Você está na página 1de 35
{oles Zeo 3 Ever (Coedeneore: Pao Elmd Aan ns Camargo Cota Otilia Arantes Carlos Vainer Erminia Maricato ACIDADE DO _ PENSAMENTO UNICO Desmanchando consensos Ey ss ST gy opie Reeds ins “ihre Ger VOZES Rove co Petepolle "2000, (© 2000, Eaiora Voses Lda. Rua Feel Luis, 100 25689-900 Petropolis, RJ Ineernet: hep vores comb Brasil ‘Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta obra poder ser reproduzida ou tansmitida por qualquer forma low quaisquer meios (cletrénico ou mecinio, inciuindo {otocpiae gravasio) ou arquivada em qualquer sistema ou bbanco de dados em permissio escrita da Editors Capa e projto grifice: Mariana Fix e Pedro Arantes Eahitragdo eon. eri: Enio P Giachins, ao cna es ‘Cian Branisado,SBea ‘ead do pense iio: desmancando onsen ‘ut Afane, Cro nes Erin Maio, = epolis f: Vanes 200 ISBNS. 32623840 |.Plajanenoesetgco2 Panamera. lin sta Uae Arne Ons FH vc, Carn Be Tt Seat, Eom oa2500 cop-10731216 Indices para atop sons 1. Giles: Manjanent Scolopia 307.1216 2: Mange wba =Seclogia 307.1216 ‘Re Fe 10. ep, KJ Bran = CEP 25689300 (Shanna ua) 209419 de 284676 SUMARIO spresenagio i Bast Pir Arantes Uma estratégia fatal ‘Acalura nas aovas gestesurbanas alos Baier Pétria, empresa e mereadoria [Nota sobre a exratégiadiscursiva do Plnejmento senépco Urbano (Os liberais também fazem planejamento urbano? Gloss 4 “Pano Estraésico da Cidade do Rio de Janiro™ Emini Maricato [As idéias fora do lugar e o lugar fora das idéias Planeamentourbano no Brasil Ota Bear Fiori Arantes Uma estratégia fatal A cultura nas novas gestes urbanas” Nio édehojeque oestudo da arquteturaeda cidade depois dos Modernos se defronta com desenconttos que 08 casicos ‘aracterizariam como processos de ronia objeto, deses que ‘onvertem as melhores intengbes no seu avesso,relizando, ‘io por desvio mas por finalidade intern, o conterio do que prometiam. Ironia redobrada, no caso da arquitetra, sobreti- ‘do depois que os modernos romperam com sistema das be- lasares, tormando projetoeexisténca indiscernives. Fsgota- mentodo Movimento Modero, ue vltou ser comprovado na fsa ruptira dos por-modernos, cuja oposgio de fachada ‘malescondiao sew vinulo como formalism da ciclo anterior, Portanto, continuidade onde se esperava reviravota~ autora incluida: por um momento penseireconhecerno contextual “eno foi nrtoapai a comnicaopreseadanaseitniin= ‘ada Cals dace” no Sampo ereaional se ae aa Sore exsuhestoepcil ate de lo, promovio pee AUUSH {E4sdenover e198 (am eso sca dos pnp pons do pune to aes Vendo Canc Vat 3 Rode ac, e288, p 2128) gual srncemes ator Sendabemenns do tema, ‘Graig Palo nando Aue sage pot een oi ‘Ele once aeons gun icc sl com at Fevonages evs tases ral mo eurapes 0 embriso de tm desenvolvimento alternativo, logo desmentido, nios6 pelo exame mais detido do diseuso dlovlngar", masigualmente peloestada devi caso exemplar:a ‘eontaminagio entre os dosslados da argitetuta francesa, en to reanimada pelainvengio deum centr cals como Beat ‘ours mais exatamente,o espeticulo urbane postrion ofee: ida pelo eforco mituo dos canteitos midisticos do Grandes Projetos da era Miterrandeaalegada esntncia da interven hes "moadestas", alinhadas com aintegridade morfldgica do éntomo. Convivio promiscuo que poe lado ldo a cultura do dlisenso os donos do dinhero edo poder ~ algo que segura mente rem ver como ebaixamento dehorizanteapdsa Que- dda: eniome efro apenas derrocadasovitica, mas também 2s demaisconstrugbes“progresssas", como o Welfare State ‘antral eas industialicagies periféricas. Como estarei con Frontando a seguir o mais recente episdio dessa reviravoltas niveladors, seria @ easo de perguntat se afinal nfo seria este amlgama ideoldgico ums ftaidade da hegemonia global que parece annciat sm novo Impéro. Espero que este capitulo fetlo anterior. elo contin, como exou procirndo de Imomean acioagroarsidamaisoinhago cola mperante {ade que governs iovesidres pasaram 3 debratar ira nota roca deacons depder edna =o ne iso dsinapene Odo clara” dara qe pares ese Staoguado mos ds de 1960 ria posse afro de ver mgioque ven coamando decltrtsma demereado. De tifrma que acl que no primérdon da Er nda Seria como era sutinomadorloesantimecado {otomarse imam ued epresenagine sarespectva imverpetagi como se qualquer geen Se mareing name sbusade do opti), sexbos mano, dun ad, nd fon fou colevidades“inaginnda" cs toon Cimpeloconsomo stensvo decor lealtade aod pode Stara de ur stem alten soncentado don prover {ores denesprodtontointngelsquantfablonamentli- rts Tycalo om mids, exe 0 verdadero “poder da Memudde™ Dats ancora iesteia ds nove wbanaten E ‘SSmow plancjamento sac Canes detudo mempreen- oracle um dx vole da scotia de Castel The Infomation As OxlrlNiden, Bacwel Pais 199798 3 ol (adem por pl Pare Te ‘on esr Rau FATAL imento de comuaicasio e promocio, compreendese que ta ncoraidentiiria persia de preferéncia na grande quermesse ‘da chamada animagio cltal nil fisar nesta altura do de= bate —quase um lugar comumqueoqueesti asim em promo ‘so €um produto inédlito, a saber a propria cidade, que io se Yende, coma disc, se alo se fizeracompanhar por uma ade ‘quads polities de iagesaing Indubitavelmente, um fendmeno espantoso, principal mente se pensarmosnosbont tempos do contextualismo quese imaginava sinceramente dissident, ov até mesmo no raciona- Tm explicto dos modemos: quando um moderno propunha rma cidade segundo.o modelo de linha de monagem fordst, tinha em mente ates de rudo apresumida racionalidade cons” trutivadetal process efcariasinceramente chocado, comode foto ficaram (por acreditarem que se tatava de um desvio de roa) se Thesfosseexpostaa dura verdade de sua funcionalids ‘desisrémica por asim diver de nascenga. Duasgerages uth nisteas depois, o que poderia ter sido motivo de escindalo ~a Fevelagio da mercadorizago integral de um valor de so cil tatério como a cidade ~tornou-serazo legiimadora ostens ‘amenteinvacads:aqutanovidade realmente espantos, eta tomais que eficiente no 36 por deixar acetcaespontines da cidade-empresa coma sensacio de estar arrombandouma por ‘aberca, mas sobretudo por contar coma compreensio” das ppopulacBes deprimidas por duas décadas de estagnagio cond nea eeattrfe urbana ica assim bem mais simples persua~ dclasase tormatem "compettvas", na pessoa de suascamadas. “Gindmicas” bem entendido, Esse o nicl orginrio da “sen sagio coletiva de exte sublimada pela nova énfase na au torimagem dos habitants, tal como Ihe &devolvida pela su- pesficierefletora dos Grandes Projtos, neste final de sécuo. ‘Antes de prossegit, um lembrete quanto procedéncia da periodizado geracional de que estou me valendo, Até onde poss saber, a designag teers geragdo foi posta em citeula- 0 pelo urbanistaitaliano Campos Venuti,numlivrade 1987. 6 para situ, responsivel pelos novos panos de Bolonha ¢ Florenga. Para variar, estamos diante de um outro caso deito- ni objetiva em nosso camino rum cidade mercadoria total, mais um desvi paras chegara um ponto que se queria evita, sobretudo porque pelo menos na Europa Continental o mode. lo “estratégico” nao estavaplenamenteconfigurad, Por trce ‘a geragdo Venuti compreendia a iiciativas que a Ilia se contrapunham 20 utbanismo des anos 1970, que, ainda em ‘nome do Estado Social, estavareevalando, em se impeto ex. pansionistae meramente quantitativo, na simples especulagao imobilira de sempre. O novo planejamento ~hieraquizador «intensive ~ sendo de oposiio,seaprerentavacomo transfor ‘mador ou “reformisa”. Volava-se asim, segundo o ator ~20 menos na [dia el traga um paralelo como plano madtilenho. dos anos 1980, mas sem deivar de registrar as dilerengas) a ‘uma visio global da cidade a procura de uma melhor rexposta& nova fase de captalismo flexvel epredomindncia do eriio. (Quanto &especificidade proponitiva nese capitulo das inten- «Bes, omesmoarde familia que aliésclendo nega, tendo mul ta difculdade em estabelecer com precsio onde comeca ou acaba uma e outra geragio'. O programa propos talver par ‘esse ser resumido assim: atengio voltada paras teas iterst ‘ia, vazis ou degradadas, no sentido de promovero adens- ‘mento urbano, porém requalificandoras,sejado ponto de vista do uso, seja doe atrbutos ambientas defingiode prioidades, ‘reas nevrigicas ou propicias a intervengbee acupuntuais, ‘Gade aman So Pl, Pespecina, 1995, 9.407. A ebigoinge co“a qualquer custo” (i). Naseqiénca, atrocade papéis:as- ‘Sim como a orientagso.eo controle da expansio urbana fram. “repentinamente sbsttuidos pela obsesio de encorajar 0 crescimento”, um novo tipo de profisional emergiu da met tmorfosedo funcionsrio pblice local "por ese tempo, naln- tlaerra, quase toda a aucoridades dispunkam de escrtrios tie deseavolvimento sob visiosnomes" =, oplaneadorempre- ‘etdedor Faltava no entanto a femal slvadora que deste cor- po tamanha obsesso com o crescimento,justificado obvi fen pela erengaeconomicista no efit rickle down da ex- pansio da aividade Pata vara, arecitaveio dos Estados Unidos. E, com ela, ou- tra palais, famigerada “revitalizagio urbana", bem como Scusdeivados io menos famigerados:a“parceria” entre setor Dilico inciativaprivada, encarregada por sua vez de “alavan- Exc” (outro neolgism iangef0levarag) investimentos p= ‘Vadoscom fundos pblicos Gempre segundo adescrigo de Peter Hall) Lembra autor que oagente-chaveocatlsador detalre= ‘iravola, os oempresirio de Baltimore, james Rouse. A“rous- Fieago” da América pode er avaiada pela maliplicasio dasré- plicasde “requalificasSes” ainda uma plavra mipcadaépoca) Uo inner Harbor de Baltimore e dos exquemas equvalentes do Boston Waterfront do Quiney Markt, também em Boston, por cexemplo no Fisherman's Whar de Seo Francisco por af fora. [Na avalag esta, evidentementecritca~de David Harvey fe: ‘menos indnsociveis da condigio pée moderna. Orotiro que ‘otaestettimo én undo daperodizagiodo "espetiulour- ‘ano: asubstnigho poe moderna do espeticulo como forma de resstécia ow de festa popula revolacionria pelo epeticulo ‘como forms de contol social. ‘Sento vejamos. Nos nos 1960, cena dascidadesamerica nas fora invadida por manifestagBes pelos ditctos evi, de- Imonstragdes contra a guerra no Sudese Aslitico € motins de anid Hare 1432 Ona ond péemodens, Sia Paso, Lye, 1992, p de 188 ‘ow star toda espéce, sobretudo nosbairrosnegros,sendo que boa p te do descontentamento urbano, é bom nio esquecer, girava, fem toro dos pojetos “"modernos” de habitagio e renovacio ‘dosequipamentos fincionaistipios, agoraameacados por dis trbios que estavam se rornando endémicos. Foi uando, no Icio dos nos 1970, toda essa movimentagéo acabou sendo “caprurada por forgas bem diferentes e empregada para fins ‘bem ditintoe”. Baltimore tprnou-se entio um instrutvo rest mo dest evolugio do espetaculo urbano.Eaquio ponto parao ‘dual gostaria de chamar aatengio: aespetaciarizacio bem eo ‘hecida de Harbor Place, para ao falarnos eventosbem carac- teristicos da Baltimore City ai, considerada pelos interessi- ddos um notsel sicesto,acabou concentrando o jizo na di- ‘mensio mais desfrusvel da nova receita "a arquiteturado es peticulo, com sua sensacio de brlho superficial ede prazer partcipativ transtério, de exbigio, de efemeridae ejous- {ance” ete. Nao sem raz, é claro, ndo 6 pela esttizasio ba tarda mas pelo impacto nlo sobre a pobreza e demas dics Sovais. E,emboraaatengio do observadorse fixe maisnacol ‘gem da Scarlet Place ~ que, sobre um fundo neuro de habits ‘bes publicas "moderna", justapde um armazém reciclado do Seoalo XIX a uma citagio pos moderna de um casario mont Inhoso mediterranea, deixando excaparoteor da iniiaiva, € preciso lembrar, como als faz Harvey, de forma breve po émprecsa,qualo programa le oda aoperacio: nevtralizaros ‘fetos do astasinato de Martin Luther King em 1968, que “ameagavam a viabildade dosinvestimentos~o que levouosli- ‘ders locais a procuratem um simbolo em torno do qual cons: ‘muir uma idésde “cidade como comunidade” em oposigio 0 ddecidade sada, como ocidadio comum encarava centro da ‘idade e seus espagospablios. Assim surgiu a Baltimore City Fair como forma de promover o redesenvolvimento urbano, celebrando a“vzinhanga” ea dversdade nica da cidade; 0 paseo seguinte resultou na “comercializasioisttucionalizada ‘dem espersculo maison menos permanente naconstrugio de arbor Place, lembrando que os prépros grupos émnicos co a rmecaram alucrarcom “a venda da emicidade™, na faa de mer «ado para sua fora de trabalho. Atéaqui~ para etomar nosso roreiro~, Harvey e 0 mapa geal da condigao poe moderna, igualmente realeada por Peter Hall, porém acrescida da ob- servacio de que tl criagso deliberada de um paleo eno pro {tipo havia sido a "romsiicagio” de Boston e Baltimore, no limite, compeeensio da intervengto urbana como em pro cesso de producto de locais de sucesso, era o registro. ea 0 espetacular de que “uma nova e radical lite financeira omava efetivamente posse da cidade, lderando una coalizso pré-crescimento que habilmente manipulou o apo pablico © ‘combinot fandos ederaseprivadosparapromoveremasths- nizagio comercial em grande escala”™ ‘Sem muito exagero, pode-se dizer que nos Estados Unidos fora lavrada hi mais devine anos aertdo de nascimento da terceeageragaourbanistca~terceirs, bem entendido, na pei ‘odizacio curopéia. Ese Peter Hall também ext certo quanto 3 data anglo-americana da inversio de papéis ea conseaente conversio do planejamento urbano (dito de akime geragio ‘Sf lop. tp 418 Feiner amor areca gic par at “purerserata elemsmobjeemoato pts sop pane ‘tail eres tamu dein pie a {Edlare no cade Bkimore cones mlhes do manip apenas 2 es pda rca cn na ‘abicose a coopergio ne ov empreendendores do scur pbc «pre [teramclemere esos doors ema Telos mi SERRE, Selina tio ances ec Sovtomatan sar pars one le kms estas Tmchen denice esctds" (ti on warstmarecan ra, «das décadas depos. num ramo da urbanizagio empeesril = um ramo “cultural ¢elaro, como evidenciam os exemplos vistos até aqui, compassado com o novo espirito gerencial da ‘ma einige anus Nenad jstamente como {mati doPlanjamento Eetepco, Demecesro dir que nemmenmo ext frumainvegiothein peloconrro a tes adtsds nama patio rbana esc atodenoming Estategica como ivimos smerscanayipiadasnasempe™ ‘ts prvada nor anos 1960 cidade crepes passa ro clamar que'a magsina de morarabalbarere moderna no tis ston Sega de a ova fase de eeu ‘do captasmo,imvemando, em nome de vm nowe caine onceto de performance ban nigunasurbanas de prod Sirrend prs oar a conceto de Moloch) Aliso howe {ra adotad por sigumae adminstagbes mnipaisn propa ropa com Bingham ou Roterdam, se ato ove panos Made Mascomo tempo planejamento de asce ona ose converter num paradigm dento dso ghee ‘mos hamando de ebaismo de teres prio posse tent porqedsiguna mancirs sone renvara rule “gs omar com tm ingredients inaspenttel emu bom explored: o martin guess Olimpiadsde93 propia Sem dividao grande spore do Govern Cena dendoas COtimpiads, mano nvetimentosprivadon mouvados pelo event, avorecramam projetodeumaabrangnca nada, tua scalsincompaivl coms erade Balomore de 20 anos thes Mas hava amb, homo nga uma experienc acumlads de gv urbana de equa em Barcelona, que fia com que, mesmo quando opin giesnorteava foe dasinervengdes pons sdeinateseciperroconan- todacidade~ no havi, so menos deforma expictainen- Sto de beneitar uma cite local crsndo richos de ato valor mobili. orate, nto no hide ser ser motto ae Barcelonase torso ands referéncia- sb um eto rare do model, no apenas marketing poderia expla eo ripe ‘iso mundo forse jstament na versio ds untae Uniesreatici aL tales. Als disiplosecolaboradores deum dosgrandesaet ices da segunda gerago, Oriol Boga, ia fteme da Se cretariado Paneamento~rebatizada por ele de Proje Urb fno~raielzaea a propota de modes inerencber pont Comm projeto por sal bastante ambicoso, deconstrugio de eam raga (no por acaso numa fse de franca expanso da ‘deologa do ugar plc alem do mas numa cidade onde pessoas conservavam hibte do encontr em espagor dea ‘atres) no init de, po dist, ou através de uma “me "sas beniana expressto que depose banaliat), provocir ta reumbaniagio ger ‘Nio demorou muito, conto, para que uma ta polis, entrada na clogs da difreng (Campos Ven fara em ‘thanismo rarest), revel ma fraplidade,reforgando fragmentaao urbana; de sore que, visando debelr sb novas patlogia da cidade, fosecritalizandoum novo clo de es {Ho urbana, Ora, a Olimpiadas era um bom pretexco para ta corrgio de rumoe ertamentepropicada po la, uma nova diregioacabousendo dad Secretaria, enti soba dite {do de Bousguts", quando volt 3 denominaio ania, de Panejamento, mas agors obedecendo a uma nova formula que rocuravaconjgarmicointervengGes um plano mals el ‘Asnovarestatgaviram tomar iso masefetvos ines tara sita vio restauragbes resins (was olin as) ede hotles novos equipamestonesporvos, em fa Tara alriagio doe bem natal mor, face pars omar calgadaes na zona porturia, praise te Eo mais imporeante, 0 Teforgo dos valores mais ecpresnttivs de Barclon, por txemplo, no campo ds aren Mid, Pcs, Taps do iba smo ed argutears, Cer, Gad, o Moderns cal, “regionalsmo eco” pésmoderno et "O proceto portant, ques incon em 198, ainda sob a Aide Go devgnwrbano, seabou ganhando, especialmente 4 ‘ae dea informagien me orn ones eo pop Bourque paneze de81 partir da formulagdo do plano “Barcelona 2000", uma dimen: io maior em todos os entidos generlizavam-stas interven ‘Ges e asa excl): tatavase de estabclecer uma meta clara, ‘que evidentementenio se espouse no evento de 1992 e que dlsseserespeito a0 que se aspirava com todas estas melhorias para a cidade como centro vital, na cegito e na Europa; em ‘uma, definico lugar de Barcelona como metrdpole europea, ‘encontrar "seu nichoestratégico”,tomando-anternacional mente competiva ~naspalavras de Roig i Mart (Direto da Promosio Beonémica de Barcelona, em 1990), que acrescen- tava, citando Boisot "a planificaga utbana € um jogo contea natureza,aplaificagio estratégica éumjogo contraadvers ios". Para tanto, adverta na oeasio um outro membro do ‘Conse, 0 gedgrafo Oriol Ne-o, era necessirio aposta for ‘emente na autopromocio publictria, ou sea, como jiestava ‘correnda com muitasontrascidades dia ele), explorare po- tencalizaraqelas earacterisics pela quaisacidade € pronta- ‘mente identfcada, aquilo que constitu aimagem-Bareclona [Na recita,um pouco de ado das gentificagoes de praxe 3¢ exortagées civieas, enderegadas, como lembrado antes, 208 chamados ators urbanos, que de realeitrantes se tornariam ‘aida ver mai cooperatives em tomo dos objeivos comuns de «ity marketing (o que als, diga-e de passagem, no ea algo Sesprezivel,numaregiio em estado de mobilizagio permanen- te porafiemacio deidenidade alls de ido eo separatist). Sem maioresrodeios: desenvolver uma imagem forte positiva da cidade, explorando a0 miximo o sew capital simbdlco, de formaa reconquistarsuainsergdoprvlegiada noscircutoscul ‘Pasar queso dos ments do Cana do lane Bare adh ser acinaant of 500 Ayuramen bao 199 nds ‘she Brion abhor pba peo Sanur de arecona¢ {eoiconmlais Belo, Uae maro eoncrssos 198 hares, ‘rp edn, 1H acon apt any 19811991 ae gee 1985-1988; boone arco, Pins cap 92,1988 ied Rel ac pti 195 Rone ste dad ‘on estou rata Datanecessdade dese espethar no exemplo de Pais, cana- lizando invesimentos macigos para a area da culturs: por exemplo,a reconstrucio do Pavilho de Mies van der Rohe, em ‘Monti; neste mesmo local a renovagio do Museu de Cle ‘ada Catalnha por GaeAulent (a esta arguiteta que wans. formaraa Gare d'Orsay no muses pés-moderho mais best ‘cedido até Aquela data), a ampliagio do Museu Miré que a0 ‘mesmo tempo um monument aquitetbnico de. Ser semi lar nos estidos e centro esprtivosolimpics, represetando © araystem daarguiteturaiternacional- Grego, Bole sik some-seaiss 0 mustado Moseu de Ane Moderna, do aqteto ‘Richard Meyer, em pleno Baio Antigo, onde se concentra riosedificios histricos e onde foram rexaurados adaptados si uns como o Cenrode Arte Sata Monica, sede da Secretaria de Cultura na Casa de Carita, 0 Museu Paso; do outa lado da cidade, o novo Teatro Nacional, novamente do criadr cata de Scones péemodemos, Ricardo Bofi, que também projetou 0 ‘ovo aeroporto; mas, resultado de requalifcages ow ampli ex: a Fandagio apis, oPaicio da Masica,o Museu da Cdr