P. 1
Ppc Proeja 2010

Ppc Proeja 2010

|Views: 1.386|Likes:

More info:

Published by: Adilson Vagner de Oliveira on Feb 26, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/19/2011

pdf

text

original

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATO GROSSO - CAMPUS JUÍNA

CURSO TÉCNICO EM MEIO AMBIENTE INTEGRADO AO ENSINO MÉDIO MODALIDADE PROEJA

PROJETO PEDAGÓGICO

2010

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATO GROSSO
REITOR “Pró Tempore” José Bispo Barbosa PRÓ-REITOR DE ENSINO Willian Silva de Paula PRÓ-REITOR DE EXTENSÃO João Vicente Neto PRÓ-REITOR DE PESQUISA Adriano Breunig PRÓ-REITOR DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO Josias do Espírito Santo Coringa DIRETOR DE ENSINO Gabriel Antônio Ogaya Joerke DIRETOR GERAL DO CAMPUS JUÍNA José Alves Junqueira Junior CHEFE DO DEPARTAMENTO DE ENSINO DO CAMPUS JUÍNA Fernando Zolin Vesz CHEFE DO DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DO CAMPUS JUÍNA Thiago Costa Campos COMISSÃO DE ORGANIZAÇÃO Ademária Moreira Novais Adilson Vagner de Oliveira Eloisa Rosana de Azeredo Júlio César dos Santos Sérgio Cândido de Gouveia Neto Yuri Ogaya de Assumpção

ÍNDICE 1- APRESENTAÇÃO................................................................................................................04 2- HISTÓRICO DO CAMPUS E SUA ISERÇÃO REGIONAL.................................................05 3- JUSTIFICATIVA...................................................................................................................06 4- OBJETIVOS.........................................................................................................................07 4.1. Objetivo Geral................................................................................................................07 4.2. Objetivos Específicos.....................................................................................................07 5- REQUISITOS DE ACESSO.................................................................................................08 6- DESCRIÇÃ DO ESPAÇO FÍSICA ATUAL DO CAMPUS....................................................08 7- RELAÇÃO DO CORPO DOCENTE.....................................................................................09 8- CARACTERÍSTICAS GERAIS DO CURSO........................................................................10 8.1. Perfil do aluno egresso..................................................................................................10 8.2. Competências profissionais gerais................................................................................10 8.3. Campo de atuação.........................................................................................................11 9- ORGANIZAÇÃO CURRICULAR..........................................................................................12 9.1. Relação das disciplinas.................................................................................................12 9.2. Matriz Curricular.............................................................................................................13 9.3. Estágio Curricular Supervisionado................................................................................14 9.4. Pré-Requisitos................................................................................................................14 10- AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM...................................................................................15 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS.........................................................................................16 ANEXO (EMENTAS)

1 APRESENTAÇÃO
É consenso que o futuro da humanidade depende da relação estabelecida entre a natureza e o uso pelo homem dos recursos naturais disponíveis. Atualmente vive-se o paradigma do desenvolvimento sustentável, o qual enseja um mundo de responsabilidades partilhadas entre indivíduos, sociedade, empresas e governos aos cuidados com o ambiente. O caminho para a sustentabilidade pressupõe a adoção de novas condutas práticas, simples e, sobretudo economicamente viáveis. O atual mercado de trabalho é caracterizado pela imprevisibilidade, velocidade de mudanças tecnológicas e organizacionais, competição e grande exigência quanto ao conhecimento, qualidade e produtividade, o que demanda o desenvolvimento de competências profissionais em graus de complexidade maiores, exigindo conhecimentos teóricos e práticos. Observando as peculiaridades do campus Juína do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT), o qual inicia suas atividades a partir também do curso apresentado neste Projeto Pedagógico de Curso (PPC), a proposta aqui apresentada estabelece-se a partir do conceito da utopia em direção ao que pode existir e como deve ser encaminhado para que se concretize. Desta forma, a responsabilidade de todos os sujeitos envolvidos no fazer pedagógico (professores, alunos e técnicoadministrativos) passa, assim, a ser dividida igualitariamente em tangente às diretrizes deste projeto pedagógico.
O que compete a cada um de nós é o envolvimento para que, juntos, possamos superar o que temos tomar o projeto em nossas mãos e coordenar ações, pois temos um amplo espaço de reconstrução, de possibilidades abertas a serem gestadas a cada momento. Essa proposta abre-se para compreendermos que, diante do que temos, a escola é possibilidade. (MEURER in VEIGA, 2007).

A preocupação central, portanto, é melhorar a qualidade da educação no sentido de que “... desenvolver o educando, prepará-lo para o exercício da cidadania e do trabalho significa a construção de um sujeito que domine conhecimentos, dotado de atitudes necessárias para fazer parte de um sistema político, para participar dos processos de produção da sobrevivência e para desenvolver-se pessoal e socialmente” (VEIGA, 2003).

Este projeto pedagógico reflete as possibilidades que o campus Juína apresenta acerca do Curso Técnico em Meio Ambiente Integrado ao Ensino Médio – Modalidade PROEJA. Neste sentido, trata-se de um documento aberto, sujeito a reavaliações e reconsiderações a todo o momento.

2 HISTÓRICO DO CAMPUS E SUA INSERÇÃO REGIONAL
Instalado nas dependências da antiga Escola Agrícola da cidade, o campus Juína do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT) insere-se na Fase 2 do Plano de Expansão da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica, lançada em 2007. O campus surgiu, inicialmente, como uma Unidade Descentralizada (UNED) do Centro Federal de Educação Tecnológica de Cuiabá (CEFET Cuiabá) ainda em 2007. A Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008, instituiu a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica e criou os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (IF), com Reitoria e campi espalhados por cada Estado. Desta forma, os centros federais de educação tecnológica (CEFET) transformaram-se em campi dos Institutos. A Unidade Descentralizada (UNED) de Juína transformou-se, portanto, no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT) - campus Juína. O campus vem atender a demandas regionais nas áreas ambientais e de agropecuária principalmente. O município abriga duas grandes áreas indígenas e ainda a Estação Ecológica de Iquê - daí a necessidade de que o campus ofereça cursos na área de educação ambiental. Além disso, o município é o maior produtor de diamante industrial do país. Seu subsolo abriga jazidas cuja exploração pode durar 50 anos. O município, contudo, cresce no campo da agropecuária. De acordo com o Censo Agropecuário de 2006, há no município de Juína 1.992 estabelecimentos agropecuários, que ocupam 661.559ha, sendo 18.594ha de lavouras permanentes, 3.156ha de lavouras temporárias, 248.538ha de áreas de pastagens naturais e 395.856ha de áreas de matas e florestas. O município também registra, de acordo com o Censo, 361.472 cabeças de bovinos, 11.459 cabeças de suínos e 88.390 cabeças de aves. Observa-se, portanto, que a demanda por cursos na área de agropecuária também é considerável.

3 JUSTIFICATIVA
Os recentes impactos ambientais vistos em regiões de produção agrícola, extrativismo e agropecuária produzem um cenário cujas conseqüências do desenvolvimento regional devem ser analisadas por profissionais habilitados e cientes de sua responsabilidade de proteger e preservar o meio ambiente. Se considerarmos os dados apresentados na seção anterior baseados no Censo Agropecuário de 2006, é possível perceber a necessidade, conforme também exposto, de cursos da área ambiental. O Curso Técnico em Meio Ambiente Integrado ao Ensino Médio – Modalidade PROEJA vem, portanto, ao encontro das necessidades sócio-econômicas regionais, possibilitando àqueles que não tiveram a oportunidade de concluir seus estudos na idade própria, a conclusão do Ensino Médio integrando conhecimentos da base comum com conhecimentos Técnicos da área ambiental. Nesta perspectiva, a região do Noroeste Mato-grossense, sofreu nas últimas décadas um processo de degradação ambiental, promovida pela atividade da agropecuária e mineração desordenada, sendo assim, a região necessita de profissionais capacitados no que se refere a questão ambiental para a realização do processo de recuperação e preservação do bioma Amazônia. O Curso de Técnico em Meio Ambiente Integrado ao Ensino Médio – Modalidade PROEJA, oferecido pelo IFMT formará profissionais para contribuir neste processo de recuperação e preservação que atuem nas empresas agropecuárias, indústrias em geral, instituições públicas e Organizações Não-Governamentais com atuação na questão ambiental. Sendo assim, esse curso atende as expectativas regionais, gerando emprego, renda e qualidade de vida para a população em geral. O crescimento da agropecuária na região do município de Juína, assim como em todo o Estado de Mato Grosso, é vertiginoso. O agronegócio constitui-se na principal atividade da economia mato-grossense. Neste sentido, o Curso Técnico em Meio Ambiente Integrado ao Ensino Médio – Modalidade PROEJA vem colaborar na constituição deste novo cenário do município de Juína e da região. Se levarmos em consideração que o número de estabelecimentos agropecuários do município, que, de acordo com o Censo Agropecuário, chega a 1.992, os quais ocupam uma

área de mais de 661 mil ha (praticamente o dobro da área de matas e florestas), a formação de um profissional na área ambiental parece ser imprescindível. A região de Juína insere-se inteiramente dentro do bioma Amazônia e o avanço da agropecuária, principalmente da área de pastagens, que ocupa praticamente metade (248.538 ha) de toda a área destinada ao setor, merece maior atenção. Conforme o Censo Agropecuário, a área dos estabelecimentos agropecuários ocupada por matas e/ou florestas naturais destinadas à preservação permanente ou reserva legal chegava a 309.576 ha em 2006. Em contrapartida, as matas e/ou florestas naturais, excluindo-se a área de preservação permanente e as em sistemas agroflorestais, dos estabelecimentos agropecuários, era de apenas 37.272 ha. Também de acordo com o Censo Agropecuário, a área de terras degradadas (erodidas, desertificadas, salinizadas, etc.) dos estabelecimentos agropecuários chegava a 50 ha e a área de terras inaproveitáveis para a agricultura ou a pecuária (pântanos, areais, pedreiras, etc.) chegava a 336 ha. Além disso, conforme também exposto na seção anterior, o município abriga duas grandes áreas indígenas e ainda a Estação Ecológica de Iquê, e também é o maior produtor de diamante industrial do país. Seu subsolo abriga jazidas cuja exploração pode durar 50 anos. Desta forma, o papel do técnico em meio ambiente constitui-se em peça-chave para a manutenção do equilíbrio do bioma Amazônia na região de Juína, através de ações práticas relacionadas ao planejamento, organização, execução e manejo de projetos ambientais, gestão dos recursos naturais e de programas de educação ambiental, tendo em vista o desenvolvimento local e regional sustentável. Em virtude da expressividade que a área ambiental possui em toda a região de Juína, o Curso Técnico em Meio Ambiente Integrado ao Ensino Médio – Modalidade PROEJA assim se justifica, pois contribuirá não somente nos aspectos econômicos, sócio-ambientais e culturais da região, no sentido de gerar uma nova mentalidade em termos de responsabilidade ambiental.

4 OBJETIVOS
4.1. Objetivo Geral O Curso Técnico em Meio Ambiente Integrado ao Ensino Médio - modalidade PROEJA tem como objetivo, formar profissionais inovadores, críticos, criativos e conscientes, à medida que constrói uma nova mentalidade referente a questões ambientais, comprometidos com o desenvolvimento social, econômico e ambiental da região. 4.2. Objetivos Específicos * Articular a formação profissional com a formação ética, humanística e socialmente responsável; * Desenvolver e aprimorar a autonomia intelectual, o pensamento crítico e o espírito criativo do aluno, mediados pela compreensão do contexto sócio-econômico-ambiental da região de Juína; * Possibilitar a iniciação científica e a elaboração e execução de projetos a partir do entendimento e da análise crítica dos elementos que interferem e/ou contribuem na educação e gestão ambiental; * Proporcionar a estreita relação entre teoria e prática, possibilitando maior compreensão da realidade; * Organizar programas de educação ambiental, de conservação e preservação de recursos naturais, de redução, reutilização e reciclagem tendo em vista o desenvolvimento local e regional sustentável.

5 REQUISITOS DE ACESSO
Em conformidade com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, o curso será oferecido somente a quem já tenha concluído o ensino fundamental, mas não teve acesso ou continuidade de seus estudos no ensino médio na idade regular. O acesso, entretanto, dar-se-á por meio de processo seletivo de acordo com as normas especificadas em edital próprio.

6 DESCRIÇÃO DO ESPAÇO FÍSICO ATUAL DO CAMPUS
O espaço físico atual do campus constitui-se dos itens abaixo relacionados: Item 1 2 3 4 5 6 7 Salas de aula Laboratório de informática Laboratório de Química Laboratório de Biologia Laboratório multidisciplinar Biblioteca Quadra poliesportiva Discriminação Quantidade 10 1 1 1 2 1 1

O espaço físico complementar para subsidiar as demais atividades discentes: Item 1 2 3 Discriminação Laboratório de Educação Ambiental Laboratório de Microbiologia Laboratório de Tratamento de Análise de Água Quantidade 1 1 1

7 RELAÇÃO DO CORPO DOCENTE
O corpo docente está estruturado da seguinte forma: Ademária Moreira Novais - Mestre em Ciências Ambientais. Licenciatura Plena em Ciências Biológicas. Adilson Vagner de Oliveira - Licenciatura Plena em Letras, habilitação em Língua Portuguesa e Língua Inglesa e Respectivas literaturas. Anderson André Pereira Beloni - Especialista em Educação Ambiental e Licenciatura Plena em Ciências Naturais e Matemática, com habilitação em Física. Carlos César Wyrepkowski - Mestre em Física e Meio Ambiente e Licenciatura em Química. Edilson Luiz Cândido - Especialista em Gestão e Manejo Ambiental de Sistemas Florestais. Licenciado em Ciências Biológicas. Eloisa Rosana de Azeredo - Especialista em Psicopedagogia Institucional. Graduação em Pedagogia - Orientação Pedagógica e Séries Iniciais e Ed. Infantil. Erineudo de Lima Canuto - Pós-doutor em Produção Vegetal. Doutor em Biociências e Biotecnologia. Licenciado em Ciências Agrárias. Eurismar Alves Ferreira - Especialista em Educação Ambiental. Licenciatura em Geografia. Fernando Mendes Botelho - Mestre em Engenharia Agrícola. Graduado em Engenharia Agrícola e Ambiental. Geraldo Aparecido Polegatti - Especialista em Educação. Graduado em Matemática e Desenho Geométrico. Gilberto Faria de Araújo - Licenciado e Bacharel em Matemática e Licenciado em Física. Guilherme Lumina Pupatto Júnior - Licenciatura em Educação Física. Jacinto José Franco - Licenciatura em Computação. Júlio César dos Santos - Licenciado em História. Leandro Carbo - Doutorado, mestrado e licenciatura em Química. Normelena Diniz de Oliveira - Especialista em Gestão Empresarial e Bacharel em Administração. Reinaldo de Souza Bilio - Mestre em Agricultura Tropical. Graduação em Engenharia Florestal.

Sérgio Cândido Gouveia Neto - Mestre em Ciências. Licenciado em Matemática. Yuri Ogaya de Assumpção - Especialista em Docência do Ensino Superior e graduação em Educação Artística com habilitação em Música.

8 CARACTERÍSTICAS GERAIS DO CURSO
O Curso Técnico em Meio Ambiente Integrado ao Ensino Médio – Modalidade PROEJA terá duração de 06 (seis) semestres e oferecerá o mínimo de 35 vagas anuais. As aulas serão ministradas no período noturno (das 19h às 23h). O tempo mínimo para integralização da matriz curricular será de 03 (três) anos e o tempo máximo será de 05 (cinco) anos. 8.1 Perfil do aluno egresso O Curso Técnico em Meio Ambiente Integrado ao Ensino Médio – Modalidade PROEJA visa à formação de um profissional que:


Seja inovador e tenha iniciativa na resolução de problemas relacionados aos impactos ambientais; Seja capaz de colocar em prática os conhecimentos construídos no decorrer do curso;


• • •

Tenha ética e responsabilidade sócio-ambiental voltado ao desenvolvimento local e regional sustentável; Tenha autonomia intelectual, pensamento crítico e espírito criativo; Saiba incorporar as novas tecnologias no exercício da profissão; Seja participativo em questões coletivas e sociais.

8.2 Competências profissionais gerais

O Curso Técnico em Meio Ambiente Integrado ao Ensino Médio – Modalidade PROEJA busca desenvolver competências gerais que possibilitem ao aluno: • Analisar as características econômicas e sócio-ambientais das atividades a serem implementadas, analisando suas conseqüências e operacionalizando a execução de ações para preservação, conservação, otimização, minimização e remediação dos seus efeitos; • • • • • Coletar, armazenar e interpretar informações, dados e documentações ambientais; Colaborar na elaboração de laudos, relatórios e estudos ambientais; Auxiliar na elaboração, acompanhamento e execução de sistemas de gestão ambiental; Atuar na organização de programas de educação ambiental, de conservação e preservação de recursos naturais, de redução, reutilização e reciclagem. Planejar, organizar e executar projetos ambientais visando à manutenção do equilíbrio do bioma Amazônia na região Noroeste do estado de Mato Grosso. 8.3 Campo de atuação Os principais campos de atuação do Técnico em Meio Ambiente são:
• • •

Empresas de produção agropecuária; Auxílio técnico ambiental às indústrias madeireiras; Prestação de serviços (como profissional autônomo ou por meio de sua própria empresa); Educação ambiental (empresas, órgãos públicos, unidades de conservação etc); Gestão ambiental em parques, reservas ecológicas e unidades de conservação ambiental. Gestão de resíduos sólidos e coleta seletiva. Diagnóstico ambiental (meios físico, biótico e atrópico); Viveiros de produção de mudas para recuperação e/ou revegetação de áreas degradadas: Controle de poluição do ar, do solo e da água (tratamento de águas residuárias domésticas ou industriais);

• •

• • •

Empresas, órgãos públicos e Organizações Não-Governamentais que trabalham com planejamento, acompanhamento e execução de projetos ambientais em âmbito local, regional e nacional.

9 ORGANIZAÇÃO CURRICULAR
9.1 Relação das disciplinas A organização curricular vem ao encontro do que estabelece o Decreto nº 5.840, segundo o qual os cursos de educação profissional técnica de nível médio do PROEJA deverão contar com carga horária mínima de 2.400 (duas mil e quatrocentas) horas, sendo o mínimo de 1.200 (mil e duzentas) horas para formação geral e a carga horária mínima estabelecida para a respectiva habilitação profissional técnica. De acordo com o Catálogo Nacional de Cursos Técnicos, a carga horária mínima do Curso Técnico em Meio Ambiente é de 800 (oitocentas) horas. DISCIPLINA BASE CURRICULAR COMUM Artes Biologia Educação Física Filosofia Física Geografia História Língua Estrangeira Moderna – Espanhol Língua Estrangeira Moderna – Inglês Língua Portuguesa e Literatura Matemática Química Sociologia SUBTOTAL 40 240 120 120 120 120 120 120 120 240 240 120 120 1.840 CARGA HORÁRIA TOTAL

FORMAÇÃO ESPECÍFICA Educação Ambiental Geomorfologia e Hidrologia Gestão Ambiental Informática Aplicada Legislação e Políticas Ambientais Microbiologia Ambiental Poluição Ambiental Química Ambiental Desenvolvimento Sustentável Técnicas de Avaliação e Controle de Impactos Ambientais Técnicas de Recuperação de Áreas Degradadas Tratamento de resíduos Estágio Curricular Supervisionado I Estágio Curricular Supervisionado II SUBTOTAL TOTAL 40 40 40 40 40 40 40 40 40 80 80 40 80 160 800 2.640

9.2 Matriz Curricular SEMESTRE DISCIPLINA Artes Biologia 1º 4 0 4 4 4 40 4 40 2º 3º 4º 5º 6º

0 Educação Ambiental Educação Física Filosofia Física Geografia Geomorfologia e Hidrologia Gestão Ambiental História Informática Aplicada Legislação e Políticas Ambientais Língua Estrangeira Moderna – Espanhol Língua Estrangeira Moderna – Inglês Língua Portuguesa e Literatura Matemática Microbiologia Ambiental Poluição Ambiental Química Química Ambiental Desenvolvimento Sustentável Sociologia 4 0 4 0 4 0 4 0 4 0 4 0 4 0 4 0

0

0

0

4 0

4 0 40 4 0 40

4 0 4 0

4 0 4 0 4 0 40

4 0 4 0

4 0

40 40 40 4 0 4 0 4 0 4 0 4 0 40 4 0 4 0 40 40 4 40 4 0 40 40 4 0 4 0 4 0 4 0 40 40 40 40

0 Técnicas de Avaliação e Controle de Impactos Ambientais Técnicas de Recuperação de Áreas Degradadas Tratamento de resíduos Estágio Supervisionado I Estágio Supervisionado II 9.2.1 Ementas e bibliografia DISCIPLINA: ARTES CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 1° EMENTA Definição dos espaços artísticos. O que é arte? – Arte como forma de pensamento. Modalidades artísticas. Conceito sobre “Arte” e características diacrônicas aos períodos estilísticos e históricos. Manifestações artístico-musicais: brasileiras. O folclore, o popular e o erudito na Música Brasileira BIBLIOGRAFIA COLI, J. O que é arte? Brasília: Brasiliense, 1995. MORAES, J.J. O que é música? Brasília: Brasiliense, 1991 . MARIZ, V. História da música no Brasil. Rio de Janeiro: Nova Fronteira BENJAMIN, W. A obra de arte na época de sua reprodutibilidade técnica. São Paulo: Abril, 1975. LEME, M. N. Que Tchan é esse? Indústria e produção musical no Brasil dos anos 90. São Paulo: Annablume, 2003. MARIZ, V. A música clássica no Brasil. Andrea Jakobsson, 2002. DISCIPLINA: BIOLOGIA 120 120 8 0 80 4 0

CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 1º SEMESTRE

EMENTA: Citologia. Aulas práticas no campus e laboratório. BIBLIOGRAFIA : AMABIS & MARTHO. Fundamentos da Biologia Moderna. Volume único. São Paulo, Ed. Moderna. 1997 LINHARES, S.; GEWANDSZNAJDER, F. Biologia – Série Brasil. Volume Único. Ed. Ática. São Paulo, SP. 2006. LOPES, S.; ROSSO, S. Biologia - Volume Único- 1. ed. - São Paulo ; Saraiva, 2005.

DISCIPLINA: BIOLOGIA CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 2º SEMESTRE

EMENTA:
Histologia animal. A diversidade da vida. Aulas práticas no campus e laboratório.

BIBLIOGRAFIA : AMABIS & MARTHO. Fundamentos da Biologia Moderna. Volume único. São Paulo, Ed. Moderna. 1997 LINHARES, S.; GEWANDSZNAJDER, F. Biologia – Série Brasil. Volume Único. Ed. Ática. São Paulo, SP. 2006. LOPES, S.; ROSSO, S. Biologia - Volume Único- 1. ed. - São Paulo ; Saraiva, 2005. DISCIPLINA: BIOLOGIA CARGA HORÁRIA: 40 HORAS

SEMESTRE: 3º SEMESTRE EMENTA: Anatomia e fisiologia comparada dos animais. Aulas práticas no campus e laboratório. BIBLIOGRAFIA : AMABIS & MARTHO. Fundamentos da Biologia Moderna. Volume único. São Paulo, Ed. Moderna. 1997 LINHARES, S.; GEWANDSZNAJDER, F. Biologia – Série Brasil. Volume Único. Ed. Ática. São Paulo, SP. 2006. LOPES, S.; ROSSO, S. Biologia - Volume Único- 1. ed. - São Paulo ; Saraiva, 2005.

DISCIPLINA: BIOLOGIA CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 4º SEMESTRE EMENTA: Morfologia e fisiologia vegetal. Aulas práticas no campus e laboratório. BIBLIOGRAFIA : AMABIS & MARTHO. Fundamentos da Biologia Moderna. Volume único. São Paulo, Ed. Moderna. 1997 LINHARES, S.; GEWANDSZNAJDER, F. Biologia – Série Brasil. Volume Único. Ed. Ática. São Paulo, SP. 2006. LOPES, S.; ROSSO, S. Biologia - Volume Único- 1. ed. - São Paulo ; Saraiva, 2005. DISCIPLINA: BIOLOGIA CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 5º SEMESTRE EMENTA: Genética. Aulas práticas no campus e laboratório.

BIBLIOGRAFIA : AMABIS & MARTHO. Fundamentos da Biologia Moderna. Volume único. São Paulo, Ed. Moderna. 1997 LINHARES, S.; GEWANDSZNAJDER, F. Biologia – Série Brasil. Volume Único. Ed. Ática. São Paulo, SP. 2006. LOPES, S.; ROSSO, S. Biologia - Volume Único- 1. ed. - São Paulo ; Saraiva, 2005. DISCIPLINA: BIOLOGIA CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 6º SEMESTRE EMENTA : Evolução. Ecologia. Aulas práticas no campus e laboratório. BIBLIOGRAFIA : AMABIS & MARTHO. Fundamentos da Biologia Moderna. Volume único. São Paulo, Ed. Moderna. 1997 LINHARES, S.; GEWANDSZNAJDER, F. Biologia – Série Brasil. Volume Único. Ed. Ática. São Paulo, SP. 2006. LOPES, S.; ROSSO, S. Biologia - Volume Único- 1. ed. - São Paulo ; Saraiva, 2005. DISCIPLINA: EDUCAÇÃO AMBIENTAL CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 1° EMENTA: Processo Histórico-Evolutivo da Educação Ambiental. Fundamentos básicos da educação ambiental. Educação ambiental para a sustentabilidade. Modalidades de Educação Ambiental. Concepção pedagógica de projeto de educação ambiental. Contextualização da educação ambiental no cenário regional.

BIBLIOGRAFIA: DIAS, G. F. Atividades interdisciplinares em EA. São Paulo: Ed. Global, 1994. DIAS, G. F. Educação Ambiental: princípios e práticas. 2. ed. São Paulo: Gaia, 1993. 400 p. GRÜN, M. Ética e Educação Ambiental: a conexão necessária. São Paulo: Papirus, 1996. LOUREIRO, C. F., LAYRARGUES, P. P. & CASTRO, R. S. de. (orgs.) et al. Sociedade e meio ambiente: educação ambiental em debate. São Paulo: Cortez, 2000. 183p. REIGOTA, M. O que é educação ambiental? São Paulo:, Brasiliense, 1994. 62 p. (Coleção Primeiros Passos, n. 292) REIGOTA, M. Meio ambiente e representações sociais. São Paulo: Cortez. SATO, M. Educação ambiental. São Carlos: EdUFSCar, 1996. TAMAIO, I. ; CARREIRA, D. (orgs.) Caminhos & aprendizagens Educação Ambiental, conservação e desenvolvimento. Brasília: WWF Brasil, 2000. 92 p. DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 1°SEMESTRE EMENTA Introdução a Fisiologia. Primeiros Socorros. Esportes BIBLIOGRAFIA NAHAS, Markus Vinícius. Atividade física, saúde e qualidade de vida: conceitos e sugestões para um estilo de vida ativo. Londrina: Midiograf, 2001; FOSS, M. e KETEYIAN, S. Fox: bases fisiológicas do exercício e do esporte. 6 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2001. DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA CARGA HORÁRIA: 40 HORAS

SEMESTRE: 2°SEMESTRE EMENTA Jogos em uma perspectiva lúdica. Esportes. Ginástica no contexto laboral BIBLIOGRAFIA NAHAS, Markus Vinícius. Atividade física, saúde e qualidade de vida: conceitos e sugestões para um estilo de vida ativo. Londrina: Midiograf, 2001; FOSS, M. e KETEYIAN, S. Fox: bases fisiológicas do exercício e do esporte. 6 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2001. DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÍSICA CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 3°SEMESTRE EMENTA Saúde, Lazer e qualidade de vida. Esportes. Temas transversais x Educação Física BIBLIOGRAFIA NAHAS, Markus Vinícius. Atividade física, saúde e qualidade de vida: conceitos e sugestões para um estilo de vida ativo. Londrina: Midiograf, 2001; FOSS, M. e KETEYIAN, S. Fox: bases fisiológicas do exercício e do esporte. 6 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2001. DISCIPLINA: FILOSOFIA CARGA HORÁRIA: 40H SEMESTRE: 4ª SEMESTRE EMENTAS: Compreendendo a sociedade com o estudo da filosofia; Conceitos Filosóficos; Origem da Filosofia; Exigências e Funções da reflexão filosófica; Senso crítico e senso comum;

Filosofias de vida; Concepções de verdade; As diversas concepções de ser; A sociedade pós-industrial; BIBLIOGRAFIA ARANHA, M. L. de A. Temas de Filosofia, São Paulo: Moderna, 2005. CHAUI, M. Filosofia: Ensino Médio, volume único.São Paulo: Ática,2005. CHALITA, G. Vivendo a Filosofia, São Paulo: Ática, 2007. DISCIPLINA: FILOSOFIA CARGA HORÁRIA: 40H SEMESTRE: 5º SEMESTRE EMENTAS: Um pouco mais de Filosofia; Quem sou eu?; Principais períodos da história da Filosofia; Os instrumentos do filosofar; O conhecimento; Modos de conhecer o mundo; A relação dialética sujeito-objeto na produção, transmissão e aquisição do conhecimento. BIBLIOGRAFIA ARANHA, M. L. de A. Temas de Filosofia, São Paulo: Moderna, 2005. CHAUI, M. Filosofia: Ensino Médio, volume único.São Paulo: Ática,2005. CHALITA, G. Vivendo a Filosofia, São Paulo: Ática, 2007. DISCIPLINA: FILOSOFIA CARGA HORÁRIA: 40H SEMESTRE: 6º SEMESTRE EMENTA: Os valores como tema filosófico; A estética: o belo e o feio; Ética e Moral; Ética profissional; Felicidade X Dever; A construção da liberdade;O cidadão; Democracia e cidadania; A violência. BIBLIOGRAFIA:

ARANHA, M. L. de A. Temas de Filosofia, São Paulo: Moderna, 2005. CHAUI, M. Filosofia: Ensino Médio, volume único.São Paulo: Ática,2005. CHALITA, G. Vivendo a Filosofia, São Paulo: Ática, 2007. DISCIPLINA: FISICA CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 1°SEMESTRE EMENTA: Movimentos, Variações e Conservações; Princípio da Inércia; O Princípio Fundamental da Dinâmica; Princípio da Ação e Reação; Aplicações das Leis de Newton; Hidrostática; Quantidade de Movimento e Impulso; Energia e Trabalho; Máquinas Simples; Teoria do Big Bang; As leis de Kepler do movimento planetário; A Lei da gravitação universal; BIBLIOGRAFIA: GASPAR, A. Física, volume único. 1ª edição. Editora Ática. São Paulo – SP. 2.005. KAZUITO, Y. FUKE, L. F. SHIGEKIYO, C. T. Os Alicerces da Física. Volume 1. 12ª edição. Editora Saraiva. São Paulo – SP. 1.998. MÁXIMO, A. ALVARENGA, B. Física ensino médio. Volume 1. 1ª edição. Editora Scipione. São Paulo – SP. 2.007. PARANÁ, D. N. S. Física Mecânica. Volume 1. 6ª edição. Editora Ática. São Paulo – SP. 1.998. PENTEADO, P. C. M.; TORRES, C. M. A. Física Ciência e Tecnologia. Volume 1. 1ª edição. Editora Moderna. São Paulo – SP. 2.005. UENO, P. Física:Série Novo Ensino Médio. Volume único. 1ª edição. Editora Ática. São Paulo – SP. 2006 DISCIPLINA: FISICA CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 2°SEMESTRE

EMENTA: Calor, Ambiente e Formas e Usos de Energia; Calor; Termodinâmica; Energia e ondas; Fenômenos ondulatórios; Ondas sonoras; A luz; Imagem em um espelho plano; Espelhos Esféricos; Reflexão total; Dispersão da luz. BIBLIOGRAFIA : GASPAR, A. Física, volume único. 1ª edição. Editora Ática. São Paulo – SP. 2.005. KAZUITO, Y. FUKE, L. F. SHIGEKIYO, C. T. Os Alicerces da Física. Volume 2. 12ª edição. Editora Saraiva. São Paulo – SP. 1.998. MÁXIMO, A. ALVARENGA, B. Física ensino médio. Volume 2. 1ª edição. Editora Scipione. São Paulo – SP. 2.007. PARANÁ, D. N. S. Física Termologia. Volume 2. 6ª edição. Editora Ática. São Paulo – SP. 1.998. PENTEADO, P. C. M.; TORRES, C. M. A. Física Ciência e Tecnologia. Volume 2. 1ª edição. Editora Moderna. São Paulo – SP. 2.005. UENO, P. Física: Série Novo Ensino Médio. Volume único. 1ª edição. Editora Ática. São Paulo – SP. 2006 DISCIPLINA: FISICA CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 3° EMENTA: A eletricidade estática; A lei de Coulomb; O campo elétrico; A corrente elétrica; Associação de resistores; Geradores e receptores; Eletromagnetismo; O campo magnético das correntes elétricas; Força magnética; Ondas eletromagnéticas; Física Moderna. BIBLIOGRAFIA: GASPAR, A. Física, volume único. 1ª edição. Editora Ática. São Paulo – SP. 2.005. KAZUITO, Y. FUKE, L. F. SHIGEKIYO, C. T. Os Alicerces da Física. Volume 3. 12ª edição. Editora Saraiva. São Paulo – SP. 1.998.

MÁXIMO, A. ALVARENGA, B. Física ensino médio. Volume 3. 1ª edição. Editora Scipione. São Paulo – SP. 2007. PARANÁ, D. N. S. Física Eletricidade. Volume 3. 6ª edição. Editora Ática. São Paulo – SP. 1.998. PENTEADO, P. C. M.; TORRES, C. M. A. Física Ciência e Tecnologia. Volume 3. 1ª edição. Editora Moderna. São Paulo – SP. 2.005. UENO, P. Física: Série Novo Ensino Médio. Volume único. 1ª edição. Editora Ática. São Paulo – SP. 2006. DISCIPLINA: GEOGRAFIA CARGA HORÁRIA: 80 HORAS SEMESTRE: 1º SEMESTRE EMENTA : Coordenadas Geográficas. O Movimento de Rotação da Terra e os Fusos Horários. O Movimento de Translação da Terra e as Estações do Ano. Cartografia – Construção e Leitura de mapas. O Tempo Geológico e as Placas Tectônicas. A Estrutura da terra. A Dinâmica Interna e Externa do Relevo. A Atmosfera e os fenômenos meteorológicos. Os Fatores que Influenciam o Clima. Tipos de Clima. Os Grandes Biomas Terrestres. A Água no Planeta. A População da Terra: Fatores de Crescimento e Teorias Demográficas. As Atividades Agropecuárias e os Sistemas Agrários. A Destruição da Natureza. Atividades Humanas e Impactos Ambientais. O Lixo Urbano e os Impactos Ambientais Causados pela Poluição. A Poluição do Ar. Inversão Térmica, Ilhas de calor e Chuva Ácida. Desenvolvimento Sustentável. BIBLIOGRAFIA: TÉRCIO, L. Geografia – Série Novo Ensino Médio, São Paulo, Ática, 2005. VESENTINI, J. W. Geografia – Série Brasil. São Paulo, Ática, 2003. DIAMANTINO, P. Geografia Ciência do Espaço – O espaço Mundial. São Paulo, Atual Editora, 1993.

GONCALVES, C. W. P. Paixão da Terra – Ensaios Críticos de Geografia. Rio de Janeiro, Socii, 1984. VESENTINI, J. W. Sociedade e Espaço. Geografia Geral e do Brasil. São Paulo. MAGNOLI, D. A nova Geografia – Estudos de Geografia Geral. São Paulo, Moderna, 1992. SENE, E. Geografia – Espaço Geográfico e Globalização. São Paulo, Scipione, 1998. DISCIPLINA: GEOGRAFIA CARGA HORÁRIA: 80 HORAS SEMESTRE: 2º SEMESTRE EMENTA: Os Principais Conceitos da Geografia. O capitalismo e a construção do Espaço Geográfico. O socialismo. Capitalismo x Socialismo: Guerra Fria. O Mundo Pós-guerra Fria. O Subdesenvolvimento. Novos Países Industrializados: substituição de importações; Plataformas de Exportação. O Comercio Mundial. Os Blocos Econômicos. As Novas Migrações Internacionais e a Xenofobia. O Mundo Sem a URSS. Estados Unidos, potência mundial. América Latina. África. BIBLIOGRAFIA: TÉRCIO, L. Geografia – Série Novo Ensino Médio, São Paulo, Ática, 2005. VESENTINI, J. W. Geografia – Série Brasil. São Paulo, Ática, 2003. DIAMANTINO, P. Geografia Ciência do Espaço – O espaço Mundial. São Paulo, Atual Editora, 1993. GONCALVES, C. W. P. Paixão da Terra – Ensaios Críticos de Geografia. Rio de Janeiro, Socii, 1984. VESENTINI, J. W. Sociedade e Espaço. Geografia Geral e do Brasil. São Paulo. MAGNOLI, D. A nova Geografia – Estudos de Geografia Geral. São Paulo, Moderna, 1992. SENE, E. Geografia – Espaço Geográfico e Globalização. São Paulo, Scipione, 1998.

DISCIPLINA: GEOGRAFIA CARGA HORÁRIA: 80 HORAS SEMESTRE: 3º SEMESTRE EMENTA: A Formação e a Expansão do Território Brasileiro. Caracterização do Espaço Brasileiro. Brasil: Estrutura Geológica e Relevo. O Clima do Brasil. Ecossistemas Brasileiros. A Hidrografia Brasileira. A Organização Político-administrativa e a Divisão Regional do Brasil. Brasil: de Agroexportador a País Industrializado Subdesenvolvido. O Espaço Agropecuário Brasileiro. A Estrutura fundiária e os Conflitos de Terra no Brasil. Recursos Minerais no Brasil. Recursos Energéticos no Brasil. A Industrialização no Brasil. Distribuição Espacial da Indústria no Brasil. Os Transportes no Brasil. A População Brasileira: Crescimento e Formação Étnica - Distribuição e Estrutura. Movimentos da População no Brasil. Impactos Ambientais em Ecossistemas Brasileiros. BIBLIOGRAFIA TÉRCIO, L. Geografia – Série Novo Ensino Médio, São Paulo, Ática, 2005. VESENTINI, J. W. Geografia – Série Brasil. São Paulo, Ática, 2003. DIAMANTINO, P. Geografia Ciência do Espaço – O espaço Mundial. São Paulo, Atual Editora, 1993. GONCALVES, C. W. P. Paixão da Terra – Ensaios Críticos de Geografia. Rio de Janeiro, Socii, 1984. VESENTINI, J. W. Sociedade e Espaço. Geografia Geral e do Brasil. São Paulo. MAGNOLI, D. A nova Geografia – Estudos de Geografia Geral. São Paulo, Moderna, 1992. SENE, E. Geografia – Espaço Geográfico e Globalização. São Paulo, Scipione, 1998. DISCIPLINA: GEOMORFOLOGIA E HIDROLOGIA CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 3°SEMESTRE

EMENTA: Introdução à Geomorfologia. Compartimentação da Paisagem. Estrutura Superficial. Fisiologia da Paisagem. Geomorfologia – Estudo da Paisagem. Hidrologia – Conceitos e Definições. Campos de Aplicação da Hidrologia. Características das Bacias Hidrográficas. Precipitações Atmosféricas. Evapotranspiração, Infiltração, Escoamento Superficial e Previsão de Enchentes. Campos de Ação da Geografia nos Recursos Hídricos. Quantidade da Água. Qualidade da Água. Respostas de Uma Bacia Hidrográfica. BIBLIOGRAFIA: CASSETI, V. Ambiente e Apropriação do Relevo, São Paulo, Contexto, 1991. CASSETI, V. Geomorfologia, 2005. GUERRA, A. J. T. Geomorfologia e Meio Ambiente, Bertrand Brasil. ALVAREZ , G. A. Hidrologia, Edgard Blucher, 2002. DISCIPLINA: GESTÃO AMBIENTAL CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 6°SEMESTRE EMENTA: Gestão Ambiental: Conceitos e Histórico. Planejamento Ambiental. Desenvolvimento e degradação ambiental. Políticas ambientais. Inserção do meio ambiente no planejamento empresarial. A questão ambiental sob o enfoque econômico. Certificações ambientais e Normas ISO 14000. BIBLIOGRAFIA: SOUZA, M. P. Instrumentos de Gestão Ambiental: fundamentos e prática. Editora Riani Costa. 2000. PRIMACK, R. B. RODRIGUES, E. Biologia da Conservação. Londrina: Ed. Rodrigues, 2001. TACHIZAWA, T., ANDRADE, R. O. B.. Gestão Sócioambiental: estratégias na nova era da sustentabilidade. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.

DISCIPLINA: HISTÓRIA CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRES: 1º SEMESTRE EMENTA : Pré-História: As primeiras sociedades e suas relações com o meio ambiente. Antiguidade Oriental e as disputas pelos recursos naturais nas sociedades da antiguidade. Antiguidade Clássica, Grécia e Roma: aspectos gerais, o trabalho, a terra o meio ambiente e o sagrado. Idade Média Ocidental: A vida no ritmo da natureza. Formação do Mundo Feudal. A crise na produção agrícola e a degradação ambiental no modo de produção feudal. Grandes Navegações e Conquistas Marítimas; BIBLIOGRAFIA COTRIM, G. História Global. Brasil e Geral. Volume único, 10ª Ed., São Paulo, Saraiva, 2009. SIQUEIRA, E. M. História de Mato Grosso: da ancestralidade aos dias atuais. Cuiabá: Entrelinhas, 2002. DISCIPLINA: HISTÓRIA CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRES: 2° SEMESTRE EMENTA: A América Pré Colombiana, Incas, Maias e Astecas. As sociedades indígenas e suas práticas de sustentabilidade. Colonização Brasil; O agronegócio no Brasil colonial e a devastação da mata atlântica. A fazenda e engenho, a pecuária no Brasil e o avanço da devastação. Mineração e expansão territorial na Colônia Portuguesa. Política de saneamento no Brasil colonial. Revolução industrial: O avanço na exploração dos recursos naturais. Revolução Francesa e Época Napoleônica. Independência Política do Brasil e Primeiro Reinado (1822-1831). Período Regencial (1831-1840) e Segundo Reinado (1840-

1889). O império do café, desgaste do solo e queda na produção e decadência do vale do Paraíba. Proclamação da República. BIBLIOGRAFIA COTRIM, G. História Global. Brasil e Geral. Volume único, 10ª Ed., São Paulo, Saraiva, 2009. SIQUEIRA, E. M. História de Mato Grosso: da ancestralidade aos dias atuais. Cuiabá: Entrelinhas, 2002. DISCIPLINA: HISTÓRIA CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRES: 3° SEMESTRE EMENTA: O mundo na primeira metade do século XX. O Brasil na primeira metade do Século XX. Revoltas na Primeira República. Pós Guerra e Guerra Fria. Crise no Socialismo. Período Democrático e governos populistas (1945-1964). Governo dos Militares e redemocratização. A consciência ambiental e as políticas públicas nacionais e internacionais. Mato Grosso no século XIX e XX. A Colonização do norte e noroeste de Mato Grosso anos 70 e 80 e a devastação da Amazônia nas novas fronteiras agrícolas. BIBLIOGRAFIA COTRIM, G. História Global. Brasil e Geral. Volume único, 10ª Ed., São Paulo, Saraiva, 2009. SIQUEIRA, E. M. História de Mato Grosso: da ancestralidade aos dias atuais. Cuiabá: Entrelinhas, 2002. DISCIPLINA: INFORMÁTICA APLICADA CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 2°SEMESTRE

EMENTA: Conceitos básicos de Sistemas da informação. Histórico. Evolução dos computadores. Conceitos de hardware e software. Redes de computadores. Sistemas operacionais. Utilização e configuração de um sistema operacional. Manipulação de arquivos. Utilização de aplicativos para escritório: processadores de Texto, planilhas Eletrônicas, apresentação multimídia. Navegador de internet. BIBLIOGRAFIA: VELLOSO, F. C. Informática: conceitos básicos. -7. ed. Rev. E atualizada – Rio de Janeiro: Elsevier, 2004. MARCELLINO, F.P. Ubuntu – guia prático para iniciantes. Editora: Ciência moderna, 2007. BRAGA, W. Open Office: Calc & Writer. Editora: Alta Books, 2006. REHDER, W.; ARAÚJO, A. F. Impress: Recursos e Aplicações em Apresentação de Slides. Editora: Viena, 2008. DISCIPLINA: LEGISLAÇÃO AMBIENTAL CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 4°SEMESTRE EMENTA: Histórico da política e legislação ambiental no Brasil. Política e Sistema Nacional do meio ambiente. Competência legislativa. SISNAMA – Sistema Nacional de Meio Ambiente. Instrumento da política nacional do meio ambiente. Legislação aplicada – padrões de qualidade do ar e da água. Crimes contra o meio ambiente – Código florestal, leis de crimes ambientais, política nacional de recursos hídricos. Política ambiental do Estado do Mato Grosso. BIBLIOGRAFIA: CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE O MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO. Agenda 21 Cap.21, Sessão II. 1992.

REZENDE, J. L. P.; BORGES, L. A. C.; JUNIOR, L. M. C. Estudo da Política e da Legislação Florestal Brasileira. Editora UFLA. Lavras, MG. 2007. DISCIPLINA: LÍNGUA ESTRANGEIRA MODERNA - INGLÊS CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 1°SEMESTRE EMENTA: Verbos comuns para atividades diárias; Artigos definidos; Sentenças no Presente Simples; Pronomes interrogativos: what, where, when, how; Expressões de tempo; Verbos auxiliares para perguntas – do e does; Verbos irregulares no presente; Formas negativas don’t e doesn’t; Advérbios de freqüência; Presente contínuo; preposições de lugar. BIBLIOGRAFIA DAVIES, Ben P. Inglês em 50 aulas. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009. FERRARI, M. Inglês para o ensino médio. São Paulo: Scipione, 2008. HOLLAENDER, A. & SANDERS, S. Keyword: a complete English Course. São Paulo: Moderna, 1995. MARQUES, A. Novo ensino médio – inglês. V. Único. São Paulo: Ática, 2009 RICHARDS, Jack. Interchange intro. New York: Cambridge University Press, 2005. ___________. Interchange 1. New York: Cambridge University Press, 2005. ___________. Interchange2. New York: Cambridge University Press, 2005. SANSANOVICS, N. et alli. Inglês para o ensino médio. São Paulo: Saraiva, 2008. VELLOSO, Mônica S. Inglês instrumental. Brasília: Vestcon, 2009. DISCIPLINA: LÍNGUA ESTRANGEIRA MODERNA - INGLÊS CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 2° EMENTA

Frases no gerúndio; Formas no plural regulares e irregulares; Frases no passado simples: verbos regulares e irregulares; Formas negativas com didn’t; Passado do verbo to be - was were; Usando many e much; Verbos modais para habilidades, sugestão e necessidade; Futuro com will e going to; Frases condicionais com would; Frases relativas com who e which. BIBLIOGRAFIA DAVIES, Ben P. Inglês em 50 aulas. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009. FERRARI, M. Inglês para o ensino médio. São Paulo: Scipione, 2008. HOLLAENDER, A. & SANDERS, S. Keyword: a complete English Course. São Paulo: Moderna, 1995. MARQUES, A. Novo ensino médio – inglês. V. Único. São Paulo: Ática, 2009 RICHARDS, Jack. Interchange intro. New York: Cambridge University Press, 2005. ___________. Interchange 1. New York: Cambridge University Press, 2005. ___________. Interchange2. New York: Cambridge University Press, 2005. SANSANOVICS, N. et alli. Inglês para o ensino médio. São Paulo: Saraiva, 2008. VELLOSO, Mônica S. Inglês instrumental. Brasília: Vestcon, 2009. DISCIPLINA: LÍNGUA ESTRANGEIRA MODERNA - INGLÊS CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 3°SEMESTRE EMENTA: Formas irregulares no plural; Usando too e either; Comparativos e Superlativos; Introdução ao Present Perfect; Pronomes relativos. Orações Condicionais com if; Discurso indireto; BIBLIOGRAFIA: DAVIES, Ben P. Inglês em 50 aulas. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009. FERRARI, M. Inglês para o ensino médio. São Paulo: Scipione, 2008. HOLLAENDER, A. & SANDERS, S. Keyword: a complete English Course. São Paulo: Moderna, 1995.

MARQUES, A. Novo ensino médio – inglês. V. Único. São Paulo: Ática, 2009 RICHARDS, Jack. Interchange intro. New York: Cambridge University Press, 2005. ___________. Interchange 1. New York: Cambridge University Press, 2005. ___________. Interchange2. New York: Cambridge University Press, 2005. SANSANOVICS, N. et alli. Inglês para o ensino médio. São Paulo: Saraiva, 2008. VELLOSO, Mônica S. Inglês instrumental. Brasília: Vestcon, 2009. DISCIPLINA: LÍNGUA ESTRANGEIRA MODERNA - INGLÊS CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 4°SEMESTRE EMENTA: Verbos comuns para atividades diárias; Artigos definidos; Sentenças no Presente Simples; Pronomes interrogativos: what, where, when, how; Expressões de tempo; Verbos auxiliares para perguntas – do e does; Verbos irregulares no presente; Formas negativas don’t e doesn’t; Advérbios de freqüência; BIBLIOGRAFIA: DAVIES, Ben P. Inglês em 50 aulas. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009. FERRARI, M. Inglês para o ensino médio. São Paulo: Scipione, 2008. HOLLAENDER, A. & SANDERS, S. Keyword: a complete English Course. São Paulo: Moderna, 1995. MARQUES, A. Novo ensino médio – inglês. V. Único. São Paulo: Ática, 2009 RICHARDS, Jack. Interchange intro. New York: Cambridge University Press, 2005. ___________. Interchange 1. New York: Cambridge University Press, 2005. ___________. Interchange2. New York: Cambridge University Press, 2005. SANSANOVICS, N. et alli. Inglês para o ensino médio. São Paulo: Saraiva, 2008. VELLOSO, Mônica S. Inglês instrumental. Brasília: Vestcon, 2009. DISCIPLINA: LÍNGUA ESTRANGEIRA MODERNA - INGLÊS CARGA HORÁRIA: 40 HORAS

SEMESTRE: 5°SEMESTRE EMENTA: Frases no gerúndio; Formas no plural regulares e irregulares; Frases no passado simples: verbos regulares e irregulares; Formas negativas com didn’t; Passado do verbo to be - was were; Usando many e much; BIBLIOGRAFIA: DAVIES, Ben P. Inglês em 50 aulas. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009. FERRARI, M. Inglês para o ensino médio. São Paulo: Scipione, 2008. HOLLAENDER, A. & SANDERS, S. Keyword: a complete English Course. São Paulo: Moderna, 1995. MARQUES, A. Novo ensino médio – inglês. V. Único. São Paulo: Ática, 2009 RICHARDS, Jack. Interchange intro. New York: Cambridge University Press, 2005. ___________. Interchange 1. New York: Cambridge University Press, 2005. ___________. Interchange2. New York: Cambridge University Press, 2005. SANSANOVICS, N. et alli. Inglês para o ensino médio. São Paulo: Saraiva, 2008. VELLOSO, Mônica S. Inglês instrumental. Brasília: Vestcon, 2009. DISCIPLINA: LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 1°SEMESTRE EMENTA: Linguagem e interação; O código e a língua; As variedades lingüísticas; Língua culta e língua coloquial; Introdução ao gênero textual; Figuras de linguagem; Texto e Discurso – coerência, intertextualidade, interdiscursividade e paródia; Fonologia: Fonema e letra; Acentuação gráfica; Estrutura do texto técnico; Trabalho científico – relatório; Natureza da linguagem literária; O poema, verso e seus recursos sonoros; Gêneros literários;Trovadorismo; Humanismo; Classicismo: a lírica, o soneto, epopeia.

BIBLIOGRAFIA: AMARAL, Emilia et al. Novas palavras. 2 ed. São Paulo: FTD, 2005. BOSI, Alfredo. História Concisa da literatura brasileira. São Paulo:Cultrix, 1998 CEREJA, William R.& MAGALHÃES, Theresa C. Português: linguagens. Vol 1. 5ed. São Paulo: Atual, 2005. __________C. Português: linguagens. Vol 2. 5ed. São Paulo: Atual, 2005. __________. Português: linguagens. Vol 3. 5ed. São Paulo: Atual, 2005. COCCO, Marta. O ensino da literatura produzida em Mato Grosso. Cuiabá: Cathedral, 2006. DISCIPLINA: LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 2°SEMESTRE EMENTA: Morfologia: Formação de palavras; Palavras primitivas, derivadas e compostas; Derivação e composição; Ortografia; Classes gramaticais: substantivo e adjetivo; Flexões do substantivo e do adjetivo; Gênero, número e grau; Concordância nominal e verbal; Texto descritivo; Relatório; Regras de produção textual; Renascimento; Quinhentismo no Brasil: literatura de informação e catequese; Barroco Português: Barroco Brasileiro; Neoclassicismo; Arcadismo BIBLIOGRAFIA AMARAL, Emilia et al. Novas palavras. 2 ed. São Paulo: FTD, 2005. BOSI, Alfredo. História Concisa da literatura brasileira. São Paulo:Cultrix, 1998 CEREJA, William R.& MAGALHÃES, Theresa C. Português: linguagens. Vol 1. 5ed. São Paulo: Atual, 2005. __________C. Português: linguagens. Vol 2. 5ed. São Paulo: Atual, 2005. __________. Português: linguagens. Vol 3. 5ed. São Paulo: Atual, 2005. COCCO, Marta. O ensino da literatura produzida em Mato Grosso. Cuiabá: Cathedral, 2006.

DISCIPLINA: LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 3°SEMESTRE EMENTA: Gênero textual e discursivo; Artigo e numeral; Pronomes: pessoais, oblíquos, possessivos e indefinidos; Verbo; Classificação dos verbos e conjugações; Locução verbal; Flexão dos verbos; Formais nominais dos verbos; Formação dos tempos simples e compostos;Advérbio; Resumo; O texto argumentativo; Artigo Científico; Romantismo; Romantismo em Portugal; Romantismo no Brasil; Primeira geração; Ultrarromantismo; Condoreirismo. BIBLIOGRAFIA: AMARAL, Emilia et al. Novas palavras. 2 ed. São Paulo: FTD, 2005. BOSI, Alfredo. História Concisa da literatura brasileira. São Paulo:Cultrix, 1998 CEREJA, William R.& MAGALHÃES, Theresa C. Português: linguagens. Vol 1. 5ed. São Paulo: Atual, 2005. __________C. Português: linguagens. Vol 2. 5ed. São Paulo: Atual, 2005. __________. Português: linguagens. Vol 3. 5ed. São Paulo: Atual, 2005. COCCO, Marta. O ensino da literatura produzida em Mato Grosso. Cuiabá: Cathedral, 2006. DISCIPLINA: LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 4°SEMESTRE EMENTA: Locuções verbais; Preposição e a conjunção; Morfossintaxe; Frase – oração e período; Sujeito e predicado; Predicação; Termos ligados aos verbos: objeto direto e indireto; Pronomes oblíquos como objeto; Adjuntos adverbiais; Predicado; Predicativo do sujeito e do objeto; Tipos de sujeito e predicado; Análise literária; Prosa romântica; Conto; Romance Urbano; Prosa Gótica; Realismo e naturalismo; Parnasianismo; Simbolismo;

BIBLIOGRAFIA: AMARAL, Emilia et al. Novas palavras. 2 ed. São Paulo: FTD, 2005. BOSI, Alfredo. História Concisa da literatura brasileira. São Paulo:Cultrix, 1998 CEREJA, William R.& MAGALHÃES, Theresa C. Português: linguagens. Vol 1. 5ed. São Paulo: Atual, 2005. __________C. Português: linguagens. Vol 2. 5ed. São Paulo: Atual, 2005. __________. Português: linguagens. Vol 3. 5ed. São Paulo: Atual, 2005. COCCO, Marta. O ensino da literatura produzida em Mato Grosso. Cuiabá: Cathedral, 2006. DISCIPLINA: LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 5°SEMESTRE EMENTA: Verbos impessoais; Vozes do verbo; Termos ligados ao nome; Adjunto adnominal; Complemento nominal; Aposto e vocativo; Período composto por subordinação; Gênero: mesa-redonda; Gênero: notícia; Gênero: entrevista; Pré-modernismo; Modernismo; Primeira fase do Modernismo; Crônica; Literatura Portuguesa século XX; Segunda fase do Modernismo; BIBLIOGRAFIA: AMARAL, Emilia et al. Novas palavras. 2 ed. São Paulo: FTD, 2005. BOSI, Alfredo. História Concisa da literatura brasileira. São Paulo:Cultrix, 1998 CEREJA, William R.& MAGALHÃES, Theresa C. Português: linguagens. Vol 1. 5ed. São Paulo: Atual, 2005. __________C. Português: linguagens. Vol 2. 5ed. São Paulo: Atual, 2005. __________. Português: linguagens. Vol 3. 5ed. São Paulo: Atual, 2005. COCCO, Marta. O ensino da literatura produzida em Mato Grosso. Cuiabá: Cathedral, 2006.

DISCIPLINA: LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 6°SEMESTRE EMENTA: Orações substantivas; Orações adjetivas; Orações subordinadas adverbiais; Orações coordenadas; Regência verbal e nominal; Colocação pronominal; Gênero: reportagem; Gênero: anúncio publicitário; Gênero: crítica; Literatura contemporânea: Literatura em Mato Grosso; Literatura Mato-grossense; Identidades e regionalismo; O meio físico brasileiro e a cultura regional; Periodização, literatura de viagem, literatura indígena; Romance histórico; Poesia; BIBLIOGRAFIA: AMARAL, Emilia et al. Novas palavras. 2 ed. São Paulo: FTD, 2005. BOSI, Alfredo. História Concisa da literatura brasileira. São Paulo:Cultrix, 1998 CEREJA, William R.& MAGALHÃES, Theresa C. Português: linguagens. Vol 1. 5ed. São Paulo: Atual, 2005. __________C. Português: linguagens. Vol 2. 5ed. São Paulo: Atual, 2005. __________. Português: linguagens. Vol 3. 5ed. São Paulo: Atual, 2005. COCCO, Marta. O ensino da literatura produzida em Mato Grosso. Cuiabá: Cathedral, 2006. DISCIPLINA: MATEMÁTICA CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 1°SEMESTRE EMENTA: Revisão de conceitos do ensino fundamental. Conjunto dos números reais. Funções. BIBLIOGRAFIA:

DANTE, L. R. Matemática: Contexto e Aplicações - 1 série – 2° grau. São Paulo: Editora Ática, 2001. IEZZI, G., HAZZAN, S. DEGENSZANJ, D. Matemática – Ciência e Aplicações - Vol. 1. São Paulo: Atual Editora, 2004 IEZZI, G. MURAKAMI, C. Fundamentos de Matemática Elementar - Conjuntos e Funções - Vol. 1. São Paulo: Atual Editora, 2004. IEZZI, G.. Fundamentos de Matemática Elementar - Logaritmos - Vol. 2. São Paulo: Atual Editora, 2004. IEZZI, G. MURAKAMI, C. Fundamentos de Matemática Elementar - Trigonometria - Vol. 3. São Paulo: Atual Editora, 2004. HAZZAN, S. Fundamentos de Matemática Elementar - Combinatória , Probabilidade Vol. 5. São Paulo: Atual Editora, 2004. IEZZI, G., HAZZAN, S. DEGENSZANJ, D. Fundamentos de Matemática Elementar Matemática Comercial, Financeira, Estatística- Vol. 11. São Paulo: Atual Editora, 2004. IEZZI, G. MURAKAMI, C. Fundamentos de Matemática Elementar – Geometria Plana Vol. 9. São Paulo: Atual Editora, 2004. IEZZI, G. MURAKAMI, C. Fundamentos de Matemática Elementar – Geometria Espacial Vol. 10. São Paulo: Atual Editora, 2005. IEZZI, G. Fundamentos de Matemática Elementar – Geometria Analítica - Vol. 7. São Paulo: Atual Editora, 2005. DISCIPLINA: MATEMÁTICA CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 2°SEMESTRE EMENTA: Funções. Progressões. BIBLIOGRAFIA: DANTE, L. R. Matemática: Contexto e Aplicações - 1 série – 2° grau. São Paulo: Editora Ática, 2001.

IEZZI, G., HAZZAN, S. DEGENSZANJ, D. Matemática – Ciência e Aplicações - Vol. 1. São Paulo: Atual Editora, 2004 IEZZI, G. MURAKAMI, C. Fundamentos de Matemática Elementar - Conjuntos e Funções - Vol. 1. São Paulo: Atual Editora, 2004. IEZZI, G.. Fundamentos de Matemática Elementar - Logaritmos - Vol. 2. São Paulo: Atual Editora, 2004. IEZZI, G. MURAKAMI, C. Fundamentos de Matemática Elementar - Trigonometria - Vol. 3. São Paulo: Atual Editora, 2004. HAZZAN, S. Fundamentos de Matemática Elementar - Combinatória , Probabilidade Vol. 5. São Paulo: Atual Editora, 2004. IEZZI, G., HAZZAN, S. DEGENSZANJ, D. Fundamentos de Matemática Elementar Matemática Comercial, Financeira, Estatística- Vol. 11. São Paulo: Atual Editora, 2004. IEZZI, G. MURAKAMI, C. Fundamentos de Matemática Elementar – Geometria Plana Vol. 9. São Paulo: Atual Editora, 2004. IEZZI, G. MURAKAMI, C. Fundamentos de Matemática Elementar – Geometria Espacial Vol. 10. São Paulo: Atual Editora, 2005. IEZZI, G. Fundamentos de Matemática Elementar – Geometria Analítica - Vol. 7. São Paulo: Atual Editora, 2005. DISCIPLINA: MATEMÁTICA CARGA HORÁRIA: 80 HORAS SEMESTRE: 3°SEMESTRE EMENTA: Revisão da trigonometria no triângulo retângulo. Ciclo Trigonométrico. Resolução de triângulos quaisquer. Matrizes e aplicações. BIBLIOGRAFIA: DANTE, L. R. Matemática: Contexto e Aplicações - 2 série – 2° grau. São Paulo: Editora Ática, 2001.

IEZZI, G., HAZZAN, S. DEGENSZANJ, D. Matemática – Ciência e Aplicações - Vol. 2. São Paulo: Atual Editora, 2004 IEZZI, G. MURAKAMI, C. Fundamentos de Matemática Elementar - Conjuntos e Funções - Vol. 1. São Paulo: Atual Editora, 2004. IEZZI, G.. Fundamentos de Matemática Elementar - Logaritmos - Vol. 2. São Paulo: Atual Editora, 2004. IEZZI, G. MURAKAMI, C. Fundamentos de Matemática Elementar - Trigonometria - Vol. 3. São Paulo: Atual Editora, 2004. HAZZAN, S. Fundamentos de Matemática Elementar - Combinatória , Probabilidade Vol. 5. São Paulo: Atual Editora, 2004. IEZZI, G., HAZZAN, S. DEGENSZANJ, D. Fundamentos de Matemática Elementar Matemática Comercial, Financeira, Estatística- Vol. 11. São Paulo: Atual Editora, 2004. IEZZI, G. MURAKAMI, C. Fundamentos de Matemática Elementar – Geometria Plana Vol. 9. São Paulo: Atual Editora, 2004. IEZZI, G. MURAKAMI, C. Fundamentos de Matemática Elementar – Geometria Espacial Vol. 10. São Paulo: Atual Editora, 2005. IEZZI, G. Fundamentos de Matemática Elementar – Geometria Analítica - Vol. 7. São Paulo: Atual Editora, 2005. DISCIPLINA: MICROBIOLOGIA AMBIENTAL CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 3°SEMESTRE EMENTA: Microrganismos e meio ambiente. Microrganismos aeróbios, anaeróbios e fermentadores. Estrutura e desenvolvimento de comunidades microbianas. Metabolismos e processos microbianos: oxiredução, metabolismo aeróbico e anaeróbico. Degradabilidade dos constituintes dos resíduos orgânicos. Biorremediação de solos e aqüíferos contaminados. Aspectos importantes da fitorremediação do ar, solo e meio aquático. BIBLIOGRAFIA:

CARDOSO, E. J.; TSAI, S. M.; NEVES, M. C. P. Microbiologia do solo. Campinas: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, 360p., 1992. MELO, I. S.; AZEVEDO, J. L. Ecologia Microbiana. Jaguariúna – Embrapa – CNPMA, 1998. MOREIRA, M. F.; SIQUEIRA, J. O. Microbiologia e bioquímica do solo. Lavras: UFLA, 626p., 2002. TORTORA, G. J.; FUNKE, B. R.; CASE, C. L. Microbiologia. 8ª edição. Porto Alegre: Artmed, 894p., 2006. VARGAS, M. A. T.; HUNGRIA, M. Biologia dos solos dos Cerrados. Planaltina: Embrapa/CPAC, 524p., 1997. ANDRADE, J. C. M..; TAVARES, S. R. L.; MAHLER, C. F. Fitoremediação: o uso de plantas na melhoria da qualidade ambiental. Ed.: Oficina de Textos, Viçoca, 2007. DISCIPLINA: QUÍMICA CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 1°SEMESTRE EMENTA: Introdução ao estudo da química. Substâncias químicas. Átomos e moléculas. Introdução à estrutura atômica. Tabela periódica dos elementos. Ligações químicas interatômicas e intermoleculares. Princípios de Química Inorgânica. Funções Inorgânicas. Reações químicas; BIBLIOGRAFIA: CARVALHO, G. C; SOUZA, C. L; Química: de olho no mundo do trabalho. São Paulo, Scipione, 2003 FELTRE, R; Química Geral. São Paulo, Moderna, 2004. FONSECA, M. R. M.; Interatividade Química: Cidadania, participação e transformação. São Paulo, FTD, 2003. SANTOS, L. P. S.; MÓL, G. S. Química & Sociedade. 1. ed. São Paulo, Nova Geração, 2005.

VANIN, J. A.; Alquimistas e químicos: O passado, o presente e o futuro. 2. ed. São Paulo, Moderna, 2005. DISCIPLINA: QUÍMICA CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 2°SEMESTRE EMENTA: Soluções. Propriedades coligativas. Termoquímica: o calor e os processos químicos. Cinética química: o transcorrer das reações químicas. Equilíbrio químico. Processos de óxido-redução. Eletroquímica: Pilhas e Eletrólise. Radioatividade. BIBLIOGRAFIA CARVALHO, G. C; SOUZA, C. L; Química: de olho no mundo do trabalho. São Paulo, Scipione, 2003 FELTRE, R; Físico-Química. São Paulo, Moderna, 2004. FONSECA, M. R. M.; Interatividade Química: Cidadania, participação e transformação. São Paulo, FTD, 2003. SANTOS, L. P. S.; MÓL, G. S. Química & Sociedade. 1. ed. São Paulo, Nova Geração, 2005. DISCIPLINA: QUÍMICA CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 3°SEMESTRE EMENTA: Introdução à Química dos compostos de carbono. Cadeias Carbônicas. Hidrocarbonetos; As principais classes funcionais de compostos orgânicos. Polímeros. BIBLIOGRAFIA:

CARVALHO, G. C; SOUZA, C. L; Química: de olho no mundo do trabalho. São Paulo, Scipione, 2003 FELTRE, R; Química Orgânica. São Paulo, Moderna, 2004. FONSECA, M. R. M.; Interatividade Química: Cidadania, participação e transformação. São Paulo, FTD, 2003. SANTOS, L. P. S.; MÓL, G. S. Química & Sociedade. 1. ed. São Paulo, Nova Geração, 2005.

DISCIPLINA: QUÍMICA AMBIENTAL CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 2°SEMESTRE EMENTA: Introdução a Química Ambiental. Relação entre Meio Ambiente e Qualidade de Vida. Estrutura Físico-química da Terra. Química e Recursos Hídricos. Química da Atmosfera. Química dos Solos. Agricultura e Meio Ambiente. Monitoramento Ambiental. BIBLIOGRAFIA: ROCHA, J. C., ROSA, A. H., CARDOSNO, A. A. Introdução à Química Ambiental, Porto Alegre: Bookman, 2004. BAIRD, C., Química Ambiental, 2ª ed. Porto Alegre: Bookman, 2004. Artigos recentes da literatura. DISCIPLINA: POLUIÇÃO AMBIENTAL CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 4°SEMESTRE EMENTA: Principais problemas ambientais: Efeito estufa, camada de ozônio, aquecimento global, chuva acida. Relação entre Meio Ambiente e Qualidade de Vida. 2. Poluição do solo, ar e da

água. Fossas e a contaminação do lençol freático. Produtos químicos e poluição. Relação entre meio ambiente e qualidade de vida. Produtos químicos e poluição. Medidas antipoluentes. BIBLIOGRAFIA: INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), Monitoramento de Queimadas. disponível em http://sigma.cptec.inpe.br/queimadas/. ROCHA, J. C., ROSA, A. H., CARDOSO, A. A. Introdução à Química Ambiental, Porto Alegre: Bookman, 2004. BAIRD, C., Química Ambiental, 2ª ed. Porto Alegre: Bookman, 2004. Artigos recentes da literatura. DISCIPLINA: DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 4°SEMESTRE EMENTA: Evolução Histórica Econômica no Brasil e no Mundo. Desenvolvimento x Crescimento. Conceito e Evolução Histórica de Desenvolvimento Sustentável. Sustentabilidade nas organizações: ambiental, econômica e social. Gestão Ambiental e Responsabilidade Social. Conceituação do Termo Ecoturismo. Modalidades de Ecoturismo. Produto Ecoturístico. Atrativos Regionais (Fauna, Flora e Cênicos). Infra Estrutura, Equipamentos e Serviços BIBLIOGRAFIA: PRIMACK, R. B. RODRIGUES, E. Biologia da Conservação. Londrina: Ed. Rodrigues, 2001. SACHS, I. Ecodesenvolvimento: crescer sem destruir. São Paulo: ed. Vértice, 1986. BRUHNS, Heloísa e MARINHO, Alcyane. Turismo, Lazer e Natureza. São Paulo: Manole, 2003. HAWKINS, Donald E.. LINDBERG, Kreg. (Organizadores). Ecoturismo - um guia para planejamento e gestão. 4ªed. São Paulo: SENAC, 2002.

DISCIPLINA: SOCIOLOGIA SEMESTRE: 4º SEMESTRE CARGA HORÁRIA TOTAL: 40H EMENTA:
Introdução a sociologia; Os primeiros sociólogos; Meio ambiente e a sociologia; Sociedades sustentáveis; Estrutura e organização social; Instituições sociais; Processos sociais. BIBLIOGRAFIA:

LAKATOS, E. M.. Marconi, M. de A.. Sociologia Geral. 7ª ed. São Paulo, atlas, 2006. MACHADO, M. de F. R.; SILVA , L. V. de S.; AZEM M.. Diversidade Sócio Cultural em Mato Grosso. Cuiabá - MT: entrelinhas 2008. DISCIPLINA: SOCIOLOGIA SEMESTRE: 5ª SEMESTRE CARGA HORÁRIA TOTAL: 40H EMENTA:
Grupos sociais; Pluralidade cultural; Diversidade sócio cultural no estado de Mato Grosso; Diversidade sócio cultural da cidade de Juína. BIBLIOGRAFIA:

LAKATOS, E. M.. Marconi, M. de A.. Sociologia Geral. 7ª ed. São Paulo, atlas, 2006. MACHADO, M. de F. R.; SILVA , L. V. de S.; AZEM M.. Diversidade Sócio Cultural em Mato Grosso. Cuiabá - MT: entrelinhas 2008. DISCIPLINA: SOCIOLOGIA SEMESTRE: 6ª SEMESTRE CARGA HORÁRIA TOTAL: 40H EMENTA:

Classes sociais; Mobilidade social; Problemas Sociais; Questões que afetam a sociedade e o Meio Ambiente; Direitos Humanos. BIBLIOGRAFIA

LAKATOS, E. M.. Marconi, M. de A.. Sociologia Geral. 7ª ed. São Paulo, atlas, 2006. MACHADO, M. de F. R.; SILVA , L. V. de S.; AZEM M.. Diversidade Sócio Cultural em Mato Grosso. Cuiabá - MT: entrelinhas 2008.

DISCIPLINA: TÉCNICAS E AVALIAÇÃO DE IMPACTOS AMBIENTAIS CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 5°SEMESTRE EMENTA: Introdução aos impactos ambientais. Técnicas de minimização de impacto ambiental. Conservação do meio ambiente e manutenção da biodiversidade. Estudos de impactos ambientais (EIA). Relatório de impacto ambiental (RIMA). Avaliação de impacto ambiental (AIA). Técnicas e métodos de avaliação de impacto ambiental. Impactos causados por resíduos sólidos. Responsabilidade e controle de qualidade ambiental BIBLIOGRAFIA: CONAMA. Resoluções CONAMA, 1986 a 1991. Brasília: IBAMA, 1992. ROCHA, J.S.M; GARCIA, S.M; ATAIDES, P.R.V. Avaliações de impactos ambientais em unidades pontuais e lineares. Santa Maria: Imprensa Universitária, 2001. 200p. ROVERE, Emilio Lebre La. Metodologia de avaliação de impacto ambiental. Documento final, Instrumentos de Planejamento e Gestão Ambiental para a Amazônia, Pantanal e Cerrado – Demandas e Propostas. Brasília: Ibama, 1992. SÃO PAULO (Estado). Secretaria do Meio Ambiente. Estudo de impacto ambiental EIA, relatório de impacto ambiental - RIMA: manual de orientação. São Paulo, 1992. 39 p. DISCIPLINA: RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS

CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 6°SEMESTRE EMENTA: Conceitos de Recuperação de áreas degradadas, Degradação, Degradação do solo, Práticas de conservação de solos, Matas ciliares, Tipos de áreas degradadas, Principais processos de degradação, Medidas corretivas, Fundamentos de recuperação de áreas degradadas, Seleção de espécies de plantas e recomposição da vegetação, Adubação verde na recuperação de áreas degradadas, Algumas estratégias de revegetação para recuperação de áreas mineradas, Uso de espécies leguminosas arbóreas, Caracterização das Espécies Utilizadas, Características e exemplos de indicadores geológico-geotécnicos, Recuperação de áreas degradadas por mineração, Recuperação de áreas degradadas por mineração em regiões urbanas, PRAD: Plano de recuperação de áreas degradadas BIBLIOGRAFIA MOREIRA, P.R. Manejo do solo e recomposição da vegetação com vistas a recuperação de áreas degradadas pela extração de bauxita, poços de caldas, MG. Rio claro- SP, 2004 WADT, P.G.S. Práticas de conservação do solo e recuperação de áreas degradadas. Documentos 90, Rio Branco – AC, 2003. DISCIPLINA: TRATAMENTO DE RESÍDUOS CARGA HORÁRIA: 40 HORAS SEMESTRE: 5°SEMESTRE EMENTA: Poluição e poluentes. Caracterização quantitativa e qualitativa de resíduos de atividades antrópicas. Manejo dos resíduos. Sistemas de controle da poluição atmosférica. Tratamento de resíduos sólidos. Operações, processos unitários e sistemas de tratamento de águas residuárias. Tratamento de águas residuárias.

BIBLIOGRAFIA: VON SPERLING, M. Introdução à qualidade das águas e ao tratamento de esgotos. 3. Ed. - Belo Horizonte: Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental; Universidade Federal de Minas Gerais; 2005. 425 p. MATOS, A. T. Manejo e Tratamento de Resíduos Agroindustriais. Viçosa, Ed. UFV, 2004. 136 p. (Série Caderno Didático, n° 31).

9.3 Estágio Curricular Supervisionado No quarto semestre, o aluno deverá cumprir o Estágio Curricular Supervisionado I com carga horária de 120h, realizando-o obrigatoriamente no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso – Campus Juína. No sexto semestre o aluno cumprirá o Estágio Curricular Supervisionado II de 120 h, realizado integralmente junto a pessoas jurídicas de direito público ou privado, órgão de administração pública, etc. Ao término do Estágio Supervisionado I e II, o aluno tem até 2 (dois) e 4 (quatro) meses, respectivamente, para a entrega de seu relatório. Este será entregue em uma via encadernada ao seu professor-orientador que avaliará e emitirá um parecer. 9.4 Pré-Requisitos As disciplinas que constam em 2(dois) ou mais semestres terão como pré-requisito a aprovação nestas disciplinas no semestre anterior. As disciplinas que constam em apenas um semestre seguirão a tabela abaixo: Disciplina Artes Educação Ambiental Geomorfologia e Hidrologia Gestão Ambiental Não há Não há Geografia (2º semestre) Técnicas de Avaliação e Controle de Impactos Ambientais Pré-Requisito(s)

Informática Aplicada Legislação e Políticas Ambientais Microbiologia Ambiental Poluição Ambiental

Não há Educação Ambiental Biologia (2º semestre) Biologia (3º semestre) Química (3º semestre) Química Ambiental Educação Ambiental Microbiologia Química (1º semestre) Educação Ambiental Química Ambiental Técnicas de Avaliação e Controle de Impactos Ambientais Química ambiental, poluição ambiental e microbiologia ambiental Educação Ambiental Técnicas de Avaliação e Controle de Impactos Ambientais

Química Ambiental Desenvolvimento Sustentável Técnicas de Avaliação e Controle de Impactos Ambientais Técnicas de Recuperação de Áreas Degradadas Tratamento de resíduos Estágio Curricular Supervisionado I Estágio Curricular Supervisionado II

10 AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

Tomada como aspecto intrínseco ao processo educativo, a avaliação permite delinear, obter e fornecer informações para a tomada de novas decisões com vistas a atingir níveis mais elaborados de aprendizagem. Desta forma, a avaliação da aprendizagem fundamentar-se-á no processo de construção de conceitos e na aplicabilidade destes na resolução de problemas, bem como na resposta observada durante e após a experimentação e a prática de campo. A avaliação, portanto, deve seguir a proposta do Ensino Médio Integrado, conforme exposta na seção 4 deste projeto, a qual prevê o trabalho como princípio educativo a partir dos problemas que advêm da área profissional para a qual se preparam os estudantes. A avaliação, assim, é uma tarefa constante do trabalho docente e deve acompanhar passo a passo o processo de ensino-aprendizagem, cumprindo funções

didático-pedagógicas de diagnóstico e na dinamização de novas oportunidades de aprendizagem. A avaliação da aprendizagem do Curso Técnico em Meio Ambiente Integrado ao Ensino Médio – Modalidade PROEJA dar-se-á em regime semestral. A avaliação deverá ser contínua e diagnóstica de modo a proporcionar ao aluno, com notas inferiores à média, possibilidades e alternativas de recuperação de conteúdos e notas. A nota do semestre deverá ser constituída de no mínimo de 2 (duas) avaliações. Desta forma, atendida em qualquer caso a frequência mínima de 75% (setenta e cinco por cento) às aulas e demais atividades escolares, é aprovado o aluno que obtiver a nota semestral igual ou superior a 6,0 (seis vírgula zero), resultante da média aritmética das notas obtidas nas avaliações realizadas durante o período letivo. Quando a nota semestral for inferior a 6,0 (seis vírgula zero), o aluno deverá prestar exame final. A nota final será obtida no cálculo da média aritmética entre a nota semestral e o exame final, devendo essa ser igual ou superior a 5,0 (cinco vírgula zero). A reprovação em um dos componentes da matriz curricular implicará a repetição apenas do componente no ano letivo seguinte obedecendo ao pré-requisito.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
BRASIL, Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Documento base da educação profissional técnica integrada ao ensino médio. 1ª ed. Brasília, 2007. BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Agropecuário. Brasília, DF, 2006. Disponível em http://www.ibge.gov.br/home/ FAZENDA, Ivani (org). O que é Interdisciplinaridade? 1ª ed. São Paulo: Cortez, 2008. FIORIN, José Luiz. Linguagem e Interdisciplinaridade. Rio de Janeiro: Revista ALEA, volume 10, número 1, Janeiro-junho 2008, p. 29 – 53. Disponível em www.scielo.br/alea MEURER, Ane Carine. A articulação do projeto político-pedagógico da escola de Ensino Médio e do projeto político-pedagógico social: perspectivas dos alunos. In: VEIGA, Ilma Passos Alencastro Veiga. Quem Sabe Faz a Hora de Construir o Projeto PolíticoPedagógico. 1ª ed., Campinas: Papirus Editora, 2007.

TAVARES, Dirce Encarnacion. A interdiciplinaridade na contemporaneidade – Qual o sentido? In: FAZENDA, Ivani (org). O que é Interdisciplinaridade? 1ª ed. São Paulo: Cortez, 2008. VEIGA, Ilma Passos Alencastro Veiga. Inovações e Projeto Político-Pedagógico: uma Relação Regulatória ou Emancipatória? Campinas: Cad. Cedes, v. 23, n. 61, p. 267 – 281, dezembro 2003. Disponível em www.cedes.unicamp.br.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->