Você está na página 1de 40
2ª FASE – XVII EXAME DE ORDEM UNIFICADO – DIREITO PENAL EXERCÍCIOS 01 A 09 EXERCÍCIO

2ª FASE XVII EXAME DE ORDEM UNIFICADO DIREITO PENAL EXERCÍCIOS 01 A 09

EXERCÍCIO 01 BLOCO DE QUESTÕES 01

Questão 1

Pedro, 30 anos de idade, casado, foi condenado à pena de 10 (dez) anos de reclusão, em regime inicialmente fechado, pela prática do crime A, previsto na Lei n.º 0001/10, pena está fixada no mínimo legal cominada pelo tipo penal. No curso da instrução processual sobreveio a Lei n.º 0002/11, que elevou a pena-base do crime para 12 (doze) anos de reclusão. Após o trânsito em julgado da sentença condenatória, a qual manteve a pena fixada, entrou em vigor a Lei nº 0003/12, que reduziu a pena mínima para 8 (oito) anos de reclusão. Posteriormente, no dia 24/04/2013 entrou em vigor a Lei n.º 0004/13, a qual excluiu referido delito do ordenamento legal. Atento ao caso narrado acima e com base somente nos dados que a questão dispõe e considerando que Pedro está cumprindo pena em regime fechado atualmente, responda fundamentadamente:

  • A) Qual lei deve ser aplicada no caso de Pedro e por quê? Qual a autoridade

judiciária competente para aplicá-la? Fundamente.

  • B) Qual(is) a(s) consequência(s) jurídica(s) que decorre(m), ao processo, se

for aplicada a lei indicada no item a?

Discursiva Direito Penal Questão 01

Quesito avaliado

Faixa de

Atendimento

Valores

ao Quesito

Item a - Será aplicada a Lei n. 0004/13, conforme Artigo 2º do CP, (0,25) e Artigo 5º, XL, CRFB, (0,25) pelo juiz da execução penal, s. 611, STF (0,25).

0,75

 

Item b - Extinção da punibilidade, conforme Artigo 107, III, do CP (0,25) e cessação dos efeitos penais da sentença Artigo 2º, parte final, CP (0,25).

0,50

 

RESULTADO

Nota na Discursiva - Direito Penal Questão 1

 

Questão 2

Adalberto, investigador de polícia, durante suas férias, resolveu treinar tiros em sua chácara, localizada no interior de São Paulo. Para tanto, procurou um local afastado e deserto, próximo a uma mata. Verificando que no lugar não havia ninguém e imaginando que estava sozinho, ao disparar a arma em direção de uma árvore, acaba, sem querer, acertando Arthur, biólogo, que estava escorado atrás da árvore, após se perder na mata. O investigador de

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

polícia foi denunciado pelo delito previsto no artigo 129, §1º, II, do CP. Recebida a denúncia,

polícia foi denunciado pelo delito previsto no artigo 129, §1º, II, do CP. Recebida a denúncia, o juiz determinou a citação do acusado, a qual se efetivou em 10/08/2015. Atento ao caso narrado acima e com base somente nos dados que a questão dispõe, responda fundamentadamente:

  • A) Procurado por Adalberto, no dia 11/08/2015, qual a medida judicial cabível

ao caso, diferente do habeas corpus? Fundamente sua resposta.

  • B) Qual a principal tese que o advogado de Adalberto poderá desenvolver na

peça processual indicada no item “a”? Justifique sua resposta.

Discursiva Direito Penal Questão 02

 
 

Quesito avaliado

Faixa de

Atendimento

Valores

ao Quesito

Item a - Resposta à acusação Artigos 396 e 396-A, do CPP (0,25).

0,25

 

Item b - Erro de tipo inevitável - Artigo 20 -

do

CP

(0,75) e consequentemente

1,00

 

Absolvição sumária - Artigo 397, III, do CPP (0,25).

RESULTADO

 

Nota na Discursiva - Direito Penal Questão 2

   

Questão 3

Alice, depois de ser convencida por duas amigas, resolve comemorar antecipadamente seu aniversário de 18 anos em uma badalada casa noturna de São Paulo. Era sábado, por volta das 22h, do dia 12 de outubro, quando chegaram ao local. Passava das 2h da manhã quando Alice se envolve em uma briga e, munida de uma garrafa de cerveja, com um golpe certeiro, atinge a cabeça da vítima. A vítima é socorrida, mas acaba por falecer no

mesmo dia. No dia 14 de outubro, dia do seu aniversário, Alice se apresenta espontaneamente na delegacia próxima de sua residência.

  • A) Alice poderá ser considerada imputável e sofrer o processo criminal?

Justifique.

  • B) Responderá de alguma forma? Justifique.

Discursiva Direito Penal Questão 03

Quesito avaliado

Faixa de

Atendimento

Valores

ao Quesito

Item a - Não poderá ser considerada imputável, vez que nosso ordenamento adota a teoria da atividade, pois no momento da ação ou omissão era menor de idade (0,50), conforme Art. 4º do CP (0,25).

0,75

 

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

Item b - Responderá por ato infracional, nos termos do art. 103 da Lei 8.069/90 -

Item b - Responderá por ato infracional, nos termos do art. 103 da Lei 8.069/90 - Estatuto da Criança e do Adolescente (0,50).

0,50

 

RESULTADO

Nota na Discursiva - Direito Penal Questão 3

 

Questão 4

Vinicius e Pacheco são amigos de longa data e estudam na mesma Faculdade. No dia 15 de julho de 2015, durante o intervalo, Pacheco, inconformado com o término do seu relacionamento amoroso com Barnabé e com o início de namoro deste com Vinicius, resolve agredir Vinicius com socos e pontapés, causando-lhe lesões corporais de natureza leve. O ofendido comparece à Delegacia de Polícia onde é formalizado um termo circunstanciado, encaminhado imediatamente ao Juizado Especial Criminal. Recebidos os autos foi designada audiência preliminar. Considerando as informações do caso e que Pacheco é primário, bem como foi beneficiado com a transação penal no dia 19 de julho de 2010, após cometer uma contravenção penal de vias de fato, responda fundamentadamente:

A) No caso narrado, é cabível a transação penal, caso o agente não aceite a composição cível dos danos? Justifique e fundamente sua resposta?

B) Considerando que o agente não cumpra eventual composição cível dos danos homologada pelo juiz e inconformado com esta postura a vítima proponha nova ação penal, na qualidade de advogado de Vinicius, é possível a adoção de alguma medida judicial caso a ação venha a ser recebida pelo Juiz? Se sim, qual? O que poderia ser alegado em sua defesa? Fundamente e Justifique sua resposta.

Discursiva Direito Penal Questão 04

Quesito avaliado

Faixa de

Atendimento

Valores

ao Quesito

Item a - Não, pois não transcorreu o prazo de 5 anos Artigo 76, §2º, II, da Lei n.º 9.099/95. (0,50)

0,50

 

Item b - Não cabe nenhum recurso, mas a parte poderá impetrar Habeas Corpus. Poderá ser alegado que como o acordo foi homologado acarreta a renúncia ao direito de queixa (Artigo 74, parágrafo único da Lei n.º 9.099/95) e consequentemente a extinção da punibilidade, nos termos do artigo 107, V, do CP. (0,75)

0,75

 

RESULTADO

Nota na Discursiva - Direito Penal Questão 4

 

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

EXERCÍCIO 02 – PEÇA 01 Viriato, nascido em 21 de setembro de 1940, brasileiro, casado, pai

EXERCÍCIO 02 PEÇA 01

Viriato, nascido em 21 de setembro de 1940, brasileiro, casado, pai de 2 (dois) filhos, condenado à pena de 3 (três) anos e 8 (oito) meses de reclusão, em regime aberto, pena esta convertida em restritivas de direitos, por sentença penal transitada em julgado no dia 21/01/2014, foi denunciado nos termos do artigo 12 da Lei n.º 10.826/03, em concurso material com o artigo 180, “caput”, do CP. Narra a exordial acusatória, que no dia 18 de fevereiro de 2011, por volta das 11h, os policiais militares da cidade de Jamari/RO, receberam denúncia anônima informando que Viriato estaria mantendo no interior de sua residência e sob sua guarda, arma de fogo, acessório e munição de uso permitido, em desacordo com determinação legal ou regulamentar. Por esta razão, sem qualquer mandado de busca e apreensão, dirigiram-se até a Rua das Laranjeiras, 1001, na cidade de Jamari/RO e lá encontram um revólver

da marca “Taurus”, calibre 38, nº ABCD1234, 10 projéteis intactos do mesmo

calibre. Descobriram ainda, um relógio cuco que havia sido subtraído de Marilia no 16/02/2011, avaliado em R$ 25,00 (vinte e cinco reais), consoante auto de avaliação da fl. 23/IP. Não sendo encontrado no local das apreensões e após descobrir que Viriato morava em Cerejeiras/RO, o delegado expediu carta precatória para ouvi-lo. Em seu depoimento, Viriato informou que mudou-se para Cerejeiras há mais de 2 (dois) anos e quem atualmente reside em Jamari/RO é sua ex-mulher, Andreia, com quem manteve relação por 4 (quatro) anos. Com o término do casamento, ocorrido por causa das excessivas desavenças amorosas, ela “jurou” que tentaria de qualquer forma prejudicá-lo. Na mesma oportunidade apresentou cópia do contrato de locação e do comprovante de residência que atestam o quanto alegado em sua oitiva. O juiz da Vara Criminal competente para apreciar o feito recebeu a denúncia em 05/03/2015 (quinta-feira), determinando a citação do réu a qual foi efetivada no dia 03/04/2015 (sexta-feira). Diante da hipótese, redija, na qualidade de advogado constituído pelo acusado, a peça processual, privativa de advogado, pertinente à defesa de seu cliente, datando-a no último dia do prazo. Em seu texto, não crie fatos novos, inclua fundamentação legal e jurídica, explore as teses defensivas.

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

Discursiva - Direito Penal – Peça 01 Faixa Atendimen Quesito avaliado De to ao Valores Quesito

Discursiva - Direito Penal Peça 01

 
 

Faixa

Atendimen

Quesito avaliado

 

De

to

ao

 

Valores

Quesito

Item 01 - Endereçamento correto: Excelentíssimo Senhor

   

Doutor Juiz de Direito da de Jamari/RO

Vara Criminal da Comarca

0,25

Item 02 - Peça: Resposta a Acusação. Fundamentos legais: arts. 396 e 396-A CPP

0,25

 

Item 03

-

Extinção da Punibilidade pela

Prescrição.

   

Fundamentos legais: arts. 107, IV 109, inciso IV e 115, todos do CP.

1,00

Item

04

-

Atipicidade

material

/

Princípio

da

   

Insignificância

Crime

de Receptação Absolvição

0,75

Sumária Fundamento legal: Art. 397, III, CPP

 

Item 05 - Atipicidade fato narrado não constitui o crime do artigo 12 da Lei n.º 10.826/03 - Absolvição Sumária

1,25

 

Fundamento Art. 397, III, CPP.

 

legal:

Item 5.1 Negativa de Autoria Absolvição Sumária art. 397, CPP

0,40

 

Item 06 - Pedidos:

(0,10 cada)

     
  • - extinção da punibilidade art.107, IV, CP, 109, IV e

115, ambos do CP;

 
  • - absolvição sumária art.397, III, CPP Art. 180, CP

atipicidade princípio da insignificância;

 

0,50

  • - absolvição sumária art.397, III, CPP Artigo 12 Lei

n.º 10.826/03 Fato narrado não constitui crime

 
  • - absolvição art. 397, CPP - negativa de autoria e

  • - Oitiva das testemunhas.

 

Item 07. Rol de Testemunhas

 

0,20

 

Item 08. Prazo: 15/04/2015

 

0,20

 

Item 09. Estrutura correta (divisão das partes / indicação de local data, assinatura)

0,20

 

RESULTADO

 

Nota na Discursiva - Direito Penal Peça 01

   

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

EXERCÍCIO 03 – BLOCO DE QUESTÕES 02 Questão 1 O delegado de polícia da cidade de

EXERCÍCIO 03 BLOCO DE QUESTÕES 02

Questão 1

O delegado de polícia da cidade de Regeneração/PI recebeu uma denúncia anônima, em 05/08/2015, de que Carlos Alberto, juntamente com outras pessoas, pretendiam realizar um roubo a um hipermercado no dia 09/08/2015. Assim, na iminência da ocorrência do delito e como não dispunha de nenhum outro elemento, determinou que o investigador de polícia, Théo, interceptasse a linha telefônica de Carlos Alberto. Contudo, o conteúdo de uma das conversas mantida entre Carlos Alberto e um interlocutor, revelou que Samuel é inocente de um delito de latrocínio do qual está sendo processado perante a Vara Criminal de Regeneração/PI. Com base somente nas informações do enunciado, responda fundamentadamente:

A) Correta a atitude do delegado de polícia? Por quê? Fundamente e justifique sua resposta.

B) A prova obtida em decorrência da interceptação telefônica poderá ser usada na ação penal movida contra Samuel? Fundamente e justifique a sua resposta.

Discursiva Direito Penal Questão 01

 

Quesito avaliado

 

Faixa de

Atendimento

Valores

ao Quesito

a) Não, ausência de decisão judicial Art. 3º,

0,50

 

da

Lei

n.º

9.296/96

(0,25)

e

ausência de

indícios

da

autoria

ou

participação

em

infração penal

Art.

2º,

II,

da

Lei

n.º

9.296/96 (0,25);

 

b)

Sim,

por

força

do

princípio

da

0,75

 

proporcionalidade, a prova ilícita poderá ser admitida em favor do réu (0,75).

RESULTADO

 

Nota na Discursiva - Direito Penal Questão 1

   

Questão 2

Wagner, professor de educação física, foi preso em flagrante após ser surpreendido por policiais vendendo anabolizantes, além de outros produtos cuja venda é proibida por causar dependência física, aos seus alunos. Foi conduzido pelos policiais e apresentado a autoridade policial. Dulce, sua namorada, assim que tomou conhecimento dos fatos, imediatamente se dirigiu à delegacia de polícia, onde foi recebida pelo delegado que estava de plantão. Após relatar os fatos ocorridos, o delegado propôs a Dulce que,

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

mediante o pagamento de R$ 20.000,00, liberaria Wagner, visto que ainda não tinha procedido à lavratura

mediante o pagamento de R$ 20.000,00, liberaria Wagner, visto que ainda não tinha procedido à lavratura da prisão em flagrante. O agente de polícia Sandoval, que havia sido designado por seu chefe para temporariamente trabalhar naquela delegacia, ouviu toda a conversa e optou por sair do local para não presenciar aquela situação constrangedora e injusta, visto não concordar com a atitude do delegado. O pagamento foi efetuado e Wagner foi liberado. Diante da situação hipotética responda:

A)

Qual(is) crime(s) pode(m) ser atribuído(s) ao delegado de polícia?

Justifique.

 

B)

Qual(is) crime(s) pode(m) ser atribuído(s) ao agente de polícia Sandoval?

Justifique.

 
   

Discursiva Direito Penal Questão 02

 
 

Quesito avaliado

Faixa de

Atendimento

Valores

ao Quesito

 

a)

O delegado de polícia cometeu o crime de

0,75

 

corrupção passiva, art. 317, §1º, CP;

 

b)

Agente policial Sandoval cometeu o crime

0,50

 

de prevaricação, art. 319, CP.

 

RESULTADO

 
 

Nota na Discursiva - Direito Penal Questão 2

   
 

Questão 3

Gepeto, brasileiro, viúvo, aposentado e pensionista, nascido em 15/12/36, caminhava pela Avenida Paulista quando tropeça e cai. Na queda, bate a cabeça bruscamente no solo e lesiona gravemente sua perna direita. Logo atrás de Gepeto, vinha Alcides que caminhava apressadamente, mas a tudo assistiu. Alcides simula não ter visto o ocorrido e deixa de socorre Gepeto, pois seu pensamento lhe recorda que, mais uma vez, na mesma semana, se parasse, chegaria atraso em seu trabalho. Com os pensamentos envoltos sobre a atitude desumana que tomara, deixa o local rapidamente sem prestar assistência ou acionar a autoridade pública, na expectativa de que outrem o socorresse. Por falta de imediato socorro, Gepeto morte ainda no local. Diante da situação hipotética responda:

A)

Qual(is) crime(s) pode(m) ser atribuído(s) ao Alcides? Justifique.

B)

Qual o procedimento aplicável e suas peculiaridades e a natureza da ação

penal? Justifique.

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

Discursiva – Direito Penal – Questão 03 Quesito avaliado Faixa de Atendimento Valores ao Quesito a)

Discursiva Direito Penal Questão 03

Quesito avaliado

Faixa de

Atendimento

Valores

ao Quesito

a) Alcides praticou o crime de omissão de socorro com a pena majorada pelo resultado morte, art. 97, parágrafo único, da Lei n. 11.741/03 (Estatuto do Idoso);

0,50

 

b) Procedimento sumaríssimo, art. 94 (0,25), exceto as medidas despenalizadoras (0,25), ação penal pública incondicionada, art. 95 (0,25), todos da Lei n. 11.741/03.

0,75

 

RESULTADO

Nota na Discursiva - Direito Penal Questão 3

 

Questão 4

Severino, por ter sido vítima de 3 roubos recentemente e assustado com o aumento da criminalidade no bairro em que reside, decide levar em sua cintura uma arma de brinquedo. Dentro do ônibus quando se deslocava para sua casa após um longo dia de trabalho foi preso em flagrante por transportar a arma de brinquedo. Diante do caso narrado e considerando que o juiz converteu a prisão em flagrante em prisão preventiva, responda de forma fundamentada e justificada:

A) Qual a medida judicial é cabível, exceto o Habeas Corpus, apta a reverter a prisão do Severino? O que poderia ser alegado em sua defesa? Justifique e fundamente sua resposta.

B) Se ao invés de ser uma arma de brinquedo, Severino levasse uma arma de fogo com a numeração raspada, poderia o magistrado indeferir a liberdade provisória do agente aplicando como fundamento o artigo 21 da Lei

10.826/03?

Discursiva Direito Penal Questão 04

 

Quesito avaliado

 

Faixa de

Atendimento

Valores

ao Quesito

Item

a

-

Relaxamento

da

prisão, pois

a

1,00

 

prisão é ilegal Artigo 5º, LXV, da CF. (0,50).

O artigo

 

26

da

Lei

10.826/03

veda

a

fabricação, a venda, a comercialização e a

importação

 

de

brinquedos,

réplicas

e

simulacros de armas de fogo. O transporte

não configura um crime. (0,50)

 

Item b - Não, STF declarou inconstitucional este dispositivo. (0,25)

0,25

 

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

RESULTADO Nota na Discursiva - Direito Penal – Questão 4 EXERCÍCIO 04 – PEÇA 02 Túlio,

RESULTADO

Nota na Discursiva - Direito Penal Questão 4

 

EXERCÍCIO 04 PEÇA 02

Túlio, primário, bons antecedentes, residência fixa, desempregado desde 2012, foi denunciado pela prática dos delitos tipificados nos artigos 157 § 2º, I, do Código Penal e art. 16, parágrafo único, IV, da Lei nº 10.826/03, em concurso material. Aduz a denúncia que no dia 17/02/2015, por volta das 15h, o acusado teria supostamente subtraído R$ 200,00 (duzentos) de Antônio, utilizando-se de um revólver, com a numeração raspada, para a prática do ato. O Juiz da 2ª Vara Criminal de Grandes Rios/PR recebeu a denúncia, em 28/02/2015 e determinou a citação do acusado, o qual por meio de advogado constituído, apresentou resposta à acusação. Não sendo caso de absolvição sumária, o juiz designou audiência de instrução, debates e julgamento para o dia 04/04/2015, às 14h. No dia da audiência, o acusado comunicou ao juiz que o seu defensor não poderia comparecer ao ato, uma vez que estava internado em estado grave, em razão de acidente automobilístico sofrido no dia anterior à audiência. Ante a inexistência de defensor dativo para atuação na comarca e da proximidade de suas férias, o magistrado realizou a audiência, uma vez que, conforme consignado em ata, a simples presença do Promotor de Justiça e do Juiz era suficiente para sua realização. Assim, procedeu-se primeiramente a oitiva da vítima que confirmou os fatos e afirmou que não viu o rosto do autor do crime, pois estava encoberto e, por isso, não tinha condições de reconhecê-lo. Após, ouviu-se a testemunha da acusação, o policial militar, o qual declarou que em patrulha de rotina pela localidade ouviu a vítima gritando que acabara de ser roubada. Como nas proximidades havia uma pessoa correndo, presumiu que seria ela a autora do delito por conta de suas vestes, condizentes com as descritas pela vítima, empreendendo a diligência e capturando o acusado. Já as testemunhas da defesa afirmaram a situação de penúria do réu, bem como a fragilidade da saúde de sua filha, portadora de doença grave e incurável, a qual necessitava de uso de medicação contínua e de alto custo e que o Estado havia, há poucos dias cortado o fornecimento dos medicamentos. Por fim, em seu interrogatório, o acusado confessou, com detalhes, a prática delituosa e afirmou que o dinheiro seria utilizado na compra de remédios para sua filha de apenas 3 (três) anos, pois, mesmo com a concessão de liminar, o Estado não voltou a fornecer os medicamentos. Afirmou, ainda, diante desta situação e da negativa de diversas formas de crédito (empréstimo pessoal, cheque especial, saque no cartão de crédito, empréstimo com parentes e amigos, etc), bem como vendo sua filha sofrer com a ausência do medicamento, num ato de desespero, praticou o delito.

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

Na fase do 402 CPP, o Ministério Público requereu a realização de exame pericial na arma

Na fase do 402 CPP, o Ministério Público requereu a realização de exame pericial na arma apreendida. Com a juntada do laudo, a acusação postulou pela condenação do acusado nos termos da denúncia. A defesa foi intimada no dia 28/07/2015 (terça-feira). Considerando a situação hipotética apresentada e com base somente nos dados apresentados pelo enunciado, você na qualidade de advogado (a) deverá adotar a medida judicial cabível, protocolando-a no última dia do prazo.

Discursiva Direito Penal - Peça

 

Quesito Avaliado

 

Faixa de

Atendimento

 

Valores

ao Quesito

Item 1 - Endereçamento: Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito da 2ª Vara Criminal da Comarca de Grandes Rios PR.

0,20

 

Item 2 - Peça: Memoriais art. 404, § único do CPP.

0,20

 

Item

3

-

Preliminares:

Item

3.1)

0,50

 

Desenvolvimento jurídico acerca da nulidade

da audiência

pela ausência de

defensor -

arts. 261 e 564, III, “c”, ambos do CPP e súmula 523 do STF.

Item 3.2 - Desenvolvimento jurídico acerca da nulidade do interrogatório do réuart. 185 do CPP - por violação aos princípios do contraditório e da ampla defesa, art. 5º, inciso LV da Constituição Federal.

0,50

 

Item 4 - Mérito: 4.1) Absolvição do delito do art. 16, parágrafo único, IV, da Lei nº

0,75

 

10.826/03 -

 

o

fato não constitui infração

penal autônoma princípio da consunção artigo 386, III, do CPP.

Item 4.2) Estado de Necessidade, arts. 23, I e 24, CP Absolvição com fundamento no artigo 386, VI, do CPP

0,50

 

Item 5. Teses Subsidiárias: 5.1) Aplicação da

0,25

 

atenuante prevista no art. 65, III, “a”, CP;

5.2); Aplica da atenuante pela confissão

0,25

 

espontânea, art. 65, III, “d”, CP;

 

5.3) Fixação da pena no mínimo legal art. 59 do CP - e regime menos gravoso art. 33, §3º, do CP - ou semiaberto art. 33, §1º, “b”, do CP.

0,25

 

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

Item 6 - Pedidos: (0,15 cada) 1,20 6.1 - Nulidade pela ausência de defensor, 564, III,

Item 6 - Pedidos: (0,15 cada)

1,20

 

6.1

- Nulidade pela ausência de defensor,

564, III, “c”, CPP;

6.2

- Nulidade do interrogatório do réu ;

6.3

- Absolvição com fundamento no art.

386, III, CPP;

6.4

- Absolvição com fundamento no art.

386, VI, CPP;

6.5

- Atenuante motivo de relevante valor

moral, art. 65, III, “a”, CP;

6.6

- - Atenuante pela confissão espontânea,

art. 65, III, “d”, CP;

6.7

Fixação da pena no mínimo legal art. 59

do CP e

6.8

- Fixação de regime menos gravoso art.

33, §3º, do CP - ou semiaberto art. 33, §1º,

 

“b”, do CP.

Item 7 - Prazo: 03/08/2015

0,20

 

Item 8 - Estrutura correta (divisão das partes / indicação de local, assinatura)

0,20

 

RESULTADO

 

EXERCÍCIO 05 BLOCO DE QUESTÕES 03

Questão 1

João Alexandrino, conhecido comerciante da cidade, estava sendo investigado pela autoridade policial do 11º Distrito Policial da comarca de Niterói- RJ em razão da prática do delito de tentativa de furto qualificado pelo concurso de pessoas, ocorrido no dia 10/01/2015, por volta das 22h. Narra o inquérito policial que, Maria Helena, vítima do fato, na data supramencionada foi assaltada por um indivíduo de estatura mediana, com cabelos escuros e utilizando boné, quando saia da faculdade. Informou a vítima que o agente tentou subtrair o veículo Corsa/GM, de cor verde, placa ABC 1234/RJ, que lhe pertencia. Disse, ainda, que ele só não alcançou êxito na empreitada criminosa por motivos alheios a sua vontade, visto que fora impedido de concluí-la pelos policiais militares que estavam em patrulhamento na região. No dia 25/02/2015, João Alexandrino foi convocado para que se fizesse presente naquela delegacia de polícia e assim o fez, imediata e espontaneamente, a fim de se submeter a reconhecimento formal. Na ocasião, negou a autoria do delito, relatando que, no horário do crime, estava em casa, dormindo. Por sua vez, a vítima Maria Helena e a testemunha Agnes, que no dia do crime iria pegar uma carona com a vítima, inicialmente não reconheceram João Alexandrino como autor do delito. Porém, após insistência dos policiais

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

a vítima assinou o auto de reconhecimento, declarando que João Alexandrino era a pessoa que, no

a vítima assinou o auto de reconhecimento, declarando que João Alexandrino era a pessoa que, no dia 10/01/2015, havia tentado furtar o seu veículo, conforme orientação dos agentes de polícia. Diante disso, o delegado autuou João Alexandrino em flagrante delito e recolheu-o à prisão. Foi entregue a João Alexandrino a nota de culpa, e, em seguida, foram feitas as comunicações de praxe. João Alexandrino não é primário, porém possui residência e emprego fixos. Como advogado contratado para a defesa de João Alexandrino responda fundamentadamente:

1) Qual peça privativa de advogado deve ser apresentada para liberdade de João Alexandrino?

2) Quais as principais teses defensivas a serem abordadas?

Discursiva Direito Penal Questão 01

Quesito avaliado

Faixa de

Atendimento

Valores

ao Quesito

a) Relaxamento de prisão em flagrante, art. 5.º, LXV, CRFB e art. 310, I, CPP.

0,25

 

b) Desenvolvimento acerca da ilicitude da prisão em flagrante (0,25); apresentação espontânea impeditiva da prisão em flagrante (0,25); inexistência de situação flagrancial (0,25); reconhecimento em desacordo com a legislação aplicável(0,25).

1,00

 

RESULTADO

Nota na Discursiva - Direito Penal Questão 1

 

Questão 2 Camila, Samara e Joana são blogueiras com reputação admirável no meio de dicas para saúde e beleza. Cada qual possui o seu blog, de forma independe e autônoma. Ocorre que Samara ao tomar conhecimento da traição de seu namorado Lucas com Camila, passa a proferir em seu blog diversos comentários relativos à honra de Camila, destacando-se o seguinte trecho:

“biscate, vagabunda”. Não bastasse a divulgação em seu blog, pela rede mundial de computadores, Samara divulga os fatos junto a redes sociais. Compadecida pela situação de Samara, Joana decide divulgar uma nota

pública em seu blog com o seguinte teor: “Sempre soube que Camila era vagabunda. Não passa de uma biscate”. Ofendida, Camila procura um advogado que consegue uma liminar para excluir os comentários da internet. Todavia, tal medida só fora conseguida uma semana após as informações terem se propagado em grande proporção. Em referida decisão liminar, foi determinada multa no valor de R$ 5.000,00 por dia de descumprimento.

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

Pelos fatos narrados, Camila formulou uma queixa-crime em face de Joana e Samara. No curso da

Pelos fatos narrados, Camila formulou uma queixa-crime em face de Joana e Samara. No curso da ação penal, porém, Joana procurou Camila para pedir desculpas pelos seus atos e teceu nota pública de retratação, razão pela qual Camila expressamente concedeu perdão do ofendido em seu favor, sendo esse prontamente aceito e, consequentemente, extinta a punibilidade de Joana. Samara pratica o mesmo ato, pedindo desculpas, contudo Camila se recusa a aceitá-la e conceder o perdão. Considerando apenas as informações narradas, responda aos itens a seguir.

  • A) Qual o crime praticado, em tese, por Joana e Samara?

  • B) Que argumento poderá ser formulado pelo advogado de Samara para

evitar sua punição?

Discursiva Direito Penal Questão 02

 
 

Faixa

Atendimen

Quesito avaliado

 

de

to

ao

 

Valores

Quesito

  • a) Crime de injúria, art. 140 (0,25), com a causa

0,50

 

de aumento (ampla divulgação), do art. 141, III,

(0,25) ambos do CP;

 
  • b) Extensão do perdão do ofendido art. 106, I, CP

0,75

 

e/ou

art.

51

do

CPP (0,50)

e

a extinção

da

punibilidade, 107, V, do CP. (0,25)

 

RESULTADO

 

Nota na Discursiva - Direito Penal Questão 2

   

Questão 3

Marta e Paolo, viviam em uma conturbada união estável desde o ano de 2010.

Após separarem-se, no último dia 20, em ato de impulso e violenta emoção ocasionada pela reação de ver Marta circundo com roupas curtas na academia, Paolo desfere lhe um tapa, causando lesão corporal leve em sua companheira. Marta, desolada, procura as autoridades policiais e registra ocorrência em face da lesão sofrida. Passados alguns meses, Marta acha melhor esquecer o fato e decide, então, voltar atrás da representação prestada. Nesse sentido e com base na legislação e jurisprudência dos Tribunais Superiores, responda fundamentadamente:

  • A) Pode haver aplicação de pena consistente exclusivamente em prestação

pecuniária?

  • B) Qual a natureza jurídica da ação penal em razão da lesão corporal na

situação acima descrita?

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

Discursiva – Direito Penal – Questão 03 Faixa Atendimen Quesito avaliado de to ao Valores Quesito

Discursiva Direito Penal Questão 03

 

Faixa

Atendimen

Quesito avaliado

de

to

ao

Valores

Quesito

Não,

  • a) o

artigo 17

da Lei 11.340/06

veda

a

0,25

 

prestação pecuniária;

Ação

  • b) penal

pública

incondicionada,

pouco

1,00

 

importando a extensão desta, ADI n. 4424.

RESULTADO

Nota na Discursiva - Direito Penal Questão 3

   

Questão 4

Em 15/12/2012, ocorreu em toda região norte do país forte estiagem, ocasionando situação de calamidade pública pela falta de chuva. As reservas de água dos Estados afetados alcançaram níveis baixos, faltando inclusive água potável para a população. Em virtude do período anormal, foi editada lei penal tipificando a conduta de uso desnecessário de água. Passados um ano, a estiagem acabou com a chegada das chuvas, normalizando por completo o abastecimento da água da região afetada, ocasionando na autorrevogação da lei que tipificou como crime a conduta de uso desnecessário de água. Em 20/12/2012, Adalberto Junqueira foi flagrado lavando seu carro e responsabilizado criminalmente por tal conduta com fundamento na mencionada lei. Em 16/12/2013 a ação penal está em fase de instrução e é designada audiência de instrução e julgamento. Diante do caso hipotético, responda:

A) Diante da situação de anormalidade apresentada pelo enunciado, a mencionada lei penal recebe qual denominação? Fundamente.

B) O advogado de Adalberto prepara petição pedindo a extinção da punibilidade, tendo em vista que sua conduta deixou de ser crime com o término do período de estiagem e a autorrevogação da lei. Seu pedido possui amparo legal? Fundamente.

Discursiva Direito Penal Questão 04

Quesito avaliado

Faixa de

Atendimento

Valores

ao Quesito

  • a) Lei penal excepcional, art. 3º, CP;

0,75

 
  • b) Não, a lei excepcional possui ultratividade,

0,50

 

art. 3°, CP.

RESULTADO

Nota na Discursiva - Direito Penal Questão 4

 

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

EXERCÍCIO 06 – PEÇA 03 Em 23/05/2015, Roberto, brasileiro, casado, com 30 anos de idade, jornalista

EXERCÍCIO 06 PEÇA 03

Em 23/05/2015, Roberto, brasileiro, casado, com 30 anos de idade, jornalista

da Gazeta “Cidade Vale” publicou matéria afirmando que o deputado federal

Fernando, casado, com 68 anos de idade, foi responsável pela negativação do município de Condeúba/BA, em virtude da desaprovação das contas municipais de 2001/2004, época em que era prefeito, o que impediu a localidade de celebrar diversos convênios com entidades, de obter recursos e investir na melhoria da cidade. A informação foi amplamente divulgada por meio impresso e apresentada em programa televisivo, bem como no blog pessoal do jornalista na Internet, com o firme propósito de ofender a honra do deputado. Fora interpelado judicialmente e se recusou a dar explicações acerca das ofensas, mantendo-se inerte. Mesmo sem saber se as informações eram verdadeiras, o jornalista Roberto, afirmou em meios de comunicações distintos que o ex-prefeito “havia 'roubado' a cidade, pois tinha se apropriado, indevidamente, de R$ 3 milhões pertencentes aos cofres público" e que "já teria gasto parte da fortuna 'roubada' com festas, bebidas, drogas e prostitutas". Tal afirmação foi proferida durante o programa de televisão Hora da Vez, em 05/6/2015, às 21h30min, no canal de televisão Passa Longe e publicado em blog, na Internet, em 06/06/2015. Prosseguindo a empreitada ofensiva, o jornalista disse, em 04/7/2015, em seu blog pessoal na Internet, que Fernando não tinha condições de gerir a cidade porque é "um jumento, de capacidade intelectual inferior à de um rato". Entre os documentos coletados pelo cliente encontram-se a gravação, em DVD, do programa de televisão, com o dia e horário em que foi veiculado, bem como a edição do jornal impresso em que foi difundida a matéria sobre o assunto, além de cópias de páginas e registros extraídos da Internet, com as ofensas perpetradas pelo jornalista. Fernando tomou conhecimento da autoria e dos fatos no dia 05/07/2015, tendo todos eles ocorrido na cidade de Condeúba/BA, sede da emissora e da editora, além de domicílio do envolvido. Em face dessa situação hipotética, na condição de advogado(a) contratado(a) por Fernando redija a peça processual que atenda aos interesses de seu cliente, considerando recebida a pasta de atendimento do cliente devidamente instruída, com todos os documentos pertinentes, suficientes e

necessários, procuração com poderes especiais e testemunhas.

Discursiva Direito Penal - Peça

Quesito Avaliado

Faixa de

Atendimento

Valores

ao Quesito

Item 1 - Endereçamento: Excelentíssimo

0,25

 

Senhor Doutor Juiz de Direito da

Vara

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

Item 2 - Peça e fundamento: Queixa Crime – Indicação correta do dispositivo legal que embasa

Item 2 - Peça e fundamento: Queixa Crime Indicação correta do dispositivo legal que embasa a queixa-crime: art. 41 do CPP OU art. 100, §2º, do CP OU o art. 30, do CPP OU art. 145 do CP.

0,25

 

Item 3

-

Indicação

da

qualificação

do

0,25

 

querelante e do querelado.

 

Item

4

-

Existência

de Procuração com

0,25

 

poderes especiais de acordo com o art. 44 do CPP em anexo ou menção acerca de sua existência no corpo da qualificação.

Item 5 A exposição dos fatos criminosos (0,75 cada):

3,00

 

5.1) Difamação art. 139 do CP cumulada com as causas de aumento de pena previstas nos inciso III e IV, do art. 141 CP; 5.2) Calúnia art. 138 do CP cumulada com as causas de aumento de pena previstas nos incisos III e IV, do art. 141 CP; 5.3) Injúria art. 140 do CP cumulada com a causa de aumento de pena prevista no art. 141, III do CP e 5.4) Tudo em concurso material (artigo 69 do CP).

Item 6 Pedidos (0,10 cada):

 

0,60

 

6.1) Recebimento e processamento da presente ação; 6.2) Citação do querelado para apresentar defesa; 6.3) Condenação do querelado nas penas dos artigos desenvolvidos na tese; 6.4) Fixação do valor mínimo de indenização art. 387, IV, do CPP; 6.5) Condenação dos querelados nas custas e demais despesas do processo e 6.6) Notificação das testemunhas arroladas.

Item 7 - Rol de testemunhas

 

0,20

 

Item 8 - Estrutura correta (divisão das partes / indicação de local, assinatura)

0,20

 

RESULTADO

 

EXERCÍCIO 07 PEÇA 04

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

João dos Santos foi preso em flagrante em 13 de maio de 2015 por ter, supostamente,

João dos Santos foi preso em flagrante em 13 de maio de 2015 por ter, supostamente, infringido o artigo 33, Lei 11.343/2006 (Lei de Drogas). O flagranciado foi parado em uma blitz policial e, em revista no seu automóvel, constatou-se a existência de uma porção de substância. Feito o laudo de constatação preliminar, verificou-se tratar-se de 10 gramas de “maconha”. O d. Juízo da 2ª Vara Criminal de Muzambinho/MG converteu a prisão em flagrante em preventiva, sob o argumento de ser considerável a quantidade de droga encontrada no veículo do flagranciado, bem como em razão da gravidade e hediondez do crime e da garantia para a instrução criminal. A família do preso procura o seu auxílio na qualidade de advogado, informando que João, ora recolhido no Centro de Detenção Provisória de Muzambinho/MG é primário, possuidor de bons antecedentes, com residência fixa e trabalho. Elabore a peça processual pertinente, privativa de advogado.

Discursiva Direito Penal Peça 04

 

Quesito Avaliado

 

Faixa de

Atendimento

 

Valores

ao Quesito

  • 1. Endereçamento

correto

da

peça:

0,25

 

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito da 2ª Vara Criminal de Muzambinho/MG

  • 2. Peça: Liberdade Provisória Indicação

0,75

 

correta do dispositivo legal que fundamenta a peça - art. 5º, inciso LXVI, da Constituição Federal e artigo 310, III, e 321 ambos do CPP

  • 3. Desenvolvimento jurídico acerca da

   

inexistência dos requisitos do art. 312 do CPP

1,00

  • 4. Desenvolvimento jurídico acerca da

   

inconstitucionalidade da vedação da liberdade provisória no tráfico de drogas.

1,00

  • 5. Aplicação das medidas cautelares diversas

1,00

 

da prisão (artigos 282 e 319, ambos do CPP)

  • 6. Pedido:

   

- Concessão da liberdade provisória sem fiança (0,25) - Expedição do alvará de soltura (0,25);

0,75

- Alternativamente, caso o magistrado não entenda cabível a liberdade provisória sem fiança, que sejam aplicadas medidas cautelares diversa da prisão (0,25);

  • 7. Estrutura correta (divisão das

partes /

0,25

 

indicação de local, assinatura)

 

RESULTADO

Nota na Discursiva - Direito Penal Peça 4

 

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

EXERCÍCIO 08 – PEÇA 05 No dia 10 de julho de 2015, a fim de comemorar

EXERCÍCIO 08 PEÇA 05

No dia 10 de julho de 2015, a fim de comemorar seu aniversário de 21 anos e o carro que ganhou de presente, Ana Elisa ingeriu 1 litro de saquê em sua residência. Após a ingestão da bebida alcoólica, Ana Elisa pegou seu automóvel e passou a conduzi-lo ao longo da avenida que tangencia sua propriedade. Após percorrer cerca de dois quilômetros na avenida absolutamente deserta, Ana Elisa foi surpreendida por uma equipe da Polícia Militar que lá estava a fim de procurar uma mulher foragida do presídio da localidade. Abordada pelos policiais, Ana Elisa desceu de seu veículo de forma trôpega e exalando forte odor de álcool, foi coagida pelos policiais militares a realizar o

teste do “bafômetro”.

Realizado o teste, verificou-se que Ana Elisa tinha concentração de álcool de 0,2 miligrama de álcool por litro de ar alveolar, e, por esta razão, os policiais a conduziram ao Distrito Policial, onde foi lavrado Auto de Prisão em Flagrante pela prática do crime previsto no artigo 306, § 1º, I, do Código de Trânsito Brasileiro. Três dias após a lavratura do Auto de Prisão em Flagrante, em razão de Ana Elisa ter permanecido encarcerada no Distrito Policial, você é procurado pelos familiares da presa, os quais protestaram porque não conseguiram vê-la e de que o delegado não comunicara o fato ao juízo competente nem à Defensoria Pública. Com base somente nas informações de que dispõe e nas que podem ser inferidas pelo caso concreto acima, na qualidade de advogado (a) de Ana Elisa, redija a peça cabível, privativa de advogado.

Discursiva Direito Penal Peça 05

Quesito Avaliado

Faixa de

Atendimento

Valores

ao Quesito

Item 1 - Endereçamento: Excelentíssimo

0,25

 

Senhor Doutor Juiz de Direito da Criminal da Comarca de __

Vara

Item 2 - Peça: Relaxamento da Prisão - 5º, LXV, da CF e art. 310, I, do CPP

art.

0,50

 

Item 3 - Desenvolvimento jurídico acerca da atipicidade do fato Quantidade inferior ao cominado pelo §1º, I, do artigo 306, da Lei n.º9.503, de álcool por litro de ar alveolar.

1,00

 

Item 4 - Desenvolvimento jurídico acerca da nulidade do auto de prisão em flagrante por violação ao direito a não produzir prova contra si [art. 5º, LXIII, da CF OU art. 8º, 2,

1,00

 

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

“g” do Decreto 678/92 (Pacto de San José da Costa Rica)] Item 5 - Desenvolvimento jurídico

“g” do Decreto 678/92 (Pacto de San José da

   

Costa Rica)]

 

Item 5 - Desenvolvimento jurídico acerca da nulidade do auto de prisão em flagrante em razão da colheita forçada do exame de teor alcoólico e consequente ilicitude da prova [art. 5º, LVI, OU art. 157 do CPP]

1,00

 

Item 6 - Desenvolvimento jurídico acerca da

0,50

 

nulidade do auto de prisão em flagrante por

não comunicação

imediata da prisão

e

de

onde se

encontra o preso

às autoridades

competentes

-

art.

306,

“caput”

do

CPP

(0,25)

e

violação à exigência de

encaminhando dos

autos

à

autoridade

judiciária e à defensoria pública dentro de 24 horas, nos termos do art. 306, §1º, do CPP OU art. 5º, LXII, da CRFB (0,25).

Item 7 - Pedidos: Pedido de relaxamento de prisão em flagrante e expedição de alvará de soltura.

0,50

 

Item 8 - Estrutura correta (divisão das partes / indicação de local, assinatura)

0,25

 

RESULTADO

 

EXERCÍCIO 09 PEÇA 6

Luciano de Lima, personalidade influente da pequena cidadezinha de Adamantina, em São Paulo, na manhã do dia 20 de maio de 2015, ao abrir o jornal de sua cidade “Nosso Lugar”, deparou-se com a coluna semanal do jornalista Rubens Oliveira. No pequeno texto, Rubens, conhecido por sua

ironia, falava sobre “uma figura marcante da cidade que, além de assassinar

a língua portuguesa por onde passa, também é assassino confesso de inúmeros coelhos comprados na ‘Granja Pio Forte’, todos utilizados para servir suas sempre mal sucedidas festas”.

Ao ler, Luciano concluiu rapidamente que o colunista se referia a ele. Inconformado com a possível repercussão da publicação consultou seu advogado e, no dia 27 de maio, distribuiu queixa-crime, imputando a Rubens as infrações descritas nos artigos 138, 139 e 140 do Código Penal. Alegava, em síntese, que o jornalista ofendeu sua honra diante de toda a cidade. O Juiz da Vara Criminal de Adamantina/SP realizou a audiência de conciliação

no dia 19 de junho, mas esta restou infrutífera. Na mesma oportunidade, intimou o querelante para que complementasse as custas, as quais haviam sido recolhidas em valor inferior ao exigido.

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

Apesar dos argumentos de defesa trazidos pelo querelado, o juiz a quo recebeu a queixa-crime. O

Apesar dos argumentos de defesa trazidos pelo querelado, o juiz a quo recebeu a queixa-crime. O querelante, por sua vez, apesar de devidamente intimado, deixou de complementar o valor das custas, não mais se manifestando nos autos nos 30 dias seguintes. Considerando a situação hipotética acima apresentada, redija, na qualidade de advogado constituído por Rubens Oliveira, a peça processual adequada à defesa de seu cliente. Em seu texto, não crie fatos novos, explore as teses jurídicas cabíveis, endereçando o documento à autoridade competente.

 

Discursiva Direito Penal Peça 6

 
 

Quesito Avaliado

 

Faixa

Atendimento

 

de

ao Quesito

Valores

  • 1 Endereçamento correto: Excelentíssimo

0,50

 

Senhor Doutor Desembargador Presidente do Egrégio Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (0,50).

  • 2

Peça:

Habeas

Corpus

(0,50)

com

1,00

 

fundamento nos artigos 5°, inciso LXVIII, CF e 647 e seguintes do CPP (0,50).

  • 3 Teses

     

3.1. Falta de justa causa (fato atípico) (artigo 648, I do CPP) (1,00) 3.2. Extinção da punibilidade (perempção) (artigo 107, IV do CP e artigo 648, VII do CPP)

2,00

(1,00).

  • 4 Pedidos:

 

1,00

 

4.1. Requerer prestação das informações pela autoridade coatora (0,20); oitiva da Procuradoria de Justiça, como custos legis (0,20); a concessão da ordem (0,20) para declarar da extinção da punibilidade do fato imputado na ação penal (0,20); Trancamento da ação penal (atipicidade a conduta) (0,20).

  • 5 Estrutura correta (divisão das partes,

0,50

 

indicação de local, data, assinatura e demais formalidades inerentes à estrutura da peça em análise) conforme art. 654 do CPP (0,50)

RESULTADO

 

Nota na Discursiva Direito Penal Peça 6

   

EXERCÍCIO 10 BLOCO DE QUESTÕES 04

Questão 1

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

Sebastião Gomes, casado com a Dra. Geisy Carla, médica ativa na Santa Casa de São Paulo,

Sebastião Gomes, casado com a Dra. Geisy Carla, médica ativa na Santa Casa de São Paulo, ao mesmo tempo, relaciona-se com Giselda Arruda, também médica atuante em hospital renomado da mesma cidade. Após 20 anos de casados, Sebastião resolve divorciar-se de Geisy, relatando a ela a convivência de 10 anos ao lado de Giselda. Transtornada com a descoberta, Geisy resolve mata-lo, motivo pelo qual efetua o disparo de arma de fogo, por 04 (quatro) vezes, contra a peito e a cabeça de Sebastião. No entanto, em seguida aos disparos, Geisy coloca Sebastião dentro do veículo e o conduz ao hospital mais próximo, local de trabalho de Giselda Arruda. Em razão do pouco tempo decorrido entre a conduta e a chegada ao hospital, os médicos de plantão, inclusive Giselda, conseguem salvar a vida de Sebastião. Sebastião sofreu perigo de morte (ou vida), atestado pelos médicos responsáveis, recuperando-se e recebendo alta médica após três semanas de internação. Com base nas informações trazidas pelo problema, responda:

1) Geisy Carla responde por algum crime, se sim, qual? Fundamente sua resposta.

2) Qual a tese defensível poderia ser alegada pelo advogado de Geisy? Justifique e fundamente.

Discursiva Direito Penal Questão 01

   

Quesito avaliado

Faixa de

Atendimento

Valores

ao Quesito

  • a) Sim, responderá por crime de lesão corporal

0,50

 

grave (0,25), previsto no artigo 129, §1º, Inciso II, do CP (0,25);

  • b) Arrependimento Eficaz (0,50), com base no

0,75

 

artigo 15, segunda parte, do CP (0,25).

RESULTADO

Nota na Discursiva - Direito Penal Questão 1

 

Questão 2

José Augusto devia a quantia de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) ao seu primo Gusmão Toledo e vinha se recusando a efetuar o pagamento, vencido desde agosto de 2014. Sabedor de que não receberia o valor pelos meios amistosos, vez que esgotadas as tentativas de recebimento, Gusmão decide obter o valor que lhe é devido de qualquer maneira. Ao tomar conhecimento de que José Augusto sacaria no banco uma quantia superior ao seu crédito, para pagamento de funcionários, Gusmão fica a espera e ao encontrá-lo retira-lhe das mãos uma maleta puxando-a com força. A fivela pontiaguda da maleta causa lesão leve na mão de José. Após o embate, Gusmão abre a maleta de

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

José, podendo constatar que ele levava consigo R$ 7.000,00 (sete mil reais), e se apropria de

José, podendo constatar que ele levava consigo R$ 7.000,00 (sete mil reais), e se apropria de R$ 5.000,00 (cinco mil reais), deixando a maleta e o restante do dinheiro em poder de José.

A) Diante da situação acima descrita, responda, fundamentadamente se Gusmão praticou algum crime? Se sim, qual a tipificação legal?

B) Em caso afirmativo, há incidência de concurso de crimes? Se sim, qual modalidade e quais crimes? Indique a tipificação legal;

Discursiva Direito Penal Questão 2

Quesito avaliado

Faixa de

Atendimento

Valores

ao Quesito

A) Gusmão praticou o crime de exercício arbitrário das próprias razões, art. 345 do CP e lesão corporal leve, art. 129, caput do CP

0,75

 

(0,75)

B) Sim, haverá concurso formal perfeito, art. 70 do CP (0,50)

0,50

 

RESULTADO

Nota na Discursiva - Direito Penal Questão

   

2

Questão 3

Francisco, lavrador, atualmente com 49 anos, vive com sua mulher e mais dois filhos em um pequeno povoado, de difícil acesso, localizado no interior de Góias, conforme fatos relatados através do disque-denuncia por pessoa que preferiu não se identificar. A denuncia anônima indica que os filhos são menores de idade e que a suposta mulher na verdade é sua filha, cuja mãe abandora ainda criança. O denunciante concluiu dizendo que a mulher aparenta possuir aproximadamente 15 anos de idade. A autoridade policial constatou que os fato relatados na denuncia anônima procedem e que Maria, atualmente com 17 anos, é mulher e filha de Francisco, e que as duas criança são frutos desta relação. O Delegado de Polícia relatou o inquérito policial e imputou a Francisco o crime de estupro, majorado em ½, diante da ascendência do autor, conforme art. 213 e 226, II, ambos do Código Penal. Francisco confessou os fatos e se diz arrependido do crime que cometeu. Maria afirma ser feliz, que o autor é bom pai e que nada falta aos seus filhos. A denúncia foi recebida e o réu citado pessoalmante.

A) Indique, na qualidade de advogado, a peça processual cabível, mencionando o(s) dispositivo(s) legal(is) correspondentes.

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

B) Qual a principal tese que o advogado poderá desenvolver na peça processual indicada no item
  • B) Qual a principal tese que o advogado poderá desenvolver na peça

processual indicada no item “a”? Indique o fundamento legal do pedido e

justifique a resposta.

Discursiva Direito Penal Questão 03

Quesito avaliado

Faixa de

Atendimento

Valores

ao Quesito

  • a) Resposta escrita à acusação (0,25), com

0,50

 

fundamento nos 396 e 396-A do CPP(0,25).

  • b) b) fato atípico (0,25) - Não há subsunção

0,75

 

do fato concreto à norma jurídica (0,25) - absolvição, art. 397, III, CPP (0,25).

RESULTADO

Nota na Discursiva - Direito Penal Questão 3

 

Questão 4

Adalberto Cruz foi Juiz da Vara Criminal da Comarca de Nova Venécia, Espírito Santo, durante muitos anos e, hoje, encontra-se como titular da Vara do Júri da mesma Comarca. Quando atuava na Vara Criminal, o Juiz Adalberto absolveu sumariamente João Pereira e, no dia 18 de abril de 2013, o mesmo João Pereira cometeu crime de homicídio doloso contra a sua ex-mulher e

também foi absolvido sumariamente. Diante da situação hipotética, responda:

  • A) Quais são as hipóteses que ensejam a absolvição sumária no procedimento

comum (ordinário e sumário) e seu fundamento legal? Exemplifique cada uma.

  • B) Quais são as hipóteses que ensejam a absolvição sumária no procedimento

do júri e seu fundamento legal? Exemplifique cada uma.

Discursiva Direito Penal Questão 04

Quesito avaliado

Faixa de

Atendimen

Valores

to ao

Quesito

  • A) I - a existência manifesta de causa excludente

0,50

 

da ilicitude do fato; II - a existência manifesta de

causa excludente da culpabilidade do agente, salvo inimputabilidade; III - que o fato narrado evidentemente não constitui crime; IV - extinta a punibilidade do agente (0,25), conforme art. 397, CPP (0,25).

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

B) I – provada a inexistência do fato; II – provado não ser ele autor ou

B) I provada a inexistência do fato; II provado não ser ele autor ou partícipe do fato; III o fato não constituir infração penal; IV demonstrada causa de isenção de pena ou de exclusão do crime, exceto inimputabilidade, salvo quando esta for a única tese defensiva (0,50), conforme art. 415, CPP (0,25).

0,75

 

RESULTADO

Nota na Discursiva - Direito Penal Questão 4

 

EXERCÍCIO 11 PEÇA 07

Diego, 64 anos de idade, casado, mecânico, honrado, respeitado por todos na cidade onde reside, primário e de bons antecedentes, foi preso em flagrante delito na data de 30 de janeiro de 2015, por volta das 20:00h, por Rodolfo, agente da Polícia Federal no Estado de Amazonas. Na data dos fatos, Diego estava na festa paroquial quando Fernando, seu desafeto desde a infância, chegou e começou a proferir palavras de baixo calão, atingindo sua honra, bem como de seus familiares. No calor da discussão, Fernando deu um tapa em seu rosto e diante do fato presenciado por toda a cidade, no mesmo instante, com intenção de ferir, Diego arremessou uma pedra em direção a Fernando, mas como o mesmo se esquivou, a pedra acabou atingindo Pataxó, índio da tribo Korubo, vindo a falecer minutos após em decorrência do ato praticado por Diego. Conduzido até a Delegacia da Polícia Federal, foi lavrado o termo de prisão em flagrante e encaminhado para o Ministério Público Federal que ofereceu denúncia nos termos do artigo 121, §2º, II, do Código Penal. O juiz da 1ª Vara Federal Criminal e do Júri da Subseção Judiciária de Tabatinga/AM, recebeu a denúncia, determinou a citação do réu para apresentar resposta à acusação. Não sendo hipótese de absolvição sumária, o juiz designou audiência de instrução, debates e julgamento, oportunidade que foram ouvidas as testemunhas arroladas pela acusação e pela defesa, nesta ordem, e ao final, o interrogatório do réu. Não havendo diligências, o juiz concedeu prazo sucessivo para apresentação dos memoriais e ao final, em decisão proferida em 12/08/2015 (quarta-feira), pronunciou Diego nos termos da denúncia, por haver prova da materialidade delitiva e da existência de indícios suficientes de autoria. Com base somente nas informações de que dispõe e nas que podem ser inferidas pelo caso concreto acima, na qualidade de advogado de Diego, redija a peça cabível, exclusiva de advogado, capaz de reverter a decisão do juiz de primeiro grau, questionando eventuais ilegalidades, alegando para tanto toda a matéria de direito pertinente ao caso. Date a peça com o último dia do prazo legal, considerando a intimação da decisão no dia 17 de agosto de 2015 (segunda-feira).

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

Discursiva – Direito Penal – Peça 07 Quesito Avaliado Faixa de Atendiment Valores o ao Quesito

Discursiva Direito Penal Peça 07

 

Quesito Avaliado

 

Faixa de

Atendiment

 

Valores

o ao

Quesito

Item 1 - Endereçamento da peça de interposição:

0,25

 

Excelentíssimo Senhor Juiz da 1ª Vara Federal Criminal e do Júri da Subseção Judiciária de Tabatinga/AM

Item 2 - Peça: Recurso em Sentido Estrito (art. 581, inciso IV do CPP)

0,25

 

Item 3 - Pedido de reconsideração: do juiz de 1º grau e indicação da norma (art. 589 do CPP)

0,25

 

Item 4 - Endereçamento da peça de Razões: Tribunal Regional Federal da 1ª Região ou Tribunal Regional

0,25

 

Federal da

Região

Item 5 - Preliminar: Nulidade por Incompetência da Justiça Federal art. 564, I, do CPPCompetência da Justiça Estadual Súmula 140 STJ.

1,00

 

Item 6 - Tese de Mérito: Desclassificação para lesão corporal seguida de morte art. 129, § 3º, CP

1,00

 

Item 7 - Pedido (0,25 cada):

 

1,00

 

7.1) Conhecimento e provimento do recurso; 7.2) Declaração da nulidade e remessa para a Justiça Estadual; 7.3) Desclassificação do delito de homicídio qualificado para o delito de lesão corporal seguida de morte e 7.4) Remessa para o Juízo singular nos termos do art. 419 CPP

Item 8 - Data: 24 de agosto de 2015

 

0,50

 

Item

9

-

Estrutura

correta: (divisão

das partes,

0,50

 

indicação de local, data, assinatura e demais formalidades inerentes à estrutura da peça em análise)

RESULTADO

 

EXERCÍCIO 12 PEÇA 08

Marcos Silva, brasileiro, solteiro, nascido em 23/04/1992, residente e domiciliado em São Paulo/SP, foi denunciado pelo Ministério Público como incurso no artigo 157, parágrafo 2º, incisos I, II, V do CP c/c art. 244-B, do ECA, por ter subtraído, no dia 17/05/2011, em conjunto com o adolescente I.A., para si ou para outrem, mediante violência e grave ameaça exercida com emprego de arma de fogo, R$ 52,00 (cinquenta e dois) reais em espécie e um celular modelo H, avaliado em R$ 600,00 da vítima Cícero Santos, mantido com restrição de liberdade durante a ação da dupla. A denúncia foi

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

recebida em 18 de setembro de 2012, pelo juiz da 1ª Vara Criminal da Comarca da

recebida em 18 de setembro de 2012, pelo juiz da 1ª Vara Criminal da Comarca da Capital de São Paulo, tendo sido o réu citado e apresentado no prazo legal a resposta à acusação. A acusação arrolou como testemunha os policiais João e Maria. O acusado não arrolou testemunhas. O laudo pericial da arma foi juntado tendo sido constada sua potencialidade lesiva. Além disso, foi juntada a folha de antecedentes criminais do réu, na qual consta condenação anterior por uma contravenção penal, cujo trânsito em julgado ocorreu em 08/01/2008. Na audiência de instrução, debates e julgamento realizada em 18/02/2015 (quarta-feira), o magistrado ouviu a vítima Cícero que relatou os fatos, descrevendo que duas pessoas anunciaram o “assalto”; que tomaram o volante do carro; que foi colocado no banco de trás; que seus bolsos foram vasculhados e foram encontrados dinheiro e celular; que fora retirado do veículo; que foi deixado amarrado por um tempo e que ouvira o veículo deixando o local em direção à via. Declarou ainda que não foi possível ver o rosto de um dos agentes, mas na delegacia reconheceu, com certeza, o menor I. A. como um dos autores do delito. Após, colheu o depoimento das testemunhas da acusação João e Maria que tomaram conhecimento dos fatos pela vítima, pois no mesmo dia foram acionados acerca de um roubo; que chegando ao local encontraram a vítima, Cícero dos Santos, ferido e assustado. Em diligencia pela região, apreenderam o menor I.A. e Marcos que estavam próximos ao local onde fora abandonado o veículo, verificando, após revista pessoal, que Marcos portava um celular idêntico ao da vítima e R$ 250,00. Procedido o reconhecimento de pessoas, nos termos do artigo 226 e ss. do CPP, a vítima não conseguiu reconhecer nenhuma das pessoas ali expostas como autoras do delito, dentre elas o acusado. Por fim, interrogou-se o réu, o qual exerceu o direito constitucional de permanecer calado. Na fase de debates, o representante do Ministério Público pugnou pela condenação do réu nos exatos termos da denúncia. A defesa, dentre outros pedidos, postulou pela absolvição. Ao final da audiência de instrução, debates e julgamento o juiz condenou Marcos a pena de 8 (oito) anos de reclusão e 20 (vinte) dias-multa, em regime inicial fechado, pelo delito previsto no artigo 157, §2º, I, II e V, do CP e para o delito do artigo 244-B do ECA, aplicou a pena de 1 (um) ano e 3 (três) meses de reclusão. Para a fixação da pena o magistrado procedeu da seguinte forma: fixou a pena-base do roubo em 4 (quatro) anos, acrescido de mais 1/3, na segunda fase da fixação da pena, pela reincidência e mais 1/2 por estar presente 3 (três) causas de aumento de pena (uso de arma, concurso de pessoas e restrição de liberdade da vítima). Quanto à corrupção de menores, foi fixada a pena mínima de 1 (um) ano de reclusão, acrescido de 1/3 pela reincidência do acusado. Aplicando-se a regra do concurso material, com base no artigo 69, do CP, o total da pena ficou em 9 (nove) anos e 3 (três ) meses de

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

reclusão, em regime inicial fechado e mais 20 dias-multa. A acusação não recorreu, mas a defesa,

reclusão, em regime inicial fechado e mais 20 dias-multa. A acusação não recorreu, mas a defesa, em audiência, assinou o termo de apelação. Com base somente nas informações de que dispõe e nas que podem ser inferidas pelo caso concreto acima, redija a peça cabível, privativa de advogado, sustentando as teses jurídicas pertinentes, datando-a no último dia do prazo.

Discursiva Direito Penal Peça 08

 

Quesito Avaliado

 

Faixa

Atendime

 

de

nto

ao

Valor

Quesito

es

  • 1. Endereçamento correto da petição de juntada:

0,25

 

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito da 1ª Vara Criminal da Comarca da Capital de São Paulo

  • 2. Peça: Apelação - Indicação correta do dispositivo

0,25

 

legal que fundamenta a peça - art. 600 do CPP

 
  • 3. Razões: Egrégio Tribunal de Justiça do Estado de

0,25

 

São Paulo

  • 4. Preliminar:

Extinção

da

Punibilidade

pela

1,00

 

Prescrição do crime descrito no art. 244-B do ECA arts. 107, IV c.c. 110, caput, 109, V, e 115, todos do

Código Penal

5.Mérito: Desenvolvimento jurídico acerca da falta de provas para a condenação absolvição art. 386, inciso VII, do CPP

1,00

 
  • 6. Teses Subsidiárias:

 

0,50

 

Redução da pena aplicação da causa de aumento

no mínimo legal Súmula 443 do STJ

 
  • 7. Redução da Pena: afastamento da reicindência -

0,25

 

art. 63, CP

  • 8. Redução da Pena: reconhecimento da atenuante

0,25

 

da menoridade art. 65, I, CP

 
  • 9. Regime inicial semiaberto, art. 33, § 2º, b, do CP

0,25

 

10. Pedidos: (0, 10 cada)

 

0,70

 
  • - Conhecimento e provimento do recurso;

 
  • - Extinção da punibilidade pela prescrição art. 107, IV, CP;

  • - Absolvição art.386, inciso VII, do CPP;

 
  • - redução da pena causa de aumento

  • - redução da pena afastamento da reincidência

  • - redução da pena atenuante menoridade

  • - regime semiaberto

 

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

10. Prazo: 26/02/2015 (quinta-feira) 0,15 11. Estrutura correta (divisão das partes / indicação 0,15 de local,
  • 10. Prazo: 26/02/2015 (quinta-feira)

0,15

 
  • 11. Estrutura correta (divisão das partes / indicação

0,15

 

de local, assinatura)

RESULTADO

   

Nota na Discursiva Direito Penal Peça 08

   

EXERCÍCIO 13 BLOCO DE QUESTÕES 05

Questão 1

João, com 20 anos de idade, foi condenado por sentença publicada em 04 de março de 2013, a pena de 1 ano e 3 meses de reclusão, mais multa, por crime de estelionato praticado em 04 de fevereiro de 2012. A decisão transitou em julgado para o Ministério Público em 25 de março de 2013. Em

07 de maio de 2015, o Tribunal de Justiça proferiu o julgamento do recurso da defesa.

A) Ao julgar o recurso de apelação do acusado, o Tribunal de Justiça deve reconhece qual espécie de prescrição? Justifique e fundamente sua resposta.

B) Qual a natureza jurídica da decisão que reconhece a prescrição? Justifique e fundamente sua resposta.

Discursiva Direito Penal Questão 01

   

Quesito avaliado

Faixa de

Atendimento

Valores

ao Quesito

a) Aplica-se ao caso a prescrição da pretensão punitiva intercorrente ou superveniente, art. 110, §1º, CP.

0,75

 

b) A decisão que reconhece a prescrição tem natureza jurídica de causa de extinção da punibilidade, art. 107, IV, do CP.

0,50

 

RESULTADO

Nota na Discursiva - Direito Penal Questão 1

 

Questão 2

Ticio foi julgado pelo Tribunal do Júri em razão da prática de um crime doloso

contra a vida. No momento dos debates em plenário, o Promotor de Justiça procedeu à leitura para os jurados de alguns trechos do acórdão que manteve a sentença de pronúncia contra o réu. O advogado que estava na defesa do réu impugnou essa conduta e pediu que constasse em ata este fato, nos seguintes termos: “senhores jurados, não sou eu que afirmo ser o réu

culpado, na sentença de pronúncia, o Dr. Sicrano, juiz de direito, que estudou muito e passou em concurso extremamente difícil, reconheceu que havia indícios de que o réu aqui presente praticou um homicídio, e esse também é o entendimento dos desembargadores do Tribunal, além de ser um homem

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

perigoso, conforme docume nto que passo a ler ... ”. Sabe -se que na mesma sessão

perigoso, conforme documento que passo a ler

...

”.

Sabe-se que na mesma

sessão plenária, o juiz-presidente determinou que o réu fosse algemado. O advogado de defesa também impugnou a determinação, sob a alegação de que o réu foi denunciado por homicídio doloso, com pena reduzida em razão do relevante valor moral de sua conduta, pois cometera homicídio eutanásico, e que, além do mais, é portador de necessidades especiais (cadeirante), também consignado em ata após indeferimento do pleito. O acusado foi condenado.

  • A) A conduta do Promotor, impugnada pelo Advogado de defesa, é proibida

pelo ordenamento jurídico? Fundamente.

  • B) No presente caso, é lícito o uso de algemas no réu em sessão plenária?

Justifique e fundamente.

Discursiva Direito Penal Questão 2

Quesito avaliado

Faixa de

Atendimento

Valores

ao Quesito

a) Sim, sob pela de nulidade, conforme art. 478, I, CPP;

0,75

 

b) Não, o réu não preenche os requisitos autorizadores do uso de algemas (0,25), art. 474, §3°, CPP (0,25) e súmula vinculante n. 11, STF (0,25).

0,50

 

RESULTADO

Nota na Discursiva - Direito Penal Questão

   

2

Questão 3

Maria foi denunciada, por, supostamente, ter prestado declaração falsa as autoridades fazendárias, após a correspondente consolidação do débito fiscal na esfera administrativa, mediante decisão transitada em julgado. Condenada na ação penal, Maria, interpôs apelação na qual suscitou a ausência de justa causa para a ação penal, sob o fundamento de que o débito se encontrava "sub judice", em razão do ajuizamento de ação anulatória, circunstância que, segundo o seu argumento, impossibilitaria o exame da questão na esfera criminal. Com base na situação hipotética apresentada, responda:

  • A) Maria praticou conduta típica, ilícita e culpável? Fundamente.

  • B) Suposto ser ilícita a conduta cometida por Maria, a ação anulatória de

débito fiscal obsta o exame da questão na esfera criminal? Fundamente.

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

Discursiva – Direito Penal – Questão 03 Quesito avaliado Faixa de Atendimento Valores ao Quesito a)
Discursiva – Direito Penal – Questão 03 Quesito avaliado Faixa de Atendimento Valores ao Quesito a)
Discursiva – Direito Penal – Questão 03
Quesito avaliado
Faixa de
Atendimento
Valores
ao Quesito
a)
Sim, previsto
no
art.
1º,
I,
da
Lei
n.
0,50
8137/90;
b)
A ação anulatória não obsta a ação penal,
0,75
pois
as
esferas
cível
e
criminal são
independentes.
RESULTADO
Nota na Discursiva - Direito Penal – Questão 3
Questão 4
No dia 4 de fevereiro de 1992 Aroldo estuprou Alcides, sua companheira. Os
fatos foram investigados, provas períciais e testemunhais foram produzidas,
o inquérito policial foi relatado e a autoridade policial concluiu pela
materialidade do crime de estupro e certeza da autoria. A denúncia foi
recebida pelo juiz da 10ª Vara Criminal no dia 4 de janeiro de 1994 e a
instrução criminal seguiu sem qualquer irregularidade culminando com sua
condenação em 15 de julho de 1995 a 6 anos de reclusão, em regime
fechado, cujo trânsito foi certificado nos autos em julgado 22 de julho de
1995. No dia 22 de julho de 1995 foi encaminhado à Penitência de Segurança
Máxima e, durante uma rebelião, fugiu em 15 de agosto de 1995. Aroldo é
tido pela justiça como foragido, tendo sido recapturado após uma operação
militar de rotina no Estádio do Pacaembu, em 7 de maio de 2015.
A)
A punibilidade está extinta pela ocorrência da prescrição da pretensão
propriamente dita, retroativa ou intercorrente? Justifique.
B)
A punibilidade está extinta pela ocorrência da prescrição da pretensão
executória? Justifique.
Discursiva – Direito Penal – Questão 04
Quesito avaliado
Faixa de
Atendimen
Valores
to ao
Quesito
a)
Não, por não preencher os artigos 109, 111,I,
0,25
110, §1º, todos do CP;
b)
Sim, conforme artigos 109, III, 110, caput, 112,
1,00
II, e 113, todos do CP.
RESULTADO
Nota na Discursiva - Direito Penal – Questão 4

EXERCÍCIO 14 BLOCO DE QUESTÕES 06

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

Questão 1 Clovis e Astolfo foram processados por manterem em depósito no interior de sua residência,

Questão 1

Clovis e Astolfo foram processados por manterem em depósito no interior de sua residência, 50 pedras de “crack”, com o fim de entregar a consumo ou fornecer, ainda que gratuitamente, sem autorização e em desacordo com determinação legal ou regulamentar. No curso do processo, a defesa de Clovis requereu a realização de exame pericial e por laudo acostado nas fls. 450/460 dos autos, constatou-se que em razão de dependência alcoólica, Clovis é portador de psicopatia traumática aguda, e que era, ao tempo da ação, inteiramente incapaz de entender o caráter ilícito do fato ou de determinar- se de acordo com esse entendimento. Mesmo assim, o juiz condenou ambos os réus pelo delito previsto no artigo 33 da Lei n.º 11.343/06. Considerando que o advogado dos réus foi intimado da sentença em 25/06/2015, responda fundamentadamente:

A) Qual a medida judicial cabível possível de reverter a decisão? Qual a principal tese de defesa a ser arguida em relação ao réu Clovis? Justifique e fundamente a sua resposta.

B) Poderá a mesma tese ser alegada em favor de Astolfo? Justifique e fundamente sua resposta.

Discursiva Direito Penal Questão 01

 
 

Quesito avaliado

 

Faixa de

Atendimento

Valores

ao Quesito

Item a

-

Recurso de Apelação, com

0,75

 

fundamento no artigo 593, I, do CPP (0,25).

Causa excludente da culpabilidade, por inimputabilidade, proveniente de doença mental, com fundamento no artigo 26, caput, CP (0,50).

Item b

-

Não, pois

não se comunica

as

0,50

 

circunstâncias e as

condições de caráter

pessoal, salvo quando elementares do crime

Artigo 30 do CP. (0,50).

 

RESULTADO

 

Nota na Discursiva - Direito Penal Questão 1

   

Questão 2

Cleber foi denunciado pelo delito previsto no art. 121, § 2º, inc. II, Código

Penal, pois no dia 23/09/2010 teria matado seu amigo, Pedro, durante uma discussão sobre a desclassificação do seu time de futebol da Libertadores. A denúncia foi recebida e, no decorrer da instrução processual, a defesa requereu exame de insanidade mental do acusado. Juntado o laudo de referido exame, comprovou-se que Cleber, ao tempo da ação, em razão de

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

retardamento mental, era inteiramente incapaz de entender o caráter ilícito do fato ou de determinar-se de

retardamento mental, era inteiramente incapaz de entender o caráter ilícito do fato ou de determinar-se de acordo com esse entendimento. Nos debates, a defesa apresentou outras teses defensivas e requereu a absolvição sumária do acusado, com fundamento no artigo 415, IV, do CPP. Com base somente nas informações que o enunciado disponha, responda de forma fundamentada e justificada:

  • A) Poderá o Juiz absolver sumariamente o acusado? Justifique sua resposta.

  • B) Qual a providencia a ser adotada pelo Juiz, caso constate que a doença

mental sobreveio à infração penal? Fundamente sua resposta.

Discursiva Direito Penal Questão 02

Quesito avaliado

Faixa de

Atendimento

Valores

ao Quesito

Item a - Não poderá absolver sumariamente o acusado porque não foi a única tese arguida pela defesa Artigo 415, parágrafo único, do CPP. (0,75)

0,75

 

Item b - Suspensão do Processo, Art. 152, CPP.

0,50

 

RESULTADO

Nota na Discursiva - Direito Penal Questão 2

 

Questão 3

No dia 04/08/2015, Bianca, primária, sem antecedentes, caminhava pela rua após sair do seu trabalho e encontrou, numa esquina, um celular identificado e totalmente desbloqueado. Sem conseguir localizar e manter contato com o

dono do referido aparelho, Bianca, em 18/08/2015, dirigiu-se até o distrito policial para entregar o referido aparelho. Diante dos fatos narrados, o delegado instaurou inquérito policial e indiciou a acusada pelo delito de apropriação de coisa achada. Remetido os autos para o Ministério Público o mesmo a denunciou pelo delito mencionado. Com base somente nos dados fornecidos pelo enunciado, responda:

  • A) Poderia o Ministério Público ter denunciado Bianca pelo delito mencionado

no enunciado? Justifique e fundamente sua resposta.

  • B) Se Bianca se apoderasse do celular que encontrava-se no interior de um

estabelecimento particular e era procurado no mesmo momento pelo seu

proprietário, também incorreria no delito mencionado no enunciado? Fundamente e justifique sua resposta.

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

Discursiva – Direito Penal – Questão 03 Quesito avaliado Faixa de Atendimento Valores ao Quesito Item

Discursiva Direito Penal Questão 03

Quesito avaliado

Faixa de

Atendimento

Valores

ao Quesito

Item a - Não, porque o objeto foi entregue antes do decurso do prazo de 15 dias e o delito não se consumou, tornando-se o fato atípico Artigo 169, II, do CP (0,75).

0,75

 

Item b - Não, Bianca comete o crime de furto Artigo 155 do CP (0,50).

0,50

 

RESULTADO

Nota na Discursiva - Direito Penal Questão 3

 

Questão 4

Feliciano, 23 anos, primários, bons antecedentes, querendo comprar um tênis importado e sem conseguir guardar a quantia suficiente, resolveu falsificar o cartão de crédito de seu amigo Túlio, fazendo constar dados falsos, de modo a facilitar futuras fraudes. Finalizada a fraude e antes mesmo de usar o cartão, o mesmo foi apreendido pela autoridade policial em uma blitz de rotina. O delegado registrou a ocorrência e encaminhou os autos para o Ministério Público, o qual ofereceu denúncia nos termos do artigo 297, §2º do CP, pois o cartão equipara-se, para fins penais, à falsificação de nota promissória e de cheque, títulos de crédito equiparados a documento público.

Recebida a denúncia, o réu foi citado o qual apresentou resposta à acusação dentro do prazo legal. Não sendo hipótese de absolvição sumária, foi designada audiência de instrução e julgamento respeitado o disposto no artigo 400 do CPP. Finalizada, o Ministério Público requereu a condenação do acusado nos termos da denúncia. Considerando somente os elementos fornecidos pelo caso concreto, responda fundamentadamente:

  • A) Qual a peça processual cabível? O que poderia ser alegado em sua defesa?

Justifique e fundamente sua resposta.

  • B) Considerando que Feliciano, utilizando-se de um cartão de crédito clonado,

realiza a compra do tênis, obtendo-se assim, a vantagem ilícita, está conduta típica se amolda ao delito do artigo 297, §2º do CP? Se sim, por quê? Se não, qual o delito se enquadra? Consumado ou tentado? Fundamente e justifique sua resposta.

Discursiva Direito Penal Questão 04

 

Faixa

 

Quesito avaliado

de

Atendimen

to

ao

Valore

s

Quesito

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

Item a - Memoriais, artigo 403, §3º do CPP (0,25). 1,00 Desclassificação para o delito do

Item a - Memoriais, artigo 403, §3º do CPP (0,25).

1,00

 

Desclassificação

para

o

delito

do

artigo

298,

parágrafo

único,

CP

(0,25);

aplicação da

suspensão condicional do processo, artigo 89, da Lei n.º 9.099/95 (0,25); Teses subsidiárias: 1) fixação da pena-base no mínimo legal (art. 59 do

CP); 2) regime aberto (art. 33, §2º, “c”, do CP); 3)

substituição da pena privativa de liberdade por

restritiva de direito (art. 44 do CP) e a 4)

suspensão condicional da pena (art. 77

do

CP)

(0,25)

Item b - Não, configura o delito de estelionato

0,25

 

(artigo

171

do

CP),

consumado,

diante

da

obtenção de vantagem ilícita e do prejuízo alheio

(0,25)

RESULTADO

 

Nota na Discursiva - Direito Penal Questão 4

   

EXERCÍCIO 15 PEÇA 09 Marisa Albuquerque, durante os últimos 10 anos, sem a ajuda de irmãos e familiares, cuidou de sua mãe portadora de seria doença degenerativa. As despesas mensais de Marisa eram custodiadas por seu salário e pelo auxílio doença pago à sua mãe pela Previdência Social. Após o falecimento da mãe, Marisa, objetivando cumprir com as despesas funerárias, além de outras dívidas decorrentes de remédios e constantes consultas médicas, continuou recebendo, fraudulentamente, todos os meses, o mencionado benefício. Por medo da consequência de sua conduta, antes de iniciado o procedimento administrativo, espontaneamente Marisa procurou a Previdência Social e efetuou o pagamento do valor sacado devidamente atualizado. Conforme levantamento realizado pela Previdência Social os saques

realizados por Marisa totalizaram a somatória de R$ 25.000,00. Regularmente processada, Marisa foi condenada ao cumprimento de uma pena de 2 anos de reclusão e multa, pelo cometimento do crime previsto no art. 171, §3º, do Código Penal (estelionato com pena majorada) em regime aberto, tendo em vista o registro de uma condenação pelo cometimento de furto e receptação, cuja penas foram integramente cumpridas no ano de

1996.

A defesa de Marisa Albuquerque interpôs recurso de apelação contra a sentença de mérito que teve seu provimento negado, por maioria de votos, pela 1ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região. Sabe-se que restou vencido o voto que acolhia a i) redução da pena de 1/3 a 2/3, proveniente da aplicação do artigo 16 do Código Penal (arrependimento posterior) e ii) a substituição da pena privativa de liberdade, em regime aberto, por pena restritiva de direitos.

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

O acórdão foi publicado em 07 de agosto de 2015 (sexta-feira). Como advogado contratado, adote a

O acórdão foi publicado em 07 de agosto de 2015 (sexta-feira). Como advogado contratado, adote a medida cabível objetivando defender os interesses de Marisa datando-a no último dia do prazo.

Discursiva Direito Penal Peça 09

     

Quesito Avaliado

Faixa de

Atendime

Valores

nto ao

Quesito

  • 1. Excelentíssimo Senhor Doutor Desembargador

   

Relator do Recurso de Apelação n.º

da

... Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

...

,

0,25

  • 2. Razões endereçadas ao Tribunal Regional Federal

   

da 4ª Região

0,25

  • 3. Embargos Infringentes com fundamento no art.

   

609, parágrafo único CPP

0,25

  • 4. Arrependimento posterior, conforme artigo 16 do

   

Código Penal.

1,50

  • 5. Substituição da pena privativa de liberdade por

   

restritiva de direitos, conforme art. 44 do Código Penal.

1,50

  • 6. Pedido: Conhecimento e provimento do recurso,

   

acolhimento do voto vencido.

0,50

  • 7. Prazo: 19/08/2015 (quarta-feira)

0,50

 

Estrutura Correta (divisão das partes / indicação de local, assinatura)

0,25

 

EXERCÍCIO 16 PEÇA 10

Robson Ferreira, brasileiro, casado, empresário, foi denunciado como incurso no artigo 121, parágrafo 2º, incisos I, III e IV, c.c. o artigo 29, todos do Código Penal, por ter, supostamente, sido o autor intelectual da morte de Gustavo Amaro. Ao fim da judicium accusationis, o réu foi pronunciado nos exatos termos da exordial acusatória e submetido ao Conselho de Sentença, ocasião na qual, afastada a qualificadora prevista no art. 121, §2º, I, foi condenado a pena de 15 (quinze) anos e 8 (oito) meses de reclusão, a ser cumprida em regime integralmente fechado. Irresignada, somente a defesa de Robson Ferreira interpôs recurso de apelação, com fundamento no art. 593, III, a, do Código de Processo Penal, o qual foi provido, anulando-se o julgamento anterior. Em novo julgamento perante o Júri Popular, Robson foi condenado outra vez, nos exatos termos da pronúncia, sendo-lhe imposta a reprimenda de 17

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

(dezessete) anos de reclusão, em regime integralmente fechado, cujo trânsito em julgado para as partes ocorreu

(dezessete) anos de reclusão, em regime integralmente fechado, cujo trânsito em julgado para as partes ocorreu em 29 de janeiro de 2015. Procurado pela família de Robson, adote a medida judicial, privativa de advogado, cabível à situação hipotética apresentada.

Discursiva Direito Penal Peça 10

 
 

Quesito Avaliado

Faixa

Atendimento

 

de

ao Quesito

Valores

  • 1 - Endereçamento da peça de interposição - Tribunal de Justiça Excelentíssimo Senhor

0,50

 

Doutor Desembargador Presidente do Egrégio Tribunal de Justiça do Estado de ___

  • 2 - Indicação dos dispositivos legais que

0,50

 

fundamentam a Revisão Criminal art. 621, I, do CPP

  • 3 -

Violação

ao

princípio

da

vedação

a

1,50

 

reformatio

in pejus

indireta, no

tocante

à

dosimetria da penaartigo 617 CPP

  • 4 - Vedação de cumprimento da pena em regime integralmente fechado, conforme art.

1,50

 

2º, § 1º, da Lei 8.072/90

 
  • 5 - Pedidos: Procedência da ação nos termos

0,75

 

do artigo 626 do CPP; fixação da pena nos moldes do primeiro julgamento e cumprimento da pena em regime inicial fechado

  • 6 - Estrutura

correta (divisão das

partes /

0,25

 

indicação de local, assinatura)

 

RESULTADO

Nota na Discursiva Direito Penal Peça 10

   

EXERCÍCIO 17 PEÇA 11

Aderbal Horta, brasileiro, solteiro, nascido em 28/08/1990, em Amparo/SP, residente na rua Homem de Melo, 512, Perdizes, São Paulo-SP, foi preso em flagrante delito no dia 12/05/2015. Em 27/07/2015 foi denunciado como incurso nas sanções previstas nos artigos 16, parágrafo único, VI, e art. 18, ambos da Lei 10.826/2003, de acordo com o disposto no art. 69 do Código Penal. Requerida a liberdade provisória do acusado, após manifestação contrária do Parquet, o pleito restou indeferido pelo juiz, mesmo reconhecendo a sua primariedade e seus bons antecedentes, sob a justificativa de ser impossível seu acolhimento, pois os crimes imputados a Aderbal Horta são extremamente graves e a prova indiciária apresentada até o momento,

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

indicam que, provavelmente, o acusado é um soldado do tráfico, só sendo possível a apuração com

indicam que, provavelmente, o acusado é um soldado do tráfico, só sendo possível a apuração com a exatidão devida durante a instrução criminal. Na mesma oportunidade converteu a prisão em flagrante em preventiva, invocando os mesmos argumentos anteriormente expostos. Irresignada, a defesa impetrou habeas corpus perante o Tribunal competente, sendo a ordem denegada adotando como razão de decidir os argumentos apresentados pelo juízo a quo, invocando ainda o disposto no artigo 21 da Lei 10.826/2003. Considerando a situação hipotética apresentada e que você foi intimado de referida decisão denegatória no dia 24/08/2015 (segunda- feira), adote a medida judicial cabível, protocolando-a no último dia do prazo.

Discursiva Direito Penal Peça 11

 

Quesito Avaliado

 

Faixa

Atendiment

 

de

o

ao

Valore

Quesito

s

1

Endereçamento

correto

da

petição

de

0,25

 

interposição

(Tribunal Regional Federal

da

...

Região) (0,25)

 

2

- Indicação correta dos dispositivos legais que

0,50

 

dão ensejo ao Recurso Ordinário em Habeas Corpus– art. 105, II, “a” da CF (0,25) e art. 30 da

Lei 8.038/90 (0,25)

 

- Endereçamento correto das razões: Superior Tribunal de Justiça (0,25)

3

0,25

 

4

-

Desenvolvimento

jurídico

acerca

da

1,00

 

possibilidade da liberdade provisória em face da

inconstitucionalidade 10.826/03. (1,00)

do

artigo

21

da

Lei

n.º

5

-

Desenvolvimento

jurídico

acerca

da

1,00

 

manifestação inidônea: prisão cautelar deve ser

decretada com

base

no

caso

concreto,

não

podendo ser fundamentada em presunções do

julgador

nem

na

gravidade

 

abstrata

do

crime.(1,00)

 

6

Desenvolvimento jurídico acerca da ausência

1,00

 

dos requisitos ensejadores da prisão preventiva, consoante os artigos 312 e 313 do CPP.(1,00)

7

- Pedidos corretos:

 

0,60

 

Conhecimento e provimento (0,20), Concessão da ordem para revogação da prisão preventiva (0,20)

e expedição do alvará de soltura (0,20)

 

7

Indicação correta do prazo: 31/08/2015 (0,20)

0,20

 

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

8 - Estrutura correta (divisão das partes / indicação de local, data, assinatura) (0,20) 0,20 RESULTADO

8 - Estrutura correta (divisão das partes / indicação de local, data, assinatura) (0,20)

0,20

 

RESULTADO

Nota na Discursiva Direito Penal Peça 11

 

EXERCÍCIO 18 PEÇA 12

Feliciano de Lima, primário e com bons antecedentes, foi condenado pela prática de crime de estelionato, em continuidade delitiva, à pena de 6 anos de reclusão e ao pagamento de 30 (trinta) dias-multa. Não havendo recurso apresentado pelas partes, a sentença transitou em julgado. Cumpria a pena no regime semi-aberto. Em cárcere, completou 1 (um) ano de trabalho em oficina experimental da penitenciária. Atualmente, foi contemplado com a saída temporária por ocasião do Dia das Mães de 2014, pelo Juízo de Direito da 1ª Vara das Execuções Criminais de Praia Grande, do Estado de São Paulo. Para utilização do benefício, Feliciano foi sujeito à utilização de tornozeleira eletrônica, como forma de fiscalização por monitoração eletrônica. Fixou-se, ainda, a obrigatoriedade de permanência no endereço indicado por Feliciano. Todavia, durante o período de saída, constatou-se que Feliciano não cumpria a condição pré-estabelecida, permanecendo em local diverso daquele estipulado. Ciente do descumprimento, o Juízo competente suspendeu cautelarmente o cumprimento da pena no regime semi-aberto, determinando a oitiva do segregado pela autoridade administrativa competente. Em depoimento administrativo, Feliciano negou o descumprimento da condição, declarando que sempre esteve no local destinado ao cumprimento do benefício.Transcorrido as demais fases do processo de apuração, foi decidido pelo juiz competente pela aplicação da falta grave, com perda de todos os dias remidos e com regressão do segregado ao regime fechado, devido à gravidade da falta cometida. Feliciano foi intimado da decisão no dia 14 de outubro de 2.014 (terça-feira). Com base somente nas informações de que dispõe e nas que podem ser inferidas pelo caso concreto acima, na qualidade de advogado(a) de Feliciano, redija a peça cabível, exclusiva de advogado(a), capaz de reverter a decisão do juiz de primeiro grau, questionando eventuais nulidades, alegando para tanto toda a matéria de direito pertinente ao caso, datando-a no último dia do prazo.

Discursiva Direito Penal Peça 12

Quesito avaliado

Faixa

Atendimento

de

ao Quesito

Valores

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

Item 1. Endereçamento : Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito da 1ª Vara das Execuções Penais

Item 1. Endereçamento: Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito da 1ª Vara das Execuções Penais da Comarca de Praia Grande/SP

0,20

 

Item 2. Peça: Agravo em Execução - Art. 197, da Lei de Execuções Penais

0,20

 

Item 3. Pedidos da peça de interposição:

0,20

 

Item 3.1. Recebimento e processamento do recurso para o tribunal competente; Item 3.2. Juízo de retratação Artigo 589, do CPP.

Item 4. Endereçamento da peça de razões:

0,20

 

Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.

Item 5. Teses:

0,75

 

Preliminar

Item 5.1. Nulidade da decisão que aplicou a falta grave sem a prévia oitiva judicial do sentenciado - Fundamento legal: Art. 118, § 2º e art. 146-C, parágrafo único, ambos da LEP

Mérito

0,75

 

Item 5.2 Atipicidade da conduta o fato ocorrido não se insere no rol do art. 50 LEP

como falta grave

Mérito subsidiário Item 5.3 Do princípio do NON BIS IN IDEM Dupla punição pelo mesmo fato

0,50

 

Item 5.4 princípio da proporcionalidade aplicação da pena de advertência, 146-C, § único, incso VII da LEP.

0,50

 

Item 6. Desenvolvimento acerca da Impossibilidade de perda de todos os dias remidos , com fundamento no art. 127, da LEP

0,50

 

Item 7. Pedidos da peça de razões: (0,20 cada) Item 7.1. Conhecimento e provimento do recurso; Item 7.2. Nulidade por ausência de oitiva judicial do condenado; Item 7.3. Atipicidade da falta grave Item 7.4. Reforma da decisão com o restabelecimento do regime semi-aberto e de todos os dias remidos; aplicação da pena de advertência; ou perda de no máximo 1/3 dos dias remidos

0,80

 

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno

Item 7. Prazo: 20/10/2014 (5 dias – Súmula 700 do STF) 0,20 Item 8. Estrutura correta

Item 7. Prazo: 20/10/2014 (5 dias Súmula 700 do STF)

0,20

 

Item 8. Estrutura correta (divisão das partes / indicação de data, local e assinatura)

0,20

 

RESULTADO

Nota na Discursiva Direito Penal Peça 12

 

Segunda Fase OAB XVII EXAME UNIFICADO Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG www.lfg.com.br/areadoaluno