P. 1
SITE - Tipos de competências

SITE - Tipos de competências

|Views: 8.236|Likes:
Publicado porDiogo Costa
ERA DO CONHECIMENTO OU ERA DA COMPETÊNCIA?
MARCELO ANTÔNIO AGUILLAR ENGENHEIRO,DOUTORANDO EM EDUCAÇÃ E DIRETOR DA QUALIWARE SOLUÇÕES ORGANIZACIONAIS. O discurso é único: PRECISAMOS DE EDUCAÇÃO; e, pelo receituário do professor Carl dahlman, do Banco Mundial, o Brasil precisa de dois “remédios” urgentes, que são: 1 – uma revolução PELA educação; 2 – uma revolução NA educação; A maior falácia, no entanto, é acreditar que a educação é a mera aquisição do conhecimento e que esta é a solução para tod
ERA DO CONHECIMENTO OU ERA DA COMPETÊNCIA?
MARCELO ANTÔNIO AGUILLAR ENGENHEIRO,DOUTORANDO EM EDUCAÇÃ E DIRETOR DA QUALIWARE SOLUÇÕES ORGANIZACIONAIS. O discurso é único: PRECISAMOS DE EDUCAÇÃO; e, pelo receituário do professor Carl dahlman, do Banco Mundial, o Brasil precisa de dois “remédios” urgentes, que são: 1 – uma revolução PELA educação; 2 – uma revolução NA educação; A maior falácia, no entanto, é acreditar que a educação é a mera aquisição do conhecimento e que esta é a solução para tod

More info:

Published by: Diogo Costa on Mar 01, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/11/2013

pdf

text

original

ERA DO CONHECIMENTO OU ERA DA COMPETÊNCIA?

MARCELO ANTÔNIO AGUILLAR ENGENHEIRO,DOUTORANDO EM EDUCAÇÃ E DIRETOR DA QUALIWARE SOLUÇÕES ORGANIZACIONAIS. O discurso é único: PRECISAMOS DE EDUCAÇÃO; e, pelo receituário do professor Carl dahlman, do Banco Mundial, o Brasil precisa de dois “remédios” urgentes, que são: 1 – uma revolução PELA educação; 2 – uma revolução NA educação; A maior falácia, no entanto, é acreditar que a educação é a mera aquisição do conhecimento e que esta é a solução para todos os problemas. Isto é muito cartesiano e induz a erro grosseiro. Conhecimento é nada, ou quase nada, se não soubermos usá – lo adequadamente, apropriadamente e corretamente nas mais variadas situações da vida pessoal e profissional. Isto é competência. (...) A UNESCO nos dá dicas de algumas dicas de algumas competências e conhecimentos desejados quando seus especialistas nos definem as 8 características do trabalhador do século xxI: 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. SER FLEXÍVEL E NÃO ESPECIALISTA DEMAIS; TER MAIS CRIATIVIDADE DO QUE INFORMAÇÃO; ESTUDAR DURANTE TODA A VIDA; ADQUIRIR HABILIDADES SOCIAIS E CAPACIDADES DE EXPRESSÃO; ASSUMIR RESPONSABILIDADES; SER EMPREENDETOR; ENTENDER AS DIFERENÇAS CULTURAIS; ADQUIRIR INTIMIDADE COM AS NOVAS TECNOLOGIAS.

COMPETÊNCIAS TÉCNICAS
• De domínio apenas de determinados especialistas. Exemplo: • 1 – ter expertise em diagramação de textos = competências específicas de diagramador de livros, jornais e revistas.

2 – Saber como dirigir carretas conforme o tipo de carga = competência específica de motoristas de transporte de cargas.

COMPETÊNCIAS INTELECTUAIS

Competências relacionadas com aplicação de aptidões mentais. Exemplos: 1 – Ter presença de espírito = ter capacidade de percepção e discernimento das situações.

• • • • • •

COMPETÊNCIAS COGNITIVAS: Competência que é um misto de capacidade intelectual com domínio de conhecimento. Exemplos: 1 – Saber lidar com conceitos e teorias; 2 - Saber fazer generalizações; 3 – saber aplicar terminologias 4 – elaborar classificações.

COMPETÊNCIAS RELACIONAIS:
Competências que envolvem habilidades práticas de relações e interações. Exemplos 1 – saber relacionar – se em diversos níveis; 2 – saber fazer – se representar em situações especiais; 3 – saber interagir com diferentes áreas.

• COMPETÊNCIAS SOCIAIS E POLÍTICAS

Competências que envolvem ao mesmo tempo relações e participações na atuação em sociedade. Exemplos: • 1 – Saber manter relações e convivências com pessoas, grupos, associações; • 2 – saber exercer influência em grupos sociais para objetivos de interesse de associações, comunidades, regiões.

COMPETÊNCIAS DIDÁTICO – PEDAGÓGICAS.

• Competências voltadas para educação e ensino. Exemplos:
• •

1 – saber ensinar e treinar obtendo resultados de aprendizagem.

2 – saber tornar interessante e criativa as apresentações de forma organizada; • 3 – saber planejar aulas de acordo com preceitos pedagógicos.

Em resumo: a competência só pode ser constituída na prática. Não é só o saber, mas o saber fazer. Aprende – se fazendo, numa situação que requeira esse saber determinado. Esse princípio é crucial pra a educação. Se quisermos desenvolver competências em nossos educandos, teremos que ir além do ensino de conceitos abstratos e fora do contexto. É preciso que eles aprendam para que serve o conhecimento, quando e como aplicá – lo.

ISSO É COMPETÊNCIA!

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->