Você está na página 1de 2

1

www.autoresespiritasclassicos.com
Apcrifos
Carta de Pncio Pilatos dirigida ao Imperador Romano
Sobre Nosso Senhor Jesus Cristo

PNCIO PILATOS sada o Imperador Tibrio Csar. Jesus Cristo, que


te apresentei explicitamente nos meus ltimos relatrios foi, finalmente,
entregue a um duro suplcio a pedido do povo, cujas instigaes segui por
medo e contra minha vontade. Um homem piedoso e austero como esse,
no existiu nem existir jamais em poca alguma. Mas a verdade que
houve um estranho empenho do povo para conseguir a crucificao deste
embaixador da Verdade, alm de uma conspirao de todos os escribas,
chefes e ancios, malgrado os avisos dos seus profetas, ou, como ns
dizemos, as sibilas. E enquanto estava dependurado na cruz apareceram

sinais que sobrepujavam as foras naturais e que pressagiavam,. segundo


o entendimento dos filsofos, a destruio de todo o mundo. Seus
discpulos ainda vivem e no desdizem o Mestre nem suas obras e nem a
pureza de sua vida; e continuam ainda fazendo muito bem em seu nome.
Portanto, se no fosse pelo temor de uma possvel revolta entre o povo
que j estava quase enfurecido, talvez aquele insigne varo ainda pudesse
estar entre os vivos. Atribui, pois, mais ao meu senso de fidelidade para
contigo do que ao meu prprio capricho, o fato de no haver resistido com
todas as minhas foras para que o sangue de um justo, isento de toda
culpa, mas vtima da malcia humana, fosse perversamente vendido e
sofresse toda a paixo. Alis, como dizem os intrpretes de suas
escrituras, poup-lo redundaria em sua prpria runa. Adeus. O quinto dia
das calendas de abril. Fim