P. 1
produçao e mobilização de atp

produçao e mobilização de atp

|Views: 2.747|Likes:
Publicado porHerlander-2010
bioquímica/ explica como é produzido o atp
bioquímica/ explica como é produzido o atp

More info:

Published by: Herlander-2010 on Mar 04, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/06/2013

pdf

text

original

Produção e Mobilização de ATP

ATP, é um nucleotídeo responsável pelo armazenamento de energia em suas , ligações químicas. É constituída por adenosina, um nucleínas, associado a três químicas. adenosina, nucleínas, radicais fosfato conectados em cadeia. A energia é armazenada nas ligações entre os fosfatos. O ATP armazena energia proveniente da respiração celular e da fotossíntese, para fotossíntese, consumo posterior. A molécula actua como uma moeda celular, ou seja, é uma forma conveniente de transportar energia. Esta energia pode ser utilizada em diversos processos biológicos, tais como o transporte activo de moléculas, síntese e secreção de substâncias, locomoção e divisão celular, entre outros. Para estalagem a longo prazo, a energia pode ser transferida para carboidratos e lipidios. As principais formas de produção do ATP são a fosforização oxidativa e a fotofosforilação. Um radical fosfato inorgânico (Pi) é adicionado a uma molécula fotofosforilação. de ADP (adenosina difosfato), utilizando energia proveniente da decomposição da glicose (na fosforização oxidativa) ou da luz (na fotofosforilação). Existem enzimas especializadas no rompimento desta mesma ligação, liberando fosfato e energia, usada nos processos celulares, gerando novamente moléculas de ADP. Em certas ocasiões, o ATP é degradado até sua forma mais simples, o AMP (adenosina mono fosfato), liberando dois fosfatos e uma quantidade maior ), de energia. Estima-se que o corpo humano adulto produza cerca de 80 quilos de moléculas de ATP a cada 24 horas, porém consumindo outros tantos no mesmo período. Se a energia gerada na queima da glicose não fosse armazenada em moléculas de ATP, provavelmente as células seriam rapidamente destruídas pelo calor gerado.

Liberação de energia
Deve-se levar em conta que a quebra do ATP não é simplesmente um rompimento de ligações químicas. Sabe-se que a destruição de ligações químicas é um processo endotérmico, e isso seria uma contradição. Na verdade, a transformação da ATP em ADP + P é uma hidrólise, ou seja, a água é um dos reagentes desse processo. A formação de ligações covalentes no final da transformação libera mais energia do que a absorção na quebra das ligações presentes entre os átomos das moléculas de ATP e água. Dessa forma, a reacção global acaba se tornando exotérmica. Outros fatores contribuem para que esse composto orgânico libere energia ao ser quebrado. Os produtos ADP e P possuem maior entropia do que o reagente ATP, ou seja, os produtos possuem maior grau de desorganização do que o reagente. Além disso, o fosfato inorgânico apresenta o fenómeno da ressonância (electrões electrões

das ligações π em movimento dentro do próprio composto). Há também, dentro da molécula, átomos de oxigénio com excesso de carga negativa e que estão muito próximos uns dos outros. Isso gera repulsão electrostático entre essas ele cargas, e a decomposição do ATP diminui essa repulsão, pelo afastamento dessas cargas. Por fim, a hidratação dos compostos ADP e P libera considerável quantidade de energia. Tudo isso faz com que o sistema composto por ADP e P seja mais estável do que o composto por ATP. Essa estabilidade se dá pelo fato de que ocorre, durante a reacção de decomposição do ATP, diminuição da energia livre desse sistema, em outras palavras, liberação de energia. Assim, processos metabólicos como A + B → C que necessitem de grande quantidade de energia para acontecer ou não são espontâneos, ocorrem espontaneamente na presença de ATP, processo representado por A + B + ATP + H2O → C + ADP + P, o que garante o funcionamento de organismos vivos.

Produção e mobilização de ATP

Processos implicados na formação de ATP

Fotossíntese – captação de Energia Luminosa que é transformada em Energia Química => seres Foto-Autotróficos Respiração Celular ou Respiração Aeróbia – decomposição de Compostos Orgânicos na presença de oxigénio (O2) a fim de obter Energia Química => Todos os Seres Vivos Aeróbios Fermentação (Respiração Anaeróbia) – decomposição de Compostos (Respiração Anaeróbia) Orgânicos na ausência de oxigénio (O2) a fim de obter Energia Química => seres Heterotróficos Quimiossíntese – obtêm energia oxidando a matéria inorgânica => seres Quimio-Autotróficos.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->