P. 1
Receitas Frutos Do Cerrado

Receitas Frutos Do Cerrado

5.0

|Views: 3.480|Likes:
Publicado porquituteira

More info:

Published by: quituteira on Mar 16, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

10/17/2013

pdf

text

original

| 1

2 | | 3
Certo dia convidamos a Turma que Faz para pesquisar os
frutos do cerrado, pois tínhamos que criar uma obra com
música e dança sobre os mesmos. A pesquisa foi feita boca
a boca na comunidade, Mas quando fomos para os livros,
tivemos a maior difculdade em encontrar histórias, fotos
e etc. Por isso resolvemos juntos, 100 crianças, jovens e os
educadores a fazer essa cartilha bem popular em forma de
poesias, contendo receitas típicas e bem colorida com nossos
frutos do cerrado, para todos os seres que não tem acesso a
grandes bibliotecas e nem a sites da Internet.
Dorothy Marques
4 | | 5
O cerrado, nosso chão. O ar, o sol, o céu, nossa vida. Os animais, as fores,
os frutos, nosso cenário: cores, alimentação! Crianças, nosso sons, sorriso
e alegria. Transportar para o mundo essa realidade, através das letrinhas e
desenhos, foi o ponto de partida para o início desse genuíno, porém, gran-
dioso trabalho – o primeiro volume da cartilha “Frutos do Cerrado”.
As pinturas são reproduções próximas da realidade. A idéia da cartilha
Frutos do Cerrado não é associar a imagem à palavra, mas sim levar o leitor
a descobrir o gosto, o cheiro, o lugar onde nascem esses frutos. É comparti-
lhar com todos parte da riqueza natural e dos saberes que estão e são vividos
na pequena Vila de São Jorge - Chapada dos Veadeiros (GO). É levar às pes-
soas as “receitas” de vida que estão sendo camufadas pela evolução humana
perdida no avanço tecnológico e nas comidas enlatadas. Tanto as receitas,
as poesias e as pinturas revelam que o processo de criação se deu por pura es-
pontaneidade, característica maior do Projeto TURMA QUE FAZ. Ao passar
as páginas, ler os poemas e ver as cores, o leitor conhecerá um pouquinho do
cerrado goiano, pedaço da cultura brasileira. Conhecerá as nossas raízes e
perceberá tamanha riqueza que nosso país contém.
1uIiano ßasso
AS1DR - Associaçâo Comunitària da ViIa de Sâo 1orge
6 | | 7
Ananás
Nome científco: Ananas ananassoides
De Outubro a Março
andando pela mata
você encontra diversas touceiras formadas
por esse herbáceo
que se chama ananás
ou abacaxi do cerrado!
Ela tem de 60 a 80 centímetros de altura
e seu fruto 18cm de comprimento, casca amarela
polpa esbranquiçada, consumida in natura
em bolos, geléias e licores
Eis o ananás do cerrado!
Sorvete de ananás
Ingredientes:
1 copo de ananás maduro
sem miolo e picado
1 ½ copo d´agua
4 colheres (sopa) de açúçar
1 lata de leite condensado.
Modo de fazer:
Bater o ananás com água
e açúcar no liquidifcador.
Levar ao congelador mais ou
menos por três horas. Retirar
e bater com o leite conden-
sado, levar novamente ao
congelador.




i
l
u
s
t
r
a
ç
ã
o
:

Z
é

d
a

P
a
i
x
ã
o
8 | | 9
Araçá
(Goiabinha do Cerrado) - Nome científco: Psidium frmum Berg
Bolo de araçá
Ingredientes
2 ½ xícaras (chá) de açúcar
2 colheres (sopa) de margarina
sem sal
4 ovos
3 xícaras (chá) de farinha de
trigo peneirada
2 colheres (chá) bem cheias
de fermento em pó
1 ½ xícaras de polpa de
araçá
1 colher (sopa) de mel.
Modo de fazer:
Bata o açúcar com a
margarina até obter
um creme homogêneo.
Acrescente as claras em neve,
batendo bem. Junte os ovos,
um a um, sem parar de bater.
Acrescente a farinha de trigo
e o fermento aos poucos. Por
último, junte a polpa.







Araçá meu araçá
você tem de 3 a 5 metros
produz de 30 a 80 frutos
só pra nos alimentá
Fico muito triste
quando vejo você
ser usado como
lenha e carvão
e me pergunto
será que vai sobrar
araçá para minha geração?
Seu fruto quando
maduro e curado
serve para fazer
polpa, doces e geléias
Com suas fores branquinhas
que explodem de agosto a outubro
podemos fazer chá
ele cura a cólica e a disenteria
e a gente volta a brincar!
ilustração: Jonathan P. Passos
10 | | 11
Araticum
(Bruto) Nome científco: Annona crassifora Mart
Madeira branca
não é madeira de lei
também chamado de bruto
disso só que eu sei
Seu fruto é tão gostoso
que no cerrado ele é rei
Araticum é alto
mede até 8 metros
ele tem o caule curvo
liso, ou reto!
Araticum não é mandão
nasce em qualquer lugar
no cerrado típico
e também no cerradão
Fruto que alimenta in natura
o ser humano, bicho e passarinhos
Beijinho de araticum
ingredientes
4 copos de polpa de
araticum
1 copo de polpa de
abacaxi
5 copos de açúcar
1 colher (sopa) de manteiga.
Modo de fazer:
Retire as sementes dos
gomos do araticum. Leve
a polpa dele, junto com o
abacaxi, ao liquidifcador.
Bata em baixa rotação
(apenas por 1 minuto).
Coloque tudo na panela e
misture. Leve ao fogo baixo.
Mexa até parecer o fundo da
panela. Tire do fogo, deixe
esfriar. Faça as bolinhas,
passe no açúcar e depois é
só beijar!




ilustração: Jean Santos Rodrigues
12 | | 13
Bacupari
Nome científco: Salacia Campestrio
Produz fruto, que maduro
fca amarelo ou alaranjado
para mim e pra você.
Sua altura de 2 a 4 metros
sua copa de 2 a 3 metros de diâmetro
grande sombra pra eu descançar!
Produz polpa branca
que em forma de suco
posso lhe alimentar
Seu caroço também
serve para os piolhinhos matar.
Bacupari meu bacupari
de Setembro a Dezembro
vou te procurar
e mais uma vez
darei graças a Deus
se te encontrar!
Geléia de Bacupari
Ingredientes
½ Litro de polpa de
Bacupari
½ kg de açúcar
1 xícara (chá) de água.
Modo de Fazer:
Leve os ingredientes ao fogo
e mexa até dar o ponto de
geléia. Deixe esfriar bem. Co-
loque em vidros esterilizados.
Tampe bem.



ilustração: Silvani Francisca de Almeida
14 | | 15
Barú
Nome científco: Depterix alata vog
Árvore grande
de 12 a 15m
mora no cerrado
também no cerradão
madeira resistente
própria pra construção
de batentes de portas
estacas, postes, mourão.
De Novembro a Fevereiro
se veste de fores brancas
que de janeiro a março
serão frutos da região!
de forma achatada
duro, castanho claro
com a polpa cheirosa
tem uma semente só
alimento indispensável
à fauna do cerrado.
Na cozinha do caboclo
a semente do barú torrada
vira castanha, pé de moleque, paçoca.
Seu óleo anti-reumático
E perfuma a Chapada inteira
Rapadurinhas de barú
Ingredientes
1 medida de
amêndoas de baru
2 medidas de rapadura
raspada.
Modo de fazer
Moer as amêndoas ou socar
no pilão ou passar rapida-
mente no liqüidifcador. Jun-
tar a rapadura, as amêndoas
moídas e levar ao fogo. Deixar
dar o ponto de corte. Retirar
do fogo, bater bem e colocar
em superfície lisa. Cortar as
rapadurinhas.


ilustração: Matheus Oliveira
16 | | 17
Buriti
Nome científco: Mauritia vinifera Mart
O buriti é muito antigo
assim como o solo do cerrado
com profunda raiz
e longas hastes
terminadas em folhas
com a forma de grandes leques
é o símbolo da chapada dos veadeiros!
Palmeira ornamental
com 10 a 15 metros de altura
povoa as veredas
banhadas e cabeceiras
indicador de água
prô homem e bicharada.
Seus frutos bem juntinhos
de casca marrom clara
e polpa alaranjada
que de Outubro a Março
Alimenta todo o pedaço
Sorvete de buriti
Ingredientes
1 copo de polpa de buriti
3 copos de leite
1 ½ copo de açúcar.
Modo de fazer
Colocar tudo no liquidifcador
e bater bem. Após deixar no
congelador por 5 horas, bater
novamente e, depois, levar ao
congelador.



ilustração: Elma Xavier de Jesus
18 | | 19
Cagaita
Nome científco: Eugenia dysenterica
Ó pé da cagaita
é bem grandinho
chega até 8 metros de altura
como sou pequenina
não consigo subir
eu fco tão triste
e começo a chorar
seu fruto é pequeno
mas tanto faz
cagaita amarelinha ou verdinha
é bem nutritiva
eu me sento à sua sombra
saboreio sua frutinha
com sua polpa faço sucos, sorvetes, geléia
além disso, serve como remédio
para a dor de barriga
e para o intestino
funcionar direitinho
Compota de Cagaita
Ingredientes
1Kg de cagaitas semi-
maduras (de vez)
1kg de açucar e canela em
pó a gosto
Modo de fazer
Lave bem as frutas e deixe
escorrer em peneira. Corte-
as ao meio retirando as
sementes (cumbuquinhas).
Coloque-as rapidamente em
água fervente e logo depois
deixe escorrer. Numa panela
faça uma calda em ponto
de puxa. Coloque as frutas
dentro da calda e deixe no
fogo por 15 minutos. Retire
do fogo, deixe esfriar. Guarde
em frascos de boca larga
esterilizados.


ilustração: Aline de J. Ribeiro e Shirley R. do Nascimento
20 | | 21
Cajú (Cajuzinho do Cerrado)
Nome científco: Anacardium othonianum
De Setembro a Outubro
dá caju pra todo lado
o pé de caju
não é muito alto
vai até 4 metros de altura
seu tronco é todo retorcido
Sua folha é grande e verde
é toda riscada
e quando dá o fruto
amarelo ou avermelhado!
não fca uma alma-viva
sem provar
o bom bocado!
pois em cada árvore
nasce de 200 a 300 frutos
que na forma
de suco, licor e doces
sorvetes e castanha torrada
alimenta a criança,
as aves, os bichos
nesse mundão da chapada
Compota de cajú
Ingredientes
5 litros de cajuzinho
2,5 kg de açúcar
Água suficiente para
fazer a calda
cravo-da-índia (opcional).
Modo de fazer
Depois de lavar os cajus e
descartar as caretas (castanhas),
perfurá-los com garfo em volta
de todo o fruto. Espremê-los para
retirar o suco. Reservar. Ferver a
calda para dissolver o açúcar e
acrescentar os cajus. Mexer de vez
em quando com cuidado para
não desmanchar os frutos. Baixar
o fogo, deixando que cozinhem
bem lentamente para que
ganhem coloração avermelhada.
Estarão prontos quando a
calda estiver em ponto de fo.
Um pouco antes de desligar,
acrescentar os cravos. Deixar
esfriar bem, colocar em vidros
esterilizados e tampar.




ilustração: Odair Silva Araújo
22 | | 23
Chichá
Nome científco: Sterculia Striata
Árvore do cerrado
de 10 a 15 metros de altura
madeira branca e macia
usada para molduras
palitos de fósforo e
em paisagismo ambiental
ainda por cima
desperta meu paladar
dos passarinhos e dos bichos
pois de Agosto a Setembro
seu fruto que uma cápsula, aveludada de cor vermelha
nos proporciona bastante
proteínas e vitaminas, B e C
Suas sementes come-se
cruas, torradas ou cozidas
Se sua castanha
eu socá-socá
até paçoca
você me dá
Meu vermelho e saboroso chichá.
Pé-de-Moleque de
Castanha de Chichá
Ingredientes
1 rapadura pura
½ quilo de castanha de
chichá torrada sem casca
1 xícara (café) de leite.
Modo de fazer
Picar bem a rapadura e levar
ao fogo para derreter, junta-
mente com o leite. Quando
desmanchar e formar um
“melado”, colocar um pouco
deste numa xícara com água
- se estiver no “ponto”, formará
uma “bolinha”consistente.
Apagar o fogo, colocar a cas-
tanha de chichá e mexer bem.
Despejar no mármore, untado
com manteiga. Deixar esfriar
e cortar.



ilustração: Vanderson F. Estácio
24 | | 25
Curriola
Nome científco: Pouteria ramifora
A curriola tem
6 metros de altura
seu tronco é de cor acinzentada
a madeira é usada
na forma de ripas e na construção civil
é usado também para produzir
brinquedos e caixotes
De Setembro a Março
curriola dá o fruto
tamanho médio esverdeado
independente de onde está
ela alimenta o lugar
Meu bem diz
que o chá da curriola
serve para as mulheres
fcarem mais alegres
e os homens melhores na guerra
Lá em cima daquela serra
tem um pé de curriola
seu fruto delicioso
ajuda a quem namora
Geléia de Curriola
Ingredientes
½ litro de polpa de curriola
½ kg de açúcar
1 xícara (chá) de água.
Modo de fazer
Leve os ingredientes ao
fogo e mexa até dar o pon-
to de geléia. Deixar esfriar
bem, colocar em vidros
esterilizados e tampar.



ilustração: Poliana S. de Morais e Rosane S. Rodrigues
26 | | 27
Gabiroba
Nome científco: Compomanesia cambessedeana
No campo sujo
no cerrado ou cerradão
você vai encontrar
parecendo um arbusto
de 60 a 80 centímetros de altura
com folhas pequenas e fnas
a gabiroba, de frutos redondos e amarelados
Que de Setembro a Novembro
explodem encantados
para nossa alimentação!
i
l
u
s
t
r
a
ç
ã
o
:

B
r
u
n
a

B
a
t
i
s
t
a

d
a

S
i
l
v
a
28 | | 29
Gravatá
Nome científco: Bromeliaceae
Sou quase sem caule
primo do abacaxi
resistente e de vida longa
minhas folhas são duras,
verdes, com a base ou
as extremidades vermelhas
Alcanço até 2,5 metros
produzo uma fbra usada na confecção de cordas,
tapetes, barbantes e mantas para selas.
Minhas fores tem cálice branco
e pétalas roxas
Meu fruto é oval e amarelo
cheio de sementes
i
l
u
s
t
r
a
ç
ã
o
:

M
í
r
i
a
n

J
o
s
é

P
e
r
e
i
r
a

30 | | 31
Ingá
Nome científco: Ingá ingoides
Entre as frutas campestres
as crianças escolhem muito o ingá
de Novembro a Janeiro
é só chegar, apanhar,
lavar e a boca levar
Esse fruto esverdeado por fora
e branco por dentro
de vagem comprida e ondulada
sem os gominhos do caroço
é “Ingá d´água”
se tem caroço pequeno
“ingá rabo de mico”!
Vários tipos desse fruto
que nasce no ingazeiro
de 5 a 6 metros de altura
galho grosso e grande copa
Do tronco do ingazeiro
pode-se fazer chá e banhos
auxilia a cicatrização de ferimentos
suas fores, de estames longos
brancas e perfumadas,
bailam ao ritmo do vento
meus olhos e olfato
acendem uma canção!
Cantar pra te proteger
hoje, amanhã e depois
dos seres sem coração!
Mousse de ingá
Ingredientes
1 caixa de leite condensado
1 caixa de creme de leite
1 caixa de gelatina incolor
sem sabor
250 ml de água morna
250 ml de polpa de ingá.
Modo de fazer
Coloque em um recipiente a
gelatina, dissolva-a na água
morna. Depois coloque a
polpa de ingá e misture.
Coloque o leite condensado,
o creme de leite e a gelatina
no liquidifcador. Bata todos
os ingredientes, até tudo se
dissolver. Depois coloque em
um refratário e leve à geladeira
até fcar consistente.





ilustração: Marina Barbosa Rodrigues
32 | | 33
Jatobá
Nome científco: Hymenaea stigonocarpa
Árvore grande maravilhosa
chega até 10 metros de altura
vive no cerradão
madeira pesada, dura e resistente
serve para construção
civil e naval
sua casca grossa já era usada
pelos índios para confecção de canoas
Extraímos também sua resina,
para indústria de vernizes
suas folhas são onduladas
de um verde da cor limão
suas fores de cor creme
aparecem de Outubro a Abril
E seu fruto
castanho avermelhado
de abril até agosto
da polpa se faz
farinha, utilizada na confecção
de bolos, pães e doces.
Da casca do jatobá se faz o chá
empregado no tratamento de cistite
Bolo de Jatobá
Ingredientes
2 xícaras (chá) de farinha de
trigo
1 xícara (chá) de farinha de
jatobá
1 ½ xícara (chá) de leite
morno
½ xícara (chá) de manteiga
1 ½ (chá) de açúcar
1 colher (sopa) de fermento
em pó
3 ovos
1 pitada de sal
Modo de fazer
Misturar a farinha de trigo
com a de jatobá e juntar,
aos poucos, o fermento e o
sal. Coloque o leite morno,
mexendo devagar. Colocar
em forma untada com
manteiga ou margarina. Assar
em forno quente.








ilustração: Lucas F. Alves
34 | | 35
Jenipapo
Nome científco: Genipa Americana
Jenipapeiro, gigante
da mata ciliar
mede de 8 a 14 metros de altura
tronco grosso e casta lisa
madeira empregada na marcenaria
folhas simples e onduladas
fores brancas que
forescem de Abril a Maio
de Setembro a Janeiro
seu fruto vou encontrar!
Jenipapo é muito conhecido,
além do mais ele é nutritivo
com ele faço doces, licores
e até corantes, com sua polpa azulada
O Jenipapo é de alucinar
quando bem maduro
basta você usar
Ele trata sua anemia
ou de seu fígado
em qualquer lugar
desse mesmo cerrado grande
que todos nós devemos cuidar
Licor de Jenipapo
Ingredientes
1 litro de pinga
400 g de açúcar
2 jenipapos maduros.
Modo de fazer
Lave e descasque os jenipa-
pos. Retire os caroços. Corte
essa pele em pedacinhos
e coloque ao fogo em uma
panela com o litro de pinga
e todo o açúcar. Feita a cal-
da, misture a infusão, com-
pletando com água para
obter dois litros de licor.



i
l
u
s
t
r
a
ç
ã
o
:

N
a
i
a
n
y

V
i
r
n
a

d
e

J
e
s
u
s

B
a
s
t
o
s
36 | | 37
Mama-cadela
(Puxa-puxa) Nome científco: Brosimum Gaudichauii
A árvore tem a casta rugosa
madeira branca avermelhada
macia, usada em marcenaria
e indústria de papel
suas folhas verdes arredondadas
suas fores pequenas e amareladas
encantam meus olhos de Junho a Novembro
seus frutos meio amarelo avermelhado
com uma ou duas sementes
polpa carnosa adocicada
explodem de Agosto a Dezembro
Eu fco debaixo da árvore
e não quero sair mais
ela cresce de 3 a 5 metros
cabe eu, você, e muito mais!
Doce de Mama-cadela
Ingredientes
500g de polpa de mama
cadela
300g de açúcar
cravo a gosto.
Modo de fazer
Deixe fermentar a polpa por
5 minutos, fazer caldo com
o açúcar e adicionar a polpa.
Cozinhar de 40 a 60 minutos
e adicionar os cravos.
Farmácia do cerrado
A casca da raiz da mama
cadela tem propriedades
anti-infamatórias. Na
forma de garrafada, é usada
como depurativo e contra
infamações do útero!



i
l
u
s
t
r
a
ç
ã
o
:

D
i
o
n
e

d
e

J
e
s
u
s

R
i
b
e
i
r
o

38 | | 39
Mangaba
Nome científco: Hancornia speciosa
A mangaba também mora no cerrado
onde atinge de 5 a 7 metros de altura
tronco áspero madeira leve
tira-se dele um líquido leitoso
que se denomina látex
Suas folhas são simples e brilhantes
suas fores são alvas, fnas e compridas
forescem de Agosto a Novembro
seus frutos tem a casca verde amarelada
eu posso apanhá-los de Novembro a Janeiro.
Dá de 100 a 400 frutos por ano
é uma fartura para os bichos,
pássaros e pra todo mundo
Do seu fruto a gente tira a polpa e faz
sorvetes, doces, geléias, licores
Mangaba mangabinha
de sabor apurado
fruto tão nutritivo
enriquece meu cerrado!
Creme de Mangaba
Ingredientes
1 pacote de biscoito de
champanhe
2 latas de leite condensado
1
1/2
lata de creme de leite
2 medidas de polpa de
mangaba.
Modo de fazer
Bater tudo no liquidifcador,
menos o biscoito. Em uma
vasilha coloque camadas
alternadas do creme e do
biscoito. Leve ao congelador
por 3 horas.
Farmácia do cerrado
A casca fna do caule é de-
purativa (você pode utilizá-la
in natura). A tinta da casca
é usada para tratamento de
afecções do útero.




i
l
u
s
t
r
a
ç
ã
o
:

R
i
c
a
r
d
o

B
e
r
n
a
r
d
e
s


e


E
d
u
a
r
d
o
40 | | 41
Merindiba
Fruto do veado - Nome científco: Tomentosa Eichl
Árvore muito alta
15 metros de comprimento
sua casca é cicatrizante
se a gente fzer um chá
suas folhas são verdes
com listas ferrugem
Flores bem pequenas
de Setembro a Outubro
Os seus frutos são
em forma de fgo
não serve para chupar
é fruto mais de
anta, veado, mutum e jacu
onde o caçador
fca horas a esperar
graças a Deus
A natureza é inteligente
fca até três anos sem frutifcar
e os bichos ela ajuda a preservar!
A merindiba é apreciada por vários animais silvestres mas não é
considerada comestível quando se trata de uso humano.
ilustração: Jaqueline Santana Ferrás
42 | | 43
Murici
Nome científco: Byrsonima verbascifolia
Murici, murici
você cresce até 8 metros
tem a casca dura
e a copa estreita
folhas verdes e durinhas
alaranjada é sua for
esse seu fruto saboroso
de forma arredondada
amarelo, pequenino
eu pulo, pulo e não te alcanço
tenho que virar macaquinho!
O tempo do murici
é de Agosto a Novembro
com ele faço uma polpa
bem docinha,
posso comer na hora
ou levar pra cozinha
fazer doces, sorvetes, sucos
também ajuda com a tosse
e com bronquite
No tempo do Murici
sobra pra todo mundo
gente, bicho, passarinho
cada um colhe pra si
Licor de Murici
ingredientes
1 litro de pinga
400 g de açúcar
½ litro de polpa de murici.
Modo de fazer
Coloque ao fogo uma panela
com todos os ingredientes.
Feita a calda, misture a infusão,
completando com água para
obter dois litros de licor.



ilustração: Amanda A.G. Araújo e Elma Xavier de Jesus
44 | | 45
Pequi
Nome científco: Caryocar brasiliense
Adivinhe de quem é esta for grandona
meia branca, meia creme
que perfuma meu cerrado
de Agosto a Novembro
Rico pequizeiro
chega até 12m de altura
de tronco torto e casca dura, cheia de rugas
madeira resistente
resiste a seca junto com a gente
E o seu fruto, de outubro a março
cheio de valor nutritivo, vitamina A e B1
Explode na fartura, doce, cheiroso
de polpa amarela alaranjado
que além de alimento
combate gripe e resfriado
logo abaixo da polpa
tem muito espinho
aprecie com cuidado e com carinho
Pequizada com
maxixe
Ingredientes
20 caroços de pequi
30 maxixes raspados
leite
2 colheres (sopa) de manteiga
pimentão, tomate, cebola,
cheiro verde, alho e sal a
gosto.
Modode fazer
Cozinhe com sal separada-
mente os caroços de pequi
e de maxixe, deixar escorrer,
arrumar o prato a seu gosto!





ilustração: Luana Ananias de Brito
46 | | 47
Pitanga
Nome científco: Eugênia calycína
Pitanga árvore
6 a 12 metros
Pitanga folha
verde, pequena e arredondada
pitanga fruta
pontuda e vermelhinha
de outubro a Janeiro
a gente pode encontrar!
Pitanga para xarope
pra sucos e sorvetes
pitanga ao natural
disputo com bem-te-vi
sabiás e pica-paus.
Geléia de Pitanga
Ingredientes
½ litro de pitangas
½ kg de açúcar
½ litro de água.
Modo de fazer
Colha as pitangas mais verme-
lhinhas da árvore. Lave-as, tire
os caroços e reserve. Faça uma
calda com 1/2 kg de açúcar
e 1/2 litro de água. Quando
a mistura estiver bem dissol-
vida, quase pastosa, ponha
as pitangas. Deixe ferver,
pingando sempre mais água.
Prove se está bom de açúcar.
Apague o fogo e deixe esfriar
na própria panela. Coloque a
geléia em uma compoteira e
guarde na geladeira.



ilustração: Wagner Batista da Silva
| 49
Todas as ilustrações desta obra foram pintadas pelos agentes culturais do
Projeto Turma que Faz (jovens entre doze e quinze anos). Os textos, poemas e
receitas são resultados de uma pesquisa de quatro meses realizada por cem
jovens da Chapada dos Veadeiros sob a coordenação de Dorothy Marques e
a colaboração de Edson Francisco de Lima, José da Paixão e Erika Rocha. As
imagens foram digitalizadas e tratadas pelos agentes do projeto com a utili-
zação de software livres, dentro das atividades em conjunto do projeto Turma
que Faz e do Ponto de Cultura Cavaleiro de Jorge.
ASJOR
I l us tr açõe s
Ananás Zé da Paixão
Araçá Jonathan P. Passos
Araticum Jean Santos Rodrigues
Bacupari Silvani Francisca de Almeida
Barú Matheus Oliveira
Buriti Elma Xavier de Jesus
Cagaita Aline de J. Ribeiro e Shirley R. do Nascimento
Cajú Odair Silva Araújo
Chichá Vanderson F. Estácio
Curriola Poliana S. de Morais e Rosane S. Rodrigues
Gabiroba Bruna Batista da Silva
Gravatá Mírian José Pereira
Ingá Marina Barbosa Rodrigues
Jatobá Lucas F. Alves
Jenipapo Naiany Virna de Jesus Bastos
Mama-cadela Dione de Jesus Ribeiro
Mangaba Ricardo Bernardes e Eduardo
Merimdiba Jaqueline Santana Ferrás
Murici Amanda A.G. Araújo e Elma Xavier de Jesus
Pequi Luana
Pitanga Wagner Batista da Silva
f i cha técni ca
Coordenação Dorothy Marques
Colaboradores Edson F. Lima
Érika G. Rocha
Kleber Amir
Zé da Paixão
Referências:
Frutas Nativas dos Cerrados ( © EMBRAPA
- 1994 ) J. A. Silva, D. B. Silva, N.T.V. Jun-
queira e L.R.M. Andrade 166 p.
O Jardim da Vida (© Autores, UCG, Kelps
- 2004) C.R. Brandão e E. Rocha 304p.
http://pt.wikipedia.org/wiki/
50 | | 51
Agradeci mentos:
À toda comunidade (Alto Paraíso e São Jorge), à Prefeitura Municipal de Alto
Paraíso, ao FIA (Fundo da Infância e Adolescência) através do Conselho Muni-
cipal de Direitos da Criança e Adolecentes, ao PETI - Alto Paraíso (Programa
de Erradicação do Trabalho Infantil), à ASJOR (Associação Comunitária da Vila
de São Jorge), por meio de seu presidente, Juliano Basso; aos profssionais
do projeto “Turma que Faz”: Érika G. Rocha, Edson F. Lima e Zé da Paixão. E
principalmente à Petrobrás pelo carinho e apoio total.
52 |

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->