Você está na página 1de 9

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO

ADMINISTRAÇÃO

RENATA VERÍSSIMO DA SILVA COSTA

GÊNEROS TEXTUAIS

Trabalho apresentado à disciplina de Comunicação e


Linguagem da Universidade Norte do Paraná - UNOPAR

Prof. Marcelo Silveira

Alagoinhas
2010
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO...........................................................................................................3
2 teoria...........................................................................................................................4
3 análises......................................................................................................................5
4 CONsiderações finais.................................................................................................8
REFERÊNCIAS............................................................................................................9
3

1 INTRODUÇÃO

Este trabalho trata de modelos de documentos empresariais (textos técnicos),


suas estruturas e conteúdos.
O objetivo é apresentar alguns modelos de documentos empresariais,
descrevê-los como gêneros textuais, em seu conteúdo e estrutura.
A escolha dos textos apresentados como modelo foi feita de acordo com a
sugestão do professor da disciplina de Comunicação e Linguagem. O trabalho foi
desenvolvido conforme solicitado pelo mesmo professor e através da consulta do
livros e de alguns sites devidamente citados nas referências bibliográficas.
4

2 TEORIA

Atualmente, a noção de gênero ampliou-se para toda produção


textual ao contrário de antigamente, em que se distribuíam em três categorias
bastante sólidas.
Os textos em geral são utilizados para comunicação em três esferas
principais: na vida pessoal, nas organizações e na esfera civil. Dessa forma, não se
deve conceber os gêneros “como modelos estanques nem como estruturas rígidas,
mas como formas culturais e cognitivas de ação social (...), temos de ver os gêneros
como entidades dinâmicas” (Marcushi, 2008, p.16).
Como cita Marcushi (2008, p. 19) referente aos gêneros textuais:

Acham-se ligados às atividades humanas em todas as esferas e em muitos


casos, como vimos, dão margem às marcas de autoria e estilo próprio em
graus variáveis. Em alguns casos são mais rígidos na forma e em outros
mais rígidos na função. Por exemplo, ninguém escreve um tratado de
mecânica para promover a venda de uma máquina de lavar roupa, assim
como ninguém publica uma ordem do dia num quartel pensando em mostrar
suas habilidades estilísticas ou competências literárias. Os gêneros são
desiguais em certas funções e é por isso que eles proliferam para dar conta
da variedade de atividades desenvolvidas no dia-a-dia.

Apesar de os gêneros textuais serem formas ágeis, a redação de


textos comunicativos requer alguns procedimentos básicos que não devem ser
esquecidos. Como o presente trabalho se baseia na construção de documentos
empresariais, é importante ressaltar que atualmente o estilo de linguagem deve ser
objetivo, visando apresentar as idéias necessárias de forma clara. Os elementos do
texto devem ser dispostos em bloco, com uma única margem vertical do lado
esquerdo.
Além disso, devem ser obedecidas sempre as regras gramaticais e o
autor deve reler o texto escrito, colocando-se no lugar do destinatário a fim de
averiguar se as informações chegarão até ele de forma objetiva e sem ruídos. Outro
passo relevante é conferir os dados, como nomes próprios, datas, localidades.
Assim, fica claro que os gêneros textuais devem se adaptar ao
contexto em que estão inseridos e seguir algumas regras básicas com o intuito de
evitar “barreiras” de comunicação e de cumprir com eficácia a
transmissão/entendimento da mensagem.
5

3 ANÁLISES

3.1 TEXTO 1

CIRCULAR Nº 13, 20 DE OUTUBRO DE 2006. IDENTIFICAÇÃO

Servidores Públicos, DESTINATÁRIO

M Comunico que, por determinação do Senhor Governador do Estado


E do Paraná, dia 28 do mês em pauta, dia do Servidor Público, o expediente será
N
S normal nas repartições públicas do Estado. Porém, será considerado ponto
A facultativo o dia 1º de novembro, segunda-feira. A medida não abrangerá serviços
G
E que, por sua natureza, não admitem paralisação.
M

Atenciosamente,
FECHO
Joana Santos,
Gerente de Contas.

A circular é uma comunicação dirigida a muitas pessoas. No


exemplo acima, a mensagem é destinada aos servidores públicos de determinada
repartição. Além do destinatário, pode-se visualizar a identificação da circular, com
seu número e data, o corpo da mensagem e o fecho, identificando o remetente da
comunicação. A mensagem em si diz respeito ao expediente no dia do Servidor
Público e que dia será considerado ponto facultativo.

3.2 TEXTO 2

ATESTADO DE IDONEIDADE MORAL IDENTIFICAÇÃO

M
E Atesto, para os devidos fins, que conheço o Sr. Maurício de Souza,
N
S brasileiro, solteiro, nascido em 22 de janeiro de 1986, na cidade de Campinas, filho
A
de Júlio Rezende de Souza e Mariana Luft de Souza, portador da Carteira de
G
E Identidade n° 99.999.999-9, residente e domiciliado nesta cidade, na Rua Cândido
M
Portinari, n° 333, nada sabendo em desabono à sua conduta, até a presente data.
6

Campinas, 12 de janeiro de 2007.


FECHO
______________________________
José de Souza e Silva

O atestado é um documento firmado por uma autoridade em favor


de alguém, que certifica, afirma, assegura, demonstra alguma coisa que interessa a
outrem. No exemplo citado, pode-se destacar a identificação do atestado, que já dá
uma idéia da mensagem em si, o corpo da mensagem e o fecho, com data e campo
para assinatura. A mensagem, como o título já adianta, trata de uma pessoa
declarando conhecer outra, assim como sua conduta moral. Verifica-se a presença
de alguns dados que contribuem para identificar a pessoa em questão, como data
de nascimento, filiação, identidade, CPF e residência.

3.3 TEXTO 3

Ao
Sr. Antônio Carlos de Oliveira DESTINATÁRIO

Chefe do Departamento

M
E João Gabriel Monteiro, brasileiro, casado, paulista, portador do
N
S
registro de identidade de n° 33.333.333-3 – SSP/SP e do CPF n° 888.888.888-88,
A residente e domiciliado na cidade de Campinas, na Rua das Flores, n° 11, vem
G
E respeitosamente requerer que lhe sejam concedidos 10 (dez) dias de licença por
M
motivo de tratamento de saúde.
N. T.
P. D.
FECHO

Campinas, 12 de janeiro de 2007.

___________________________
João Gabriel Monteiro
7

Como o próprio nome já adianta, o requerimento é o instrumento


pelo qual se solicita algo a uma autoridade. Neste caso, podemos observar o
destinatário da mensagem sendo o chefe do departamento onde o requerente
trabalha. Verifica-se também o corpo da mensagem, em que o autor requer um
período de licença para tratamento de saúde. E convém destacar algumas
particularidades no fecho, como as abreviações “N. T.” que significa “Nestes
Termos” e “P. D.” que quer dizer “Pede Deferimento”. No lugar de “P. D.” pode ser
usado também “E. D.” (“Espera Deferimento”).

3.4 QUADRO COMPARATIVO

TEXTO 1 TEXTO 2 TEXTO 3


ESTRUTURA
(Circular) (Atestado) (Requerimento)

Dirigido a muitas
pessoas, vem
Não possui um Uma pessoa,
expresso
Destinatário destinatário geralmente um
genericamente
específico superior
(servidores
públicos)

Apresenta o nome,
Apresenta o nº,
Identificação já indicando a Não apresenta
seguido da data
finalidade

Afirmação do
Uma informação conhecimento da Solicitação feita
visando o conduta moral de visando o
Mensagem
esclarecimento de uma pessoa, atendimento de um
várias pessoas visando convencer pedido
outros

A pessoa que está


fazendo a
O remetente, A pessoa que está
solicitação; usa
Fecho juntamente com comprovando a
termos específicos
seu cargo/função informação
como N.T. e
P.D./E.D.
8

4 CONSIDERAÇÕES FINAIS

Neste trabalho foram apresentados três textos técnicos e também


identificadas suas estruturas. A partir da pesquisa realizada para sua elaboração
foram encontrados alguns modelos de textos, sendo que cada um apresentava uma
estrutura diferente, com finalidades distintas. Verificou-se que atualmente os
documentos empresariais tendem a ser claros e concisos, evitando assim ruídos que
possam interferir no processo de comunicação. Enfim, esse trabalho foi de suma
importância para o conhecimento da estruturação de textos técnicos, bem como da
relevância do contexto na diversificação dos gêneros textuais.
9

REFERÊNCIAS

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Gêneros textuais: configuração, dinamicidade e


circulação. In: KARWOSKI, Acir Mário; GAYDECZKA, Beatriz; BRITO, Karim
Siebeneicher (Org.) Gêneros textuais reflexões e ensino. 3. ed. rev. Rio de
Janeiro: Nova Fronteira, 2008. p. 15-28.

MODELOS de documentos: dia-a-dia profissional. Disponível em <


http://www.scrittaonline.com.br/modelos-de-documentos.php>. Acesso em: 13 mar.
2010.

ROCHA, Veridiana. Gênero textual e tipologia textual: colocações sob dois


enfoques teóricos. Disponível em: <http://recantodasletras.uol.com.br/redacoes>.
Acesso em: 15 mar. 2010.

COLÉGIO ADVENTISTA DE CASTELO BRANCO. Texto e gêneros textuais.


Salvador, 2009. Disponível em <http://www.slideboom.com/presentations>. Acesso
em: 15 mar. 2010.

STRECKER, Heider. Comunicação e linguagem. São Paulo: Pearson Prentice


Hall, 2009.

Interesses relacionados