimo de contribuições mensais
indispensáveis para que o beneficiário faça jus ao benefício, consideradas a partir do
transcurso do primeiro dia dos meses de suas competências.
Parágrafo único. Havendo perda da qualidade de segurado, as contribuições
anteriores a essa data só serão computadas para efeito de carência depois que o
segurado contar, a partir da nova filiação à Previdência Social, com, no mínimo, 1/3
(um terço) do número de contribuições exigidas para o cumprimento da carência
definida para o benefício a ser requerido.”
Entretanto, a banca preparatória, de forma absolutamente infeliz, incorre em diversos
equívocos. Primeiro, subentende-se que o evento que enseja a concessão da
aposentadoria por invalidez (incapacidade permanente do segurado para o trabalho)
ocorre em um momento em que o segurado já havia perdido a sua qualidade.
Portanto, não cabe ao segurado versar mais contribuições para o sistema no intuito de
perceber o benefício aposentadoria por invalidez. Ou seja, o perito médico da
Previdência Social, ao realizar a perícia médica para verificar a incapacidade
permanente do segurado para o trabalho, verifica quando ocorre o evento ensejador
da concessão do benefício. Dessa forma, no caso em comento, ao se verificar que o
evento ocorreu em um momento em que o segurado já havia perdido a sua qualidade,
o benefício aposentadoria por invalidez será indeferido, não cabendo ao segurado
voltar a versar contribuições para o sistema, no intuito de ser segurado da previdência
e ter a carência necessária para a concessão do benefício.
Ademais, a banca preparatória não deu as informações necessárias para sabermos se
as 4 contribuições mensais são suficientes para que o segurado tenha a carência

tendo em vista que o segurado. dependendo da situação. ou outro fator que lhe confira especificidade e gravidade que mereçam tratamento particularizado. a aposentadoria por invalidez independe de carência para a sua concessão. ficando desempregado e perdendo a sua qualidade de segurado. Imaginemos. por ausência de gabarito. por mais que tenha recuperado o passado para efeitos de carência (aplicação do art. uma vez verificada a sua incapacidade permanente para o trabalho? Resposta: não. bem como nos casos de segurado que. de acordo com os critérios de estigma. 12 contribuições mensais. Após nova filiação. mutilação. 24. for acometido de alguma das doenças e afecções especificadas em lista elaborada pelos Ministérios da Saúde e do Trabalho e da Previdência Social a cada três anos. ao somar os 7 meses com os novos 4 meses de contribuições versadas. mutilação. após filiar-se ao Regime Geral de Previdência Social. tendo em vista que neste caso. ficando desempregado e perdendo a sua qualidade de segurado. Vamos explicar o mencionado por meio de exemplos práticos. ainda. independe de carência para a sua concessão. no mínimo. após filiar-se ao Regime Geral de Previdência Social. exerce atividade por apenas 1 mês e sofre um acidente do trabalho. o segurado teria apenas 11 contribuições mensais. a questão deverá ser anulada. que. assim como as 4 contribuições mensais podem não ser necessárias. regra geral. for acometido de alguma das doenças e afecções especificadas em lista elaborada pelos Ministérios da Saúde e do Trabalho e da Previdência Social a cada três anos.necessária para a concessão do benefício.213/91). Verifica-se. deficiência. deformação. exerce atividade por 4 meses e é acometido de uma doença que exige carência para a concessão da aposentadoria por invalidez. Portanto. caso a aposentadoria por invalidez seja decorrente de acidente de qualquer natureza ou causa e de doença profissional ou do trabalho. diante de todo o exposto. Pergunta: será o segurado aposentado por invalidez. deficiência. bem como nos casos de segurado que. de acordo com os critérios de estigma. no caso em que a aposentadoria por invalidez exige carência para a sua concessão. tendo em vista que o a aposentadoria por invalidez nos casos de acidente de qualquer natureza ou causa e de doença profissional ou do trabalho. deformação. uma vez verificada a sua incapacidade permanente para o trabalho? Resposta: certamente. ou se as 4 contribuições mensais são necessárias para a concessão do benefício. Pergunta: será o segurado aposentado por invalidez. as 4 contribuições mensais versadas podem não ser suficientes para que o segurado tenha a carência necessária para a concessão da aposentadoria por invalidez. portanto. Dessa forma. . a carência necessária para a concessão da aposentadoria por invalidez é de. § único da Lei nº 8. o segurado nem precisaria versar contribuições pelo período de 4 meses. sendo que. nesse caso. no intuito de recuperar o passado para efeitos de carência. Após nova filiação. o benefício aposentadoria por invalidez seria indeferido por ausência de carência. um segurado que exerça atividade remunerada pelo período de 240 meses. Imaginemos um segurado que exerça atividade remunerada pelo período de 7 meses. ou outro fator que lhe confira especificidade e gravidade que mereçam tratamento particularizado. Portanto.

Interesses relacionados