Você está na página 1de 8

OPERAÇÕES ELEMENTARES

São operações elementares sobre as linhas (colunas) de uma matriz:

(OE1) Trocar duas linhas (colunas);

(OE2) Multiplicar uma linha (coluna) por um escalar diferente de zero;

(OE3) Somar a uma linha (coluna) outra multiplicada por um escalar


qualquer.
 
2 −2 0 4
 
Seja A = 
 1 0 −1 .
3 
1 0 0 0
 
1 0 0 0
 
. Troca das linhas 1 e 3 : A −−−−→  1 0 −1 3 .
L1 ↔L3  
2 −2 0 4
 
1 −1 0 2
1
 
. Multiplicação da linha 1 por 2 : A −−−− −→  1 0 −1 .
3 
0 1
L1 = 2 L1

1 0 0 0
. Soma da linha 2, multiplicada por (−1), à linha 3 :
 
2 −2 0 4
 
A −−0−−−−−→  1 0 −1 3 
 .
L3 =L3 −L2 
0 0 1 −3
Diz-se que uma matriz tem as linhas em escada se:

(i) As linhas nulas (caso existam) ocorrem depois das linhas não nulas;

(ii) O primeiro elemento não nulo de cada linha (pivot) situa-se numa
coluna mais à esquerda que todos os pivots das linhas seguintes (ou seja,
o ı́ndice de coluna do pivot de cada linha é menor que os ı́ndices de coluna
dos pivots das linhas seguintes).
Exemplo

As matrizes

 
0 −1 3 0 −2 4
 
 0 0 0 5 −2 1 
A=
 

 0 0 0 0 3 1 
 
0 0 0 0 0 0
e

 
2 −1 1
 
B=
 0 1 2 

0 0 −3
têm as linhas em escada.
CARACTERÍSTICA DE UMA MATRIZ

• A caracterı́stica de uma matriz com as linhas em escada é igual ao


número de linhas não nulas da matriz.

• Seja A uma matriz qualquer. Então A pode ser transformada numa


matriz com as linhas em escada efectuando operações elementares sobre
as suas linhas e/ou colunas.

• Seja A uma matriz qualquer. A caracterı́stica de A, que se denota por


c(A) ou r(A), é igual à caracterı́stica da matriz com linhas em escada que
se obtém efectuando operações elementares sobre as linhas e/ou colunas
de A.
Exemplos
   
2 −2 0 4 1 −1 0 2
   
 0 1 −1 3   0 1 −1 3 
   
   
1– A =  1 1 0 −
−3  −−− −→ −3 
 1 1 0
0 1
 L1 = 2 L1
 
  
 0 0 −1 2   0 0 −1 2 
   
0 0 2 1 0 0 2 1
−−0−−−−−→
L3 =L3 −L1
   
1 −1 0 2 1 −1 0 2
   
 0
 1 −1 3 
 0
 1 −1 3 
    L05 =L5 −L3
−
−5  −0−−−−−− → −
2 −11  −−−−−− −→
 0 2 0  0 0 0 1
 L3 =L3 −2L2  L4 =L4 + 2 L3
 
 
 0
 0 −1 2 
 0
 0 −1 2 
0 0 2 1 0 0 2 1
   
1 −1 0 2 1 −1 0 2
   
 0
 1 −1 3 
 0
 1 −1 3 

   
2 −11 −−−−− −→ −
2 −11  − −−−−−−→
 0 0  0 0
0 2 0
 L4 =− 7 L4  L5 =L5 −12L4
 
7 
 
 0
 0 0 −2   0
 0 0 1 
0 0 0 12 0 0 0 12
 
1 −1 0 2
 
 0
 1 −1 3 
 
,
2 −11 
 0 0

 
 0 0 0 1 
 
0 0 0 0

pelo que, c(A) = 4.


   
0 0 −2 −1 1 −1
   
2– B =  −1 1 −1  −−−−→ 
  0 −
0 −2  −0−−−−−→
L1 ↔L2  L3 =L3 +L1
1 −1 3 1 −1 3

   
−1 1 −1 −1 1 −1
   
 0 0 −2  −−0−−−−−→ 
 0 0 ,
−2 
 L3 =L3 +L2 
0 0 2 0 0 0

por isso, c(B) = 2.