Seven Steps to Planting a Church

Livro de Planejamento para Igrejas Plantando Novas Igrejas

Sete Passos para
Plantar Igrejas
Atos 16:9-15

Livro de Planejamento para Igrejas Plantando Novas Igrejas
Sete Passos para Plantar Igrejas
Atos 16:9-15

Índice

O Propósito dos Sete Passos
Glossário de Termos Usados
Por que Plantar Igrejas
Os Sete Passos
Passo 1: Receba a Visão de Deus
Passo 2: Recrute uma Equipe
Passo 3: Da Visão para o Local
Passo 4: Encontre Pessoas Receptivas
Passo 5: Evangelize os Não-Crentes
Passo 6: Discipule as Pessoas Criando Um Grupo de Base
Passo 7: A Inauguração da Nova Igreja
Calendário de Planejamento
Apêndice A – A Razão para Plantar Igrejas
Apêndice B – Acordo de Compromisso de Parceria
Apêndice C – Seis Abordagens de Plantação de Igrejas
Apêndice D – Formulário de Planejamento Orçamentário
Notas

Propósito:
Esta obra tem o intuito de auxiliar o diretor de missões da associação e os missionários de
plantação de igrejas no treinamento da associação e da igreja para as habilidades de
plantação de igrejas.
Descrição:
Este manual foi escrito e produzido pelo Grupo de Plantação de Igrejas da Junta de
Missões da América do Norte. Este manual reflete um modelo com base no
entendimento bíblico dos pasos que o apóstolo Paulo utilizou para iniciar a igreja em
Filipos. Os sete passos apresentados neste manual têm como base Atos 16:9-15.
Vários obreiros de convenções estaduais fizeram uma leitura crítica deste livreto e
ofereceram sugestões. O livreto de exercícios que acompanha o manual tem a finalidade
de tornar os materiais fáceis de serem utilizados e sem a necessidade de certificação para
o ensino. Os membros do Grupo de Plantação de Igrejas da Junta de Missões da América
do Norte (NAMB) se unirão para apresentar os sete passos para os diversos grupos de
diretores associacionais e missionários de plantação de igrejas.
Como Utilizar o Manual dos Sete Passos:
1. O Grupo de Plantação de Igrejas e os líderes das convenções estaduais treinarão o
diretor de missões da associação e os missionários de plantação de igrejas no uso deste
manual.
2. O diretor de missões da associação treinará (ou designará alguém para treinar) a equipe
de missões da associação para o uso deste manual. Isso ajudará a criar o ambiente
propício para a plantação de igrejas na associação.
3. O missionário de plantação ou o diretor de missões da associação treinará a equipe de
missões da igreja no processo dos sete passos para a plantação de igrejas.
Contato:
Para obter cópias de Sete Passos Para Plantar Igrejas, entre em contato com o grupo de
plantação de igrejas da sua convenção estadual.
Índice de Símbolos:
@
O Web Site de Plantação de Igrejas
#
O Sistema de Gerenciamento do Plantador de Igrejas
*
Processo PREP

Glossário de Termos
Apostólico – Diz respeito a alguém que sente o chamado de Deus para ser plantador de
igreja ou fazer parte da liderança de uma igreja nova; alguém que demonstra a prática ou
reprodução de discipulado pessoal e multiplicação de pequenos grupos.
Testagem – É a ferramenta para descobrir o plantador de igrejas certo, na hora certa, para
o lugar certo. O processo de testagem ajudará você e o plantador em potencial a
encontrar seus lugares no ministério. Quando estiver à procura de um plantador de
igrejas, leve em consideração o chamado do candidato, sua paixão de alcançar as almas
perdidas, seus dons espirituais, seu estilo pessoal e a entrevista de testagem que dura
quatro horas. Durante esta entrevista, uma pessoa treinada poderá conversar com o
plantador em potencial e fazer uma previsão sobre sua futura atuação como plantador de
igrejas. A NAMB tem utilizado esta entrevista por vários anos para assessorar as igrejas,
convenções estaduais e associações locais no processo de encontrar plantadores de
igrejas. Para obter mais informações acerca de testagem de um plantador de igrejas em
potencial, entre em contato com o setor de plantação de igrejas de sua convenção
estadual.
Assimilação: Este é o processo de enturmar ou absorver grupos ou pessoas no impulso
inicial da igreja nova.
Festa Comunitária: Uma celebração comunitária realizada na área da nova igreja com
fins evangelísticos.
Treinamento Básico do Plantador de Igrejas: Este treinamento é destinado a ajudar a
equipe de plantação de igrejas (o plantador, sua esposa e o mentor do plantador) a
explorar as estratégias relacionadas ao processo de plantação de igrejas e ajudar no
desenvolvimento de um plano específico para se plantar uma igreja saudável e
reprodutiva.
Rede de Plantadores de Igrejas (CPN): Este grupo, composto pelo plantador, sua
esposa, seu mentor e possíveis líderes leigos, se reúne a cada quatro semanas durante três
horas para orar, trocar idéias e estudar.
Missionário Plantador de Igrejas (CPM): Este indivíduo desenvolve estratégias,
levanta recursos e recruta participantes para iniciar a igreja nova. Esta pessoa ajuda a
iniciar igrejas múltiplas. Esta função não é de natureza pastoral, mas catalítica. O
missionário é funcionário de uma associação ou entidade regional. Alguns missionários
terão atribuições sobre grupos étnicos. Por exemplo, alguns missionários atuarão na
plantação de igrejas hispanas, afro-americanas ou multi-étnicas. Para ser qualificado
para esta função, a pessoa precisa ter tido pelo menos uma experiência bem-sucedida de
plantação de igreja.
Grupo de Base: Este é um grupo inicial de pessoas que assumem o compromisso de
juntos planejarem e lançarem a planta de uma nova igreja.

Parceiros de Apoio: São as várias entidades que se comprometem a juntas apoiarem a
nova igreja com sustento financeiro, recursos humanos, realizando treinamentos,
participando de eventos evangelísticos e assim por diante. Estas parcerias podem ser
compostas por outras igrejas, fundações, a associação local, a convenção estadual ou
pessoas envolvidas no processo de plantação de igrejas.
Demografia: Esta é a informação sobre a área específica onde a igreja vai ser iniciada e
deve incluir dados étnicos, sócio-econômicos, educacionais, habitacionais, viários etc.
Lançamento: Este dia de celebração é realizado no dia em que a nova igreja reconhece
que está conduzindo um horário regular de cultos semanais e de oportunidades de
ministério.
Plano Mestre: Esta é uma estratégia geral para se iniciar o desenvolvimento da nova
igreja.
Mentor: O mentor é uma pessoa fora da família que pode servir como fonte de
encorajamento, confidente e consultor do plantador de igrejas, tanto para a experiência
ministerial quanto para sua vida em particular.
Marcadores: São pontos significativos no tempo que marcam o desenvolvimento da
nova igreja.
Grupo de Enfoque Ministerial: Este grupo trabalha para responder à pergunta “Quem
devemos alcançar?”
Parceiros Ministeriais: São parceiros fora da igreja com os quais serão feitos acordos de
apoio, como pessoas, igrejas, a associação local, a convenção batista estadual, a NAMB e
a Rede de Plantadores de Igrejas.
Colocação Ministerial: É o processo de encontrar pessoas para preencher as
oportunidades ministeriais.
Rede de Multiplicação de Igrejas (MCN): Um grupo de pessoas representando várias
igrejas que se reúnem regularmente com o propósito de orar, estudar, planejar e liderar
suas respectivas congregações a se reproduzirem e criarem outras congregações
saudáveis, crescentes e reprodutivas.
Recém-Chegados: As pessoas que recentemente se tornaram membros de igrejas novas.
Parceria: É a aliança de pessoas e instituições com o compromisso de iniciar e
desenvolver a nova igreja.
Caminhada de Oração: É o esforço físico de pessoas, famílias ou equipes para
direcionar as orações por uma comunidade estando nas residências, no comércio e/ou nas
atividades recreacionais.

Membros em Potencial: As pessoas sem igreja ou que estão à procura de uma igreja
cujos dados pessoais (nome, endereço, telefone) estejam à disposição da igreja.
Supervisor: A pessoa designada para supervisionar os entendimentos estabelecidos entre
os parceiros e o plantador da igreja.
Território-Alvo: A área geográfica que a nova igreja pretende alcançar com maior
enfoque.

Por Que Plantar uma Igreja?
A experiência demonstra que as igrejas que iniciam outras igrejas experimentam um
crescimento mais rápido do que aquelas que não estão envolvidas em plantação de outras
igrejas. Os pastores que levaram suas igrejas a participarem agressivemente da plantação
de novas igrejas testificam que Deus abençoa milagrosamente durante este processo de
abrir novas igrejas.
Nós nunca consideramos que perdemos um membro quando alguém sai para
iniciar uma nova igreja. E posso dizer com toda a honestidade que jamais
esquecerei do domingo quando comissionamos e enviamos 85 famílias que faziam
parte de nossa membresia. Na semana seguinte, tivemos a maior frequência na
escola dominical de toda a história de nossa igreja. É apenas a maneira de Deus
dizer que não podemos dar mais do que Ele.
-Johnny Hunt, Woodstock, Georgia
Minha intenção como pastor era de ajudar nossa igreja a enxergar que podíamos
ter um impacto maior na nossa comunidade e na nossa cidade se nos
envolvêssemos na plantação de igrejas e de novos ministérios nos bairros, nos
lares, nos conjuntos de apartamentos ou nas comunidades de casas móveis. Se
fizéssemos isso, alcançaríamos mais pessoas para Cristo. Quando somos
obedientes à Palavra de Deus e evangelizamos e fazemos discípulos, Ele nos
devolve as Suas bênçãos. Estamos vendo isso no espírito de nossa igreja. Existe
um espírito de entusiasmo, um espírito de empolgação por causa do que estamos
testemunhando Deus fazer.
-Pete Dominguez, Wichita, Kansas
A plantação de igrejas é uma das ferramentas de evangelismo mais eficazes que existem.
É uma estratégia para ganhar almas perdidas para uma fé salvadora em Jesus Cristo.
Aliás, a plantação de igrejas é a Grande Comissão em sua expressão máxima.
A plantação de igrejas é a maneira que Deus usa para estender Seu reino
para as pessoas de todas as partes.
-Frank Cornelius, Deer Trail, Colorado
Se eu tivesse que falar ao coração de outro pastor a respeito de plantação de
igrejas, eu provavelmente apontaria para o fato de que nossas igrejas são parte
do reino de Deus. E se expandirmos o reino, expandimos nossas igrejas. Não há
nada a temer. E eu provavelmente faria a seguinte pergunta: “Se você não fosse
salvo e nem conhecesse uma igreja, você não gostaria que alguém viesse até você
e o ajudasse a crescer?” A plantação de igrejas é exatamente isto. E eu
encorajaria todo pastor a iniciar logo este processo.
Phillip Davis, Charlotte, North Carolina
Alguém já disse,
Para se cultivar algo que dure uma temporada, plante flores.
Para se cultivar algo que dure uma vida, plante árvores.
Para se cultivar algo que dure por toda a eternidade, plante igrejas.

Para um raciocínio mais abrangente sobre estar envolvido em plantação de igrejas,
veja o Apêndice A.

Os Sete Passos
Os “sete passos” contidos neste manual são os mesmos contidos no folheto “Sete Passos
Para Plantar Uma Igreja”. Estes passos foram usados pelo apóstolo Paulo na plantação
da igreja de Filipos (Atos 16:9-15). Esta abordagem não é apenas a estratégia para se
plantar uma igreja, como também mostra o ambiente maior do que consiste a plantação
de igrejas.
Algumas estratégias de plantação de igrejas indicam que a congregação organizadora
deva realizar a maior parte do trabalho antes de o pastor ou plantador ser identificado.
Esta abordagem existe para criar a visão de plantação de igrejas na liderança da igreja.
Logo no início do processo, a igreja plantadora deve encontrar a pessoa que Deus
escolheu para ser o plantador. A NAMB tem percebido que o plantador de igrejas é o elo
vital para o começo bem-sucedido de uma nova igreja.
Enquanto algumas igrejas têm a capacidade de financiar e prover as congregações novas
com líderes, é comum para outras igrejas formarem parcerias para plantar novas igrejas.
Algumas parcerias são firmadas com outras igrejas. Alguns Acordos Cooperativos são
feitos entre a igreja e a associação local ou a convenção estadual. Não é incomum que
várias entidades diferentes se juntem para formar parcerias no início de uma nova igreja.
Os sete passos apresentados neste manual são basicamente seqüenciais, mas haverá um
grau de redundância no decorrer do processo. Leia este manual para compreender melhor
alguns dos passos específicos de ação a serem tomados para se iniciar uma congregação.
Depois concentre-se no “Passo Um” e no primeiro ponto de ação do “Passo Dois”. A sua
função será formar uma parceria com o plantador de igrejas na execução do plano-mestre.
Este manual foi feito para ajudar a Equipe de Missões tanto na associação quanto na
igreja local a adquirir conhecimento a respeito do processo de iniciar uma nova
congregação.
Passo 1
Receba a visão de Deus.
Passo 2
Recrute uma equipe.
Passo 3
Da visão para o local.
Passo 4
Encontre pessoas receptivas.
Passo 5
Evangelize os não-crentes.
Passo 6
Discipule as pessoas criando um grupo de base.

Passo 7
O Lançamento da nova igreja.

Passo 1
Receba a visão de Deus.
Raciocínio Bíblico/Teológico
Em Atos 16, a Bíblia relata a chegada do Apóstolo Paulo a Trôade, que para Paulo
representava a última cidade na Ásia onde o grupo de missionários pregaria o evangelho.
A Bíblia diz que Deus cativou a imaginação de Paulo com a visão de um “homem da
Macedônia que estava de pé e lhe pedia: ‘Venha para a Macedônia e ajude-nos!’”.
Ter a visão é o primeiro passo na plantação de uma nova congregação. A visão cativa a
pessoa com um senso de autoridade. A visão não representa o que a pessoa quer fazer.
Na verdade, a visão tem a ver com Deus ajudando a pessoa a fazer uma imagem mental,
um retrato daquilo que Deus espera que Seu servo faça.
A visão que Paulo teve foi tão específica que a nacionalidade do homem na visão foi
identificada. Paulo não mais dependia do propósito que havia afirmado: “Vamos voltar e
visitar os irmãos em todas as cidades onde já anunciamos a mensagem do Senhor.
Vamos ver se eles estão passando bem”(Atos 15:36). Houve um novo senso de
autoridade nos planos de viagem de Paulo (Atos 15:36b). Deste momento em diante,
Paulo estaria realizando os planos de Deus e não apenas o seu desejo de “voltar e visitar
os irmãos”.
A lista seguinte de tópicos de ação ajudará tanto as equipes de missões da associação
quanto da igreja (Comissão de Missões) a caminhar pelo processo de preparar a igreja
para plantar uma nova congregação. Os tópicos de ação desafiarão a comissão de
missões da igreja a definir e enfocar a visão, angariar apoio para a nova congregação e
cuidar dos relacionamentos de parcerias necessárias para se ter acesso a todos os recursos
disponíveis.
Tópicos de Ação

Data de Começo

1.1. Receber a visão de Deus para plantar a igreja. @
1.2. Planejar um domingo de compromisso.
1.3. Desenvolver um plano de oração
intercessória pela nova plantação. #@
1.4. Estabelecer possíveis parceiros
de ministério que sentem o
chamado de Deus para estarem envolvidos
no começo desta nova igreja.
1.5. Consultar e iniciar parceria com o diretor
de missões da associação e com a Equipe de
Missões ou Equipe de Plantação de Igrejas
(que às vezes é denominada de Conselho de
Desenvolvimento de Missões). @

Data de Término

1.6.Consultar o missionário regional de plantação
de igrejas ou a convenção estadual para conseguir
ajuda para identificar o território-alvo para a nova
igreja e a avaliar plantadores em potencial.
1.7.Enfocar e refinar a visão de Deus para a nova
igreja incluindo consideração do modelo particular
de plantação (Apêndice B).
1.8.Definir o território-alvo e/ou público-alvo; colher
dados através de pesquisa demográfica. *@
1.9.Juntar-se a uma Rede de Multiplicação de Igrejas (MCN). @
RELACIONAMENTOS COOPERATIVOS
1. A associação batista local.
2. Um missionário de plantação de igrejas da região.
3. A convenção batista estadual.
4. Outras congregações que sintam o desejo de participar na criação da nova
congregação.
RECURSOS
@ O site de plantação de igrejas da NAMB, Junta de Missões da América do Norte:
www.namb.net/cp
20 Reasons Why You Should Plant a Church (20 Razões Para Se Plantar Uma
Igreja)
Developing an Intercessory Prayer Team (Como Desenvolver uma Equipe de
Oração Intercessória)
Developing Covenant Relationships in Your New Church (Como Desenvolver
Relacionamentos de Compromisso na Nova Igreja)
PREP Process for Church Planting (Processo de Preparação de Plantação de
Igrejas)
The Church Planting Process (O Processo de Plantação de Igrejas)
@ O website da NAMB Village: www.thevillage.cc
A seção de pesquisas do Market fornece relatórios demográficos e de estilos de vida.
As seções de Financial Advisor (Consultor Financeiro) e Good Neighbors (Bons
Vizinhos) oferecem ajuda para as questões de parcerias.
O site da Rede de Parceiros de Plantação de Igrejas da NAMB: www.partnership.net
* O Processo PREP, particularmente o estudo de Pessoas: descrevendo o ambiente de
plantação de igrejas.
# O CD-ROM Church Planter Management System (Sistema de Gerenciamento do
Plantador de Igrejas): Preparation for Church Planting: A Self-Study Guide for Church
Planters (Como Preparar a Plantação de Igrejas:Um Guia de Estudo para Plantadores
de Igrejas).

Bibliografia para Visão
Amberson, Talmadge R. Birth of Churches:A Biblical Basis for Church Planting (O
Nascimento de Igrejas:Uma Base Bíblica para a Plantação de Igrejas). Nashville:
Broadman Press, 1979.
Blackaby, Henry T. e Claude V. King. Experiencing God:Knowing and Doing the Will of
God (A Experiência com Deus: Conhecendo e Fazendo a Vontade de Deus). Nashville:
LifeWay Press, 1990.
Malphurs, Aubrey. Developing a Vision for Ministry in the Twenty-First Century
(Desenvolvendo uma Visão de Ministério para o Século 21). Grand Rapids: Baker Book
House, 1999.
Malphurs, Aubrey. Planting Growing Churches for the Twenty-First Century (Como
Plantar Igrejas que Crescem Para o Século 21). Grand Rapids: Baker Book House, 1992.
Sweet, Leonard. Aqua Church. Loveland: Group Publishing, Inc., 1999.

Passo Dois
Recrute uma Equipe.
Raciocínio Bíblico/Teológico
A Bíblia indica que uma das primeiras ações tomadas pelo Apóstolo Paulo foi
compartilhar a visão que Deus lhe havia concedido com os outros missionários que
viajavam com ele. A Bíblia afirma: “...nós resolvemos ir logo para a Macedônia, porque
estávamos certos de que Deus nos havia chamado para anunciarmos a Boa-Notícia do
Evangelho ao povo dali” (Atos16:10).
Um plantador de igrejas estará restrito a um número mínimo de grupos de estudo bíblico
se ele ou ela trabalhar sozinho(a). Um único membro poderá até iniciar um culto no qual
ele dirige a música e em seguida prega o sermão. Mas uma congregação, por definição,
tem várias funções: estudo bíblico, louvor, evangelismo, comunhão, discipulado,
ministério e missões. Um único plantador de igrejas não poderá conduzir cada uma
destas funções com a mesma eficácia de uma equipe.
Uma congregação que funcione requer trabalho em equipe. A Bíblia não revela a função
de cada pessoa que viajava com Paulo, mas Silas foi identificado com Paulo em seu
ministério de curas. Silas foi aprisionado com Paulo quando a moça que seguia os
missionários foi liberta do espírito que a endemoniava.
O “nós” de Atos 16:10 precisa ser reconhecido como um padrão a ser seguido pelas
igrejas ao considerarem as novas plantações de igrejas. Recrute membros para a equipe
que sejam “dotados” (de habilidades naturais e dons sobrenaturais) para exercer as
diversas funções requeridas pela nova congregação.
Os seguintes tópicos de ação e recursos foram projetados para ajudar a igreja no
recrutamento de uma equipe de plantação de igrejas.
Tópicos de Ação
Data de Começo
2.1. Identificar e recrutar um plantador de
igrejas, que pode ser alguém da sua própria
congregação! @
2.2. Recrutar e construir um sistema de apoio
para o plantador de igrejas:
Cônjuge
Mentor
Supervisor
Equipe de Oração Intercessória #
2.3. Identificar e recrutar pessoas que sentem o desejo
(pessoas apostólicas) de participar de uma nova plantação

Data de Término

de igreja. #
2.4. Esclarecer as funções – louvor, estudo bíblico, comunhão,
etc. – e recrutar uma equipe. #
2.5. Recrutar alguém para trabalhar com crianças.
2.6. Confirmar parceiros para a igreja (pessoas, igrejas,
associação local, convenção estadual e outros).
2.7. Sugerir que o plantador se cadastre numa rede
plantação de igrejas (CPN).
RELACIONAMENTOS COOPERATIVOS
1. A associação batista local
2. Um missionário de plantação de igrejas da região
3. A convenção batista estadual
4. Outras igrejas parceiras
5. O diretor do Centro de Plantação de Igrejas do Projeto Nehemias de qualquer
seminário da Convenção Batista do Sul
RECURSOS
Os seguintes recursos podem ser obtidos através da sua associação local e/ou convenção
estadual:
A Avaliação do Plantador de Igrejas realizada pela NAMB ajudará a apontar
pessoas com aptidão para liderar uma equipe de plantação de igrejas.
O Treinamento Básico para Plantadores de Igrejas é um evento cujo objetivo é
conduzir a equipe de plantação de igrejas através de uma jornada intensiva. (A
equipe de plantação de igrejas é composta pelo plantador, seu cônjuge e o mentor
do plantador). O treinamento ajuda o plantador a explorar as questões
estratégicas do processo de plantação de igrejas e ajuda no desenvolvimento de
uma estratégia apropriada para se plantar uma igreja sadia e reprodutiva. Todos
os tópicos de ação contidos neste manual serão discutidos no treinamento.
@ O site de plantação de igrejas da NAMB: www.namb.net/cp
How do I know I am qualified to be a Church Planter (Como saber se sou
qualificado para ser um plantador de igrejas)
Are you a Church Planter? (Você é plantador de igrejas?)
Breaking the Faithful Four Barriers in Church Planting (Superando as quatro
barreiras de fé na plantação de igejas)
@ O Village website da NAMB: www.thevillage.cc
A seção de Employment Services pode auxiliar na busca de um plantador de
igrejas
O Welcome Center traz informações sobre avaliação
A Academy fornece treinamento para plantadores e equipes

# O CD-ROM The Church Planter Management System (Sistema de
Gerenciamento do Plantador de Igrejas)
Bibliografia referente a Equipes e Funções
Cannistraci, David. The Gift of Apostle (O Dom do Apostolado). Ventura: Regal
Books,1996.
Christine, Stuart, e Martin Robinson. Planting Tomorrow’s Churches Today: A
Comprehensive Handbook (Como Plantar Hoje as Igrejas de Amanhã: Um
Estudo Compreensivo). Tunbridge Wells, Great Britain: Monarch Publications,
1992.
Huszco, Gregory E. Tools for Team Excellence (Ferramentas para a Excelência
da Equipe). Palo Alto: Davies-Black Publishing, 1996.
McCarty, Doran. The Supervision of Missions Personnel (A Supervisão de
Funcionários de Missões). Atlanta: Home Mission Board, 1983.
Mims, Gene. Kingdom Principles for Church Growth (Princípios do Reino para
Crescimento de Igrejas). Nashville: Convention Press, 1994.
Ridley, Charles R. How to Select Church Planters (Como Escolher Plantadores
de Igrejas). Pasadena: Fuller Evangelistic Association, 1988.

Passo Três
Da Visão Para o Local
Raciocínio Bíblico/Teológico
A Bíblia afirma: “... procurávamos logo partir para a Macedônia…”(Atos 16:10). A
visão do homem da Macedônia levou a equipe de missionários a tomar ação imediata.
O navio que tomaram parou primeiramente na Samotrácia, depois em Neápolis e
finalmente chegou a Filipos, que a Bíblia chama de “a primeira cidade desse distrito
da Macedônia”. O navio não foi direto para Filipos. Houve algumas paradas no
caminho.

Para se plantar uma congregação, talvez seja necessário fazer algumas paradas no
caminho de se realizar a visão. É necessário ter um plano, que podemos chamar de
prospecto. O plano de plantação da igreja (prospecto) nasce da visão e é um plano
que descreve o que será feito para se plantar a nova congregação.
O “local” a que se refere esta seção pode ser uma área geográfica como Filipos, ou
senão pode ser um grupo de pessoas como os macedônios. A questão do “local” será
definida quando o prospecto for elaborado.
Os seguintes tópicos de ação poderão servir de ajuda na elaboração do prospecto.
Tópico de Ação

Data de Início

Data de Término

3.1. Refinar e desenvolver a visão: *
Declaração da missão e declaração de fé.
Fundamentos bíblicos e espirituais.
Valores básicos.
Alvos anuais.
3.2. Escrever uma proposta de plantação de igreja. *
3.3. Descrever e criar um grupo de enfoque ministerial. *
3.4. Estabelecer compromissos *
Completar compromissos de parcerias.
Elaborar o acordo de compromissos para a nova plantação.
3.5. Elaborar estratégia da nova igreja:
Trabalhar no plano de lançamento da igreja (plano mestre).
Estipular pontos críticos juntamente com a equipe de plantação.

3.6. Buscar o local de Deus para a plantação da igreja e identificar um ponto potencial
de encontro.
3.7. Elaborar um orçamento: *
Projetar o fluxo de caixa para o primeiro ano.
Conseguir recursos para a nova igreja.
3.8. Criar um plano de relações públicas.
3.9. Escolher o nome da igreja e assegurar um endereço postal. #
RELACIONAMENTOS COOPERATIVOS
1. A associação batista local
2. Um missionário de plantação de igrejas da região
3. A convenção batista estadual
4. Outras igrejas parceiras
5. O diretor do Centro de Plantação de Igrejas do Projeto Nehemias de qualquer
seminário da Convenção Batista do Sul
RECURSOS
Modelo de prospecto localizado no Apêndice.
* PREP Process for Church Planting: People Study (Church Planting Environment and
People Strategy: Designing the Church Planting Plan) – Processo de Plantação de
Igrejas: Estudo de Pessoas (O Ambiente de Plantação de Igrejas e Estratégia de Pessoal:
Como Elaborar o Plano de Plantação de Igrejas).
# O CD-ROM The Church Planter Management System (Sistema de Gerenciamento do
Plantador de Igrejas)
@ O Village Website da NAMB: www.thevillage.cc
O Café permite à equipe conversar sobre o local com outros plantadores de igrejas.
A seção de pesquisas do Market traz relatórios demográficos e de estilos de vida.
Bibliografia sobre Elabroação de um Prospecto
Christine, Stuart, e Martin Robinson. Planting Tomorrow’s Churches Today: A
Comprehensive Handbook (Como Plantar Hoje as Igrejas de Amanhã: Um Estudo
Compreensivo). Tunbridge Wells, Great Britain: Monarch Publications, 1992.
Kiser, Wayne. Promotion Strategies for the Local Church (Estratégias de Promoção
para a Igreja Local). Nashville: Broadman Press, 1992.
Mager, Robert F. Goal Analysis (Análise de Objetivos). Belmont: Lake Publishing
Company, 1984.

Wagner, C. Peter. Church Planting for a Greater Harvest (Plantar Igrejas para uma
Colheita Maior). Ventura: Regal Books, 1990.

Passo Quatro
Encontre Pessoas Receptivas
Raciocínio Bíblico/Teológico
A história sobre a procura por pessoas receptivas em Atos 16 conta como foi o primeiro
sábado da equipe de plantadores de igrejas em Filipos. “No sábado saímos portas afora para
a beira do rio, onde julgávamos haver um lugar de oração” (Atos 16:13). Não há dúvida de que
Paulo buscava pessoas receptivas nas cidades onde a equipe de missionários plantava
novas igrejas. Na Ásia, começaram pela sinagoga. “Em Icônio entraram juntos na
sinagoga dos judeus” (Atos 14:1). Os missionários tinham como alvo tanto judeus como
gregos na procura por pessoas receptivas.
O primeiro tipo de receptividade de que uma equipe de plantação de igrejas precisa é ser
apresentada ao território alvo ou ao grupo de pessoas. Esta apresentação é mais eficaz
quando é feita por um membro respeitado da comunidade. Nos últimos anos, esta pessoa
tem sido chamada de “pessoa da paz” pelos plantadores de igrejas. Este alguém pode ser
um leigo ou membro da comunidade religiosa. Esta pessoa sempre terá simpatia pelo
início de uma nova congregação e apoiará a equipe de plantação de igrejas em amizade,
mas pode não ser um membro em potencial da nova igreja.
O segundo tipo de receptividade é entre as pessoas que sejam membros em potencial da
nova congregação. Deus sempre leva uma equipe de plantadores para uma comunidade
ou um grupo de pessoas que Ele já preparou em termos de recursos humanos para o
lançamento de uma nova congregação.
Ao iniciar a busca por pessoas receptivas, os seguintes tópicos de ação poderão ser úteis.
Tópicos de Ação

Data de Início

4.1. Verificar o estudo demográfico por meio
da realização de pesquisas na comunidade. *
4.2. Iniciar o cultivo entre a comunidade:
Identificar primeiros candidatos. #
Penetrar nos segmentos influentes da comunidade.
Entrevistar líderes da comunidade.
4.3. Realizar caminhadas de oração na comunidade
4.4. Iniciar estudos bíblicos evangelísticos. #
4.5. Estabelecer um sistema de assimilação. #

Data de Término

4.6. Definir a organização inicial e o processo
de tomada de decisões da igreja. #@
RELACIONAMENTOS COOPERATIVOS
1. A associação batista local
2. Um missionário de plantação de igrejas da região
3. A convenção batista estadual
4. Outras igrejas parceiras
5. O diretor do Centro de Plantação de Igrejas do Projeto Nehemias de qualquer
seminário da Convenção Batista do Sul
RECURSOS
@ O site de plantação de igrejas da NAMB: www.namb.net/cp
The Church Constitution Guide (Guia de Organização de Igrejas)
@ O Village Website da NAMB: www.thevillage.cc
A seção de recursos da Bookstore contém material sobre como alcançar as
pessoas.
* PREP: People Scan (Discovering Church Planting Receptivity) – Descobrindo
Receptividade para a Plantação de Igrejas.
# O CD-ROM The Church Planter Management System (Sistema de Gerenciamento do
Plantador de Igrejas)
Bibliografia sobre Receptividade
Brock, Charles. Indigenous Church Planting (Plantação de Igrejas Autóctones):
Nashville: Broadman Press, 1981
Dayton, Edward R., e David A. Fraser. Planning Strategies for World Evangelism
(Estratégias de Planejamento para o Evangelismo Mundial). Grand Rapids: Eerdmans,
1990.
Engle, James F. e H. Wilbert Norton. What’s Gone Wrong with the Harvest (O Que Deu
de Errado na Colheita). Grand Rapids: Zondervan Publishing House, 1975.
Hunter III, George G. How to Reach Secular People (Como Alcanças as Pessoas do
Mundo). Nashville: Abingdon Press, 1992.
Wagner, C. Peter. Church Planting for a Greater Harvest (Plantar Igrejas para Colher
Mais). Ventura: Regal Books, 1990.

Passo Cinco
Evangelize Os Não-Crentes
Raciocínio Bíblico/Teológico
A receptividade se confirma quando as pessoas aceitam Jesus como Salvador – ou seja,
os não crentes são evangelizados. A Bíblia diz: “E certa mulher chamada Lídia...que
temia a Deus, nos escutava e o Senhor lhe abriu o coração para atender às coisas que
Paulo dizia” (Atos 16:14)
O evangelismo de não-crentes é a essência da tarefa que Deus confiou à igreja neste
tempo – uma era para a qual Jesus disse: “eis que eu estou convosco todos os dias, até a
consumação dos séculos” (Mateus 28:20). A igreja de cada geração tem a
responsablidade de alcançar a sua sociedade. A questão é como fazer isso, e não se
devemos fazer ou não. Esta é uma pergunta para cada equipe de plantação de igrejas –
de que forma a equipe vai evangelizar?
O evangelismo precisa ser intencional. Muito pouco evangelismo será feito se não forem
feitos planos para fazer uso das várias ferramentas e metodologias disponíveis para a
equipe de plantação de igrejas. A equipe de plantação de igrejas precisa estar peparada
para utilizar várias abordagens para o evangelismo. O estilo preferido da equipe pode
não ser apropriado para a totalidade da membresia, i.e. pessoal, mídia, ministério, oração,
eventos e esportes. Se a equipe de plantação de igrejas utiliza apenas uma forma de
evangelismo, então é possível que muitas testemunhas na nova congregação não sejam
treinadas adequadamente.
Os seguintes tópicos de ação serão úteis à equipe de plantação de igrejas no sentido de
envolver cada membro no evangelismo pessoal.
Tópicos de Ação

Data de Início

Data de Término

5.1. Criar um plano de oração para a nova igreja. *
5.2. Continuar a realizar caminhadas de oração no território-alvo.
5.3. Estabelecer um plano de evangelismo, identificando as diversas metodologias a
serem utilizadas.
5.4. Ensinar metodologias de evangelismo aos participantes.
5.5. Agendar e conduzir atividades de ministério no território-alvo.
5.6. Intensificar esforços de evangelismo no território-alvo:
Telefonemas em massa.
Projetos de evangelismo com “atos de bondade”.
Eventos evangelísticos especiais. #

5.7. Realizar uma atividade de pré-lançamento algumas semanas antes da celebração de
lançamento (Grande Inauguração) da nova congregação. @
5.8. Começar a desenvolver idéias e planos para reproduzir líderes e reproduzir (plantar)
uma nova igreja.
5.9. Encontrar membros para o grupo de base.
RELACIONAMENTOS COOPERATIVOS
1. A associação batista local
2. Um missionário de plantação de igrejas da região
3. A convenção batista estadual
4. Outras igrejas parceiras
5. O diretor do Centro de Plantação de Igrejas do Projeto Nehemias de qualquer
seminário da Convenção Batista do Sul
6. Lojas da LifeWay Christian Resources
7. Grupo de Evangelismo da NAMB.
RECURSOS
@ O site de plantação de igrejas da NAMB: www.namb.net/cp
Let’s Party-Up a Church(Vamos Festejar a Igreja) ou Sow a Celebration, Reap a
Congregation (Plante uma Celebração, Colha uma Copngregação)
@ O Village Website da NAMB: www.thevillage.cc
Vários links referentes a evangelismo estão disponíveis no Market.
A seção de recursos do Bookstore contém material sobre evangelismo.
* PREP for Church Planting: People Strategy (Designing the Church Planting Plan) –
Como elaborar o plano de plantação de igrejas.
# O CD-ROM The Church Planter Management System (Sistema de Gerenciamento do
Plantador de Igrejas)
Disponíveis através da associação, convenção estadual, ou NAMB
Treinamento de Evangelismo Contínuo
Folhetos de Evangelismo
Centro de Resposta de Evangelismo
Treinamento F.A.I.T.H. de Evangelismo
Materiais para Eventos Evangelísticos Especiais (ex. A Festa Comunitária de
Evangelismo).
O NET
Bibliografia sobre Evangelismo

Little, Paul. How to Give Away Your Faith (Como Compartilhar a Sua Fé). Downer’s
Grove: Intervarsity Press, 1988.
Malphurs, Aubrey. Planting Growing Churches for the 21 Century: A Comprehensive
Guide for New Churches and Those Desiring Revival (Como Plantar Igrejas para o
Século 21: Um Guia Completo para Novas Igrejas e as que Anseiam por um
Reavivamento). Grand Rapids, MI: Baker Book House, 1992
Petersen, Jim. Evangelism as a Lifestyle (Evangelismo Como Estilo de Vida). Colorado
Springs: NavPress, 1980.
Rainer, Thom. Effective Evangelistic Churches (Igrejas Evangelísticas Eficazes).
Nashville: Broadman and Holman Publishers. 1996.
Ward, Charles F., ed. The Billy Graham Christian Workers Handbook (Manual Billy
Graham do Obreiro Cristão). Minneapolis: World Wide Publications, 1996.

Passo Seis
Discipule as Pessoas Criando Um Grupo de Base
Raciocínio Bíblico/Teológico
O grupo de base é uma expansão da equipe de plantação de igrejas. Como recémconvertida, Lídia convenceu a equipe apostólica de plantação de igrejas, que era liderada
por Paulo, a entrar em sua casa e ficar ali (Atos 16:15), e a Bíblia testifica que ela os
convenceu. Ela literalmente se uniu ao trabalho iniciando começado pela equipe de
plantação de igrejas.
Quando uma pessoa recém-convertida une-se à equipe de plantação de igrejas como
membro do “grupo de base”, o processo de discipulado se inicia. Paul D Stanley e J.
Robert Clinton, autores do livro intitulado Connecting (Criando Relacionamentos),
definem o discipulado como “um processo relacional no qual um seguidor de Jesus mais
experiente compartilha com outro seguidor mais novo o compromisso, a compreensão e
as habilidades básicas para se conhecer e obedecer a Jesus Cristo como Senhor”. Os
grupos de base que resultam de esforços de evangelismo precisam de tempo para
processarem a novidade de vida em Jesus. Também precisam de tempo para serem
moldados numa comunhão de seguidores. Uma das responsabilidades da equipe de
plantação de igrejas, logo após um evento evangelístico, é discipular os novos
convertidos e criar um ambiente de amparo para que os primeiros estágios de crescimento
possam ocorrer.
Os membros do grupo de base precisam andar um passo além do discipulado e da
comunhão. A equipe de plantação de igrejas e a equipe de missões da igreja precisam
passar para o grupo de base o sonho de plantar uma nova igreja. É necessário que um
porta-voz da equipe de missões da igreja seja responsável para fazer uma narrativa com
fatos históricos e paixão espiritual, tanto para a equipe de plantação de igrejas quanto
para o grupo de base, apontando para a necessidade de existência desta nova igreja.
Os seguintes tópicos de ação serão úteis para a equipe de plantação de igrejas na
formação de grupos de base. Estes tópicos de ação também contêm sugestões sobre
como trabalhar com o recém-formado grupo de base.
Tópicos de Ação
Data de Início
Data de Término
6.1. Formar o grupo de base e conseguir um acordo de compromisso dos membros do
grupo de base. *
Iniciar as reuniões do grupo de base. #
Desenvolver liderança ministerial. #
6.2. Elaborar estaratégia de pequenos grupos, determinar currículo e recrutar líderes de
pequenos grupos. #
6.3. Conseguir local para reuniões e confirmar data de inauguração.
6.4. Conduzir treinamento:

Sistema de assimilação
Voluntários para trabalhar com crianças
Equipe de louvor #
6.5. Elaborar processo de colocação ministerial; recrutar e treinar consultores de
colocação ministerial. #
6.6. Iniciar reuniões com as pessoas e cultos de pré-inauguração. #
6.7. Elaborar classe de orientação para recém-chegados. #
6.8. Iniciar novas classes para crianças. #
6.9. Esboçar uma estratégia de crescimento para os próximos dois anos.
RELACIONAMENTOS COOPERATIVOS
1. A associação batista local
2. Um missionário de plantação de igrejas da região
3. A convenção batista estadual
4. O diretor do Centro de Plantação de Igrejas do Projeto Nehemias de qualquer
seminário da Convenção Batista do Sul
RECURSOS
@ O site de plantação de igrejas da NAMB: www.namb.net/cp
@ O Village Website da NAMB: www.thevillage.cc
Material e idéias sobre discipulado disponíveis nas seção do Market e do Bookstore
* PREP: People Sending (Discipling and Deploying a Core Group) – Como Discipular e
Mobilizar um Grupo de Base.
# O CD-ROM The Church Planter Management System (Sistema de Gerenciamento do
Plantador de Igrejas)
Stuff They Never Taught Me About Church Planting (Coisas Sobre Plantação de Igrejas
que Jamais me Ensinaram).
Bibliografia sobre Grupos de Base
Eims, Leroy. The Lost Art of Disciple Making (A Arte Perdida de Se Fazer Discípulos).
Colorado Springs: Zondervan Publishing House, 1978.
Malphurs, Aubrey. Planting Growing Churches for the 21 Century: A Comprehensive
Guide for New Churches and Those Desiring Revival (Como Plantar Igrejas para o
Século 21: Um Guia Completo para Igrejas Novas e as que Anseiam por um
Reavivamento). Grand Rapids, MI: Baker Book House, 1992

Nota
1. Paul D. Stanley e Robert J. Clinton, Connecting: The Mentoring Relationships You
Need to Succeed in Life (Criando Relacionamentos: Os Relacionamentos de
Mentoeamento que Você Precisa Para Vencer na Vida), NavPress, p. 48.

Passo Sete
A Inauguração da Nova Igreja
Raciocínio Bíblico/Teológico
A inauguração pública da congregação em Filipos é indubitável. Isso fica claro nas
Escrituras de duas maneiras. Primeiro e mais importante é a existência da igreja em
Filipos para a qual Paulo escreveu a Epístola aos Filipenses. Em segundo lugar, a equipe
apostólica de plantação de igrejas faz referência às reuniões de oração contínuas: “Ora,
aconteceu que quando íamos ao lugar de oração...” (Atos 16:16).
A inauguração é a data quando a nova congregação convida a comunidade a participar
dos cultos semanais regulares. A equipe de plantação de igrejas e o grupo de base
passarão de três meses a um ano em preparo para a inauguração pública. Muitos grupos
de base optaram por realizar cultos de pré-lançamento com base semanal, mensal e/ou
quadrimestral para sentir o interesse da comunidade de seis a nove meses antes da
inauguração pública.
Os cultos de pré-inauguração são oportunidades para o grupo de base mostrar à
comunidade o estilo de louvor, a comunhão dos cristãos e a direção geral de liderança
para a equipe de plantação de igrejas. Os cultos de pré-inauguração são importantes. O
clima de expectativa gerado durante a fase de pré-inauguração poderá tanto aumentar o
entusiasmo para a inauguração quanto criar uma atitude negativa com relação à nova
congregação.
Os tópicos de ação a seguir ajudarão a equipe de missões da igreja a entender e apoiar a
equipe de plantação de igrejas nas atividades de pré-inauguração. Os tópicos de ação
também servirão para guiar a equipe de plantação de igrejas na preparação das atividades
de pré-inauguração e no dia da inauguração pública.
Tópicos de Ação

Data de Início

Data de Término

7.1. Implementar um plano de relações públicas e comunicação (criar logotipo,
encomendar papel e cartões timbrados, produzir material para divulgação, determinar
frequência de publicação de informativos, contratar impressão de material de RP, criar
um folheto de evangelismo para a igreja nova, enviar primeira mala-direta, começar a
espalhar anúncios do DOMINGO DE INAUGURAÇÃO na mídia, etc.) #
7.2. Esclarecer assuntos financeiros e administrativos (abrir conta bancária), estabelecer
procedimentos financeiros e contábeis, confirmar procedimentos de recebimento, tratar
das questões de legalização e de seguros, conseguir boas taxas de serviço postal, etc.) #
7.3. Planejar a primeira série de sermões e cultos do primeiro semestre. #

7.4. Criar uma lista de checagem do DOMINGO DE INAGURAÇÃO e começar a
delegar funções para os membros do grupo de base. (Preste atenção redobrada no quesito
de pessoas para cuidar do berçário e das crianças).
7.5. Providencie equipamento necessário para o local e consiga gente para operá-lo.
7.6. Finalize todo o material necessário para os cultos do primeiro semestre (para que
haja tempo para visitação antes e depois da inauguração).
7.7. Faça uma revisão do programa de culto do DOMINGO DE INAUGURAÇÃO para
cuidar de detalhes que estejam faltando.
7.8. Implemente a estratégia para os primeiros 100 dias (e fale dos pontos principais no
DOMINGO DE INAUGURAÇÃO).
RELACIONAMENTOS COOPERATIVOS
1. A associação batista local
2. Um missionário de plantação de igrejas da região
3. A convenção batista estadual
4. Outras igrejas parceiras
5. O diretor do Centro de Plantação de Igrejas do Projeto Nehemias de qualquer
seminário da Convenção Batista do Sul
6. Lojas da LifeWay Christian Resources
7. Grupo de Evangelismo da NAMB.
RECURSOS
# O CD-ROM The Church Planter Management System (Sistema de Gerenciamento do
Plantador de Igrejas)
Total Communication Planbook (Manual de Comunicação Total)
@ O Village Website da NAMB: www.thevillage.cc
Recursos e idéias para a fase de lançamento podem ser encontrados nas seções Café,
Market, Financial Advisor e Bookstore.
Bibliografia sobre Fase de Inauguração
Christine, Stuart, e Martin Robinson. Planting Tomorrow’s Churches Today: A
Comprehensive Handbook (Como Plantar Hoje as Igrejas de Amanhã: Um Estudo
Compreensivo). Tunbridge Wells, Great Britain: Monarch Publications, 1992.
Wagner, C. Peter. Church Planting for a Greater Harvest (Plantar Igrejas para uma
Colheita Maior). Ventura: Regal Books, 1990.

Calendário de Planejamento
Mês:
O Quê
Semana 1
Semana 2
Semana 3
Semana4

Quem

Ano:
Quando

Apêndice A: Razões para a Plantação de Igrejas
O Exemplo da Igreja Primitiva
Em todas as empreitadas de plantação de igrejas, é importante lembrar que é Deus quem
edifica Sua igreja. Inspirado pelo Espírito, Paulo disse: “Eu plantei; Apolo regou; mas
Deus deu o crescimento” (1 Coríntios 3:6).
O Espírito Santo nem sempre segue o mesmo padrão ou processo para iniciar uma nova
congregação. A consideração mais importante para as pessoas deve ser sua sensibilidade
e resposta à direção do Espírito. Paulo e sua equipe de plantadores de igrejas haviam
feito planos para seguirem rumo norte para a Bitínia, “mas o Espírito de Jesus não lho
permitiu” (Atos 16:7). Então seguiram para o oeste e plantaram a primeira igreja na
Macedônia.
As pessoas descobrem a direção do Espírito através da oração. Todo esforço de
plantação de igrejas deve ser cercado de oração. A instrução de Tiago 1:5 para os que
precisam de sabedoria é que devem pedi-la a Deus.
Paulo estabeleceu o padrão de testemunhar e estabelecer igrejas à medida em que viajava
a muitas cidades. Mais tarde, ele voltava para saber como os crentes estavam passando
(ver Atos 15:36). Os batistas do Sul já tiveram vários modelos diferentes na plantação de
centenas de igrejas. Alguns funcionam, outros fracassam. Deus espera que utilizemos o
conhecimento que vem da experiência e da pesquisa.
Cinco Razões Para Plantar
1. Plantar igrejas é um mandamento bíblico. Jesus instruiu seus discípulos na Grande
Comissão (ver Mateus 28:19-20) a fazer discípulos, a batizar e ensiná-los assim como Ele
havia feito. Como isso será feito nos dias de hoje? A estratégia de Deus para cumprir a
Grande Comissão é a igreja (o povo de Deus que confessa Jesus como Salvador). “Pois
também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as
portas do hades não prevalecerão contra ela” (Mateus 16:18). Nos dias do Novo
Testamento, Paulo e seus coadjuvantes deram o exemplo de plantação de igrejas quando
estabeleceram igrejas em Corinto, Éfeso, Filipos e em outros lugares.
2. Plantar igrejas é típico dos batistas. O número de igrejas batistas da convenção do Sul
cresceu de 4.126 em 1885 até 41.099 em 1999. Plantar igrejas em todo lugar com todo
tipo de pessoa é o que tornou isso possível.
3. Plantar igrejas é tarefa prática. As denominações que demonstram um aumento na
totalidade de membros também demonstram um aumento de novas congregações. Em
média, cada igreja batista da convenção do Sul batiza uma pessoa para cada 27 membros
residentes. A média da nova congregação, segundo pesquisa recente, é de uma pessoa
para cada oito membros.

4. Plantar igrejas compensa. A maior parte das igrejas parceiras experimenta um novo
sentido de missão e satisfação por ter alcançado as pessoas com o evangelho. Os
membros e líderes da igreja experimentam um crescimento espiritual e criam uma
sensibilidade e um compromisso maior pela tarefa de evangelizar os perdidos.
5. As igrejas novas geralmente estimulam o crescimento das igrejas existentes. A única
igreja batista numa cidade de 6.000 habitantes resolveu ser parceira na organização de
uma nova igreja. A congregação batizou 55 pessoas no decorrer do primeiro ano. A
igreja parceira também cesceu e atingiu um número recorde de novos membros. As
congregações novas não causam troca de membros; elas reduzem o número de pessoas
que não fazem parte de alguma igreja.

A Necessidade de Novas Congregações
1. Mais de 170 milhões de pessoas na América estão perdidas. Plantar igrejas pode
acelerar o processo de ganhar almas para Cristo.
2. Plantar igrejas é a maneira mais eficaz de alcançar as pessoas que não pertencem a
uma igreja. Uma pesquisa revelou que 60 por cento dos adultos que se tornam membros
de congregações novas não eram ativos numa igreja antes de se unirem à nova
congregação.
3. As congregações novas crescem num ritmo mais acelerado do que as igrejas
estabelecidas. Elas alcançam um número duas vezes e meia maior de pessoas por
membro do que as igrejas mais velhas.
4. O crescimento da população demanda um aumento do número de igrejas. Na atual
média de um batismo para cada 27 residentes, as igerjas batistas precisariam de 441 anos
para alcançar a população sem Deus (254.105.000 ou 68,9% do total dos EUA).
5. Às vezes, as pessoas enxergam nas tradições das igrejas mais antigas uma barreira à
participação. Algumas pessoas preferem freqüentar e participar de uma igreja nova que
não está presa às tradições.
6. As congregações são essenciais nos lugares onde outras igrejas morreram e deixaram
um vácuo espiritual.
7. Os grupos raciais e étnicos precisam de igrejas que reconheçam seus costumes, sua
linguagem e suas necessidades culturais.
8. Alguns grupos de pessoas podem ficar fora do alcance das igrejas. Estes grupos, seja
pelo estilo de vida, status sócio-econômico ou outras razões, podem não responder a
igrejas existentes. Uma igreja nova pode fazer uso de abordagens relacionadas às
necessidades imediatas destes grupos.
9. As comunidades com grande número de pessoas sem Cristo precisam de congregações
evangélicas.
10. As condições habitacionais podem ser um impedimento para alcançar as pessoas.
Uma congregação nova poderá ser útil num conjunto habitacional, um condomínio ou
num edifício grande.
11. Comunidades novas e regiões recentemente povoadas precisam de congregações
novas.
12. As congregações novas recrutam mais pessoas para trabalhar na causa do Reino, o
que aumenta a oportunidade para o serviço e crescimento cristãos.

13. Multiplicar o número de congregações significa multiplicar o número de obreiros
cristãos, missionários, batismos, membros de igreja, grupos de estudo bíblico, sustento
para missões e crescimento espiritual.
14. Plantar congregações abre novas portas para as pessoas se juntarem a uma igreja.

Apêndice B: Acordo de Compromisso de Parceria
ENTRE
Igreja(s) Batista(s) ________________ e a Igreja Batista (missão) ____________
concorda com as diretrizes a seguir:
MEMBRESIA
Todos os membros da igreja nova são membros de uma das igrejas parceiras. A nova
igreja receberá membros segundo os mesmos padrões da igreja parceira. A igreja
parceira apresentará por escrito as suas políticas de recebimento de novos membros.
FINANÇAS
A. Um orçamento anual será preparado pela nova igreja e submetido à aprovação do
grupo de parceiros. (Nenhuma mudança poderá ser feita neste orçamento sem a prévia
aprovação do grupo de parceiros).
B. A nova igreja receberá receitas gerais e designadas. As receitas gerais serão
utilizadas apenas para o seu propósito designado.
C. A nova igreja não poderá assumir empréstimos ou dívidas de qualquer natureza que
excedam o total de $____________ sem a prévia aprovação do grupo de parceiros.
D. O tesoureiro da nova igreja apresentará um relatório financeiro mensal para a nova
igreja e o grupo de parceiros.
ORDENANÇAS
A nova igreja tem autoridade para ministrar as ordenanças do batismo e da Ceia do
Senhor.
LIDERANÇA
A. O pastor da nova igreja será convidado de modo conjunto pelas igrejas parceiras e pela
igreja nova (missão).
B. O pastor da nova igreja será o moderador da nova igreja nas sessões administrativas.
C. A nova igreja elegerá um tesoureiro e um secretário. Estes nomes, no entanto,
precisam ser aprovados pelo grupo de parceiros.
D. Os demais líderes, professores, oficiais e membros de comissões serão eleitos pela
nova igreja conforme a necessidade.
AVALIAÇÃO
A. Os alvos e os tópicos de ação serão utilizados para determinar o progresso da nova
igreja.

B. Serão agendadas sessões regulares para avaliar os planos da nova igreja. Uma sessão
de avaliação será realizada com o grupo de parceiros a cada quatro meses, no mínimo.
COOPERAÇÃO
A igreja nova cooperará com as igrejas parceiras, a associação batista, a convenção
estadual e a Convenção Batista do Sul.
ORGANIZAÇÃO
A. A nova igreja poderá se tornar autônoma e auto-sustentável havendo solicitado e
recebido aprovação das igrejas parceiras.
B. Ao ser organizada a nova igreja, todos os fundos nas contas da igreja, todas as dívidas
contraídas e todas as propriedades serão transferidas para a nova igreja.

_____________________________
Pastor da nova igreja

____________________
Data

_____________________________
Membro da nova igreja

_____________________
Data

_____________________________
Moderador do grupo de parceria

_____________________
Data

Apêndice C: Seis Abordagens de Plantação de Igrejas
1. Com base no programa. É o tipo de plantação de igrejas que ministra às pessoas e
cresce através de uma variedade de programas eclesiásticos. Estes programas consistem
de uma combinação de evangelismo; discipulado; ministérios de jovens, crianças,
homens e mulheres; música; missões; e ministérios sociais.
2. Com base no propósito. É o tipo de plantação de igrejas que enfoca os cinco
propósitos de uma igreja segundo definição de Rick Warren. Os cinco propósitos são
evangelismo, louvor, comunhão discipulado e serviço.
3. Com base no público alvo. É o tipo de plantação de igrejas que se volta
intencionalmente para um público-alvo específico e se estrutura para atender às
necessidades desta população.
4. Com base no ministério. É o tipo de plantação de igrejas que penetra na comunidade,
causa um impacto na vida das pessoas e as atrai para o evangelho.
5. Com base em relacionamentos. É um tipo de plantação de igrejas relativamente novo
que busca encontrar soluções para a tarefa difícil de evangelizar e converter a geração
pós-moderna. As igrejas com base em relacionamentos são nada mais do que redes de
células de igrejas. Estas igrejas são firmadas sobre os elos de relacionamento entre redes
de pessoas.
6. Com base em afinidades. Este tipo de plantação de igrejas é caracterizado pelo início
do trabalho entre um povo ou uma cultura específica. A cultura pode ser definida por
etnia, idioma, fatores sócio-econômicos, preferências de estilo de vida ou outras
características distintas.

Apêndice D: Formulário de Planejamento Orçamentário
Mensal
Missões:
Plano Cooperativo
Associação
Outros
Salários:
Pastor
Outros no staff
Benefícios Empregatícios:
Seguro
Moradia
Automóvel
Anuidade
Dependências:
Aluguel
Utilidades
Outros
Educação:
Escola Dominical
Treinamento de Discipulado
Ministério com Crianças
Ministério Jovem
Ministério Feminino
Ministério Masculino
Ministério de Música

Anual

NOTAS

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful