Você está na página 1de 2

A felicidade.

É algo que dura um instante se for verdadeira luz recorda-se por eternidade.
É mais que ter o ser é oferecer estar.
Nem sempre aceita, raramente retribuída intensamente, porque o mundo é
feitio de egos.
De ter posse! De ser posse de alguém, não de amar alguém.
Mas o que o poeta pode falar do amor já que o sentimento já foi sublimado.
E não tenho posse senão de mim mesmo e das decepções, enganos que
cometo.
Nem sempre entendo porque dure apenas enquanto chama. O que por ser
felicidade deveria ser eterno.
Mas se abandonar o sonho de ser poeta então a vida termina então com
amor ou sem.
Por muito tempo de lutas sem trincheiras ao céu aberto
Talvez tenha desaprendido a ser feliz ou nunca o tenha sido completamente
A não no verso que o sentimento sente e diz que seja urgente ser amado
mais que amar ate
Porque sentir o passar da vida sem que se tenha sido possuído por esse
sentimento
Mesmo que na felicidade de um momento. O poeta nem nasceu. Se pensa
que morreu.
Claro que os meus amigos espirituais que me inspiram ou ditam coisas
diferentes, mais profundas , mais eloquentes, mais verdadeiras, sublimes
querências do amor mais sublimado.
Perdoem-me, mas estou ainda encarnado.
E fico coisado com esse misto de ser do céu ou ser na terra da terra.
E quando fico como nau sem rumo no meu verso e reverso parece doido?
Ah que não tem um pouco pelo menos de lucides e loucura.
Mas dizem que o amor nasce pra morrer como a delicadeza da flor mais
bela.
Só ficando na lembrança o que sentiu, se for amor permanece se for paixão
se cura e desaparece.

Morrer. Depois da alegria fiquei nostálgico eu acho e como poeta tento no verso O que esteja agora coisado seguirei vida a fora Que ninguém me entenda em minha loucura saiba que minha lucides é de lucides mais pura. Como o deitar no ultimo dia. Quanto amor eu sinta ainda que sonho que amor se tenha mais se empenha o poeta a definir essa loucura. ser o ter ou será que ter é ser? Ou será apenas poesia. pura. Frieza.Então ficar coisado na tristeza pra que? Ela como todas as demais negatividades da infeliz viagem confinada nesta prosa desaparece por certo no próximo verso ou prosa que o poeta tente. E porque não pela minha? Se agora o que imortalizo é vida Antonio Carlos Tardivelli . aparência de sentimento. E um verdadeiro amor eu sinto por toda humanidade.