Você está na página 1de 2

Qual campanha?

Roberto Garcia Simes


21.09.2015
No processo eleitoral no Brasil persiste a pssima
combinao que desfalece o voto: uma das mais caras
campanhas do mundo e uma das mais pobres informaes
sobre o pas, o estado e o municpio, e sobre as viabilidades
das propostas. O propsito poltico fugir do debate real e
apresentar, genericamente, s o que fazer sem os custos
das propostas. O que pode ameaar o voto sempre fica
oculto e s aparece aps o resultado. possvel acabar o
recorrente estelionato eleitoral?
Diante das agudas desiluses ps-campanha de 2014, a
sociedade demandar outra postura dos candidatos? O que
mudar ou no na campanha municipal de 2016? A reduo
significativa no dinheiro levar a outro formato de
campanha? Qual?
Assinale-se que na Alemanha o custo das campanhas
limitado na prtica pelas restries de anncios na TV.
Portanto, preciso entrelaar financiamento: modalidade
(quem paga e quanto) e campanha: informao e debate,
formatos, tempo. O STF proibiu o financiamento por
empresas, mas as outras fontes (pessoas fsicas, pblico) e
os limites de doaes seguem indefinidos.
Nos ltimos doze anos, triplicaram as receitas das
campanhas: passaram de R$ 1,8 bilho em 2002 para R$
5,3 bilhes em 2014; em 2014, ultrapassou meio bilho de
reais a soma legal, apenas, das campanhas de Dilma (R$
312 milhes) e de Acio (R$ 217 milhes). Mais ainda: em
2014, a barreira de R$ 1 bilho de gastos foi ultrapassada
pelo PT (R$ 1,1 bilho) e PSDB (R$ 1,02 bilho).
Sabe-se que as empresas que mais aportam dinheiro so
grandes empreiteiras e grandes grupos econmicos. Os
mltiplos escndalos polticos, centrados no financiamento
de campanhas, mostram que, valendo-se de formas de
corrupo diferentes e de subsdios polpudos, essas
empresas,
de
fato,
repassam
dinheiro
pblico

criminosamente apropriado em enlaces com governos.


Reafirmando que a prtica eleitoral impulsionada por
volumoso financiamento pblico, adicione-se: fundo
partidrio (R$ 867,5 milhes), horrio na mdia (no
gratuito).
Precisa tambm caminhar o debate sobre o formato
das campanhas: reduzir em muito os gastos com TV;
debater temas (EUA); abrir as finanas dos governos e o
poder dos parlamentos; acabar a compra do passe de
lideranas destruindo a democracia participativa.
A interao entre financiamento e campanha no pode
continuar sendo desconsiderada nas propostas de
mudanas de ambas.