Você está na página 1de 1

ANDERSON, Benedict.

Comunidades imaginadas: reflexes sobre a origem e difuso do


nacionalismo.
CAPTULO 10 CENSO, MAPA E MUSEU

Minha mope suposio foi que o nacionalismo oficial, nos mundos colonizados da sia e
frica, havia seguido diretamente o modelo dos Estados dinsticos da Europa oitocentista
(p. 228)

Estas trs instituies foram o censo, o mapa e o museu: em conjunto, moldaram


profundamente o modo em que o Estado colonial imaginou seus domnios: a natureza dos
seres humanos que governava, a geografia de seus domnios e a legitimidade de sua
linhagem. (p. 229)

Ateno do autor se concentra no sudeste da sia, mas, como ele aponta, essa regio oferece
vantagens a quem tem interesse histrico comparativo, porque inclui regies colonizadas
por quase todas potncias imperiais brancas: Estados Unidos, Frana, Gr-Bretanha,
Espanha, Portugal e Holanda.

O censo

Charles Hirschmann estuda as mentalidades dos recenseadores coloniais britnicos e seus


sucessores, que trabalham para o Estado da Malsia.

Hirschmann identifica no recenseamento categorias de identidade, onde algumas dessas


categorias foram sendo reordenadas e outras politicamente mais poderosas foram mantidas,
desde o incio do censo na regio em fins do sculo XIX.

Hirschmann chega a duas concluses principais: 1) ao se aproximar o fim do perodo


colonial, as categoriais de identidade foram se tornando mais visveis e raciais, em
detrimento das identidades religiosas; 2) grandes categoriais raciais foram retidas e at
concentradas depois da independncia, mas agora redesignadas e recatalogadas como
malsio, chins, indiano e outros.