P. 1
Ensino de conteúdos: Uma proposta de ensino de Biologia no contexto escolar contemporâneo_Oliveira_et_al_2009_txt

Ensino de conteúdos: Uma proposta de ensino de Biologia no contexto escolar contemporâneo_Oliveira_et_al_2009_txt

|Views: 130|Likes:
Publicado porWagner Lira

More info:

Categories:Types, Research, Science
Published by: Wagner Lira on Mar 04, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

10/09/2014

pdf

text

original

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciência e Tecnologia - PPGECT

Ensino de conteúdos: Uma proposta de ensino de Biologia no contexto escolar contemporâneo
Vera Lucia Bahl de Oliveira Tânia Aparecida da Silva Klein Odila Mary Elisabeth Pegoraro

Resumo O presente estudo faz uma análise dos fatores que interferem no nível de interesse dos alunos para a aprendizagem de Ciências. Faz referência ao comportamento do aluno diante do trabalho do professor. Após levantamento de dados propõe algumas sugestões à melhoria do ensino dessa disciplina. Palavras-chave: Saber Docente; Conteúdos; Ensino; Aprendizagem

Abstract Teaching content: a proposal for teaching of Biology in school context contemporary This paper analyses the factors that interfere in the students’ interest level in the Science learning process. It deals with the student’s behavior towards the work of the teacher. It also points out, after the gathering and analysis of data, some suggestions for the teaching improvement of this discipline. Keywords: Teacher’s Knowledge; Contents; Teaching; Learning

I Simpósio Nacional de Ensino de Ciência e Tecnologia – 2009 359

ISBN: 978-85-7014-048-7

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciência e Tecnologia - PPGECT

Introdução
O presente estudo faz uma análise dos fatores que interferem no processo ensinoaprendizagem para que este possa contemplar todas as capacidades do aluno. Ensinar e formar crianças, adolescentes e jovens, parece hoje ser um dos maiores desafios de toda ação humana. Frente ao contexto atual, onde os problemas político-sociais se aliam à vertiginosa evolução científica e tecnológica, onde a informação parece não ter limites em sua construção, o ser professor implica em muito mais que dominar determinado conteúdo para ensinar. O conhecimento produzido aumentou a uma velocidade tão rápida que é impossível estar atualizado principalmente no que diz respeito ao avanço biotecnológico. A finalidade da escola tem tomado outra direção. Para Carvalho (2000), hoje o papel da escola é dotar as pessoas de condições teóricas e práticas para que elas utilizem, transformem e compreendam o mundo da forma mais responsável possível. É importante a participação dos professores em um modelo curricular, sem que deixem essa tarefa apenas para especialistas ou se baseiem somente nos livros textos, pois a delimitação e seqüência dos conteúdos é tarefa chave para o ensino. Neste trabalho procurou-se verificar até que ponto o tipo de trabalho do professor tem influenciado no interesse dos alunos com a intenção de descobrir uma forma de tornar o ensino de Ciências Biológicas mais atraente e, portanto, mais eficiente.

Método do Arco
Na primeira etapa do trabalho foi realizada uma investigação qualitativa usando a metodologia da problematização denominada por Charles Maguerez por “Método do Arco”. Assim, a investigação no presente trabalho pautou-se na seqüência dos passos desta metodologia:

1. Observação da realidade Ocorrida durante o tempo em que acompanhamos os estagiários da disciplina de Metodologia e Prática de Ensino nos colégios estaduais em que trabalhavam. Foi aplicado um questionário com o objetivo de diagnosticar os problemas enfrentados pelos professores e educandos de Ciências de escolas públicas de Londrina – Pr, que permitiu traçar o perfil e identificar as necessidades das partes envolvidas. Também foram selecionados 05 (cinco) I Simpósio Nacional de Ensino de Ciência e Tecnologia – 2009 360 ISBN: 978-85-7014-048-7

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciência e Tecnologia - PPGECT professores que foram acompanhados em suas aulas durante o ano letivo. Estas aulas foram gravadas e analisadas pelos docentes. Verificou-se como acontece a interação professor-aluno e a dimensão em que são tratados os conteúdos de Ciências em sala de aula.

2. O Problema Diante das observações realizadas destacamos para o nosso estudo o seguinte problema: “Os conteúdos atualmente ministrados preparam o aluno para as exigências da sociedade contemporânea? Estes estão sendo trabalhados nas dimensões conceituais, procedimentais e atitudinais”?

3. Pontos-chave do problema Analisando o problema, com base em nossa experiência, verificou-se algumas possíveis causas e determinantes de sua ocorrência como: formação pedagógica do professor e suas experiências vividas, planejamento, orientação e controle dos conteúdos mais significativos, incorporação dos conteúdos ensinados ao conjunto de conhecimentos previamente existentes na estrutura mental do aluno, interesse pelo poder formador e investigador próprios do ensino de Ciências Biológicas e relação pessoal do professor com a matéria que ensina e com seu aluno. Esses pontos, se modificados, podem resultar na solução do problema por que são, no momento, por nós considerados os mais centrais. O grau de conhecimento do professor, ou seja, o nível do saber docente implica no agir corretamente e é o elemento vital para a qualidade do processo ensino-aprendizagem. Sabe-se que quanto mais o professor busca o que precisa para desempenhar suas ações, maior será a possibilidade de acerto.

4. Teorização Segundo Alves (2004), é necessário tratar a formação de professores de forma complexa, já que esta acontece em vários espaços e tempos, como o espaço acadêmico, a prática cotidiana, a ação governamental e a prática política coletiva. Considerando tal complexidade em que se dá, desta forma, a formação dos profissionais da área da educação, é preciso visualizar uma intervenção também complexa, num âmbito que possa apresentar soluções das questões que permeiam o dia-a-dia do professor. Para a autora, na prática educativa é que se produz os

I Simpósio Nacional de Ensino de Ciência e Tecnologia – 2009 361

ISBN: 978-85-7014-048-7

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciência e Tecnologia - PPGECT conhecimentos válidos e insubstituíveis sobre a reflexão da própria prática, o que exige um crescente e permanente diálogo entre a formação inicial e a continuada do professor. A pesquisa dos profissionais da educação sobre a sua prática filia-se em diversas tradições intelectuais, profissionais e acadêmicas (Ponte, 2004). Uma delas é o movimento em torno do professor pesquisador (Stenhouse, 1975), que centra as atenções do professor individual e não em uma equipe. Já a pesquisa-ação, tem seu tema central a justiça e mudança social e a tradição do profissional reflexivo (Schön, 1983) centra a pesquisa na reflexão individual e coletiva sobre a prática docente. Este torna-se um ponto crucial quando verificamos que há uma dissociação entre a formação e a prática cotidiana do professor, pois os saberes que são mobilizados na prática passam a integrar a identidade do professor, constituindo um elemento norteador das decisões e posturas em sala de aula. A importância atribuída aos conteúdos de ensino e à aprendizagem, é talvez, uma das novidades que mais chama a atenção nas propostas curriculares porque, embora os conteúdos tenham desempenhado sempre um papel decisivo nos programas oficiais e nos programas dos professores, surge uma série de reflexões a se considerar, já que não podemos minimizar a importância de organizar e selecionar o que ensinar em sala de aula, assim como, não exceder no peso dado aos conteúdos escolares. Um dos problemas mais conflituosos da história do pensamento educativo é definir o que seja conteúdo de ensino. Para Sacristán (2002), o próprio conceito de conteúdos do currículo já é por si mesmo interpretável, sobretudo, porque responder à pergunta do que é conteúdo, deve tratar da função que queremos para a escola, e o que esta cumpra em relação aos indivíduos, à cultura herdada, à sociedade na qual estamos e à qual aspiramos conseguir. Já Zabala (2002) afirma que aquilo que aprendemos será mais útil na medida em que possamos utilizá-lo em situações nem sempre previsíveis. Além dos conteúdos conceituais (saber sobre), o currículo contém os conteúdos procedimentais (saber fazer) e os conteúdos atitudinais (“ser”). Esta é a proposta dos Parâmetros Curriculares do Ensino Médio (PCNEM, Brasil, 2001), documento do Ministério da Educação e do Desporto, que sugere a reforma educacional no Brasil. Para esta pesquisa procuramos verificar em que níveis de conteúdos o professor atua na sua aula: Conceitual, Procedimental e Atitudinal. Ainda, se há uma reflexão de valores em sala de aula, se o professor procura identificar o grau de interesse dos alunos pelas suas aulas e se o conteúdo abordado está relacionado com o cotidiano do aluno.

5. Resultados

I Simpósio Nacional de Ensino de Ciência e Tecnologia – 2009 362

ISBN: 978-85-7014-048-7

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciência e Tecnologia - PPGECT O ensino de Ciências deverá dar ao aluno condições para que ele descubra as “verdades” e as aplique no seu cotidiano. Assim,após a análise dos dados, obtidos durante a pesquisa, como resultados temos: Quanto ao aluno. Observou-se que os alunos são na maioria apáticos durante as situações vividas em sala de aula. Manifestaram no instrumento de pesquisa que gostariam participar de mais aulas práticas, mais trabalhos em grupo, ter acesso a maior diversidade de materiais didáticos que ilustrassem suas aulas. A maioria diz que seu professor costuma utilizar nas aulas apenas o livro, o quadro de giz e que as aulas são quase sempre expositivas. Acham que os professores não sabem das dificuldades que os alunos sentem para aprender Ciências e apontam como dificuldades :aulas expositivas, indisciplina na sala de aula, professor diante do aluno e sem muita paciência para explicar de novo algo não compreendido; não discutem assuntos de interesse dos alunos, entre outros.

Quanto ao professor. Os professores, em grande número, reclamaram do desinteresse dos alunos pelos conteúdos de Ciências; indisciplina na aula, não trazem o livro para acompanhar a aula, fazem tarefas de outras matérias em aula, falam palavrões, atendem celular na aula ou ficam ouvindo música nos Mp3,4 qualquer coisa assim.

6. Reflexões e Conclusões Valorizar o cotidiano tem sido tema de muitas discussões no âmbito do ensino de Ciências. Técnicas e recursos didáticos vinculados aos conteúdos a serem trabalhados nas dimensões: conceitual, procedimental e atitudinal aliados às experiências pessoais dos alunos poderiam despertar maior interesse, pela aprendizagem além de ser necessário adotar estratégias nas quais o aluno possa ser agente na construção do conhecimento. Aqui, entra em jogo, para as ações do dia a dia da sala de aula, o saber e o saber fazer dos professores iniciando pela seleção de conteúdos e sua abordagem em sala de aula. O saber dos professores é o saber deles, e está relacionado com a pessoa e a identidade deles, com a sua experiência de vida e com a sua história profissional com as suas relações com os alunos em sala de aula e com os outros atores escolares na escola, etc. Por serem, a maioria das aulas expositivas e, considerando a formação do professor e as suas dificuldades diante do seu trabalho verifica-se que o ensino de Ciências ainda continua não estabelecendo condições ideais de aprendizado para orientar o aluno na redescoberta do conhecimento e na aplicação no seu cotidiano. I Simpósio Nacional de Ensino de Ciência e Tecnologia – 2009 363 ISBN: 978-85-7014-048-7

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciência e Tecnologia - PPGECT O ensino necessita fazer com que o aluno questione, responda, observe, explore e relacione os fatos para que ele se torne um ser ativo e reflexivo. O levantamento e a reflexão de como estão acontecendo as aulas no ensino básico poderão contribuir para modificar a forma de ensinar os conteúdos. Se o desempenho do professor está ligado à sua formação e as condições da escola é preciso que se busque alternativas para a melhoria da ação pedagógica. Em função dos resultados obtidos conclui-se que existe uma grande distância entre a teorização e o que é feito na prática. Como nas épocas anteriores o ensino continua teórico, livresco e memorístico. Mesmo os professores que apresentam interessados em implementar novas propostas de ensino, passam por dificuldades. Estes muitas vezes são impedidos de realizar satisfatoriamente seu trabalho devido as condições de trabalho apresentado pelo sistema público de ensino, ou seja: número alto de aulas atribuído ao professor na semana,muitas vezes distribuídas em diferentes colégios,classes numerosas, poucas aulas para cada série, por semana. Questionando os professores pudemos conhecer suas dificuldades e inquietações e

verificar as limitações para o desenvolvimento de uma ação docente mais eficiente.Reafirma-se a distância entre o que se pretende fazer e o que realmente se faz. Todos concordam que é preciso buscar meios para transformar essa realidade. A reflexão sobre a formação de professores dos futuros professores de Ciências Biológicas e a realidade das aulas nos colégios estaduais poderá contribuir para modificações a ação prática do professor, assim como afirma Giroux (1997, p.136) “a ação do professor, nesta perspectiva, deve ser vista como política e cultural, em que o professor é o intelectual que se transforma e transforma seus alunos”.

Referências
Alves, N. Imagens de professores e redes cotidianas de conhecimentos. Educar. 2004, 24, 19-36. BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes curriculares nacionais para o ensino médio. Parecer CEB 15/98. 01/06/98. Brasília, 1998. BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica Parâmetros curriculares nacionais mais para o ensino médio: ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Brasília, 2002.

I Simpósio Nacional de Ensino de Ciência e Tecnologia – 2009 364

ISBN: 978-85-7014-048-7

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciência e Tecnologia - PPGECT Giroux, H. Os professores como intelectuais. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997. Hagemeyer, R. C. C. Dilemas e desafios da função docente na sociedade atual: os sentidos da mudança. Educar. 2004, 24, 67-85. Ponte, J. P. da. Pesquisar para compreender e transformar a nossa própria prática. Educar. 2004, 24, 37-66. SACRISTÁN, J.G. Comprender e transformar o ensino. Porto Alegre: Artes Médicas, 2002. Schön, D. A. The reflective practioner: how professionals think in action. Andershot Hants: Avebury, 1983. Stenhouse, L. An introduction to curriculum research and development. London: Heineman Educational, 1975. Zabala, a. A prática do professor. Porto Alegre: Artes Médicas, 2003.

a

Professoras de Metodologia e Prática de Ensino de Ciências Biológicas. Departamento de

Biologia Geral, Universidade Estadual de Londrina, PR. oliveir@sercomtel.com.br

I Simpósio Nacional de Ensino de Ciência e Tecnologia – 2009 365

ISBN: 978-85-7014-048-7

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->