Você está na página 1de 96
MESTRE coes Biblicas_ ass Jovens e Adultos 1° trimestre de 2001 Swarinas Biblicas Gificando sobre o fundamento (MORN ON MeV ER (Oy es Biblicas | Comentario: ELIENAI CABRAL Consultor Doutrinario Teolog! Ligdes do 1° Trimestre de 2001 Ligaol O poder das Escrituras Ligéo 2 O Deus que conhecemos Ligao 3 Quem 6 Jesus Cristo Ligao 4 O. Espirito Santo, sua personalidad e divindade ANTONIO GILBERTO " higdo 6 ~- Que €0 hotheth Alareia, su bigao10- nes i do Espirito Santo TA ressurreica dos mortos ‘ Liao | 0 PODER DAS ESCRITURAS “3ikde dézembro de 2000 ATG “Porque a Palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até 4 diviséo da alma e do espirito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenc6es do coracéo” (Hb 4.12). Pea ee A Biblia € a inspirada, infali- vel e inerrante Palavra de Deus. i ULE aC ANCE) ISAIAS 30.8; 34.16; LUCAS 17-20; @ PEDRO 1.20,21 isaias 30 8 - Vai, pois, agora, escreve isto em uma tabua perante eles e aponta-o em um livro; para que fique escrito para o tempo vin- douro, pata sempre e perpetua- mente. Segunda - SI 12.6 A Palavra de Deus é pura Terca - $133.4 A Palavra de Deus é reta Quarta - SI 119.160 A Palavra de Deus é a verdade Quinta - Is 39.8 A Palavra de Deus 6 boa _ Sexta - Is 40.8 A Palavra de Deus é eterna Sabado - Is 45.23 A Palavra de Deus nao torna atrés Ligées Biblicas isaias 34 16 - Buscai no livro do SENHOR e lede; nenhuma dessas coisas falha- ra, nem uma nem outra faltara; por- que a sua prépria boca o ordenou, e 0 seu Espirito mesmo as ajuntara. Lucas 4 17-E foi-lhe dado o livro do profeta Isaias; e, quando abriu olivro, achou o lugar em que estava escrito: 18 - O Espirito do Senhor é sobre mim, pois que me ungiu para evangelizar os pobres, enviou-me a curar os quebrantados do coracao, 19 - a aptegoar liberdade aos cati- vos, a dar vista aos cegos, a por em liberdade os oprimidos, a anunciar 0 ano aceitavel do Senhor. 20 - E, cerrando o livro ¢ tornando a da-lo ao ministro, assentou-se; € os olhos de todos na sinagoga esta- vam fitos nele. 20-Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretacao; 21- Porque a profecia nunca foi pro- duzidaporvontadedehomemalgum, mas homens santos de Deus falaram inspitados pelo Espitito Santo. ae Neste trimestre estudaremos algumas das doutrinas fundamen- tais da Biblia. A aquisicdo desses conhecimentos ensejara 0 cresci- mento espiritual de nossos alunos, além de evitar que sejam vitimas do logro doutriné ‘io-teologico que campeia nossas igrejas nos tltimos dias. {niciaremos com a Doutrina das Escrituras: a plena revelacao de Deus através da Palavra escrita. Ao final desta aula seu aluno devera estar apto a: Destacar 0 significado etimo- ldgico do vocabulo “biblia”. Reconhecer que as Escrituras sao a infalivel Palavra de Deus. Distinguir os trés modos pe- los quais Deus tem se revelado as sua criaturas, quais sao: revelacao natural, escrita e pessoal. Css Cerca de 40 homens foram usa- dos por Deus para escrever a Biblia. Esses homens tinham diferentes atividades, viviam em lugares dis- tantes, provenientes de trés conti- nentes, e com estilos e caracteristi- cas distintas. O trabalho de todos levou, pelo menos, uns 16 séculos ~ de Moisés ao apdstolo Joao. Apesar disso, nos Santos Ora- culos encontramos um so plano, que de fato mostra que ha um sé autor divino, guiando os humanos. Podemos comparar as Escritu- ras com a constru¢ao de um gran- de prédio, em que ha muitos ope- rarios trabalhando. Cada um sabe bem o seu oficio, porém todos de- pendem do plano do arquiteto. Ela € perfeita e harmoniosa. A Biblia é a Palavra viva de Deus que narra Ligdes Biblicas forco do Altissimo por revelar- salvar o homem perdido. Divida a turma em pequenos grupos de dois alunos cada, con- forme 0 esquema abaixo. Depois escreva no quadro de giz ou numa cartolina a seguinte proposicdo: “A despeito de conter palavras humanas, a Biblia é a Pa- lavra de Deus”. Os minigrupos deverao discu- tir o enunciado acima por 5 mi- nutos. Ap6s este tempo, retina a turma novamente e déa cada gru- po a oportunidade de apresenta- rem suas idéias e conclusées. Esta técnica é chamada de diade e tem por objetivos dar oportunidade de participacao a todos. Observe abai- xo a disposicao dos grupos. INTROBUGAG OQ vocabulo “Biblia” significa etimologicamente “colegio de li- vros-pequenos”.-Trata-se de uma colecéo de livros perfeitamente harménicos entre si. Tais livros fo- ram reunidos num s6 volume atra- vés de um longo processo histéri- co divinamente dirigido: a sua canonizacao; isto é, o reverente, Ligdes Biblicas criterioso e formal reconhecimen- to pela Igreja dos escritos. divina- mente inspirados do Antigo e do Novo Testamentos. Esse conjunto de escritos sagrados passou a de- nominar-se canon ou escrituras canénicas, A palavra “Escrituras” é uma das identificagées dadas a Bi- blia Sagrada, Existem ainda outras, tais como: “o Livro” (Ex 17.14; 24.7; Dt 28.58); “a Lei e os Profetas” (Js 1.7,8; Ne 8.3,4,18); “oraculos de Deus” (At 7.38; Rm 3.2; 9.4), etc. Nesta licdo, estudaremos alguns aspectos deste Santo Livro visando fortalecer nossa cren¢a na revelacao e inspiracio da Palavra escrita, 1. A ORIGEM DAS ESCRITURAS Na Segunda Epistola de Paulo a Timoteo 3.16 esta escrito: “toda es- critura é divinamente inspirada...”. Esta declaracao fortalece o fato de que as Escrituras tém sua origem so- brenatural e, portanto, elas so a in- falivel Palavra de Deus. Quando ain- da nao havia Palavra de Deus escri- ta, o Todo-Poderoso revelava-se ver- balmente 4s suas criaturas na terra. 1. A revelagdo divina nas Escrituras. A palavra “revelagao” significa “mostrar, tornar conheci- do”. No latim revelare significa “por para tras o véu para que se veja 0 que esta encoberto”. Segundo o Di-__ cionario Biblico de Thayer, o signi ficado biblico de revelac4o'é “des- cobrir, despir, tornar a verdade co- nhecida”. Ora, “Deus é Espirito” (Jo 4.24), por isso, é imperceptivel aos sentidos fisicos; todavia Ele pode ser conhecido pela revelacao que faz de si mesmo aos homens. As Escritu- ras nos informam sobre trés modos pelos quais Deus tem se revelado as. suas Criaturas terrenas: a) A revelacéo natural manifes- ta na Criac¢ao. £ impossivel negar a existéncia de Deus diante da beleza da Criac&o (SI 19.1-6). Entretanto, quando entrou o pecado no mun- do, o homem desviou-se do Criador e, conseqiientemente, a revelacao natural tornou-se insuficiente. Dai a necessidade de uma revelacao mais objetiva e explicita, a escrita (At 14,17). b) A revelacao escrita. Por esse modo, o Criador revelou seu amor 4 obra-prima da Criacao, o homem; demonstrando-lhe 0 desejo de man- ter comunhao com ele e revelar-lhe sua soberana vontade através da es- crita. Este modo de revelar-se nao anulou a revelacdo natural, mas tor- nou-a ainda mais viva e real, propi- ciando ao homem uma revelagao pessoal, como Deus Todo-Poderoso e suficiente. Para que sua Palavra fosse conhe- cida por todos os homens através da escrita, o Senhor escolheu dois ricos idiomas, 0 hebraico e 0 grego. c) A revelacao pessoal. Deus € um ser Pessoal que se comunica com suas criaturas racionais. O Deus das Escrituras nao é uma for- Ca Ou energia cosmiica, nem tam= pouco, qualquer coisa neutra e im- pessoal. O Deus da Criagao é tinico e singular, tem personalidade, pen- sa, decide, e tem sentimentos. Sua revelacao pessoal ao homem foi fei- ta através do Verbo Divino que se fez carne, Jesus Cristo (Jo 1.1-12). As profecias biblicas anunciavam uma revelacéo pessoal de Deus através de Jesus (Jo 1.18; 5.39). 2. A inspiracdo das Escri- turas. No ponto anterior, estuda- mos a triplice revelacao de Deus aos homens. Porém, nao podemos con- fundir revelacéo com inspiracio. Enquanto a revelacao é 0 ato pelo qual Deus torna-se conhecido pelos homens, a inspiracdo diz respeito ao modo como os homens recebem e transmitem essa revelagao. Na lingua do Novo Testamento, o grego, a pa- lavra inspiracao é theopneustos, que significa “aquilo que é soprado ou inspirado por Deus”. £ com esse sen- tido que Paulo declara que “toda a Escritura é divinamente inspirada” (2 Tm 3.16). Deste modo, entende- mos que o Espirito Santo inspirou cada palavra da Biblia, capacitando Os escritores a registrarem de modo correto e preciso a revelacao divina. 3. A inspiracdo verbal e plendria das Escrituras. Este é 0 verdadeiro conceito de inspi- rac4o das Escrituras. Ele sustenta que todas as palavras da Biblia sto inspiradas por Deus. Quando di- zemos inspiracao verbal é para de- notar cada palavra, e, inspiracdo plenaria, para dar o sentido de completo, inteiro; 0 que contraria ‘o-conceito de inspiragdo-parcial: Na verdade, os escritores bibli- cos escreveram Suas mensagens com palavras de seu proprio vocabulario, porém, inspirados e influenciados pelo Espirito Santo. Ele guiou os es- critores na escolha das palavras de Ligées Biblicas acordo com a personalidade e 0 con- texto cultural de cada um. A despei- to de conter palavras humanas, a Biblia é a Palavra de Deus. HL. AUNERRANGIA DAS ESCRITURAS O conceito de inerrancia das Es- crituras contraria alguns criticos modernos que nao aceitam a infali- bilidade das Escrituras. Tais criticos julgam haver erros nas Escrituras em. razio de encontrarem nelas palavras divinas e humanas. Para nds que cre- mos na inspiracgao plena das Escri- turas estamos convictos de que as dificuldades nela encontradas nao representam erros e, geralmente, so explicadas pelos textos paralelos en- contrados em toda a Biblia. A verdade divina revelada nas Escrituras é apresentada de modo. explicito, certo ¢ transparente. O ensino genuino das Escrituras nao tem discrepancias doutrinarias; é tinico em todo o mundo e adapta- vel a qualquer cultura (Jo 17.17; 1 Rs 17.24; S] 119,142,151; Pv 22.21). 1, A infalibilidade das Es- crituras. As Escrituras sao a infa- livel Palavra de Deus. A sua infali- bilidade tem sido alvo de muita contestacao especialmente entre os chamados “racionalistas” que en- deusam a raz4o humana, sem per- _._.ceberem_que-ela-é falha,-afirmam- que o racionalismo cientifico, com seus métodos de estudo e pesqui- sa, sera capaz de analisar e respon- der todas as indagacées do homem. Porém, séo completamente limita- dos quando analisam coisas espiri- tuais, além da matéria. Ligées Biblicas A ciéncia 6 incapaz de estudar elementos que nao sao pesados ou medidos, como a alma humana. Portanto, 0 poder sobrenatural das Escrituras nao pode ser analisado em laboratério, porque refere-se a algo milagroso e sobrenatural. 2. A autoridade divina e humana das Escrituras. Indis- cutivelmente a Biblia tem dupla autoridade. A autoridade divina é demonstrada pela infalibilidade das Escrituras, uma vez que elas tém origem em Deus e sao a ex- pressdo de sua mente. A humana é reconhecida pelo fato de Deus ter escolhido, pelo menos 40 homens, os quais receberam a sua Palavra ea transmitiram na forma escrita. Ill. A MENSAGEM DAS ESCRITURAS 1. Apresenta Deus como Criador e Senhor de tudo. As Escrituras testificam da existéncia de Deus e tudo 0 que Ele fez, faz e fara. Toda a Criacio esta sujeita a Ele e depende dle. O Eterno converge to- das as coisas para a sua gloria e ale- gria do seu povo. Varios textos con- firmam estes fatos: Gn 1.1; SI 95.6; 104.30; Is 40.26; Ef 3.9; Ap 10.6. 2. Apresenta sem reserva a verdade e a realidade do pecado. Nenhum outro livro no mundo-tem-o poder-de-revelar-o~~ pecado e seu carater maligno como a Biblia. Ela nao filosofa so- bre o pecado, mas trata-o com cla- reza e 0 expée sem qualquer re- serva, como uma divida do ho- mem contraida com Deus (Rm 1.18-32; 3.23; 5.12). _ Subsidies Teal 3. Apresenta o plano de salvacao para o homem. As re- ligides intentam salvar o homem pelos seus préprios méritos; entre- | tanto, a salvacdo sé é possivel atra- vés da solucdo unica apresentada na Biblia. A redencao humana foi planejada no céu pelo Pai, consu- mada na Terra pelo Filho e é ofe- recida pelo Espirito Santo (Tt 3.5). S6 Deus através de sua poderosa Palavra, mediante o sangue remi- dor de seu Filho pode resgatar o homem da perdic¢do eterna (At 4,12; Le 19.10). CONCLUSAG As Escrituras tém produzido resultados praticos indiscutiveis; tém influenciado beneficamente civilizacées, transformado vidas e trazido luz, inspiracao e con- forto a milhées de pessoas. Ne- las podemos confiar a orientacao integral de nossa vida, e delas podemos extrair os fundamentos do bem-estar e liberdade huma- na. O Senhor as estabeleceu como regra, bussola, alimento e fonte de béncdos para a vida do crente. Ree ea yy Conceito: rac&o das Escrituras, entre si sobre a questao da inspi- racao da Biblia. Apresentaremos apenas quatro para que sejam comparados com aquele que cre- mos e confessamos, ou a) O ditado verbal. Esse concei- to ensina que cada palavra, até mesmo a pontuacio, foi ditada por Deus, do mesmo modo que um executivo dita uma carta a um se- cretario. O problema desse concei- to é que despersonaliza os escri- tores biblicos e os trata como se fossem apenas “marionetes” nas miaos de Deus. A verdade 6 que Deus respei- tou a cultura e a personalidade de cada escritor biblico, permitindo que os estilos pessoais prevaleces- sem nos seus escritos. Deus fez fluir sua verdade na mente dos es- critores, de modo que, cada pala- vra @ pensamento foram inspira- dos por seu Santo Espirito. b) A inspiragéo das idéias. Os adeptos dessa teoria ensinam que Deus inspirou apenas as idéias con- tidas nas Escrituras, nao as pala- vras. Mas no é isto que diz a Pala- vra de Deus. Confira nos seguintes textos: 1 Co 2.13; Hb 1.1; Ap 22.19. ¢) A inspiracao parcial. Esta te- oria é também conhecida como inspiracao liberal, porque a essén- cia dessa idéia é a declaracdo de que “a Biblia contém a Palavra de Deus”. Por essa declaracao os te6- logos liberais entendem que a ins- piracao da Biblia é parcial, porque, Pp: 3 vras de Deus”. Se assim fosse, a Biblia seria um entre tantos outros livros religiosos. d) A Biblia se converte na Pa- favra de Deus. Esse conceito rou- ba o poder permanente da Biblia Ligdes Biblicas como a Palavra de Deus, uma vez que ela, dependendo da necessi- dade humana, se converteria na Palavra de Deus. Os adeptos des- sa idéia ensinam que na Biblia existem muitos erros humanos e imperfeicées e, por esta razao, so- mente num momento especifico de necessidade, ela se torna de fato a Palavra de Deus para o crente, Ty Etimologicamente: De acor- do com a origem da palavra, Anulou: Reduziu a nada; in- validou, destruiu, eliminou. Canonizac4o: Processo que levou ao reconhecimento dos li- yros que compéem a Biblia como realmente inspirados por Deus. Civilizac6es: Tipos de cultu- ras com Caracteristicas proprias da vida social, politica, econdmi- ca de um pais ou de uma regiao. Césmica: Pertencente ou rela- tivo ao cosmo, ao Universo, Harménico: Que tem harmo- nia; propor¢ao, coeréncia. Mérito: Merecimento. Obra-prima: Obra conside- rada perfeita. Or4culos: Mensagens divinas. Racional: Que usa da razao; que raciocina. Pty TC 1. Cite os trés modos pelos quais Deus tem se revelado as suas criaturas. R. Revelacao natural manifesta na criagéo; revelagdo escrita e revelacao pessoal. 2. Qual a diferenca entre revelacao e inspiracgaéo da Escrituras? R. Enquanto a revelacao é 0 ato pelo qual Deus torna-se conhecido pelos homens, a inspiracéo diz respeito ao modo como os homens recebem e transmitem essa revelacao. 3. O que significa “inspiracdo verbal e plenaria das Escrituras”? R. Todas as palavras da Biblia s4o inspiradas por Deus. ———|--4. Quais os dois lados da autoridade das Escrituras? 7 8. O divino e o humano. 5. Qual o significado etimolégico do vocabulo “biblia”? R. “Colegaéo de livros pequenos”. Licdes Biblicas ~ Ligao 2 0 DEUS QUE CONTECENOS EGA LA ees “Ouve, Israel, o SENHOR, nosso Deus, é o Unico SENHOR” (Dt 6.4). VERDADE PRATICA -. Deus se revela a nds a fim de que o glorifiquemos e cumpramos a sua vontade. LEITURA BiBLICA-EM CLASSE ATOS 17.22-29 22 - E, estando Paulo n0 meio do Areépago, disse: Vardes atenienses, em tudo vos vejo um tanto supersti- ciosos; 23 - Porque, passando eu e vendo os ‘vossos santuarios, achei também um altar em que estava escrito: AO DEUS DESCONHECIDO. Esse, pois, que vés Terga - Is 40.28-31 Um Deus que ndo se cansa Quarta - Jo 4.23-24 Um Deus que se revela Sexta - Tg 1.16-18 Um Deus imutével Sabado - Ap 4.11 Um Deus digno de gloria 10 Ligées Biblicas ~~“téncia de Deus. Os crentes e até me: honrais nao 0 conhecendo € 0 que eu vos anuncio, 24-0 Deus que fez 0 mundo e tudo que nele ha, sendo Senhor docéue da terra, nao habita em templos feitos por mos de homens. 25 - Nem tampouco é servido por mos de homens, como que necessi- tando de alguma coisa; pois ele mes- mo é quem da todos a vida, a respi- tacdo e todas as coisas; 26-ede umsé fez toda a geracao dos homens para habitar sobre todaa face da terta, determinando os tempos ja dantes ordenados e os limites da sua habitagio, 27-pataque buscassemao Senhor, se, porventura, tateando, o pudessem achar, ainda que nao esta longe de cada um de nds; 28- porque nele vivemos, e nos move- mos, e€ existimos, como também al- guns dos vossos poetas disseram: Pois somos também sua geracao. 29-Sendo nés, pois, geracéo de Deus, nao havemos de cuidar que a divinda- de seja semelhante ao ouro, ou a prata, ou a pedra esculpida por artifi- cio e imaginacio dos homens. PONTO DE CO) y O sentimento religioso é um dos mais insofismaveis indicios da exis- mo os ateus, ¢ livres pensadores nao podem sufocar o ardente anseio de contemplar 0 invisivel e compreen- der o infinito. O ser humano é natu- ralmente religioso, pois vive a pro- do restabelecer 0 elo perdido. Mes- mo de modo inconsciente, deseja re- atar a comunhao com o seu Criador. Anelando pelo Pai celestial sem sa- ber como encontra-Lo, o homem é capaz de envolver-se com todo tipo de idolatria. Como 0s atenienses, hoje milhées. vivem a procurar novidades. Andam de um lado para o outro, sem nada encontrar. No entanto, se abragarem a Cristo descobrirao que é nEle que nos realizamos plenamente. OBJETIVOS No término desta aula seu aluno devera estar apto a: Relacionar os principais atribu- tos de Deus. Reconhecer que Deus existe por si mesmo, sem depender de outro ser, pois é a fonte e sustentaculo da vida. Destacar “os motivos para crer em Deus” mencionados na licao. O povo de Atenas era excessi- vamente religioso: “em tudo os vejo um tanto supersticiosos” (v.22). Paulo defrontou-se com a forte ido- latria politeista daquele povo. A re- ligiosidade dos atenienses manifes- tava-se na crenca em muitos deu- 7 ‘sentados pelas mais va adas imagens de escultura. Na verdade, esse sentimento de religiosidade sempre esteve intrin- secamente atrelado a natureza hu- mana. A adoracaéo como atividade cura de Deus. Esta sempre procuran- Ligdes Biblicas religiosa, independente de sua for- 11 ma e objeto de culto, é antiga e uni- versal. Deus criou 0 homem a sua imagem e semelhanca, porém, in- felizmente, essa imagem foi desfi gurada mediante a queda no peca- do. Desde entao, o ser humano vem forjando seus deuses a sua propria imagem, a fim de satisfazer sua ne- cessidade interior de lidar com 0 mundo espiritual. O homem care- ce conhecer o verdadeiro Deus. Oy We UR Ly wy CH) Pega a seus alunos para lerem novamente 0 v.24 do texto em es- tudo, que diz: “O Deus que fez 0 mundo e tudo que nele ha, sendo Senhor do céu e da terra, nao ha- bita em templos feitos por m4os de homens.” Apos a leitura proponha a seguinte atividade: 1) Primeiro faca a seguinte ex- posicao: Como surgiu 0 Universo? Quem © estabeleceu? Existem trés teorias acerca da existéncia do Universo: (1) 0 Uni- verso existe eternamente; (2) 0 Uni- verso surgiu do nada; (3) o Univer- so foi criado por Deus. AS teorias (1) e (2) sao inacei- taveis biblicamente por descredita- rem a pessoa de Deus como cria- dor e mantenedor do Universo, So- mente a terceira corresponde a ve ve dade biblica. O Universo foi criado por Deus, O Magnanimo Criador fé- Jo surgir do absoluto nada. S6 0 Se- nhor 6 eterno e auto-existente. Uma vez que Deus é 0 Criador de todas as coisas; Senhor dos céus 12 e da terra, podemos, sem duivida, reconhecer a sua soberania sobre toda a complexidade do Universo. 2) Peca a seus alunos que en- contrem referéncias biblicas que qualifiquem o Senhor como Cria- dor do Universo. INTRODUGAG Desde que nossos primeiros pais, Addo e Eva, pecaram, os ho- mens estao perplexos com a propria incapacidade de conhecer a Deus e desfrutar de sua intimidade. Antes da queda o homem tinha plena co- munhao com o Criador. Entretan- to, com a entrada do pecado no mundo, ele foi destituido imediata- mente da presenca de Deus. O pe- cado estabeleceu uma “parede” de separacdo entre Deus e a obra-pri- ma de sua Criacao, o homem. i. O “DEUS” QUE 0 MUNDO DESCONHECE 1, Um mundo religioso, que nao conhecia o verdadeiro e nico Deus (v.22), Paulo quan- do chegou a Atenas, ficou chocado ante a volumosa idolatria e a quan- tidade de santuarios feitos de refi- nados marmores dedicados aos mais variados tipos de deuses (At 17.16). ‘O Aredpago localizava-se entre mercado e a Acr6pole, possivelmen- te na colina de Marte em Atenas. Ali as pessoas, constantemente atras de novidades, costumavam discutir re- ligiao e filosofia. Nao foi diferente naquele dia singular. Ligbes Biblicas Paulo, apés observar a dedicacgao daquele povo a idolatria, pés-se a fa- lar de Jesus e de sua ressurreigao. Quando ouviram aquele diferente discurso, os inquietos e argutos fil6- sofos, epicureus e estdicos, resolve- ram inquirir 0 apdstolo a respeito daquela incisiva e estranha doutri- na. Na verdade, tanto os habitantes quanto os visitantes de Atenas, eram. incansdveis na busca de novas idéi- as e conhecimentos. 2. Um Deus também desco- nhecido em nossos dias (v.23). Como nos tempos do apéstolo Pau- lo, hoje nos defrontamos com a mes- ma ignorancia espiritual. O mundo moderno esta repleto de religides, seitas, e filosofias. Entretanto, a me- dida que o conhecimento humano se multiplica, nos mais variados ra- mos da ciéncia, mais o homem se afasta de Deus, nutrindo o pensa- mento de poder viver independen- te dEle. £ esta inclinagao para 0 pe- cado que mantém o homem afasta- do de seu Criador. A natureza pecaminosa enraiza- da no ser humano manifesta-se em inimizade contra Deus: “Porquanto a inclinacdo da carne é inimizade contra Deus” (Rm 8.7). O Todo-Po- deroso, através de seu Filho, mani- festou-se a0 mundo em carne para condenar as obras da carne e recon- ——ciJiar-a-humanidade-consigo mesmo (Rm 5.10). Ht, MOTIVGS PARA CRER EM DEUS Aproveitando sutilmente 0 ense- jo daquele momento, Paulo desafia os atenienses a conhecerem ao “Deus, Ligdes Biblicas desconhecido” que de antemdo, mesmo na ignorancia, o honravam (vv.23,24), Naquele. categérico di: curso, 0 apdstolo exaltou as princi- pais carateristicas do Criador. Mediante essas carateristicas, encontramos provas que motivam ainda mais a nossa cren¢a em Deus. 1. A realidade da aseidade de Deus. 0 termo aseidade refere- se ao atributo de Deus concernente asua autoexisténcia, O apdstolo Pau- lo no Areépago apresentou o Senhor como um Ser transcendente, isto é, “que nao habita em templos feitos pelas maos de homens” (v.24). Os atenienses imaginavam que os deuses dos muitos templos existen- tes nas proximidades do Aredpago, habitavam naqueles locais represen- tados pelas muitas estatuas e ima- gens; mas Paulo deciarou que o Deus verdadeiro nao pode ser mensurado pelos homens. Ele é Deus do céu e da terra, portanto, o Criador de tudo. Ele nao é simplesmente uma idéia, energia ou qualquer coisa abstrata. O autor da Epistola aos Hebreus escreveu que “aquele que se aproxi- ma de Deus creia que Ele existe” (Hb 11.6). Portanto, Deus é um Ser per- feito e pessoal que tem uma existén- cia real. 2. A prova do designio de todas as coisas motivos para crermos na existéncia de Deus é 0 fato de que todas as coi- sas existentes tém uma razao de ser, uma finalidade. Tudo tem um desig- nio certo, o que evidencia a existén- cia de um plano e propésito no Uni- verso. Todas as coisas existentes no 13 viadas.Umdos__ a Smee a RT OAC GRE. 97 bce Beas oka 8 He SPEC Podonies Moser) Ta & eyo SH Loko Universo foram por Deus criados com um proposito prévio conforme o designio divino (v.24; Sl 19.1). O estabelecimento do mundo e a nos- $a Criacdo estavam previamente nos designios eternos do Pai. Hi. ATRIBUTOS DE DEUS Os atributos de Deus nao equi- valem simplesmente as meras atri- buicdes humanas, mas s4o revela- ¢ées que o proprio Senhor faz de si mesmo. Sao caracteristicas ou qualidades que o tornam indepen- dente e distinto de sua Criacao. Es- sas caracteristicas descrevem sua natureza e carater divinos. Atra- vés delas podemos compreender melhor a pessoa de Deus; como Ele existe e atua entre os homens. 1. Deus é Espirito. Deus nao esta limitado ou confinado a algum elemento fisico, ou seja, Ele nao tem, como nés, um corpo materi- al. Deus, sendo espirito, é imortal, invisivel e eterno (Jo 4.24). O apés- tolo Paulo assim assevera: Deus “nao habita em templos feitos por maos humanas” (v.24), isto signi- fica que é impossivel vé-lo ou toca- lo. Por ser Espirito, Ele é atemporal e imparcial; o tempo nao o limita nem 0 espaco, porque Ele pode es- tar em todo o lugar ao mesmo tem- po (Mt 18.20; 28.20). ——_2,-Deus-é-transcendente,_ A Biblia declara que “o Deus que fez o mundo e tudo 0 que nele ha” é “Senhor do céu e da terra” (v.24), Ora, se Ele é Senhor do céu e da terra significa que esta acima de todas as coisas criadas e que nada o restringe 4 matéria. 14 O profeta Isaias, em sua visao, contemplou o Senhor “assentado so- bre um alto e sublime trono” (Is 6.1), revelando neste episédio sua trans- cendéncia. Apesar de os homens po- derem participar limitadamente de alguns dos atributos divinos, as qua- lidades de Deus estao acima e além da dos seres humanos. Deus é infi- nitamente superior as suas criaturas. Davi também registrou em seus sal- mos a transcendéncia de Deus sobre sua obra (SI 8.1,3,4). O fato de Deus ser transcenden- te nao significa que se isolou nos céus e esté completamente distante de suas criaturas, como ensinam al- gumas crencas. A transcendéncia divina nao tem a ver com distancia, e sim, com expansao, porque 0 Altissimo esta presente em todos os lugares. Ele existe, ao mesmo tempo “além” do mundo e “no” mundo. 3. Deus é imanente. Paulo fez aseguinte declara¢ao aos atenienses: “Deus... de um s6 sangue fez toda a geracao dos homens” (v.26). A ima- néncia de Deus revela-se na relacao dEle com sua obra-prima, 0 homem. De um 86 individuo, Addo, procede toda a humanidade. O apéstolo Pau- lo ainda enfatizou que Deus “deter- minou 0s tempos e os limites da ha- bitacéo dos homens sobre a face da _terra” (v.26). Ou seja, com a multi- plicac: € mens seriam espalhados em toda a terra. Esse texto refere-se a presen- ca imanente de Deus nos destinos da humanidade, e demonstra também sua presciéncia no estabelecimento dos eventos da vida humana. Ligées Biblicas