Você está na página 1de 2

FOT6: NatàaliaKutiPP

ÁguasEmendadas

A 40 quilômetros do Plano

Piklìüo um paraiso eeológico es' tá ameaçado de extinção.

O encontro das ó,guas ë apenas um m@ngue. No entanto,

a reserua, biológica

de Aguas Emendadas ë um

importantíssimo

ecossístema, onde muitas espécíes em

e x tinç ã,o e st ã,o pr e s er u ada s.

SHIRLENE COSTA

40

quilômetros de

na estrada

que

'brasília.

vai para PÌanaltina.

a

de

Reseiva

AgupsÃgrras

Biológica

EmendadasEmendadas

oferece a seus vlsrt,antes'

um fenômèno raro na nalureza' o

encontro das águas das Bacias

PÌarina

e Ama?ônica, as duas

maiores da América Latina. Este é

o único ponto onde as bacias se en-

de contato

rrelacaú. servindo

ciireto entre a fauna e a flora.

está há mais de 15

anos preservado. Não ocorrem in-

"Este

lugar

a

cêndiôs;

resião

tÃnel

rregBtação

é tiPica da

Assim'

dos

cerrados".

Garcia, bióloso

da Fun-

dacão Zoobotânica e coordenador

cio grupo

da

importância

que luta pela

Preservação

a

"a perenidade

leérva,

começa a descrever

da área:

cioi rios

do Planalto Cenhal é

garantida pelas chapadas, reserva-

úrios de águas subterrâneas, aqui

eístentes. õnde a chuva acumula e

iesce para os rios que corïem em

re.renó acidentado e ìmpermeár,el".

Sesundo ele. não se pode trzbnlhnr

ìi "

"

das chapadãs. Porque di'

além de ser um extraordinário

fenômeno hidrogáfico".

A preservação, -durante esses

anos, fez da reserva um local para

refúgio de animais, que deüdo ao

seu tamanho e

raridade, estão

ameaçados.

na maioria das áreas

do Distrito Federal. A onça, lobo

guará,

cachorro do mato, úrios

tipos de macaco, incÌusirre o macaco

piego, anta, capivara, cutia, quati,

estão eonseguindo se reproduzir.

Ate dois tipós diferentes de jacaré

foram constatados na região, além

de pacas, ema e a águia cinzenta.

Não

existe,

ainda, um inrrentário

completo

das espécies.

Bráulio Dias,

ressalta a

integrante

do

gupo,

forã:

imPortância da

"A qui

úo eqcontradas 1500

sïrperiores,

espécies

ãe plantas

que produzem

flor, inclusive as or-

quídeas. Há muitas p_lantas raras,

e mesmo as que não são, têm a sua

preservação garantida".

5i

GDF pode salvar área

Criada por Decreto Presiden-

cial_ em 1968, a reserva biológica

de Aguas Emendadas conhece hoje a maior ameaça de zua existência.

Da área de 10.õ00 hectares prevista

para servir de reserva ecológica,

até agora somente 3.850 hectares,

ou cerca de 1/3 da área total, foi

Governo do

prazo para

desapropriada

Distrito

pelo

Federal. O

desapropriação dos

da reserva

expira

2y'3

restantes

no dia 3 dejulho

próximo, e os loteamentos que vêm

se formando na área a ser desa'

propriada

so à

constituem sério

Peri-

fauna e flora da nossa re-

ãiáo,

úm

que tem em Aguas Emendadas

dos últimos locais de preser'

'uação .de muitas espécies ani'

mais

e 'uegetais,

Apesar da criação da reserva em

1968, o decreto de desapropriação

foi baixado em 1981. Esse

decreto estabelecia em cinco anos

g^p_lYg Para que toda a 3rea {e

possui os recursos suficienres" ca

culados em 100 milhões cie c:

zados, para entrar com as e@

desapropriatorias.

O go'rernador .bse .{pareor

Coc

prometbu à COAMA

denadoria para Assuntos de \[e

Ambiente - a iiberação dos recs

sos. O professor da UnB e ier

grante do grupo de lura pe

preservação de Aguas EmodadE Bráulio Dias, explica a imponã.oc

da aplicação desses recursos:

para

tapar aquele

'f,

buraco :

Governo vai gesi.

CeiÌândia, o

mais de ?0 milhões de cruzadc

Com mais. um pguqqpho.

sapropriaria essa

Éuea".

F.ç

acredioa

eile d

g:cl

que o Governo vai ol-m.p:

a promessa e lembra que uma d

Aparecr

é aumentar o coeficbnte de âre

metas do Governo Jose

naturais presen'adas para lã%

professor Bráulio jusdõca c o

mismo:

"No inicio desse gorm

este indice era de apena*. õ% C,{

,a criação er-n 21 de abril uir.rno

I

ts

z

Apaisagemviva

do cenado

Heloisa Helena

Há quem

diga

que 10.500 hec-

tares de terras para uma reserva

ecoìógica é muita coisa. Mas é certo

que

toda a pessoa que tem I Pri'

vilegio

de üsitar a reserua,de

Aguas

de

Emõndadas (afinal, a enlrada

pessoas

mento

torização

não envolüdas no moü'

ú

permitida com a au-

é

da

Fundação Zoobotâ-

nica),

ìuta

acaba pgr se empeqhar.na

por sua preservìação. E difícil

a 30 minutos do Plano

PiÌoto exista um local tão beìo e, é

acreditar

que

tão

claro,

ecologia

üada,

bem

Ni,

tão

.importante

para ã

de Brasília.

Logo na en-

sempre

trancado a natureza nos acena.

bem junto à cerca, sempre es-

duas emas, que esticam seus

apesar do portão

não pequenos pescoços, parecendo.

querer ver bem os úsitantes que es-

peram para enirar.

Aguas

Emendadas tem uma

beleza

que é, ao mesmo tempo,

simples

que o

e grandid,sa. Simples, por-

que se '"ê por quilômetros é a

vegetação.*ípica

do cerrado, a qual

estamos acostumados. Porém

grandiosa.

perto

e

porque olhando mais de

-ouündo

os biólogos ex-

cada

"erdadeira

paisagem

plicarem a razâo de ser de

planta,

se descobre a

beleza do cerrado. Uma

considerada por multos. pobre e tris-

te. Sou mesmo obriiSada a confessar

que a equipe do Campus sentiu um

tanto de* in".eja e decepção

üsita. Inveja, da equipe de

tas da

nesta

jornalis-

EBN

dias antes,

pôde r.er e

em visita à

que poucos

reserva,.

fotografar a poucos metros a quase

cinzenta (que possui

1,30 metros de enr.ergadura nas

extinta águia

o que i'rós so conseguimos

asas),

aüstar de longe e por alguns mi-

nutos. Decepção,

.porque

ao se

um

falar que na reserva há o encontro

das duas maiores. bacias

de ágúas

da América Latina, se imagina

espetácuÌo de água em abundância,

quãndo o que na realidade acontece

se faz

é que estõ entrelaçamento

por

debaixo

de

uma

intensa ve'

getação, .formando um mangue'

Mas isso,

águia

não diminuiu

peÌa

Perto,

a nossa

mata e

emocão

poder ver bem de

em andar

cinzenta

Guará.

e até

cutias,

araras, emas,' carcarás, tucanos, a

Pegadas do

lobo

Por fim, não podemos deixar de

concordar com o versos de Castro

Alves, escrito na placa que

encontro das águas:

'E tão-bom

marca

o

ter por árvores uns

bom de afectos fazer ninhos"!

carinhos! E tão

0 entrelaçemento

duaa maiores

des

baciat

da Âmérica Latina.

I^ots ameaçamresetra

Guilherme Evelin

cretcante núrnero de loteamentoa que ec -

inetalam na órea destinada à reeewa de Aguae

Emendadae é o mais

grove

rieco à preeervação

ï;*ï-'

tr{s

Iyl;ã#;:H,ït""uï":ï,#,*ff

ánea da róerva cm frentel Plinaltina, foram feitoe

loteanentos, oom uma centena de

pequenot pqopdetárioÊ.

Leonel Garcia garante

que não

dianta:eó llrescrr'ar a área da

tamprlo en tcno de

reserya. Ele defende

Árguaa Emendadae, gue

a cria@ ds uma área

aeâegure o emtrole atividsdee

"Se,

exõrcidas nos bteanertor:

voeê plantar

coniãe aená

logtt.

logo depob da eerca da ree€nra,

iró atrair oe

bifus, que ali a

certanente, natá-

soja ou artô2, vocd

farta e fáeil. Oe fezendehoe irlo,

Outro riecro,provocado

pcloe hteawntoe é a poseibilfrlade de

poluiçáo da

defeneivoe agrlcolae ueados nae plantag6es, poderáó c,ausar

envenenamento

á3ua e ero6ão do eolo. Ae Íoesae, bem como oa

dos lençoie

frcáticoe. E

a eloeão poderá ser

eaueeda neloe muitoi ooooe er{ esienoe furedos na área- Elee

Um deserto

monumental

Heloísa Helena

"O Governo do Distrito Fed

é cheio de contradições.

está empenhado

é a;

ritário e por vezes até meio nnal

mas

em pres€?

I

esta área". Com esla fra-se

Catalão, jornalista, poeta e uc.

integranteó

do

grupo

de lum

1

,preservação da reserva de Ag

Emendadas, exprime sua confra

na

fromessa

feita

pelo

Goverw

José Aparecido de custeaÌ

s

sapropriação da reserva. Teré

plica

que adotou estã bandeira I

primeira- vet ' que vis:

Emendadas e se

&

de a

Aluas

como um porta voz do movi-mt de preservação.

Para quem fica surpreso co presença de Tetê neste grupo.

ecológica é r

explica que a luta

constante em sua vida.

Maranhão, ele criou a prim secretaria de ecologia e resü.:

Ainds

naturais" lutando contra

cometidos em Carajás e É@ì

os ah;

ALCC

contra os causados

no

porto

pela

de São tuís.

Na I

daçáo Cultural do DF ele esr

frente do núcleo do Meio Ambiu

criado

Humberto. Ele foi,

na admirii"stração de tr

também"

'luta

dos manifestantes mais ativos

contra a construção da L-:

Nuclear de Angra

dos Reis. te

inclusive criado a frase que hc

usada em

manifestações

nacionais: "Hoje

i-n

ativo. p

amanhã não ser radioativo".

Tetê alerta para o fato de ce

ecologistas terem uma menmÌid

colonialista. Diz Tetê:

"A f

predileta

deste tipo de ecoÌogis

racionalmente a naiurez

Não mexam na Adazônia, eh pulmão do mundo. Ora. isso

temrazâo de ser. O ecologista q

certo sabe que há maneiras de

plorar

assim que o gïupo que Ìuta

é

preservação

de Aguas Emenrir

niio

-reserva

coÌTe o r

pensa.

Se esta

preservada, Brasília

.de se tornar um deserto EotrE!

tal. Isto não é um prognóstico r

Ele ar

mista, é uma realidade"

cia que o grupo vai partir, ag

naci

para uma conscientização

da necessidade de se

preservar{

&ea. Jir esiá sendo progran

uma manifestação com a pres

(

iaìvez, até, Tom Jobim, em brer

Para finalizar, Tetê nos conl

a pensar melhor sobre o probl,e

de Bruna Lombardi, Gilberto

"Nós temos

que

abstrair uE

pc

da situação internacional. E d que êxistem os misseis, o riso

uma

gueÌ"a

nuclear, certae

caráguas, Kiev, a übia, mas te

que olhar também, e principalo

te para

o que

ocoÌTe aqui nos r

A violência da refu

sos

jardins.

àgrária e o risco de morte de

patrimônio

nacional como é Ág

õ^--

-*

-

F--- {-n--"