Você está na página 1de 13

ESCLEROSE

LATERAL
AMIOTRÓFICA

Juliana Monique Lino


Roseli Leal Vida
DEFINIÇÃO
 A esclerose lateral amiotrófica é uma doença
crônica, degenerativa e progressiva, que
acomete os neurônios motores da medula
espinhal, da porção inferior do tronco
encefálico e do córtex motor. Sendo que sua
manifestações vão depender do moto neurônio
acometido.
Como diz o nome a esclerose lateral
amiotrófica é o endurecimento dos músculos
(esclerose), inicialmente num dos lados do
corpo (lateral) e atrofia muscular (amiotrófica)
ASPECTOS GERAIS
 De etiologia desconhecida, costuma acometer o
sexo masculino por volta da quinta década de
vida.

FORMAS CLÍNICAS
 Esclerose Lateral Amiotrófica (clássica);
 Paralisia Bulbar Progressiva;
 Atrofia Muscular Progressiva.
Esclerose Lateral Amiotrófica
(clássica);
 Leva a uma fraqueza progressiva;

 Inicia com fraqueza das mãos e com menos freqüência


dos pés;

 Pode causar fasciculações;

 Pode causar disartria e disfagia;

 50% vai a óbito 3 anos após os primeiros sintomas.


Paralisia Bulbar Progressiva;

 Leva a disartria, disfagia, disfonia e dispnéia;

 Labilidade emocional;

 Óbito geralmente por complicações


respiratórias.
Atrofia Muscular Progressiva.

 Tem progressão mais lenta;

 Inicia com fasciculação, fraqueza e debilidade


nas mãos, evoluindo para os braços, ombros e
pernas;

 Sobrevida para a maioria dos pacientes é maior


que 5 anos chegando até a 25 anos.
FISIOPATOLOGIA
DEGENERAÇÃO
NEURONIOS
MOTORES

GLIOSE
DAS COLUNAS
LATERAIS REINERVAÇÃO DAS
FIBRAS
MUSCULARES
DEGENERAÇÃO
DO TRACTO
CORTICO-ESPINHAL
MANIFESTAÇÕES
CLÍNICAS
 Neurônio Motor Inferior:
 Fasciculações, cãibras, fraqueza, atrofia e flacidez muscular.
 Neurônio Motor Superior:
 Espasticidade, hiperreflexia e Babinsk.

 Não há comprometimento visceral, intestinal, sexual ou


sensitivo;
MANIFESTAÇÕES
CLÍNICAS
 Fraqueza muscular lenta e progressiva em
membros, tronco e músculos respiratórios;
 Perda de peso e dificuldade de deglutição;
 Raramente a musculatura ocular é afetada;
 Dor;
 Dispnéia;
 Incapacidade nas AVD’s.
TRATAMENTO
 Independência;

 Semi- independência;

 Dependência.
OBJETIVOS GERAIS
 Adequação de tônus
 Previnir a instalação de deformidades
 Manter ADM
 Manter força muscular
 Melhorar o controle motor
 Melhorar o equilíbrio
 Manter independencia física
 Ensinar técnicas de conservação de energia
 Previnir complicações respiratórias
 Manter força da musculatura respiratória
 Orientação familiar
 Melhorar qualidade de vida
OBRIGADA!!
!