Você está na página 1de 1

Sociedade dos indivduos Norbert Elias

Em seu texto, o autor busca superar a dicotomia sociedade e individuo.


Segundo o autor, um no anterior ao outro. A ideia defendida por alguns
autores, de que o individuo anterior sociedade tem sua origem na
religio crist, na ideia de que o homem foi criado j adulto, pleno de suas
faculdades mentais e com total domnio sobre todos os outros seres vivos.
No entanto, segundo Elias, nenhuma pessoa existe em si mesmo. Todo ser
humano, na sua fase inicial, ainda beb e criana, necessita de outro para
realizar as funes bsicas sobrevivncia, como prover seu alimento. na
relao com outros seres humanos que a criana adquire o carter de um
individuo adulto e pleno das capacidades necessrias vida em sociedade.
O ser humano criado e orientado dentro de normas sociais prestabelecidas por um coletivo de outros indivduos anteriores a ele. O
individuo que hoje segue as regras previamente estabelecidas, amanh
poder estar inserido num coletivo responsvel por definir novas regras
sociais. O individuo molda a sociedade e moldada por ela. Neste sistema
temos a coero e a coeso. Um coletivo de indivduos define normas
sociais que visam coeso. No entanto, estas normas so coercitivas no
sentido de que os indivduos deste grupo so orientados a segui-las e vistos
como desviantes quando no conseguem ou no aceitam as normas
criadas. Por exemplo, existem regras criadas por um coletivo de indivduos
que, com o objetivo de manter a coeso e a ordem definem tipos de
vestimentas a serem usadas em determinados espaos pblicos. Estas
regras que objetivam a coeso tornam-se coercitivas ao punir e/ou restringir
o acesso daqueles indivduos que no se adquam a estas regras. Um
funeral um bom exemplo. Nem sempre o individuo deseje ir ao funeral de
um amigo ou parente, mas existem regras sociais que pressupe esta
obrigatoriedade (regras coercitivas). Durante o funeral espera-se que o
indivduo expresse sentimentos de dor e tristeza. Como afirma Mauss, existe
a obrigatoriedade de expressar sentimentos. Resumindo, a sociedade no
existe sem o individuo e vice-versa. O individuo um ser social. Para
garantir a ordem e a prpria vida social, estes indivduos criam regras
sociais. O que tem incio como instrumento de coeso, revela-se como
coercitivo. A sociedade formada de indivduos que coletivamente definem
as regras a fim de manter a sociedade coesa. Da o ttulo de seu artigo
sociedade de indivduos.