Você está na página 1de 1
inloo | Acesso4immmmacio | OMmistine | Arco aFraces | oa edaca cura aa inc » © Ministéria » Secretarias » SEC - Secratarla da Economia Crlativa » Noticias SEC Depoimento cigano na Reda de Convivéneia sobre Esprtualicsds Diversidade Religioss SEC - Secretaria Noticias Secretaria Garcononie Depoimento cigano na Roda de Convivéncia sobre Criativa Espiritualidade e Diversidade Religiosa Podemos falar de uma espiritualldade catllc, espirita,judalca & multas outras. €5sa palavra em si define apenas a medida do homem e sua necessidade ativica fom transcender a si préprio. Portanto, agora vou falar um pouco da espirtvaidade cigana do 14 Sinte(lambrando sempre que a generalzacio é um grande erro - ¢ nlnguém pode falar em home do cigano, mas sim do seu préprio cl8. Existem muitoa cla cada qual com sta ‘epecifcidade cultural » moral). Nosea espiritualidade, ou raj, a busca em transcender 3s) broorie cums a uma fares maler# criadrs facilmante detectacs sr nozzos ritual, sim em nosso elf oo valores dtfeas esto fortamente ligadas aoa valores eapirituais. Cada induidua tem © tireito de seguir a ralgize com a qual se identficar. utlize aqui uma alegoria para demonstrat come isse funciona: havia um phuro rrom (um cigano idoso, que dentro da nossa forma social tem grande valor e nunca é delvado em asi ou abandonado pela famila) que estava com um Jovem Cigano, seu dscipula, em ym acampamenta. De repente pela man chega um eutro javem @ dz “phuro, psso fazer uma perginta?” 0 ideso respondeur “Sim, mas pergunte olhando em meus ches". "Deus exist", perguntou o jovem cigano. © phuro olhou em seus olhos e respondeu! “So, Deus nto existe” O rapaz agradaceu « alu, A tarde um outro Jovem cigane ae aproxima © faz a mosma pergunta. Para a qual 0 phuro responde: "Sim. Deus existe!” Nesse momento © Aiscipule que o acompanhava desde a manha pensou em silncio: "para um o phuro disse que ne f para outro que sim..!92" EntRo, na inicio 6a nate © teresa jovem fe mesma pergun, para a qual o phuro teve 0 mesmo procedimento e respondeu: "Voce sabe que eu tenho minhas dduvidas". € assim o discipulo que ouvira o sabio phuro dar ts respostas diferentes para a mesma pergunts, ficou multe Intrigado e disse: "Phuro, por que para um rasponcestes que sim, para © butro que nie ainda para um tercelro que thaha dividas, se a pergunta dos 8s fol a mesma?” & 2310 phuro, sorrindo,respondeu “cada qual encontrar’ Deus a sua maneira, alguns pela negasao, outros pela certeza @ outros pela dlivida. & as respostas eu ratrava de dentro dos olhos de cada Nicolas Ramanush, Campinas (SP), autor do livro Palavras Ciganas ~ Vocabulario @ Gramatica SIntética do Romani ~sinte, Tratado lingulstico @ antropoldgiea sobre © Reman” 0 Roman’ a expressio mais evidente de nossa identidade cultural. © um fatohistorico comnabors para ests afirniagaa: amy 1730 fo riada wma ei n9 Bras! proibinde que née sigenae ‘ensindssemos o Romani para nosso fihos. f2e0 decorria do fato de que a cores partuguesa ‘porcebera que nds éramos um grupo ride com uma =3 lingu, com sos © costimes prdprios @ por esse motivo pociams nos fornar uma forca contra @ administracae colonial. oman ‘epresenta nossa verdadeira patria (ou melhor dizendo: matia), pols &, er si, um idioma nao- territorial. Nicolas Ramanush. wie) GENIGS) so