Você está na página 1de 45

FORMAS DERMATOLÓGICAS

SEMI-SÓLIDAS

POMADAS

FORMAS DERMATOLÓGICAS SEMI-SÓLIDAS POMADAS

DEFINIÇÃO

Pomadas ou ungüentos são preparações semi- sólidas destinadas a aplicação externa (pele ou mucosas)

Preparação dermatológica Tópica= a pele é o órgão- alvo

Produto Transdérmico= a pele não é o órgão-alvo. O fármaco é liberado através da pele para ação sistêmica

CLASSIFICAÇÃO POMADAS

Quanto ao local de aplicação:

Pele (pH 5,0)

Nasal (pH 6-7,6)

Vaginal (pH 3,5-5,0)

Ocular ou oftálmica (pH 7,4 a 8,0)

(pH 3,5-5,0) • Ocular ou oftálmica (pH 7,4 a 8,0) Pomada deve apresentar pH compatível com

Pomada deve apresentar pH compatível com região do corpo onde se aplica.

Quanto à ação:

SEM FÁRMACO

Quanto à ação: SEM FÁRMACO • Protetoras: agente que protege superfície das pele danificada ou exposta

Protetoras:

agente que protege superfície das pele danificada ou exposta a

que protege superfície das pele danificada ou exposta a estimulo incomodo/prejudicial • Forma barreira ao contato

estimulo incomodo/prejudicial

Forma barreira ao contato de pós, poeira.

Contra irritantes químicos ou físicos do ambiente

Proteção couro cabeludo, mamilos, assaduras bebês

Ação lubrificante,

Ação hidratante ou umectante: substância que retém água na pele devido suas propriedades higroscópicas

Ação emoliente: agente que amacia e suaviza a irritação na pele ou mucosas

Ação oclusiva:

substancia que promove a retenção de água na pele, formando

uma barreira hidrofóbica, que previne sua evaporação.

COM FÁRMACO:

Medicamentosa= ação antimicrobiana, vitaminas, anestésico local, adstringente, hormônios, enzimas, antinflamatórios, anti-histamínicos, etc.

PELE HUMANA

PELE HUMANA

EPIDERME

EPIDERME EC: 40% queratina; 40% água e 20% de lipídeos Matriz lipídica ESTRATO CÓRNEO
EPIDERME EC: 40% queratina; 40% água e 20% de lipídeos Matriz lipídica ESTRATO CÓRNEO
EPIDERME EC: 40% queratina; 40% água e 20% de lipídeos Matriz lipídica ESTRATO CÓRNEO

EC: 40% queratina; 40% água e 20% de lipídeos

EPIDERME EC: 40% queratina; 40% água e 20% de lipídeos Matriz lipídica ESTRATO CÓRNEO
EPIDERME EC: 40% queratina; 40% água e 20% de lipídeos Matriz lipídica ESTRATO CÓRNEO

Matriz lipídica

EPIDERME EC: 40% queratina; 40% água e 20% de lipídeos Matriz lipídica ESTRATO CÓRNEO
EPIDERME EC: 40% queratina; 40% água e 20% de lipídeos Matriz lipídica ESTRATO CÓRNEO

ESTRATO CÓRNEO

EPIDERME EC: 40% queratina; 40% água e 20% de lipídeos Matriz lipídica ESTRATO CÓRNEO

DERME

DERME Gl. sudoríparas/Glândulas sebáceas/Vasos sanguineos/Terminações
DERME
Gl. sudoríparas/Glândulas
sebáceas/Vasos
sanguineos/Terminações

nervosas

HIPODERME

hipoderme
hipoderme
HIPODERME hipoderme Profa. Maria Bernadete Pierre- Farmacotécnica UFRJ- 2011

Profa. Maria Bernadete Pierre-

Farmacotécnica UFRJ- 2011

PELE HUMANA

PELE HUMANA • A penetração dos fármacos na/através da pele: - poros, - glândulas de suor,

A penetração dos fármacos na/através da pele:

- poros,

- glândulas de suor,

- folículos pilosos,

- glândulas sebáceas da superfície da derme.

-Células epidérmicas

9

CLASSIFICAÇÃO POMADAS

Quanto à penetração na pele:

Epidérmicas: Pouco ou nenhum poder de penetração na pele

Absorção do fármaco: Ação superficial

Ação:

Protetoras

e

emolientes;

formam

filme

superficial

(base

gordurosa).

 

Pomadas propriamente ditas.

 

Base:

lipofílica

(gordurosa)

ou

Hidrofílica (gel)

Exemplos de fármacos incorporados:

antissépticos, adstringentes

(gordurosa) ou Hidrofílica (gel) • Exemplos de fármacos incorporados : antissépticos, adstringentes

CLASSIFICAÇÃO POMADAS

Quanto

pele:

Endodérmicas: penetram camada

mais profunda da epiderme

à

penetração

na

Absorção do fármaco: não são absorvidos para circulação sistêmica

Base:

emulsão

A/O

ou

óleos

vegetais

Exemplos

de

fármacos

incorporados: hormônios, anti- inflamatórios, anti-infecciosos, anti- sépticos

Exemplos de fármacos incorporados : hormônios, anti- inflamatórios, anti-infecciosos, anti- sépticos

CLASSIFICAÇÃO POMADAS

Quanto

pele:

Diadérmicas: penetração mais

profunda (derme), pomadas absorvíveis

à

penetração

na

Absorção do fármaco: são absorvidos na derme para a corrente circulatória.

Base: emulsão O/A (diadermina)

Exemplos de fármacos incorporados:

Anti-reumaticos, Analgésicos, Anti alérgicos

emulsão O/A (diadermina) • Exemplos de fármacos incorporados : Anti-reumaticos, Analgésicos, Anti alérgicos

BASES PARA POMADAS

Classificadas em 4 grupos:

1- Bases de hidrocarbonetos

2- Bases de absorção 3- Bases removíveis com água 4- Bases hidrossolúveis

SELEÇÃO DA BASE

1- Bases de hidrocarbonetos (oleosas)

Características:

Ação epidérmica.

Não contém água (anidras); nenhuma capacidade de reter água

Gordurosas

Não são laváveis

Vantagens:

Boas propriedades emolientes : retidas na pele por período prolongado, impedindo a perda de umidade;

Boas propriedades protetoras e oclusivas (curativos oclusivos)

Não caras, não reativas, não irritantes.

Mantém o fármaco em maior contato com a pele.

Desvantagens:

Incorporam pequenas quantidades de preparações aquosas (não absorvem

água e limitada quantia de álcool, então difíceis de incorporar substâncias

líquidas)

Difícil remoção por lavagem (removidas com óleo mineral)

1- Bases de hidrocarbonetos (oleosas)

BASES GORDUROSAS- QUEM SÃO?

HIDROCARBONETOS SEMI-SOLIDOS OBTIDOS DO PETROLEO:

Vaselina (petrolatum) amarela

Vaselina branca, (white petrolatum)

petrolatum ) amarela Vaselina branca , ( white petrolatum ) • Pomada amarela ou simples (cera

Pomada amarela ou simples (cera amarela + vaselina);

Óleo mineral (vaselina líquida).

Ceras (abelha, carbaúba),

Óleos animais (fígado bacalhau),

Óleos vegetais (amêndoas, oliva, algodão),

Óleos hidrogenados (mais estáveis que vegetais)

Silicone (sintético)

Plastibase (petrolato liquido transformado em gel

por ad. Polietileno (~

vaselina sólida); faixa manuseio -15 a 60C (>90C= destrói estrutura)

Cetiol V (oleato de oleíla),

Miglyol 812 (triglicerideo caprilico)

2- Bases de absorção

Características:

Ação endodérmica

Capaz de absorver água adicional

Materiais hidrofílicos anidros ou Bases Hídricas

Pouco laváveis

Materiais hidrofílicos anidros: Permitem incorporação de soluções

Ex:

aquosas, formando emulsões A/O

petrolato hidrófilo (vaselina hidrofílica) - absorve 3 x seu peso

Lanolina anidra- insolúvel em água mas

em água. (obtida da lã de ovelha)

mistura-se 2 x seu peso

Outras: Álcool cetílico, álcool cetoestearílico, MEG, colesterol

Aquaphor,

Polysorb

2- Bases de absorção

Vantagens:

1. Moderadamente protetora, oclusiva e emoliente.

2. Não facilmente laváveis, então devem incorporar fármaco que deve ficar em contato com a pele.

Desvantagens:

1. Pobre

aceitação

desagradável)

pelos

pacientes

(gordurosas

e

adesiva

ou

odor

2. Não facilmente removidas por lavagem.

3. Aquelas que contém água devem ter conservantes.

3- Bases removíveis em água

(Emulsão O/A ou Cremes)

Características:

Penetração diadérmica Fármacos podem ser absorvidos

Melhoram a absorção de fármacos na pele: penetração diadérmica (Diadermina ou Creme evanescente).

Evaporação da F.A: sensação de frio (Cold cream)

 

São emulsões O/A que podem ser retiradas facilmente da pele por

lavagem.

 

Absorvem descargas serosas em afecções dermatológicas.

 

Não

são

oclusivas

dos

poros

(não

formam

película)

permitindo

transpiração cutânea.

 

Pode ser diluída em água

 

3- Bases removíveis em água

(Emulsão O/A ou Cremes)

Vantagens:

 

1.

Não gorduroso e mais aceitável esteticamente;

 

2.

Pode ser removido da pele facilmente por lavagem;

 

3.

Contém água; Pode absorver alguma água e álcool (valor crítico= loção)

Desvantagens:

 

1.

Menos protetora, emoliente ou oclusiva que as bases de absorção;

 

2.

As

que

contém

emulsificantes

podem

ter

problemas

de

incompatibilidades;

 

3.

Aquelas que contém água podem ter problemas de estabilidade com ingredientes sensíveis à hidrólise.

4.

Como a fase externa é água, secam se expostos ao ar. Umectantes

devem ser adicionados para retardar a desidratação.

3- Bases removíveis em água

(Emulsão O/A ou Cremes)

Exemplos:

Pomada Hidrofílica,

Creme evanescente

Dermabase ® ,

Velvachol ® ,

Unibase ® .

4- Bases solúveis em água ou Géis

Características:

Ação epidérmica: Penetração quase nula

Devem conter água

Lavável com água e Solúveis em água

Podem absorver água (limitada)

Não oclusivas, não gordurosas (contém

apenas componentes hidrossolúveis)

4- Bases solúveis em água ou Géis

Vantagens:

1.

São facilmente laváveis

2.

Não deixam óleo residual

3.

Podem absorver alguma água ou álcool (aumentando a quantidade de líquido, pode dissolver)

4.

Usadas para incorporação de componentes sólidos ou não-aquosos.

Desvantagens:

1.

Não usadas para incorporar soluções aquosas pois amolecem muito com a adição de água.

2.

Usar conservantes (Nipagin) pois são suscetíveis a fungos

3.

Irritante, especialmente na pele irritada ou injuriada.

4.

Pouca propriedade emoliente ou nenhuma;

5.

Como contém água, podem apresentar problemas de compatibilidade e

estabilidade associados à água.

4- Bases hidrossolúveis (Géis)

Pomada de Polietilenoglicol (CARBOWAX):

Mistura de:

PEG sólido (3350)------------------- 400 g PEG líquido (400)--------------------600 g

Polioses (amido, pectina, alginato de sódio, Alquilceluloses como CMC, MC, HEC)

Carbopol, gelatina, PVP

Argilas (bentonita e Veegum= silicato de Al e Mg coloidal).

Penetração das pomadas e fármacos na pele

 

Penetração

Absorção dos

Base

Exemplo

Ação

fármacos

Base

 

Não penetram

Não são

LIPOFILICA

Vaselina

Protetora (filtros) Emoliente Queratoplastica Queratolitica (A.S

EPIDÉRMICAS

absorvidos

gordurosa

Banha

Formam filme superficial

Gordura

vegetal

 

Ceras

2%)

HIDROFILICA

PEG

Revulsiva (cânfora, mentol)

Gel

CMC

ENDODÉRMICAS

Penetrante

Não são

Emulsão A/O

Parafina

Hormônios, Anti-

absorvidos

liquida

inflamatórios

Ação na

para a

Óleos vegetais

Ceras

Antiinfecciosos

derme

circulação

Span

antissepticos

Tween

 

Absorvíveis,

São absorvidos na corrente circulatoria

Emulsão O/A

Diadermina

Anti-reumaticos, Analgésicos Anti alérgicos

DIADÉRMICAS

penetram a

nivel da

lanolina

derme

 

Seleção da Base apropriada

Depende da avaliação dos fatores desejados:

Grau de penetração (aumento ou não da absorção percutânea)

Oclusão da pele ou não

Estabilidade e compatibilidade do fármaco na base

Influência do fármaco sobre as características da base.

pH do veículo: favorecer forma não-dissociada do PA, melhor absorção

(mais lipossolúvel). Base fraca: excipiente cujo pH seja básico e ácidos fracos pedem excipientes cujo pH seja ácido.

Fatores do paciente:

- condição da pele (seca requer base oclusiva para reter umidade; exsudato requer um creme)

PREPARAÇÃO
PREPARAÇÃO

Duas maneiras de preparo, dependendo da natureza dos componentes:

maneiras de preparo, dependendo da natureza dos componentes: 1- Incorporação (ou por Suspensão) Pequena escala: gral

1- Incorporação (ou por Suspensão)

Pequena escala: gral e pistilo/espátula e placa mármore ou vidro. Grande escala: Misturadores tipo Hobart/batedeiras PA insoluvel no excipiente (pomada tipo Suspensão) SÓLIDOS: Redução do tamanho das partículas do sólido <60 um (almofariz ou agente levigação como óleo mineral ou glicerina)

ou agente levigação como óleo mineral ou glicerina) Opcional: Dissolução pós solúveis em solvente adequado

Opcional: Dissolução pós solúveis em solvente adequado

Incorporação de sólidos à base aos poucos, por espatulação até obtenção produto liso e uniforme. LÍQUIDOS: são incorporadas em bases apropriadas (bases hidrófilas ou aquelas que absorvem água).

PREPARAÇÃO
PREPARAÇÃO

Escala Industrial

Usa-se laminadores mecânicos, os quais forçam a massa pré- misturada entre cilindros de aço-inox, formando uma massa lisa e uniforme.

PREPARAÇÃO

2- Fusão ou Solução (cera abelha, alcool cetoestearilico, parafinas, PEG

de alto PM) PA lipossolúvel; solúvel na base hidrófoba

Mistura dos excipientes por fusão (ordem crescente de PF) com agitação- Cápsula porcelana ou béquer/ tanques com aquecimento a vapor

porcelana ou béquer/ tanques com aquecimento a vapor Adição dos componentes solúveis na base Agitação

Adição dos componentes solúveis na base

a vapor Adição dos componentes solúveis na base Agitação constante Resfriamento Solidificação

Agitação constante

Resfriamento

solúveis na base Agitação constante Resfriamento Solidificação Termolábeis ou voláteis (solução ou pós

Solidificação

na base Agitação constante Resfriamento Solidificação Termolábeis ou voláteis (solução ou pós insolúveis)

Termolábeis ou voláteis (solução ou pós insolúveis)

Homogeinizar: laminador(industria) ou almofariz (pequena escala)

laminador(industria) ou almofariz (pequena escala) Amadurecimento (repouso) para adquirir consistência

Amadurecimento (repouso) para adquirir consistência definitiva

3-POMADAS OBTIDAS POR EMULSÃO (= CREMES A/O OU O/A):
3-POMADAS OBTIDAS POR EMULSÃO (= CREMES A/O OU O/A):

Aquecer 70-75˚C os componentes oleosos e aquosos separadamente

70- 75˚C os componentes oleosos e aquosos separadamente Duas fases na mesma T. adicionar lentamente a

Duas fases na mesma T. adicionar lentamente a FA à FO

Duas fases na mesma T. adicionar lentamente a FA à FO Agitação constante Manter a T

Agitação constante

Manter a T por 5 a 10 minutos

FA à FO Agitação constante Manter a T por 5 a 10 minutos Resfriamento lento Solidificação

Resfriamento lento

constante Manter a T por 5 a 10 minutos Resfriamento lento Solidificação Amadurecimento (repouso) para adquirir

Solidificação

a T por 5 a 10 minutos Resfriamento lento Solidificação Amadurecimento (repouso) para adquirir consistência

Amadurecimento (repouso) para adquirir consistência definitiva

Ou: incorporar PA em base emulsionada

POMADAS OFTÁLMICAS

Uso na mucosa ocular

Vantagem maior permanência

Desvantagem: dificulta visão

Excipientes de baixo PF previamente esterilizados

Exigência: pureza microbiológica (estéril)

Pós devem ser finamente divididos (20µm ) para não irritar conjuntiva e

córnea.

Bases gordurosas: vaselina, parafina, lanolina esterilização a 150C/1-2hs

Base gordurosa: Ação lenta e prolongada devido ao maior contato com saco conjuntival e não se mistura com as lágrimas.

Emulsão A/O; Emulsão O/A são irritantes para mucosa ocular (tensoativo)

CONSERVAÇÃO POMADAS
CONSERVAÇÃO POMADAS

Adição

microrganismos contaminantes:

p-hidroxibenzoatos, fenóis, ácido benzóico sórbico, sais de

de

de

conservantes

para

inibir

o

crescimento

amônio quaternário, etc.

Teste para P aeruginosa e S. aureus: pomada dermatologica

Teste para leveduras e fungos: pomada retal e vaginal

Proteção

preparação-recipiente

do

ar,

luz,

umidade,

calor

e

interações

entre

ACONDICIONAMENTO

Frascos de vidro e plástico.

Tubos de metal (estanho ou alumínio) ou plástico (polietileno, Polipropileno): menos exposição ao ar e contaminantes. Portanto, são mais eficazes por períodos maiores.

Armazenagem: temperaturas abaixo de 30˚C para evitar amolecimento e liquefação da base.

por períodos maiores. • Armazenagem: temperaturas abaixo de 30˚C para evitar amolecimento e liquefação da base.
por períodos maiores. • Armazenagem: temperaturas abaixo de 30˚C para evitar amolecimento e liquefação da base.

PASTAS DÉRMICAS

Ação

epidérmica:

penetração

fármacos

é

pequena.

Antissépticos

e

adstringentes.

 

Contém maior porcentagem de material sólido (25% pó insolúvel) mais firmes e espessas comparada às pomadas.

São menos gordurosas e mais absorventes que as pomadas devido a alta

concentração de pó.

 

Efeito secante, absorvendo secreções serosas, sendo preferíveis às pomadas em casos de crostas, vesículas ou exsudação. Não causam congestão dos

tecidos como as pomadas.

Pasta de óxido de zinco : Uso adstringente, protetor, cicatrizante 25% óxido Zn (adstringente) 25% amido (secante) 50% vaselina sólida

PASTA D´ÁGUA

Talco ---- -------------25 g

Óxido zinco----------25 g

Glicerina-------------25 mL Mentol---------------0,5 g Canfora -------------0,5 g Nipagin----------------0,2 g

Pasta d’água: incorporação de pós em mistura de água + glicerina.

g Nipagin----------------0,2 g Pasta d’água : incorporação de pós em mistura de água + glicerina.

Emplastros

Massa adesiva sólida ou semi-sólida (base

emborrachada ou resina sintética), espalhadas em uma

cobertura de papel, tecido, molesquim (tecido que imita couro) ou plástico.

Não

37C mas se tornam

formando massas plásticas, flexíveis e adesivas.

se liquefazem a

moles

Aplicados sobre a pele para prolongar contato do fármaco com local de ação.

Não-medicamentosos=

mecânico

para

proteção

Medicinais= de ácido salicílico (10-40%) de calos

ou

suporte

para remoção

= mecânico para proteção Medicinais = de ácido salicílico (10-40%) de calos ou suporte para remoção
= mecânico para proteção Medicinais = de ácido salicílico (10-40%) de calos ou suporte para remoção
= mecânico para proteção Medicinais = de ácido salicílico (10-40%) de calos ou suporte para remoção

Glicerogelatinas

São massas plásticas constituídas por

gelatina ------------15%

Glicerina------------40%

Água-----------------35%

Óxido de zinco----10%

GLICEROGELATINA OFICIAL DE ÓXIDO DE ZN = BOTINA DE ZN-GELATINA

Devem ser derretidas antes da aplicação e --resfriadas até T corporal--

aplicadas com escovinha---endurece--- recoberta com bandagem---

permanece na pele por longos períodos

Uso em úlceras varicosas

recoberta com bandagem--- • permanece na pele por longos períodos • Uso em úlceras varicosas
recoberta com bandagem--- • permanece na pele por longos períodos • Uso em úlceras varicosas

CARACTERÍSTICAS DAS POMADAS

São dotadas de propriedades plásticas, que permitem por

esforço mecânico mínimo, que sua forma se modifique, adaptando-se à superfície da pele ou às paredes de cavidades mucosas sobre as quais se aplicam.

CARACTERÍSTICAS

CLASSIFICAÇÃO

DAS

POMADAS

PROPRIEDADES REOLÓGICAS:

QUANTO

ÀS

SUAS

Pomadas Oftálmicas: baixa consistência (moles)

Pomadas Vulgares: moles e untuosas para que permaneçam no local de aplicação.

Pomadas tipo protetoras: deve ser dura e aderir a locais de aplicação úmidos, como áreas ulceradas.

CARACTERÍSTICAS
CARACTERÍSTICAS

POMADAS

Devem apresentar TIXEOTROPIA, que é a propriedade que certos materiais apresentam, de modificar sua estrutura interna através de forças pressão, retomando-a por repouso.

TIXEOTROPIA é importante no envasamento e na aplicação:

Sair do tubo: aplicação força diminui a viscosidade e pomada sai.

Espalhamento pele: aplicação força diminui a viscosidade, e

quando cessa a força, volta ao rearranjo molecular inicial.

Tixotropia: significa “mudar pelo toque” Trata-se de um fenômeno físico de transformação isotérmica sol-gel reversível.

Algumas formas farmacêuticas semi-sólidas quando submetidas a

uma força (pressão) diminuem a viscosidade e escoam o que facilita a

saída do produto do frasco e espalhabilidade, entretanto, cessada a

força ocorre aumento da viscosidade e a formulação volta ao estado

semi-sólido.

espalhabilidade, entretanto, cessada a força ocorre aumento da viscosidade e a formulação volta ao estado semi-sólido.

Plásticos: fluem quando a força aplicada ultrapassa certo valor de

tensão de cisalhamento (a viscosidade diminui e o material escoa).

Exemplos: pomadas a base de vaselina e ceras.

escoa). Exemplos: pomadas a base de vaselina e ceras. A= repouso: partículas dispersas estão agrupadas B=

A= repouso: partículas dispersas estão

agrupadas B= partículas deslocam-se entre si. Aumenta P, aumenta cedência

Vaselina, parafina, ceras, argilas.

POMADAS

partículas deslocam-se entre si. Aumenta P, aumenta cedência Vaselina, parafina, ceras, argilas . POMADAS Plásticas

Plásticas

Pseudoplásticos: fluem a partir do momento da aplicação da força (a viscosidade

diminui e o material escoa). Exemplos: géis (CMC, Carbopol, Pluronic, Quitosana)

Exemplos: géis (CMC, Carbopol, Pluronic, Quitosana) Entrelaçamento H H H O O 2 2 2 O
Entrelaçamento H H H O O 2 2 2 O H H 2 2 O
Entrelaçamento
H H
H
O
O
2 2
2 O
H H
2 2 O O
H H
H
O
O
H H
H
O
O
2 2
2 O
H
H O
2 2
2 O
2 O
2
H
H H
O O
2 O
2 2
H
H H
O
O
2 O
2 2

A A

Pressão externa

Pressão externa

H H H O O 2 O 2 2 A A Pressão externa Pressão externa Alinhamento

Alinhamento

H O H H H O O H H 2 2 O 2 2 2
H O
H
H H
O O
H H
2
2 O
2 2
2 2 O O
H H
H H
O
O
2 2 O O
2 2
H O
H
2 O
2
H H
H H
2 2 O O
2 2 O O

B B

A= repouso: partículas entrelaçadas com

fase externa.

B= alinhamento das partículas, diminui

distância entre P e FA.

Aumenta a P, diminui a viscosidade

CMC, carbopol, alginatos CREMES

Dilatantes: são materiais que expandem de volume e aumentam sua viscosidade

quando submetido a uma força.

Exemplo: pastas (contém grande quantidade de material sólido)

pastas (contém grande quantidade de material sólido) A A Pressão externa Pressão externa Empacotamento B B
pastas (contém grande quantidade de material sólido) A A Pressão externa Pressão externa Empacotamento B B

A A

Pressão externa

Pressão externa

de material sólido) A A Pressão externa Pressão externa Empacotamento B B Expansão A= repouso: partículas

Empacotamento

B B
B
B

Expansão

A= repouso: partículas formam sedimento agregado B= partículas expandem

Aumenta a P, aumenta a viscosidade

Pastas muito viscosas

ENSAIOS
ENSAIOS

Consistência:

permanentes provocadas por determinada carga.

propriedade

de

resistir

à

deformações

Consistência é avaliada através das propriedades:

1- Viscosimetria: viscosímetro

Capilar: mede o tempo em que o liquido levou para atravessar o capilar De caída de bola: mede o tempo em que uma esfera de peso

medir a

conhecido demora para atravessar viscosidade.

o

produto

a

De rotação: gira um cilindro (rotação) que mede a viscosidade

ENSAIOS
ENSAIOS

Determinação da Consistência por:

2- Penetrometria: profundidade graduada na pomada= Penetrômetro

Consistência= 10 P D.V

penetração

de

uma

vareta

Consistência= 10 P – D.V penetração de uma vareta S P= peso cone + haste D=

S

P= peso cone + haste D= densidade da pomada V= volume total (ml) S= superfície (cm 2 ) da parte lateral do cone que emergiu.

3-

vidros.

Espalmabilidade:

facilidade

espalhamento,

teste

entre

2

4- Plasticidade: expressa pelo peso

Pomada

: facilidade espalhamento, teste entre 2 4- Plasticidade: expressa pelo peso Pomada pressão 10 seg fita

pressão

10 seg

: facilidade espalhamento, teste entre 2 4- Plasticidade: expressa pelo peso Pomada pressão 10 seg fita

fita 0,5 cm

46

ENSAIOS

pH: deve ser compativel com região aplicação pomada.

Fusão pomada em BM---+ 30 mL água--- aquecer 70C--- agitar--- separar duas fasesfiltrar--- pH medido na fase aquosa

Avaliação da quantidade água perdida por evaporação em creme O/A: feita em condições de umidade e T controlada.

Ensaios (animal).

de

tolerância

local:

verifica

alterações

na

epiderme

Ensaios de cedência e difusão:

In vivo = após aplicação, cortes histológicos do tecido animal a

diferentes profundidades na pele, para localizar o fármaco e

excipientes. In vitro : Provas de esterilidade (oftálmicas).