Você está na página 1de 5

Este tacmetro de Mirage GV250, ano 2001, carburada.

Foi concertado 05/08/2015

O Tacmetro se abre na
marra e com carinho
(da trabalho mesmo)

No tem parafusos ou
coisa similar para
segurar.
Com uma chave de
fenda vai forando para
tirar a tampa cromada,
esta sujeita a presso.

Aqui esta a marvada


resistor 24 ohms,
queimou por culpa do
retificador (que passou a
melhor vida)

Da para ver o resistor


queimado

Provei com o multmetro


a resistncia e nada.

Resistor 24 ohms
(queimado)
vermelho
amarelo
preto
tolerncia (-+) 5%
(dorada)

Chegou a queimar a
placa do conta-giros!

Aqui comea outra


historia:
Nas lojas de eletrnica
no existe resistor de 24
ohms (pelo menos isso
dizem, que no
comercial...) sem contar
a ma vontade dos
atendentes.
Tomando em conta o +5% provei com um de:
22 ohms

Custo total do resistor:


R$0,50

Antes de soldar o resistor


novo medi a resistncia
com o multmetro, deu:
23 ohms.
Depois soldei na placa.

Como tive que abrir com:


chave de fenda e alicate,
utilizei a mesma preciso
para fechar.
(como escrevi o que da
mais trabalho tirar e
colocar novamente a
tampa cromada)

Depois de usar a
ferramenta de
alta preciso, passei
silicona fria para vedar

Funcionando a novo!!!

E com vontade de mandar


bem longe os caras das
lojas especializadas em
tacmetros (entre eles
o da Kasinski mesmo) que
me falaram que no tinha
como arrumar que devia
jogar fora e comprar
outro conta-giros.

Espero possa servir a outros motociclistas/mirageiros que passem por essa situao.
mirageiro@hotmail.com