Você está na página 1de 86
ny TA RCTS iD RIOUEZAS DA RECIAD PRIMEIRA PAGINA Fazer uma revista completa sob todos os aspectos e que viesse a corresponder com a exigéncia de téda uma populaedo é um dos mais dificeis e intrincados trabalhos da técnica jornalistica. Nio obstante, Imbufdos déste propésito, com uma equipe espe~ clalizada, colhemos minuciosamente os dados mais importantes ¢ apés dois méses de Ininterrupto trabalho, conseguimos elaborar és- te compéndio que, acreditamos, ficaré para a posteridade. Sim, porém, no nos devemos esquecer de uma figura de ex- ponencial valor néste empreendimento, sem a atuagéo do qual, Santo Anastécio poderia ver desfeito mais um dos seus sonhos. Com a finalidade precipua de divulgar e engrandecer 0 nome da cidade perante os municipios e govérno do Estado de Sio Paulo, de mostrar até & Presidéncia da Repitblica o porque das reivindica- eGes anastacianas, ARARY BALTUILUE, presidente do S:ndicato Rural, assumiu tédas as responsabilidades e mercé do seu presti- gio na cidade consegui, como nao poderia deixar de ser, pleno sucesso no seu intento Gracas a Arary Baltuilhe, a0 comércio, industria, agricultura e pecudria é que pudemos realizar a REVISTA COMEMORATIVA DO 42.0 ANIVERSARIO DE SANTO ANASTACIO. A historia real ¢ verdadeira de Santo Anastéclo, aquilo que de mais importante possue a cidade, reportagens sobre a agriculiura, peeudria, comércio e indtistria, acontecimentos que marcaram 6poca, a modernizagao da urbe, ete. Isto © multo mals yoc8 encontrar neste compédio histérico de Santo Anastécio. No enséj reiteramos os nossos profundos agradecimentos a @ste simpético, hospitaleiro e Iakorioso povo anastaciano. OS EDITORES Prodstores Himer Lombardi Mauro Antunes Fotégrafos Foto Lider (Sto. Anasiiicio) = Foto Pacha i (Pres. Prudente) Colaboradores Varios | = Editéra Franca Ltda. Impress4o Semana Rua Aurora, 57 Sao Paulo REVISTA DE “SANTO ANASTACIO” Pag. 1 DONATO FRANCISCO SASSI. S/A IMPORTADORES E EXPORTADOwES POSTO DE SERVICO ESSO Cumprimenta efusivamente a laboriosa popu- lagao de Santo Anastacio pela passagem do seu 42.” aniversdrio, reiterando os votos de um continuo progresso. 2 REVISTA DE “SANTO ANASTACIO” sila CELSO JALOTO AVILA Para conhecer 0 que foi esta terra, temos que voltar a épocas bem remotes, chegar mesmo ao tra- tado de Tordesithas, datado de 7-6-1494, em que o metidiano de Bula “Inter Coctra”, do Papa Alexan- Gre IV, dividic terras da América do Sul ainda nao descohertes, Iniclava 0 tracaco inka reta, mas Vizinhancas onde atualmente do Para, © terminava nas imediacdes da cidade de Laguna, Es- tado de Santa Catarina, No relerido acordo, feito en- tre Portugal e Espanha tudo era umayinario, “Terras ainda por cereobrir”. traiado citava es Lihas do Cabo Verde como ponto de partida. ‘A linha referida, como hoje podemos obestvar, cortava 0 Estado de Sao Paulo, de Norte a Sul, pertinda mals ou menos da cidade de Barretos indo em reta até Ourinhes, Desta manwira, a regiao de munteipio de Santo Anastécio ficava perteneendo a Espana, e por ela @everia ser administrada, explorada e colonizada Ora, s3 assim tinha que ser, a penetragao viria do Sul, (Argentina ow Paragual), onde os espa mhéis finham a sede de suas coldnias, sob a prote- Go e bandeira dos rels daquele pais ‘A sua vanguarda era encabecacia pelos Tésuitas, que Subindo 0 Rio Parana, foram construindo divar- 525 “reduedes", pontos de catequoze dos indios, che- gando a atingir 0 Rio Paranapanema, fundando © instalando as missOes “Nossa Senhora de Loreio” © Santo Igndeio”; a ultima ficava onde localiza-se ho~ Je a cidads do mesmo nome no Estado do Parana. Houve também algumes feltorias edificsdas po los referidos jesuilas, nas cabecciras do Rio Laranja Doce, atualmente municipio de Martinépolis Estas redugdes floreseeram, © génio administra- tivo dos inacianos sompre foi notivel. Ali éles ensi- navam ao indio a agricultura ¢ © pecudria, letras © Primelr-s familias Russas — 1. Bessarabia Bairro Colénia Santo Anastacio Historia Jesarte Ares ee artes, catequizando-os 20 Catolicismo, sem _tird-los “is teu" modo natural do viver, & no ser quanto para estas roduedes os jesultas procuravam atrair os selvicolan, nsbitantes ao seder, para 0. que entGo Stnciravem na florets a procure do bugre Heslas penctrage. 3 viahem palmlfhar ss matas ue conominatoe Alta Soroeabans. Mais tarde, com 0 aparecimentos e deseoberta das Minas de owe © poses presioses em Mato Gros foe Mines Gerais, or bandelrentes largaram destas ‘Gopelias adotends © explorecio dos minérios com Telos mals objetvos Com as corscrlas da pega aos indios © explora- bes do our in, Culabé, os destemiges bendeiran~ {Ey Tors empurrendo os eopanhels de seus dominios * REVISTA. DE SANTO ANASTACIO Pag. 3 Infellzmente, as feitorias e os indios que ef ha- bitavam form grrasades e desbaratados pelos. ban- Gvirantes, que primeixemente cram preadores de in dios, “eserevizando-os contra a vomtade dos sezul- ores de Loyola ¢ vendendo-os aos senhores de en- genho no norteste brasileiro, Para ld fol grande par fe cos donos de nossas mates, Passam 0 Rio Parand, alongam para o Oeste ttenspondo o Rio Paraguai, para Sul tembém vio gendo dilataas as fronteites do Brasil Colénia, © @rr0 dos bandetrantes foi a escravisagao dos Indios, mas o Brasil the deve mais da meiade da. extensae territorial que temos hoje, Assim nossa regio para a ser de Portugal ‘Ap Sul de Mato Grosso “os nossos limites vio além do Rio Iguaiemi (éste rio afiucnte Wo Paves na). Naquele ponto os portuguéses edificam um for fe, pata garantir seu dominio, cujo nome € "Noses Senhora dos Prazeres de Tguatemai”, Name bonito mar lugar pestiiento, Os soldados Iutam com as. febves ue dizimam os efetivos @ sa sempre acostados alee Indios © espanhéls que querem desaloié-los, ‘A fim de reforcar aqucla’ ‘prace de uerra. o entdo governador da Capitania de Sao Paulos D. Laie Anténio de Souza, ordena ao Sargento-Mur’ Theotd. io José Juzarte, armar uma expedieao militar © he vill e seguir levando retdreo para aduela,fuslalers A partida dise 0-3-1769, descendo em canvas 2 Rio Tieté, seguinds 0 Rio Parona, vino’ barnes embocadure do Rio Pardo a 10-5-1769, onde finerann alfo paca descanser © reorganizar a etquadrilha de. sembarcando na margem cequerda do iisrido rice a direita do Rio Parana. _ Juzatte, elas observaeses que vinha tazendo, achava que se existisse um rio que viesse desemene ear na margem esquerda do Rio Parad, vinis cree far muito a8 vingens & Sozocaba, Dia 1-5-1769 éle ordena @ seus _comandados, Francisco Paes © Bento Cardoso que exploram a oct ferida margem, Bates descobrem, onde é hoje a margem paulista, stim rio que Juzarte dé 0 nome de Rio Santo Anasta: cio, pols no dia 11 de malo, o calendario mareavat a data que, em Camerino, na Iiélin, fo1 martivisado ¢ morto no ano 250, por ofdem co impereaor Déeic 0 Teferido Santo. Ainda pensando no tal caminho, Juzarte ordiena gue sob 0 comando de Francisco Paes, sigh um gru Po de homens para efetuar a tal penetracao. Dia 1! Ge maio' de 1763 seguem Kio Santo Anaswicio acima, & procura de uma passagcm para ligar q Soroeaba 6 Rio Parand, encuriando assim as viagens de Sao Paulo para Tguatemi ¢ Cuiabé Francisco Paes e seus corandados foram os pri- mpiros elvilizados que, subindo 9 Rio Santo Anastacio © margeando 0 seu curso, palmilneram as nossa terras © da Alta Sorocabana, E no.em bem: este tracado somente 101 aprovertade 0. futuro. Outre: esttadas-vierem ali ter; a “Boladeira” terminow mes mo: ta emboczdura do referido rio, a EF. Soroca- bana uns 11 quilometros acima, ©, por ultimo, a grande Yodovia “Raposo Tavares 2 uns 6 quilore= tos daquele lugar Mas. os nomes do Sargento-Mor Theo‘énio Jo- sé Juzarte e Francisco Paes nunca foram lembra- dos; cairam mo esquecimento, Muitos brasileizos © aitsino paulistas nem sabem déste passado historico, ‘Os anos vao passando, O Brasil fiea independen- fe de Portugal, e vai aos poueos se expandinco, Na ligeeao entie Norte e Sul co Pais exisie um entre posto de grande coméreio; sio as iciras de Soroea- ba, antiga provincia de Sao Paulo, Sorocsba era o lugar onde so eneontravam as caravanas de tropeiros vindes do Norte-Centro e Sul do Brasil, Pera ld viajou o mineiro natural de Pouso Ale~ gre, José ‘Theocoro de Souza, que __$__—$ REVISTA DE “SANTO ANASTACIO” Pag. 27 — es *—INDOSTRIAS J. B. DUARTE $/A um orgulho da cidade Vista pareial ars Industrias J. 8. Duarte © dinimico airetor-gerente das Industrias J. B. Duarte quando alendia um de seus clientes CUMPRIMENTA O LABORIOSO POVO. ANASTACIANO DURANTE O SEU 42° ANIVERSARIO. ea eee yah ee ye HISTORICO DO INSTITUTO DE EDUCACAO A Secretaria do Colégio Est. ¢ Escola Normal notanco a presenea da sta. Zoraide Antunes demais funcionsrios © Gindsio Municipal de Santo Anastacio foi fundado no inicio do ano de 1944, sob a di reco dos diretores: Ataliba Mene e Calil Chace, espectivamente diretores téen‘cos e adjuntos. No ano de 1944. funcionou téa somente uma classe de preparatério ao ginasio contando com mais ou menos 35 alunos. No ano de 1945, fun- clonava 0 Gindsio Municipal com 1a e 2.a série ginasial. 1946 — tae 2a 1947 — 1a, 2a ¢ 3.a série 1948 — 1a, 2a, 3a e 4a série, La turma de formandos do Ginasio Municipa! Inspetor Federal: Sr. Luiz Olivério Neto (coletor federal) tendo como diretor atual 0 Pa- dre Antonio Velaseo Aragon e Profa. Maria Lui za Emboava, Maria Aparecida Levy, Aurora Sponton Pereira, Antonieta S. Cury, Léa Pie- rone Pinheiro, Vitor Soares de Gouvela Fran- cisco Sanches Postigo, Fernando Fernandes, Dr. José Paulo Pimenta Melo, Dr. Joao Sanches Postigo, Raimundo Fismel e outros. Alunos da 1a turma: Dulee Ferraz, Diva Lopes de Oliveira, Lourdes Martins Fernandes, Teresina Lagatta, Abigail Aparecida Borges, Diva Marinelli de Oliveira, Zuzilote Galdiks, La Fernandes, Elvira Rebolo, Blfride Novaes, Regina Yolanda Neves, Diogo Peres Jerénimo, Hercidio De Pieri. Antonio Zacharias Filho, Hat- suo Ueno, José Fernandes Rama, Fausto Peixo- to. Pela lei n.o 75 de 23-2-49 publicada no D. ©. do Estado, no dia 24-2-48 foi criado o gind- sio Estadual de Santo Anastacio, sendo lotados de cargos de professores, pelo decreto n.o 18.475, de 1-2-49, Foi instalado pelos Técnicos de Edu- cacao, os srs, Joao Bohae e Joel de Aguiar, por ordem da chefia do ensino secundario e normal do Estado de Sao Paulo. Foi designado para responder pela direcKo e fiscalizacao dos exa- mes de admissio, com o st. dr. Adolpho Cor: deiro da Silva, Mamentos de reereacdo no Colégio e Escola Normal Para responder pela Diretoria, fol designa~ ao pelo téenico de Edueacao; Sr. Prof. Joao Tolosa de Almelda, nomeado interinamente, ‘Sus Diretores; Josio Tolosa de Almeida José Machado Braga Raphael Leme Franco Geraldo Ferreira Cintra Bencdito Pires de Almeida José Flavio Finto as Joao Tolosa de Almeida José Flavio Pinto Prof. Paulo de Oliveira, dignissimo diretor do Instituto de Edueacao Joao XXIT © Gindsio Estadual de Santo Anastacio de conformidade com a Lei no 6.954, de 6-86-62, Publicado 1M D.O, de 7-9-62, transcrita a pa- gina no 3 do referido Diario, foi transformado m Colégio Estadual e Escola Normal de Santo Anastacio. ___ Funciona 0-Colégio em 8 periotos tendo ‘como diretor o Prof. Jamil Tayar. 4 23 REVISTA DE SANTO ANASTACIO Pag. 29 Tarde — Ginasial, primArio anexo e CP-EA. Noite — Ginasial, normal e cientifico Conta o mesmo com 1869 alunos € 0 corpo docente e auxiliar com 59 profs, dos cursos: normal, cientifico, cléssico e ginasial. 10 'professores do primétio anexo 13 professores co CP-E.A. 5 func, administrativos 5 inspetores de alunos 5 serventes Frequentam as aulas do Colégio alunos re- sidentes em Piquerobi, Ribeiro dos Indios, Pres. Weneeslau, Pres, Bernardes, Alvares Machado, Mirante do Paranapanema. © prédio 6 um pavimento com 13 salas de aulas, com instalacées completas. A transfor~ macio para Instituto de Educacdo é necessério para o aumento da cultura de nossos jovens, pois com essa transformacao teremos Curso de Ad- ministrag&o Escolar, Curso de Aperfeicoamento, ESCOLA TECNICA DE COMERCIO “SANTO ANASTACIO” Escola Técnica No dia 15 de marco de 1954, as 20,30 horas, , com grande solenidade brilhantismo, com grande interésse populra e solidariedade de {das as classes socials da cidade, a sua inau- gurago, com estupenda e ilustrada AULA INAU- GURAL: Comecava, assim, a realizar-se um sonho, comegava, assim, a serem coroados os trabalhos, os esforeos ¢ os sactrificios de alzuns jovens idealistas, que, durante o ano anterior, lutaram © porfiaram ¢iutumamente, para sentirem a alegria daquele memento, José Flavio Pinto. José Machado Braga e Luiz Eduardo Coutinho, foram reus fundadores, além de idealizadores Nascia, na eldade, mais vm Rstabelecimento de Ensino, mais um Educandario, que no de- correr dos tempos, abr'garia milhares de alunos, modernos argonautas que, em seu béjo, iriam em demanda de Célquida, a tetra encantada de seus sonhos, em busca do SABER, mais precioso que 0 vélo de ouro, o qual, na lenda, pendia de uma Arvore sagrada, guardado por um dragao, ‘A prinejpio, como tudo o que comeca, en- gatinhando, sendo cthada com amor e médo, com aquela conflanea que delxava transparecer um laivo de descrenca, a Escola foi, depois, eres cendo, fol crescendo, fol se tornando adulta, fi Se agigantando, foi se integrando na vide da cidade, tornou-se atuante e estuante de vida, movimento a juventude e hoje 14 esté, conso- eam cea ER RAE OE lidada, impAvida, com muitos frutos sazonados que, por ai a fora, atestam seu vigor e sua vita- lidade, Diversos diretores a regerem: Profs. José Flavio Pinto, José Machado Braga (duas ges- toes), Wilbaldo Anéas Fanco, Manoel Manzano Vicente, Norvaldo Anténio Bariani e Oraci De- reer ‘Mais de 500 alunos, em seus bancos escola res, f@ se formaram TECNICOS EM CONTABILI- DADE e, muitos, prosseguindo seus estudos, em excelentes Escolas Superiores do Estado, forma- ram-se ECONOMISTAS, brilharam nas Escolas especializadas de Ciencias Contabels e, hoje sao peritos «m grandes Firmas de Séo Paulo. Hon- rando a Escola em que se formaram em humani dades e onde deram os primeiros passos nos terrenos das Contabilidades, © niimero de ““AUXILIARES” ascende a mais de mil, que tendo tido a oportunidade de iniclar, prosseguiram seus estudos nos Cursos ‘Técnico, Normal, Classico ou Cientitico. ‘A Escola se‘ consolidou, pois, e hoje goza de merecido prestigio, da estima e do apdio de toda a cidade, Hoje esta instalada em prédio proprio e é mantida pela SOCIEDADE DE ENSINO "SANTO ANASTACIO” LTDA... formada, exclusivamente, pelos professores do Estabelecimento, sem odres Politicas, religiosas ou raciais e cuio presidente, de larga visio, de arrdjo descomunal e de dedi- cacéio a téda prova, é o Sr. MANOEL MANZA- NO VICENTE, Perito-Contador, eficientissimo, conhecido na Tegido téda pelos seus conhec!men tos do assunto e que féz, de sua profissao, a me- nina de seus olhos. ‘Mas a ESCOLA tem maiores aspiracées de aperfeicoamento técnico, em maiores e mais am- plas instalacdes. E tudo nos leva a crer que, Gado 0 dinamismo de seus dirigentes e proprie- térios, que até agora nao mediram sacrificios, para 0 que tém uma capacidade enorme, tudo pols, nos leva a crer que, em breve, teremos, aqui, Cursos Superiores no nobre ramo das Con" tabllidades “Que os anjos digam amém”, sio nossos vo- tos e que seja mais um galardao de nossa cidade, jd por si tao progressista. Cy 30 “REVISTA DE “SANTO ANASTACIO” A educecdo © cullura sfo elementos de vital im- portincia na formacéo do homem. Alem de outras tantas viriudes que possue, Santo Anasticio, esta em servida nesse selér. possuinde professéres ca Paeitados, mais de uma centenss de escolas primé- las. ensino secundario © medio. Se fOssemos contar a hisiéria do ensino em hhossa cidade fomarfamos muito espago eo seu pre= loso tempo. Assim sendo, diremos em répidas pa~ Jayras que: Em 1922, os ansstacianos j4 comecavam a se preocupar com a formagao dos seus fillos, A cida- le ia crescendo gradativamente © a necessidade de uma estola era um fate eansumado Pouca gente sabe, mas foi no dia 21 de mafo deste mesmo ano que surgiu a primeiza escola em Santo Anasticio. A ESCOLA RURAL DO BAIRRO DA REPRESA, s E com a primeira escola virla o primeiro mes- fre, @ professora. JOANA CHACON FERNEL DE. PAULA, Depois de aberlo o caminho, as coisas se toma- Tam mais ficeis. Com o ereseimento demogratica Qs idade foi sé dando, ‘naturalmente, “a evolucso EDUCACA® E CULTURA Aqui © acolé, como por encanto, surgiram as eseols Em 1958, antes do Brasil sagrarse campeao mundial de futebol, o Ministério da Edueagao, sc ia a olhos vistos que Sanio Anastéclo fazia por me- recer uina Delegacia de Ensino, face a sua notoria ascendéncia E fol uma lei, com 0 mimero de 5.084 1958, que no dia 31 de mateo de 58, instalou aqui, neste pe- dacinho do rincan_verde-amarclo, = sua. Delegaeia de Ensino. EUVALDO DE OLIVEIRA MELLO, foi 0 seu primeiro delegado. Depois vieram outros Jocelim Pontes Festal Mario de Almeida Mello Al ro Cardoso Genésio de Assis Ant6nio Brondi Francisco Pissaro ec ALNOGIR MAIA NORTE, ue atualmente responde pela direcdo do ensino em nossa regito. CENTRO CULTURAL BRASIL ESTADOS UNIDOS © Prof. José Braga, um dos everitores da cidade Falar inglés, € um bom negocio. Posque € um idioma mundialiente falado. Porque 6 uma lingua bastante difundia\ no Brasil. E sendo difundida ‘no Brasil, haverla de sor em Santo Anasteci Pag. 32 REVISTA DE, Desio 1964, ha em nossa ciitade. ativameate, 0 ‘Centro Cultural. Br: dos. Sua principal finalidade dos estudantes anastacianos” trabathando Estados. Uni- aumentar 2 cultura ‘Com jovens c copacitados elementos a sua dire~ gio e com professores especializados, tem consexul- do 0 Centro Cultural, propiciar 90s noss0s estudantes tum perfeito curso do’ SPEAK ENGLISH. Funciona 10 horas diarias, tendo alunos que frequentam os 3 petiodos: matinal, vesperting © o2 rnp, Alunos que desenvolvem proveliowt: spkerna zagem do 1.0 a0 6.0 ano, = Apis 0 Curso Basico. possue ainda 0 Centro Gutta Brasil otatos Unidos, on Cursos “Toterny aslo © Avancado, om durngio. de 2 anos Fess vamente. = 40, mélodo de ensino 6 dos mais modernos — 0 “drilling” —exercieios © conversagao em casa Tighe dada. Suas ligdes atingem o numero de 72, sendo 12 por Semestre © curso fo tem limites de iidade © prova dis so € que conta com alunos de alé 43 anos de dade Outrossim, é necessério esclarecer que em 1968. 65 taré em, pleno funcionamenio o Cutso. Preliminar, para aqueles de 10 a 13 anos de idade, “Halloween Party” 6 a sua tradicional “festa as bruxas", comemorada a 31 de outubro de cada ano, onde tados os seus alunos e respoctives convida” dos se divertem sob o ritmo quente do carnaval bra~ sileiro Para o ps6ximo ano, contara também, 0 Centro Cul:ural Brasil Esisdos Unidos, com um clube fila télico que tera a responsabilidade unica e exclusiva dos proprios alunos. E indubitavetmente, um estabelecimento de en- sino que orgulha Santo Anastacio, quer pelo seu de- senvolvimen, quer pelos seus principlos. Assim féla 0 CCBEU: “AMPLIE ‘OS SEUS CO- NHECIMENOS, AMPLIANDO AS SUAS POSSIBI- 3d .LIDADES Dr SUCESSO” “SANTO ANASTACIO” ROTARY CLUB SUA HISTORIA © Rotary Club de Santo Anastécio, como os demais nasceu quando as condicdes necessé- rias foram oferecidas. Numa noite escura e chuyosa, reuniram-se no Hotel Alianca, cidadios idéneos, homens de diversas profissies, credenclados ¢ capazes de aceitar e aderir aos principios do ROTARY em nossa cidade Nesta reunido, as seguintes pessoas estavam presentes, além de outras que no nos lembra- mos Dr, Aloisio de Campos Netto, como delega- do de Presidente Prudente (delegado do Rotary e padrinho dos rotarianos) . Olimpio Domiciano, José do Amaral, Mi- chel Pedro, Dr. Alcebiades Luiz Pinheiro. ' José Rodrigues de Toledo, Romeu Cerdvolo, Benja- mim Moreira de Almeida, Luiz Olivéia Netto, Nassif Maluli, Joao Batista Tolosa, Antonio Za- chatias, Joio de Moraes, Jamil Miguel, Sebas- tido Passos e Sebastiéo Thomas da Silva. No dia posterior, outras pessoas foram con- vidadas, para a formacio do Rotary Clube de nossa cidade em carater_provisorio, Elegendo 0 seu Conselho Diretor, 23 mem- bros se disporam a levar avante a Bandeira da Roda Dentada. © primeiro Conselho Diretor ficou assim constituido: Presidente — Aleebiades Luiz Bianco., Vice presidente — Luiz Ferraz de Sampaio. Secretario — Sebastiao Passos. Tesourelro — Nassif Maluli Diretor de Protocolo — Aloisio Netto. Campos Diretores sem pasta: Julio Spano Michel Pedro. Antonio Zacharias. E assim foram iniciados os primeiros pas- Sos nesta escola da amizade. Tendo-o como padrinho, foi o Rotary Clu- be de Santo Anastacio, organizado pelo seu ho- ménimo de Presidente, através os rotarianos; Gabriel. Gurgel, Constantino, Michel, Fernan- des, Irmaos Faria Mota, Cevitaro e outros tan- tos de identico valor Rotary Club, vendo-se a0 fundo a mesa diretora © Sr. Haydamias, um dos destacados rotarlanos da cldade ‘quando falwa em reunizo oreinarla No dia 18 de jutho de 1946, reuniram-se pe- Ja primeira vez, os rotarianos locais, nas depen- dencias do Hotel Aliana. Sob 0 contentamento incontido da socieda- de local. a 17 de janeiro de 1947, era 0 Rotary Club de Santo Anastacio definitivamente admi- tido em R. I. conforme informacio oficial Nao obstante, somente no dia 31 de m do mesmo ano é que fol entregue a carta s6- bro a oficializacio do Rotary Club local, incluin. doo na comunidade internacional desta enti dade. ‘Na solenidade de entrega, 0 Governador do Rotary, st. Menezes Doria, em magnifica ora- fo. sintetizou o nascimenio do Rotary Club de Santo Anasticio. Este 6 0 seu atual Conselho Diretor Rotary Club em uma de suas. tradicionais reunises 34 Presidente — José da Fonseca Staut Filho. Vice Presidente — Mitsuo Shibuya. 2.0 Vice Presidente — Hercilio De Pieri. Secretério — Cyro Eduardo Nunes Losano. 2.0 Secretario — José Ravazzi. Tesoureiro — Wilson Vicalzi. 2.0 Tesoureiro — Cassimiro G. Vilafanha. Diretor de Protocolo — José Felix Haidamus Diretores sem pas Atuzi Miyast Trineu Delatim. OBJETIVOS E PRINCIPIOS DO ROTARY a) Estimular e fomentar o ideal de servir, como base de todo empreendimento digno, promovendo ¢ apoiando. ») © desenvolvimento do companheirismo como elemento capaz de proporcionar oportunidades de servir. ~ ©) Reconheeimento do mérito de téda ocupacéo ttil e a difuséo das normas da ctica profissional. d) A melhoria da comunidade pela con- duta exemplar de cada um, na sua vir da ptiblica © privada. ©) A aproximagiio dos profissionais de to- do o mundo, visando a consolidacdo das boas relagdes de cooperagao e de paz entre as nagdes Possue atualmente, o Rotary local, um am- plo salio social, biblioteca. cozinha, estante de trofeus, 2 toilletes, sala de estar ¢ secretaria. REVISAO DAS CLASSIFICAGOES - JULHO 67 Alfeu — Direito — Serventia da Justiga — Tabel, de Nota: ‘André — Quimica — (Industrial) — Inse~ ticidas — Distribuicéo. Arary — Pecuarla — Gado Leiteiro — Cria- ao. ‘Atuzi — Medicina — Odontologia — Ra- diologia, Cassemiro — Pecuiria — Gado Reprodutor — Criagao Ceverino — Algodio — Algodio — cultura. Cyro — Direito — Advoeacia Civil. Haidamus — Govérno — Receita Publica — Arrecadacio. Hercidio — Armas de Fogo, Explosivos — Armas de Fogo, Munic., Varej. Trineu — Quimica (Industria) — Adubos — Distribuiedo. Ismael — Finangas — Agéncia de Empres- timos. Joao — Finangas — Banco de Credito Agri- cola José Maria — Agricultura — Fazenda Mis: ta. Jonas — Algodtio — Algodéio — Beneficia- mento, Luiz Leme — Medicina — Odontologia — Odontopediatria. Matheus — Alimentacéo — (industria) - Secos e Molhados — varejo. Nishimura — Automoveis — Oficina de consertos. Orlandi — Contabilidade — Servicos Co- merciais Paulo — Edueagdo — Ensino Secundario. Pinha — Alimentacéo — (Industria) Arroz — Benefieiamento. Pires — Engenharia — Engenharia Agro- nomica. Ramires — Madeiras — Marcenaria. Ravazzi — Financas — Banco de Credito Comercial. Romulo — Pecuaria — Gado de Corte — Criagao Shibuya — Medicina — Cirurgia. Staut — Pecuaria — Gado de Corte — In- vernagem. Vicalvi — Mercadorias em Geral — Artigos para presentes — varejo. Honorarios — Esmar Depieri - Mario Zappi Bolivar — Veterano. Nassif — Veterano. Raif — Veterano. Zacharias — Veterano. Erahy — Servicos Anteriores Tolosa — Veterano. RELAGAO DAS CLASSIFICACORS VAGAS 67-68 Agricultura: Amendolm — Cultura. Artoz — Cultura Mamona — Cultura. Alimentagdo — (Industria): ‘Artoz — Compra e Venda. Cereais — Compra e Venda. Alimento de Origem Animal: Carne verde — Distribuicdo Carne verde — Matadouro Lelte — Distributego. Queijo — Fabricacao. Artes Graficas e Publicacdes: ‘Agencia de Jornais e Revistas. Jornais — Publicagdes. Livrarias. Tipografias. Artigos Para Eseritorios — Papelarias, Automoveis: Pecas e Acessorios — Varejo. Caminhdes — Distrib Pneumaticos — Varejo Posto de Servicos. Cale ‘Torretacio Cultura. Cerdmica — Tijolos — Fabricacdo. Couro — Arreios — Fabricagao. 4 3h Diteito: Advocasia Comercial ‘Advocacia Criminal. Educacko: Ensino Primario. Ensino Tecnico Profissional — Comercio Aparelhos Eletricos — Varejo. Engenharia: Agrimensura. Engenharia Civil Ferragens — Ferragens — vatejo. Frutas, Vegetais, Nozes e Derivados — Oleo de Amendoim — Extracéo. Gaz: Gaz em Recipientes — Distribuicdo, Aparelhos a gaz — Varejo. Govérno: Inspetoria Escolar. Receita Pablica — Fiscalizacéo. Soalheria: Joias — Varejo. Relogios — Varejo. ‘Maguinas e Utensilios Agricolas — Trato- res — Varejo. Medicina: Clinica médica. Odontologia — Clinica ‘Mercadorias em Geral: Bavar. Armarinhos — Varejo. Quimica: armacias. Drogarias. ‘Transportes: Transporte Rodoviario — Passageiros, ‘Transporte Rodoviarlo — Cargas. ‘POSTIGO COSTA MARQUES LTDA. HERALDO E IVANDRO MACIEL SANCHES Em sew campo de trabalho um funcionprio mostra um’ produto Sanches Costa Marques Ltda HERALDO & IVANDRO MACIEL SANCHES, om fevereira déste sno resolveram, fundar aquela que €'a primeira industria genulnamente anasiaciana Através de multos esforcos ¢ grande despreen- dimento nascen 2 POSTIGO COSTA MARQUES LTDA. Tal indistria produz o propalado SUPLEMEN- ‘TO MINERAL para bovinos, além dos sub-produtos, farinha de ossos, sébo © adubos. slo € conséguido face a um trabalho bem orientado sébre_ os ossos, micro-elementos ¢ sal-re- finado, conhecidos como a *matéria prima”. Uma das maquinas produtoras do suplemento mineral ‘Soreeabano| A POSTIGO COSTA MARQUES LTDA.. produz digriamente 100 sacos de $0 kilos, consumindo 0.000 kilos didrios de matéria-prima Esti sittiada em uma drea de 18 mil metros qua- Grados, enquanto que 500 metros quadrados s4o ocu- pados pela fabrica propriamente dita, ainda em ca Rater provisério, HERALDO E IVANDRO, esto trabalhaado ati- vamente no intwito de, ainda’ éste ano, iniciar movi- mento para triplicar a produeio e aumentar e moder- nizar consideravelmente suas instalacdes, D) Nao se sabe ao cerlo a data de sua fundaeao. No gntanto, afirmarse que aqui chegaram, em 1917, #¢ trés primeiras familias emigrantes, Entre 1924 a 1926, foi estratu sociedade de mocos, composia ‘tt ses e seus filhos Em 1931, Assaiti Yamashima, reunia téda a, co- Ionia niponiea com objetivos de estimular a pratica do beisebol, unica modalidade espertiva’ que Ihes eta peculiar. ‘Ontras equipes foram formadas, permitindo as- sim a realizagdo de competigses entre as primeiras forgas do beisebel regionsl, ‘As dispulas aconteciam no Campo da Chave Manzano, entre as equipes do Bairro Saltinho, Bair- 1» Showa © Bairro Sania Marie, Em. 1935, estas equipes se tundiram para formar 9 imbativel esquadréo do SANTO ANASTACIO BA- SEBALL CLUB. Massahsr Togemi era 0 seu capitio e néste mesmo ano, esta equipe conseguiu o iliulo de cam= pea invicla, ao_vencer magisiralmente, as esquadras de Presidente Prudenie ¢ Presidente Bernarde um quadrangular disputado no Campo da Manzano, Em 1942, na cidade de Bastos, conseguiu dentre as melhores equipes do pais, 0 honroso 3.0 lugar. Em, 1946, conquistou titulo de campedo invie~ to do campeonato inter-regional de Sao Paulo, reali zailo na ciiade-de Presidente Prudente, ida primeira ramente de japone- Em 1947, sagrouse bi-campedo Em 1948, sagrou-se vice-campeio Em 1949, sagrourse campeao Em 1950, sagrou-se bi-campedo, conseguinda em Sfo Paulo, a conquisla do terceiro lugar. Em 1951 “merilériamente conguisiou 0 tri- campeonato, ecupando o segundo lugar em Sao Paulo. Os anos foramn passanda e éstes azes do belsebol, Ji com 0 péso da idade a prejuuiear-ihes os movie Tentos, delxaram seus posies gioriosamente defendi= dos, para 9 gar0lus que nesta épaca comegavam 2 despontar. Desla época_em dianie desapareceu 0 Santo Anastasio ase Ball Clube, para ceaer seu lugar a0 CENTRO CIVICO NISSEI. (© estatuto — primeiro, desta entidade — foi elaborado no dia de maio de 1961, tendo KATASHI OKUMURA, como o seu prosicente. Depois’ desi metamorfoze, expandiu-se 0 setor esportivo do Ceatro Civico Nistei, Deixanda de lmi- tarse a0 base-ball, passou a desenvolver a pratica do fulebol, ténis de mésa e de campo, bola a0 cesto, futebol é¢ salio, cto... Assim esti em répidas pinceladas, construio 0 quadro da brilhante historia do Centio Civico Niséei, atualmente uma cntidade que orgulna Santo Anasté- Gio no cenirio esportivo, AS SUAS DIRETORIAS De 1961 foi a seguinte: Presidente: Katashi Okumura Secretirio: ‘Yoshinobu Shintome Tesoureiro: Jorge Onishi (falecido) Dir. Esportivo: ‘Massaki Fugimoto Dir. Social: Sademu ‘Tenaka . CENTRO CILVICO NISSEI Conselho Deliberative: ‘Takeshi Yamagushi Kioo Kawai José Machado Braga ‘Araki Tedazi Kiyoshi Fugimoto unio Nishi De 1966: Presidente: Shigelu Tnoue Viee-Presigante: Joio Noboru Okumura Lo Secreta Luiz Ikeda 20 Secretirio: Lauro Toada Lo Tesoureiro: ‘Osvaldo Inoue 2.0 Tesoureiro: Roberto Otsusi Dir, Social: Masao Avyagut Dir, Esportivo: Mario Anraku Dirotoria Atual: Presidente: Shigelu Inoue Viee-Presigente; Jo3o Noboru Okumura Le Tesourei Shigueru Kamio 2.0 Tesoureiro: Saburo Watenabe Lo Secretirios Luiz Ikeda 20 Seeretirio: Lulz Mutsuo Togami Dir. Esportiv Lulz Tssa0 Nacano Dir, Social: Marlo Anraku Consethos Deliberatives: Reinaldo Regina Roberto Indo Paulo Koga Lauro Inada Conta atualmente. 9 CENTRO CIVICO NISSEL com bibliotecas, sede social, onde séo realizados suas tradicionais reunides e costumeiros bailes Através professores especializados ministra pro- veltoso ensinamento sobre a lingua japoaesa, “Anuslmente realiza 9 empolgane Concurso de Cantores Amadores © os festejos de Lo ce Male Campanhas ja estéo sendo feitas no ialuito de conseguir uma verba para construcao de uma mo demissima sede para o Centro Civico Nissi (© Clube possui 200 ascociados ¢ 50 pessoas be- neficiadas de até 30 anos de idade ‘A sua sede localiza-se na Vila Adorinda, com amplas salas de aula © servico de internato, além de campos para futebol € beisebol. Na rua Gastéo Vidigal esta localizado 0 Clube, ode se realizam as festas, bailes, competicdes de tenis de mesa, dama e xadrez. 36 REVISEA aa HISTORIA DE SANTO ANASTACIO 3° VIDA ESPORTIVA s primeiros passos dedos para a fundacio do esporte em Santo Anasidcio deu-se por volta de 1928, mo ano da fundagéo da A.A.A, (Assoclagdo Atlétiea Anasiaciana), famoso esquadifio de fulebol que com Punha-se dos seguintes craques da bola: Benedito Lit no, Augusto, Joaquim de Barros, Cordeiro, Pelota, Perafeite, Chico (Galo Preto), Alvaro, carlos, Didi ¢ uns oulros que aludaram engrandecer’ ¢ levar além fronteizas 0 nome de “Santo Anastdcio", no tacenie 20 esporte, Como sempre acontece, és. veteranos ao danco lugar aos novos e esperando déles, lula, honras ¢ lucros. No inicio de 1940, surgiu o Fada Futebol Clube, em substituicao a0 esquadrio da Associacio Atlética Amastaciana que muita alegria trouxe A torcida de hossa terra. ‘A diretorla do alvi-vrubro foi formada em 1940 Compunha essa dura os seguinte elementos: BOLA AO CESTO (1035 A 1936) Paquito Chacon, Euridice Borges, Postigo, Avis- ton Candido de Oliveira, Humberto Marinelli CESTOBOLISTAS QUE ATUARAM Nos ANOS DE (1843 A 1957) ABC — Fernando Fernandes, Antonio Zacharias, Alfeu de Garvalho Noyaes, Antonino Candito, Tiai ho Fernandes, Flavio Candido, Nené Manordes, Hil- debrando Candido, Nelson de Moraes, Darcy Zacha- as, Fausto Chacon. i No terreno da bola, ao cesto a primeira equipe fundada em Santo. Anastdelo foi a Anestaciana Bola 0 Cesto, sendo compesta dos seguintes elementos: Presideate, Dr, José Pradente de Aquino; Viee-Pre- sidente, José. Ribeiro de Campos; Lo Tesoureiro, Onofre’ “Pinheiro; 20 Tesoureiro, José Domingues; Lo Seeretério, Agenor Noronka: 2.0 Secretdrio, -An= fenor do Batros Leite; Orador, Dr. Rubens de'Sé e Benevides; Conselho Fiscal: Antonio Candido de Ol ira, Angelo Scaglisue, Mario de Andrade e Joao fangel. Fernandes Me"Gonselho, Esportiva: Francisco Chacon Couto, Jose Palma Dias, Luiz Teixeira ce Vasconcelos, José de Barros Leite e José Sanches Postigo..Em_ 1943, 208 olla dias do més do fevereiro surgi nova equine de Bola ao Cesto em Santo Anasiacio ora Anasta- ciano Basquet-Ball Clube, que muitas glérias trouxe para a nosia cidade: . Os "seu primeirsos _dirigentes foram: Vlaminio Barbosa Ferraz. Sebastiso Ribeiro do Amaral, Ma- tio Soares, Adolfo Souza Pinheiro José. Sanches, Pastigo, Mandel Ortega Manzano, Jacob Machado, Joao Batista de Almeida Antonio Cason Junior, Fe- Tipe Marineli, “Théo Wendish, Scbastigo Dutra, Til- Gebrando Candido de Oliveira, Olimpio Domiciano de Oliveira, Luiz Oliveira Netto, Wilton Corsea, AZ eldes Chacon Couto, Moacir Limongi Moreira, Hila- rio Bento Pizzo, Fausto Chacon Couto © ouiros Em 1945 e 46 conseguia Santo Anastécio.alra- Yés do, Anastaciano Basket-Ball Clube dois titulos de Campeao sa regiéo. Na época 0 ABC contava com Os seguintes elementos: “Pemando Fernandes, Nel: son, Hildebrand, ‘Toninho, Darey © outros. Essa mesma equipe representou Santo Anasticio os Jogos Aberios do Interior reclizado na cidade de Santos em. 1048 No ano passao, nova equipe de Bola a0 Cesto surgiu em nossa cidade. ‘eata-se da J4 famosa equil- pe da Galo, “Um dos principais fundadores for 6 Tenente Frahy Martins Daud © Galo tem contribuido’ em muito para 0. en- grandecimento ‘do esporte em Santo." Anasticio. Neste ano disputou 9” ‘Trotéu Bandelrante.calhendo explendides, resultados, " desiaeando-ce contra Para guscu Paulista, nos dominios daquela cidade e com- fea Botucatu, aq Sua desclassificacdo deu-se contra 0 time do Tu- miaru, porém, assim mesmo canseguiu 0 quinto Ii ear. REVISTA DE “SANTO ANASTACIO” Quadra Munigipat cremanian ante 2,20 Ce, Interac, por Aldo Rocha, Molano, Nene*Marconden, Gerais aes! fos destacando-se frente @ Londting, &7ges tian; om geo ie SE peice rear g 4 Onin eae St rnd el onthe, ons pees Poy a Sa Se iene paeaid eee eae sea saire mena rr aan a re, denominada “Corrida da Rogueirs” obtendo um relumbante éxito. Santo Anastacio nessa corrida conseguiu classificar varlos atlétas, porém nosso priv mieiro colocado leangou um tereelxo gar. oj um infefo bastante promissor, esperando os desportistas anasiacianos que para breve tenhamos mals provas, pelestres, afim de que possamos todos ‘0s anos enviar atlelas ‘para os Jogos Abertos Em Basebol, nossa eldade conta com um passado brihante. “Em 1945 e 45 conanistamos com bastan- te galhardia 0 titulo de campeses absalutos do inte- vlor do Estado Atualmente, cofuseado Como podem vér os prezados Ieliores de Santo Anastécio, como em ouiras atividades, também 10 desporto tem tido sua vida propria e muito tem con~ tribuido para o engrandecimento de nosso raca ‘A Comisséo Municipal de Exportes atual favor slgum a que tem desempeahado melhor Papel. Seus dirigentes dinamieos conseguiram va Tins methorias em nossas pracas desportivas, hala vis to as reformas feitas no Estidio Municipal “José porém, 9 Basebol est um tanto A MODELADORA de JOSE DE SOUZA Spaus da Silva” e na quadra Municipal de Bola ao Cesto, A Comissio Municipal de Esportes es: formada pelos seguintes esportistas: Waltor Ambrosio Moiano, Olavo Ayres de Lima, Antonio Queiroz, Terente Mar” tins Daud e Ernesto Augusto da Silva. A éles 0 agradecimento dos dosporlistas de nossa terra. Anfos do encorrarmos esto artigo a rerpeito os osportes pratieados em Santo Anastéclo, yamos citar os quadros varzeanos que muito tem contribui- Wo pera que contemos com elementos de real valor fem todos” setores desportives: América F, C.; Hon sucesso E. Clube: Amazonas Basket-Ball Clube; Fla- mengo E. C.; Grémio Estudantil Castro Alves ¢ Glorioso F.C. Resta agora enviar saudacSo de torlos os despor+ tistas anastacianos aqueles que muito fizeram pelo engrandeeimenta da esporie em nossa cidade. ‘Aos que hoje tém a incumbéncia de defender Santo. Anastéelo no terreno esportivo, formulamos volo de confisnca, esperando que continuem a tarefs Tnieiada pela gloriosa Associacso Allética’ Anasta SAUDA § TO. ANASTACIO PELA PAS- SAGEM DO SEU 42.° ANIVERSARIO. Zoiesiniaiemaimated MEIGS DE COMUNICACAO Estrada de Ferro Sorocabana je (SfRE primeltos tithos foram colocaéos n0_ ano le 1918, tendo sido, inclusive, fater prependerante na formagao de Santo Anastécio. at Hole, represeata um dos moios mais oficiontes ara 0. transporte e eomunteacgo dot anasiasianca iulurnamente a nossa estagio secebe. dos ais siverses, pontos do Estado, ama média, de 0" trens, ltansportendo” gido, procutos agvicolas © passagel: Trens do mais allo requinte, dio completo con- forto para 0s nossos passageires que enfFentam a5 agruras de tima longa’ viagem Transportes Rodovidrios Com a maioria de suas vias asfaltadas, ‘Santo Anasidcio, propicia grandes faeilidades para o’ trans~ porte rodovidrio Além da infinda quantidade de veiculos parti- culares, possue trés Emprésas de transporles coleti- vos, que ligando esta metropole aos mais imporlan- tes’ centros, prestam inestimavel servigo & nossa po- pulagéo, Falamos das Emprésas de Transportes Andorinha, Sto Gabriel e Marazul, que sfo acolhidas pela Ro™ Jocal, sita na parte central de Santo Anas- ‘A exemplo das grandes cidades, também possui~ ‘mos dois bem montades pontos de téxi para atender is exigéncias € necessidades do anastaciano Departamento de Correios e Telégrafos Realizando trabalho dos mals assertivos 0 COR- REIO local, mesmo estando subordinado 20 Depto. dos Correios “e Telégrafos de Botucatu, vem a cor responder plenamente com os anseios de uma cidade cula. Enireianto, faz se salientar 0 denddo e esfor- 0 da populagao ‘para a construcao de um prédio proprio. BE (© servico de telegrafia que alence eficientemen- te o anastaciano € oferecido pela Estrada 4e Fer ro Sorocabana Emprésa Telefonica Paulista Remonta de algum tempo a instalacdo do tele- fone em nossa urhe ‘Tendo sido inventaéo pelo norte-american: Bell, em 1876, éste melo Ge comunicagio were Sean presente em Santo Anasiéelo'nos_prinsrdos de sa handaeao. Por outro lado 0 telefone eutomético foi insta: lado aqui, no anode 1054, dando. alusimente as Hossa dade’ 9 némero de’ $99 spatelhos autame Transporte Aerovidrio 4H desenvolvido quase que tio sdmente por avides de particulares, sendo esporddicas as vézes que pou- sa no Aeroporio local, um avlao de linha especifica, Sobre o Acroporto necessirio frizar que, mul to embora tenha sido construidg em eomum. acéedo. entre as prefelturas de Anasiacio e Pres. Bernardes e com 2/3 do mesmo, em lerritério anastaciano, 0 Acroporto em Ineréncia pertence oficialmente a Pres, Bernardes, por ter esta cidade efetuada seu registro no. DNNA. Imprensa e Radio © OESTE PAULISTA deve-se a Antonio de que na épaca eva o proprictaria da papelaria cas. fou, éste Jornal, suas ath como norma de conduta ‘"Colaborar na eruzada patriéticn de impulsionar © desenvolvimento de Santo Anasticio, fugindo.@ frama estéril da politica € auxillande, no que The cour esse, @ administracdo do municfolo. Reservourse a liberdade de verberar, com de- sassombro, os abusos ¢ arbitrariedades de que fivesse conhechnento e erigiu suas colvnas em livse tribuna, fpara que 0 povo delas fizesse sentir os seus recla nos 0s continuadores do OESTE PAULISTA, foram os Iemaos Goncalves, que ao influxo das “iéias i ‘eras "progresses, Coneeguitam e endbrecimento fste. jornal Hitje o OESTE PAULISTA Iabuta com @ mesmo propésito, de ontem: “DE BEM SERVIR A COLETI- VIDADE” Desde 1950, os novos proprietérios, Irméos De- pieri, continusm galhardamente a editar © periodico, Gue temanalmente leva as notielas aos nostos lares, ‘Muito embora esteja um tanto quanto esquec! da pelo seu proprietério, eaminha a Radio Brasil de Santo Anastaeio. para. dias melhores : Com bons programas musicals € uma emissbra de facil penetraeso nesta regiao. Opera em 1600 Kliohertz, sob 0 prefixo ZYU-8, com uma poténsia do 250 Wats, pertencendo « Orginizagio Peiroso 1 nor qt idades em 1931. REVISTA DE “SANTO ANASTACIO™ Pag. 39 ote ralesie afitaten preadonis ao ato Rural e baluarle na elaboracao desta revista % finalidace precipua do Sindicato Rural, de acordo com 0 art, 513 do decreto lei 5.452 de Lo de mio de 1943: — “representar perante as autoritlades _admi- nistrativas © judiciarias, os interesses gevais da res- pecliva categoria ou profissio liberal “ou os inter Ses dog. associados individuais relatives A atividade ou profissio exereida” Desde a elcicao do sr. Arary Baltuilhe como presidente, © Sindicals Rural de Sento Anestacio Yom ganhando diulurmamente grande impulso Cumprindo fielmente com aquilo que Ihe é de~ terminado; atendimento imediato As necesidades dos fazondeiros © lavradores da cidade © regiéo. Possu> afualmente © Sindicalo Rural 1700 (mit € setecentos) assoviados que so movimentam ativay mente Oficiaimente foi ¢ primeiro Sindicato a ser ins- falacio em, toda a regiao, de acordo com as determi- nagbes da carla de 21 de junho de 1065. ‘Néo obstante, sdmente em 1967, € aue tal enti- dade passou a ter 0 funcionamento normal © Sindicato Rural, visa. aeima de tudo um per- felto atendimento aos’ agricultores e preniogativas que Ihe so atribuidas. a unio da classe, tvansfor- mando seus Zepreseniados em elementos bem orien- Yados © com os direitos defendidos Para isto, tem o Sindicato, dois departementos cespecificos: © Sr. Arary Raltuitne quando reeebia no. Sindicato Rural a visita de figuras import-ntes da cidade Sindicato Rural Fachada do Sindieato Rural I — Departamento Juridico. II — Departamento de Assisiencia ‘Tecnica. Este ultimo vem realizando diversos esiudos eco- nomics financeiros procuranto o aprimorsmento da producao, Dando tambem condigées aqueles que se preparar melhor, instalow 0 Sink dora e atualizada’ biblioteca ‘Posie 0 Sindicata Rural de Santo Ansstacio, uma_seeretaria. aberia © fumeionando — dinriamente das as 11 horas e das 18 as 17,30 horas, com exces sto felia aos sibados, uma ver que neste dia 0 ex- pediente vai das 8 a8 11 horas somente. ‘Alem disto, tem uma sila de espera, sila para @ diretovia, sala de recepea0, sala para reunides es- Deciais, sala de Assemblela Geral e a biblioteca com sala de estar Indubitavelmeate € 0 nosso Sindieato Rural um modelo entre todos do genero, e isto relleramos gra- cas a eficiente administreego de Arary Baltuilhe, guerem, (eat, uma mo- Secretaria do Sindicato Rural DIRETORIAS. Dia 28 de seiembro ce 1952 — Associagia Ru- ral da Sania. Anastacio. Presidente — Bartolomeu Ortiz do Oliver Viee Presidente — Kiyo:hi Onischi Lo Vieo Presizente — Jodo Baptista Tolose Lo Secretérlo — Antonio Zacarias 2a Seerelitio — Jezo Lutti Netto S.0 Seeretdrio —Arthu: Shibuya Lo Tesoureiro — José de Souza Berbelro 210 Tesoureico — Yoshiaki Mishima Bo Tesoureiro — Rogelio Camacho Comissio Fiscal: — Mario Zappi, Ernizio Pio Daneluzzi (Dr.) ¢ Benedito Franc-‘ino da Silva Membros: — Antonio Fernanées de Amo, T:keo Okubo ¢ Jos Mendes como suplenies: —000— Dia_27 de novembro de 1985 — Associzeio Ru- ral d= Santo Anastaclo Presidente — Manoel Ozores Fernandes Vice Presidente — Kiyoshi Onischi Lo Vice Prosidente — Marlo Zappi 2.0 Vice Presidente — Joao Baptista Tolosa Lo Scereéario — Joao Lutti Netto 2o Secretiitlo — Mauro Pacheco Bio Seeretario — Tovio Arikawa 1.o Tesoureiro — José de Souza Barbeiro 20 Tesoureira — Teo Fernandes Cano 3.0 Tesoureiro — Ernesto Augusto da Silva Consetho Fises! — Membios — Tir da Fonseca Staul, Lulz Vignoli ¢ José Sanches Pastigo Conselho Fiscal Suplentes — José da Fonseca Staul, Pedro Ortiz © Jesus Samorano Conselheira Juridico — Dr. Jouo Sanches Pas- tigo. Conselheira ‘Téenieo — Dr. Jorge Manoel Pires —000— Dia_7 de novernbro de 1956 — Accoclacio Ru- ral de Santo Anastacio. . Presidente — Jodo Luiti Netio Vice Presidente — Lulz Vignoli Lo Vice Presidente — Joao Ravazzi e Presidente — Kiyoshi Oaischi Lo Sceretirio — Cristovem Feznandis Cano 20 Sceretario — Mikon Ferrari Bo Seeretario — Jones Teixeira de Sant’Anna Lo Tesourciro — José Foncece Staut Bo Tesoureiro — Joi Teixeira FUho 3.0 Tasourciro — Pedro Ortiz Coaselho Fiseal — Membros: — Lulz Fonscea Staul, Mandel Ozores Femandes e José de Souza Bar" beiro’ Conselho Fiscal — Suplen’ss: — Ernesto Aususto da Silva, Jof0 Augusta de Almeida © Antonio Mar chi. Cons:tho Juridica — Dr. Joo Sanches Postiga onseineiro Térnieo — br. JorgeManoel Pires —000— 80 de outubro de 1957 ral de Santo Anastacio. Presidente — Pedro Ortiz Vice Presiden’ —" S1yochi, Qnischi Lo Vico Presidente — José Sanches Postixo Vice Presiente — Luiz Vignoli Seoretirio — Maacel Ozores Fernandes — Cristovam Fernandes Cano Secretario — Joao Teixvira Filho ‘Tesoureiro — Emar Depieri 2o Tecourelro — Luiz Fachioli Bio Tesoureiro — Joao Ravazai Ucnuctho #iscal — Luz aa runceca Staut, Joao Baptista To osu e Membro — José de Souza Barheito. Cons:lho Fiscal Suplentes — José da Fonseva Slaut, Jonas ‘Teixeira ce Saat’Anna e Joio Fernan~ des Cano. Assoclacao Ru- Conselho Juridieo — Dr. Joko Sanches Pastizo Gonselho Tecnico — Dr. Jorge Manoel Pises Dia 12 de outubro de 1958 — Associegio Rural de Santo Anastacio Presidvate — Pedro Ortiz Vice Presidente — Kiyoshi Onischi 0 Vico Presidente — José Sanches Postigo 29 Viee Presidente — Lulz Vignoli To Seeretarin — Manoel Ozores Fernandes ‘0 Secteldrio — Cris'ovam Fernandes Cano 3.0 Secreldrio — Joso Telxcira Filho Lo Tesoureiso — Esmar Depieri 29 Tesoureiro — Luiz Fachout 3.0 Tssoureiro — Joao Ravazzi Conselha Fiscal Membros — Luiz da Fonseca Stav', Joao Baptista Tolosa e José de Souza Barbelro Canselho Fiseal Suplentes — José da Fonseca Staut, Jonzs Teixeira de Sant’Anna e Joao Feraan- des Cano Consélho ‘Féenieo — Dr. Jorge Manoel Pires Conselha Jurilico — Ds. Joao Sanches Pastigo —000— Dia § de feverelro de 1981 — Associacdo Rural de Santo Aaastacio, Presidenie — Dr. José Paim de Andrede ‘Vice Presidenta — Ben-dilo Pinheiro Nogueira Lo Viee Presidente — Mario Zappi 20 View Presidente — Kiyoschi Onischi Lo Seeretério — Paulo de Oliveira 219 Seeretiria — Esmar Depieri Bo Secrelario — Cristovam Fernandes Cano Lo Tesoureira — Gilberto Ramos ¢ Silva 210 Tesoureiro — José da Fonseca Staut 3.0 Tesoureiro — Ambrosio Margutti Conselho Fiseal — Jonas Teixeira ce Sant'Anne, Casemiro Viafenha e André Corral ‘Suplentes — Miltoa Staut, Milton Ferrari Pedro Oriz, + —000— Dia 17 de fovereizo de 1962 — Associacdo Rurs! de Santo Anastacio Presidente — Mario Zapi Vice Presidents — José Paim de Andree (DR) Lo Vice Presiden'e — Dr. Mito Shibuya 2.0 View Presidente — Pedro Ortiz Li Sceretério — Joé Staut Filho 2o Seeretario — Esmar Depiori Bio Sceretiirio — Casemiro Goncalves Vilafaaha 19 Tesoureiro — Beredito Pinheiro Nogueita 2o Tesourcira — Ambrosio Margutli Consetho Fise2]_ Membr; lesa, Ernesto Al‘omarl ¢ Di Consclho Fises] Suplent beta Ramos e Silva — Joo Baptists To- no Revazzi Mitton Staut, Gil —000— Dia_8 de fevereiro de 1963 — Associagao Ru- rel de Santo. Anastaclo. Presifenle — Bertdlto Pinheiro Nogueira Vice Presidente — Dr. Eduardo Fernandes Ce- var de Anirade Vice Presidente — Dismo Ravazzi Vico Presidente — José Staut Filho Seeretirio — Casomiro Goagaives Vilafenha Sceretirio — Antonio Ferreira Sccretério — José Guinossi ‘Tesoureixo — Andsé Corral 2a Tesourelro — Ernosto Altomari * Bio Tesoureira — Getulio Negrao Conselho Fiseal Membros — Joao Baptista To- losa, Jodo Ravazzi e Antonio Marchi Coaselho Fiscal Suplentes — Pedro Ortiz, Dr. Mituo Shibuya e Aderico Matiolli. —000— Die 29 de fevereiro de 1964 — Astociagio Rural de Santo Anastacia. Presidente — Dr. José Palm de Andrade Vice Presidente —"Argemiro Lagatta Lo Vice Presidente — Pedro Ortiz 2in Viee Presidente — Casemiro Gonealves Vir ooo tataaha é i 1.0 Tesoursiro — Manoel Ozores Fernandes 20 ‘Tesoureiro — Sumisso Shibuya 3.0 Tesoureiro — André Corral Lo Secretario — Waller Ambrosio Moiano aio Seereldrio — José Ginossi Bo Secretario — Dismo Ravazzi Conselho Fiseal — Benedito Piaheiro Nogueira, Marcos Tunis 2 Joao Antonio Corral Suplentes — Mario Azzoline, Aderico Matiolli e Anonito Crivelli —000— Dia 23 de marco ce 1985 — Associagéo Rural fe Santo Anastacio Presidente — Argemiro Lagatta Vice Presidente — Casemiro Goncalves Vile- nha 20 Vice Presidente — José Paim de Andrade (oR) Slo Vice Presidente — Pedro Oritz Lo Tesoureiro — Sumisso Shibuya 20 Tesoureiro — Onilo Ravazzi 1.o Secretirio — Carlos Bonini 20 Secretario — Benedito Pinheito Nogueira 8.0 Secrotario — Joao Antonio Corral Conselho Fiscal — Luiz Felice, Ambrosio Mar- gutti_¢ Getilio Alves Negréo Suplontes — Mareos Tunis Lopes Sanches ¢ Marcelino Goncalves Availa Guirado, Amador —000— Dia 9 de abril de 1957 — Sindicato Rural de Santo, Anastacio Prosidonte — Arary Baltuilhe Vice Presidente — José Maria Ramos Amorim 2.0 Vice Presidente — Casemiro Goncalves Vi- lafanha 1o Secretério — Hermeysl Boailha Senches 20 Secretarlo — Horcidio De Pieri 1.0 Tesourelro — Paschoal Augusta Corsaetti 2.0 Tesoureiro — Raul Octavio Belotto Consctho Fiscal — Osvaldo Taoue, Fernando Fer- nandes © Acylino JTasé de Sant’Anna Suplentes — Marcelino Gonzalles Ayalla, Ar- manza Paconheli > Maneel Cabriott Delezado do Conse!ho de. Representantes: — Avary Balinilhe José Maria Ramos. Suplentes — Hermeval Ronilha Sanches, Herci- io Amorim De Piere e Paschoal A, Corsaletti Chacara Nossa Sra. de Lourdes e Fazenda Santa Laura Propriadade de Arary Baltufthe Locelizagio — Rodovia de Raposo Tavares — km, 602, Aqui ¢ feita 2 exploracio do gado de corte, sui- nocultura e egrieuitire (milho, amendoim e algo’ ao) Com a finalidade de aleancar melhor producto o,st. Arary Baltuilhe vem trabalhanda com a assis. tencia técnica ¥- ‘A cag Gesenvolver atividades slo Estado de Mato Grosso, no > Municipio de Rio Brilhante onde possue @ Fazenda Vargem. ala Nos dias hodiemos em virtude de sentir o peso dos anos sGbre sf 9 St, Orlando Staut deixou a admi- nistragio de suas propriededes a0 critério de seus filhos Armando e Milton Staut, © Sr Orlando Staut em pise especial Os srs. Orlanéo e Milton Slaut Pag. 52 REVISTA DE “SANTO ANASTACIO” Um des animais da famosa tropa do Sur. Demonstraeéo durante 0 desfile de um dos animal? Orlando Staut da tropa do st. Orlando Staut RELIGIAO. © Brasil & 0 pals mais heterogeneo do mundo 4 to que atine a religiio. AS mais diversas scilas =i iqui, livremente praifeadas, desde 0 catoli terteitos de_umbanda. 5 um assunto palpitante, mas que dé margens muitas eontraversias no chegando até hoje, a um denomminador comum. ‘Para evitar 0 diz-que-diz. corriqueiro, limitam« nos a fazer umm trabatho de pesauiza em Santo Ana: facio. Destes dados voce podera tirar sua conclusio sobre 0 setor religioso. Agradecendo a preferéneia de todos durante 1967, a ORGANIZACAO ZACHA- RIAS regovija-se com a populacéo anasta~ * ciana, durante as festividades alusivas ao 42.0 aniversdrio de nossa querida cidade, { almejando progresso ¢ felicidades nara o Relisiio Sedes it, Caiclica Apost, Romana 1 paneauia 7 eapelas Batista 1 sede Messianiea Mundial .. 1 sede Congrogagio Cristi do Brasit ... 1 sede 2 templos Giouia 1 sele FARMACIA CENTRAL Presbiteriana 1 sede Assembléia de Deus 1 sede « AsDroparimida’ Cidade Avivamento.Bibtico 1 sede i ee aaa Cumprimenta entusiisticamente o La- | Bepirita de Kardec 1 sodet. Et sans poo bac ae Congregagio Testemunho de Jeové 1 mais um ano de progresco ¢ alegria, MOLA PROPULSORA DA AGRICULTURA DE STO. ANASTACIO E MUNICEPIOS VISINHOS 0 POSTO DE SEMENTES DE STO. ANASTACIO Posto de Expurgo Posto de Sementes de Santo Anastécio, _cons- truido na administragio do Govérno Carvalho Pinto, sendo prefeito Municipal de Sanlo Anastacio 9 Si Bhor Atgemfro Lagatia, foi inaugurado no dia 19 de novembro de 1964, ja estando naquela oportunidade em infeio de funcionamento. Recebeu a incumbéncia de pi-lo em funciona: mento ¢ orgenizé-lo 0 Eagenhielro-Agronomo Dr Femendo Andrade Sampaio, tendo sido designaco Para as fungdes de Chefe de Posto de Sementes em julho de 1064, Os funciondrios do Pésto de Sementes, so, En- genbeiro-Agronomo Fernando Andrade’ Sampaio, Cheie; 0 substituto © asistente Engentieido-Agrono ™mp Daniel Carlos Sodero Oliveira, que adui chegou fem janciro de 1965, cuja atribuigse principal alem a fumeao de substifuto, tem a seu eargo a impor: tante tarefa de instolar, fisealizar e dar assisténcia Maquinério moderno do Posto de Sementes léenica aos Campos ce Cooperagio, fontes de produ- gio de sementes das diversas especies produzidas, por . éste Estabelocimento, Além do Corpo Técnico, conia o Posta.de Se- monies de trés Setores principals de atividades quo séo: Setor de Expediente, Setor de Laboratorio © Se. or de Armazém. © Posto de Sementes conta com dois funcioné- rigs de nivel superior, — Engenheiros-Agroomoe, 5 eseriturdrios para o servico de expediente e almoxa- tifado, 1 téenieo de laboratério com duas analistas, 1 armazenista, 1 mequinista, 1 autoclavista e uma turma de pessoal para obras ‘constituida por 90 ‘ele. mentos de permanéncia transiiéria, que desempe- nbam 03 trabalhos relatives ao arzenamento dese mentes, expurgo e deslintamento de sementes de al- godio, carga e descarga de caminhoes © vagoes, alérm de outros servicos correlatos, tendo ainda um moto. sista e um mectinica, © Posto de Sementes de Santo Anasticio, tem jucisdieio © atende os seguintes municipios: Santo Anasiaeio, sede da Repartieao, Presidente Bernar- des, Piquerobi, Presidente Venceslau, Caiué, Presi dente Epitécio, Maraba Paulista, Theodora Sampaio, © Mirante da 'Paranapanema, sendo déste modo" um dos Postos de Sementes que atende maior area do Estado de S40 Paulo, ‘Aa atribuicdes do Pésto de Sementes de Santo Anasticio, consistem em produgio de sementess de algodio, amendoim, milho, mamona, girassol, dolicos, lab-lab, mucuna, soja perene, erotaléria; prevaro Ga semente recebida dos Campos de Cooperaczo, consis findo ésso preparo no deslintamento, expurgo, ensa- camento © anglise. Insialacio de Postos de Vendas de Sementes em foGos 08 Municipios de sua jurisilicdo, © abustecimen- to désses Postos de Vendas com sementes © mudas se ‘das as espécies © variedaces nas quantidades préviamente previslas pelos Engenhelros-Agronomos Regionals. ‘Além da semente produzida, pelo Pésto de Se- tes de Santo Anastdcio, ¢ segundo a provisao de ne- cessidade de venda de sementes dos Engenheiros Agrénomos Regionals, 9 Pésto de Sementes pro dencia a vinda das espécles que agui nao sao produ- zldas, para um mais perfeito atendimento ap agrleul_ tor. O mesmo se verifleando com referencia 2 Mu- Gas frutiferas que em duas épocas distintas do ano 880 Tecebides pelo Posto de Sementes de Santo Anastécio que distribui_para as Casas da Lavoura dos Muniefpios j& menelonados, Pasto de Expurgo, operirios trabalhando Dispde também 0 Pésto de Sementes de Santo Anasticio de um laboratério de sementes para aten- der no simente aos servicos da Reparticao, como também a andlise das sementes encaminhadas pelos Javiadares ¢ entidates desta Resizo. Estas andlises constam de: determinago de uumidade, pureza varietal e determinagao de percen= tagem de germinacao. Desde a sus Inauguraefo em novembro de 1964, vem o Posio de Sementes de Santo Anastécio aten’ dendo de maneira satisfatéria a agricultura desta rae 5t ~ Sn iE>E>E™ Regio, procurando tar a sua melhor colaboragio no sentido de fomentar a producdo agricola, através de uma distribule#o de sementes selecionadas © de alto padrao cultural, assim como, distribuindo mudas ‘ao eftricas das mals variadas espécies. Neste ano agricola ‘de 1966/1967, e inicio de 1967/1960, foram distribuidos pelo Pésty de Semen— tes de Santo Anastacio, 70,000 mudas de abaca sem espinho, 800 muds de mangueira, 500 mudas de abacateiro ¢ mais jaboticabeiras, figueiras, mas cleiras, pereiras, videlras, nespereltas, ameixtelras, eaqulzeitos, pessegueiros e outras. No que se refere a semenies, reassumiu Santo Anasticio a sua hegemonia algadoeira no stado de Sio Paulo, tendo sido o Posto de Sementes local © gue mais distribuiu sementes de algodao para a fra que se inicia, atingindo essas vendas um total a 75.000 sacos além de 8,000 sacos destinados ao Ex tado de Msto Grosso: com esses mimeros sagrou-se © Pbsto de Sementes de Santo Anastacio, o campeso em todo o Estado de Séo Paulo de venda de semen- tes de elgodéo. Além de algodao, distribuiu 3.000 caixas de se- ‘menies de amendoim sclecionada e tratada com fun- gicida, 1.050 sacas de arroz, 350 sates de mamona, 3.200 sacos de milho, constituinds éste nimero um: Tecorde da Divisio de Sementes e Mudas nesta Re- glo, 100 sacos de givassol, além de multas outdas es pécies distribuidas em menores quaatidades, tals como: feljéo de mesa, soja comum, soja perene, ca- 46 mundo névo, milho pipoea, mucuna preta, sorgo para produgio de grao, sorgo vassoura, trig, ‘absbo- a, alfece, ccbola, melaneis, qulabo, e cuiras espécies hortfewlas. elo quadro acima chegamos @ eonclusio de ue 0 Posto de Somentes local est propiciando aira- vés do fornecimento de semenies e mudas de tantas variedades © espéeies uma diversifieagdo da agricul tura regional, fato altamente promissor para o deset volvimento © progrosso sécio-ccondmico desta Ri igo, tem como centro o Municipio de Santo Anas tacio. ‘Também programou 9 Cbxpo Técnica, do Posto de Sementes de Santo Anasticio uma produeao de Sementes de algodao para o ano agricola 67/68 de 150,000 sacos, integralmente da variedate ...... TAC-RMP3, resistenta a murcha, visando dar des form um atendimento total e completo para a futu- ra demanda da cotonjcultura em fase de plena expan= durante 0 proximo ano agricola 68/60. ‘Também foram programados e instalados cam- os de cooperacao para a producéo de 3.000 sacoa de sementes de amendim, além de mamona, milho maya, girassol, mucuna preta, dolieos lab-leb, crota- Jarla junces. e soja perene, Santo Anastécio, 5 de dezembro de 1967 INTERACT CLUB DE SANTO ANASTACIO Iniciou suas atividades em 9 de junho de 1966, data de sua fundagio, em reunigo na sede do Ro- tary, Club local. estando presentes estudantes. auto- Fidades rotarias, inclusive o presidente patrocinador, José Felix Haidamus ¢ 0 Diretor do Colégio © Esco" la Normal Estaduel de Santo Anastacio, sr. Paulo de Oliveir E assim foi eleito 0 seu primeiro Conselho que obedeceu esta distribuicdo: Presidente — Rubens de Mello Vice Presidente — Reinaldo Regina Secretario — Nassif Maluly Junior Tesoureiro — Ismael Tunes Fernandes Diretores som pasta: Carlos Roberto Crepaldi José Deoclecio Stranien, Francisco José Staut Pires Composto © seu primeire Consclho Dicetor, res tava io semenfe receber do Rotary Internacional, a Carta Constitutiva, documento oficial da organizacao @ qual foi eatrogue no dia 2 de julho do eno tran- sata. Metas foram tracadas, realizaedes foram empre endidas, merecendo destague especial, 0 “Auxilio prs construgio do Laboratério de Fisica ¢ Quimica, cam- panha esta que obteve sucesso abscluto, DIRETORIAS Com a gestéo do 1.0 Conselho Diretor termina- a, foi eleito o atual Conselho, assim composto: Presidente — Nassif Maluly Vice Presidente — Julio Matheus de Morais Secretirio — Emesto Joeé Garcia Rocha io Secreldrio — Nelson Ceraultant ‘Tesoureiro — Roberto Endo Noeashima Lo Tesoureiro — Paulo José Herling de Oliveira Diretor de Protocolo — Ive Machado da Costa Diretores sem pasta: ‘Manoel Mesias de Oliveira Vladimir Rapchan Octacilio Nogueira Netto A cstruturacao atual 6 2 de congregar iniere tionos, numa atitude em que se revelem a capa dade dos jovens em servicos comunitérios, Desenvolvendo assim 0 espirito comum em prol de_umi mundo melhor, através da Juventude, des- pertando desta forma, a visdo da juventude para a familia, escola e a cidade. FUNCIONAMENTO © Interact Club 6 uma organizagao intemacio- nal, com clubes em toda? as partes do mundo Sto dividides em distritos rotarios que abrange Geterminada reglao. Cada disteito € dixitido por um Governador, ¢ cada club por um Presidente. E man- tido um intereambio intento entre a Governadorla, Clubs do Brasil © t6das as regides SEDE F DIVISORS © INTERACT CLUB DE SANTO ANASTACIO fem como sede, 0 Rotary local, por estar de uma maneira especial, ligado a cle ‘As reunides’ si0 felias regularmente aos 2.03 € 4.05 sabados do més, As 1d horas, Afora o Conseiho. Diretor, temos as Comiss6es que concretizam a or Eanizagao, cujos membros so os proprios Socios. Comissao de Servigo — Inter Clubs Financiamento — Compreenséo Internacional ¢ Esportes., Cas2 ALBERTO - Magazine ROSE LUIZ VENTURA Congratula-se efusivamente com o laboriaso e pujante povo Anastaciano, nos Festejos comemorativos 20 42.0 Anivresdrio, concla- mando-o, a se unir com 0 objetivo de elevar cada vec mais 0 nome de SANTO ANAS- TACIO, © BRADESCO BANCO BRASILEIRO DE DESCONTOS S/A José Ravazzi gerente do Banco Brasileiro BreMesco sempre repleto de clientes Sente-se orgulhosamente satisfeito em poder abracar carinhosamente 0 laborioso povo a- nastaciano, durante as comemoracgdes do 42.” aniversdrio da cidade, almejando um conti- nuo € crescente progresso. REVISTA DE “SANTO ANASTACIO” ANDERSON CLAYTON & CO, S/A INDUSTRIA E COMERCTO (ACCO) Vista parcial da Anderson Clayton O sr. Céis9 quando falava a reportagem s6bre a historia da cidade Com a finalidade precipua de dar um maior desenvolvimento ao setor industrial e comercial : . da cidade, foi instalada a 13 de outubro de 1941 em Santo Anastacio a usina da ANDERSON CLAYTON & CO. S/A. INDUSTRIA E COMER- CIO (ACCO) Esta coneeituada firma iniciou suas ativi- dades comprando téo sémente algodio em ca- roo, para_posteriormente expandir-se no cam: po de outros produtos agricolas, tais como: — amendoim, mamona, me a eriagao, # mais que uma prags, & um castigo, 6 um flagelo, € uma verdadeira calemidad= publica. A Secretaria da Agricultura, camo um idole de barro, de bracos cruzados, mantem’se muda e quiets Seu drgao oficial de_experimentacao ¢ stud 6 0 Institute Biolégico. No Insiitulo, s6 tem um. véenleo que se dediea ao estudo da sauva, ¢ como diz 0 re- trio (uma andorinha $6 nfo faz verso), Ele € obtigas do a se destrobar uma vex por més 4600 kilometios de disteneia para o interior do Estado e estudar in= =oco a Gevastagso da formiga. Se tem condueao nes cossaria pata essa Viagem, ceve fazer acrobacias py ra conseguir a gasolina sccesséria. A vera vedvaa =o govérno e Ja orgada para concluséo «esses esti dos da sauva “Atta Capiguara” que € de 104 millibes de cruzeiros velhos até este momento, ainda’ chegou sa Instituto. Nos Estados Unidos, no Texas, onde existe a for- miga, 0 Governo Americano esparge a formicida ‘Mirex” exiensamente sdbre 0 solo, Aqui, @ fazendeiro cdquite a dormicida no co méreio por um: preco alto, que vai de 1.000 a 4.000 eruzeiros vellios o kilo. “Para enfreniar essa cam: Pasha de combate & sauva, ¢ fazendelro tera que ad Guirir toneladas Ge inscticida. Pecuaristas hé que Ja dispenderam mals de 50 milhoes de eruzeiros velhos, sem contudo dominar dofinjtivamente essa praga tre” mondamente avassaladora Pelo ca'eulo de formiguelros, disseminados por hectare, chege-se 4 conelusto que @ custo dos inse- tcidas, a se empregar, @ suporior 20 valor das terias. © laxelo da infestacso da sauva no interior dos Estados, € uma calamidade publica. Esta perieliians do 0 nesso rebenlio boving € com éle, a producae de carne e de leite. Bsi lancado © nosso grito de alarme. Urge aue as foreas Vivas da aacao <= congreguem para entren- ‘ar corsiosamente este Hage'o que agora ¢i'ro, mos. Uma vez que os canais competentes do setor agricola, Secretaria e Ministério se mostram’ impo. ‘entes para agir em Socorro da Lavoura de Pecudria, apelemos enléo para o Exmo, Sr. Presidente Ga Re publica, No govérno do Snr. Jsalo Quadros, quando pe- da erradivagao do Canero Citries ‘na Alla Sorocabana, foi realizada uma admiravel extin= ‘eGo completa e definitiva de totlos os pomares da tegigo. Ate hoje nao se tem a permissae de plantar vm s6 pé de laranja ou limo. Admirével eampanha essa © porque ndo fazer o mesmo agore, 0 Governo, fem relaedo 2 orradieseao da formiga, siuva, “Atta Capiguara?” A campanha da exradicagzo da sauva 6 ardua dificil © prolongada © professor Maricondi, eatedrético de Entomolo- gia na Escola Agricola Luiz de Queiroz de Piraci- aba, consagrado cientista, vem estudando ha 10 anos a Biologia da sauva e os meios de combate. Tem empregedo todos os inselicidas mais atuantes que existem no coméreio © ainda hoje encontra-se pra- Ucamente na estaca zero. A sauva com seus iremen dos efeitos destruidores a lavoura, sempre existiu no Brasil e agora tentio com. mals ‘execerbacao, ines tando extensas reuldes. Os inselicidas em contacto com as formigss nos formigueires tem uma aca moriifera relativa, io as extermina completameate. A formiga se aliminia do fungo que ela mesmo pre- para dentro de inumeras panelas as em localizages ferentemente situadas, aleancanda até 5 & 10 metros de profundidade, interligadas por canaes de diame- fro diminuto, Desluz-se do aelma exposta que 0 pro- lema Sremendo pela sua magnitude nfo conaiste simplermente cm procurar matar e. formige e-sim estruir 0 seu alimento bisico que é 0 fungo, Tor fa-se imperioso portanto que os técaicos em pesqui- a5 de Laboratorio descubram melos e modos de con- seguir cavenenar o fungo destruindo aesim defini Yamente 0 sauvelro, So entio. spageremos de. nossa Jembranea aquclas palavras candenter que nos acom= Danham desde criangas: “ou o Brasil acaba. com a formiga Ou a formigs cain com 0 Brasil” A classe dos levrsdores © dos pecuaristas sta sentindo ©. problema e softendo ma propria carne Ela sente ¢ sabe que essa parada nao pode ven cer ¢ apela para 0 Govérno Pede a0 Governo que, em 1.0 lugar, convoque uma equipe de técnleos competentes e dedicades a0 stodo da Entomologia. A solugio do problema, co- mo expusemos acima, “depende principalmente de esquisas de Laboratério. 20) Imporiacio macissa as" produtos quimicos ‘le inseticida por a dispos ho, dos lavradores nas Casar do Lavoura, 8 peso de custo, 3.0). Subsidiar a campanha'da erradivaglo. da formiga sauva “Ata Capiguara” de Lozano & Cia Cumprimenta Sante Anastdcio nos seus 42 anos de progresso e glorias REVISTA DE SANTO ANASTACIO BANCO DO BRASIL Milton Pelon, um dos altos Tncionarios do Baneo do ‘Brasil < Vista interna do Banco do Brasit AO ENSEJO DO 42.9 ANIVERSARIO DA EMAN- CIPAGAO POLITICA DE SANTO ANASTA- C10, UNE-SE 4 POPULACAO NAS FESTIVIDA- DES, MANIFESTANDO VOTOS DE UM CRES- CENTE E ININTERRUPTO PROGRESSO. REVISTA DE “SANTO ANASTACIO” Pag. 61 CHACARA SANTA HERMINIA Propriedade de LUIZ FONSECA STAUT A magnifiea sede da Chacara Sta. Herminia © incgivelmente uma das chécaras-orgulho de Santo Anasticio. Sua formagdo dewse quace como outras tantes quo eintilam em derredor da cidade, Para _sabermos sua historia © principalmente do seu proprictério e fundador, houvemos por bem eh- trovisiar 0 proprio LUIZ 'DA FONSECA STAUT, que narrou os seguintes fatos: ‘© mou haseimento douse no dia 10 de setembro de 1902, na cidade de Andradas, Estado de Minas Ge- rals. 1 Em 10916, iniciei 2 minha érdua jornada Indo para Pindorama, aqui no Estado de Sao Paulo Passados quatro anos, enectei minha vinda pa- 1a Presidente Prudente, onde adquiri de Joo Martins 220 alqueires de terra’ no Corrego Lageadinho, hoje muniefpio de Presidente Bernardes. © Sr. Lulz Staut juritemente com seus queries netos A, penetraedo minha, nestas _terras, aconteceu polo Picadao Goulart, depois Boiadeira, onde fiqusi até 1922 cultivando toga e estimulanda a plantagao ae capim. Enmy 1923, 0 sr. Benedito Soares Marcondes eri gia a usina elétrica da cidade, onde exerci a funcio de gerente Belos exemplares do plantel de gado Gir do Sr. Taiz Staut Em. 1924, comecei 0 trabalho de colonizacio de terres por {Oda a regiéio. Transladei-me para Alvares Machado juntamente com Sampaio Marcondes, onde 28 mil alaueires da Gleba Lins de Vasconcelos Fa zenda de Monte Alvéo, foram derrubados. Posterior mente nossas visias se yoltaram para outras glebas da Fazenda de Pirap ¢ Santo Anestacio. Um dos vali sos exemplares do plantel a Chdeara Sta, Herminia Neste mesmo ano, ainda como gerente de Sam- palo Marcondes, dirigi-me 3 Santo Anastacio no intui= t de colonizar a gleba Ribeirao Claro com 13 mil alquelres de propriedade dos Drs, Luiz e Arthur Ra- mos e Silva, Qs anos foram, pasando € os fatos aconteceado. Em fins de 1928 passe! a trabalhar com os drs. Luiz e Arthur Ramos e Silva, continuando a eludida colonizagao. Em_ 1930, tornei-me gerente da colonizagio ¢ fa- zendas de café. ‘Trés anos apés, ou seja em 1993, fixel residén- cia na Fazenda Gusrucoia, gerenciando todos os ne- gécios daquéles senhores, Iniciando a Javoura alyodocira, plantio de in- vernadas e arrendamentos de terra, em 1996, retor- nel a Santo Anastdcio, sob a mesma égide e mesmas fungies. Em 1997, comprei a Fazenda Sio Carlos, gleba Santo Anténio, no municipio de Santo Anasticio © iniefei pequena derrubada, abertura de cstradas, ete. Jano ano de 1942, deixei de trabalhar para os drs. Lulze Arthur Ramos e Silva, dedicando-me linica e exclusivamente & minha propriedade, fazen- do a cultura de cereals em geral, elgodao, "menta, invernada, etc... Parece incrivel dizer, porém, na pecufria des~ preendi maior dedicacéo temento’ em 1933, quando fom apenas irés novilhas e um peaueno touro, inte~ resseisme pela proeriagdo dos bovinos aos pastos de minha Fazenda, ‘Com 0 passar do lempo, 0 niimero das novilhas fe de touros foi aumentanco’ gradativamente, trans= formando-se, atualmente, também) com aguisicdes se- Jeclonadas, neste meu rebanho compensador. ‘Dado 'o sucesso que alcancara, em 1957 dei va- zo @ atividades agricolas ¢ pecuarias na localidade de Rio Brilhants, Mato Grosso, expandindo-a, ‘em 1959, nas proximidades de Dourados. Com um sorriso de satisfacio pelo que realizou © de agradecimento pelo que posul o sr. LUIZ DA FONSECA STAUT, ferminou @ sua narretiva & nossa reportagem. OUTROS DESTAQUES Em Santo Anasticlo, exereen cargos piblicos por awmeacio, de 1.0 suplente de Delegado de Policia em exereicio por varias vezes, Pela vontade do povo foi: Juiz de Paz, Vereador por 3 legislaturas, Presi- dente da Camara e Prefelio Muaicipal. ESTANCIA SANTA CLAUDIA de HERMEVAL BONILHA Caixa Postal, 272 ADEMA‘S LADY ADEMA — ¥LP.B. — P/O Reg. © 50.889, com 28 meses de dade, seguro por seu proprletario, tithe c= Holambra Gocde’s Adema XV ede Adema’s Lady 3, neto do afamado Adema 21 V. D. Woudhoeve. CONIUNTO forniado por: Clara — Besca — Ame- ‘tists — Mazurca — Mirka ¢ Carla, todas registradas. Aqui vent um trio amamentané> seus filhotes p-63 AGRICULTURA E PECUARIA Alguns aspectos da agro-pecuaria em Santo Anastdcio ‘Um trabalho de IVANDRO MACIEL SANCHES A regifio Sorocsbana compreende irés_subdivi= ses. sendo a nossa, chamada Alla. delimilada pelos ios Paranapanema. Parana, Peixe e cidade de As Situada a ceste Co estado apreseata supatficies ondulades, com desfloresiamento em ovdem inversa 80 aumento da distancia da capital, © solo. formato pelos arenitos de Bauru e Botuestu, com pequena meidencia de terra roxa. Resulta dail a sujeigao’ Ges te ultimo a erosdo, © consequente rapio eszotame fo, queda da fertilidade original, eondicionando-o 3 sucessivos ciclos epricolas. A meior per'e da vegetacéo pertepce a floresta pluviai do rio’ Pa ana. com areas esparsas de. €et flag; o clita de tsansiefo entre tropical 20. notte © Sb fropiect. qo sul. softe jafluencia és a' we me dis. de 400m. verifieendorse indice pluveméiricg de 1100. mm. Santo Anastacio dentro desie contexto ecologic fem © seu desenvolvimento ligado a progtesso "da agfieultura ‘com 0 ereseimento da populagto. aevito & imigracdo estrangeira e nacional, 0 povosmento de foda a ‘regiso parslelamen‘e a evolucao econo. lea segue um cielo caracteristico cem a. passavern da agricultura para e pecustia (exodo yurtl), dex o a fatores dovorscm geval comp 9 eigolamenso de fesra, 0 dsestimulo governmental. ede ordem ef. pecitica como a de preyosminimos combentadorce, Balxos tadices feenicos, ala de uilldaden, oasis @esproporcional a dos produjos agricola ele. Oot elo da Tavoura que é inieiado pelo. cate, proseatn com horlels, balaia, algedao © deriva com mnaioe ahertura ée. terras ‘e adopincto tas antigus pare s Iavaura do smendoim spars. pecuala ovina ae corte (eriacao e engorda que hoje predomiag sore a5 fomais atividadess "MOH P = Santo Anastacio acompanha a evolueio goral da regifio; sua agrieultura tem hoje como base 2 produs tos: algodao © smendoim, senda a area restante vol tada para a subsisiencia’ (mitho, mandioea, » arrez, feijao etc.). Seu quadro agricola essim se detineia: Algodio: ao lado de boas condigdes de clima e solo, verificam-se deticiencias tecnicas que cond: eionam a balxa produ‘ividade por area plantads. Aquele ciclo jé cilalo, decorrente da queda de fertilidade, continua alé nostos dias; 2 ausencia de praticas de conservacdo ¢ adubagéo, 0 esgotamento natural da cultura, sdo algumas de suas prineipais razbes A expresso tf comum em notos meio: “o algo- io nao dé em terra cansada” retrata nossas difi- euldades, levanéo os Iavrado-es para regibes — de abettura recente como o sul de Mato Grosso. Isto eflele o aspecto mais triste de nossa lavoura que € 0 de devoradoura de humus ou solos noves 0 des preparo cultural @ economico do aprietltor © 0 sis~ tema vigente de parceria sintetlzam as causas desta situacéo. Esperamos para éste ano, uma producio ra zoavel, com base num! aumento de area piantade — (depols de anos de reduego gradativa) de 00% © qu situara nosso municipio novameaie entre os gran des produtores do estado; mas eabe a todos enearar com seriedade 9 problema de uma revolugdo em ter mos de conceitos agronomicos para que fecamos do algoao um produto estavel endo uma tigueza de passegem por nosse regio. ‘Amendoitn: menores exigenclas tecaicas © custo mais baixo levaram esta cultura nos ultimos anos, a um certo desenvolvimento, colocando-se como substituto do slgodao nas tertas “cansades”. Chuvas inregulares ¢ instabilidade de pregos tem sido no en= SS SN Ivinézo Postigo, © o sr. Arary Baltullhe ¢ a repor- tagem apreciando bonita plantacio. de amendoim tanto fatores de desestimulo para esta cultura, xe- duzingo a area planiada neste ano agricola de 30% em relaedo a 66)67. As dificuldades ja comeatadas, provocem a gra- @ativa. substituiego da lavoura pela bovinocultura A posicao geografica equidistante entre a zona cria: torla de Mato Grosso € a consumidora de Sao Paulo a viabilicade de transporte, a fecilidade de desonvol- Vimento do pastagem, a Tucratividade satisfatorla, le varam ao esizbelecimento da engorda como pint pel atividade pecuarista. Outros fatores como a menor necessidade de 0 de obra, major esiabilidade, a facilitade, de ‘inistragas_flineinnam tambem como. atratives Data crescentes snvestmentes” Neste cempo. yeritic Eamese tambem deficiencias teenieas ate Impedera.o for desfrate. do capital e a maior valorzscao dn Aivilfade. Ja so resseatem os peeuaristes. de prable- inas tals como: queda de [rodutvidale cas Das agens alia do bo magro, inekiencia Je pragas (ex torn ‘tia eapiguara) politica de contencao de precos de carne, dala necesidede de eerta reformulecio™ de Enneipies que possiblitcis meiar realabilidade do ca- pital empresa Sao duas a nosso ver 2s questdes basicas: 1) — O dosenvolvimento de ativicade criatoria que climine a dependencia de Mato Giosso na ofer ta de boi magro; esta regiao com erescente forma~ Gho de pssiagens artifieiais, ¢ instalagdo de meios ce ansporte tende inclusive evoluir para a atividade de engorda, vindo @ funcionar como centro concor- rente nossa area. A eriaedo de novilhos em bases racionais, possibilitands a aatecipacso do abate pa- ra cetea de 2 anos © meio, com eliminacdo dos pe- riodos de fome na epoca seca que paralisam 0 eres- cimento, 6 pois uma necessiclade 2) — Medidas acessiveis para melhoria do ni- vel zoolecnico geral: rodizio ou pasterein, rotaciona— do, para melhor aproveitamento de pastageas. vaci- nacao sistematica contra as zoonozes mals comuns Gfiosa, brucelose etc.) tratamento de vermes, su- plementagao alimeniar no perlodo de estiagem, mi- neralizaca0 contioua do rebanho, — possibilitariam, maior indice de desfrute e consequente maior rendi= mento economico da atividade. Mencionamos ainda a possibilidade de rotaggo com a lavoura para re~ formas periodicas de pastazens ‘Desta_mancira sereditamos que Isvoura e p2- cuéria reformuladas em bases mais teenieas © dina- micas podem resfirmar nose regigo cefinitivamente Como grande centre produtor 204