Você está na página 1de 9
Altares, Tronqueiras e Assentamentos Desenvolvido e Ministrado por Jorge Scritori Material de Apoio – Leitura

Altares, Tronqueiras e Assentamentos

Desenvolvido e Ministrado por Jorge Scritori

Material de Apoio – Leitura Necessária e Obrigatória Altares, Tronqueiras e Assentamentos EAD Curso On Line

Aula 3

Apresentação

É com grande satisfação que venho dividir este conteúdo com vocês e que faz parte do livro: “Sacerdócio Umbandista: Um Oficio Sagrado”. Este conteúdo é fruto do trabalho desenvolvido à frente das turmas de PMI-Programa Mediúnico Intensivo, que faz parte do curso de Sacerdócio ministrado no Instituto Cultural Sete Porteiras do Brasil. Temos, também, parte do curso de sacerdócio Ministrado por Rubens Saraceni (assentamento de Exu). O Sacerdócio, assim como o curso de Medicina, demanda dedicação, seriedade, paciência e escolhas. Sim, escolhas! Podemos escolher o nosso caminho e é o que faremos neste caminho. Estudar e multiplicar o conhecimento são escolhas que resultam em aprendizado e satisfação. Que este conteúdo possa trazer esclarecimento e segurança a todos os Irmãos que estão à frente de trabalhos espirituais. E lembrem-se sempre:

O jeito certo é o seu jeito! Abraços.

Jorge Scritori

Altares, Tronqueiras e Assentamentos Desenvolvido e Ministrado por Jorge Scritori Assentamentos Assentar é fixar. Dentro

Altares, Tronqueiras e Assentamentos

Desenvolvido e Ministrado por Jorge Scritori

Assentamentos

Assentar é fixar. Dentro da Umbanda temos uma herança da diversidade do Culto de Nação. Esta herança já gerou muitas dúvidas e desentendimentos entre ambas as linhagens. Sejamos honestos e diretos: o que é da Nação, energeticamente, magneticamente, vibratoriamente e filosoficamente, pertence à Nação. Estamos em um momento de busca e autonomia em relação ao nosso processo religioso e litúrgico. A Umbanda tem todas as condições necessárias para se firmar ritualisticamente. Neste conteúdo respeitaremos todas as influências que fazem parte do nosso ritual ; entretanto, caminharemos por uma linha própria. Existem vários tipos de assentamentos, onde cada um obedece a uma necessidade individual ou coletiva. Um assentamento demanda tempo, empenho, disciplina e manutenção. O nosso foco será o assentamento de Orixás. Diferentemente da realidade da Nação elaborei um conteúdo no qual o Orixá a ser assentado não é, necessariamente, o Orixá da cabeça do médium e, sim, um recurso de soma da sua estrutura de trabalho. Sendo assim já estamos nos separando do conceito de trabalhar somente com o que ‘temos’ na cabeça. No decorrer da aula apontarei de forma mais específica este conceito. Tudo que existe dentro de um terreiro está fundamentado no uso ritualístico e cerimonial da nossa religiosidade ; sendo assim, a montagem de um assentamento implica em um “tempo” de realização e procedimento sequenciais. Estamos no momento da montagem, “pegando” um pedaço energético do ponto de força e colocando para vibrar dentro do terreiro. Logo, o que ali será ativado tem vida e necessita de cuidados. Dentro da linhagem yorubá, acredita-se que ali fica um espírito. Na filosofia bantu, temos uma essência em suspensão, energizada e dinâmica, que se liga com o todo natural. Para este módulo apresentarei:

Assentamento de Oxalá; Assentamento de Ogum; Assentamento de Exú; Assentamento de Oxumaré.

Assentamento de Oxalá

Material:

1 Tigela de louça branca com tampa (lavada com água corrente);

33 chaves (lavadas com água corrente);

1 cristal de quartzo pequeno;

Água de coco;

Água de flor de laranjeira;

Vinho tinto seco;

Licor de Anis;

Café;

Água de fonte;

Água com mel;

Uma colher de sopa de Azeite de Oliva;

Para cada imantação 7 velas brancas;

Pano branco (será utilizado até a última semana)

Serão 8 semanas para assentamento.

Altares, Tronqueiras e Assentamentos Desenvolvido e Ministrado por Jorge Scritori Observação : Escolher um dia

Altares, Tronqueiras e Assentamentos

Desenvolvido e Ministrado por Jorge Scritori

Observação: Escolher um dia para consagração que deverá ser repetida durante 8 semanas sempre no mesmo

dia da semana. Não podendo pular o dia, se esquecer deverá fazer tudo desde o início, ou seja, se estiver na ultima semana e, por um acaso, deixar de fazer no dia, deverá reiniciar todos os procedimentos desde o início, sem pular. Roteiro para Assentamento:

1. Escolher um local (descampado limpo, vale, jardim, etc., “algo que lembre a pureza de Oxalá);

2. Acender uma vela preta e uma vela vermelha para Exu e Pombagira do tempo.

3. Acender uma vela branca com um copo de água pedindo licença e proteção ao tempo.

4. Após o procedimento 3, você deverá “mirar” o local para colocar os elementos do assentamento,

devendo se dirigir para este local da seguinte forma:

a.

Arcar o corpo

b.

Pedir licença na força de Oxalá no tempo

c.

Dar 7 passos com a perna direita em direção ao ponto.

5.

Chegando no ponto, deverá estender o pano branco

6.

Acender as 7 velas brancas, em formato de circulo, pedir para que seja aberto ali um portal para

a dimensão e a realidade da Fé.

7. Colocar a tigela no pano branco

8. Ajoelhar-se

9. Untar as 33 chaves e o cristal com azeite de Oliva, com as próprias mãos, colocar uma a uma

dentro da tigela, As chaves devem estar soltas.

10. Derramar a água de coco até cobrir as chaves.

11. Encostar a testa no pano e pedir :

a. “Sagrada manifestação da Fé, força primária criadora, moldadora e portadora do sopro da vida.

Que a sua irradiação viva e divina envolva estes elementos para que eles se tornem manifestadores naturais do seu magnetismo da Fé.”

b. Obs.1: Permanecer ajoelhado com o corpo curvado de 10 a 15 minutos.

c. Obs.2: Pode ocorrer a manifestação, (incorporação), do seu Oxalá natural e individual. Portanto

esteja devidamente vestido e com a cabeça coberta e o Pano da Costa nos ombros.

d. Obs. 3: Após 15 minutos tampe a tigela, eleve acima de sua cabeça e repita estas palavras:

i.

Natural entre o plano humano e o divino plano Natural da Fé.”

“Pela manifestação da Fé e pelo poder da Fé a partir de agora você se torna um elo

12. Devolver a tigela ao pano

13. Fechar o pano fazendo uma trouxinha com a tigela dentro;

14. Curvar novamente e bater cabeça pedindo licença;

15. Sair com 7 passos para trás com a perna direita.

16. Voltar para o terreiro, no mesmo instante.

17. Na frente do Altar uma oferenda para Oxalá deverá estar pronta com o espaço central disponível

para depositar o assentamento.

18. Colocar a trouxinha com a tigela no meio desta oferenda

19. Abrir a trouxinha e tirar a tampa.

20. Acender as velas da oferenda

21. Bater cabeça e saudar com as seguintes palavras:

a. “Amado Pai Oxalá, que a sua fonte manifestadora da Fé transborde em Fé a partir deste

assentamento.”

22. Você deverá permanecer no terreiro por uma hora. A partir da segunda hora deverá tampar a

tigela e deixar terminar as velas;

23. Depois que as velas terminarem você deve fazer a trouxinha novamente e guardar com carinho o

assentamento no seu altar.

Altares, Tronqueiras e Assentamentos Desenvolvido e Ministrado por Jorge Scritori Observações: • O processo deverá

Altares, Tronqueiras e Assentamentos

Desenvolvido e Ministrado por Jorge Scritori

Observações:

O processo deverá ser repetido pelas demais semanas, mas cada vez com um líquido.

Então iniciamos com a água de coco ; o próximo será água de flor de laranjeira e assim seguindo a lista dos materiais

A troca do líquido deverá ocorrer perto do local do assentamento no ponto de força, ou seja, o líquido deverá ser despejado em terra próxima ao local onde foi feito a primeira vez.

As chaves e o cristal deverão ser untados novamente com o Azeite de Oliva e repetir todos os procedimentos até terminarem os líquidos (água com mel).

Depois da 7ª semana, lavar tudo com água corrente, untar as chaves colocando em molho de chave (juntas), colocá-las na tigela, colocar água mineral, tampar e manter atrás de Oxalá.

Observações de Utilização:

Somente abrir o assentamento quando o trabalho necessitar; Quando precisar direcionar para alguém, abrir no próprio lugar durante o trabalho.

Assentamento de Ogum

Material:

Um Caldeirão de Ferro ou uma Tigela de barro

7 (punhados) de tipos de terra de estradas diferentes. Tirar a terra e deixar um elemento

simbólico, por exemplo, uma cerveja com um charuto. Para Ogum da Estrada e a esquerda equivalente;

7 chaves usadas. (pode comprar em um chaveiro)

7 ferramentas pequenas de Ogum de ferro (rastelo, pá, enxada, facão, etc.)

Uma ferradura pequena nº zero

Pedras:

o

7 hematitas pequenas.

o

7 granadas pequenas

Porção pequena de pó de ferro (colocar dentro do saquinho zíper)

1 Pano Azul

7 velas brancas

7 velas azuis escuras

7 velas vermelhas

7 cervejas

7 charutos

Serão 8 semanas para assentamento. Observação:

Cada punhado de terra colocar em saquinhos separados e selar.

O pó de ferro também deverá ser colocado no saquinho e selado.

Escolher um dia para consagração e deverá ser repetido durante 8 semanas sempre no mesmo dia da semana escolhido.

Roteiro para Assentamento:

01.Lavar os elementos com água e cerveja. 02.Serão escolhidos 7 lugares diferentes:

a. Estrada de terra

b. Estrada com asfalto (a beira do asfalto)

c. Encruzilhada de terra

Altares, Tronqueiras e Assentamentos Desenvolvido e Ministrado por Jorge Scritori d. Encruzilhada de asfalto e.

Altares, Tronqueiras e Assentamentos

Desenvolvido e Ministrado por Jorge Scritori

d. Encruzilhada de asfalto

e. Encruzilhada de cemitério

f. Encruzilhada de mata

g. Linha de trem (beira da linha de trem)

03.Acender uma vela preta e uma vela vermelha para Exu e Pombagira dos caminhos com dois cigarros. 04.Acender uma vela branca com um copo com água pedindo licença e proteção nos seus caminhos. 05.Após o procedimento 3, você deverá “mirar” o local para colocar os elementos do assentamento, deverá dirigir-se para este local da seguinte forma:

a.Arcar o corpo b.Pedir licença na força de Ogum c. Dar 7 passos com a perna direita em direção ao ponto. 06.Chegando ao ponto, deverá estender o pano azul. 07.Circular com as velas 08.Acender as velas, pedir para que seja aberto ali um portal para a dimensão e a realidade dos caminhos.

09.Ajoelhar-se

10.Colocar o caldeirão no centro do pano 11.Dentro do caldeirão colocar:

a.As pedras no centro b.Saquinhos de pó de ferro no centro sobre as pedras

c.Saquinhos de terra ao redor das pedras d.Intercalando as ferramentas entre os saquinhos de terra e.Intercalando as chaves entre os demais elementos 12.Colocar as garrafas de cerveja ao redor juntamente e intercaladamente os charutos ao redor da oferenda. 13.Encostar a testa no pano e pedir :

a.“Sagrada manifestação da Lei, força primária da Lei e da Ordem que a sua irradiação viva e divina envolva estes elementos para que eles se tornem manifestadores naturais do seu magnetismo da Lei.” b.Obs.1: Permanecer ajoelhado com o corpo curvado de 10 a 15 minutos. c.Obs.2: Pode ocorrer a manifestação (incorporação) do seu Ogum natural e individual. Portanto, esteja devidamente vestido e com a cabeça coberta. d.Obs. 3: Após 15 minutos, eleve o caldeirão acima de sua cabeça e repita estas palavras:

a.“Pela manifestação da Lei e pelo poder da Lei a partir de agora você se torna um elo Natural entre o plano humano e o divino plano Natural da Lei.” 14.Devolver o caldeirão no pano 15.Fechar o pano fazendo uma trouxinha com o caldeirão dentro; 16.Curvar novamente e bater cabeça pedindo licença; 17.Sair com 7 passos para trás com a perna direita. 18.Voltar para o terreiro, no mesmo instante. 19.Na frente do Altar uma oferenda para Ogum deverá estar pronta com o espaço central disponível para depositar o assentamento. 20.Colocar a trouxinha com o caldeirão no meio desta oferenda 21.Abrir a trouxinha. 22.Acender as velas da oferenda 23.Bater cabeça e saudar com as seguintes palavras:

a. “Amado Pai Ogum, que a sua fonte manifestadora da Lei e da Ordem transborde em Lei e Ordem a partir deste assentamento.”

24. Você deverá permanecer no terreiro por uma hora. A partir da segunda hora, pode se retirar e deixar terminar as velas;

25. Depois que as velas terminarem você deve fazer a trouxinha novamente e guardar no seu altar ou em ambiente reservado.

Altares, Tronqueiras e Assentamentos Desenvolvido e Ministrado por Jorge Scritori Observações: O processo deverá ser

Altares, Tronqueiras e Assentamentos

Desenvolvido e Ministrado por Jorge Scritori

Observações:

O processo deverá ser repetido pelas demais semanas, mas cada vez em um caminho/ local diferente.

Depois da 7ª semana, cobrir com argila, (de jardinagem), deixando as pontas das ferramentas

aparentes e sobre a argila deverá aspergir a cerveja e colocar a ferradura. Deverá ser colocado atrás do Ogum ou dentro de um vaso e plantar espadas ou lanças de Ogum.

Observações de Utilização:

Acender uma vela sobre a ferradura ou sobre a terra do vaso de espada no caso de plantado.

Material:

1

chifre de boi

1

chifre de bode

1

casco de bode

1

casco de boi

7

tridentes machos

7

tridentes fêmea

7

lanças

7

punhais

7

qualidades de pedra, sendo:

1

ônix

1

turmalina

1

obsidiana

1

cristal fumê

1

olho de gato

1

aximita

1

miracema

7

qualidades de sementes, sendo:

1

punhado de 49 de cada:

-

semente de dendê

-

semente de jurema preta

-

mamona

-

pimenta

-

olho de cabra

-

picão roxo

-

carrapicho

-

49 búzios brancos e 49 pretos

-

7 fitas pretas de 7 cm

-

7 fitas vermelhas de 7 cm

-

7 pedaços de carvão vegetal

-

7 pembas pretas

-

7 pembas vermelhas

-

1 caracol (casca do caramujo)

-

7 moedas de aço

-

7 moedas de cobre

-

7 moedas de níquel

Assentamento Exu

Altares, Tronqueiras e Assentamentos Desenvolvido e Ministrado por Jorge Scritori - 1 saquinho com terra

Altares, Tronqueiras e Assentamentos

Desenvolvido e Ministrado por Jorge Scritori

- 1 saquinho com terra de estrada, colhido do lado esquerdo da estrada, saudando e deixando uma vela, um cigarro e uma pinga para O Sr. Exu das Estradas + uma vela para Ogum, do lado direito.

- 1 saquinho de terra do cemitério, colhido em sete encruzilhadas, deixando uma vela, um cigarro e uma moeda, saudando O Exu rei das 7 Encruzilhadas.

- 1 saquinho de terra colhida de sete covas diferentes deixando uma moeda, uma vela branca e um copo com água para o Egum, sobre a cova, no pé da cova deixar uma vela preta, uma moeda e um cigarro, saudando e oferendando ao Sr. Exu Guardião dos 7 Túmulos.

- 1 pano preto sedoso

- 1 pano vermelho sedoso

- 1 tacho de barro grande ou caldeirão de ferro grande

Consagração do material

O material deve ser consagrado em uma encruzilhada com procedimento de entrada e saída. Ao chegar deve-se escolher o local e dar 7 passos até o mesmo e dar a seguinte determinação:

Senhor Exu Guardião, dê-me licença de abrir aqui, no seu campo de força, o circulo consagratório, para que dentro dele sejam imantados com o seu axé os elementos que aqui serão colocados no seu assentamento em minha tronqueira. Obs: tudo deverá ser colocado e montado com a mão esquerda, lembrando que todos os materiais deverão ser lavados antecipadamente com pinga. Colocar todo o material em cima de um pano preto e vermelho, circundando os dois panos com três círculos de vela, sendo um de vela branca, um de vela vermelha e um de vela preta, 7 garrafas de pinga e sete charutos. Após tudo devidamente colocado, dar esta evocação:

Senhor Exu Guardião da minha esquerda, aqui eu firmei o círculo consagratório para que o Senhor imante com seu axé ou poder os elementos mágicos fundamentais para o seu assentamento no plano físico em minha tronqueira! Salve, Senhor Exu Guardião!!! Obs: aguardar pelo menos 20 minutos para levantar o material. Lembrando que esta consagração só pode ser feita após as 21:00 horas. Após os vinte minutos, todo material deve ser colocado dentro do tacho ou caldeirão e o mesmo embrulhado em um pano preto. Chegando na tronqueira a mesma já deve ter um buraco cavado para enterrar o tacho com as ponteiras ou lanças para fora ; antes de cobrir com terra, deve-se cortar um galo sobre o assentamento, sempre com a cabeça bem firme na força do Exu guardião ; cobre-se o assentamento com areia e deixa o galo dentro de um alguidar dentro da tronqueira até a manhã seguinte e o despacha em um saco preto para o povo dos caminhos, em uma estrada.

Assentamento de Oxumarê:

Material:

1 ânfora de metal (de média para grande-60 a 80cm);

77 búzios fechados (pretos);

77 búzios abertos (brancos);

77 moedas (qualquer valor, douradas);

7 presas de serpentes não peçonhentas;

Altares, Tronqueiras e Assentamentos Desenvolvido e Ministrado por Jorge Scritori • 77 conchas marinhas pequenas;

Altares, Tronqueiras e Assentamentos

Desenvolvido e Ministrado por Jorge Scritori

77 conchas marinhas pequenas;

77 pedras pequenas de cachoeira;

7 pedras roladas (pequena para média), sendo:

- 1 fluorita;

- 1 quartzo fumê;

- 1 ametista;

- 1 citrino;

- 1 pirita;

- 1 turmalina negra;

- 1 quartzo rosa;

1 peça de ouro;

7 fitas;

7 lenços;

1 cristal para fechar a ânfora (tampa);

Preparação:

Todos os materiais serão lavados separadamente (com exceção das fitas) ; cada conjunto de material ficará repousando em água por 24 horas, (água de torneira em ambiente interno), em bacias separadas, cobertas por pano branco. Após, por 24 horas em água de cachoeira, cumprindo período solar e lunar; Após, por 24 horas em água de chuva, cumprindo período lunar e solar;

Montagem:

Colocar os elementos na ânfora na seguinte ordem:

1ª camada: 77 pedras 2ª camada: moedas 3ª camada: búzios escuros 4ª camada: 77 conchas 5ª camada: búzios brancos 6ª camada: 7 pedras intercaladas com as presas 7ª camada: peça de ouro

Fechamento:

Isolar a boca da ânfora com o cristal, amarrar as fitas e os lenços;

Altares, Tronqueiras e Assentamentos Desenvolvido e Ministrado por Jorge Scritori Consagração: 7 consagrações na

Altares, Tronqueiras e Assentamentos

Desenvolvido e Ministrado por Jorge Scritori

Consagração:

7 consagrações na sequência:

- cachoeira

- mata

- campina alta / descampado

- pedreira

- estrada

-

cemitério

-

mar

Realizar uma consagração por semana (melhor no domingo), sempre no mesmo horário. Colocar a ânfora no chão com a oferenda em volta, com tinta colorida e flores coloridas, pedindo:

“ Senhor Oxumaré, Senhor das águas cristalinas, Senhor das águas doces e sinuosas, Senhor das riquezas, da prosperidade e da fartura, que o seu axé seja somado a estes elementos, imantado-os energeticamente, magneticamente e vibratoriamente, fazendo com que o seu ouro venha transbordar no meu trabalho espiritual fazendo com que o assentamento do seu arco íris sagrado se estabeleça em minha casa.

A partir do seu ponto de força natural e de todos os seus pontos de transição.

Arroboboi, Oxumaré!”

Observações:

Manifestação obrigatória, deixando com que a divindade dance em torno da oferenda. Sempre ao retornar com a ânfora e quando terminarem as consagrações, a ânfora deverá ficar assentada no canto do terreiro, em uma bacia esmaltada branca ou de louça amarela, ou dentro de uma fonte com água. Manutenção:

Semanal: Retirando o cristal e gotejando essência de flor de laranjeira ou alfazema. Manter vela de 7 dias dourada ou de 7 linhas, que deve ficar à vista, próximo a passagem, criando o hábito entre os frequentadores de colocar moedas para pedirem auxílio.

Em tempo:

Um guia à direita, ligado a Oxumaré, Oxóssi ou Yemanjá, passará recomendação sobre um elemento a ser colocado neste assentamento.