Você está na página 1de 10

SECÇÃO ALVALADE

Notícias de Alvalade
Construindo a Secção com os Militantes!

BEM VINDOS:::::
Camaradas, é com indesfarçavél orgulho e humilde
vontade de fazer cada vez melhor que este Secreta-
riado lança o número 0 desta newsletter.
Foi uma promessa de campanha, que cumprimos apesar
EDITORIAL
das limitações obvias em termos de condições de tra-
balho, mais do que compensadas pela inabalável von-
tade de fazer mais e melhor pelos Militantes.
Esta newsletter pretende ser uma janela, para dentro
da Secção, para dentro de cada uma das nossas 4 fre-
guesias, mas pretende também ser uma porta, pela
qual os Militantes, todos os Militantes, opinam,
alertam e informam.
Esta newsletter está também interligada com o site,
já em construção, em www.psalvalade.eu, pretendendo
estas 2 ferramentas, assim como os emails criados
para os orgãos da secção e para os representantes do
PS nas assembleias de freguesia, serem, no seu con-
junto, uma plantaforma de comunicação que aproxime
os Militantes, que aproxime o secretariado dos Mili-
tantes e que aproxime até os fregueses do PS. Casa do Concelho de
Este secretariado limita-se a cumprir com o seu Pla- Tomar Reduzimos 400% os
no de Actividades, a cumprir aquilo que propos custos de aluguer
aquando do acto eleitoral, gostavamos que fosse tudo
Respeitados Camaradas,
mais rápido, mais fácil ou mais barato, mas se esta
Como já puderam perce-
Missão, a de devolver o Poder aos Militantes, fosse
ber, as reuniões do PS
fácil, não sería tão estimulante e tão gratificante.
Alvalade passaram-se a
realizar na Casa do
Saudações Socialistas Concelho de Tomar.
Importa aqui esclarecer
Paulo Ferreira as razões que nos leva-
ram a esta mudança:
1. O aluguer de uma
sala no Hotel Lutécia
tinha um custo de 120€,
na Casa do Concelho de
Tomar o aluguer é de
30€, o que si gni f i ca
uma redução de 400% no
custo;
2. O Hotel Lutécia é
uma instituição priva-
da, pelo contrário, a
Casa do Concelho de
Tomar é uma Instituição
de Utilidade Pública;
3. A Casa do Concelho
de Tomar é uma Força
Viva da freguesia de
Alvalade, onde diaria-
mente marcam presença
em inúmeras actividades
muitos eleitores da
zona.
Perante estes dados que
aqui Vos transmitimos
INDICE Camaradas, o secreta-
riado da Secção optou e
julgamos que bem.
Reduzimos 400% dos Custos
Aos serviços destas populações
Plano de Actividades
Urbanização Alvalade
Arrendamento Urbano
XV Congresso
O Estado da Justiça
25 de Abril
Carris
Aniversários
Prós e Contras

noticias.opiniao@psalvalade.eu 1
SECÇÃO ALVALADE

Notícias de Alvalade
Construindo a Secção com os Militantes!

FOTO Aérea ALVALADE actual

Ao serviço destas populações e dos seus


anseios mais profundos e legítimos

Caras e caros camaradas.

Cumprindo uma das premissas do nosso programa elei-


toral, vamos dar início à comunicação periódica
entre os órgãos eleitos da secção de Alvalade do
Partido Socialista e os militantes residentes nas FOTO ALVALADE actual
nossas quatro freguesias:

Alvalade, S. João de Brito, S. João de Deus e Campo


Grande, integradas, em grande parte, no espaço da
cidade denominado Avenidas Novas, começado a ras-
gar, ainda nos finais do século XIX, por Ressano
Garcia, então alto responsável do Departamento de
Obras da C.M.L., e continuado, especialmente na
primeira metade do século XX, por várias iniciati-
vas públicas e privadas que moldaram esta zona da
cidade.

Já depois da Revolução de Abril, especialmente nos


consulados socialistas que governaram Lisboa, a
vontade de erradicar as formas de habitação menos
dignas, veio trazer à nossa vizinhança novos bair-
ros sociais, embora de características um pouco
diferentes das que estiveram na génese das antigas
habitações económicas, numa primeira fase, ainda FOTO ALVALADE em 1949
nos tempos da Primeira República, caso do Arco do
Cego, e, depois, em pleno Estado Novo, com a deno-
minada Urbanização do Sítio de Alvalade.

Com efeito, ainda há menos de sessenta anos, grande


parte do espaço das nossas freguesias estava ocupa-
do por quintas que colocavam o recém-nascido Aero-
porto da Portela bem fora dos limites da cidade.

Na fotografia de 1949, que retrata a urbanização de


Alvalade, podemos reconhecer os traçados das futu-
ras avenidas de Roma, dos Estados Unidos da América
e da Igreja, ainda apresentando uma caracterização
perfeitamente rural.
Procuraremos, em futuras edições deste meio de
comunicação, voltar a estes temas de grande inte-
resse, quer numa perspectiva histórica, quer na
percepção dos motivos do sucesso que moldaram a
conjugação populacional das nossas freguesias, em
confronto com algumas opções menos felizes, confi- BREVEMENTE…
guradas em alguns planos de realojamento dos nossos
dias.
www.psalvalade.eu,
Os equipamentos públicos e privados, as formas de
associação e os movimentos de massas existentes na a sua Secção à
área da nossa secção estarão sempre presentes, sob distância de um clique
a forma de reportagens ou entrevistas aos seus men-
tores e dirigentes.

Para terminar apenas podemos afirmar a nossa vonta-


de e disponibilidade para, no quadro das grandes
opções políticas do nosso partido, nos colocarmos,
não apenas numa perspectiva de conquista eleitoral,
mas verdadeiramente ao serviço destas populações e
dos seus anseios mais profundos e legítimos.

noticias.opiniao@psalvalade.eu 2
SECÇÃO ALVALADE

Notícias de Alvalade
Construindo a Secção com os Militantes!

Últimas Notícias
No dia 27 de Outubro de 2006 das 18h
às 22h, na Casa do Concelho de Tomar,
irá realizar-se a eleição do
Secretário Geral do PS e eleição de
Delegados ao XV Congresso do PS.
Participe com o seu voto

Listagem dos camaradas aniversariantes


deste mês de Outubro

Brevemente www.psalvalade.eu, a sua


Secção à distancia de um clique.

Contacto a partir de Novembro em


FOTO Avenida da Igreja noticias.opiniao@psalvalade.eu

Apresentámos o Plano de Actividades.


Cumprimos!
No dia 2 de Junho, demos corpo a mais uma promessa.
Cumprimos!
O Secretariado convocou uma Reunião Geral de
Militantes que serviu para apresentarmos e
discutirmos a proposta do Secretariado para o Plano
de Actividades para o presente mandato.
Foram várias as vozes dos militantes que enalteceram
esta boa prática democrática, que segundo palavras
de alguns dos presentes, não tem paralelo no passado
mais próximo.
O Secretário Coordenador, apenas referiu neste
capítulo, que o Secretariado que dirige respeita os
militantes e honra-se por discutir as suas opções
com os Camaradas.
As intervenções foram maioritariamente de apoio ao
plano, o que não deixa de ser um excelente sinal,
sublinhou Miguel Teixeira.
Ainda no capítulo das intervenções, o Camarada Pedro
Tito Morais, perguntou porque razão o anterior
Secretariado nunca tinha chegado a apresentar o
devido Relatório e Contas do mandato que cessou e
porque razão não estavam presentes nesta reunião
para falarem sobre isso. O Secretariado concordou
com a exposição do Camarada, mas informou que essa
questão deve ser colocada aos mesmos e não a este
Secretariado, que como todos sabem é uma equipa
totalmente nova, que nada tem que ver com a
anterior.
Em jeito de análise, informar que o documento foi
discutido durante cerca de 3 horas, o que por si só
reflecte a importância do presente documento.
O Secretariado agradece a Todos os que puderam estar
presentes, pelos contributos recebidos e pelo alto
sentido democrático das intervenções.

noticias.opiniao@psalvalade.eu 3
SECÇÃO ALVALADE

Notícias de Alvalade
Construindo a Secção com os Militantes!

A URBANIZAÇÃO DO SÍTIO DE ALVALADE


(I)

Foram vários os pressupostos que


motivaram, nos anos 30 e 40 do
século XX, a urbanização do chamado
Sítio de Alvalade, vasta zona de
formato trapezoidal, com cerca de
230 hec t ar es , s i t uada ent r e a novel
Avenida do Brasil – chamada, até
então, Avenida Alferes Malheiro –
que a limitava a norte, e a linha
férrea que atravessava a cidade
entre Campolide e Braço de Prata,
interligando as linhas do Norte, de
Cascais e de Sintra (linha da Cin-
tura). As restantes fronteiras,
oriental e ocidental, eram a Aveni-
da do Aeroporto e o eixo Campo
Grande – Rua de Entrecampos:

Por um lado, a acumulação de capi- central, até pela sua inserção numa
tal disponível entre os investido- circular interior da cidade.
res particulares, passíveis de As restantes 4 vias de trânsito
serem aplicados na construção de foram a Avenida de Roma, entre a
habitações de renda económica, Avenida do Brasil e a Praça de Lon-
mediante contrapartidas favoráveis dres, praticamente em linha recta,
ao nível da aquisição de terrenos, com a particularidade de atravessar
da libertação do ónus das despesas a linha do caminho de ferro em via-
de infra-estruturas de saneamento duto, o conjunto Avenida da Igreja –
básico, a cargo da Câmara Municipal D. Rodrigo da Cunha, que, partindo
e, por outro, a necessidade de do Campo Grande, termina na Avenida
remodelar certas zonas centrais da do Aeroporto, agora Gago Coutinho, a
cidade, à imagem do que fora feito, Avenida do Rio de Janeiro, paralela
por exemplo, em Paris, por House- à Avenida de Roma e acompanhando-a
man, um século antes, permitindo o até à Avenida dos Estados Unidos e,
desbloqueamento de certos eixos embora numa escala bem menor, a Rua
viários que a crescente pressão do António Patrício que bordeja, no
trânsito urbano tornava urgentes. lado sul, o conjunto habitacional
sob responsabilidade da Federação
A zona entre o Martim Moniz e o das Caixas de Previdência.
Rossio foi uma das principais
“fornecedoras” de habitantes para As particularidades desta obra podem
serem realojados nas mais de 2.000 enquadrá-la numa forma quase perfei-
casas de renda dita social, a cons- ta de urbanizar, conjugando elemen-
truir pela Câmara Municipal, com tos e factores de extraordinária
fundos da Federação das Caixas de importância para a saudável convi-
Previdência Social que atingiram o vência de algumas dezenas de milhar
valor aproximado de 200.000 contos, de pessoas que passaram a ocupar
na moeda de então (cerca de esta zona da cidade.
1.000.000 de euros).
A existência de diversos tipos de
As centenas de pequenas casas, pre- habitação:
sentes nas estórias relacionadas
com o fado, o Marquês do Alegrete, - De características sociais, promo-
o Jogo da Pela, fidalgos e prosti- vidas pelas entidades públicas já
tutas, foram demolidas para permi- referidas, com projecto dos Arqui-
tir a ligação entre a Rua da Palma tectos Faria da Costa e Jacobety
e a Baixa. As boas intenções da Rosa, e ocupadas, quer por elementos
época, potenciadoras de uma moder- das classes médias, entre os quais
nidade completamente subjugada ao professores e membros das forças
automóvel como símbolo de progres- militares ou militarizadas, quer por
so, deram origem, durante muitos famílias de baixos recursos e origem
anos, a uma espécie de amontoado de modesta, procedentes de zonas da
barracões ocupados por sapatarias e cidade velha, sacrificadas ao pro-
ourives e, já em Democracia, a uma gresso, como foi descrito anterior-
praça, por sinal bonita e bem cui- mente, ou indicadas por diversas
dada, mas onde pontificam dois Cen- entidades, entre as quais algumas
tros Comerciais de estética muito Caixas Sindicais.
discutível.
- De renda económica, limitada a
O Plano para a nova zona residen- valores aceitáveis, construídas por
cial de Alvalade determinou a divi- privados, susceptíveis de atrair
são do espaço em 8 células, compar- novos moradores, igualmente da clas-
timentadas por um conjunto de novos se média.
eixos onde a Avenida dos Estados
Unidos da América assumia um papel - Sem limitação de renda e, dentro
destas, vivendas unifamiliares.
noticias.opiniao@psalvalade.eu 4
SECÇÃO ALVALADE

Notícias de Alvalade
Construindo a Secção com os Militantes!

As especificidades do projecto:

- As habitações sociais apenas


foram construídas em 2 das 8 célu-
las consideradas no Plano, apenas
com algumas excepções, localizadas
em transversais da Avenida da Igre-
ja, entre as Avenidas de Roma e do
Rio de Janeiro e mesmo um pouco
para além desta.

- As distâncias entre as habitações


e os equipamentos colectivos torna-
vam-se relativamente curtas devido
à existência de pequenas veredas
p edo -
n ais ,
a ind a
h o j e
profusa-
m ent e
utiliza-
das.

Esta circunstância de rejeitar a


criação de espaços habitacionais
apenas para famílias de baixos pro-
ventos, mais o facto de estas esta-
rem claramente em minoria, ainda
sobrelevado por um convívio a nível
das Escolas ou das Igrejas, acres-
cido da não existência de espaços
comerciais e de lazer, como cafés
ou espaços de diversão, na zona das
habitações sociais, obrigando os
seus habitantes a deslocarem-se
para as outras zonas, veio propor-
cionar alguma mistura humana e cul-
tural, importante para o convívio
entre classes.

Ressalvando as diferenças óbvias


entre as épocas e procurando fugir
a tiradas demagógicas, podemos cer-
tamente afirmar que os grandes pro-
blemas urbanísticos do nosso tempo,
os guetos que substituíram os bair-
ros de barracas da nossa cidade,
teriam sido certamente evitados ou
atenuados se este modelo se tivesse
perpetuado.

noticias.opiniao@psalvalade.eu 5
SECÇÃO ALVALADE

Notícias de Alvalade
Construindo a Secção com os Militantes!

Novo Regime de Arrendamento


Urbano
As Seccções de Alvalade, Almi-
rante Reis, Carnide e Benfica
e São Domingos de Benfica

As Seccções de Alvalade, Almirante


Reis, Carnide e Benfica e São Domin-
gos de Benfica, numa iniciativa con-
junta, organizaram uma Sessão de
Esclarecimento sobre o Novo Regime de
Arrendament o Urbano (NRAU), q ue
decorreu no dia 11 de Julho, na sede
do PS-Almirante Reis e que contou com
a participação da nossa Camarada Leo-
nor Coutinho, uma especialista na
matéria e autora de uma recente
publicação que aborda este assunto.
XV CONGRESSO
Este encontro contou com a presença
de muitos socialistas, permitindo
juntar Camaradas de diferentes Sec- XV Congresso realiza-se em Santa-
ções numa iniciativa que inaugura uma rém
prática de trabalho conjunta entre A Comissão Organizadora do Con-
Secções. gresso (COC) escolheu, o Centro
Após um período de intervenção reser- Nacional de Exposições de Santarém
vado à Camarada Leonor Coutinho, para ( CNEMA) par a a r eal i zação do XV
que esta apresentasse as suas opi- Congresso Nacional, que irá decor-
niões e observações face ao NRAU, rer nos dias 10, 11 e 12 de Novem-
seguiu-se um longo período de inter- bro.
venções e consequentes esclarecimen- O Secretário – Geral, formou um
tos, muito participado, acrescente- grupo de trabalho que redigirá a
se. sua moção de estratégia intitulada
No final de uma Sessão que foi longa, “O rumo do PS: Modernizar Portu-
a Camarada Leonor Coutinho disponibi- gal”.
lizou o seu contacto de E-mail para O grupo de redacção, é coordenado
quem venha a solicitar qualquer por Pedro Silva Pereira e integra
informação adicional ou esclarecimen- os Camaradas Vieira da Silva,
to, atitude que se saúda como uma Augusto Santos Silva e Sérgio Sou-
excelente prática. sa Pinto.
As moções a apresentar aos con-
gressistas deverão ser entregues
até ao dia 29 de Setembro.
A eleição dos delegados e do
secretário-geral do PS realiza-se
a 27 e 28 de Outubro.

FOTO de Santarém

noticias.opiniao@psalvalade.eu 6
SECÇÃO ALVALADE

Notícias de Alvalade
Construindo a Secção com os Militantes!

O Estado da Justiça
Ciclo de debates - “O Poder
aos Militantes”

O Secretariado da Secção de
Alvalade lançou um ciclo de
debates que vai acompanhar o
presente mandato, subordinado
ao tema “O Poder aos Militan-
tes”. O objectivo deste ciclo
é o de proporcionar a todos os
Camaradas a informação e a
possibilidade de discussão com
os agentes que impulsionam as
grandes medidas de fundo ao
nível da política local e
nacional, como foi o caso des-
te.
O PS-Alvalade, teve o privilé-
gio de discutir antecipadamen-
te com o nosso Camarada, João
Tiago Silveira, Secretário de
Estado da Justiça, todas as
medidas que agora constam da
recente Reforma da Justiça,
assumidas em pacto pelo PS e
PSD.
Par a al ém do Sec r et ár i o de
Estado da Justiça (em substi-
tuição do Ministro, em virtude
de um Conselho de Ministros
Extraordinário convocado para
o envio da GNR para Timor) Reunião com os Autarcas das nossas
teve igualmente presente o freguesias
Camarada Filipe Costa, Chefe No dia 19 de Setembro, o Secreta-
de Gabinete do Ministro, que riado da Secção de Alvalade orga-
no inicío da sessão entregou nizou uma reunião conjunta com os
Camaradas eleitos nas Assembleias
aos presentes uma publicação
de Freguesia de Alvalade, Campo
do Ministério da Justiça, com Grande, S. João de Brito e São
a descrição de todas as acções João de Deus, que decorreu na sede
concretizadas nos primeiros 12 da FAUL.
meses de Governo. Um gesto que Este encontro tinha como agenda, o
balanço de um ano de mandato polí-
o Secretariado agradece. tico, bem como, a análise e pers-
pectivas de trabalho comum entre
os autarcas das nossas freguesias.
O Secretariado pela voz do Secre-
tário Coordenador, Miguel Teixei-
ra, congratulou os presentes pelo
trabalho efectuado, expressando a
disponibilidade da equipa que
lidera para apoiar o díficil tra-
balho de oposição nas freguesias.
Os autarcas presentes foram ainda
informados que tinham ao seu dis-
por a Newsletter e o website que o
Secretariado vai brevemente inau-
gurar, como instrumento de divul-
gação interna e externa do traba-
lho realizado.

noticias.opiniao@psalvalade.eu 7
SECÇÃO ALVALADE

Notícias de Alvalade
Construindo a Secção com os Militantes!

Comemorou-se o 25
de Abril na nossa
secção
A secção de Alvalade participou nas
comemorações do 25 de Abril.

Após longos anos sem qualquer


participação ou organização de
actividades de comemoração da mais
importante conquista do século XX,
a Secção de Alvalade esteve
presente através do Secretariado e
de outros Camaradas, no tradicional
desfile do 25 de Abril que ligou o
Marquês de Pombal e o Rossio.
Para o final do dia, o Secretariado
organizou uma exposição invocativa
do 25 de Abril onde os Camaradas
puderam recordar os jornais da
época, os cartazes e folhetos de
propaganda, a par de um saudável
jantar convívio socialista. Para as
quase 60 pessoas presentes, este
encontro foi uma e x c e l en t e
oportunidade para muitas lembranças
e recordações que marcam as
p e s so a s. M ui t os f or a m os
testemunhos que vários Camaradas
quiseram prestar neste jantar.
Para o final do jantar estavam
ainda reservadas outras surpresas,
como foi o caso a actuação de um
conjunto de Segreis, que declamaram
excertos de poesia de Silvino
Lopes. Mas o momento mais forte de
união estava guardado para o fim do
jantar, quando todos os presentes
se uniram a uma só voz, de punho
cerrado e com os cravos lá bem no
alto cantando a Internacional
Socialista, Vitória e Liberdade e a
Portuguesa.
Para quem esteve presente, foi
unânime a imensa satisfação sentida
nesta comemoração. No próximo ano
tentaremos alargar esta actividade
a outras Secções.
Por último, o nosso agradecimento a
Todos os que contribuíram em torno
do sucesso desta iniciativa.

noticias.opiniao@psalvalade.eu 8
SECÇÃO ALVALADE

Notícias de Alvalade
Construindo a Secção com os Militantes!

A recente iniciativa da Carris, da qualidade de vida dos nossos con-


alterando a circulação da carreira cidadãos, no seu verdadeiro papel de
nº 21, da Avenida dos EUA para a suporte de outras medidas que se
Avenida da Igreja, veio trazer uma impõem para que essa árdua tarefa de
melhoria considerável nas acessibi- devolver os nossos passeios de pedra
lidades para e dentro de uma parte calcária, tão louvados em todo mun-
considerável do Bairro de Alvalade. do, aos seus legítimos e naturais
usufrutuários – os transeuntes –
Com efeito, os habitantes, especial- seja uma realidade a curto prazo.
mente os mais idosos, podem agora
deslocar-se com menor esforço, por É realmente um dos grandes e delica-
exemplo, para efectuarem as suas dos problemas da cidade de Lisboa e,
compras na Praça de Alvalade. como não podia deixar de ser, uma
das situações mais complexas nos
A Empresa Pública de Transportes bairros da nossa secção: o estacio-
Carris, que desse nome primitivo, namento.
apenas conserva algumas linhas de
eléctricos, nomeadamente as de inte- Não nos cabe aqui proteger aqueles
resse turístico, tem vindo a perder, que, vindos de outras paragens,
ao longo dos anos, a necessária com- fazem da nossa zona o seu local de
petitividade, primeiro para outro trabalho. Somos bem servidos de
transporte público, o metropolitano, transportes, nomeadamente no que
o que em si não é grave, mas, sobre- respeita ao metropolitano, apenas
tudo, para o automóvel privado, o com a aberrante excepção da zona de
que configura uma situação terrível, S. João de Deus, onde esse meio está
quer em termos ambientais, quer até p rati came nte a usen te, f alta ndo
em termos económicos, tomando aos obviamente uma estação entre a Praça
rendimentos das famílias uma fatia do Areeiro e o cruzamento da Av. de
cada vez maior, com a compra, manu- Roma com a Av. dos Estados Unidos da
tenção, seguro e combustível. América, a situar, sem serem neces-
sário muitos cálculos ou estudos, no
Necessariamente que, um pouco por atravessamento das Avenidas de Roma
todo o mundo, a situação é mais ou e João XXI, o que permitiria servir,
menos semelhante, o que leva os entre outras, a importante zona da
governos e outros responsáveis polí- Praça de Londres.
ticos, nomeadamente a nível local, a
tomarem atitudes tanto mais drásti- Já podemos e devemos ter uma palavra
cas quanto a degradação da situação no que toca às dificuldades sentidas
é mais problemática. pelos moradores das nossas fregue-
sias, sobretudo nas zonas mais anti-
Concretamente em Lisboa, cidade que gas, onde as garagens nos prédios
apenas possui Metropolitano desde o são raras, quando após um dia de
fim dos anos cinquenta, ainda por trabalho, ou um fim-de-semana passa-
cima com a agravante de ser necessá- do fora, pretendem parquear as suas
rio esperar quase pelo final da pri- viaturas e se deparam com essa quase
meira década do século XXI, pelo impossibilidade. É um tema de grande
primeiro troço com características importância, não existindo soluções
não circulares, ligando a Alameda a fáceis ou receitas milagrosas.
S. Sebastião, é um tremendo sacrifí-
cio suportar a falta de coordenação Há quem defenda estar este assunto
entre os operadores de transportes ligado à recuperação ou reordenação
públicos, com percursos duplicados, de espaços, por exemplo, nas trasei-
grandes intervalos entre as carrei- ras dos prédios do antigo “bairro
ras de superfície, uma quase concor- das Caixas”, sendo que outros prefe-
rência desenfreada, em vez de uma rem a solução dos parques subterrâ-
complementaridade bem mais benéfica neos. Como agravante, a grande anar-
que até contamina os próprios táxis, quia vivida há alguns anos atrás,
praticamente entretidos nas Praças, levou à possibilidade de ocupação
em vez de, como seria seu dever, clandestina de grandes espaços o
circularem em busca de clientes. que, com o tempo, veio a criar
situações de facto consumado, gera-
É comum verificar-se a estranha doras de sensibilidades e casos par-
situação: Muitos lisboetas queixam- ticulares, distintos e complexos.
se da impossibilidade de apanharem
um táxi ou um autocarro, enquanto os O mote está lançado. Vamos procurar
taxistas referem não ter clientes e auscultar a opinião das pessoas,
os autocarros circulam praticamente promover debates, quer presenciais,
vazios. quer através das páginas desta News-
Letter, no sentido de contribuir
Esperemos que esta reestruturação de para a solução deste problema. Con-
percursos levada a efeito pela Car- tamos com a vossa participação.
ris, em grande parte, nomeadamente
nas freguesias que fazem parte da
Secção de Alvalade do nosso partido,
fruto de campanhas, abaixo-assinados
e outras acções de sensibilização de
camaradas nossos, possam recolocar
essa empresa, tão útil à recuperação
noticias.opiniao@psalvalade.eu 9
SECÇÃO ALVALADE

Notícias de Alvalade
Construindo a Secção com os Militantes!

ANIVERSÁRIOS
O Secretariado da Secção endereça os Parabéns aos Camaradas

António José Rego Mexia Heitor 05 -10-1934


Isabel Sofia Santos Reis Flood 06 -10-1970
Adélia Avelino Pedroso 08 -10-1925
Lígia Conceição Sebastião Gonçalves 08 -10-1952
Ana Maria Almeida Tomás 10 -10-1954
António Maia Fernandes 11 -10-1958
João Abreu Faria Bilhim 12 -10-1946
Sónia Maria Costa Carvalho Santos 13 -10-1964
Luís Miguel S. Cavaleiro Madeira 14 -10-1957
António Castelo Sérgio Pessoa 14 -10-1942
Rui Manuel Martins Ferreira 15 -10-1962
Júlio Américo Sousa Rendeiro 16 -10-1942
Maria João Vilhena Catanho M. M. Sales 17 -10-1960
Teresa Olga Monteiro Lopes Tropa 18 -10-1939
Igor Baluka Boal Roçadas Marmota 18 -10-1974
Maria Irene Fialho Rodrigues 20 -10-1934
Virgílio Dias Guterres 21 -10-1913
Maria Fernanda Lima Silva G. Pereira 21 -10-1941
Mário Neto Reis Lourenço 22 -10-1951
Carlos Patrício Fernando Braga 23 -10-1948
Sérgio Claudino Loureiro Nunes 23 -10-1958
Luís Gonçalves Beato Rodrigues 26 -10-1927
Pedro Miguel Pereira Cabeços 28 -10-1977
Paulo Alexandre Lopes Ferreira 29 -10-1973
António Luís Cardoso Freitas 29 -10-1980

Deu gosto ver o programa


“Prós e Contras” do passado
dia 11 de Setembro, em que o
nosso camarada, Dr. Mário
Soares, insigne fundador e
militante da secção de Alva-
lade do Partido Socialista,
debateu as causas e conse-
quências dos dramáticos acon-
tecimentos desse mesmo dia,
cinco anos atrás.

A forma clara como explicou a


diferença entre ser solidário
e amigo do Povo Americano,
atingido em cheio por esse
hediondo acto terrorista, e o
seguidismo, vergonhoso e
hipócrita, perante a adminis-
tração Bush, que, sem o míni-
mo de competência e sensibi-
lidade para lidar com o novel
estatuto de única super-
potência, conduziu o mundo à Ficha Técnica
situação que hoje vivemos,
foi, mais uma vez, o paradig- Direcção: José Sequeira, Paulo Ferreira
Redacção: Miguel Teixeira e António J.Coelho
ma de uma brilhante lição de Grafismo e Paginação: Ana Claúdia Oliveira
Democracia. Fotografia: Miguel Teixeira

noticias.opiniao@psalvalade.eu 10