Você está na página 1de 23

Novo Programa de Português

Operacionalizar o Conhecimento Explícito da Língua (CEL)


com base no Dicionário Terminológico

© Cristina Fontes
Funcionamento da Língua Conhecimento Explícito da Língua
(concepção 1991) (concepção 2009)
Não se estabelece uma relação coerente entre o Conscencialização do conhecimento implícito e
conhecimento implícito dos falantes e o papel do inconsciente dos alunos.
Trabalho
ensino daorientado
gramática.para correcção do erro em Trabalho orientado para detecção de regularidades
situação comunicativa, com aprendizagem em uso. da língua, com mobilização para situações de uso
Conteúdos organizados em função do contexto de Organização de conteúdos em função de
após sistematização.
uso. mobilização e de etapas de desenvolvimento do
Competência transversal, de operacionalização em Competência
conhecimentonuclear.
linguístico.
contexto funcional e lúdico.

2
Quando se pretendem atingir objectivos instrumentais,
devem privilegiar-se conteúdos mobilizáveis em
contexto de uso, i.e., que vão ser necessariamente
retomados em contexto de uso.
Só pode ser mobilizado em contexto de uso o que já foi
suficientemente trabalhado, i.e., a mobilização requer
trabalho prévio.
A mobilização de conhecimento gramatical requer
trabalho articulado entre as competências, i.e., têm de
ser planificadas sequências de aprendizagem
conducentes a reinvestimento do conhecimento
gramatical em situações de uso.

3
Descritores:

Caracterizar classes de palavras e


respectivas propriedades;
Sistematizar propriedades distintivas de
classes e subclasses de palavras.

4
 Conteúdos:
Classe aberta de palavras (DT. B.3.1.);
Classe fechada de palavras (DT B.3.2.);
Nome: contável, não-contável.

5
Não muda

• Uma classe de palavra é um conjunto das


palavras que, por partilharem características
morfológicas, sintácticas e/ou semânticas,
podem ser agrupadas numa mesma
categoria.
• As classes de palavras não podem ser
estabelecidas apenas com base em critérios
morfológicos, uma vez que há classes que
não se distinguem morfologicamente, como
por exemplo as preposições e as conjunções.
• 6
a Língua é um “organismo vivo”.
Há palavras que desaparecem e outras que
as substituem.
Por outro lado, há novos termos que
surgem para nos referirmos a novas
realidades.
 Baril! O meu cota é um cromo! Não sabe
navegar na internet.

7
na Língua Portuguesa, as palavras
agrupam-se em dez classes.
as classes de palavras podem ser abertas
ou fechadas, conforme seja ou não
possível acrescentar novas palavras às
respectivas classes.

8
Uma classe aberta é uma classe de palavras
que é constituída por um número
potencialmente ilimitado de palavras e à qual a
evolução da língua acrescenta constantemente
novos membros. É praticamente impossível
enumerar todos os membros de uma classe
aberta de palavras num dado momento da
evolução da língua.
 NOMES ** VERBOS ** ADJECTIVOS
ADVÉRBIOS ** INTERJEIÇÕES

9
Uma classe fechada é uma classe de palavras
que é constituída por um número limitado
(normalmente pequeno) de palavras e à qual a
evolução da língua só muito raramente
acrescenta novos membros. É normalmente
fácil enumerar todos os membros de uma classe
fechada de palavras.
 PRONOMES ** DETERMINANTES
**PREPOSIÇÕES ** CONJUNÇÕES **
QUANTIFICADORES

10
11
Não muda

O nome é uma palavra pertencente a uma


classe aberta de palavras, que permite variação em
género (i), em número (ii) e, em alguns casos, em grau
aumentativo e diminutivo (iii). O nome é o núcleo do
grupo nominal, podendo co-ocorrer com determinantes
ou quantificadores, que o antecedem. À semelhança do
que acontece com os verbos, alguns nomes podem
seleccionar complementos (iv).
• (i) menino / menina
(ii) menino / meninos
(iii) cão / cãozinho / cãozarrão*
(iv) a invasão da Gália
• 12
 Não muda
Existem nomes próprios (i) que designam um referente
fixo e único num dado contexto discursivo e nomes
comuns (ii) que não definem uma entidade única,
podendo designar objectos, seres e conceitos de forma
não individualizada.
• (i) Portugal é bonito.
(i) O João ganhou um prémio.
(ii) Aquela região é bonita.
(ii) O rapaz ganhou um prémio.


13
Não muda

Há nomes colectivos que, no singular,


designam um conjunto de objectos ou
entidades do mesmo tipo, admitindo
variação em número (i). Há, porém,
alguns nomes colectivos que não aceitam
o plural (ii).
• (i) rebanho, alcateia, multidão
(ii) fauna, flora

14
os nomes colectivos apresentados em (ii) não
aceitam plural. Não seria gramaticalmente
correcto dizeres:
 As faunas e as floras de Portugal são muito ricas.

• Flora: «conjunto de espécies vegetais que se
desenvolvem numa região ou país.»
• Fauna: «conjunto de espécies de animais que
cara(c)terizam uma região ou época.»

15
também há nomes comuns que não
designam entidades ou seres singulares,
passíveis de serem divididos em partes
distintas e enumerados.

Será que poderíamos dizer:


«Eu brinquei com muitas areias na praia»?

16
17
Existem nomes comuns que se aplicam a objectos ou
referentes que podem ser diferenciados como partes
singulares ou partes plurais de um conjunto (i). Assim,
podem ocorrer em construções de enumeração (ii) e a
forma de plural marca uma oposição quantitativa (iii).
São nomes contáveis.
• (i) De entre os alunos da turma, o aluno n.º 3 teve a
melhor nota.
(ii) Um [aluno] estudou muito, dois [alunos] faltaram e
muitos quiseram mudar a data do teste.
(iii) Um aluno / dois alunos / muitos alunos.

18
Existem nomes comuns que se aplicam a conjuntos de
objectos ou entidades em que não é possível distinguir
partes singulares de partes plurais, conforme exemplos
(i) a (iii). Por esta razão, estes nomes não ocorrem,
tipicamente, em construções de enumeração (iv) nem
co-ocorrem com alguns quantificadores e determinantes
(v). São nomes não-contáveis.
As construções de plural dos nomes não-contáveis não
designam uma oposição quantitativa, mas sim qualitativa
(vi), excepto quando se faz uma contagem relativa a
contadores não explícitos (vii).

19
1 A [farinha] é um ingrediente essencial dos bolos.
2 Essa peça de [bronze] devia estar no museu.
3 A [educação] é essencial para a democracia.
4 *Uma educação, duas educações.
5 *Certas / várias educações.
6 Há várias farinhas no mercado. (= existem várias
qualidades de farinha no mercado).
7 Comprei dois sumos. (= comprei dois (pacotes de)
sumo).

20
os nomes não-contáveis admitem na
generalidade uma quantificação de mediação
convencionada, passando assim a ter o
comportamento de um nome contável.

 Queria duas águas e três cafés, por favor.


• Neste exemplo, a contagem dos nomes água e
café é possível porque se referem a medidas
já convencionadas: garrafas de água ou
chávenas de café.

21
A minha tia Arabela tem uma pulseira de prata cheia de berloques.

Nunca sai de casa sem ela. Ela adora este metal. Aliás, a casa da tia
Arabela está repleta de pratas.
Quando saio com ela, não consigo deixar de sorrir ao ouvir a

pulseira chocalhar quando ela levanta o braço e pede ao empregado:


- Dois sumos de ananás, por favor!

Depois de provar o sumo, a tia Arabela volta sempre a esbracejar,

sacudindo a famosa pulseira no ar, diz:


-Ai, que azedo! Traga-me açúcar, por favor!

Ela faz sempre isto! Já lhe disse para pedir sumo de pêra que é

mais docinho… ou então água, mas ela responde sempre:


-Oh! Eu adoro sumo de ananás. Este é que muito azedo! O melhor

é pedirmos dois cafés para tirar o sabor da boca.



22
http://emtornodosprogramas.blogspot.com/

profcristinafontes@gmail.com

23