Você está na página 1de 3

“HANDICAP” DA VIDA

É possível fazer uma escala das satisfações de nossa vida?


Seria moralmente correto escalonar nossos melhores momentos e
nossas emoções em primeiro, segundo ou enésimo lugar? Que deus me perdoe, mas
vou tentar.
O primeiro beijo? Poderia ser um 8,5 em uma escala de 0 a 10...
A alegria em passar no vestibular ou sentir a doçura do beijo de sua
mãe e a firmeza do aperto de mão de seu pai, o orgulho estampado em seus rostos
no dia de sua formatura... Acho que posso atribuir um 9,9 sem medo de errar.
Como equacionar racionalmente o prazer e o medo em escalas
colossais no dia em que solamos um avião ou saltamos de pára-quedas pela primeira
vez? E salvar a vida de uma pessoa? É possível mensurar o orgulho e a emoção? O
prazer e a satisfação?
Amigos, se existe um dez nesse “HANDICAP” DA VIDA, esse dez seria o
sorriso e as lágrimas de um ser humano dizendo “EU SABIA QUE VOCES VIRIAM!”.
Acho que a única coisa que se compara é o aperto forte da mãozinha de
seu filho em volta de seu dedo ou a suavidade e o perfume adocicado de sua pele... O
seu hálito quando te beija ou te diz “papai”... Ou o “sim” de sua esposa na hora “H”
do seu casamento.
Amigos, estou tentando colocar em palavras o que leva alguém a ser
um Pelicano, a ser da BUSCA e SALVAMENTO.
A vida de um Pelicano é dura e, na maioria das vezes, implacável.
Se estiver disposto, saiba que existe uma grande chance de você
passar a vida estudando e treinando e isso inclui também os feriados e finais de
semana.
Férias, Natal e Reveillon? É possível que você tenha uns dois ou três de
cada. Isso sem contar que, a não ser que você tenha a boa sorte de ter alguma das
santas chamadas “PELICANAS”, bem... É provável que você morra solteiro.
Esqueça a boa vida. As decolagens são sempre na madruga, o tempo
está sempre ruim, a pista é sempre curta e o combustível, contado. A boa notícia é
que você vai economizar dinheiro, pois vai dormir em taperas ou debaixo da asa
mesmo (isso quando dormir!). A comida chega no horário, mas é gelada, de maneira
que você estará sempre em forma. Viver viajando pode parecer bem interessante e
até um pouco romântico, mas não existe nada melhor que dormir na sua cama, abrir
sua geladeira e assistir sua TV ao lado de sua família. A boa e velha rotina...
Costumo dizer que quem não gosta de viver atrasado, não serve para a
Busca e Salvamento. A gente vive atrasado e , quando nos acionam , é porque já
tínhamos que estar lá faz tempo! Você vive correndo de um lado para o outro e, em
compensação, tomando broncas de cima e de baixo. Não se pode, é claro, esquecer
do soldo. Bom... O soldo é o soldo, sabe como é!
Para completar o sujeito tem que ter sorte! Sorte para curvar para o
lado certo ou para observar aquele detalhe quase imperceptível.
Busca e Salvamento tem muito de ciência, mas também tem um
bocado de arte, de sensibilidade e de intuição. De não só ver, mas realmente
observar. De dar um palpite numa hora crítica e acertar. De desconfiar e voltar atrás
para checar um trecho da perna.
Um pelicano nunca fica em dúvida. Eu disse nunca mesmo!
Esqueça medalhas. O mais perto que você vai chegar de ser um herói é
voltar para casa sempre que sair. Inteiro!
Busca e Salvamento, amigo, é um esporte coletivo. Não existe outro
jeito de trabalhar senão em equipe. E ninguém é tão bom como todos nós juntos.
Não existe heroísmo quando se faz o seu trabalho. Não se faz contas de quantas
pessoas salvou. O esforço por uma vida é o mesmo por cem vidas. Não se trata de um
concurso. Se você não fizer seu trabalho direito, pessoas vão sofrer. Simples assim. E
por isso não vale a pena competir com um Pelicano: para nós desistir simplesmente
não é uma opção! A competição é somente contra o melhor que se pode ser. O
tempo todo!
Ninguém brinca em serviço ou fica de conversa fiada. A tolerância é
zero para salto alto, falta de profissionalismo e presepada.
Já deu para perceber que nosso negócio é um bocado sério.
Não estamos vendendo pipoca por aqui.
Você vai conhecer o país de norte a sul e de leste a oeste. Vai vibrar
com sua grandeza e se emocionar com suas belezas. Vai voar na Amazônia, nos
pampas e no Pantanal. Vai chegar até as 200 milhas de nosso litoral. Verá do céu
nossas maiores cidades e nossos menores vilarejos. Conhecerá nossas riquezas e
também nossas misérias. Saltará de pára-quedas e lançará fardos. Treinará resgates
no mar e em clareiras na selva. Descerá por rapel e fará buscas na terra e no mar.
Não sobrará muito tempo para pensar nas vidas que você salvou. Aliás,
quem salva é deus, você só é apenas um instrumento de sua vontade.
As vidas que não se consegue salvar, por outro lado, não saem do
pensamento. Aquelas vidas que perdemos por pouco e que se esvaem em suas mãos.
Meu Deus, que sentimento ruim! Será que eu não poderia ter decolado mais cedo ou
corrido mais rápido para o avião? Onde poderia ter economizado alguns minutos
valiosos? O que vou fazer agora? Como vou viver com essa sensação de
incompetência e remorso? Com o tempo você descobre que não pode fazer nada a
não ser dar o máximo de si e deixar o resto com deus.
Em várias ocasiões sentirá o estômago revirar e um calafrio horrível
percorrer a espinha. Será obrigado a fazer coisas que ninguém mais quer fazer.
Transmitirá notícias tristes, sentindo-se o último homem da terra por conta disso.
É um fardo pesado, mas algo que só um pelicano pode suportar.
Mas existem outros dias! o sol vai nascer e os pelicanos virão com o
amanhecer! Vivenciamos a impotência diante da morte, mas também
testemunhamos verdadeiras ressurreições a cada resgate bem sucedido. Nada se
compara com o sorriso de alívio no rosto de uma pessoa que, sozinha, com medo,
com fome e frio, esperava por uma ajuda que só podia vir do céu. E veio mesmo! Nas
asas, rotores e velames do Pelicano!
Você também será o portador de boas novas. Ouvirá em uma manhã
qualquer: obrigado por ter salvado meu neto... Meu irmão... Minha filha... Meu pai...
Todas essas experiências acabam projetando aquilo que se costuma
chamar de “Sangue Laranja”. Algo que não se ensina...
Chega um belo dia em que você acorda e sente um orgulho enorme só
de se ver com bolacha do pelicaninho no peito e uma força, uma autoconfiança
inexplicável inunda sua alma. E você sente que é capaz de superar todas as angústias
e medos.
Se você vê uma pessoa se afogando, porque se atira ao rio, mesmo
sabendo que pode morrer também? Isso, amigo, nada tem a ver com heroísmo ou
com instinto. Tem a ver com caráter e com fé. Tem a ver, em suma, com os valores
humanos mais elevados que existem: honra, lealdade e coragem. a isso tudo, enfim,
chamamos altruísmo.
As pessoas sempre acabam respondendo positivamente a virtudes
como essas. Pode crer: em algum momento da sua vida, alguém vai apertar sua mão
e chamar para uma cervejinha. Assim, a troco de nada. Só por que você é do SAR. Vai
render um papo legal e você vai pagar alguns mistérios. O sujeito vai te ouvir como se
você fosse um super-herói. No final, os dois vãos embora para casa... Satisfeitos. E
você vai dormir feliz e orgulhoso. Um sono tranqüilo de quem sabe que faz a sua
parte por outro ser humano e não somente para si próprio. Vai sonhar que pode fazer
coisas extraordinárias e que é um super-herói de verdade!
Acontece que esses “caras” devem ter mesmo algum tipo de super-
poder, pois não importa como , eles cumprem a missão. Falta papel, o computador
trava, tem goteira no hangar e o vibrex não dá ponto, mas com criatividade, um
jeitinho daqui e dali e uma dose absurda de boa vontade e humildade, os pelicaninhos
vão comendo pelas beiradas...
Se você quer que uma missão seja cumprida, pode pagar para o
Esquadrão Pelicano. Agora, faça um favor para si próprio... não pergunte como vão
cumprir. Confie em mim, é melhor não saber! Os caras vão dar nó em pingo d’água e
vender suspensórios para cobras, mas vão conseguir...
E a vida vai seguindo... E o mais engraçado é que a gente vai se
acostumando com o estilo pelicano de ser. Pior, você vai mudando... Onde já se viu ir
a um casamento, na maior naturalidade, com uma gravata laranja pendurada no
pescoço? E sair correndo como um maluco, sentindo o coração na garganta só por
ouvir uma sirene qualquer tocar no meio da rua? Ninguém vai entender nada!
Com o tempo, perceberá que não passará um dia sequer em que você
não dará uma boa risada. O pessoal não se leva muito a sério mesmo e sempre existe
espaço para uma boa piada ou gozação, seja em vôo ou naquele “belisquete” de fim
de expediente. Ninguém fala muita coisa que possa se classificar propriamente como
intelectual e os caras vivem sacaneando uns aos outros. não é um esquadrão de
“nerds” ou “lordes”. mas quando você estiver na pior, não vai querer estar em outro
lugar, pois sempre haverá alguém para estender a mão. apesar de existir oficiais,
graduados e praças, todos são, antes de tudo, amigos.
Não dá para compreender o que passa na cabeça, mas é fácil distinguir
um pelicano. É aquele sujeito normal e comum, o “pelicaninho da asa quebrada”, mas
que no meio do caos e do stress, se mostra o mais tranqüilo, o mais profissional e o
mais determinado. Uma determinação calma, silenciosa e implacável de se realizar a
missão. A qualquer custo, a qualquer hora, em qualquer lugar!
Ser da Busca e Salvamento é fazer o normal, o simples, o lugar-
comum... Só que em circunstâncias nada comuns, meu chapa...
No fim das contas você não vai querer outra vida. E sabe por quê?
Porque apesar de todas as dificuldades, você tem a oportunidade de salvar vidas. E
não tem dinheiro no mundo que pague por isso! É fantástico!
Não vai ser uma vida fácil, mas, daqui a alguns anos, quando você olhar
para trás, vai gostar do que vai ver! Vai ter valido a pena cada dia, hora e minuto.
Viver é a coisa mais maravilhosa que existe. Acontece que a maioria das pessoas
simplesmente existe. E isso nunca vai acontecer com você!
Você pode ser homem ou mulher. Velho ou jovem. Você nem precisa
ser da FAB ou mesmo usar uma farda! Basta olhar no espelho e perguntar a si próprio
se é capaz de viver por um lema e acreditar que “por uma vida a ordem é lutar”. Se é
capaz de dar tudo de si e abrir mão de tudo que é seu por um fiapo de esperança.
Se as respostas forem “sim”, seja bem-vindo, amigo! Você é de casa!
Pode entrar! Você sempre foi um PELICANO, só não sabia que era. Agora você sabe
que é da nossa família. Você faz parte do Segundo Esquadrão do Décimo Grupo de
Aviação! E hoje é seu aniversário também! PARABÉNS!

Interesses relacionados