Você está na página 1de 1

Era uma vez a velha monarquia

A anarquia militar, a abolio radical e o centralismo derrubam o


Imprio de supeto
O Brasil acordou monarquista na sexta-feira passada e foi dormir republicano. Jamais
houve na Histria do pas uma ruptura poltica to inesperada. Na vspera, ningum
poderia prever que o reinado viria abaixo.
Ao cair da tarde de quinta-feira, D. Pedro II, 63 anos, fugindo do calor carioca,
estava posto em sossego no palcio de Petrpolis, onde escreveu seu habitual
soneto dirio. No mesmo momento, o marechal Manoel Deodoro da Fonseca, 62
anos, encontrava-se em Andara, na casa de seu irmo, o oficial-mdico Joo
Severiano, tentando recuperar-se de um de seus habituais ataques de falta de ar.
Menos de 48 horas depois, os detalhes eram semelhantes, mas as instituies
estavam de pernas para o ar.
D. Pedro II, detido no palcio imperial do Rio de Janeiro, escrevia no um poema,
mas, com a ajuda do baro de Loreto, a carta em que acatava a ordem de exilar-se:
"Cedendo ao imprio das circunstncias, resolvo partir com toda a minha famlia para
a Europa amanh".
Na mesma hora, Deodoro ia para a cama, to fortes eram os seus achaques. Mas
com falta de ar e de cama era o chefe do governo provisrio, o homem mais
poderoso do pas.
[...]

Fonte
VEJA na Histria. 20 nov. 1889. Disponvel em: <http://veja.abril.com.br/historia/republica/quedaimperio-velha-monarquia.shtml>. Acesso em: 4 fev. 2014.