Você está na página 1de 31
(Oeil do Regiero civ ae See! agree (s =) ASSOCIACAO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA fucose 1953 | Utlcioce Pucca Municipal. Extadual a Fada | Enid Fankpic nsita no CNAS desde 2/04/1963 SP Diy, "ATA DE REUNIAO - ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINARIA Data: 04/10/2013 — 08h00min ~ Anfiteatro do 15° andar do Hospital Sao Paulo Aos quatro dias do més de outubro de dois mil e treze, as oito horas ¢ trinta minutos, em segunda chamada, nesta cidade de Sao Paulo, a Rua Napoleao de barros, 715 no Anfiteatro do 15° andar do Hospital Sao Paulo, reuniram-se os senhores associados da SPDM — Associagio Paulista para o Desenvolvimento da Medicina, regularmente convocados, sob a Presidéncia do Prof. Dr. Ronaldo Ramos Laranjeira. Justificadas as auséncias dos seguintes associados: Prof. Dr. Lidya Massako e Prof. Dr’. Emilia Inoue Sato. Presentes os convidados Drs. Carlos Alberto Garcia Oliva; José Roberto Ferraro; Mario Silva Monteiro, Nacime Salomdo Mansur e Anderson Viar Ferraresi. Apés a realizagio da primeira convocago sem 0 atingimento do quérum necessério, aguardou-se por trinta minutos quando entélo foram iniciados os trabalhos de acordo com 0 disposto no inciso II do pardgrafo 3°, do artigo 18, do Estatuto Social vigente. O senhor Presidente, com a palavra, agradeceu a presenga de todos ¢ deu inicio A sesso Iendo e seguindo a ordem do dia: 1) Leitura e aprovagio da Ata da Assembleia Geral anterior de 23/07/2013; O senhor Presidente fez a leitura da ata de 23/07/2013, ¢ que foi aprovada por unanimidade; 2) Andlise e aprovagio de alteragio de dispostos do estatuto Social dentre elas: Artigo 4° - A SPDM tem como objetivos: ii) desenvolver e prestar atividades de atendimento e promogio dos direitos das pessoas com deficiéneia; O senhor Presidente passou ao segundo item da ordem do dia e explanou sobre a necessidade de inclusiio no artigo 4° do Estatuto Social devido a adequagdes ¢ especificagdes necessirias ¢ exigidas pelas Leis de Organizagao Social do Estado ¢ Municipio de Sao Paulo. o Senhor Ivaldo Rocha questionou se nao seria mais adequado constar no texto a incluso de pessoas com necessidades especiais e Dr. Ferraresi informou que a proposta apresentada é 0 texto literal das Leis. Dr. Ronaldo sugeriu, entdo, que fosse feita complementagdo do texto legal para incluir ao final da frase “ou com necessidades especiais”. Submetida votag4o restou aprovado por unanimidade 0 seguinte texto: II ~ desenvolver e prestar atividades de atendimento © promogio dos direitos das pessoas com deficiéncia ou com necessidades especiais; Segundo item da pauta: ii) Modificagio Estatuto Social; - Modificacao da redagio do artigo 26, para que as reunides ordinérias do Conselho Administrative passem a ser realizadas mensalmente; Dr. Ronaldo falou sobre as reuniges do Conselho Administrative e que propde que seja modificada a petiodicidade minima para a realizagio das reunides ordinérias, pasando de quinzenais para mensais, sem interferir na possibilidade da convocagao da reuniao do inistrativo em reunides Extraordindrias tantas vezes quanto for necessitia, passando a leitura do texto proposto: “Artigo 26 - O Conselho ORGULHO DE SER SUS Prot Or, Roncide Ramos Laranjers Prof Dr Catlos Atberto Gares (04037.003 S00 Pavia. SP “ce Pestonte sSoor oP DI, ASSOCIACAO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA. Furdosa em 1958 | Utidode Pbieo Mancina. Eladuole Fadel | Enidade Flanképica ica no CNAS desde 26/06/1963, Administrativo se reuniré, ordinariamente, uma vez por més e, extraordinariamente, sempre que se fizer necessatio, mediante simples solicitagao de seu Presidente ou 3 (trés) de seus membros ¢ com antecedéncia minima de 24 (vinte e quatro) horas, por fax ou e-mail. Os trabalhos e deliberagdes serdo lavrados em atas e registrados em sistema proprio”. Colocada em votagao, a proposta foi aprovada por unanimidade. Em continuidade, passou-se a proposta de alteragdo da redagio do parégrafo primeiro do artigo 33 do Estatuto para que possa contemplar as exigéncias das Leis Estaduais e Municipais de S4o Paulo e Rio de Janeiro, propondo o seguinte texto: Paragrafo Primeiro - Os conselheiros eleitos para compor o Conselho Deliberativo de Gestdes Delegadas nao poderao ser c6njuge, companheiro ou parentes, consanguineos ou afins, em linha reta ou colateral, até o terceiro grau, do Prefeito, Vice-Prefeito, Governador, Vice-Governador, Secretérios Municipais ou de Estado, Vereadores ou Dirigentes, detentores de cargo comissionado ou fungao gratificada, da Administragao Publica direta ow indireta do 6rgdo contratante”. Submetida & votagio, restou aprovada por unanimidade, Passou-se A deliberago quanto & inclustio do pardgrafo quinto do artigo 35 para atendimento as exigéncias das Leis Estaduais Municipais de Sao Paulo e Rio de Janeiro, com a seguinte redagaio: Paragrafo Quinto - Os conselheiros eleitos ou indicados para integrar a Diretoria da entidade devem renunciar ao assumirem as correspondentes fungdes executivas. Submetida A votagdo, restou aprovada por unanimidade, Passou-se ao proximo item de pauta, referente alteragao do termo “em consonancia com” previsto no inciso VI (que sera renumerado em razao da inclusdo do inciso IT supramencionado) do artigo 4° do Estatuto, objetivando tornar a redagiio mais clara e objetiva, sendo proposto: Art. 4° ...VII — promover e manter 0 ensino e a pesquisa nas areas das ciéncias da satide, apoiando a investigagaio cientifica, contribuindo para a qualificagao profissional, bem como desenvolver atividades de ensino na drea de assisténcia a satide, tecnologias em saiide e gestio de organizagdes ¢ sistemas de saiide, nos niveis de ensino médio, graduagdio e pés-graduagdo “lato e stticto sensu”, podendo contar com o apoio das Escolas Paulistas de Medicina ¢ Enfermagem da Universidade Federal de S40 Paulo (UNIFESP), ouvida a Assembleia Geral. Apés deliberagdes ¢ esclarecimentos, foi proposto alterar a expresso “podendo contar com 0 apoio” para “de acordo com os prineipios”. Colocada em votagio, restou aprovada por unanimidade 0 seguinte texto: Art. 4° ...VII — promover e manter 0 ensino ¢ a pesquisa nas areas das ciéncias da satide, apoiando a investigagao cientifica, contribuindo para a qualificagao profissional, bem como desenvolver atividades de ensino na dea de assisténcia & satide, tecnologias em saiide e gestio de organizagdes ¢ sistemas de saiide, nos niveis de ensino médio, graduagaio e pés-graduagao “lato e stticto sensu”, de_acordo com os principios das Escolas Paulistas de Medicina ¢ Enfermagem da Universidade Federal de Sa0 Paulo (UNIFESP), ouvida a Assembleia Geral. Em continuidade, Dr. Ronaldo passou ao préximo item da pauta iii) CCONSELHO ADMuNSTRATIVE surenntenoentes ORGULHO DE SER SUS Prot 0 Renee Ramos Lrante Pro. Coos Abero Gord one a D1 Dioge de Foie, 1036. Vie Cmentina Pol D1 Corpor de Jw Lopes ino ot Or ov Rott ene (04097003. $80 Paula SP Vee Pesgonte ort Soo Pox Freidianclagepam.org br Prt re tote kr de Costing A Pogoa de Rlenct leg Side ‘ww spamergtr Pot Br: Ns Fk Mex olor Nocine Slama ian iE) Png a7 ey ASSOCIACAO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA ME. Funda em 1938 | Uidede PUblica Municipal Esladvale Federal | Enidode lonképica incite no CNAS dese 24/06/1963 Composigiio e atribuigées do Conselho Gestor do Hospital Sio Paulo. Sr. Presidente passou a palavra ao Dr. Carlos Alberto Garcia que fez. breve apresentagio sobre a situagdo financeira do Hospital So Paulo e dos recursos ¢ verbas que 0 Hospital Sdo Paulo recebe ¢ sobre como & feito e por quem so gerenciados estes recursos, explanou também sobre a verba REHUF e o impacto causado, demonstrando 0 valor executado em 2012/2013 ¢ as receitas e despesas liquidadas do Hospital Sto Paulo, Falou também sobre a metodologia usada para calcular o orgamento para 2013 do Hospital Sao Paulo e finalizou falando sobre o acumulado de déficit até o primeiro semestre de 2013. Dr. Ronaldo agradeceu a apresentagiio e os esclarecimentos e falou sobre o acordo de cooperagao existente entre a UNIFESP e a SPDM e que lé, assim como no Estatuto Social, esté prevista a composig4o atual do Conselho Gestor, atualmente com a seguinte composi¢ao: 2 membros do “Campus Sao Paulo indicados pelo CONSU e o Diretor do “Campus” So Paulo totalizando 3 membros da UNIFESP e 3 membros da SPDM indicados pelo Conselho Administrativo da SPDM - Associagtio Paulista para o Desenvolvimento da Medicina, sendo o Presidente escolhido pelo Reitor da UNIFESP de uma lista triplice elaborada pela Assembleia Geral da SPDM - Associagiio Paulista para o Desenvolvimento da Medicina. Falou sobre a existéncia de proposta de mudanga dessa composigao formulada pela UNIFESP, com aprovagio pelo CONSU, para constar: 2 membros do “Campus” So Paulo, indicados pelo CONSU, 1 Diretor do “Campus” Sao Paulo, 1 Diretor da Escola Paulista de Medicina, 1 Diretor da Escola Paulista de Enfermagem, 1 membro da Congregagao da Escola Paulista de Medicina ¢ 1 membro da Congregagio da Escola Paulista de Enfermagem totalizando 07 membros da UNIFESP, permanecendo a indicago da SPDM de 03 membros indicados pela Assembleia Geral, sendo o Presidente eleito pelo Reitor dentre os membros do proprio Conselho e aprovado pelo CONSU, com a substituig&o imediata do membro eleito presidente por outro da mesma origem, lembrando que a proposta no acompanha a paridade anteriormente estabelecida. Dr. Ronaldo ressaltou que a aprovagiio ou mudanga da composigao do Conselho Gestor implicard na necessaria mudanga no Estatuto Social da SPDM - Associagao Paulista para 0 Desenvolvimento da Medicina e também no acordo de cooperaciio, historiando e lembrando os objetivos do acordo quando de sua criagio e a importancia da paridade 4 época. Ressaltou a importancia de reunides prévias para a definigao da composi¢ao do Conselho Gestor a forma de indicagao de seu presidente. Dr. Clovis questionou sobre a participagao do Presidente do Conselho Gestor e se este tera direito a voto, sendo informado que o texto proposto pela UNIFESP nio veda voto a0 Presidente, 0 que se conclui que o Presidente ter sim direito a voto, O Sr. José Ivaldo Rocha, com a palavra, falou sobre a quebra da paridade constante na proposta da UNIFESP e ressaltou a importincia de uma definigo quanto a escolha do Presidente do Conselho Gestor, questao esta que foi bem polemizada no CONSU. Di CCONSELHO ADMUNITRATIVO surgeaenentes ORGULHO DE SER SUS Prof. Dr Ronaldo Roms Loroneira Prot. Coos Alberto Ger Rua De Bago de Fora. 1036. Vita Clementine Pol Or Gospor de teu topes ine Phot Jor Roberto Ferre 04037'603 $20 Paulo SP VieePeseente Hosea! Soa Pave eam Prolab ect Anca Ge Coshno Pas rogram de Aloncoo ntogo Saude Semspamono Prot Dra HesmcceFane Max —iajece earisiares ‘CREMESP | cae SRE| ASSOCIAGAO PAULISTA PARA O DA MEDICINA Fundado em 1933 | Uiklade Pica Municipal Esloduat a Feder | Entsade Flantépica inscrta no CNAS dete 26/06/1962 oP Diy, Pessoa J Rubens com a palavra endossou a proposta do Dr. Ronaldo ¢ alertou que a Assembleia deveria se ater a coisas maiores a serem discutidas do que propriamente a paridade, pois todos os membros do Conselho fazem parte tanto da EPM/EPE como da SPDM - Associagio Paulista para o Desenvolvimento da Medicina, propondo como melhor solugdo a realizagdo de reunides das liderangas com a Reitoria para a definig&io quanto a escolha do Presidente do Conselho Gestor. Dr. Ronaldo ponderou que primeiro deveria ser votada a forma de indicagdo dos membros da SPDM - Associagiio Paulista para 0 Desenvolvimento da Medicina para comporem o Conselho Gestor, se pela Assembleia ou se pelo Conselho Administrativo e colocada em votagaio, permaneceu por unanimidade que a escolha dos membros cabe a0 Conselho Administrative da SPDM - Associagdo Paulista para o Desenvolvimento da Medicina. Dr. Flavio Faloppa, com a palavra, falou sobre a proposta feita pela EPM e EPE onde ambas propéem que a escolha do Presidente seja feita através de lista triplice escolhida pelos proprios membros do Conselho Gestor. Dra, Rosana lembra que a proposta foi aprovada por unanimidade na Congregagao da EPM. Dr. Antonio Carlos com a palavra se posicionou contrario e preocupado com a nova proposta feita pela UNIFESP em relagdo a escolha do Presidente do Conselho Gestor e que o ideal & que os préprios membros do Conselho escolham seu Presidente, destacando que a SPDM deve defender sua posigao nessa relagio. Dr. Flavio Faloppa endossou a palavra de Dr. Antonio Carlos Lopes ¢ informou que sugeriu a Reitora a indicago de um Vice- presidente para 0 Conselho Gestor para que este assuma as fungdes do Presidente em sua auséncia, mas esta sugestdo no foi contemplada na proposta da UNIFESP, motivo pelo qual gostaria de reforgar seu posicionamento diante da importincia do cargo. Dr. Antonio Carlos lembrou que é direito da SPDM se posicionar quanto a escolha do Presidente e nao se submeter a essa proposta. Dr. Medina concordou e informou que essa conversa deve ser retomada, pois a escolha do Presidente deve ser bem definida e estruturada, Dr. Angelo Amato Vincenzo de Paola reforgou a necessidade de ampla discussdo sobre esse tema, pois se trata do futuro da instituigao e & necessério um acordo para que nao haja conflitos e para que as atividades do Hospital nao seja colocado em risco. Dr. Rubens apoiou a palavra do Dr. Anténio Carlos ¢ defendeu a proposta de que 0 Diretor da Escola Paulista de Medicina deve ser 0 Presidente do Conselho Gestor e atentou para a importincia do didlogo. O Sr. Ivaldo Rocha endossou as palavras de Dr. Anténio Carlos ¢ defende que a SPDM niio deve se submeter e nem se subordinar as decisdes de escolha da UNIFESP. Dr. Reinaldo Salomao ressaltou a importdncia de haver um consenso e uma descentralizago quanto 4 escolha do novo Presidente do Conselho Gestor, pois este deve ser da confianga de ambas as partes ¢ 0 Presidente eleito deve ter o aval de todas as partes para presidir Conselho. Dra. Rosana falou sobre a proposta apresentada pela UNIFESP e que a SPDM deve se posicionar e questionar a escolha, pois a proposta deve ter sustentagao ORGULHO DE SER SUS Prof. Or Ronaldo Ramos Laranjoira Prof. Or, Carlos Alberto Garcih Or 00% ogo co ax, 186.0 Cementno tot Gaspar de ous tov tno to. 08 Roto ten eT as fe ba Bote Coho Fi tne ee eg oie ‘rormapen org {CREMESP’ Ez Ske Pessoa warty oe 404878 ASSOCIAGAO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA , Fundode em 1993 | Ulidade Pibica Municipal Etedvole Fecea | Eiidade Rlanképica seta no CNAS desde 26/6/1943, de ambas as instituigdes e que a EPM e sua Congregagio devem ser ouvidas ¢ a proposta feita pela EPM deve ser defendida. Dr. Del Grande se mostrou contréio & proposta da UNIFESP e lembrou que existe um acordo de Cooperagaio entre a SPDM e a UNIFESP e que esta proposta feita é uma proposta onde a SPDM esta sendo posta em submissio 4 UNIFESP. Dra. Jane, por sua vez, lembra da importiincia de se discutir também questdes operacionais do Hospital Sao Paulo e dos Departamentos envolvidos, recomendando que o assunto seja tratado com harmonia entre as entidades. Dr. Gaspar, com a palavra, reforgou a necessidade de uma conversa bem encaminhada entre as partes, aproveitando para lembrar sobre o relatorio da CGU e sobre os apontamentos realizados referentes ao gerenciamento dos recursos do Hospital Universitario e do ordenador de despesa, e que mesmo nao fazendo qualquer mengao A composigao do Conselho Gestor, entende que a Presidencia do Conselho Gestor deve partir de um consenso ¢ que talvez manter a escolha da forma que ¢ feita atualmente, pela lista triplice elaborada pela Assembleia da SPDM - Associagaio Paulista para o Desenvolvimento da Medicina e submetida & escolha do Reitor da UNIFESP seja a melhor opgdo. Dr. Ronaldo, ouvida a proposta do Departamento Juridico, propds a supresstio no Estatuto da SPDM - Associagao Paulista para Desenvolvimento da Medicina da composigo do Conselho Gestor, para que este assunto possa ser estudado com mais vagar mediante a formagaio de uma comissio especifica para tratar sobre a forma de escolha da Presidencia do Conselho Gestor. Dr. Ricardo Smith, com a palavra, discorreu sobre 0 inicio do Conselho Gestor e ressaltou que a nomeago de qualquer nome para a posigao de Presidente do Conselho Gestor no é aceita ¢ disse ter se surpreendido ao ver que a Congregagao nao se manifestou contra essa proposta. Dr. Walter Manna Albertoni, com a palavra, ressaltou que, como ex-Reitor entende que 0 Presidente do Conselho Gestor precisa estar alinhado com a Reitoria da UNIFESP, pois 0 Presidente do Conselho Gestor executaré 0 orgamento do HU sob responsabilidade principal da Reitoria, lembrando que a SPDM continua dona do Hospital e que o Reitor deve ter a oportunidade de escolher alguém, mas que é importante que essa escolha parta de uma lista triplice e que deve haver 0 aval de ambas as instituigdes. Dr. Hélio Takahashi pede a palavra e endossa a proposta da Escola Paulista de Medicina, Dr. Anderson Ferraresi, com a palavra, sugeriu que a redagdio do artigo 40 do Estatuto, para contemplar a proposta do Sr. Presidente, passe a constar: “O Conselho Gestor do Hospital Sao Paulo ~ Hospital Universitario, € 0 érgao colegiado do Hospital Universitario da UNIFESP com fungdes normativa, consultiva e deliberativa © sera constituido nos termos definidos no instrumento juridico a ser firmado entre a SPDM - Associagio Paulista para o Desenvolvimento da Medicina e a UNIFESP, ouvida a Assembleia Geral da SPDM - Associaga0 Paulista para o Desenvolvimento da Medicina e 0 CONSU da UNIFESP”. Submetida a votagio, restou aprovada por unanimidade. Em razio da aprovagao, Dr. Ronaldo sugeriu a ORGULHO DE SER SUS Fro. Or. Ronaldo Ramos Laranjeka Prot Or, Cartas Alberto Gore iver Jews Lopes Fino ofr. Jone Robt Forno ua.0y. go 4e Foto. 1096. Vie Clementino 4097'603" $40 Poulos? Tok 11 soss.2739 ot 1 Aba Neigh Atay fot ovo sta Menino | praudenciaaspam.orgbr ia deat Amare Coste Als Programa ce Along agra Soice ‘wore spam. Bt Dis Beri de ret CREMESP} stare 6 (SRE ASSOCIACAO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA Furcosa em 1933 | Uiidade Pubic Municipal Esaduae Federal | Enidode Flanépica inscria no CNAS desde 26/06/1943, formagaio da Comissdo que estaré autorizada a falar em nome dos membros desta Assembleia, proposta que submetida 4 votagao restou aprovada por unanimidade. Foi ento sugerido que a Comisséo seja composta pelos: Presidente da SPDM, Diretor do Campus So Paulo, Diretora da Escola Paulista de Medicina, Diretora da Escola Paulista de Enfermagem ¢ 0 atual Presidente do Conselho Gestor, para que se rejnam com a Reitora nos préximos dias para as tratativas e discutam as trés propostas conversadas nesta reunido, ou seja, a proposta da UNIFESP, a da SPDM - Associagaio Paulista para 0 Desenvolvimento da Medicina que é a manutengtio da escolha do Presidente da forma como esta atualmente no Estatuto e a da EPM/EPE de que 0 Presidente do Conselho Gestor deve ser escolhido pelo Reitor, em uma lista triplice elaborada dentre os membros do proprio Conselho Gestor. Colocada em votagao, restou aprovada a composigdo da Comissdo por unanimidade. Nada mais havendo a tratar, o Sr. Presidente deu por encerrados os trabalhos agradecendo a presenga de todos. Para constar, eu Thatiane Paixiio Alves, secretaria, lavrei a presente ata que ser assinada por mim ¢ pelo Sr. Presidente. Phun. Sl wy tiane Paixdio Alves Prof/Dr. Ronaldd Ra Secretaria Presidente da SPD! ‘CONSELHO ADIMNASTRATIVO surenienoentes ORGULHO DE SER SUS Prot Dr, Renakelo Ramos Lorareke Colas alberio Gorcia Over Bua Or Di0g9 de Foe 1036 Vio Clemenino Prot. Gasnor de 0 Lopes fhe Pol or ove Robt Fea (4037 003” $30 Poul SP Voce menonie Hie S30 Poo es (2n 5009.2798 fro Abore Nage Ala rok 4 Maro Sher Mente presdanciaespar.crg Hota fin tec mera Casibo PAS Pogennds Alancho nage a side men spamorgior Fro Dra, anos afte Mex cl OF Nine Stomo Mansur nol 5 185,55 sade 5 53,50 Ipesp 6 39,78, Row Rs 1003, Toaustee RS 1003, Toul Rs 30189 Ses «tas "Recodo EP, OUGBA10- Ste Palys? Protocolado e prenotado sob 0 n. 461,378 em (92/12/2013 registr2c0, hoje, em micofime xo 0b 0 n. 404,878 , em pessoa jriica. no ‘verbad & marge do raison. 404697 cost So Pal, 23 de dezembro de 2013 «(Uc eo “) oss Paulo Roberto de Carano Régo- Oil phere Danilo de Moraes Olvelra- Oficial Substitute ‘CREMESP SRE Se snibadee reall 904878 ASSOCIACAO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA Pei tonkopica necita no CNAS cess 24/6/1963 TUTO SOCIAL SPDM - ASSOCIACAO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA Capitulo I Da Denominagao, Natureza Juridica, Sede, Foro e Duracaio Artigo 1° - A SPDM - Associagao Paulista para o Desenvolvimento da Medicina, originalmente denominada Escola Paulista de Medicina, foi constituida por escritura pitblica de 26 de junho de 1933 nas notas do 10° Tabeligo de Sao Paulo. E uma associacao de direito privado, sem fins lucrativos, de natureza filantrépica, reconhecida de utilidade piiblica federal, estadual e municipal, respectivamente pelos Decretos n™ 57.925, de 4/3/1966, 40.103, de 17/5/1962, e 8.911, de 30/7/1970, e se regera por este Estatuto ¢ pela legislagao que lhe for aplicavel. Artigo 2°- A SPDM tem sua sede social e foro na cidade de Sao Paulo, Estado de Sao Paulo, na Rua Napoledo de Barros, 715, Vila Clementino, podendo manter filiais com prévia aprovagao do Conselho Administrativo. Artigo 3° - O prazo de duragao da SPDM é indeterminado. Capitulo IL Dos Objetivos Artigo 4° - A SPDM tem como objetivos: I - desenvolver e prestar atividades assistenciais, no Ambito da sate, de natureza médico-hospitalar, diagnéstica e/ou ambulatorial, a todas as pessoas que delas necessitam, sem distingaio de nacionalidade, cor, sexo ou religido, no Ambito do Sistema de Satide, gratuitamente ou nao; I - desenvolver e prestar atividades de atendimento e promogdo dos direitos das pessoas com deficiéncia ou com necessidades especiais; III - manter 0 Hospital Sao Paulo (HSP), hospital universitério da Universidade Federal de Sio Paulo (UNIFESP) e demais instalagdes da SPDM, bem como gerenciar ou assessorar outros hospitais, centros de promogio, prevencio ¢ assisténcia a satide e unidades afins; fa 0». Diogo do Feria ASSOCIAGAO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA™ p Poca Ma 1 Floniopice insta na CNAS ese 2706/1963 IV - contribuir para o estabelecimento de politicas piiblicas programas visando garantir a universalidade ¢ as oportunidades de acesso a satide, necessérias a0 desenvolvimento humano e social do cidadio, podendo firmar convénios, contratos, parcerias € demais instrumentos jurfdicos com outras instituigdes de natureza publica e/ou privada, nacional e/ou internacional, de ensino, pesquisa e/ou assisténcia a sadde; V - colaborar com atividades das Escolas Paulistas de Medicina e de Enfermagem da Universidade Federal de Sao Paulo (UNIFESP) e outras entidades relacionadas a drea da satide, aprovadas pelo Conselho Administrativo e pela Assembleia Geral; VI - prestar servigos € consultorias, desenvolver, assessorar € gerenciar servicos, unidades € sistemas de satide e/ou de educaco, de natureza publica ou privada e, elaborar, planejar e/ou assessorar projetos arquitetOnicos, ambientais e de infraestrutura em reas fisicas ou iméveis destinados & assisténcia, ensino e/ou pesquisa na drea da satide; VII — promover e manter o ensino e a pesquisa nas dreas das ciéncias da satide, apoiando a investigagdo cientifica, contribuindo para a qualificagao profissional, bem como desenvolver atividades de ensino na rea de assisténcia a satide, tecnologias em satide e gestio de organizagdes e sistemas de satide, nos niveis de ensino médio, graduagio e pés-graduaco “lato e stricto sensu”, de acordo com os principios das Escolas Paulista de Medicina e Enfermagem da Universidade Federal de Sao Paulo (UNIFESP), ouvida a Assembleia Geral; VIII - promover e ministrar cursos, palestras, congressos, seminarios, simpésios e conferéneias, produzir e disponibilizar material didatico ¢ cientifico, assim como tecnologias na érea das ciéncias da satide; IX - desenvolver e publicar métodos pedagégicos de ensino ¢ educagio nas Areas de atuago; Artigo 5° - A SPDM, em raziio de ser entidade sem fins lucrativos de natureza filantr6pica, no distribuiré qualquer parcela de seu patriménio ou de suas rendas, a titulo de lucro, bonificagdes ou vantagens aos integrantes dos érgdos diretivos, mantenedores ou associados, bem como aplicard integralmente, no Pafs, os seus recursos na manutengo de seus objetivos institueionai Artigo 6° - E vedada a percepgiio de remuneragio, vantagens ou beneficios, direta ou indiretamente, por qualquer forma ou titulo, pelos’ diretores, conselheiros, associados, instituidores, benfeitores ou equivalentes, em razo das competéncias, fungdes ou atividades que Ihes sejam atribuidas pelos respectivos atos constitutivos. Pardgrafo tinico- E vedado aos conselheiros, administradores e dirigentes da SPDM exercer cargo de chefia ou funco de confianga nos drgios integrantes do Sistema Unico de Satide (SUS) ou mandato parlamentar em qualquer nivel, ORGULHO DE SER SUS fr, Bante Rw 7 CREMESP SRE associacho PAULISTA PARA O DESENVOLVIMEN $5 ba meDICiNA Flontopie ita ne CNAS oe 21061965 [IP] Ofeiat de Registro Civ g [Pessoa JurdcalSP Registrado #4 Capitulo 11 Dos Associados Artigo 7° - A SPDM é integrada por ntimero ilimitado de associados, pessoas fisicas, de ilibada conduta, admitidos em conformidade com o presente Estatuto Social. Artigo 8° - O pedido de admissao ao quadro social, em qualquer categoria, inicia-se por proposta subscrita por no minimo 3 (trés) associados, da qual constartio o nome, a identidade, © curriculo, a nacionalidade, a naturalidade, 0 estado civil, a profissiio e a residéncia do proposto, Pardgrafo Primeiro - A proposta deverd ser dirigida a0 Conselho Administrativo, que emitiré parecer e submeteré & aprovagao pela maioria dos presentes em Assembleia Geral. Pardgrafo Segundo - A qualidade de associado € intransmissivel, seja qual for a sua categoria, e 0 associado nao seré titular de nenhuma quota ou fragao ideal de patrimdnio da SPDM, Pardgrafo Terceiro - Os associados no respondem, nem mesmo subsidiariamente, pelas obrigacdes sociais € contratuais assumidas pela SPDM. Responderio, no entanto, por atos ilicitos que, nesta qualidade, praticarem com dolo ou culpa, prejudicando terceiro ou a prépria SPDM. Pardigrafo Quarto - Os associados nao serdo reembolsados das contribuigdes que porventura venham a realizar em favor da SPDM. Artigo 9° - Constitui requisito obrigatério para o ingresso na SPDM de novos associados, bem como para sua permanéncia, enquadrar-se em uma das categorias abaixo, respeitado 0 limite méximo de membros que especific: I - professor titular do quadro permanente da UNIFESP e lotado em seus Departamentos Académicos com atividades nos cursos de graduagdo da érea da satide realizados no “Campus” Sao Paulo/Vila Clementino; Il - professor titular aposentado da UNIFESP e com lotacdo original em seus Departamentos Académicos com atividades nos cursos de graduagdo da érea da satide realizados no “Campus” Sao Paulo/Vila Clementino; Ill - chefe de Departamento Académico da UNIFESP com atividades nos cursos de graduagao da drea da satide realizados no “Campus” So Paulo/Vila Clementino; IV - 11 (onze) representantes indicados pela Associag4o dos Docentes da Universidade Federal de Sao Paulo (ADUNIFESP), de acordo com proceso eleitoral préprio, sendo ORGULHO DE SER SUS ol G1 Soren emo ore ol. fy soe 2739 [TP] Oficial de Registro Civil pa mermeat JidealSP Regsraco CREMESP 2 A048 s RE, i ASSOCIAGAO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MeviciNa™ loneyico incite no CNAS dose 2676) 963, obrigatoriamente 5 (cinco) representantes dos professores adjuntos e 5 (cinco) representantes dos professores associados da UNIFESP, lotados em seus Departamentos Académicos com atividades nos cursos de graduagdo da érea da satide realizados no “Campus” Sao Paulo/Vila Clementino; V - 4 (quatro) representantes, escolhidos entre os funcionérios da SPDM, sendo obrigatoriamente (2) dois lotados na sede da SPDM — Hospital Sao Paulo, eleitos entre seus pares, de acordo com processo eleitoral proprio; VI - | (um) representante, indicado pela AFESP, dentre os funcionérios lotados na sede da SPDM — Hospital Sao Paulo; ‘VII — 1 (um) representante, indicado pelo SINTUNIFESP, dentre os funciondrios lotados na sede da SPDM — Hospital So Paulo; ‘VIII - 1 (um) representante, escolhido entre os médicos residentes da UNIFESP, indicado pela _Associagio dos + Médicos__Residentes._ da UNIFESP- AMEREPAN/UNIFESP, de acordo com proceso eleitoral proprio; 1X - 1 (um) representante, escolhido entre os alunos nos cursos de pés-graduagio da frea da satide realizados no “Campus” Sao Paulo/Vila Clementino, indicado pela Associagdo dos P6s-graduandos da UNIFESP - APG/UNIFESP, de acordo com processo eleitoral prdprio; e X - | (um) representante, escolhido entre os alunos nos cursos de graduagdo da érea da satide realizados no “Campus” Sio Paulo/Vila Clementino, indicado pelo Diret6rio Central dos Estudantes da UNIFESP - DCEJUNIFESP, de acordo com processo eleitoral proprio. Pardgrafo Primeiro - Sera concedido, pela Assembleia Geral, através de aprovagao da maiotia simples dos membros presentes, titulo de associado honorario, sem direito a voto, a quem realizar relevantes servigos ao desenvolvimento da SPDM. Pardgrafo Segundo — O Chefe de Departamento de que trata 0 inciso IMI permaneceré como associado mesmo ao término de seu mandato. Pardgrafo Terceiro - Os associados de que tratam os itens IV a X permanecerio nesta condigao enquanto estiverem no exercicio de seus mandatos, cuja duragio é de 4 (quatro) anos, desde que mantidas as respectivas prerrogativas de sua representagd0, podendo ser reconduzidos, Pardgrafo Quarto - Em caso de vacdncia de associados por forga do estabelecido no pardgrafo terceiro desta cléusula, poderao ser indicados novos associados, segundo os critérios estabelecidos nos incisos IV a X, para reposigdio das vagas em aberto, cujo mandato ser4 excepcionalmente coincidente com o dos membros remanescentes. Ofcial de Registro Civil ae ‘CREMESP 2 OTETe SRE ASSOCIAGAO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA era onkasice nscita no CNAS cnc 26/0669 Dos Direitos Artigo 10 - Aos associados so garantidos iguais direitos, a seguir relacionados: I - comparecer as reunides da Assembleia Geral, discutir os assuntos tratados, podendo votar, com a ressalva prevista no parégrafo primeiro do artigo anterior aos associados honorérios, desde que preencham as disposigdes estatutarias; II - pleitear os mandatos estatutérios © serem votados, desde que preencham as disposigdes estatutérias; III - propor ao exame dos érgios diretivos as questées de interesse social e as medidas que acharem convenientes; e IV - convocar a Assembleia Geral, mediante proposta assinada por 1/5 (um quinto) dos associados, no mfnimo, e dirigida ao Presidente do Conselho Administrativo. Dos Deveres Artigo 11 - Sao deveres dos associados: 1 - cooperar para o desenvolvimento € prestfgio da SPDM; II -acatar e cumprir as decisGes dos érgios diretivos da SPDM, além do presente Estatuto; III - desempenhar com dedicagio os cargos que Ihes forem atribuidos pela Assembleia Geral e demais 6rgaos da SPDM; IV -contribuir, direta ou indiretamente, pessoal ou coletivamente, para 0 desenvolvimento e o engrandecimento da SPDM; V -cumprir fielmente as disposigdes do presente Estatuto, dos regimentos internos, bem como as deliberages dos érgios deliberativos e administrativos da SPDM; ¢ VI -denunciar qualquer irregularidade ou abuso que seja de seu conhecimento, que possa prejudicar a SPDM. Da Suspensao, Exclusao e Demissio Artigo 12 - Sao considerados motivos para suspensdo de direitos, o associado que: ORGULHO DE SER SUS ‘04037 603 S00 Poul I - tiver comportamento incompatfvel com a dignidade e 0 decoro da SPDM; II -ndo aceitar, sem motivos justificados, cargos para os quais tenha sido eleito ou fungdes para as quais tenha sido indicado; € a ‘CREMESP SRE ASSOCIACAO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA Jo Rikon Murcia, Eade TI -praticar atos que contrariem os fins estatutérios da SPDM. Artigo 13 - Serd suspensa a qualidade de associado por qualquer um dos motivos relacionados no artigo anterior, imposta a penalidade por perfodo nao superior a 1 (um) ano, garantido o pleno diteito de defesa Pardigrafo Primeiro - No perfodo em que subsistir a penalidade, fica vedado ao associado: T- volar e ser votado; IL- participar das reuniées da Assembleia Geral; IL - 0 exercicio do cargo eletivo que eventualmente esteja exercendo na SPDM. Paragrafo Segundo - A pena de suspensio seré decretada pelo Conselho Administrativo, assegurado ao associado 0 direito de apresentagdo de defesa prévia no prazo de 15 (quinze) dias corridos, apés a notificagao. Pardgrafo Terceiro - Da decisio de suspensio, devidamente fundamentada, caberé ao associado a possibilidade de recurso 4 Assembleia Geral, especialmente convocada para esse fim, a ser interposto no prazo de 5 (cinco) dias corridos, contados da ciéncia, pelo interessado, da decisdo que Ihe aplicar a penalidade Artigo 14 - que: fio considerados motivos graves para exclusiio do quadro social, 0 associado - reincidir em qualquer um dos motivos que Ihe sujeite & suspensio de direito; II - causar prejuizo 4 SPDM, por dolo ou culpa grave; II - locupletar-se, direta ou indiretamente, de qualquer bem da SPDM; IV- uti use, indevidamente, do nome, dos bens e dos servigos da SPDM. Pardgrafo Primeiro - A pena de exclusio seré decretada pelo Conselho Administrativo, assegurado ao associado 0 direito de apresentago de defesa prévia no prazo de 15 (quinze) dias corridos, apés a notificagao. Pardgrafo Segundo - Da decisio de exclusao, devidamente fundamentada, caberd ao associado a possibilidade de recurso & Assembleia Geral, especialmente convocada para esse fim, a ser interposto no prazo de 5 (cinco) dias corridos, contados da ciéncia, pelo interessado, da decisio que Ihe aplicar a penalidade, CCONSEIHO ADAUNISTRATIVO suremienoentes 6 ORGULHO DE SER SUS Fr 0, Rano eas gre Prot 0: Canon a) \) rei (10 som. 2729 oO Ano rth 3 wing ODA MEDICINA eons tia no CHAS dats 246 ASSOCIACAO PAULISTA PARA O D Pardgrafo Terceiro - Na hipstese de ocorténcia de qualquer outro motivo considerado grave € nfo previsto expressamente neste Estatuto, poder 0 associado ser excluido, apés deliberacao fundamentada em Assembleia Geral, especialmente convocada para esse fim, pela maioria absoluta dos associados. Pardgrafo Quarto - Ser automaticamente considerado excluido 0 associado que se tornar civilmente incapaz ou falecer. Artigo 15 - E direito do associado pedir demisséo do quadro associativo mediante requerimento dirigido a0 Conselho Administrativo, desde que em dia com as suas obrigagdes estat Pardgrafo Unico - O desligamento voluntério de associado seré solicitado por carta dirigida a0 Presidente do Conselho Administrativo. Capitulo TV Da Administragio Artigo 16 - A SPDM sera administrada pelos seguintes érgaos: I - Assembleia Geral; II - Conselho Administrativo; III - Conselho Deliberative de Gestdes Delegadas; IV - Conselho Gestor do Hospital Universitario; e V -Conselho Fiscal. Pardgrafo Primeiro - £ expressamente vedada a cumul: Conselho Administrativo com os do Conselho Fiscal. io de cargos dos integrantes do Pardgrafo Segundo - A posse dos membros dos Conselhos Administrativo, Deliberativo de Gestdes Delegada e Fiscal dar-se-4 na mesma Assembleia que os eleger e se ausente algum de seus membros, far-se-4 perante os respectivos Conselhos para 0 qual foi eleito, em sua primeira reuniao. Pardgrafo Terceiro - Os membros dos Conselhos Administrativo e Fiscal permanecerio em seus cargos sempre que, terminado 0 prazo para o qual tenham sido eleitos, a Assembleia Geral no haja escolhido e empossado os novos membros, ConsetHo ADMNISTRATIVO surennrenoenes 7 ORGULHO DE SER SUS ORGULHO DE SER SUS Fol. Rano GREMESP SRE DA MEDICINA™ 1S Gene 26611968, [FP] oFiciat de Regivo cna : Pesos gee aR ED ASSOCIAGAO PAULISTA PARA O Ot! Da Assembleia Geral Artigo 17 - A Assembleia Geral € 0 drgio soberano da SPDM, nos termos deste Estatuto, sendo composta pelos associados em pleno gozo de seus direitos estatutérios. Artigo 18 - A Assembleia Geral se reuniré, otdinariamente, no primeito quadrimestre seguinte ao encerramento de cada exercfcio social ¢, extraordinariamente, sempre que os interesses sociais assim exigirem. Pardgrafo Primeiro - A Assembleia Geral seri convocada pelo Presidente do Conselho Administrativo, através de carta registrada ou e-mail encaminhado 20s enderegos dos associados constantes de seus registros na SPDM e fixado em sua sede, com antecedéncia minima de 5 (cinco) dias corridos, com a mengio da pauta de assuntos, local, dia e hora da reunigo. A Assembleia Geral seré instaurada e presidida pelo Presidente do Conselho Administrativo, ou em caso de seu impedimento ou auséncia, pelo Vice-Presidente do Conselho Administrativo ou, no impedimemo deste, por qualquer membro do Conselho Administrativo, o qual designaré um Secretério dentre os presentes. Paragrafo Segundo - Caso a Assembleia Geral no seja convocada, nos termos do presente Estatuto, fica garantido a 1/5 (um quinto) dos associados o direito de convocé-la. Pardgrafo Terceiro - As Assembleias Gerais s6 serdo realizadas se respeitadas as seguintes condigoes: I-- em primeira convocagio, com a imprescindivel presenga de 2/3 (dois tergos) de seus associados; II - em segunda convocagao, 30 (trinta) minutos apés o horério da primeira convocagio, com a presenga de qualquer nimero de seus associados. Artigo 19 - Compete a Assembleia Geral: I-- alterar 0 Estatuto Social; IL - cleger ¢ destituir os membros do Conselho Administrativo e Conselho Fiscal; III ~ claborar lista triplice de que trata 0 inciso I do artigo 40 deste Estatuto; IV - analisar e aprovar a previsio orgamentéria anual proposta pelo Conselho Administrativo; V - aprovar as contas anuais encaminhadas pelo Conselho Administrativo, apés parecer do Conselho Fiscal; CCONSEINO ADAUNITEAIIVO suremmmenoentes [IF] Ofcia! de Registro civ Pe Ae SRE) 5 ASSOCIAGAO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA VI - aprovar os atos que resultem em alienagao ou oneragao dos bens méveis e iméveis superiores a 10% (dez por cento) do patriménio Iiquido da SPDM; VII - aprovar contratos de empréstimo e financiamentos com valor superior a 10% (dez. por cento) do faturamento bruto do exerefcio imediatamente anterior; VIII - aprovar aquisigdes de bens méveis e iméveis com valores superiores a 15% (quinze por cento) do patriménio Iiquido da SPDM; IX - julgar os recursos das sangdes aplicadas pelo Conselho Administrativo, nos termos dos artigos 13 e 14 deste Estatuto; X - deliberar sobre exclu: deste Estatuto; de associado, nos termos do artigo 14, pardgrafo terceiro, XI - aprovar pedido de admissio de novo associado e conceder titulo de associ honorario; XII - decidir sobre a exting’io da SPDM; e XIII — decidir sobre os casos omissos. Pardgrafo Primeiro - Para as deliberagdes a que se referem os incisos I, II, HI, VI, VI, VIII, X e XII sao exigidos os votos concordes de pelos menos 2/3 (dois tergos) dos presentes em Assembleia Geral, especialmente convocada para esse fim. Pardgrafo Segundo - Para os demais itens de sua competéncia, poderé a Assembleia deliberar, em qualquer convocagiio, com a maioria absoluta dos presentes. Pardgrafo Terceiro - Em caso de empate, o Presidente do Conselho Administrativo teré voto de qualidade. Artigo 20 - Nenhum assunto alheio ao previsto pela pauta constante na convocagdo poderé ser tratado. Artigo 21 - Instalada a Assembleia Geral, o seu Presidente faré a leitura do Edital de Convocagio, declarando, em breves palavras, a finalidade da Assembleia e, em seguida, dard inicio aos trabalhos obedecendo rigorosamente a ordem do dia constante no edital Artigo 22 - Cada associado, constante das categorias dispostas no artigo 9° do presente Estatuto, quite com suas obrigages estatutdrias, terd direito a | (um) voto na Assembleia, podendo ser representado por procurador que também seja associado. CCONSEINO ADMUNISTRATWO sureenaenoen ORGULHO DE SER SUS Pro, omc Rams ren rot & connphronefageO c 6 Win Clementi oh. . eat teks (ny so8s.2790 ot 0) Abo Mey Ala ORGULHO [iP] oncta de Registro cit Pessoa JuridicarsP Registrado (see ASSOCIAGAO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA icin Ee Fedora onMdpice nyse no CHAS dotde 2606! Pardgrafo Primeiro - A representago do associado seré feita mediante a apresentagio prévia de instrumento de mandato assinado pelo associado, com firma reconhecida em Cartério. Pardgrafo Segundo - Nenhum procurador poder representar mais do que 3 (trés) associados, Artigo 23 - Em todas as reunides da Assembleia serio lavradas atas, contendo as deliberagdes da reunifio, que serio submetidas pelo seu respectivo Presidente a registro no érgio competente, Pargrafo Unico - Todos os presentes em Assembleia assinardo o livro préprio de presengas. Do Conselho Administrativo Artigo 24 - © Conselho Administrative & érgio deliberativo e executivo da SPDM, constituido de representantes associados, composto por 7 (sete) Conselheiros eleitos destituiveis a qualquer momento pela Assembleia Geral, aos quais compete a diregio das atividades e a pritica de todos os atos inerentes 2 finalidade da SPDM, com mandato de 4 (quatro) anos, podendo haver uma tinica reeleigao consecutiva de seus membros, Pardigrafo Primeiro - 0 Conselho Administrativo sera constituido por: I~ 1 (um) Conselheiro Presidente; IL- 1 (um) Conselheiro Vice-Presidente; III ~ 5 (cinco) Conselheiros Administrativos. Pardgrafo Segundo - Em caso de vacancia em cargos do Conselho Administrativo, deverd ser convocada Assembleia Geral para reposigao imediata das vagas em aberto, cujo mandato seré excepcionalmente coincidente com o dos membros remanescentes. Artigo 25 - Compete ao Conselho Administrativo: I fixar as diretrizes gerais e desenvolver os programas de atividades da SPDM; I - fiscalizar o cumprimento das diretrizes e metas definidas e os demonstrativos financeiros e contabeis da SPDM, com o auxilio de auditoria externa; II - conduzir a gestao estratégica, politica ¢ executiva da SPDM; IV - gerir 0 patriménio da SPDM; V = deliberar sobre proposta do plano de trabalho estratégico, do orgamento, do programa e investimentos, para aprovago da Assembleia Geral; CCONsELHO ADMUNITRANVO surenneenoentes 10 DESERSUS rb, Rane Ron Loren ot [FP orci de Registro Ci cmaiese) Co gyaeTe $ SRE| ASSOCIAGAO | PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA _— CHAS dose 24/06/1968, ‘VI-— aprovar o Regimento Interno e Manual de Recursos Humanos; VII - aprovar o organograma da SPDM; VIII - aprovar quaisquer regulamentos necessérios ao bom andamento das atividades da SPD} IX - eleger e destituir 3 (trés) membros do Conselho Deliberativo de Gestées Delegadas, entre os associados da SPDM; X — indicar e destituir 3 (tr€s) membros para o Conselho Gestor do Hospital Sao Paulo — Hospital Universitério, entre os associados da SPDM;, XI - analisar e aprovar as indicagdes para a diretoria executiva e superintendéncias da SPDM, bem como sua destituigao; XII - deliberar sobre a suspensio ou exclusio de associado; XIII - analisar e aprovar as indicagdes dos membros a compor a comissao eleitoral; XIV - aprovar o processo eleitoral e julgar impugnagGes apresentadas; XV - aprovar contratos em geral, com valores superiores a 5% (cinco por cento) € inferiores a 10% (dez por cento) do faturamento bruto do exercicio imediatamente anterior; XVI- aprovar aquisigdes de bens méveis e iméveis com valores superiores a 5% (cinco por cento) ¢ inferiores a 15% (quinze por cento) do patriménio liquido da SPDM; XVII - claborar, deliberar ¢ encaminhar & Assembleia Geral proposta de reforma estatutéria; io de novo as XVIII - emitir parecer sobre admis deliberagao em Assembleia Geral; iado e encaminhé-lo para XIX - apresentar ao Conselho Fiscal, até o tiltimo dia titil do més de fevereiro, andlise de resultados que inclua prestagao de contas, balango da SPDM e quadros comparativos com 0 exercicio anterior; XX - propor a celebracZo de convénios e contratos em geral com instituigdes puiblicas. Artigo 26 - © Conselho Administrativo se reunir§, ordinariamente, uma vez por més e, extraordinariamente, sempre que se fizer necessdrio, mediante simples solicitagao de seu Presidente ou 3 (trés) de seus membros e com antecedéncia minima de 24 (vinte © quatro) ORGULHO DE SER SUS sr. Rano Roenos Lorena penleg SRE > \ ASSOCIAGAO F PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA horas, por fax ou e-mail. Os trabalhos € deliberagdes sero lavrados em atas em sistema proprio, devendo ser assinadas por todos os seus membros presentes. Pardgrafo Primeiro - As deliberages do Conselho Administrativo serio tomadas pela maioria de votos, presentes no mfnimo 3 (trés) de seus membros. Em caso de empate, Conselheiro com maior idade tera voto de qualidade. Pardgrafo Segundo - Os membros do Conselho Administrativo poderdo votar por carta, fax ou comeio eletrénico, desde que dirigidos previamente a realizagio da reunifio, ou ainda participar de reuniGes por meio de conferéncias telefénicas ou videoconferéncia. Pardgrafo Terceiro - E vedada a representaciio de membro do Conselho Administrativo em suas reunides por procurador. Pardgrafo Quarto - Seré automaticamente destituido de suas fungdes 0 Conselheiro que, durante a vigéncia de seu mandato, injustificadamente, deixar de comparecer em 3 (trés) reunides seguidas ou 5 (cinco) alternadas, cabendo ao Conselheiro destituido recurso & Assembleia Geral especialmente convocada para esse fim, no prazo de 15 (quinze) dias da comunicagio. Artigo 27 - As procuragdes outorgadas em nome da SPDM serio assinadas pelo Presidente, ou em sua auséneia pelo Vice-Presidente, ou por outro procurador devidamente constituido para tal, e, além de mencionarem expressamente os poderes conferidos, deverdo, com excegiio daquelas para fins judiciais, conter um perfodo de validade limitado. Paragrafo Unico - As procuragées piiblicas ou privadas outorgadas em nome da SPDM, para movimentacdo financeira, deveréo ser assinadas por 2 (dois) membros do Conselho Administrativo, sendo um deles, obrigatoriamente, seu Presidente, ou em sua auséncia o Vice- Presidente. Artigo 28 - As assinaturas de cheques ¢ movimentago das contas bancérias sero realizadas por 2 (dois) membros do Conselho Administrativo, sendo um deles, obrigatoriamente, seu Presidente, ou em sua auséncia o Vice-Presidente, os quais poderdo indicar representante(s) legal(is). Artigo 29 - E vedado aos membros do Conselho Administrativo prestar fiangas ou avais em negécios nao atinentes aos interesses da SPDM. Artigo 30 - Compete ao Presidente do Conselho Administrativo: I -cumprir fazer cumprir este Estatuto ¢ as deliberagdes da Assembleia Geral e do Conselho Administrativo; II - representar a SPDM, em juizo ou fora dele, bem como em suas relagdes com os poderes pablicos ¢ com terceiros, podendo delegar tais poderes, observadas as regras estabelecidas no presente Estatuto; ORGULHO DE SER SUS rol Oh, Rane Rao torn [iB] orci de Regione cva go) ‘CREMESP ne AOE BT ER [eRe —_ ASSOCIACAO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDI Furcsaca.om 1995 | Ulose Pit clude Fedor | Cisse Flonkaica incite no CNAS coice 26/06/1963 TI - acompanhar 0 desempenho das unidades operacionalizadas pela SPDM; IV - coordenar a politica administrativa, patrimonial e financeira da SPDM; V - propor a0 Conselho Administrativo a contratagdo e substituiga0 dos executivos e superintendentes da SPDM; VI - propor a0 Conselho Administrativo a contratago e substituigiio de consultores, auditores externos, assessores juridicos e prestadores de servigos; VII - delegar atribuigdes em caréter permanente ou transit6rio, ouvido o Conselho Administrativo; VIII - encaminhar a Assembleia Geral, até 0 dia 30 de abril do ano imediatamente seguinte, as contas anuais para aprovagao ¢ a previsdo orgamentéria anual proposta pelo Conselho Administrativo; IX - assinar comespondéncias de cardter relevante, acordos, contratos e convénios para consecugio do objeto social da SPDM; X - Convocar Assembleia Geral; € XI - presidir as reunides do Conselho Administrativo. Artigo 31 - Compete ao Vice-Presidente do Conselho Administrativo: I-substituir 0 Presidente do Conselho Administrativo nas suas faltas ou impedimentos; € II - exercer atribuigées que Ihe forem delegadas pelo Presidente do Conselho Administrativo, Do Conselho Deliberativo de Gestées Delegadas Artigo 32 - O Conselho Deliberativo de Gestées Delegadas é 6rgio cujas atribuigdes s especificas para as questdes que dizem respeito as unidades ptiblicas de satide sob gestéo da SPDM, delegadas por forga de contratos de gestio, firmados com a Administragdio Péblica, sem prejuifzo das demais disposigdes contidas no presente Estatuto. Artigo 33 - © Conselho Deliberativo de Gestdes Delegadas sera presidido pelo Presidente do Conselho Administrativo, na condigdo de membro nato, e seré composto por mais 8 (oito) membros, eleitos da seguinte forma: I - 3 (trés) membros eleitos pelo Conselho Administrativo entre os associados da SPDM; CCONsENG ADMINSTRATI sureRNTENoENEs 13 ORGULHO DE SER SUS rol Or. Ronwiso Romer (oer roto coo: [ip] Oteia de Registro cv do CREMESP Pessos Jyitic as epigs SRE ne AOS 7B ORE ASSOCIAGAO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA II - 4 (quatro) membros eleitos pelos demais integrantes do Conselho Deliberativo de Gestées Delegadas, dentre pessoas da comunidade de notoria capacidade profissional € reconhecida idoneidade moral; IIT- | (um) membro eleito pelos funcionérios da SPDM, entre seus pares. Pardgrafo Primeiro - Os conselheiros eleitos para compor o Conselho Deliberativo de Gestdes Delegadas nfo poderio ser cOnjuge, companheiro ou parentes, consanguineos ou afins, em linha reta ou colateral, até 0 terceiro grau, do Prefeito, Vice-Prefeito, Governador, Vice-Governador, Secretérios Municipais ou de Estado, Vereadores ou Dirigentes, detentores de cargo comissionado ou fungao gratificada, da Administrago Péblica direta ou indireta do 6rgiio contratante. Pardgrafo Segundo - O Vice-Presidente do Conselho Deliberativo de Gestées Delegadas, na auséncia ou impediment do Presidente, ser o membro mais idoso dentre os membros do inciso I deste artigo. Artigo 34 - Compete a0 Conselho Deliberativo de Gestdes Delegadas: 1 - aprovar a proposta de celebragao de contrato de gestio da unidade publica a ser gerenciada; II - aprovar a proposta de orgamento da unidade pablica a ser gerenciada ou j4 sob gestiio, bem como o programa de investimentos a ela relativo; III - designar e dispensar os membros ocupantes de cargo de diregdo ou gestio da unidade publica sob gestao; IV - fixar remuneragio dos membros ocupantes de cargo de diregio ou gestio da unidade piiblica sob gestio; V - aprovar o Regimento Interno ¢ Manual de Recursos Humanos da unidade publica sob gestio, que deverd dispor, no mfnimo, sobre a estrutura, 0 gerenciamento, os cargos © as competéncias; VI - aprovar por maioria de, no minimo de 2/3 (dois tergos) de seus membros, 0 Regulamento préprio contendo os procedimentos para a contratagao de obras € servigos, bem como para compras e alienagdes que visam o cumprimento da finalidade do contrato de gestio; VII - aprovar 0 plano de cargos, salérios ¢ beneficios dos empregados da unidade ptblica sob gestao; VIII - aprovar ¢ encaminhar, ao érgio superior do contrato de gestdo, os relatérios gerenciais e de atividades da unidade publica sob gestdo, elaborado pela diretoria da mesma; CONSE ADHUNITRATIVO suremaenoentes 14 ORGULHO DESERSUS iol Ranckte Poms naa ‘ 2 ofo\ ORGULHO DE SER SUS ASSOCIAGAO PAULISTA PARA O DE DA meDICTNA Furano 1958 | Ulsede Posen Morina, sleduole Fede | Elsen Fanépicaiesite oa CAS Heike 2606/1962 IX - fiscalizar o cumprimento das diretrizes e metas definidas para 0 contrato de gestiio; X - aprovar os demonstrativos financeiros ¢ contabeis, bem como as contas anuais da unidade publica sob gestdo, com auxilio de auditoria externa; XI - providenciar a publicagdo, anualmente, de Relatérios Financeiros e Relat6rios de Execugio dos Contratos de Gestiio, no Didrio Oficial de cada ente federativo a que se vincula 0 respectivo contrato de gesto; XII - pronunciar-se sobre assuntos que Ihe forem submetidos pela diretoria ou superintendencia executiva da entidade; e. XIII - pronunciar-se sobre dentincia que the for encaminhada pela sociedade civil em relagdo & gest4o © aos servigos sob sua responsabilidade, adotando as providéncias cabiveis. Artigo 35 - O Conselho Deliberative de Gestoes Delegadas se reuniré, ordinariamente, no mfnimo 3 (trés) vezes ao ano, e, extraordinariamente, a qualquer tempo, mediante convocagio de seu Presidente, ficando garantido a 1/5 (um quinto) de seus membros 0 diteito de convocs- la, através de carta registrada ou e-mail encaminhado aos enderegos de seus membros constantes de seus registros na SPDM, com antecedéncia minima de 3 (trés) dias titeis, com a mengo da pauta de asstintos, local, dia e hora da reunigo, sendo instaurada e presidida pelo Presidente do Conselho Deliberativo de Gestdes Delegadas, ou em caso de seu impedimento ou auséneia, por qualquer membro do Conselho Deliberativo de Gestes Delegadas, 0 qual designard um Secretério dentre os presentes. Pardgrafo Primeiro - As deliberagdes do Conselho Deliberativo de Gestdes Delegadas serio tomadas pela maioria de votos de seus membros presentes & reuniio. Em caso de empate, 0 Conselheiro com maior idade ter4 voto de qualidade. Pardgrafo Segundo - Os membros do Conselho Deliberativo de Gestdes Delegadas poderio votar por carta, fax ou corteio eletrOnico, desde que ditigidos previamente a realizagao da reunio, ou ainda participar de reunides por meio de conferéncias telefénicas ou videoconferéncia. Pardgrafo Terceiro - E vedada a representag3o de membro do Conselho Deliberative de Gestdes Delegadas em suas reuniées por procurador. Pardgrafo Quarto - O superintendente ou gestor respons4vel por cada unidade paiblica sob gestdio da SPDM poderd, quando convocado, participar das reunides do Conselho Deliberativo de Gestées Delegadas, sem direito a voto, Paragrafo Quinto - Os conselheiros eleitos ou indicados para integrar a Diretoria da entidade devem renunciar ao assumirem as correspondents fungdes executivas. Fein, 1036. Vie Cho Carr te ons inom tho rol Je eo ORGULHO DE SER SUS el, Rar Ro te [EF] oneiat de Registro civ [Pessow Juridica/SP Registrada ght | pds oAOAB TB ISRE ASSOCIACAO PAULISTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEDICINA © CAS cee. 26/0596 Artigo 36 - O mandato dos membros do Conselho Deliberativo de Gestdes Delegadas seré de 4 (quatro) anos, sendo que 0 primeiro mandato dos 2 (dois) membros eleitos com o menor niimero de votos dentre os associados da SPDM, 2 (dois) tiltimos eleitos com o menor niimero de votos entre as pessoas da comunidade de not6ria capacidade profissional ¢ reconhecida idoneidade moral ¢ 1 (um) entre os funcionérios da SPDM, sero de 2 (dois) anos, de forma a niio permitir a substituigdo simultinea de todos os seus membros. Artigo 37 - Ser admitida apenas uma recondugio no mandato dos membros do Conselho Deliberativo de Gestées Delegadas. Pardgrafo Unico - O membro reconduzido poder ser eleito novamente, observado o intervalo de um mandato. Artigo 38 - A presidéncia do Conselho Deliberativo de Gestdes Delegadas caberd sempre a0 Presidente do Conselho Administrativo da SPDM, 0 qual participara das reuniGes sem direito avoto. Artigo 39 - Em caso de afastamento de algum membro do Conselho Deliberativo de Gestoes Delegadas, durante a vigéncia do respectivo mandato, deveré ser eleito substituto, no prazo maximo de 60 (sessenta) dias. Do Conselho Gestor do Hospital Sao Paulo - Hospital Universitario Artigo 40 - O Conselho Gestor do Hospital So Paulo ~ Hospital Universitario, € 0 érgio colegiado do Hospital Universitario da UNIFESP com fungdes normativa, consultiva © deliberativa e ser constitufdo nos termos definidos no instrumento juridico a ser firmado com a UNIFESP — Universidade Federal de Sio Paulo, ouvidos a Assembleia Geral dos Associados da SPDM e o Conselho Universitario da UNIFESP. Artigo 41 - Ao Conselho Gestor do Hospital Sao Paulo — Hospital Universitario da UNIFESP compete: I- planejar as agdes assistenciais e de ensino do Hospital Universitario; I — indicar a Diretoria Executiva do Hospital Universitario; III - administrar 0 Hospital Universitario; TV - planejar e coordenar as 'V - planejar, coordenar e supervisionar as atividades de assisténcia & satide, promovidas pelo Hospital Universitario;